Quantcast
PplWare Mobile

Análise Metal Gear Solid V: Ground Zeroes (Playstation 3)

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Paulo Silva


  1. Ricardo says:

    Parece-me precipitado fazer uma análise a este prólogo como se se tratasse de um jogo completo e ainda mais precipitado afirmar que se encontra numa fase descendente quando cada Metal Gear é um marco essencialmente pela história e mecânicas introduzidas no mundo dos videojogos. Hideo Kojima é um dos maiores responsáveis pela evolução dos jogos que conhecemos desde a MSX até às mais recentes consolas.

    • Paulo Silva says:

      Boas Ricardo.

      Tens razão … e exemplos de jogos como Thief apenas confirmam que este tipo de jogos têm ainda muito caminho para evoluir. Resta saber se a direcção é a melhor e bem aceite pelos fãs.

      Pessoalmente gostei de Ground Zeroes e acredito que as novidades introduzidas são mais-valias … no entanto, há uma considerável franja de fãs que podem não gostar totalmente.

      Eu gostei.

      Faltou apenas dizer que o preço deste prólogo, nas lojas tradicionais é de 30€

      • Chrono says:

        Review interessante e bem feita. Devo admitir que sou um fanboy de Metal Gear desde o tempo da Snes (senti-me velho agora…). Nos últimos tempos esta Saga estava a perder a inovação que o primeiro e o segundo MGS trouxeram para a PSone e PS2 respectivamente. Apesar do Snake Eater e os jogos da PSP estarem bastante bons, notava-se que outras séries evoluíam, enquanto o Metal Gear era mais do mesmo. E após jogar uns quantos jogos parecidos (Splinter Cell, Thief, etc) comecei a perder um pouco a fé. O Metal Gear estava a tornar-se aborrecido. Eu gostei do MGS4, mas fora a componente gráfica e a história, não supera o Snake Eater, na minha opinião. E o MGS Rising, nem vale a pena falar. Bom jogo, mas de Metal Gear só tem mesmo o nome, o resto é Devil May Cry, Bayonetta e afins…
        Esta pequena Demo chamada Ground Zeroes é o completo oposto. Interessante, com mecânicas inovadoras, inimigos inteligentes, iluminação excelente. O som, a luz, o movimento, tudo está contra nós ou a nosso favor.
        Se o Phantom Pain for no mínimo o que o Ground Zeroes é, não me importo de ter mais do mesmo 😛

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.