Quantcast
PplWare Mobile

Linux: Como saber se um porto lógico está a ser usado?

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Jane Doe says:

    Portos ou portas? No próprio texto misturam os dois ..

    • Pedro says:

      Viva pplware. Crítica construtiva e minha opinião sobre o artigo:

      Não costumo vir cá “reclamar” do vosso trabalho, mas não sei onde é que foram buscar essa do “porto lógico”…

      Apesar de alguns autores de literatura de editoras conceituadas usarem esse termo, acho que a utilização aqui, dá a ideia que estamos a misturar redes, eletrónica (e matemática discreta), e isso induz a erro…

      IMHO mais valia falarem simplesmente de “Portas TCP”.

      Por outro lado, acho que faria também sentido falarem do utilitário “ss” para além do netstat e do lsof (já que há algumas distros que estão a tentar fugir do netstat, infelizmente). Já vi que está no outro artigo, mas já que estamos a falar de ver portas/portos em uso na máquina, acho que seria interessante colocar também aqui.

  2. Carlos Seixas says:

    Parabéns ao Pplware por este artigo, que é uma boa ajuda para quem se está a iniciar nas lides GNU/Linux.
    A nomenclatura correcta é de facto a usada pelo Pplware. Sim, nota-se que existe um lapso, pois a certa altura fala-se em “portas”, no artigo. Mas parece-me por demais evidente que é mero lapsus calami, e que é perfeitamente compreensível, pois todos nós passámos a vida a ouvir falar, a este propósito, em “portas”, em vez de “portos”. É algo parecido ao que se passa com a expressão configuração “por defeito” (errada tradução de “by default”), quando o correcto é “por pré-definição”.

    Infelizmente, ao mínimo lapso, aliás óbvio, têm de aparecer os trolls do costume, sempre mais dispostos a detectar a mínima falha nos outros (nos que trabalham para lhes fornecer informação) do que em aprender com os artigos… Com tanto tempo para policiar os outros não admira que esses trolls nada mais façam do que espalhar a sua própria ignorância, em comentários obtusos.

    • Pedro says:

      A nomenclatura está, de facto, correta, como eu disse no comentário acima.

      No entanto, tudo depende a quem queremos chegar. Estamos a fazer um artigo prático, ou um artigo científico?

      Como dizes, a mim parece-me que o objetivo é fazermos um artigo prático, para quem anda a se iniciar “nessa vida” dos Linuxes e dos Unixes… mais uma razão para a terminologia dever ser a mais comum para não induzir em erro – “Porta” ou “Porta TCP”…

      Enfim, o (meu) objetivo não é trollar, e não vi qualquer comentário aqui (no momento de escrita) que fosse trollar com quem quer que fosse, a menos que tenhamos definições diferentes de “trollar”, ou que tenhamos sensibilidades diferentes sobre os comentários que cá se escrevem.

      Por outro lado, não vejo escrito “portas” em lado algum do artigo. A menos que o autor(a) tenha alterado o texto, não me parece haver qualquer “lapsus calami” (tive que googlar para ver o que é que isso significa).

      Mas de qualquer das formas, e sem querer ferir susceptibilidades, mantenho a minha opinião. Na minha carreira em TI (que não é tão curta quanto isso), já ouvir falar em “abrir a porta X”, “fechar o porto Y” na firewall. Mas nunca vi pedidos para abrir firewall no “Porto lógico Z”, nem nada que se pareça.

      É o mesmo que falarmos de “dígito” em vez de “número”, quando nos queremos referir à mesma coisa. Um é de compreensão direta, e o outro obriga a algum raciocínio, por poder ter mais que um significado. Quando se fala de portas lógicas (ou portos lógicos), fala-se de normalmente de circuitos eletrónicos…

      • Pedro says:

        Ah, mas ainda para não parecer que estou a “trollar”, é sempre de valorizar o trabalho que os autores do pplware têm.
        E acho que com a opinião do público, podemos todos melhorar e contribuir para algo que é tão único e tanto alcance tem no nosso país!
        Gostava eu de poder contribuir para um fórum tão interessante como este, e aprender com pessoas que mais sabem que eu. Estamos sempre a aprender, ou não é sempre assim? ☺️

      • Carlos Seixas says:

        Caro Pedro, não me estava a referir a si quando falei nos trolls e nos ignorantes… Estava a referir-me a uma outra pessoa, bem conhecida dos leitores do Pplware pelas seus comentários neste blog…
        Cumprimentos e votos de uma boa semana.

        • Pedro says:

          Viva Carlos,

          Obrigado pela sua clarificação, e peço desculpa se entendi mal. A falar é que a gente se entende

          Em relação aos Trolls… Não consigo identificar ninguém em específico, porque quando vejo que os comentários não interessam a ninguém com 2 dedos de testa, limito-me a ignorá-los, porque o pior que se pode fazer a essas pessoas que, como diz e bem, nada de mais interessante têm que fazer. Lembremo-nos do velho ditado: “don’t feed the troll”.

          Boa semana para si também

    • jota says:

      tb não concordo com a tradução “por defeito”, mas prefiro “por omissão”, quanto à tradução de “port” prefiro “porta”, nem todas as traduções precisam ser literais, e penso a analogia com o objecto fisico se aproxima mais de “porta” que abrimos e fechamos, do que de “porto”, onde atracam navios.

      • asimoto says:

        By default, significa por omissão.
        port neste caso tem uma tradução para o Português de porto, nunca de porta..
        dor significa porta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.