PplWare Mobile

Chegou o Wine 4.0: Corra aplicações Windows no Linux ou macOS


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Lucas says:

    Enquanto o Linux depender de camada de compatibilidade para rodar jogos nunca vai ser levado a sério pelo público gamer.

  2. Luis says:

    Se Linux é treta com jogos, imagine então os aficionados pelo BSD que nem Steam existe para o mesmo.
    É de cair a cadeira de tanto rir.

    • Devsys says:

      Agora imagina os aficionados do Windows a fazerem Revolt todos os dias porque senão o Windows come todos os recursos em 2 a 3 dias.
      Imagina lá aquela ridícula prática para utilizadores Windows, de ano sim ano sim andar a desinstalar tudo e a voltar a instalar, é realmente de cair da cadeira de tanto rir.
      E quando um tipo está com pressa para fazer qualquer coisa, liga o computador e ele fica ali carradas de tempo a mastigar as actualizações que entretanto fez na noite anterior? Nessa altura um gajo até se mija a rir, depois quando paramos de rir, ficamos com remorsos na consciência e tentamos ajudar, dizemos, epa da próxima.vez que apagar esta essa porcaria, eu trago uma pen com BSD e já não passas por essas tristezas.

      • Devsys says:

        Revolt = reboot

      • FugaparaVigo says:

        Isso depende muito do user… basta fazer manutenção e não existe necessidade de limpar o disco todos os anos. E se tiver de fazer um reboot, demora menos de 15 segundos para estar a correr novamente. Basta ter um SSD. E se precisares de usar o computador não fazes updates nesse momento… deixas a fazer quando fores dormir. Todos os sistemas têm pontos fortes e fracos, sendo que o problema geral do Linux é a forma como se tem de estar sempre a meter código para fazer funções simples noutros sistemas tipo Windows. Existe uma razão para ser o mais usado.

        • Devsys says:

          Para um SO “amigavel”, tu usas muitas vezes a palavra basta para justificar os problemas.
          Basta fazer manutenção, não sei bem qual manutenção falas, isto não é um carro.
          Basta ter um SSD para um reboot demorar 15 segundos (so nos teus sonhos), quando há carradas de pessoas que não têm um SSD, e este basta é so para justificar que não consegues ter o teu computador com windows mais de 2 a 3 dias ligados, e isto não tem a ver com teres ou não um SSD. E se achas rápido teres um SSD com Windows, então em Linux ou BSD tens um orgasmo cibernético. Já agora, fica aqui o meu uptime: 10:24:19 up 75 days 23:01, o teu é qual?
          Se precisar de usar o computador não faço updates? Deixo a fazer quando for dormir? Um utilizador comum (o publico alvo do SO windows) quer usar o computador quando precisa, nao anda com essas tretas de deixar a actualizar quando for dormir.
          E mesmo assim, deixa a actualizar quando for dormir, quando volta a ligar o computador espera tempos e tempos que acabe a instalação das actualizações, e quando não acontecem reboots automáticos, e já estou a partir do pressuposto que o utilizador consegue programar o computador se desligar quando acabam as actualizações. Portanto, para SO “user friendly” está muito mau, não achas?
          Linux e meter codigo? Estas a falar do que? Tudo o que fazes “não tão” facilmente no windows fazes no linux. Espera, estas a falar daquela coisa chamada scripts que permitem automatizar muitas tarefas? Aquilo que a microsoft tentou copiar com a PowerShell? Isso? Sim, é muito melhor, mas nem tem comparação possível.
          Claro que existe uma razão para ser mais usado, mas essa razão já foi realmente importante, quando usar Linux era obrigatorio usar a linha de comandos, hoje em dia, essa razão não existe.
          As outras razões são, agarrados dos jogos (cada vez menos, com soluções ja referidas). Agarrados do office, sendo que há alternativas que cobrem a totalidade dos requisitos de praticamente todos os utilizadores, com standards abertos, mas a Microsoft obviamente dificulta ao máximo a compatibilidade para assim parecer que a concorrência não presta.
          E há também a razão chamada monopólio, que a Microsoft faz, forçando/comprando as marcas de componentes a desenvolverem só para plataforma Windows, vai dai que compras um portátil e os drivers para todas as funcionalidades (botões e outras tretas), a marca só disponibiliza drivers para Windows. Achas mesmo que não sabem fazer drivers para linux?
          Portanto, sim, tens razão, o Windows é maravilhoso, pena é que funciona de forma aceitável.

          • Toni da Adega says:

            Não sei computadores andas a utilizer, mas dizer que não se aguenta mais de 2 dias é uma grande mentira. A minha máquina tem up time de 17 dias (basicamente desde que voltei de férias), for a isso é raro desligar a maquina .

            Foi formatado faz 1 ano mas foi para fazer o upgrade de Windows 7 para windows 10 for a isso foram quase 3 anos a trabalhar sem problemas.
            Isto numa máquina utilizada todo o dia para trabalho.

          • Devsys says:

            Epa, uso um portátil aqui em casa, que não é meu. é de uma pessoa chamada “típico utilizador”, sem conhecimentos de informática. Corre o Win10 e é horrível.
            Tudo o que referi em cima foi experiência com este portátil, que tem 1 ano apenas, portanto.
            E não, não há problema algum de hardware, os drivers funcionam relativamente bem, é mesmo a experiência que falei acima, é o mundo windows.
            Como não é meu, e como me disseram que querem ter o Win10, por mim tudo bem.

          • Cortano says:

            Eh lá, tanta asneira junta!!!

          • Toni da Adega says:

            Já tive na mão uma máquina com Linux que bloqueou e teve que ser reiniciado. Posso concluir que Linux é instável

      • Toni da Adega says:

        Até diria que está algo errado com essa teoria, mas depois lembrei-me que utilizador de BSD/LINUX só utiliza Pentium 4 ou anterior

      • Luis says:

        O que importa é se tem games.
        Windows ganha, goste vice ou não 😉

    • cenas says:

      Diz antes: As produtoras de jogos não fazem jogos para Linux porque não há retorno do investimento.
      Não é culpa do Linux.

  3. archman says:

    FugaparaVigo “sendo que o problema geral do Linux é a forma como se tem de estar sempre a meter código para fazer funções simples noutros sistemas tipo Windows”
    a minha mãe usa o mint e nunca meteu e nem sabe o que é código….

    • FugaparaVigo says:

      É obvio que para navegar na net e fazer uns jogos no Facebook não é necessário muito conhecimento.

      • Pedro says:

        @FugaparaVigo, então já temos 90% dos usuários satisfeitos. Vamos abaixar para 70 porque alguns vão precisar de abrir um documento para ler em doc ou pdf, sem nenhuma necessidade de edição. Uma enorme parcela de usuários atendida sem código!

      • Ruy Acquaviva says:

        Não entendi o seu ponto.
        Para aplicações comuns não é necessário nenhum conhecimento técnico adicional nas distros mais populares do Linux, em relação ao que seria necessário no Windows.
        Para aplicações mais especializadas também é necessário algum conhecimento técnico adicional no Windows, assim como é no Linux.
        Estás referindo-se a utilizadores comuns, sem nenhum conhecimento técnico, ou a utilizadores de aplicações avançadas, que pressupõe algum conhecimento técnico adicional?

        • Pedro says:

          @Ruy Acquaviva estava me referindo ao usuário comum, que se satisfaz com o Linux sem a necessidade de fazer qualquer ajuste, apenas a configuração padrão atende as necessidades da maioria.

          • Ruy Acquaviva says:

            Pedro, referia-me ao comentário do “FugaparaVigo” quando ele disse:
            “É obvio que para navegar na net e fazer uns jogos no Facebook não é necessário muito conhecimento.”
            Parece que ele acha que a facilidade de uso do Mint, citada pelo archman, seria apenas para as aplicações mais simples como “navegar na net e fazer uns jogos no Facebook”, o que não é correto. Em meu comentário apenas observei que a citada facilidade de uso não tem como foco utilizadores de aplicações mais complexas.
            E aproveito para lembrar que apesar disso, o Mint é sim um sistema muito amigável mesmo para os utilizadores mais avançados.

  4. CMatomic says:

    Vinte anos a utilizar sistemas GNU/Linux .

    • Luis says:

      Que triste, masoquismo precisa de tratamento.

      • Pedro Rodrigues says:

        Tanto masoquismo que o Microgaites ja vai ter um Windows Core opensource.. Aiii aiii lesmas da sociedade. Mal sabem que 90% dos serviços usados em IT correm em cima de plataformas Unix/Linux.

        • Luis says:

          Fala isso mas nunca usou Windows 10 LTSB. Ainda acha que Windows é o mesmo de 10 anos atrás.

          Agora conte-me o que farão quando o Android for jogado de lado pela Google trocado pelo Fuchsia.

          Me falem das TVs e sistemas que usam Linux mas contém firmware proprietário incluso impossibilitando modificações do usuário. Ex. Smart TVs

          Conte-me mais do fracasso do Linux no desktop

          Conte-me mais dos usuários que compram portáteis com Linux apenas pelo barateamento de custo para instalarem o Windows.

      • Ruy Acquaviva says:

        Concordo contigo, caro Luis. Você está precisando mesmo de tratamento.

        • Luis says:

          Quem usa Linux que precisa, pois prefere sofrer com a limitação de programas do que aceitar que o Windows tem tudo.

          Vivem presos nesse mundo meio-comunista de open source. Ai “tudo grátis”

          Tao utópico quanto o anarcocapitalismo.

          Continuarão em 2% no desktop forever.

          • Ruy Acquaviva says:

            Além de um tratamento urgente para essa paranóia aguda, você está precisando de algum conhecimento, já que não tem nenhum.
            Software Livre é “comunista”???!!! É muita ignorância e vontade de passar ridículo.
            Então a IBM, que recentemente comprou a Red Hat por 34 mil milhões de dólares é comunista? Só uma louco alucinado, totalmente sem noção da realidade pode afirmar uma asneira dessas. O que você está dizendo é simplesmente RIDÍCULO.

          • João Vitor de Paiva says:

            Open source não significa ser de graça meu abiguinho

            https://opensource.com/article/17/11/open-source-or-free-software

          • Luis says:

            Alex, adorei a imagem! Salvando aqui.

            Não existe nada mais utópico que a ideia do software livre.

            Talvez algo ainda mais utópico seja o anarquismo.

          • Luis says:

            Não significa “ser de graça” na essência, mas se você notar, a maioria das coisas open-sorce são de graça, pois mesmo sendo pagas, por serem de código aberto, eu posso pegar o código e se tiver conhecimento recriar o app da pessoa que escolheu cobrar por ele e distribuir de forma ilícita como um fork.
            E cá entre nós, sempre que há propostas de fazer coisas “pagas” o primeiro a reclamar é os usuários de Linux que tem um ar meio comunista/anarquista de raiz.
            Não todos, mas o engraçado é que maior parte deles só fazem sugar conhecimento alheio, aka “vampires” e não fazem sequer uma doação, ajudam na tradução ou compartilham de conhecimento, ficam apenas a sugar e reclamar de 4.

            Só como exemplo, posto aqui a quantidade de reclamação quando o eOS colocou como OPCIONAL (imaginem se fosse obrigatório) apps pagos na loja deles. Você podia simplesmente adicionar 0 e baixar de graça, mas quanto de vocês pagariam por algo open source? Poucos.

            O que mais vejo é usuários de Linux falando mal do Windows e dizendo que só usa “Linux” porque é de “graça”, ou seja, não tem licenças.

      • CMatomic says:

        Mas ainda me lembro do windows 3.11 .

  5. Diogo says:

    Finalmente agora é só esperar que o projecto Proton da Steam actualize para o wine 4 para poder rodar todos os jogos da steam que apesar de já ter umas lista de grande de jogos novos do windows ainda existe um ou outro que gosto que não funcionava por causa do Direct3D 12.

  6. ruijmartins@hotmail.com says:

    Bom dia…alguém sabe se wine, lê dispositivos USB? Obrigado

    • Filipe Coelho says:

      O Wine não lê porque não tem necessiade de ler. Ele funciona como um intermediário que converte as chamadas que os jogos fazem às APIs existentes no Windows para outras equivalentes existentes no Linux (como por exemplo DirectX para Vulkan ou OpenGL) . A parte de leitura de dispositivos USB é feita pelo Sistema Operativo, e sim, funciona.

  7. Emanuel Vitorinbo says:

    ” (semelhante a um emulador) ”

    Ai que alguém na equipa do Wine está a ter um ataque

    • Luis says:

      Wine é funciona como um emulador mesmo, um tradutor ou como dizem “uma camada de compatibilidade” mas é melhor chamar de emulador já que o zé-povão é ignorante em demasiado pra saberem a diferença.

  8. Jorge Gomes says:

    Prefiro usar somente o sistema operativo mac os, o linux deixo para quem tem windows.

  9. Guilherme Guilherme says:

    Isto è bom sim mas para o público gamer dificílmente o Windows vai ser deixado.

  10. Pedro Lucas says:

    Esta garra da juventude é engraçada. Ainda me lembro das discussões Spectrum vs C64, Amiga vs ST, Windows vs OS/2, Windows vs Macintosh… e esta do Windows vs Linux já dura há 20 anos ainda antes de nascerem, vâo ler ao arquivo.pt. Nenhum é melhor que o outro, são diferentes, até na gratuitidade ‘legal’. Aconselho sim a usarem uma máquina virtual de Linux (Virtualbox por exemplo) para quem usa Windows se familiarizar, e vice-versa, que funciona melhor que o Wine.

    • Ruy Acquaviva says:

      Eu tinha chegado à conclusão (óbvia) de que essas tretas sobre tecnologia são ridículas já na época da briga entre fanboys de MSX e Apple II, 32 anos atrás. A maioria da molecada que se desgasta inutilmente nessa briguinha de fanboys de Windows e Linux nem tinha nascido.
      O que me espanta é a qualidade dos argumentos não ter melhorado nem um pouquinho mesmo após tanto tempo.
      Com relação ao Wine, ele é uma alternativa em situações extremamente específicas e raras, sendo apenas mais uma alternativa a disposição dos utilizadores.

  11. gramatron says:

    Adoros os comentários….. Obrigado por facultarem uma leitura interessante todos dias.. obrig PeopleWare

    • ElectroescadaS says:

      Realmente é verdade. A paixão com que o pessoal escreve as coisas é tal tal forma tão abismal que se déssemos enxadas a estes gajos/as e os mandássemos cavar terra fugiam todos. Em vez disso matam-se por causa de programas/sistemas operativos, etc…

      Só falta mesmo é o Pplware colocar aa possibilidade de darmos uns “Likes” aos comentários proferidos aqui neste blogue… :mrgreen:

      • Luís says:

        e já agora de podermos editar comentários tb

      • Vítor M. says:

        Os likes que podes dar é comentar com boa qualidade para que quem lê os comentários, goste de participar. Até porque há muita gente a participar com muita qualidade. Claro, a sociedade tem pessoas com muitas opiniões e há opiniões para todos os gostos. Nota-se que as pessoas gostam de comentar, de dar o seu contributo. Nos último meses de 2018 os comentários cresceram 12% face ao período anterior. Este mês a tendência está acima desse valor, o que realmente diz muito deste espaço.

        Editar, dar likes e outras coisas, acaba por desvirtuar, digo eu, o conceito, que se mostra produtivo e eficaz.

        Boa semana.

        • ElectroescadaS says:

          Pessoalmente falando gosto bastante dos vossos tópicos e do blogue em geral. Também gostava bastante dos vossos grupos numa “certa” rede social mas que “curei-me” mas confesso que deixou algumas saudades (participar claro). Não querem experimentar a MeWe Pplware?

          Quanto à “qualidade” que o @Vitor M. refere bem, não querendo ser do contra (que aliás é a minha especialidade) muitos dos comentários que por cá leio deveriam ser passados a pente fino antes de serem publicados (mesmo correndo o risco dos meus próprios comentários serem passados pela “censura”) e assim evitava-se algumas “escaramuças” linguísticas…

          • Vítor M. says:

            Tirando um ou outro bipolar, que têm 4 ou 5 niks, o resto dos comentadores trazem valor acrescentado. Os outros… divertem a malta.

            Agora, há temas muito interessantes de seguir nos comentários, depois há outros que é a máquina a a moderar, porque não há pachorra.

  12. David says:

    off-topic: Boas. Tenho um computador com 2 discos (SSD e HDD). Tenho windows10 no SSD e corro o linux ubunto pelo virtual box(instalado no HDD). Será mais vantajoso instalar o ubunto em dual-boot no HDD?

    • ademirt says:

      Tbm tenho um SSD e um HDD.

      No SSD com 240Gb particionei => 200 Gigas Windows 10 (isso tudo pois Windows devora muito espaço, e apenas 40 Gigas para Linux apenas a base do sistema (raiz “/”).

      No HDD, com 500Gb, particionei => 300 gigas Windows (só uso para games, mais nada), e 200 Gigas para o linux onde mantem o “/home” e o “swapfile”.

  13. edilson says:

    Muito se fala do Word no Windows como vantagem, quando mais de 80% ou 90 % não sabe usar o Word aleḿ do basico, o mesmo que qualquer editor de texto faz.

  14. Silvio says:

    Eu uso os dois sistemas operativo
    Depende donde quero tirar o melhor partido, se for no EndPoint User ou na Computação de Dados do lado do Servidor.
    User-Friendly Windows
    User-Power Linux

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.