PplWare Mobile

Puppy 5.3 – Um linux muito pequeno, potente e muito rápido!


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Redin says:

    Uma das coisas que me tem feito odiar o Linux tem sido a sua total incapacidade para se adaptar a varios tipos de monitores sem que estes sejam conhecidos.
    Tenho um televisor LCD com entradas HDMI e VGA Toshiba TX-32LX70F e o maximo de resolucao que me da é 640/480 e noutras compilacoes 1024/768.
    Com o Windows nunca tive problemas destes em qualquer das versoes que ja testei e consigo a resolucao maxima 1360/768.
    No linux tenho que andar com truques e mais truques, ler foruns que so complicam e acabo por desistir.

    Mas claro, deve ser so um problema meu.

    • Alexandre Amaral says:

      Não é problema só teu, na verdade existem muitos problemas que o Linux em geral ainda os tem, e que já não deviam ter há uns bons anos atrás. Apesar de considerar que se está a caminhar num bom caminho, existem ainda muitas lacunas a limar.

    • Arnaldo says:

      Não é problema teu, embora vás encontrar sempre quem procure convencer-te do contrário, pois alegadamente o Linux é infalível, reconhece todo o hardware, faz tudo maravilhosamente bem e não tem problema nenhum. Depois, quando se vai a experimentar, a resolução do ecrã não está boa, as aplicações 3D não correm, os vídeos em flash dão aos soluços, após umas actualizações automáticas o sistema não consegue sequer entrar em ambiente gráfico, etc. etc.! E toda a gente já teve estes problemas, mas como o Linux tem de ser “perfeito” vão-te dizer sempre que não, que isso só acontece no Windows e que, portanto, o problema é TEU.

    • sSs says:

      Linux is not for noobs 😀 You Don’t Say?

      • Arnaldo says:

        Ah, esqueci-me de referir que, a par daqueles que teimam em dizer que Linux é infalível, prático, fácil, etc. também há aquele grupo de crianças que é o oposto. São aqueles que ficam fascinados quando aprendem linhas de comando como sudo apt-get update e depois ficam convencidos de que só eles é que dominam esse sistema altamente poderoso, capaz de comandar o mundo a partir da consola, que é o Linux.

        • Alexandre Amaral says:

          Não correndo o risco de entrar em generalizações, é exactamente assim que descrevo uma grande parte dos utilizadores de Linux. É triste mas é uma realidade, para resolver um problema primeiro que tudo tem-se de reconhece-lo…parece-me que ás vezes as pessoas esquecem-se disso!

          • faustino says:

            Não é possivel aos programadores de “Linux” saber todas as combinações de hardware possível, ou porque estão sempre a sair equipamentos novos, ou porque não tem acesso a todos, ou porque não lhes são facilitados dados necessários à criação do software que permita a utilização do equipamento, ou porque muito equipamento não se sabe identificar e dizer as suas capacidades quando questionado pelo SO.
            No Windows é fácil( até pelo exemplo dado acima se percebe como é fácil) o fabricante faz os drivers( e só um fabricante de equipamento convencional que fosse “burro” não o faria para 90% do mercado) ou então vocês estão ainda mais lixados do que com Linux.
            Conclusão, nos casos apresentados o problema não é do Linux em si mas do equipamento e especialmente do fabricante não “disponibilizar” esses dados a quem “faz” o “Linux”.
            PS. Esta é a minha opinião pessoal quem não gostar dela tem esse direito.

          • Alexandre Amaral says:

            Faustino, concordo com o teu ponto de vista apesar de eu achar que a tua conclusão estar errada, a culpa é do Linux porque não cria incentivos aos programadores, a falta de parametrização, de guidlines, etc. O que leva a isto? Leva aos factores que tu falas e bem, a diversidade do Linux é, ao mesmo tempo, o seu grande calcanhar de Aquiles.
            Muitos podem não concordar comigo, mas acho que até a diversidade (que é uma coisa boa) tem de seguir regras para ser sustentável.

          • faustino says:

            Alexandre o problema realmente está na falta de parametrização ecapacidade de seguirem guidelines, etc. mas quem falha não é o Linux, mas sim os equipamentos, que muitas vezes não seguem os standards, não sendo por isso capazes de responder a querys sobre as suas capacidades, isto em relação aos problemas descritos nos comentários anteriores.
            Quanto aos incentivos aos programadores não o entendo o que queres dizer com isto. O Linux segundo o que sei cumpre determinadas normas, como sejam as POSIX, logo ele segue guidelines, se estás a falar das muitas distribuições que existem acho que não é por aí pois por exemplo, Libreoffice, firefox, etc., etc. funcionam em todas as distribuições genéricas.
            Para mim, o problema está nas empresas grandes não verem, ou não “quererem” ver, necessidade em desenvolver as suas aplicações para Linux e não no Linux não permitir por falta de cumprir normas e guidelines.

      • LOLMAN says:

        LOL, cada um usa o que lhe faz mais jeito…. se é linux ou não, só ao utilizador lhe cabe a escolha… e acredita quando te digo que o linux não é para n00bs. De novo, isso depende do utilizador.

      • Dat55 says:

        Voces tem um problema. e melhor procurar um psicologo 🙂

    • Sérgio Marques says:

      Caro Redin,

      Para os seus problemas aconselho a experimentar o PCLinuxOS. Ainda não tive qualquer problema a nível de hardware, tanto na versão completa como na mini. Tenho inclusive um portátil com uma placa gráfica SIS 671. Nenhuma, mas mesmo em nenhuma distro conseguia por a resolução certa, pois nenhuma possuía suporte direto para esta placa. Após diversas pesquisas na net, consegui descobrir 2 (Mandriva e PCLinuxOS) que tinham suporte a esta placa. Experimentei uma e outra e decidi-me pela segunda. Posso dizer que sou um utilizador satisfeito. Uma das grandes vantagens desta distro é ser uma rolling distro. Isto significa que recebe todas as atualizações durante muito tempo. Isto é, no caso de algumas distros que são dsponibilizadas a cada seis meses não há a posibilidade de efetuar uma atualização, por exemplo, da versão 2 para a versão 3 de uma dada aplicação. Com o PCLinuxOS estes problemas não se colocam.

      • Redin says:

        Obrigado pelas vossa palavras de incentivo.
        Vou testar esse PCLinuxOS e logo digo alguma coisa.

        • Sérgio Marques says:

          Caro Redin,

          Não se esqueça dos requisitos mínimos para executar o SO. O PCLinuxOS está disponível com diversos ambientes gráficos. Gnome, KDE, Xfce, Enlightnement, Lxde e OpenBox. Pessoalmente, prefiro o KDE, mas para computadores mais limitados aconselho o Xfce. O Gnome, a nível de recursos utiliza +- o mesmo que o KDE e ainda está com a versão 2. Mesmo para computadores rápidos, o Xfce é uma boa escolha, tem tudo a ver com gosto. Para iniciar e ver se o hardware é reconhecido, experimente a versão mini. Se tudo correr bem, então experimente os diversos ambientes e veja qual gosta mais. Se tiver dúvidas, existe um fórum com uma comunidade bastante prestável.

          • Redin says:

            Resumo de testes:
            Testei em primeiro lugar o puppy e ja comecava a ficar contente quando na realidade o que me era apresentado nao correspondia a verdade. As resoluções altas aparecem para eu escolher mas ao efectuar o “prob” nao funcionaram e a unica foi 1024*768.
            Depois testei o PCLinuxOS. Instalei e no fim procurei confurar o hardware. Apareceu uma consola de varias configuracoes, e novamente apareceram varias possibilidades de escolha.
            Mesmo tendo escolhido a desejada e feito o reboot ao sistema continuava na resolucao minima aceitavel como encima no puppy.
            Depois andei a brincar com outras coisas e acabei por ficar no modo texto/comandos e claro, ja nao saí mais dali.
            Amanha vou tornar a reinstalar tudo para ver se me enganei em alguma coisa.

        • Mycro says:

          Eu sempre tive esse problema com a resolução do meu. Tenho uma placa nvidia, com os drivers da nvidia instalados. Não percebia porque é que não conseguia obter uma resolução mais alta até que… em vez de abrir o programa da nvidia simplesmente, abri com o comando sudo. Agora consigo meter a resolução toda à vontade.

          • Sérgio Marques says:

            Caro Mycro,

            o comando sudo não é aplicável a todas as distribuições. Temos que ver caso a caso e para o SO que estamos a falar, este comando não se utiliza

        • Joaquim says:

          Já agora redin qual é a tua placa gráfica? Se for uma mais recente convém instalar os drivers do fabricante, tanto a amd como a nvidia disponibilizam os drivers para linux. Eu tb tive um problema parecido com um eizo flexscan de 21″ e não o conseguia colocar na resolução nativa de 1600*1200@85Hz, até que instalei os drivers do fabricante nvidia e voilá. 😉

          • Sérgio Marques says:

            Caro Joaquim, a questão de ver a placa gráfica é importante mas no caso em apreço, os programadores do PCLinux não aconselham a utilização de programas exteriores aos repositórios. Por outro lado, temos o problema de, por ser uma rolling distro, as atualizações disponibilizadas por esses produtores que referiu, vão sendo disponibilizadas nos repositórios e dependendo da placa utilizada, o seu suporte pode ter sido descontinuado

        • Sérgio Marques says:

          Redin, não precisa de linha de comandos para corrigir a resolução. Antes de mais aconselho a atualizar o sistema. Se for Kde, na barra inferior tem o Synaptic. Abre, Refresh Ou Recarregar, consoante o idioma Mark all updates ou Marcar todas as atualizações, Aplicar e Aplicar ou Apply e Apply. Se necessário Reboot ou Reiniciar. Após isto, na mesma barra há um ícone para o PCC que é uma espécie de painel de controlo do Windows. Ou então na consola escreve pcc. Escreve a senha, verifique os separadores de menu. Num deles há de haver a opção para definir a resolução. É provável que esteja definida para Auto. Altere para a que pretende. Só assim é que a resolução persiste entre Reboots. Se alterar nas opções do KDE, estas só são aplicáveis à sessão.

          Eu só não lhe digo qual é pois perderia a piada de experimentar as opções disponíveis nos menus.

          Mais vale sermos nós a fazer do que ser alguém a dizer como fazer.

          Para além disto, como o PCLinuxOS só vem em ingês, abra uma consola e escreva este comando: addlocale

          Será aberta uma caixa de diálogo onde pode escolher o idioma pretendido. Se quiser permanecer com o inglês, ignore esta opção.

          Para além deste comando pode também executar na consola o comando: getlibreoffice

          Este comando transfere e instala a versão mais recente do LibreOffice.

          Tanto este comando como o anterior podem ser executadas as vezes que pretender, embora julgo que irá utilizar mais o segundo.

        • Mycro says:

          Sergio, nunca experimentei o Puppy nem o PCLinuxOS, por isso não sabia se funciona nesses ou ou não. Como o Redin falou em várias distribuições de linux tentei apenas dar o meu contributo com uma coisa que funcionou comigo numa delas.

          • Sérgio Marques says:

            Mycro,

            Tudo bem. Toda a ajuda é bem vinda. A questão é que muitas vezes diz-se que Linux é Ubuntu e tal não é minimamente verdade. E para não ser mal interpretado, não sou contra este SO, nem contra os seus utilizadores. A possibilidade de escolha é uma virtude dos sistemas tipo unix e cada qual usa o que acha melhor para si. Eu também só me estava a referir ao PCLinux uma vez que nunca experimentei o Puppy. De qualquer das formas, não existe sudo mas existe su ou su- que produz o mesmo efeito que o sudo, que é ganhar acesso root.

    • André Lopes says:

      Tens razão. Antes também me aconteciam coisas do género, mas comecei a ser mais activo.

      Agora esses problemas reporto logo à equipa do Ubuntu e Linux.

      Se pudesses instalar o Ubuntu e reportar o problema tal como foi feito por mim aqui: https://bugs.launchpad.net/linux/+bug/957115 e aqui https://bugzilla.kernel.org/show_bug.cgi?id=42944 era excelente.

      Apesar de este bug ser recente, tenho tido uma rápida resolução em outros bugs, tais como Webcams.

      Experimenta o Beta 2 do Ubuntu 12.04 e reporta o problema. =)

      • Redin says:

        Viva.
        Hoje deixei um comentário a explicar a minha resolução.
        Poderás ver mais abaixo.
        Agora sobre reportar o problema já não o vou fazer porque já apaguei todos os ISO e instalações do ubuntu, mint, pclinuxos, etc etc que tive em testes.
        E alem disso não saberia por onde começar a relatar já que o inglês não é o meu prato forte.
        Mas de qualquer maneira, obrigado pela consideração.

    • Daniel says:

      nunca tive problemas com o video no linux.. agora mesmo, estou usando o puppy e com resolução máxima num monitor enorme.

  2. Arlindo Pereira says:

    De facto, esse problema é transversal a todos os usuários do linux.
    Eu tenho um portátil com uns anitos em dual boot, win7 x ubuntu e a resolução máxima em ubuntu é de 1024×768, o que é uma porcaria, exactamente a mesma no win7.dp há drivers criados pela sis para windows que eleva a resolução para 1200×800 e para linux não existe esses drivers. O que é uma pena, pois o linux é excelente, nomeadamente o ubuntu que é a versão que uso.
    Para subir a resolução para 1200×800 no ubuntu, o que é o mínimo aceitável tive de “fuçar” na net e por fim encontrei uns drivers criados na marra, por alguém que ama o linux e os disponibilizou para outros usuários.
    Aos poucos as empresas que criam hardware também vão disponibilizando drivers compatíveis com o sistema linux. São os casos da ATI E NVIDIA…
    Espero que o sistema linux tenha um crescimento suficientemente reconhecido para que no futuro esse problema ñ exista.

  3. Pedro H. says:

    Um truque que existe por aí na Internet é utilizar o program QEMU para criar uma máquina virtual. Vejam esta página:
    http://www.erikveen.dds.nl/qemupuppy/

    A qualquer altura pegam num sistema anfitrião Windows e correm lá o puppy 😀

  4. SUSU says:

    Pelo que tenho visto esta é uma das distribuições de top para hardware mais antigo.

  5. Arcadiy Kulchinskiy says:

    Será que vai correr no meu laptop Toshiba Satellite Pro 410CDT de 1996?

  6. Dat55 says:

    eu nunca tive problemas de resoluções de ecra

  7. monux says:

    – O problema no Puppy é a falta de login/senha root.
    – Pelo menos eu não consegui achar!
    – É muito rápido,fácil a instalação no HD e amigável para máquinas bem antigas. Uso em um Averatec 3200 – 1gb memoria – Funfando muito bem.
    – O único problema é o citado acima.

    • vasco says:

      Se fizeres uma instalação frugal podes ter user files .2fs (ext2) ou .3fs (ext3) para as tuas coisas, como ficheiros e programas. Os user files podem ser encriptados e protegidos com senha. A instalação frugal é instalar dentro de um sistema de ficheiros. Por exemplo, aqui tenho o ubuntu e na pasta /puppy tenho instalado o puppy linux. Os ficheiros do puppy são como outros quaisquer para o Ubuntu.
      A maneira mais fácil de fazer isto é gravar o puppy num CD e instalar pelo install do desktop.
      No puppy acho que és root.

  8. luis says:

    Em primeiro lugar, uma declaração de interesses: tenho dois portáteis toshiba, um com win7 e outro com ubuntu linux 11.10. Gosto igualmente dos dois sistemas por razões diferentes. Em relação à infalibilidade do linux, peço desculpa mas isso é um disparate, assim como a pretensa superioridade do windows. Mas pense só um bocado nisto: geralmente, os problemas do linux têm a ver com hardware que não funciona ou não é reconhecido. Porquê? Porque as empresas trabalham quase exclusivamente com a Microsoft e não disponibilizam as características técnicas ao software aberto (linux). O que eu sei, passado muitos anos de mexer em computadores, desde o tempo do MS-DOS 3.3, é que os sistemas operativos evoluem, assim como o que está dentro das máquinas. Mas também sei que a concorrência entre Sistemas Operativos é uma coisa positiva e não negativa. Para rematar, penso que a Microsoft não favorece lá muito essa concorrência.

  9. Serva says:

    Boa noite ,

    Estou de acordo com grande parte dos comentários que por aqui foram feitos , o Linux de facto poderia estar melhor , é um facto , mas pensem comigo e vão ver que tenho razão no que vou escrever , a seguir a Microsoft que beneficia de drives proprietárias dos fabricantes de hardware qual é o sistema que consegue correr em centenas de configurações diferentes , é o Linux , mesmo com falhas que têm de ser reconhecidas , hoje o Linux está a atingir uma maturidade que é transversal as comunidades por todo o Mundo e os resultados estão a aparecer de uma forma muito evidente .

    Quanto a esta distribuição , já instalei neste fim de semana prolongado e o que posso dizer é que nutro pouca simpatia por ela , penso que para maquinas antigas existem outras distros que conseguem correm muito bem e que são sem sombra de dúvida superiores , a função que eu encontro como mais positiva é que é mencionada no post , excelente para recuperar dados em Windows .

    Cumprimentos

    Serva

  10. Daniel says:

    Gostava que o PPlware aprofundasse um pouco mais este tema, nomeadamente a configuração de redes wifi neste sistema em especifico.

  11. ognito says:

    Instalei o puppy (uma versão antiga) num Pentium II e corria bem. Ainda me lembro do espanto após o 1º boot ouvir a máquina a ladrar… Muito bom.

  12. ElectroescadaS says:

    Para quem não percebe nada de Linux esta versão é boa para experimentar? Ou é melhor testar a Caixa Mágica?

    • Dat55 says:

      ja experimenteste mint ou ubuntu? penso que estas sejam as melhores para começar no mundo linux

      • Pedro Pinto says:

        Sim, também aconselho.

        • Sérgio Marques says:

          O caixa mágica (tal como o mint) é uma distribuição com base ubuntu, logo a dificuldade/facilidade de utilização é +- a mesma. Para além disso, é uma distribuição nacional e, em principio, deve estar mais adaptado ao nosso universo, como por exemplo nas placas de net móvel 3g.

          • Joao Ruivo says:

            Não tenhas duvidas, instalei o CM17 e traz logo o java da oracle instalado, O que ajuda imenso no site da finanças para fazer o irs. Abandonei o ubuntu oriinal e fiquei adepto do CM17, em relação às pen3G foi mesmo por caus delas que testei o CM17. E funciona com as ZTE e Huawei, Kanguru, vodafone e tmn. O Gnome 3.2 que traz comporta-se lindamente!! E o hdmi do amdE450 com os drivers finais da amd (tuturial no forum ubuntu, muito fácil de entender) é um luxo em todos os Tv lcd e Led que testei! Um pequeno reparo está na placa de som que não muda para hdmi quando se conecta ao tv. Mas é facil de mudar em Gnome 3.2

      • Redin says:

        Já experimentei o ubuntu mais recente e também não consigo ver mais do que 1024px.
        Sobre as possíveis actualizações para um driver mais recente da nvidia, ainda não o fiz por dois motivos. Sou “dummie” nestes sistemas e alem disso como estou a retirar as ultimas versões destes SO’s e a minha placa gráfica tem uns 2 anos, pensei que não seria por ai que pudesse resolver o problema. Mas mesmo assim, vou tentar ver o que posso fazer.
        É que são tantas as distros, que não sei quais são as opções que se adaptam ao que estou a usar.
        Estou a ficar cansado de tanta oferta sem nenhuma solução pratica a vista.
        Para mim o mal do Linux é isso mesmo.
        Há quem venha dizer que o Linux não é para nobies. Então o que eram eles antes de mexerem pela primeira vez nestes sistemas. Já nasceram ensinados, foi? Por incrível que pareça, todo o pessoal que eu já contactei pessoalmente sobre este assunto, nenhum deles conhece o Linux a fundo para me poder resolver qualquer problema que seja. São todos conhecedores do sistema mas quando chega a altura real de resolver problemas, também se acanham.
        E eu que me lembro bem da primeira vez que mexi em computadores, lia manuais (Microsoft) bem grandes e com prazer do conhecimento e agora, são tantos os manuais que me atrapalho naquele que possa ser o mais correcto de utilizar.
        Bom, logo mais vou fazer outros teste e direi mais alguma coisa.

        • Sérgio Marques says:

          Já viu o meu comentário acima sobre a configuração da resolução no PCLinuxOS? Se quiser pde contactar diretamente comigo através de smarquespt at gmail dot com e vemos se conseguimos resolver esse problema. Mais concretamente qual é a placa gráfica? É que as minha ati 9200, bastante antiga é bem reconhecida no PCLinuxOS. Não tenho aceleração 3d em condições mas dá para o gasto e consigo ter a resolução 1360×768

          • Redin says:

            Obrigado pela oferta de ajuda.
            A minha placa é uma Nvidia EN8400GS.
            O meu pc tem como base uma ASUS P5WD2 Premium e 4Gb de RAM. Processador Pentium D 3ghz. Portanto mais do que suficiente para testar estas distros.
            Vou tentar seguir os seus conselhos do dia 9 de Abril de 2012 às 11:52 am e se ficar com duvidas entao eu contacto-o.
            Agradecimentos.

          • Sérgio Marques says:

            Não sei o que se passa mas não consigo responder ao seu comentário logo respondo aqui. Uma breve pesquisa ao fórum do pclinux e verifiquei que esta placa gráfica é suportada. Mais, está para breve a atualização para a versão mais recente dos drivers. http://www.pclinuxos.com/forum/index.php/topic,102865.0.html

            Caso tenha dúvidas, contacte-me por correio eletrónico. Acho que resolvemos este problema facilmente.

          • Redin says:

            Eu tambem nao consigo responder ao seu. Assim comeco por dizer o seguinte. Estou neste momento a responder-lhe via PCLinuxOS (mini) com o browser Opera que fui obrigado a instalar porque o Konqueror nao era compativel com o meu webmail da yahoo.
            Já tinha antes testado com a versao completa e verifiquei que afinal tinha estado a tentar correctamente os procedimentos que aqui fiz neste mini.
            Executei os procedimentos que pediu para fazer num dos seus posts e nao correu bem.
            Ou seja… consigo executar o CCP (como já o fazia antes) e consigo que as resolucoes aparecam. Escolha as mesmas, faço “save”, reebot (o sistema assim me pede como seria lógico) e acabo sempre com a resolucao que neste momento continuo a ter. 1024px.
            Fui confirmar ao CCP e as que eu tinha escolhido continuam lá mas nao corresponde à verdade com a que realmente aparece.
            Os valores em xorg.conf estao presentes mas nao sao opcao de escolha “Tamanho e orientação – Configuração do sistema” onde o ecran por default teima em me dar resolucoes pequenas.
            Se o que me contou, vier a concretizar-se, poderá vir a tornar-se util nao so nesta distro como em qualquer outra. Sendo um problema de drivers vamos a ver como se comporta com essa instalacao.
            Vou tentar contacta-lo por mail neste momento.
            Os meus agradecimentos por toda a ajuda que me tem proporcianado sem esquecer tambem todos os outros que me tem respondido por esta via.

  13. Redin says:

    A QUEM POSSA INTERESSAR…

    Com muito trabalho e com a ajuda do Sérgio Marques, acabei por encontrar a solução para o meu problema relativamente a colocar a resolução máxima do meu monitor TV Panasonic TX-32LX70F nos 1360×768 onde ele apenas me dava 800×600 e noutras 1024×768.

    O ficheiro xorg.conf na path \etc\x11\ estava sempre a receber valores falsos motivado por o confirador da placa grafica nvidia nao encontrar a leitura do monitor.
    Assim e apos alguns testes e ter a ajuda do manual do proprio monitor onde constava alem das resolucoes suportadas tambem os refresh horizontal e vertical.

    Assim deu resultado com os seguintes valores:

    # nvidia-settings: X configuration file generated by nvidia-settings
    # nvidia-settings: version 280.13 (buildd@rothera) Fri Aug 5 12:28:41 UTC 2011

    Section “Monitor”

    # HorizSync source: builtin, VertRefresh source: builtin
    Identifier “Monitor0”
    VendorName “Pnasonic”
    ModelName “TX-32LX70F”
    HorizSync 31.0 – 63.0
    VertRefresh 59.0 – 60.0
    Option “DPMS”
    EndSection

    Section “Device”
    Identifier “Device0”
    Driver “nvidia”
    VendorName “NVIDIA Corporation”
    BoardName “GeForce 8400 GS”
    EndSection

    Section “Screen”

    # Removed Option “metamodes” “1360x768_60 +0+0; 1360×768 +0+0”
    Identifier “Screen0”
    Device “Device0”
    Monitor “Monitor0”
    DefaultDepth 24
    Option “TwinView” “0”
    Option “metamodes” “1360x768_60_0 +0+0; 1360×768 +0+0”
    SubSection “Display”
    Depth 24
    EndSubSection
    EndSection

    Ah, é verdade… Continuo a detestar o Linux. LOL

    • André Lopes says:

      Boas Redin,

      Posso-te desde já dizer que tens os drivers da placa gráfica desactualizados. A mais recente versão é a 295-33.

      Eu vou tentar reportar o bug ao Ubuntu e ao Linux por ti.

      • CMatomic says:

        não é bug ele tem é que actualizar a driver pois essa já é uma versão muito antiga ,
        aqui fica como ter a driver sempre actualizada.
        para isso vamos que instalar um ppa oficial com as ultimas drivers disponíveis para placas da nvidia, intel,ATI e outras.
        abre um terminal “linha de comandos”
        e coloca o seguinte

        sudo add-apt-repository ppa:ubuntu-x-swat/x-updates

        isto vai instalar o ppa
        depois vamos actualizar os repositórios

        sudo apt-get update

        e por ultimo vamos actualizar o nosso sistema com a ultima driver da nvidia

        sudo apt-get upgrade

        depois feita actualização reinicias o pc

        e pronto com este ppa iras sempre ter as ultimas drivers da NVDIA e não só sempre actualizadas
        pagina do ppa “Ubuntu-X” team https://launchpad.net/~ubuntu-x-swat/+archive/x-updates

        • André Lopes says:

          Quando disse bug, não foi dos drivers, mas sim do facto de o Ubuntu não detectar qual o monitor que o redin tem.

          Os drivers foi um comentário à parte. =)

        • Redin says:

          Agora já não vou voltar a testar tudo de novo outra vez, mas isto não vai la com drivers.
          Então o meu televisor LCD é de SET2007 e só agora é que os drivers novos vão reconhecer os requisitos dele para compor o ficheiro xorg.conf de forma adequada?
          É mania mesmo dos sistemas linux.
          Estou agora a testar um sistema embedded da OpenElec e também não consigo fazer com que o monitor dê mais do que 1024.
          Adivinhem lá qual é o sistema operativo que vem por base?

      • Redin says:

        Eu sei, mas também já tive essa versão instalada quando dos testes feitos no PCLinuxOS e continuei sem sucesso.

    • André Lopes says:

      Redin, já criei o Bug ( https://bugs.launchpad.net/ubuntu/+source/linux/+bug/980724 )

      Se pudesses testar novamente o Ubuntu 12.04 beta 2 e ires ao terminal/consola fazer apport-collect 980724

      Dessa forma ajudarias a equipa do Ubuntu a identificar o teu monitor e o teu sistema de forma a corrigir o problema.

      • Redin says:

        Bom, visto assim dessa forma, vou tentar reinstalar novamente o ubuntu para efectuar esse comando na consola.
        Aguardem noticias porque ainda não sei se vai correr bem o que me estão a aconselhar a fazer.
        “No Linux sou troll mesmo pah”

      • Redin says:

        Estou neste momento com o ubuntu (12.04 LTS) e a escrever nele.
        Uma coisa inesperada foi que o driver por defeito que ele tem já é o ultimo 295.40 e por incrível que possa parecer, já me assume a escolha dos 1360/768.
        Tive apenas que definir melhor a cintilação para os 60hz adequados e foi tudo.
        Agora o que me pediu para fazer nao resultou porque eu não sou o relator e não me deixou escrever no launchpad.
        Ainda assim criei uma conta para mim para ver se o “enganava” mas não consegui.
        Só mesmo com as suas credenciais.
        Fico a aguardar as suas palavras.
        Obrigado.

        • André Lopes says:

          Boas noticias…

          Sendo assim, duas questões:

          – Antes de ter activado as drivers da Nvidia, o Ubuntu reconheceu o seu monitor?

          – Definiu os 60hz nas definições da Nvidia correcto?

          Talvez tenhamos que fazer um novo bug, mas desta vez para o pacote linux para detectarem o seu monitor. Fico a aguardar as suas respostas para lhe fornecer os próximos passos.

          =)

  14. Adriano Santos says:

    Link Offline Coloquem online denovo ( Please )

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.