PplWare Mobile

Como actualizar o Kernel no Ubuntu e LinuxMint


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. a Friend® says:

    Aconselho sempre muito cuidado com estas actualizações mais por causa dos drivers, que em certos Kernel, deixam de funcionar.

    A mim no Aspire One acontece-me isso constantemente… 🙁

    [Offtopic]

    Dizem que os iMac’s sobre-aquecem muito… mas ao que parece o aquecimento para eles não afecta lá muito…

    http://www.tuaw.com/2010/02/15/swedes-imac-takes-a-burnin-and-its-still-turnin/

  2. Pedro Pinto says:

    AFriend que tens instalado no teu AspireOne?

    • a Friend® says:

      Ubuntu 9.10 (normal)

      Mas neste momento estou a retira-lo e vou ver se testo outras distros. Ando a ter muitos problemas a nivel de video e renderização de páginas, assim como na ligação Wireless, que com enorme fluxo, faz-me o kernel entrar em panico.

      (Fica tudo congelado, imagem, mouse, etc.. e a luz do Caps Lock fica intermitente)

      • Pedro Pinto says:

        Kernel Panic…isso é bom 🙂
        Já instalas-te aí alguma vez o Windows 7? Se Sim, feedback sff.

        • a Friend® says:

          Já testei Windows 7 e MacOsX …
          eheh…

          Ambos correram excelentemente rápido, se bem que para o Win7 tive que fazer muitas “maroscas” para ele ficar na perfeição. Não por culpa do sistema mas por culpa do meu disco SSD, que é uma miséria. Tive que instalar um driver especial para que ele funcionasse bem, chamado “FlashFire”

          Razões porque não continuei com o Win7..

          1. Antivirus, Antispyware, Firewall, constantes escritas no disco, mesmo tendo a Indexação desligada, e o sistema é muito grande (ocupa 7GB num disco de 8GB)

          Para poupar o esforço do computador com esse software extra, e para poupar o SSD, decidi desinstala-lo.

          MacOsX, correu na perfeição, instalei com a indexação desligada, e aparentemente a formação do Mac é melhor do que a NTFS para discos SSD. Ocupa-me menos espaço no disco e senti que seria o melhor sistema.

          Razões porque não continuei.
          1. Requer muitos cuidados conforme os updates para não “lixar” o Hack

          2. Wireless Card não compativel, não há drivers, teria que comprar outra.

          Depois antes destes testes, tive o Windows Xp, que com o “FlashFire” corria mesmo MUITO BEM… as razões que o retirei foi apenas pelo sistema já estar a ficar velho, mas penso que de todos foi o que melhor correu até hoje neste aspire. Mas só mesmo com o FlashFire e com formatação FAT32… sem isso fica pior que o Windows7…

          Já agora deixo o Link para quem tiver SSD

          http://flashfire.org/xe/

  3. Guilherme de Sousa says:

    a canonical qd ha falhas de segurança no kernel n mete logo um update para uma versao segura? tinha ideia q sim.. de tal maneira q qem é user de ubuntu ao fim de uns tempos acaba por ter n sei quantas versoes de kernel no grub..

    é por estas q eu n troco o arch por nada:P rolling distro rulz:D

    cumps!

    • JohnTH says:

      Nem mais!
      Rolling distro ftw, tenho sempre os pacotes mais recentes, sem ter que esperar X meses para que saia uma nova versão. E quando sai, ou fica tudo bem actualizado, ou fica uma confusão pegada… Ah, e também tenho sempre o kernel mais recente, só ao actualizar o sistema 😛

    • Pedro Pinto says:

      Sim, a acumulação de referencias no grub é um facto. No entanto tb tem as suas ventagens uma vez que podemos iniciar o sistema com um kernel mais antigo, no caso do actual tiver problemas.

      Guilherme, tens de fazer uma apresentação do Arch Linux aqui para os utilizadores do pplware. Entra em contacto comigo sff 🙂

  4. Carlitos says:

    # apt-get update ; apt-get dist-upgrade

  5. TUGA says:

    eu tenho o windows 7 instalado, mas tive de instalar á parte o ubuntu! pk? o windows apanhou alguns virus ( Trojan’s e Confiker’s)e mesmo com varias aplicações que instalei para resolver o problema, nao resultaram. neste momento o windows nao me deixa escrever em qualquer media amovivel, diz qu eesta protegido contra escrita!

    no ubuntu nao ha problema 😀 ou quase

    • a Friend® says:

      Já tive esse problema no Windows 7, não me recordo bem como o solucionei mas penso que foi assim:

      INICIAR
      COMPUTADOR (Clicar com o botão direito do rato e seleccionar “Gerir”)

      Armazenamento ; Gestão de Discos

      Depois na Pen verificar se existe APENAS e uma só partição e formatar. E atribuir também uma nova letra de unidade…

      Não sei se esta é a solução correcta, mas não custa tentar… 😉

  6. Rodrigo Moreira says:

    Então se eu for um user normal que não entende muito de linux e não fizer nada disto que tá aqui, um usuário mal intencionado pode tomar de assalto o meu linux tornando-se root certo? e já agora outra coisa!? Afinal em que é que isto é diferente do windows ? Onde está a tão falada segurança e fiabilidade do linux ?!? … Ai ai … já não entendo nada 🙁

    • BigOix says:

      O mundo da informatica é compilado para quem é um simples utilizador.
      Não te preocupes ele é sim é seguro, e esse problema já foi corrigido com uma simples Actualização, sé não fizeste aconselho que faças, vais a Sistema-Administração-Gestor de Actualizações.

  7. Fernando says:

    Vulnerabilidade no Linux??? ora pois !!!

    Se antes usava o Ubuntu em alternativa ao Windows, então qual a vantagem???

    Recentemente atualizei alguns pacotes e o sistema não reinicia mais (só desliga), atrapalhando e impedindo remasterizações futuras

    Já não é a primeira vez que ao atualizar kernel, módulos ou mesmo bibliotecas dá erros no Linux, já estou pensando em usar mais o Windows – afinal se uma atualização der problemas é FACIL reverter

    Todavia a dica é boa, parabéns ao pplware pelo suporte

    • BigOix says:

      todos sistemas têm as suas vulnerabilidades, e linux não escapa a isso mas a diferença é que no linux a coisas são mais depressa resolvidas quando se encontra o problema, por ser Opensource, não tem nada esconder toda gente pode ver a falhas, mas no caso do windows caso existe uma vulnerabilidade nunca ficamos saber ai esta um risco muito elevado pois nunca sabemos onde o problema esta e ele pode ficar ali por muito ate alguém se queixe de algo lhe aconteceu a segurança do seu sistema.
      Mas este problema no ubuntu já foi corrigido pela Canonical já algum tempo, não há necessidade de tare compilar um novo kernel linux isso as vezes causa mais problemas do que melhorias , só deve ser feito por quem
      percebe do assunto, se não arriscam pegar fogo ao pc 🙂

    • point says:

      Em que é que é mais fácil reverter? Se uma actualização ‘nomal’ seja ela de windows ou de linux, der ‘m3rd@’, é só desinstalar essa actualização. É tão simples tanto no windows como no linux….

      Qual é a duvida?

  8. wellen says:

    um bom artigo, sem dúvida.

    posso fazer um pedido? que tal um artigo sobre a compilação do kernel no ubuntu? 😉

  9. R o B says:

    Será mesmo necessário este alarmismo todo? É que a 2.6.31-20 chegou recentemente ao meu apt-get update.

    Não ficou claro no artigo, quais os custos inerentes da actualização do seu Ubuntu 9.10 para o kernel 2.6.32

  10. Antunes Varela says:

    Muito obrigado pela atenção. O meu Mint já está actualizado. Falta o Ubuntu 9.10 e o Ubuntu do portátil 9.04 pois tive que fazer um downgrade por causa da placa 3G que não consegui que funcionasse no 9.10

  11. Eduardo Silva says:

    Só pergunto porque não faz o Ubuntu uma actualização automática?

  12. Eduardo Silva says:

    já actualizei. Mas não é preciso os comandos Sudo, pois os pacotes DEB instalam facilmente.
    http://lh4.ggpht.com/_Zea1F0FFr64/S3moXwefSyI/AAAAAAAABQA/8VAQNKX643A/s800/CapturaEcra.png

  13. BigOix says:

    Há uns dias atrás foi anunciado pela Canonical a existência de vulnerabilidades graves a nível da segurança para as versões 6.06, 8.04, 8.10, 9.04 e 9.10 do Ubuntu (ver aqui). A versão 7.xx não foi afectada. As vulnerabilidades prendem-se com o consumo elevado de tráfego de rede e falha no sistema de ficheiros.

    isso já foi corrigido com uma Actualização ao kernel , pelo que me lembro já algum tempo

  14. Eduardo Silva says:

    Bom, volta na volta o meu browser (Opera) congela. A iluminação do ecrâ vai-se, penso que é a isso que chamam congelar. Muitas vezes tenho que mandar o browser a baixo, principalmente quando entrava no site http://www.jornaiserevistas.com/ Hoje já não congela…

    • a Friend® says:

      Essa “congelamento” é associado ao Flash 🙁

      Quando o Browser vai abaixo, e a imagem fica meio Branca ou Negra…. é quase sempre o flash.

      E tive a verificar esse site e de facto está carregadinho de flash … 😛

      Solução é mesmo actualizar o Flash e de preferência ter muito cuidado ao instalar porque no Linux existem vários flash players, e se instalar todos ou pelo menos 2 ao mesmo tempo é razão suficiente para gerar conflitos.

  15. ZiLOG says:

    E depois se decidir-mos ficar com a nova versão do kernel, como se faz para apagar a antiga e retira-la do grub?

  16. BigOix says:

    Ei pessoal a Canonical já fez actualização ao kernel linux do ubuntu já algum tempo talvez já a um mês, por isso cuidado não há necessidade de compilarem um novo kernel, só em ultimo caso se necessitarem.

  17. off-topic:

    façam um tutorial de como alterar os parametros do grub2 que vem com o ubuntu 9.10…só consegui alterar certas coisas, mas outras coisas não consigo :s

    cumps

  18. DoContra says:

    Curioso… enquanto toda a gente fiel ao SO de Redmond fica com as calças na mão à espera de uma “xpto update”, no caso dos “Canonical friends” basta aguardar umas horas a partir do momento que se detecta uma falha de segurança importante. Ele há coisas fantásticas, não há? 😉

    • Ricardo Elias says:

      “no caso dos “Canonical friends” basta aguardar umas horas a partir do momento que se detecta uma falha de segurança importante.”

      Isto comeca a ser mito, e falta de conhecimento do Sistema Operativo que se usa!

      Uma falha de seguranca, seja ela em que Sistema Operativo, ou Aplicacao, OpenSource ou ClosedSource, demora o seu tempo a ser corrigido. Corrigir em algumas horas e’ muito raro, ou uma ilusao: a data da publicacao da existencia da falha nao e’ equivalente ao tempo que, por detras dos bastidores, se passou a corrigir a falha.

      Referente ao “release” do Ubuntu do actual ‘post’, praticamente todas as falhas reportadas demoraram entre 1 a 3 meses a serem publicadas, contando do momento em que quem descobriu a falha informou os responsaveis pelo codigo ate’ tornarem o codigo publico. A unica vez que se demora horas e’ quando o Ubuntu publica o que foi posteriormente corrigido.

      A Microsoft nao e’ nenhuma anjinha mas tambem nao e’ tao ma’ como muitos do outro lado querem que seja. Em Linux, ou BSD, Mac OSX, a demora e’ igual, desde que se compare a complexidade da correccao das falhas…

      • Diogo says:

        Ricardo, não é bem como tudo dizes e a razão é simples:

        Com Software Livre, é muito menos comum as coisas serem feitas atrás dos bastidores, pois a generalidade dos projectos têm um desenvolvimento aberto/transparente, o que significa que há listas de correio públicas, bugzillas, etc… Ou seja, o conhecimento sobre os problemas é geralmente do domínio público. O mesmo não acontece com os sistemas proprietários.

        Sim nem sempre as coisas são corrigidas em horas (só coisas triviais), mas de forma geral são corrigidos mais depressa do que no software proprietário. O problema é que raramente temos acesso à informação de quando as falhas são descobertas no software proprietário (ao contrário do que acontece no Software Livre), mas nos casos em que quem descobre acaba por dizer quando é que descobriu é muito comum que a descoberta seja muito anterior (muito mais do que na generalidade dos casos referentes ao Software Livre).

        Não podes comparar duas coisas distintas de forma absoluta, porque num dos casos tens acesso à informação sobre quando algo é descoberto e no outro só às vezes é que tens. Mas se compararmos apenas com os casos em que conseguimos de facto a informação, o Software Livre ainda tem vantagem nesse capítulo (embora não tenha em todos os casos).

        • Ricardo Elias says:

          “Com Software Livre, é muito menos comum as coisas serem feitas atrás dos bastidores,…”

          “Atras dos bastidores” refere-se quando a falha e’ descoberta e a equipa de “seguranca” ou os responsaveis mantem a falha em segredo. Isso acontece independentemente da licensa usada. Seja software livre ou fechado.

          O benificio de ter uma licensa aberta (open source, GPL, BSD, MIT, …), em termos da falha, e’ de podermos aprender com esses erros. Qualquer programador pode ir ver o que os autores mudaram e replicarem isso nos seus proprios programas.

          “Não podes comparar duas coisas distintas de forma absoluta,”

          O mesmo para ti e para outros. E nao compares a abertura do codigo fonte com transparencia no processo de correcao de falhas. E’ melhor mas nem sempre.

          “Mas se compararmos apenas com os casos em que conseguimos de facto a informação,”

          So’ porque a Microsoft nao publica o codigo fonte nao significa que nao se saiba o que eles fazem. Quando alguem encontra a falha, eles conseguem explicar detalhadamente o que se passa. O que nao conseguem e’ comparar com o codigo fonte (podem usar exemplos).

          “o Software Livre ainda tem vantagem nesse capítulo (embora não tenha em todos os casos).”

          Concordo!

          • Diogo says:

            A falha pode ser mantida em segredo independentemente da licença, mas a prática comum no que toca ao Software Livre não é essa.

            A micro$oft esconde com grande frequência informação sobre existência de falhas de segurança meses a fio (já escondeu durante anos em alguns casos) antes de as divulgar. Ainda recentemente veio a público que a falha que a microsoft sabia da existência da falha no internet explorer, que foi utilizada por criminosos para comprometer contas no Google 6 meses antes de ter admitido a sua existência. E isso é extremamente comum.

  19. Diogo says:

    Para actualizar o kernel no Ubuntu, só é preciso utilizar o apt, ou o aptitude, ou o synaptic, ou o gestor de actualizações (que avisa quando há actualizações). Não é preciso andar cá com essas complicações todas. Porque todas as estas aplicações que mencionei permitem a actualização do kernel com meia-duzia de “clicks”, e introdução da password de administração do sistema.

    Também não é preciso andar a utilizar os repositórios PPA… Nem está a é a forma recomendável de os utilizar.

    Este artigo não tem por onde se lhe pegar. Está cheio de recomendação de más práticas e dá uma ideia TOTALMENTE ERRADA dos procedimentos necessários para manter o sistema actualizado.

    • Pedro Pinto says:

      Querem ver que encontrei um GURU do Linux ou melhor um tradicional utilizador de Linux de janelas!!!!
      Caro Diogo, eu sei que os updates podem ser realizados de forma automática, no entanto quando sei que existe uma actualização posso ser eu mesmo a fazê-la, porque não? Escolho a que quero, quando quero e instalo quando quero. A filosofia do Linux passa muito por saber passo a passo o que instalar, onde foi instalado, de que forma…e por aí fora.

      • Diogo says:

        Porque não?

        As razões são simples, os distribuidores quando criam os pacotes para as actualizações, realizam testes que garantem coisas estabilidade,sem contar com alguns patchs que possam existir do próprio distribuidor.

        Tomar a iniciativa de instalar pacotes do que não do distribuidor significa arriscar instabilidade, falta de integração e é frequente que alguns pacotes quebrem a base de dados do gestor de pacotes. Não é algo que deva ser feito por utilizadores que não tenham grandes conhecimentos técnicos.

        Claro que cada um pode escolher fazer o que quiser. Mas isso não implica que muitas das coisas que se fazem sejam boas práticas e/ou que a maior parte dos utilizadores de computadores estejam interessados em ter que fazer estes procedimentos mais técnicos só para fazer actualizações ao sistema (é despropositado).

        Eu utilizo GNU/Linux há 9 anos. Trabalho como consultor em tecnologias Software Livre e não uso quer para fins pessoais outro sistema operativo que não o GNU/Linux, para fins profissionais utilizo GNU/Linux no meu desktop e sempre que tenho poder para tal uso também para tudo o resto. E esta opinião baseia-se nesta experiência já considerável que tenho, quer a lidar com técnicos quer com o utilizador vulgar de computadores.

        Para utilizar GNU/Linux não é preciso trabalharmos para o computador. O computador é que deve trabalhar para nós, por isso devemos evitar complicar o que é simples, rápido e fiável, principalmente se tivermos a recomendar algo aos outros (que é o caso de um artigo destes).

        • Pedro Pinto says:

          Eu já tive situações em que os updates automáticos me tornaram a máquina instável (em Linux e em Windows), isto muito provável/ devido à existência de vários tipos de hardware.

          “Para utilizar GNU/Linux não é preciso trabalharmos para o computador.” És um sortudo 🙂

          Fora de picardias, uma das principais razões que me faz usar Linux é a vantagem de eu poder fazer o que quero com o meu sistema…algo que não acontece em muitos sistemas.

          Bom Carnaval Diogo!

          • Diogo says:

            Tirando versões de desenvolvimento e versões de teste, nunca tive problemas com actualizações.

            Mas se tu tiveste, com actualizações oficiais que são mais testadas, imagina lá o risco de fazeres com outras que têm menos trabalho de preparação em cima… Já percebeste porque é que isto não é boa ideia para a generalidade dos utilizadores?

            Tu podes querer aproveitar a flexibilidade extra das características técnicas e do modelo de licenciamento livre que o GNU/Linux tem. Mas isso não é o objectivo de todos, e ainda menos é caso de todos em todas as situações (em algumas situações podem querer e em outras podem não querer).

            Eu não sou sortudo, eu tenho é cuidado e procuro seguir boas práticas que previnem estes problemas.

          • Diogo says:

            Se já teve problemas com actualizações oficiais, que são mais testadas, facilmente é possível entender o risco acrescido que corremos com outras…

            Não sou um sortudo! Tenho é cuidado e sigo boas práticas, que previnem os problemas. Ter já bastante experiência ajuda, porque que já sei o que devo fazer para evitar situações de risco. Mas tento passar este conhecimento aos que têm menos experiência.

            Qualquer vantagem é (ou não) relevante, caso a caso. Num caso um utilizador pode querer aproveitar determinada característica por ser relevante e em outro caso essa característica ser completamente irrelevante.
            Para o utilizador mais comum, é mais importante ter o computador a funcionar de forma estável do que saber como funciona. E a estabilidade também é uma das vantagens do GNU/Linux.
            Há sempre os que têm curiosidade em saber como funcionam as coisas.

            Se por exemplo perguntares a alguém que tem pressa de entregar um trabalho, ou tenha um sistema que não pode falhar, se prefere fazer a coisa com o método mais seguro, rápido, que não exige conhecimentos técnicos e procedimentos complicados, ou se prefere o procedimento complicado, mais arriscado e demorado. Acho que já vais saber qual é a resposta…

        • BigOix says:

          Diogo, nos estamos avisar mas parece que não ligam ao que estamos a dizer, e depois quando fazerem alguma asneira na configuração do kernel e depois o pc arder, não se queixem do Linux, que não presta e tal isto e aquilo.
          Mas continuem fazerem isto,por causa de uma noticia mal interpretada, muita gente pode ficar com problemas no pc

          CUIDADO CUIDADO NÃO FAÇAM ISTO
          A compilação do kernel é uma coisa muito seria no nosso sistema ao nível do hardware
          CUIDADO CUIDADO CUIDADO

          • Diogo says:

            Não acho que haja um perigo assim tão grande… Mas o sistema pode ficar instável, ou haver perda de funcionalidades. E no mínimo tem mais trabalho do que o realmente necessário.

          • Derretes a board? Com um update de kernel? Essa é boa!

            E já agora, o rato tb começa a ter vida própria?

            Podes ter problemas de software (SO incluído) agora problemas de hardware só vejo numa situação. Com os murros que o PC leva por estar com comportamento estranho! Isso ou jogares a máquina pela janela por estares com demasiados erros no ecrã!

          • Pedro Pinto says:

            @Diogo, e que fazes como consultor de software Livre?
            Viste para aqui fazer um alarmismo e ainda não partilhaste nada de útil!!

            Chegaste a ler isto:
            Como é normal neste tipo de assuntos, deixamos sempre o aviso que todo o processo é da vossa responsabilidade, uma vez vamos alterar o “coração” do Linux.

            Aconselhamos sempre a fazerem backup do vosso sistema no caso de algo correr mal ou então testarem através de uma máquina virtual.

            E para mim, este assunto acabou aqui.

          • Diogo says:

            Pedro Pinto, não vim fazer alarmismo, vim dar a minha opinião a respeito de um artigo. Ou agora já não posso exprimir livremente a minha opinião?

            Artigos como este é que são prejudiciais à imagem do Software Livre, pois perpetuam a ideia errada, que, para fazer coisas que são simples em sistemas proprietários, temos que nos sistemas licenciados como Software Livre e em particular no GNU/Linux, andar com voltas e mais voltas, utilizar linha de comandos, editar ficheiros, etc… Para além de as práticas recomendadas no artigo, são em geral más práticas, ou pelo menos pouco recomendáveis para a generalidade dos utilizadores de computadores. E se queremos que o GNU/Linux e o Software Livre tenham sucesso temos que ter em conta este tipo de utilizadores e não apenas os geeks.

      • R o B says:

        O GURU já o tinhas encontrado, quando descobriste a fonte deste artigo.

  20. Eduardo Silva says:

    Concordo plenamente. O Ubuntu actualiza automaticamente para o Kernel mais estável. Nas fontes de aplicações podemos escolher aplicações pré-lançadas e aplicações não suportadas, o que vai actualizar para Kernels que ainda não estão devidamente testados ou não são os recomendados. Porém, desde que ontem instalei o 2.6.32, o sistema já não congela. O que tinha era o 2.6.31.14, sendo que noutra máquina em que tinha as fontes todas activas, já ia na versão 2.6.31.19

  21. Leandro-Guaiba says:

    Estou tendo problemas sempre que efetuo a instalação do kernel 32, esta foi a segunda vez que tentei, mas desta vez tinha backup e nao perdi dados.

    Sempre que atualizo para a 2.6.32 o sistema comaça o boot e logo em seguida para com o cursor na tela, nao prossegue, atualizei apenas as opções indicadas por voces, os headers e Image para 32bits.

    Possuo um Dell latitude 5400, centrino, chipset intel x3100

  22. Ryan says:

    Pois fiz a actualizacao da kernel mas o sistema nao gostou muito e comecou a crashar. La tive que por a kernel fora de novo e o sistema esta a funcionar. Vou ter que fazer update da kernel mas para uma que nao seja tao recente.

  23. neox says:

    já actualizei, tudo 5 estrelas, aproveitei e fiz uma limpeza no grub :D:D agora já só aparece linux ubuntu e windows 7 nem o recovery nem o memory test aparecem, aproveitei também e alterei o tempo de escolha.

    deviam apostar ainda mais em posts pa linux.

  24. João Dias says:

    Fiz a actualização do Kernel para o 2.6.32…e fiquei sem o topo das janelas.
    Ainda pensei que fosse do tema, mas nada disso.
    Pensei ainda que fosse de qualquer gestor de janelas que tinha para lá instalado, mas não deu.
    Solução: remover o 2.6.32 e ficar com o 2.6.31-19

  25. O procedimento que é enunciado neste artigo fala sobre a instalação de imagens do kernel a partir de um repositório de imagens de teste. Podem ler na wiki do Ubuntu sobre isto (https://wiki.ubuntu.com/KernelTeam/MainlineBuilds). Tal como é dito na wiki estas imagens são o kernel standard e não têm qualquer adaptação (por vezes necessária) ao Ubuntu. São apenas um recurso para quem quer ir testando as novas versões do kernel que saem. Não existe qualquer garantia que funcionem, pelo contrário há boas hipóteses que existam coisas que levantem problemas. Estas imagens não trazem todos os drivers que são fornecidos com o Ubuntu por exemplo.

    O procedimento descrito no artigo é portanto desaconselhável a utilizadores com pouca experiência em Linux. Para manter a segurança é apenas necessário manter o sistema com as actualizações em dia.

    É duma tremenda falta de responsabilidade do autor do artigo propor esta solução, apresentando-a como uma solução fácil e segura. Mas não me surpreende, já tinha verificado que muitos dos artigos do pplware são apenas uma tradução de fraca qualidade de outras fontes. Não me interpretem mal, acho louvável querer disponibilizar este tipo de informação em português, mas os autores pelo menos têm de ter uma noção do que é que estão a falar sob pena de induzir os mais incautos em erro.

    • Diogo says:

      Concordo totalmente com a tua opinião a respeito deste artigo!

      Claro que, também não duvido da boa vontade do autor do artigo. Mas infelizmente, boa vontade não chega… 🙁

  26. Hawk says:

    Grande dica, atualizei aqui e está funcionando tudo normalmente.
    Obrigado.

  27. Paulinho Cariri says:

    Prezados amigos, ao se instalar o segundo arquivo, apresentou-se o seguinte erro:

    * nvidia (96.43.10)… nvidia (96.43.10): Installing module.
    …….(bad exit status: 10)
    Build failed. Installation skipped.
    [fail]
    run-parts: executing /etc/kernel/header_postinst.d/nvidia-common

    Qual procedimento a se adotar agora???

    Abraços cordiais a todos.

    • Paulinho Cariri says:

      Prezados colegas, outro erro aparece também na instalação do terceiro arquivo.

      * nvidia (96.43.10)… nvidia (96.43.10): Installing module.
      …….(bad exit status: 10)
      Build failed. Installation skipped.
      [fail]
      run-parts: executing /etc/kernel/postinst.d/nvidia-common

      Mesmo assim irei iniciar e ver o que acontece, parece-me que o erro se dá apenas com a placa de vídeo.

      Aguardo ajuda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.