PplWare Mobile

Wine 0.9.26


Vítor M.

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

36 Respostas

  1. gil says:

    ora aí está o Vítor, sempre em cima dos acontecimentos 🙂

    boa dica, sim senhor!!

  2. Evandro says:

    Belo post Vitor!

    A imagem mostra bem o Wine executando o IE e o Office dentro do Linux. Coisa que alguns não acreditam que possa ser feito.

    Cheguei a utilizar Wine quando era um saco configura-lo. Atualmente temos interfaces gráficas para isso o que facilitou muito o trabalho e a divulgação do mesmo.

    Wine um projeto sem fim!

  3. Raphael says:

    Oi primeiramente bom dia a todos..

    eu sei q aki n eh o lugar mas to meiu q “desesperado” rrsrs

    seguinte.. meu problema eh q eu preciso de algum programa para monitorar a minha rede.. eu uso ummodem roteado e um switch ligando 2 pcs aki em casa.. eu queria um programa q qnd eu kisece ele blokearia a canecçao de internet do outro pc…

    c algum puder ma ajudar fikarei mtu grato =D

    e a pplware esta kada dia melhor.. parabens =D

  4. nuno says:

    @ Vítor M.

    Sim, o post veio a propósito! Peço-te só que corrijas a licença, pois não é freeware mas sim LGPL (GNU Lesser General Public License).

  5. Manel says:

    se querem trabalhar com programas, em ambientes que imitam windows……….. usem windows……… daaaaaaaaaaaaa

  6. Evandro says:

    Não sei pq mas estava prevendo um comentário igual do Manel desde o inicio desse post!

  7. devnull says:

    Para os utilizadores de Ubuntu, a instalação e configuração do Wine é simples, uma vez que pode ser feita com o Automatix.

    @Manel

    Há várias razões válidas para se correr uma aplicação Windows em Linux. Se estiveres habituado a utilizar uma determinada aplicação e não quiseres ter as perdas de produtividade temporárias, inerentes ao processo de aprendizagem de uma aplicação semelhante, a utilização de Wine é uma boa opção.

    Se precisares de trabalhar com uma aplicação para a qual não existe nenhuma alternativa free/open source viável (são muito poucas estas situações, mas ainda as há), também será uma solução viável. Outra opção é ter um sistema dual-boot, o que não é muito prático. Podes também optar por tecnologias de virtualização (Vmware) ou paravirtualização (Xen), mas isso exige mais recursos da máquina.

    Além disso, eu posso querer utilizar aplicações Windows e não querer utilizar Windows. Um bom motivo para isso é o pobre registo de segurança e os elevados custos inerentes à manutenção dos sistemas Windows. Isto também me parece um motivo válido. É que em termos de segurança, por muitas voltas que dês, não encontras sistemas operativos melhores que os diferentes *nix’s.

  8. peopleware says:

    Obrigado Nuno pela correcção.

  9. ozie says:

    olá caros amigos

    perdoem a minha ignorancia,

    mas se o wine permite utilizar programas que funcionem em windows por exemplo, como é que se instala um programa que funciona apenas em windows por exemplo no ubuntu?

    abraços

  10. gil says:

    @ozie
    boa pergunta meu caro, boa pergunta 🙂

    também vou esperar pela resposta eheheheh

  11. devnull says:

    @ozie

    Muito simples: depois de teres o Wine instalado no teu sistema Ubuntu, basta fazeres duplo click em cima do ícone de instalação da aplicação Windows e o instalador iniciar-se-á. Daí em diante é fazer tudo do mesmo modo como se faz no Windows. Inclusivamente será criado um atalho da aplicação no ambiente de trabalho.

  12. devnull says:

    Uma chamada de atenção muito importante. Nem todas as aplicações Windows funcionam com o Wine. Para saberem quais são as suportadas, consultem esta lista:

    http://appdb.winehq.org/browse_by_rating.php

    Caso a vossa aplicação não seja suportada, não desanimem. O Wine é um projecto em constante evolução.

  13. gil says:

    bem, acabo de ler um pequeno “artigo” que alguém linkou num comentário a outro post e fiquei apreensivo. às páginas tantas diz que “WINE is for Intel x86 only”, isto quer dizer o quê?? Que, por exemplo, não funciona no meu AMD ???? 😐

  14. devnull says:

    @gil

    Claro que funciona. A generalidade dos processadores AMD pertencem à família x86. Aqui vai um artigozito da Wikipedia para se inteirar melhor sobre o que é isto de “Intel x86”:

    http://en.wikipedia.org/wiki/X86

    Por muitas críticas que sejam feitas à wikipedia, acreditem que na generalidade podem sempre encontrar boas informações sobre quase todos os assuntos, por isso quando não souberem algo, podem sempre começar por lá. Pelo menos encontrarão links para sites com informações relevantes.

  15. Pedro Simões says:

    @Gil,

    Acho que devias ler o “artigo” até ao fim.

    Quando eles referem que apenas é suportado por “Intel x86” estão a fazer a separação entre a familia Intel, a Alfa, a Spark e MIPS.

  16. ozie says:

    á grande devnull tu és o maximo

    agora diz-me porque é que o meu ubuntu 6.10 não desliga até ao fim, pus um post no forum e sei que é um problema comum

    não tenho placa grafica só onbord

    obrigado desde já pela atenção

    ozie

  17. iGama says:

    A instalação do Wine é facil na maioria dos sistemas linux, por isso ai não há complicações.

    Para instalar um programa será por exemplo: wine setup.exe . E instalar normalmente. Para correr o programa wine .wine/drive_c/blablabla

    Manel, criticas dessas não valem apena.

    Para 64bits, é necessário compilar o programa para essa arquitectura.

  18. Evandro says:

    @devnull, parabéns pelo trabalho aqui esclarecendo tudo!

  19. devnull says:

    @ozie

    Não lhe posso responder sem ter uma lista pormenorizada do hardware que compõem o seu sistema. Se o sistema desligar normalmente e no final não executar o power-off, desconfio do que seja.

    Nos tempos em que utilizava Mandriva, acontecia-me o mesmo e isso era provocado pelo sistema de gestão de energia (ACPI) e por uma coisa chamada APIC (se estiver interessado em saber o que é leia isto http://en.wikipedia.org/wiki/LAPIC). A situação é facilmente resolvida passando os seguintes parâmetros ao kernel no momento do arranque:

    noapic nolapic acpi=off

    Se não souber como o fazer, envie-me o seu contacto que logo que tenha um bocadinho de tempo escrevo um pequeno tutorial. Pode ser?

  20. gil says:

    @devnull

    obrigado!! Como vi ali a palavrinha “intel” fiquei apreensivo, pois claro. EHEHEH 🙂

    bom, vou dar uma leitura a esse artigo então, mais uma vez, obrigado!

  21. ozie says:

    meu contacto é

    ozie_z@hotmail.com

    fico aguardar

    abraços

  22. Manel says:

    Olá! E o que acontece aos programas/jogos ilegais que as (outras…) pessoas têm e que necessitam de um crack para correr? Por exemplo eu conheço uma pessoa (não sou eu, claro…) que usa um cópia pirata de um programa e que para o conseguir correr teve que mexer no Registry e criar System variables, etc. Como é que isso se faz no wine?
    Abraço!

  23. iGama says:

    @Manel o wine contem essas aplicações básicas, ele “simula” um sistema windows.

    wine regedit por exemplo ira correr o programa para mexer no Registry.

    Até com programas legais isso acontece, tenho um jogo que para jogar em linux tem de ser usando um crack, porque não me detecta o cd.

  24. devnull says:

    @Manel

    Tens sempre a opção de não correr software pirata, o que é eticamente mais recomendável. Ou correr fazê-lo, utilizando a dica o iGama, ou ainda procurar uma aplicação free/open source equivalente. 🙂

  25. Manel says:

    Olá! Devnull, essa opção de não correr software pirata era ideal, mas neste caso não há alternativas free/open. Mas se o wine tem as aplicações para mexer no Registry, optimo! Vou instalar o Ubuntu numa partição e experimentar.
    Abraço e obrigado pela informação, iGama!

  26. Nuno Reimor says:

    Peço desculpa pelo off topic,mas porque razão só se fala em linux ubuntu e ninguem fala dos outros linux?Não ouço ninguem referir o suse ou o caixa magica 11.Sobre este último que saiu recentemente,corre um silêncio total.Será que não tem qualidade?Alguem o experimentou?Fiz download do live cd,mas nem sequer arranca…
    Cumprimentos

  27. nuno says:

    @nuno reimor

    de facto é dada aqui uma grande atenção ao Ubuntu, mas tem razão de ser. Por um lado é uma das distribuições mais bem conseguidas a nível de «user-friendlyness», tanto no que toca à instalação (do sistema operativo e de aplicações), como na escolha do gnome para desktop environment. Também é uma das distribuições com maior comunidade de suporte, existindo muitos foros e canais irc (em várias línguas incluindo o português :)). Ainda por cima podemos pedir os cd’s gratuitamente pela internet, o que é bom para quem tem problemas de largura de banda ou limite de tráfego, ou ainda problemas em ler cd-r’s em unidades cd-rom antigas.

    Por outro lado, migrar para outro SO não é coisa que se faça em dois dias, é essencial ter vontade de aprender a fazer certas coisas de maneira diferente, etc. Um novato em linux já tem muito que aprender para além do facto de existirem centenas de distribuições (o http distrowatch.com lista as 359 mais populares!). Quem vem do windows ou do macOSX, habituado à ideia de existirem apenas duas versões do SO (falo do XP home e professional) e à filosofia one-size-fits-all praticada pelas empresas, fica estupefacto sem perceber o porquê de tantas distribuições. Daí eu (e acho que mais gente por aqui) focar mais uma distribuição, para tentar diminuir a confusão. É claro que incentivo a experimentar mais, pode sempre encontrar-se alguma de que se gosta mais ou que lida melhor com o nosso hardware e as nossas necessidades. Eu próprio experimentei muitas, e pretendo continuar a fazê-lo, nem que no fim do dia apague a partição :).

  28. Nuno Reimor says:

    @nuno
    Concordo com tudo.Mas tenho tambem experimentado muitos linux e pessoalmente não acho o ubuntu mais amigavel que outros linux desta última geração.Ultimamente tenho usado como 3-º SO O suse (um dvd com 4 gb+-) e considero-o muito interessante,tanto que não o deverei trocar por mais nenhum tão cedo.
    Acerca da língua,é a tal coisa,porque será que ninguem se interessa pelo caixa mágica um produto português em PT?Será assim tao tão fraco como já li por aqui?
    Bem de qualquer forma obrigado pela opinião que foi reveladora de alguns angulos.
    Cumprimentos

  29. devnull says:

    @nuno reimor

    O nuno explicou muito bem as razões que levam muita gente a focar-se no Ubuntu. Para utilizadores novatos é de facto uma das melhores, se não mesmo a melhor distribuição da actualidade.

    Quanto ao Suse, posso-te dizer que é uma excelente opção. Em minha opinião, o Suse Linux Enterprise Edition (SLED) 10 é a melhor distribuição para desktops empresariais (melhor que Red Hat). No entanto, não tem uma comunidade de utilizadores tão activa como o Ubuntu e isso torna-se decisivo quando se trata de recomendar Linux para novatos. Se fores ao Ubuntuforums encontras todo o tipo de ajuda para todo o tipo de utilizadores, e a comunidade Ubuntu está extremamente bem organizada.

    Quanto ao Caixa Mágica, acho que é um esforço louvável, mas do que tive oportunidade de experimentar não está ao nível de distribuições como Ubuntu, Suse, Fedora Core, Mandriva, Debian, entre outras.

  30. Nuno Reimor says:

    @ nuno + @devnull
    Obrigado e
    Cumprimentos

  31. Joao Morais says:

    Bom dia!
    Também eu comecei agor a dar os primeiros passoa em Linux.
    Gostaria de colocar 2 questões que me estão a deixar + cabelos brancos.

    Situação: Tenho varios Pc’s em rede p2p, com Ubuntu e com Win XP.
    a) Porque será que os tempos de acesso à rede dos Pc’s com Ubuntu são bastante superiores que os verificados pelos Pc’s com Win XP?
    b) Agora quando a partir de 1 Pc com XP acedo a outro com Ubuntu pede nome de User e password e nao consigo entrar.

    Já andei por varios lados e ainda não consegui perceber o que se passa.
    Alguém tem ideia de como posso resolver isto?
    Obrigado e cumprimentos a todos, especialmente ao autor deste sitio, pelo TRABALHO aqui desenvolvido.
    JMorais

  32. devnull says:

    @João Morais

    Qual a versão de Ubuntu que estás a utilizar? Breezy, Dapper, Edgy?

    Qual o protocolo de ligação que estás a utilizar?

    É muito complicado dar ajuda neste assuntos, sem saber mais detalhes sobre a situação em particular.

    Já consultaste os Ubuntuforums? Há lá imensa informação sobre como resolver problemas de rede.

    Face à ausência de mais informações, só posso aconselhar que sigas este tutorial que ensina como configurar uma rede peer-to-peer usando Samba:

    http://ubuntuforums.org/showthread.php?t=202605

    Espero que seja útil. 🙂

  33. João Morais says:

    @devnull

    Obrigado pela resposta e pelo interesse.

    – Quanto à versão onde posso verificá-la?

    – O protocolo a que te referes será o TCP/IP?

    – Já fui ver o artigo indicado e vou seguir as indicações e logo direi se deu resultado!

    Obrigado
    JMorais

  34. João Morais says:

    @devnull

    Funcionou tudo como esperado…

    Quanto à velocidade de acesso entre PC’s ainda nao tive ocasião de testar com ficheiros grandes mas parece estar melhor.

    Um grande OBRIGADO.

    JMorais

  35. vinicius silva says:

    bom pessoal…sou leigo no assunto comecei a me interessar agora por programação de todos os tipos, e estava procurando o sistema unix e acabei achando esse wine.
    gostaria de saber se poderia coloca-los no meu windows xp ou seria desperdicio de tempo, poderia dar algum conflito?
    E como poderia proceder para instalar os mesmos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.