PplWare Mobile

ArchLinux – A minha distro Linux de eleição


Autor: Pedro Pinto


  1. a Friend® says:

    Excelente artigo! Muito bom!

    Esta distro é considerada a mais “light” de todas e aconselhável para computadores “velhos” e Netbooks 😉

    É sem duvida das melhores que há, para os amantes de Linux.

  2. 3biz says:

    Arch, o gentoo sem compilar xD

  3. z0rba says:

    Excelente! PPLWare é, indubitavelmente, o melhor site de TI semi-técnico (se é que se pode chamar assim….) que conheço. Parabéns e continuação deste estupendo trabalho. Obrigado Linus Torvald ^^.

    Cumps,
    z0rba

  4. Miguel Jeri says:

    Good post!
    Está nos favoritos

  5. jmtdstoc says:

    Eu já não “vivo” sem uma GUI.
    A distro Mandrake em 1998 já usava uma GUI na instalação. A ArchLinux em 2010 ainda usa texto?!

    Compreendo as vantagens da manipulação de todos os parâmetros com uma linha de comandos… mas a curva de aprendizagem é muito acentuada sem uma GUI. Só mesmo para peritos informáticos!

    • Guilherme de Sousa says:

      é modo de texto mas em ncurses.. nao é totalmente textmode como o gentoo por ex.

      a curva de aprendizagem para um utilizador de media experiencia informatica (e cm gosto nesta area claro) é mais pequena q pensas.. e como disse, a Wiki é qualquer coisa.

      cumps

  6. ArÔ says:

    O teu dual screen inspirado no fringe parece muito interessante, pena ser tão pequeno, não podes colocar uma imagem maior?

  7. Lulzzz says:

    finalmente um bom post no pplware.

    Continuem com os bons posts sobre linux, são os poucos que se aproveitam por estes tempos.

  8. Luis says:

    “trás muitos conhecimentos” ? Que significa isso?

    • Guilherme de Sousa says:

      significa q o facto de teres q instalar todos os pacotes, e teres q configurar todo o sistema te vai fazer perceber muito melhor o funcionamento de Linux em geral, algo q nao acontece com uma distro out of the box.

      qd te habituas a utilizar uma distro out of the box,caso tenhas algum problema, nao sabes como foi configurada e por vezes encontrar uma boa soluçao torna se dificil.. com o arch conheces os ‘cantos a casa’, e rapidamente arranjas solulao para tudo;)

      cumps!

  9. FuhFuh MacMoragh says:

    é a distro que quando tiver tempo e paciência vou instalar no meu netbook

    Já tentei instalar uma vez, e até consegui (é facil), mas na parte de instalar o ambiente gráfico aparecia só uma consola e um relogio xD (tenho que ver para instalar)

    Bom artigo 😛

    • Guilherme de Sousa says:

      Tava quase la @FuhFuh MacMoragh, o q viste foi o TWM q é um WM muito pequeno q vem por default com o XServer.. era so teres configurado na tua home o ficheiro .xinitrc indicando la qual o teu Desktop Environment, ou Window Manager.. assim quando fizesses startx, ele ja arrancaria o correcto em vez do TWM!

      lendo o beginners guide é muito facil a instalaçao do Arch;)

      cumps!

  10. TigTex says:

    Vi o titulo e o autor.

    És o meu heroi! Finalmente alguem que aprecia a simplicidade e performance enorme do archlinux.

    Eu utilizo o archlinux em todos os meus pc’s, sendo um deles um mediacenter com xbmc e karaoke com performous xD

    A performance é incrivel comparando com o ubuntu e windows eu até o considero mais facil de trabalhar.
    Instala-se tudo a mao, e entao? É uma maneira de aprender em vez de ter a papinha toda feita e o pc está sempre actualizadinho.

    Recomendo o archlinux a todos os que ja dominam minimamente o pc, para aprenderem um pouco mais. Se quiserem ser mais hardcore, o gentoo é uma excelente distribuiçao, embora demore demasiado tempo a compilar tudo em pc’s mais antigos.

    Fiz este post no windows por acaso, utilizo o archlinux x64 num asus G71v, um maquinao. Arch é para todos. Até o magalhaes voa com ele.

    Portem-se, espero ver-vos na comunidade do archlinux depois deste post, o meu nick é o que está a vista. Qualquer coisa posso ajudar-vos.

    Cumps

    • Guilherme de Sousa says:

      eu tmb tenho arch em todas as minhas maquinas;) desde o eeepc 1000h ao q9450+4GB.. n é preciso ter se maquinas fracas para se usar arch, totalmente de acordo;)

      tmb uso xbmc;) n ha melhor media center mesmo.. desde q mudaram a skin entao esta de topo.

      cumps!

  11. lock says:

    Boas.

    tive a tentar instalar no meu mas nao consegui :S

    deviam criar um tutorial passo a passo como instalar para os mais noobs

    :S

    Compts

  12. BigOix says:

    Tambem utilizo archlinux como ambiente de trabalho kde , depois de varias tentativas de instalar o gentoo linux de varias maneiras e formas, desisti, e experimentei instalar o Archlinux a qual foi muito mais fácil, posso dizer que este sistema tem o mais puro kde de todas as distribuições que conheço apesar o kde do opensuse ser também bom a do archlinux esta sempre actualizada,a instalação dos programas do archlinux é fácil depois de conhecermos os comandos , mas também tem instalador gráfico.com o archlinux jogo todo tipo de jogos para linux, e também tenho acesso a uma grande variedade programas.
    já agora alguém podia arranjar um bom tutorial para instalar o gentoo? 🙂

  13. Melech says:

    Finalmente…! Archlinux! 😀 O meu preferido.

  14. R00KIE says:

    Sim senhor, muito bem 🙂

    No que diz respeito à documentação o Arch realmente é muito bom. O gentoo também era muito bom mas acho que tiveram problemas com o servidor e foi tudo à vida há algum tempo.

    Só um reparo, da forma como escreveste parece (pelo menos era a impressão com que ficava se não conhecesse) que o AUR é um repositório semelhante aos repositórios “oficiais” e não é, como bem sabes.

    Já que falas no AUR podes também mencionar o ABS pois são semelhantes.

    • R00KIE says:

      E já agora corrige

      Remover o pacote ‘app’ e ficheiros de configuração respectivos:
      pacman -Rs app

      para

      Remover o pacote ‘app’ e todas as suas dependências que já não sejam necessárias a outros programas
      pacman -Rs app

      Os ficheiros de configuração fazem parte do pacote ‘app’ e normalmente é feito o backup porque no PKGBUILD estão marcados para fazer o backup caso contrário tudo o que faz parte do pacote é removido e limpa o lixo todo 😉

    • Guilherme de Sousa says:

      secalhar podia ter realçado esse ponto qt ao AUR.. em relaçao ao ABS preferi nao complicar ate pq apesar de util para recompilar certos pkgs problematicos, a sua utilizaçao no dia a dia para um archuser n é mt grande i guess..

      cumps:D!

  15. ZiLOG says:

    Os “Linuxes” que já usei, foram sempre distribuições “out of the box”. As ultimas foram o Ubuntu e agora o Mint.
    Esta parece que temos mais controle sobre o que instalar na máquina, mas também temos que conhecer todo o hardware da máquina, quais os drivers compativeis, como configurar esses drivers, quais os pacotes a instalar, saber configurar esses pacotes…não deve de ser fácil. Estive a ver o “Beginner’s Guide” e tem lá muita coisa para consultar.
    Mas as dúvidas mais importantes são:
    – Instalar este linux (por um utilizador medio/baixo) não vai apagar a partição do Windows?
    – No fim da instalação consigo entrar no “Ambiente de trabalho” ou vai ficar só na consola?
    – Estou habituado do Ubuntu/Mint. É fácil instalar mais programas depois da instalação do Arch?

    Para um utilizador medio/avançado do Arch, quanto tempo demora a configurar o sistema e instalar o Ambiente de Trabalho no Arch?

    Estas são só algumas dúvidas de agora.
    Provavelmente vou tentar instalar no VirtualBox. Depois logo se vê.
    Mas ficava mais à vontade com um tutorial passo a passo.

    • Guilherme de Sousa says:

      drivers n tens q te preocupar pois esse tipo de coisas estao todas no kernel.. so tens q ler na wiki qual o modulo da placa wireless e isso para ser carregado no arranque.. de resto n ha configs em relaçao a hardware (q me lembre )

      1º so apaga a partiçao do windows se tu quiseres. aconselho a utilizares um live cd de gparted ou um livecd de uma outra distro para particionares o disco atraves do gparted. é mt mais facil,rapido e evita enganos.

      2º o arch so vem com um sistema base, logo no final da sua instalaçao, apenas tens uma minimal install. assim teras q escolher qual o DesktopEnvironment, ou WindowManager q preferes e instala-lo. tudo isto vem no beguinners guide.

      3º é tao facil instalares aplicaçoes no arch como no ubuntu/mint. se vires no final do meu post tens comandos muito simples de como fazer a instalaçao de pacotes,remoçao, actualizaçao e etc. novamente toda esta info vem na Wiki.

      um tutorial mais passo a passo do q a propria wiki do Arch n pode existir. as unicas alturas em q a wiki n te indica como fazer é qd cabe a ti tomar uma decisao. a wiki n te pode dizer qual o tamanho da partiçao pois imsso depende de ti.. tmb n pode dizer o DesktopEnvironment pq isso tmb depende de ti.. placa wireless pq depende do teu hardware.. etc etc

      espero ter ajudado, qlqr coisa passa pelo canal de IRC onde podemos falar melhor, ou entao qlqr duvida tens tmb o excelente forum do ArchLinux;)

      cumps!

      • ZiLOG says:

        Qual a diferença entre DesktopEnvironment e WindowManager.
        Conheço o KDE, XFCE, Gnome, Fluxbox, etc. O que são eles? DesktopEnvironment ou WindowManagers?

        • Guilherme de Sousa says:

          o KDE, Gnome, XFCE, e o mais recente LXDE sao Desktop Environments.

          Um Desktop Environment basicamente é um pacote q inclui um WindowManager, file manager, aplicaçoes para configuraçao do sistema (tipo control panel digamos assim), pode conter browser tmb.. cliente de mail.. etc etc.. basicamente é um conjunto de aplicaçoes para criar o tal ‘Ambiente de trabalho'(DesktopEnvironment).

          o WindowManager é tipo fluxbox,openbox, twm, awesome, kwin, metacity, compiz(no gnome muita gente substitui o metacity q é o WM padrao pelo compiz pois este tem os tais efeitos pipis), etc etc.. ha muitos mesmo. O WindowManager como o nome diz, é um gestor de janelas, o seu trabalho é exclusivamente esse.. gerir janelas e acaba ai. qd utilizas apenas um windowmanager e nao um DE, és tu q escolhes todas as outras aplicaçoes, como os filemanagers, aplicaçoes de extracçao de ficheiros, painel.. sei la tanta coisa.

          cumps!

  16. phoenux says:

    Eu comecei a minha incursão em Linux com o Gentoo, uma distribuição com uma curva de aprendizagem bastante acentuada, mas onde aprendes imenso sobre Linux e sobre o hardware onde o instalas. Permite controlar e afinar minuciosamente o teu sistema, tem ferramentas excelentes – o portage é um dos melhores sistemas para gestão de pacotes de software que já encontrei. A principal vantagem/desvantagem é que sendo uma distribuição baseada no código-fonte das aplicações, permite uma optimização muito maior das aplicações; no entanto isto é uma desvantagem, pelo tempo que demora a compilação de um pacote (por exemplo, o openoffice.org demorava no meu tempo umas boas horas a compilar…).

    Após alguns anos, como não tinha assim tanto tempo disponível para estar à espera que os pacotes compilassem, dei uma oportunidade ao Ubuntu, distribuição que ainda utilizei durante quase dois anos. Não é uma má distribuição, e comparativamente ao Gentoo, não dá trabalho praticamente nenhum a manter.

    Apesar do Ubuntu ser uma excelente distribuição, o facto de não ser uma distribuição do tipo rolling release era uma limitação que me chateava bastante… Ter que andar com repositórios para trás e para a frente, para não ter que esperar 6 meses por um pacote de software, e ter o trabalho de actualizar os repositórios sempre que uma nova versão do ubuntu é lançada, não era algo que considere muito prático. Além disso, o Kubuntu apresentava muitos problemas para que eu pudesse dar uma oportunidade decente ao KDE 4.

    Assim, à um mês decidi experimentar o Arch Linux, e posso dizer que é de facto uma distribuição bastante boa. Para quem vem do Gentoo, a curva de aprendizagem não é assim tão significativa, e comparando estas duas distribuições, ambas têm coisas muito boas, e coisas menos boas. O facto de não ter de compilar as aplicações a partir do código-fonte, poupa imenso tempo (embora, também o possa fazer no Arch, tal como posso instalar pacotes já compilados no gentoo) – aliás, a velocidade com que os repositórios são actualizados e os pacotes instalados, é simplesmente impressionante.

    No Arch gosto imenso da filosofia de lançar os pacotes no repositório praticamente assim que são lançados pelo programador do projecto original (ainda estavam a surgir as primeiras notícias sobre o KDE 4.4, e já o arch o tinha nos repositórios). Outra vantagem é que os pacotes são lançados quase como foram desenhados pelos programadores, sem grandes patch’s específicos da distribuição.

    Tal como para o Guilherme, também para mim o Arch é neste momento a minha distribuição Linux de eleição e é, sem dúvida, uma das melhores distribuições Linux para power users.

    • Guilherme de Sousa says:

      tmb passei pelo gentoo e ubuntu por uns tempos;)

      gento é sem duvida uma excelente distribuiçao, umas das minhas preferidas mesmo. mas o trabalho q da para o dia a dia nao acho q justifique. ja para um servidor e para eavy jobs ja vale a pena!

      cumps!

      • Alexandre Alves says:

        Gentoo foi a distro de eleição durante muito tempo até retirarem a instalação stage1 e stage2. Demorava 3 dias a chegar ao stage3 mas garanto que não havia distro mais rápida.

        diverti-me/aprendi bastante sobre o processo de boot, optimização do kernel entre outros. A partir do momento que retiraram o stage1 mudei para Fedora e actual OpenSolaris, tenho uma aversão quanto à maioria 😀

  17. omgwtfbbq says:

    Estive a montar uma máquina virtual com o Arch e outra com o Debian. Acabei por ficar com o Debian que ocupava menos espaço.

    Qualquer dia perco a cabeça e deixo o Windows de vez 😀

    Só uma nota, o gestor do Debian é o apt, o aptitude é um frontend para o apt.

    Nunca experimentei o Openbox, é melhor que o Fluxbox?

    • Guilherme de Sousa says:

      totalmente programado em C. para mim é uma grande vantagem.
      ambos derivam do Blackbox, mas ao contrario do flux, o openbox foi totalmente reprogramado!
      nunca utilizei fluxbox, mas retirando o facto de este ja vir com um panel (o q pode ser uma desvantagem pois podes preferir usar outros) sao muito semelhantes a olho nu.

      o meu openbox esta neste momento a gastar 2.0MB de RAM, tira as tuas conclusoes quanto a performance entao:P

      cumps!

  18. ThunderWolf says:

    Tenho usado o ArchLinux e o Gentoo mas não me consigo desfazer do Slackware.

    Mas gostei bastante do que li. Muito bom.

  19. Mandrake says:

    Pena que não reconhece minha rtl8187se do meu MSI Wind, sou praticamente obrigado a ficar no Ubuntu e Mint. =X

    Só instalando jah aprendi bastante, mto legal.
    Vlw ae essa Distro Ownaaaa.

    Thanks.

  20. renato_m says:

    Boa noite a todos.

    Eu ando a tirar um curso em que necessito linux para programar. Utilizo o ubunto, pois foi o que me falaram e como não sou muito experiente nisto decidi experimentar. E gostaria de perguntar aqui aos experts qual a melhor distribuição linux para programar C, Java, etc. etc.

    Já agora se conhecem algum curso na net(em pt) para sabermos trabalhar bem no linux. Por exemplo, comandos…

    Abraço

    • Corrector Ortográfico says:

      @renato_m

      Em relação à tua primeira pergunta.. não sei, mas a ideia que tenho é que para esse tipo de coisas, qualquer distro é boa.
      Já em relação ao teu 2º pedido, deixo-te este link para um site onde aprendi as coisas mais básicas (e importantes) depois de ter instalado o Ubuntu.
      http://linuxcommand.org/

    • phoenux says:

      Sinceramente acho que qualquer distribuição Linux com uma base razoável de utilizadores é boa para programares, e o que consegues fazer em uma, com mais ou menos trabalho, consegues fazer em outra. Dizer-te que Ubuntu é melhor do Arch é algo que penso que não é correcto, pois ambas têm pontos fortes e pontos fracos, e depende muito de quem está por atrás do teclado.

      Pessoalmente utilizei tanto o Gentoo, como o Ubuntu e agora o Arch para programar, e não tenho razões de queixa. Se estás a iniciar-te agora no Linux, talvez o Ubuntu seja um bom ponto de partida para ti, pois tem uma comunidade de utilizadores bastante grande e onde poderás encontrar facilmente uma solução para um problema que venhas a ter e que quase de certeza que alguém como tu também já teve.

      As ferramentas base de programação no Ubuntu (compiladores de C, por exemplo) podem ser instaladas com o comando “sudo apt-get install build-essential”. Para Java, utilizei o JDK 6 da Sun (“sudo apt-get install sun-java6-jdk”) – podes precisar de utilizar o update-alternatives para definir o caminho para o compilador de java (javac) para compilar programas de forma mais simples via linha de comandos.

      Relativamente a cursos, eu pessoalmente não conheço nenhum assim muito abrangente. No entanto nestes primeiros tempos, creio que o Google poderá ser o teu melhor amigo. Experimenta procurar informação para um tema mais especifico, por exemplo “http://www.google.pt/search?hl=pt-PT&esrch=FT1&q=como+programar+em+c+ubuntu&btnG=Pesquisar&meta=&aq=f&oq=”. Se só quiseres informações sobre os comandos ou quiseres saber o que um comando faz, utiliza o man (por exemplo, “man apt-get” para saberes o que o comando apt-get faz e quais os seus parâmetros).

      Boa sorte e não desanimes. No inicio isto é complicado, mas com o tempo fica mais fácil e no final valerá a pena.

  21. Rui Peixeiro says:

    Isto fez-me lembrar as minhas primeiras instalações de Linux!
    O primeiro contacto foi com o Slackware (dois ponto qualquer coisa) numa carrada de disquetes! Tive de imprimir um doc com a descrição de todos os pacotes para ver o que deveria escolher ou não! Era mais de uma hora a escolher pacotes um a um, que não tinha disco para fazer uma instalação completa e manter uma partição com o dos/windows…

    Ainda cá guardo como reliquia essas largas dezenas de folhas e um cd com o já “evoluído” Slackware 3.4!!!

    Agora fico-me pelo Puppy linux neste velhinho pc e o Ubuntu no escritório!

    • phoenux says:

      Lol… Esse Slackware 3.4 deu-me tanta chatice… Na altura era um utilizador Windows que queria descobrir o que era o Linux… Arranjaram esse Slackware 3.4 que fui tentar instalar por cima de um Windows, sem fazer backups e sem saber o que eram partições. Escusado será dizer que perdi os meus dados assim que me pus a inventar no fdisk…

      Após 3 tentativas lá consegui instalar o Slackware no disco e chegar ao login. Depois de fazer login pus-me a tentar executar os poucos comandos de DOS que sabia (não gozem… na altura não havia net em casa e eu não percebia um boi de Linux…).

      Só uns meses mais tarde com um amigo é que de facto vi o que era Linux e que aquilo até tinha um ambiente gráfico. Mas desde então, mesmo após uns meses a utilizar slackware, nunca o consegui perdoar 😛

  22. renato_m says:

    Muito obrigado pelas dicas pessoal.

    Sois 5*

    Abraço

  23. dockme says:

    Não é por ser a distro que uso! Mas esta é a melhor distro de sempre, para mim. Sempre fui utilizador de slackaware. Arch tem base slack e base no gestor de pacotes do gentoo (pacman). Estabilidade e desempenho é td o que posso afirmar.

    No outro dia um colega meu veio cá a casa. Olhou para o desktop e disse:
    -Tens ubuntu instalado! Deixa cá ver…
    Ele olhou, exprimentou, utilizou e disse:
    -É pah! O teu ubuntu tá rápido.
    Eu disse:
    -Não é ubuntu é arch linux.

    O arch combina o melhor desempenho com o melhor do conforto.
    Exprimentem!

    • Guilherme de Sousa says:

      arch n é baseado em nenhuma distro q eu saiba, e o gestor de pacotes do gentoo é o portage q utiliza ebuilds, ao contrario do pacman q usa binarios.

      cumps!

      • dockme says:

        Baseado não é a palavra certa. É inspirado… Mas sim o Arch Linux foi inspirado no Crux. O Arch usa binarios e não so… Também tens o ABS que é bastante parecido com o portage do gentoo.

        • Guilherme de Sousa says:

          inspirado no crux, mas o codigo é deles logo n podes dizer ‘baseado’ q é o termo utilizado qd se pega noutro codigo. O arch n usa so binarios tem o ABS eu sei, mas tu falaste do pacman e nao do ABS, logo como eu disse o pacman NAO é baseado no gentoo(q na realidade o q tu querias dizer era baseado no portage, q é o seu package manager, mas eu percebi;) )

          cumps

  24. Tiago Lopes says:

    É engraçado ver este tipo de artigo nos dias que correm quando o rumo da tecnologia tende a evoluir para 1-click only (ou vários sempre na mesma posição (“Next?” 😛 )).

    Tenho tendência a fugir a este tipo de distribuições a não ser que tenha um objectivo especifico (seja ele configurar um servidor, segurança, ou falta de recursos, … ) caso contrário mostra ser um ambiente anti-produtivo (é quase que garantido que mais tarde ou mais cedo se perca horas numa configuração quando em outras distros já se encontra tudo configurado por defeito).

    Independentemente de tudo, acho que é muito positivo alguém que queira utilizar Ubuntu e distros similares passar pela experiência de utilizar uma distribuição do género do Arch Linux, de certeza que irá tirar um maior partido de qualquer outra distribuição. (Os que se queiram tornar “Eng. Informáticos”, é favor de seguirem o link: http://www.linuxfromscratch.org/lfs/index.html) 😛

    Bom artigo!

    Abraço,
    Tl

  25. Alexsandro says:

    Bem depois de tantos comentários fiquei mesmo convencido…vou experimentar na virtualbox.

    Já tentei instalar uma vez o Archlinux mas nao consegui, na altura ainda nao sabia o que era uma maquina virtual 😛 e não queria apagar tudo o que havia no meu disco…

    Agora com alguns aninhos de ubuntu e mint, penso que já estou pronto para o salto XD

  26. Carlos says:

    O raio do marketing da canonical, vai tapando aos poucos o nome debian… é o que estou mesmo a ver.
    Ubuntu não foi, não é e nunca será Debian! Ubuntu é uma distro da qual a canonical “mascarou” o Debian..
    O apt utiliza repositórios definidos pelo utilizador, e também se pode ter ‘pacotes dos mais actualizados que há por ai’! Existem 3 tipos de repositórios que podem ser definidos pelo utilizador, o estável, o de testes e o instável (que proporciona o utilizador a testar e reporta estados dos pacotes).
    Existem instalações em modo texto e gráfico, para os diferentes tipos de utilizadores, tudo no mesmo cd.. e ainda a grande opção NETINSTALL, que apenas utiliza um minimal package de 70MB (o que cabe em qualquer media, como é claro nos dias que correm) e utiliza a rede para descarregar os pacotes e configura-los. Também a instalação de Debian é configurável é interactiva, permite configurar Debian base só ou Debian base + X + Servidor SSH + Mysql, etc.. permite tudo o que existe em distribuições de Linux de ser carregado e vai mostrando o pacote e o estado durante a instalação.. Quanto à afirmação de que o pacman é melhor que o apt, acho isso bastante ‘cruel’ de se dizer, porque pessoalmente não acho o pacman ou o yum ou wtv mais rápido que o apt, até em retrievers e situações parecidas o apt é um flash, e só pela forma como é personalizavel, utilizar rep da versão estável com os da testing, para uma melhor preformance/actualização.
    Quanto à parte da aprendizagem, os foruns estão recheados de ajuda e a wiki é tão ou mais funcional que a do Arch. O unico help-sider que existe em maior peso é de Ubuntu mesmo, pelo tamanho da comunidade mas também existem muitas barbaridades por lá.. E aproveito também para dizer que existem muitos meetings onde existem workshops e coisas parecidas para todo o tipo de utilizadores, em portugal temos o DebianDay que conta com muitos utilizadores de Debian.
    Não querendo tirar é claro o mérito ao Arch, “O Debian mete-o a um canto” :p
    Mas para iniciantes em Linux, acreditem… é mesmo ver para crer, vão experimentando até encontrarem a vossa cara! 🙂
    Cumprimentos

    • phoenux says:

      Olá Carlos.

      Quando decidi começar a minha busca por uma distribuição do tipo rolling release para substituir o Ubuntu, o Debian não aparecia como sendo uma distribuição deste tipo. O mais parecido que encontrei foi o Debian sid, mas pela informação que encontrei, não me pareceu ser uma distribuição com o mesmo objectivo que o Arch (pareceu-me ser uma distribuição onde são despejados os pacotes antes de passarem para a tree testing, e não uma distribuição destinada a ser utilizada em produção). Estou enganado?

    • Guilherme de Sousa says:

      eu n disse q era literalmente melhor.. se leres bem disse q era dificil comparar os dois pois sao ambos muito bons. dps referi q o pacman é mais rapido e q isso faz com q o possa por um pouco a frente do apt.
      basta googlares e vais ver q a opiniao é consensual relativamente a rapidez do pacman;)
      a wiki tenho q discordar.. acho q do arch bastante superior, e qt aos resto dos pontos sao totalmente discutiveis e sao apenas uma opiniao portanto nem vou tentar rebater pois trata se de uma questao de gosto!:D

      cumps!

  27. Cruz says:

    O gentoo… O ArchLinux parece uma boa distribuição. Não desgosto de Ubuntu, mas… É engraçado, em Windows até já quase nem uso a muito usada linha de comando, é estranho. Será que um dia nas distribuições linux isso vai acontecer ? Seria estranho, diferente. Mas o gentoo… um dia talvez.

    • Cruz says:

      Só uma coisinha…E programas de gestão para estas distribuições ? Não falo só do office nem de essas coisas. Variedade existe ? Ou nem por isso ? Existem empresas a vender software de gestão e a dar suporte para estas distribuições (ArchLinux, Gentoo) ? Acho que não, mercado pequeno, mas… ? Será o calcanhar de aquiles destas distribuições ? A massificação pela via das empresas algum dia acontecerá ?

      • Guilherme de Sousa says:

        se forem aplicaçoes opensource/freeware pelo menos no AUR acredito q haja.

        no caso de serem proprietarias, acredito seriamente q nao havera um pacote de instalaçao para Arch e Gento, mas nessas situaçoes ha sempre um pacote de compilaçao q serve para qualquer distro e q é muito facil de instalar!

        cumps!

      • phoenux says:

        Tens algumas soluções interessantes, incluindo as de empresas Portuguesas. Conheço o Evaristo de nome, e utilizo o Colibri numa das empresas da família (e sim, tem suporte em Linux pela empresa que o fornece).

        Quanto à massificação do Linux nas empresas, depende mais dos conhecimentos dos técnicos do que da qualidade do sistema.

        Na nossa instituição temos dezenas de servidores com Linux a desempenhar funções críticas para a instituição e este número tem tendência a aumentar.

        Ainda hoje vamos proceder ao abate de mais uma instalação do Windows Server e instalar mais uma instância de Fedora em um dos nossos servidores.

        Podia-se dizer que somos a excepção, mas isto não é verdade. Estamos agora envolvidos num projecto de grande dimensão com várias instituições europeias, e a base de tudo é Linux.

  28. FuhFuh says:

    @Guilherme de Sousa

    vou fazer uma partição no meu netbook para tentar instalar o arch se tiver duvidas a configurar o xorg, já sei onde ir 🙂 tens um 1000h ne? Tens tudo a funcar? foi fácil :P?

  29. Feito ao Beef says:

    Uma questão… E por a rular num eeepc com a ideia de ganhar performance e cair tudo por terra por causa da grafica intel e da placa wireless? Até penso mais na gráfica mesmo..É que se acontecer o mesmo que acontece com o ubuntu acaba por ser trabalho pouco glorioso..:S

    • Guilherme de Sousa says:

      eu tenho no meu eee e n ha problema algum com a grafica e wireless…
      qt a isso n te preocupes

      • Feito ao Beef says:

        e que tal já agr? Performance bem diferente na realidade? pergunto para melhor claro.. por acaso não fizeste um passo-a-passo n? xD senão ainda hoje testava no meu 1101 :p

        • Feito ao Beef says:

          Sem querer abusar uma ultima questão..a autonomia da bateria? Li umas coisas por aí na net de povo a queixar-se que a bateria perdia muito a sua autonomia :s

          • Guilherme de Sousa says:

            a performance é significativamente muito superior à maioria das outras distros. quando ligo o meu eee fico a gastar 80MB de RAM, e utilizo o quase sempre a 800Mhz sem qualquer problema nem entraves.

            como ja disse antes, existe um passo a passo, e esse é o beguinners guide do arch.. mais passo a passo do q esse é impossivel. tens os links no post do @FuhFuh (exactamente a cima do teu primeiro post).

            qlqr coisa posta aqui ou fala cmg no IRC no canal do pplware;)

            cumps!

  30. xtrender says:

    tive o arch durante uns bons tempos… o único contra é que por vezes os updates “estragam-te” o sistema. É um dos problemas de ter a maquina com o software mais recente.
    Prefiro ter programas mais antigos e mais estáveis do que comprometer o sistema. Lembro-me que o kde na altura tava uma bela porcaria. As coisas simplesmente nao funcinavam
    Foi por isso que decidi mudar para slackware. E até agora estou satisfeito.

    • Guilherme de Sousa says:

      as coisas mais delicadas podes sempre optar por n fazer update.. kde, xorg, catalyst, etc etc.

      acho q o facto de ser rolling distro por vezes se n tivermos cuidado pode causar certos ‘danos’, mas q tmb para um arch user acabam por ser quase sempre relativamente faceis de reparar.
      ja ubuntus e coisas assim, com as releases semestrais, acaba se por estragar muitas vezes o sistema todo sem hipotese de recuperaçao, sendo a unica saida, a reinstalaçao total do SO.. isso na minha opiniao é bem pior!

      nao posso dizer q ja tenha sido um slackuser pois nunca o utilizei muito tempo (so instalei para experimentar e pouco mais), mas é obviamente tambem uma excelente escolha!

      cumps

    • phoenux says:

      Acaba por ser uma questão de gosto pessoal.

      Eu prefiro ter uma distribuição com as últimas novidades, mesmo que tenha de comprometer a estabilidade do sistema por algum tempo.

      No entanto no arch, e até ao momento, só tive um problema do género e a culpa foi minha: activei os repositórios de testing (ou community testing?) e numa das actualizações tive alguns problemas com um pacote.

      No entanto no espaço de duas horas o problema ficou resolvido, e o utilizador contente 🙂

  31. noob =) says:

    alguem me sabe dizer se existe alguma maneira de instalar o arch como o ubuntu “wubi”? para iniciantes acho k dava imenso jeito, ate pk temos sp o windows como ultimo recurso =)

    • Guilherme de Sousa says:

      a filosofia do arch é totalmente diferente da do ubuntu, logo este nao tem nem nunca tera nada do genero do wubi, da mesma forma q o target da distro nao sao iniciantes.
      No entanto para utilizadores com boa agilidade informatica digamos assim, lendo o beguinners guide encontrado na Wiki do Arch, é muito straight forward e facil a sua instalaçao.

      cumps!

  32. Olá,
    Gostei muito do seu artigo, é bom ver pessoas que gostam de Linux e o promovam .:)

    Relativamente ao tópico, ora uso Ubuntu e tem totalmente razão quando diz que o Linux não se resume a esta distro, apesar de estar satisfeito com a versão 9.10 no meu Acer Aspire One, e que notei um incremento no desempenho.

    Obrigado pela dica deste SO light e totalmente personalizável, é uma boa oportunidade para o testar.

    Saudações.

  33. Já agora, para os mais inexperientes em linux (ou preguiços :p) existe uma GUI de instalação do Arch + KDEMod, o Chakra Project:

    http://www.chakra-project.org/

  34. ANO1453 says:

    Eu já pensei em instalá-lo, devido à boa compatibilidade (out-of-the-box) com o meu portátil.

  35. 5 Meses Depois says:

    Pessoal desculpem estar a reviver posts antigos, mas vim parar aqui por acaso e houve uma coisa que me chamou a atenção… No screen do desktop, alguém me sabe dizer qual é a aplicação ou widget que está do lado direito a fazer monitoring ao estado do CPU, RAM, Network, etc? Farto-me de ver isso em muitos screens e já encontrei no gnome-look.org um parecido mas esse é que me parece ser o real deal e gostava de saber qual é ou onde posso obtê-lo.

    Cheers e continuem com os grandes posts.

  36. Tiago says:

    Cara,
    Que Interface gráfica é essa?

  37. Family Wolf says:

    Existem inúmeras distribuições que podemos considerar como boas ou ótimas. O Arch Linux é uma dessas distribuições que eu considero ótima. Mas apesar de termos várias distribuições consideradas ótimas nenhuma consegue se igualar ao Ubuntu pelo conjunto da obra. Além das inúmeras variáveis do Ubuntu como Xubuntu, Kubuntu, Lubuntu, Ubuntu Gnome e outras baseadas nele como Elementary OS e Linux Mint ainda temos a disposição o Ubuntu Minimal onde podemos construir o nosso sistema praticamente do zero assim como acontece com o Arch Linux. Eu gosto bastante do Arch Linux também só não acho que seja melhor que o Ubuntu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.