PplWare Mobile

Feren OS 2019.04: Uma alternativa gratuita ao macOS e Windows


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Manelito says:

    Corre o Meo Go? Corre o office?

    N corre pois não atao é lixo

    • Daniel says:

      MS Office através do Wine, ou podes usar a versão online do Office que corre em qualquer lugar.

      Agora não sei o que é Meo Go.

      • Luisa says:

        Ninguém vai querer usar camada de compatibilidade pra rodar um aplicativo, vai perder em performance e ainda há risco de bugs. Ou você acha que só porque algo roda sob o Wine vai rodar perfeitamente? Vai lá no ProtonDB e no WineDB ver as reclamações.
        A versão online do Microsoft Office peca em qualidade de configurações. Não pode ser comparada com a versão offline.
        Não dá pra levar um SO a sério sem suporte oficial do Microsoft Office. Linux é para bebés brincarem de desktop. Adultos e profissionais continuarão utilizando Windows e macOS.

        • cfo says:

          Meu caro, eu uso Linux no meu laptop para fins profissionais e conheço muitos con cosultores/freelnacers que o usam, em expecial na area IT. Muitos deles são consultores seniores com mais de 15 anos de experiência.
          Depdende do que se pretende de um laptop. Naturalmente se estás agarrado à tecnologia MS terás que usar preferencialmente MS Windows, assim como se forem gamers.
          Se trabalhar em outras areas de IT (opensource, DB, Webdeveloper.,..), o Linux pode ser em certos casos a melhor opção.

          • luis borges says:

            +1

          • Luisa says:

            Enquanto não funcionar os aplicativos da Adobe, jogos e office ninguém vai ler muito a sério.
            Podes até usar um BSD e fazer teu trabalho, agora não dá pra esperar grandes coisas nem complexidade.
            Eu tenho é pena de quem usa Linux para trabalhos sérios com os acima.

          • ninguém says:

            Luisa, vamos por partes e fazer comparações simples para ver se atinges a lógica.
            Faz de conta que o Windows é uma flauta transversal e o Linux é uma flauta doce, vais dizer que com uma flauta doce não consegues tocar profissionalmente, entrar em grandes orquestras e teres acesso a um reportório imenso? Claro que não. É óbvio que, por motivos históricos e culturais, a flauta transversal tornou-se mais popular a partir de certa altura, mas isso por si só não determina que um dos instrumentos seja obrigatoriamente melhor que o outro, depende da finalidade e da habilidade de quem a toca.
            O mesmo é válido para o software, não é preciso usar o Windows ou o Microsoft Office para conseguir produzir bons documentos. Mesmo que em determinados aspetos o Office seja a melhor opção, a vantagem técnica por si só não serve de nada se quem estiver atrás do ecrã for um nabo. Quem quer trabalhar e souber mexer num computador não vai encarar a ausência de um determinado software como um impedimento para chegar onde quer (salvo raras exceções). Não adianta vir com o argumento de que “se não tem o Office não vai servir para fazer trabalhos a sério” porque isso é o equivalente a dizer que “se a televisão não tiver pelo menos 100 canais não vai servir de nada”. Há quem não precise ou simplesmente não sinta falta.
            Outra coisa, instalar Linux num computador não é sinónimo de nunca mais poder voltar ao Windows. Se há quem use Linux desde há anos, tanto pessoalmente como profissionalmente, por algum motivo é, e esse motivo não será mera ideologia ou filosofia associada ao software livre

          • Luisa says:

            Não sou eu quem dita as regras, é o mercado. Se tens bons argumentos e consegue trabalhar com Linux ao mesmo nível do Linux vai questionar teu chefe de empresa e o mundo todo a mudar pra algo que apenas 2 por cento de gatos pingados usam. Vai lá mudar o mundo e mostrar que Linux é topster da balada.

          • Luisa says:

            Correção:
            No mesmo nível do Windows *

          • ninguém says:

            Mudanças requerem planos, custos, alterações nos hábitos de quem opera as máquinas e por aí vai… Não é apenas estalar os dedos e já está.
            A menor ou maior adoção de uma plataforma em relação a outra não é um indicativo de qualidade ou capacidade da mesma, é apenas um indicativo de popularidade e um reflexo de determinadas culturas empresariais que dão preferência a determinadas soluções. O mesmo serve para as flautas, a transversal é mais popular no que toca a música clássica ou romântica por ter um som mais fino, enquanto que a doce é mais usada no barroco e contemporâneo por ter um som mais volumoso, ainda assim ninguém te impede de fazer a transposição, mesmo que o “mercado” te incentive a seguir determinados padrões. Claro que, tal como disse antes, há exceções em que realmente usar Linux não é conveniente, mas muitas vezes não se trata de uma questão de necessidade mas sim de comodidade, comodidade essa que para se desconstruir implica consequências (umas boas, outras menos boas).

          • Luisa says:

            Já respondi, não aceitaram minha resposta, não irei re-fazê-la.

        • ademirt says:

          Não viaja.

          Sou profissional na área de Desenvolvimento de Software, e consigo trabalhar em ambos.

        • Saturn says:

          Mas também existem muitas coisas que só dão para realizá-las em ambientes Linux. Principalmente quando nós falamos de ataque cracking!

          Se você considera quem usa o Linux ser um bebê, então também considera diversos hackers como bebês. No Kali Linux por exemplo, já vem com muitas ferramentas cracking, ao contrário do Windows.

          Muitos também preferem essas plataformas pois são mais *SEGURAS* e muita das vezes mais light do que o Windows ou Mac OS.

          Quem me dera o Windows tivesse o terminal do Linux… Mas também quem me dera o Linux tivesse a portabilidade do Windows;

          Se você acha isto algo de bebê, é por que realmente você é Noob, não tem experiência e não entende o porquê de usar Linux. Isto é algo preferencial, depende de cada um. Do jeito que o Windows tem pontos altos e baixos, o Linux também tem!
          Só acho errado você chamar de bebê quem usa o Linux…

          Não é todo dia que eu vejo uma mulher interessada/que sabe ao menos o que é um OS; parabéns, gostei de ti.

    • João says:

      “atao é lixo”.
      Atao já dizia o ditado “One man trash is another man treasure” 🙂

      • Luisa says:

        Quando começam a se preocupar com a gramática que com os argumentos, nota-se quer não há argumentos.

        • João says:

          Se queres argumentos aqui vão:
          – em primeiro lugar sou utilizador do linux, windows 10 e já fui do MacOS.
          – linux mint xfce após boot – consume 13% da memória
          – windows 10 após boot – consume mais de 40% da memória
          -linux funciona ao longo do tempo sem comprometer a estabilidade do sistema
          -o windows começa a ficar lento e tem de ser limpo após algum tempo. Aliás apareceu-me o bug do disco nos 100% de utilização, a performance ficou mediocre, após semanas de pesquisa na net, a solução que funcionou foi formatá-lo (não sem antes apanhar uma vergonha numa reunião de trabalho em que o windows não se mexia).
          – Atualizações do windows, são por demais intrusivas e precisam de reiniciar o pc.
          – Atualizações do linux mint, aparece apenas um icon discreto a informar, não há pop’us, podes atualizar o sistema enquanto trabalhas, e não precisa de reiniciar.
          – no linux não precisas sequer de usar o terminal como alguns desinformados por ai apregoam, as coisas já funcionam muito bem e de forma intuitiva, como no windows
          – no linux, não precisas de instalar antivirus, nem de desfragmentar o disco.
          – os meus ficheiro de excel com as minhas fórmulas funcionam perfeitamente bem no libreoffice, não utilizo o ms office por questão de preferencia pessoal, e porque o libreoffice funciona perfeitamente bem para a minha necessidade.
          Verdade seja dita, o linux não substitui o windows, nem o windows substitui o linux. Eu por exemplo uso programas cad que não funcionam no linux, por isso utilizo o windows. Por outro lado, quando faço programação não me vejo a usar o windows, por questões performance e preferencia pessoal. Usar o wine para utilizar programas no linux não é para mim, pois quando se trata de trabalho eu quero coisas que funcionem, sem estar a perder tempo, e isto é válido tanto para o windows como para o linux.
          Portanto para o meu caso pessoal, o linux ganha em performance e estabilidade e perde na falta de programas disponíveis. Agora vires aqui para o forum dizer que o linux é para bebés é que demonstra uma grande falta de argumentos. Eu já trabalhei numa multinacional onde 90% dos colegas utilizavam o linux, e adivinha, quando recebi o contrato de trabalho, vinha em formato odt.

          • Luisa says:

            Não adianta nada consumir menos memória, menos cpu, menos bateria, ter “teoricamente” mais performance e não ter softwares usados pelo mundo todo, como Adobe e Office, não ter todos os jogos, não ter suporte a AutoCAD, Lumion…
            E memória não usada é memória inútil. Memória existe pra ser usada. E claro, o Windows vai criar uma versão “Lite” pra computadores velhos e vai tirar muita gente do Linux.

            Tempo de boot é relativo pois o Windows 10 boota muito rápido, tem o modo fast boot. Coisa que o Linux não tem. E se quer boot super ultra mega rápido, use SSD.

            Windows só fica lento com quem baixa craca, com que não usa desfragmentação de disco (o próprio SO faz manualmente, mas os leigos vão lá e desligam e reclamam depois). Há muitos vídeos no Youtube que fazem um desserviço ao Windows.

            Já faz muito tempo que atualizações são opcionais no Windows e nada intrusivas. Atualiza se quiser. Agora depois não venha reclamar da insegurança, de bugs não corrigidos, de não está na última versão porque se recusa a instalar atualizações. É interessante, essa mesma galera reclama que o Android para de receber atualizações com 3 anos (sendo de topo) mas o Windows que envia sem prazo de validade não querem receber. E quanto ao fao de obrigar você a reiniciar, ele faz isso justamente pra não acontecer problemas. Acontece o mesmo ao atualizar o kernel, o Linux recomenda atualizar, o Windows é focado a usuários normais e não tech-savvy, logo ele tem que fazer o melhor pra evitar problemas pelos leigos que se recusam a reiniciar.

            Linux Mint pode ser bom, mas ainda não tem todos os softwares do Windows nem todos os jogos, além de ficar usando versões antigas dos programas para “manter” uma estabilidade imaginária, coisa que no Windows não existe. Sempre uso as últimas versões dos programas, sempre estou a par das ultimas tecnologias e voces ficam preso ao passado com medo do seu Linux quebrar com algo mais novo, só riu!

            Linux não precisa de antivírus? Mito. Precisa sim, o que existe de vírus pra plataforma do Linux é enorme, principalmente rootkits e quando a pessoa pega, “nem percebe”, afinal a falta de um sistema de antivírus te dá propensão a ficar mais inseguro. Já vi gente que descobriu ter rootkit e qual foi a solução? Formatar o Linux.

            LibreOffice é apenas um suite básica. O Office oferece muito mais coisa que apenas um Suite.

          • Danilo says:

            meu deus guria vc não cansa?

          • ademirt says:

            Luisa, sabemos muito bem sobre isto.

            Não precisa escrever uma bíblia.

          • Luisa says:

            Eu escrevo outras bíblias se quiseres.

          • ademirt says:

            Ok, conte o que não sabemos ainda.

    • David says:

      O MEO Go já não necessita do Silverlight. Desde o início do mês que usa HTML 5. Funciona em qualquer plataforma.

  2. Manelito says:

    Ah e já agora tem a epic store???? N tem só tem o steam k é um lixo e foi a falência desde que começou a meter jogos no lixo do linux

  3. Danilo says:

    Eu conheço o criador, amigo meu de longa data, cara super gente boa.

  4. Mario says:

    Um ponto negativo do Linux é a fragmentação causada pelas distros. Existem mais “300” distros diferentes do Linux, cada um com seu pacote de bibliotecas específico. E é Impossível dizer qual vantagem da distribuição A ou B. Ou da distro C, D, E, F…
    E cada uma dessas distros tem um grupo defensor nervoso e intransigente.
    Numa época que até às igrejas evangélicas estão se unindo e buscando uma unificação de idéias e preceitos, a comunidade Linux deveria sair das suas trincheiras e fazer o mesmo.
    Em tempo: a Google vai trocar o Linux pelo Fuchsia. Aí quero ver o mimimi de linuxer se gabando que o kernel é usado nos smartphones. Fuchsia não usa o kernel Linux e será o substituto do Android.
    Mais um espaço que o “Linux” vai perder espaço.

  5. Marcus Polo says:

    Se instalar o Linux em todos os computadores do mundo as pessoas vão formatar e instalar o Windows pirata, a questão é a interface horrível do Linux que afasta as pessoas, falta um Design que destaque o Linux e crie um padrão visual para as distros e precisa automatizar mais as coisas, esses dias tentei colocar mais um HD no pc e passei horas tentando compartilhar na rede sempre dava erro de permissão, tem distro que nem aparece as miniaturas dos vídeos, tem coisas simples que poderiam vim como padrão nas distros, o usuário comum não vai ficar pesquisando como resolver os problemas. Resumindo um sistema operacional que precisa customizar a interface, não tem chance de dar certo, ninguém vai perder tempo com isso se existe o Windows pirata…

  6. miguelrs says:

    Os comentários do costume a mandar abaixo são um espetáculo. Não gostam, não usam. Não gosto de Windows nem Mac, e não é por isso que vou dizer que são lixo.
    Para mim nada é melhor que Debian.
    Usem o que vos apetecer e sejam menos criançolas.

  7. Lucia says:

    Não gostei da mistura de design, é tão ruim quanto o MX que todos ficam puxando saco.

    Eu prefiro mil vezes meu Deepin

    Isso sim é distro de verdade.

    Esmagou o elementary e o mint

  8. Mário Jorge says:

    Olá!
    Bom dia!
    O linux, só ganhará espaço, quando aparecer um linux, que diga que não é mais necessário wine e nem outra opção do género, para instalar seja o que for nele. Bastando clicar no instalador do programa e instala-lo. Exactamente como no Windows. Quando tudo aquilo que se instala no windows, for possível instalar no linux, sem problema nenhum, e da mesma forma.
    A maioria das pessoas só trocarão o windows pelo linux, quando existir um linux que seja tão simples quanto é o windows, e que não utilize linhas de código, pois isso só complica!

    • Daniel says:

      Estão espere sentado porque até mesmo no Windows se usa comandos, cmd, powershell servem pra enfeite?

    • Diogo says:

      Só para esclarecer algumas coisas:
      A maioria das distribuições mais usadas têm disponível uma loja de aplicações onde é possível procurar e instalar programas com um clique. No windows vais à net sabe-se lá onde buscar certos programas.
      Utilizando uma distribuição como o Linux Mint por exemplo, não precisas de comandos para nada.

      • Theneus says:

        show.. verdade…. uma distro bem mais basica Endless OS faz isso com maestria para que é totalmente leigo…fora a base de app que ja vem com ela….a “fragmentação” do Linux tem suas vantagens também…. não ficamos refens de um modelo apenas… e sim usamos o que melhor nos atendem…. esse é o “milagre” do opensource..rs.

      • Danilo says:

        Windows também tem loja, mas as pessoas preferem baixar de sites não idoneos cheio de Baidu e toolbars que baixar da loja, ou se não existe o que procuras. Do site “oficial” do desenvolvedor do aplicativo em questão.
        Até para usar Windows tens de ser inteligente. Que dirá Linux.
        O povo é muito sonso para utilizar computador, não importa o SO. Computação deveria ser matéria obrigatório nas escolas.

        • Theneus says:

          … só complementando… a ideia de “loja” que o Windows tem veio do Linux ( seja android seja distros antigas) que já tem a muuuuito tempo…

    • Mário Jorge says:

      O que digo é o seguinte!
      Quero por exemplo instalar o Photoshop no Linux, e tenho de utilizar o Wine ou outra opção do género e instala-lo. Se eu o insta-lo no Windows, clico no instalador dele e instalo-o. A única coisa que preciso para o instalar no Windows, ou outro qualquer programa, é o instalador do próprio programa, rigorosamente mais nada. E não é isto que acontece no Linux. E isto, afasta do Linux a esmagadora maioria dos utilizadores do Windows.
      A maioria dos utilizadores do Windows, só passarão para o Linux, quando existir um Linux que permita a instalação de todos os programas que instalão no Windows, da mesma forma directa, e simples. Um Linux que tal como o Windows, use apenas o instalador do próprio programa e rigorosamente não for. Acredito que a maioria dos usuários do Windows, comigo incluído o fariam, se assim fosse!

      • Daniel says:

        Quem sabe trabalhar com design ou imagens, usa qualquer programa. Sinto muito se te colocaram na cabeça que só Photoshop serve. Os profissionais de hollywood que trabalham com imagens e vídeos nem sequer usam Adobe, coisa de amador.

        E ponham em vossas cabeças, Linux não é Windows, Linux é um kernel. Mesmo as distros não tem obrigação de ser uma cópia do Windows. Quem vem pro Linux tem que ter em mente que o funcionamento será diferente e não igual.

        Deixa os utilizadores de Windows com Windows. Deixa eles passarem raiva com atualizações problematicas, microsoft apagando arquivos, com malwares, com necessidade de ter que usar ssd para o sistema funcionar de forma mediana, um sistema cheio de bloatware que adoram se auto-instalarem, atualizações que não atualizam programas de terceiros, limitação na loja de apps, não ter um interface gráfica leve para pcs antigos obrigando-os a comprar um novo pc…

        Bem quem tá infeliz com Windows que reclame pra Microsoft, tem forums, feedback e numero de telefone. Vão lá reclamar ao invés de tentar transformar o Linux num Windows.

        A própria filosofia não deixa existir padrão no Linux. E isso é muito bom, não ficamos presos a um engessamento.

        Se queres instalar todos os programas em linux vai queixar-se com os devs do programa ou volta para o Windows se for muito dificil pra ti, ninguem te obriga a usar linux.

  9. Mário Jorge says:

    Comentário corrigido!

    O que digo é o seguinte!
    Quero por exemplo instalar o Photoshop no Linux, e tenho de utilizar o Wine ou outra opção do género e instala-lo. Se eu o insta-lo no Windows, clico no instalador dele e instalo-o. A única coisa que preciso para o instalar no Windows, ou outro qualquer programa, é o instalador do próprio programa, rigorosamente mais nada. E não é isto que acontece no Linux. E isto, afasta do Linux a esmagadora maioria dos utilizadores do Windows.
    A maioria dos utilizadores do Windows, só passarão para o Linux, quando existir um Linux que permita a instalação de todos os programas que instalam no Windows, da mesma forma directa, e simples. Um Linux que tal como o Windows, use apenas o instalador do próprio programa e rigorosamente mais nada. Acredito que a maioria dos usuários do Windows, comigo incluído o fariam, se assim fosse!

  10. guvas says:

    Feren OS é realmente uma distribuição excelente para qualquer usuário comum. Tem todas as aplicações necessárias e um ótimo desempenho. Parabéns.

  11. Sérgio says:

    Instalei ontem , não sou profissional de informática,instalei só por curiosidade num hdd à parte,atualmente uso o windows e queria experimentar algo novo,pessoalmente gostei,serve para aquilo que pretendo,no entanto volta e meia ele congela e tenho que reiniciar para que volte à normalidade não sei se serão bugs, outra coisa que acontece tem a ver com o teclado,utilizo a versão pt-pt e o caráter @ e todos os outros caráteres na mesma linha não funcionam,vou estar de olho nos comentários para ver se mais alguém está tendo este tipo de problemas…

  12. Mário Jorge says:

    Estou há muitos anos, desejoso para abandonar o Windows.
    Mas infelizmente, não há um Linux que tenha a simplicidade, que o windows tem.
    Como diz um amigo que tive que é técnico de informática; “o Linux é para quem percebe de informática”
    Eu não percebo nada de informática. Só mesmo o básico do básico.
    De código de informática não percebo patavina. Olho para ela, e é zero. E também aqui, o Linux perde, devido ás linhas de código. E para pessoas como é uma enorme dor de cabeça.
    Em suma; quando aparecer um Linux que não utilize linhas de código. Que permita a instalação de qualquer programa que se instalam no Windows, como no Windows; isto é; com a instalador do próprio programa, direi, finalmente, não ao Windows e o instalarei.

    E já agora; algo que nem toda a gente sabe.
    Há cerca de 5, ou 6 anos, o criador do Linux, passou para a Microsoft, e passou a ser ele a criar o Windows. Ele mudou todo o código do Windows!

  13. Mário Jorge says:

    Confirmei o que eu sabia do Linux.
    O Linux não é amigável para o utilizadores do windows, na sua esmagadora maioria.
    E refiro-me à instalação de programas e à utilização de linhas de código.
    A maioria dos utilizadores do windows, não percebem de informática. E esse é o meu caso.
    O que a maioria dos utilizadores do windows querem é migrar para um Linux, que não utilize linhas de código e não precise delas para nada. E que também possam instalar os programas que instalavam no Windows, no Linux, exactamente da mesma forma como o faziam no Windows.
    Estive a fazer uma busca na net sobre isso, e fiquei a saber que o Wine, mais não é do que um emulador.
    É como rodar o Android no Windows. Precisa de um emulador.
    Nós, no Windows, não precisamos desse tipo de aplicativos para instalar programas, a não ser que queiramos rodar o Android nele.
    E não é isso que queremos.
    Queremos uma versão do Linux, que nos permita instalarmos qualquer programa Windows, clicando nele e instalar-mo-lo, da mesma maneira como o fazemos no Windows. E quando isso acontecer migrarei para ele na hora!

  14. headbrother says:

    Nós meus mais de 20 anos de tecnologia nunca vi nada que de fato possa ser.o substituído do Windows o que mais se aproxima no caso do XP é o ReactOS.

  15. Mário Jorge says:

    Um Linux, para ser uma verdadeira alternativa ao Windows, precisa de ser ainda mais simples e fácil de usar do que o windows. O que significa dizer adeus aos comandos em código, pois para quem é leigo em informática como eu, só atrapalham. E precisa, também de dizer adeus ao Wine, ou outra qualquer aplicação do género. E passar a permitir que os utilizadores instalem qualquer programa Windows, clicando no próprio programa, e instalando-o, tal como sucede no Windows. Isto é, deixar de utilizar gambiarras, para a instalação de qualquer programa Windows.
    Enquanto isto não acontecer, a maioria esmagadora das pessoas, irão permanecer no Windows. Pois é simples e fácil de usar, ao contrário do Linux, que é para quem percebe de informática!

  16. Mário Jorge says:

    Quero muito deixar o Windows.
    Mas só o farei quando aparecer um Linux, que seja para uma pessoa como eu, um leigo em informática, e não para um Linux, que até ao momento, é para quem percebe de informática.

    Um Linux para ser uma verdadeira alternativa ao Windows, tem de ser tão simples, tão fácil e tão ou mais prático, que o Windows. E não pode ser para quem percebe de informática. Com isso; tem de abandonar por completo, o uso de linhas de código, porque são um obstáculo grande para quem é leigo em informática.
    E vital, para ser uma real alternativa ao Windows. Tem de permitir a instalação de qualquer programa do Windows, de forma directa. Isto é; sem a utilização de uma gambiarra para os poder instalar.

    Só o aspecto.
    Só a organização.
    Sem levar em conta o que disse, nenhum Linux é uma verdadeira alternativa ao Windows!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.