PplWare Mobile

Última Hora: ACAPOR encerra também PDCLinks


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Pedro Duarte says:

    E agora? Estamos a caminhar para o combate contra a pirataria ou vamos em direção à liberdade condicionada?

    • José Almeida says:

      Temos de por FIM à pirataria ! Acho correctíssimo .

      • é assim says:

        …já agora porque não chamar o salazar de novo??? Está mais do que provado que quem partilha é quem adquire mais música, filmes, programas e jogos, pois assim tem a hipótese de testar sem limitações de tempo ou funcionalidades. É pena é muita gente ter palas nos olhos e apenas ver para a frente e somente um a um passo de distância…

        • Daniel says:

          Beu beu beu … Vai dormir camarada!
          Porque existem os demos dos jogos?
          Porque é que os softwares tem o periodo experimental?
          Porque é que existe o youtube entre outros serviços para ver trailers e ouvir a musica.

          Podes ou não experimentar antes de comprar?! Vai dormir vai que o teu mal é querer viver a custa de trabalho de outros.

          Eu sempre vi pessoas a descarregar jogos e filmes e depois não o iam ver ao cinema, é mais do que logica, se eles já jogaram ou já viram porque motivo vao ver de novo? Vai para a caminha vai, é porque azelhas como tu que o emprego tambem aumenta nestas areas. Daqui a nada vai ao pingo doce comprar bolachas mas antes roubas um pacote para experimentar se são boas, já que para estes não existem as demos nem trailers LOOL.

          • nabo lol says:

            Podem fechar o que quiserem. Mas nunca fecharão o piratebay 😉
            E a maioria destes sites tipo pdclinks, oxe7 vai tudo buscar a sites de torrents.
            O pessoal vai começar todo a migrar para os torrents. A pirataria nunca acabará, meu amigo 😉

      • DragonSeat says:

        É muito fácil por fim á pirataria tirem-se downloads ilimitados mas isso ia colocar empresas contra estado ne??deixem-se de coisas toda a gente faz pirataria,quantos de nós já nao imprimiu um livro para escola???isso é pirataria,ou tirou uma musica?josé Almeida realmente voçe deve ser um santinho, já agora o limite para andar em portugal é 120km vai me dizer que nunca passou os 120km??Bem hajam os piratas informaticos.

        • José Almeida says:

          Não sou santo, quanto à velocidade já passei. Agora fazer 1 download ilegal já fiz, mas nunca usei, só para saber o algoritmo para combater a cambada dos piratas informáticos, só sabem denegrir o trabalho dos outros.

          • Passos Coelho says:

            Deixa de ser palhaço.

          • Alexandre Amaral says:

            …Para saber o Algoritmo…já vi de tudo hoje.

          • v3rm3 says:

            Ui “watch out we have a badass over here” ehehe, então e para tirar o algoritmo não cometeu uma ilegalidade? fez o download ilegal ou não fez?… A moral desta gente.
            José Almeida deixe que lhe diga, você é ridículo!!!

          • Rui Cancela-mos says:

            Zézito, já que andas a meter nojo por aqui e a passear-te de peito cheio (até pareces uma galinha com tanto peito) vai actualizar o site da ACAPOR a vangloriar-te um pouco mais…

          • Nuno Miguel says:

            Palhaco

          • Darth says:

            Por falar em ladroes, como classificas uma industria, neste caso a discografica, que so paga 10% das receitas do disco vendido ao artista, enquanto que o resto vai para editora e distribuidora? Segundo a tua logica de santo, deves achar justo

          • Diogo R. says:

            Antes tratassem da situação das editoras que dos sites de downloads. É de lá que se ganha dinheiro não de um mero site onde se utiliza a Internet seguindo a razão do seu aparecimento, partilha. Como é que querem que portugal não vá ao fundo com cães por todo lado?

          • JOTA says:

            Nunca fez o download de uma musica a partir do youtube ?

      • Bruno M. says:

        Alí o Sr Almeida iz que temos que por fim à pirataria… E quanto por fim à pirataria e ROUBO das associações que em vez de remodelarem os modelos de venda e comércio continuam com um modelo estilo anos 80/90??

        Felizmente existem as operadoras por “cabo”(fibra) que nos “oferecem” serviços sem sair de casa por apenas 2€/3€ e sem sair de casa…..

      • David Cardoso says:

        Caríssimo, a pirataria sempre existiu e sempre vi existir.
        O problema aqui não é a pirataria. Em muitos outros países a pirataria existe e prolifera e no entanto a indústria tem mais e mais vendas. O problema em Portugal é que a nossa indústria estagnou, está catética e não evoluiu nem quer evoluir.
        Queixaram-se que estes sites roubavam dinheiro aos videoclubes. Veio a MEO, ZON e Vodafone e criaram os videoclubes próprios co preços bem mais baixos. Queixam-se que já não se consome música e um estudo europeu independente provou que muitos consumidores não comprariam música nos moldes existentes, mesmo que não houve pirataria.
        A ACAPOR e o amiguinhos deviam preocupar-se mais em evoluir a nossa indústria. Vender online, melhorar a oferta e a qualidade (6euros por um bilhete de cinema e os cinemas usam os projectores a meio gás), tornar preços competitivos com os mercados internacionais (20 euros um CD, a 11euros na amazon). Para não falar que somos um povo em crise e a ACAPOR parece viver noutro país.
        Os site serão fechados, as vendas continuarão a cair a pique.
        Viva a liberdade.

        • José Almeida says:

          6eur ? Eu pago 4,25eur por um bilhete. Vivemos no mesmo País ? 😮

          • Baarux says:

            6.60€ preço normal para um filme em 2D.

            A maneira encontrada de meter mais pessoas no cinema e combater a crise existente nesse mercado foi… Aumentar os preços.

          • já não vou ao cinema... says:

            https://www.bilheteira.zonlusomundo.pt/web/bilhete.jsp

            … é por isto que já não vou ao cinema.

            O bilhete normal afinal até custa 6,50 €…

            Afinal, quem não vive em Portugal?

          • diogo says:

            eu no cinemax ás 2ª pago 3.5€ e às 4ª (havia, nãi se ainda há) na compra de um oferecem outro. FIcando por 4€

          • Relvas says:

            Eu ontem paguei 21,95€ por dois bilhetes para um filme 3D!!!!
            Viva a pirataria!!!
            Cambada de gatunos!!!
            Sr. Almeida vá lamber botas para a ACAPOR!!!

          • José Silva says:

            Sr. Almeida, saiba que a cópia privada é legal em Portugal, Leia o Artigo 75º Cap. II, do CÓDIGO DO DIREITO DE AUTOR E DOS
            DIREITOS CONEXOS. Não é pirataria, aliás é partilha de zeros e uns, que se replicam, não é pirataria, essa, é feita no mar, não copia, rouba! Impede o propietário ter a posse definitiva do bem e, por vezes da vida. Portanto acho essa lenga-lenga um logro, que nos impingem a ver se cola. Quanto aos prejuízos das ditas produtoras e video-clubes, e locadoras do tipo, só lhe digo o seguinte, e em relação apenas à minha pessoa: No video: Zon. Tem video-clube, TVCine 9 canais, 5 deles de alta-definição (uma grande justificação para ficar em casa, ora quem tem um bom TV AD e bom um sistema de som, só sai para conviver com outras pessoas, o acto isolado deixou de fazer grande sentido. Não vale a pena investir uns euros valentes para ganhar pó) 24 horas de filmes, fora Hollywood, Mov, FoxMovies, os AXN, etc., todos com HD também. E ainda, o facto de ter um bilhete gratuíto na compra de outro, nos cinemas Lusomundo. Os outros, que façam pela vida. Para abreviar, veja o pacote Iris e as suas ofertas lá terá uma reposta cabal para dar aos seus amigos da ACAPOR, e nem me atrevo porque conheço mal, falar dos serviços MEO, Vodafone, Cabovisão e afins, só falo como disse do meu caso e daquilo que conheço bem. Nem tenho tempo para ver o que está à disposição quanto mais, pagar aquilo que hoje é um “extra” inútil e sem lógica! Já comprei Blu-Rays, aqui em portugal a 2,90€, como é possivel para uns, e não para outros? Nem entendo o porquê de haver diferença de preços entre Blu-ray e DVD. Em Inglaterra há anos que são idênticos e a preços bastante aceitáveis, em média a menos 10€! Musica, aí também a porca torce o rabo: Spotify, diz-lhe alguma coisa? Há mais, como o LastFM etc, etc. Acha que a oferta que este serviço nos dá, vale a pena gastar mais dinheiro? Só se fosse doido! Então, nos dias que correm. Digo-lhe mais este serviço está instalado em todos PC’s cá de casa, I-Pad, telefones Android, assim como num desses PC Android o MK808 ligado ao TV! Até o meu amplificador, conecta-se directamente ao serviço (diz orgulhosamente; “Spotify inside”), quer mais? E dou-lhe, PS3, VidZone, tenho centenas de videos, legitimos na minha conta, não pago nada, é um serviço oferecido pela Sony! X-Box 360, um mês gratuito de Music-Box, este é pago, mas uso-o quando a Microsoft o oferece. E isto é pirataria? É isto que os senhores ACAPOR, o lá o raio que são, porque policias nem juízes, não são se certeza, o que me levanta sérias dúvidas quanto ao âmbito e consequências das suas acções, queriam que acabasse! Pois tudo está ligado à rede, a oferta de serviços associados oferecidos pelas marcas é enorme, portanto, serão, certamente alguns “Gigas” diários baixados ou “download’s”, que perigo! as novas tecnologias a isso obrigam. Voltar a trás é, no minimo estúpido. E meu caro, isto tudo é, do mais legal que existe! Agora explique porque razão iria eu gastar mais dinheiro à toa. Para satisfazer meia dúzia de falhados que têm a mania que o que os outros produzem e até país, é deles? Porquê? Desculpem ser tão longo o texto, mas acho redundante estarmos sempre a falar de coisas, que por vezes parecem iguais, mas não são, uma coisa é, alguém ganhar dinheiro, com o trabalho dos outros, venda de DVD’s piratas etc, ou criar sitios que cobram o uso do serviço, ou ganham com publicidade etc. Contra esses, TODOS estamos contra! Outra é, a partilha de conhecimento e cultura, que é até um acto de nobreza, e/ou o uso, legitimo daquilo que nos oferecem.

          • samuel says:

            Sé você é mesmo contra a pirataria, ainda adorava saber o porquê de ter feito um download ILEGAL… Acho piada aos seus comentarios, joga-se a voce proprio por terra!

        • Liliana says:

          está tudo dito! 🙂

      • Luís Carvalho says:

        Na minha maneira de ver as coisas, penso que encerramento destes sites só irá piorar…

      • Lúcio Morais says:

        Pirataria?! são portais de partilha de ficheiros não pirataria, significa que alguém comprou e partilhou online aquilo que comprou para outros poderem usufruir e caso gostem comprem. Se defendes essa ideia tambem significa que caso compres um filme e um colega teu ou familiar te peça para partilhares com ele para ele ver estas a ser “pirata”? então a ACAPOR também devia meter um processo em teu nome porque estás a “infringir a lei deles”..
        O Ministério publico decretou que é legal partilha de ficheiros através da internet (http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/mercados/2012/09/26/ministerio-publico-diz-que-e-legal-copiar-musicas-e-filmes-na-net) está ai o link caso as pessoas ainda não tenham lido e peço desculpa pela citação a outro site…

        Isto que ACAPOR está a fazer é um atentado as pessoas. A internet é livre e é um meio como outro qualquer de partilhar as coisas que nos compramos, estes senhores que estão a ser atacados simplesmente tiveram a coragem e vontade de criar um serviço centralizado para toda uma comunidade conseguir partilhar e usufruir…

        Mais uma vez quem defende que isto é pirataria anda enganado da vida, e no dia a dia também o “comete” porque certamente partilha muitas coisas com os que lhe são próximos.

        Pensem bem antes de comentar o quer que seja…
        Porque também já há estudos que revelam que a partilha de ficheiros aumenta as vendas dos mesmos simplesmente as entidades que recebem os direitos dos autores (e isso sim é pirataria as editoras receberam milhões pelo trabalho de outrem) não estão de acordo porque não conseguem receberam dinheiro pela partilha, qualquer dia o simples facto de tu partilhares um DVD com o teu irmão vais ser considerado pirata e vão meter-te um processo em cima só porque partilhas-te algo que tu compras-te e outra pessoa não…

        Cumprimentos

      • Ricardo says:

        Ó minha besta, quando fechares o pirate bay avisa.

    • J. Goncalves says:

      Boa tarde, oh pessoal, não estejam preocupados, há centenas, senão milhares de sites de partilha espalhados pelo mundo, e se o ne-miguelito e o pdclinks caíram, vão ver que outros sites renascerão das cinzas tal como a Fénix.
      Esses indivíduos da Acapor nunca irão ganhar, podem ganhar uma batalha ou outra mas de certeza que não ganharão a guerra.

  2. o jogo do rato e do gato continua…
    o problema é que vai sempre haver mais ratos que gatos 🙂

    • José Almeida says:

      Não vai não, eu e a minha equipa vamos acabar com a pirataria 😀 Pode sair 1, e entrar 2. Mas os 2 não irão permanecer por mais de 3 meses 😀 Antes de ontem fechamos o Ne Miguelito, ontem o pcdlinks. Fica a falar oxe7, wareztuga ..

      • Francisco says:

        Devias era estar calado palhaço…deves pensar que também vais mandar fechar os sites estrangeiros não?

        • José Almeida says:

          Amigo, se a tua mãe não te deu educação, pelo menos tem tento na língua. Não preciso de saber a tua profissão. Se te preocupasses com o País em vez de te preocupares com o estrangeiro. Este País só pensam nos de fora, daí desdém-se os desgovernados.

          • Canelas says:

            Jovem, porque não se inscreve na marinha e vai para a Somália combater a verdadeira PIRATARIA?? Não acha que já chega de rancor?

          • JCHP says:

            Caro José, e que tal meter a ACAPOR na gaveta e parar de chular os músicos portugueses? Metam as vossas contas num lugar bem público para se ver quanto dinheiro vai para os artistas afinal. Aposto que não é grande coisa. Já agora, representem mais pessoas ou parem de encher o peito a fingir que são representantes dos artistas em geral.

      • Miguel says:

        Vais acabar com a pirataria? LOL
        Diz-me o que andas a fumar que tbm quero..

      • eu mesmo says:

        ohh boz por fabor…. deixa a casa dos segredos boltar………

      • Nelson says:

        Mas és da PIDE? A Internet é o que é devido à partilha de conteudos entre os seus utilizadores, vires para aqui vangloriares-te e celebrares o encerramento de sites é de extremo mau gosto. Ainda por cima vires falar de software que “criaste” e que alimenta os teus filhos… Imagino a fortuna que deves ter perdido…

      • rotflol says:

        pirataria tens tu no… não é pirataria, chama-se partilha. até agora lembraram-se de associar a uma palavra com um caris tão positivo a pior das palavras: partilha ilegal… enfim

        então, acabar com a partilha?
        queres mesmo? terás que desligar a INTERNET
        consegues viver com isso?
        fica bem e não partilhes nada, okay?

      • Bruno M. says:

        Caro Almeida, já perderam casos bem mais graves e não aprenderam… Mas vão aprender. Que aparece alguém como Kim.com com €€suficientes para vos deitar abaixo.. Pde já não tardar… 😛

        • samuel says:

          Isto era um caso para os Annonymous…

          • Bruno M. says:

            Os Anonymous? Não os vejo como uma solução mas como um intermédio de Solução vs Problema…

            Têm uma visão demasiado desviada (mesmo eu aprovando muitas das acções deles)…

            Muitas acções são completamente desnecessárias e descabidas de razão e outras acertam na mouche.

            Outro grande problema é que parece não haver uma liderança e usarem o “lema” deles mais como uma anarquia. Mas isso já são outras situações para um assunto completamente diferente…..

      • Bugatti says:

        José Almeida para ti e para pessoas como tu nós o povo estamos cá para te por mais trabalho se não, não o tinhas porque se não fosse estes sites tu nem profissão tinhas por isso tu devias era ter mais respeito com aqueles que te põe mais trabalho em cima da mesa para não seres despedido por falta de trabalho seu ——–, TENS QUE APREENDER A DAR VALOR AS PESSOAS QUE GOSTAM DE VER O PRODUTO ANTES DE O COMPRAR PORQUE POR VEZES NUM CD DE MUSICA SÓ PRESTA 1 MÚSICA POR ISSO É QUE O POVO GOSTA DESTES SITES E NÃO PARA ESTAR A FAZER PIRATARIA SEU NABO…

        • José Almeida says:

          Amigo, se a tua mãe não te deu educação, não vou ser eu certamente a dá-la. Contudo, podes voltar à creche, onde poderás aprender a ter educação. Quanto ao assunto do produto, ou compras ou não compras. Ou vais-me dizer que depois de experimentares vais comprar. Vais o cara***o, vai andar a partilhar seu ladrão!

          • Hugo says:

            Até poderia ter razão nos seus comentários até esta altura. Mas perdeu toda a razão quando começou a insultar. Numa sociedade evoluida a melhor maneira de combater a dita pirataria não é ao diminuir a oferta gratuita, é melhorar a oferta paga. E essa oferta paga cá por estas bandas está pela hora da morte. Relativamente ao fecho de sites existe pirataria e existe a partilha legal. Se olharmos por exemplo para series televisiva obtidas nao de um dvdrip mas sim de um tvrip não é pirataria mas sim partilha de conteudo livre caso ;). O negócio português ou se adapta as novas mentalidades ou vai acabar definitivamente.

          • Ru1Sous4 says:

            “Ou vais-me dizer que depois de experimentares vais comprar. Vais o cara***o, vai andar a partilhar seu ladrão!”

            Eu compro dp de usar, n vejo qual o espanto… Qts aplicações crackadas eu compro dp de usa-las e ver q realmente valem o €…

          • diogo says:

            Todos os meus cd’s (que comprei com o meu dinheiro) foram comprados depois de sacar o album da internet. Gostei, tinha dinheiro comigo, vi-os na fnac e decidi comprar, e agora? Vais continuar a dizer a mesma merda?
            A chamar-nos a todos de ladrões? A dizer palavrões, quer dizer, primeiro tratas os outros como você e um monte de palavras semi-educadas e depois dizes caralhadas?

          • Nuno Miguel says:

            Ahahahah, olha irritou se o menino ! Quem é que tem que ir para a creche afinal ?? AHAHAH , és o maior FAIL que Deus mandou ao Mundo

          • samuel says:

            Caro José Almeida, se o Sr. é mesmo da ACAPOR então deveria ter uma linguagem mais cuidada não?

            Li alguns posts seus e em alguns o Sr. trata os outros por voce ou por tu, uma pessoa que vem para este topico defender a ACAPOR ou passar-se por um dos seus inspectores (se assim se pode dizer), deveria não só ter uma linguagem cuidada como respeitar todos os utilizadores e os seus comentarios, pois esses espresam apenas a sua opinião, penso que chamar terceiras pessoas nas suas respostas não lhe traz boa imagem a si e à sua associação. Ou está a tentar a manchar a imagem da ACAPOR ou não sei qual a sua finalidade, mas lembre-se que se fazer passar por outra pessoa também é CONSIDERADO CRIME, assim como expressar a sua opinião em nome de terceiros.

            Penso que a ACAPOR está somente a fazer uma parte do seu dito trabalho, mas uma coisa que me intriga e muito é, se a ACAPOR é uma associação portuguesa, porque se preocupar com assuntos estrangeiros, sim 100% dos links desses sites são só de conteudo nacional, não? ou será se calhar 1%? Para simplificar, imaginem um cesto de fruta onde só uma peça está podre, vão atirar com tudo para o lixo ou tiram apenas a podre?

          • André Correia says:

            Diz ele que é da ACAPOR…
            E eu sou o Passos Coelho, querem ver? Férias escolar é o que dá gente, dá nisto!

          • samuel says:

            Novamente… eu ja comprei IMENSOS produtos depois de ter feito a dita “pirataria”

      • Diogo Ferreira says:

        E eu vou lutar para que fiques sequinho a lutar por isso sem chegares ao teu objectivo…

        • José Almeida says:

          2 Forunzitos já foram. Para a semana há mais novidades 😀

          • Baarux says:

            Olho para ti e vejo aqueles putos da altura da escola, que quando não podiam jogar à bola pegavam na mesma e iam para casa.

          • Dat55 says:

            Forunzitos? não conseguem fazer melhor?

          • Marco Pereira says:

            Dois fórunzitos?
            Realmente não tenho palavras para descrever tanta imbecilidade e insensibilidade. Nem me dou ao trabalho de ler tudo.

            Só em Portugal por sermos um país pequeno é que não há mercado para todos os artistas, mas lá fora ganham cada vez mais dinheiro em receitas e o pretexto de lutar contra a pirataria satisfaz outros.

            Consigo jogos por uns 25€ em vez de pagar 70€, um álbum por 5€ quando aqui pode custar o triplo, filmes e o cinema então, é uma roubalheira autêntica…mas ninguém tem uma palavra a dizer nesta matéria. É mais que natural refugiarmo-nos em grandes comunidades fechadas como o pdclinks.net, com mais de 200.000 utilizadores que desenvolvia trabalhos nas mais diversas áreas, numa casa de longa duração, honrosa e discreta sem fins lucrativos. O objetivo é transmitir cultura, não é uma profissão e todos os artistas ganham mais com o que vocês chamam de pirataria do que se não houvesse partilhas.

            Destruiram anos de dedicação.

            O triste é vocês acharem-se uns puritanos, quando em casa o que não falta é pirataria.

      • Carlos Senra says:

        Pena é o sonho, não pagar impostos, porque assim, o país, não estava como está. Quero ver a vossa equipa, a tomar medidas legais, contra servidores alojados e disponibilizados, externamente, em países onde não é crime a pirataria, assim como a Holanda. Vocês se tivessem uma vida, minimamente importante, não se davam ao trabalho disso e ainda mais digo, ainda gostava de saber os meios utilizados por vocês para descobrirem tamanha informação, penso eu, que até vocês fazem downloads “piratas”, para conseguir algumas informações, talvez, uma investigação efetuada aos vossos computadores, ajudem a perceber, se também usufruem de pirataria. Vamos comunicar ao ministério publico, para identificarmos quem são os verdadeiros piratas, que tenho quase a certeza, que são mais vocês, do que o público em geral.

      • johnybogas says:

        Vai lá a minha casa buscar o meu disco externo cheio de pirataria e o meu portatil com o windows 8 e o office sacado que eu tenho lá uma coisa que larga chumbo grosso para ti. lol

      • Pedro Duarte says:

        Então, mas existem sites estrangeiros… A única solução é a ACAPOR bloquear o acesso a conteúdos fora de Portugal. Patético!

        • José Almeida says:

          Vamos bloquear, e tomar as medidas da França. Temos de evoluir o País. E por malandros a trabalhar!!

          • Ah Ah Ah says:

            Eu proponho fechar mesmo a internet e confiscar todos os computadores

          • pfbatista says:

            Os únicos malandros que querem ganhar dinheiro sem trabalhar são os do teu género Sr. José Almeida…

            Querem ganhar tudo duma vez só… paciência…

            Eu não consigo perceber como só uma pessoa consegue dizer tantas asneiras juntas…
            aquilo que vocês chamam de pirataria eu chamo de partilha e permite experimentar antes de usar, Marketing, Publicidade gratuita… é algo que beneficia todos os autores!

            Mas vcs com a chamada “propaganda Nazi” tentam manchar o bom nome de quem quer experimentar antes de comprar e de quem exige preços acessíveis.

            Mas vcs não largam mão dos lucros excessivos, é para poderem comprar bons carros e comerem marisco À luz de velas, à custa que quem produz e desgasta o cérebro a produzir conteúdos riquíssimos!!

            Para a ACAPOR e todas as distribuidoras nacionais: CHULOS, COBARDES, VIGARISTAS, BURLÕES!!!

          • Tiago Santos says:

            Vê lá se o predador não acaba como presa . . .

          • diogo says:

            Vais é evoluir a tua conta bancária que iss não evolui país nenhum

          • samuel says:

            Por malandros a trabalhar isso é que é falar!!!

          • myself says:

            ó José, então se temos que por os malandros a trabalhar, que tas tu a fazer as 10 e tal na net no pplware? não devias tar a trabalhar tão arduamente para bloquear os conteudos que até os teus filhos (if any) têm?. Tu deves ser daqueles que vota no PSD e PS porque és daqueles que gosta da publicidade que os Média portugueses trazem embora depois te venhas queixar que as politicas deles são péssimas, guess what, tu é que votaste para eles tarem lá. Enquanto a tua A-CRAP-ORzinha da treta e o resto de pessoal não se apereber que a industria de produção de conteudos está a mudar muito mais rapidamente que as vossas politicas empresariais, vocês vão-se ver de mãos atadas por causa da crise e então tentam arranjar meios desnecessários para ir buscar dinheiro. Já que te estás a vangloriar tanto por ser da ACAPOR aproveita e vai ao google fazer alguma pesquisa sobre os movimentos que as empresas estão a fazer para evitar a pirataria, aka, empresas tipo Ubisoft, Universal e mesmo os artistas individuais já mudaram a sua politica, ou seja, no caso dos jogos passaram a integrar a componente online de certa maneira no jogo para poderem combater a pirataria e na industria musical/cinematográfica passaram a vender a música e filmes a preços baratos. Vocês parecem que se esqueceram que a melhor publicidade para qualquer tipo de conteudo é a velinha “passa-a-palavra ao amigo”.

            Espero que tu, a ACAPOR e o resto dos teus amiguinhos acabe por encerrar em parte porque para uma empresa que tanto poder alega ter o vosso site está uma merda, e na outra parte porque como referi em cima, as vossas politicas não são de sec. XXI.

            P.S: Não percas tempo a ler muito tempo este texto na tua ligação de 56kbps senão ainda acabas por pagar o tempo que tiveste a mais na internet ilegalmente.

      • Fernando Andrade says:

        ja experimentaste prender os que te pagam? som porque esse dinheiro é sujo é dinheiro ROUBADO por uma MAFIA que são as editoras etc…

        pensem um bocado e se querem vender CD/DVDs e alugar DVDs, é favor fechar Zons e Meos ó Ignorante de m###a…

      • Pedro Reis says:

        Sr. José Almeida,

        Não sei se estas postas que andas a mandar é um trollanço máximo e toda a gente anda a cair, se é mesmo verdade, mas se for tenho pena de ti. Não por teres feito esse suposto algoritmo XPTO que apanha todos os sites de pirataria já que se calhar não tens outra função. Mas por essa falta de princípios tal como toda a gentinha da ACAPOR e companhia.

        É certo e sabido que todos os músicos ganham dinheiro através dos concertos que fazem e o dinheiro dos cd´s é mínimo (dai serem a produtoras de cd´s a andar à caça dos piratas em vez dos músicos).

        Os filmes de certa forma é a mesma coisa, pois rendem muito mais nas estreias e nos cinemas que se calhar a vender DVD´s. Mas o problema é a qualidade do filme e do DVD. Se pudesse (e tivesse tempo) iria certamente ver todos os filmes me que interessassem no cinema, mas lá está 4€ (6€ para 3D + oculos) e pouco almoço eu e fico bastante bem. Os DVD´s quando são baratos (estilo Amazon, etc) uma pessoa quer ver o filme leva com publicidade, “spam” a dizer para não se piratear (WTF acabei de comprar o filme porque o vou piratear?), quando uma pessoa chega finalmente ao filme já 10/15min passaram (as pipocas já estão frias xD).

        O Teatro e derivados não sei como se pode piratear isso, mas vocês se calhar ainda arranjam pirataria “teatral”, só para ganharem mais uns trocos…

        Dito isto, à uns tempos atrás o governo disse que era legal partilhar conteúdos na internet, agora vem uns chicos espertos e dizem que “Ah e tal afinal fechou e já não à downloads a borla”, vocês são mesmo os verdadeiros e os campeões… Outro facto como alguém já disse a UE disse que a pirataria promove a compra ou pelo menos que não diminua as compras (sinceramente não me recordo).

        Com isto pergunto. Porque continuar com uma perseguição estúpida e sem sentido? Eu sei que devem ser todos portugueses por isso vão sempre pelo caminho mais fácil, em vez de melhorarem os serviços disponíveis e inventar serviços novos e decentes, preferem ir atrás das pessoas e meter-lhes medo com processos em tribunal (PIDE much?).

        Com isto, não quero que fiques a pensar que tudo devia ser à borla e dado, não, acho que devemos pagar algo, mas esse dinheiro devia ir para quem efectivamente cria algo a ver com cultura! Não para quem fica sentado atrás de uma secretária a caçar piratas.
        Tenho a maioria da software que uso legitimo e só uso programas piratas em ultimo recurso (qual? Não encontro um bom substituto free e o software tem um preço exorbitante para a utilização que lhe vou dar.

      • Gonçalo Damas says:

        Ei tu ai. Onde compras a erva? É que também quero.

      • Ricardo Sousa says:

        deves é de ter poucos conhecimentos. Não deves conhecer a internet rapaz.

        Internet é muito mais do que estes blogs fatelas com links de downloads. Acaba com a deepweb também rambo

      • miguel says:

        seu parvo tu deves perceber tanto de pirataria como eu de musica (nada), sabes ha pessoas que trabalham e precisam dessa “pirataria”, para o poder fazer e acompanhar os grandes avanços, e poder ter poder de competitividade…
        no meu caso eu uso a pirataria para arranjar office, matlab, mplab(microchip), css , solidworcks, step7 siemens , autocad. e a isto chama-se TRABALHAR, não o que tu deves fazer que deves ter um emprego com vastos recursos, no qual não precebes nada, e andas a contribuir para o PIB do pais com um ordenado churudo mas não desenvolves coisa nenhuma…

        EU COM 450€ tenho de pagar:
        -casa(250),
        -passe(30),
        -contas (60),
        e fica a sobrar 110 EUROS, e ainda tenho de comer, tenho de divertir-me, pagar seguro e gasolina..
        que muitas vezes nao chega e tenho de me apoiar nos meu Pais..

        E agora queres que va comprar programas para trabalhar, como???
        as vezes ate penso que em Portugal dificultam a vida dos que queres fazer alguma coisa por isto…

        Haaaa e ainda queres que va ao cinema pagar que seja 4,5€…
        achas que eu não preferia ir ao cinema ver um filme mais a miúda em vez de ficar em casa a ver filmes???

        NÃO CORTEM + NO POBRE QUE A UNICA MANEIRA QUE TEM PARA ESTAR ACTUALIZADO , A PAR DAS COISA E SE DIVERTIR É A INTERNET

      • Mike Litoris says:

        \|||/
        (o o)
        ,—-ooO–(_)——-.
        | Please |
        | don’t feed the |
        | TROLL’s ! |
        ‘————–Ooo–‘
        |__|__|
        || ||
        ooO Ooo

      • samuel says:

        Mas lá está… a pirataria existe a nível mundial… e como ja foi dito, haverá sempre sites de pirataria como dizes em funcionamento, tanto a nível mundial, como nacional.

      • Mário G says:

        Só uma pergunta de um curioso que não compra cd’s (ou dvd’s) há anos – até já perdi a conta -, não partilha, ou antes, não faz uso de sites de partilha de música ou vídeos (a não ser de alguns filmes temáticos no Youtube – será que é considerado pirataria?), embora durante quase 50 anos estivesse ligado à música ao vivo como músico não profissional mas com carteira do Sindicato dos Músicos para efeitos de determinados tipos de contrato que antigamente exigiam (com os descontos para a antiga Caixa de Previdência e vistos do Ministério do Trabalho), mas questionava eu, no início do meu post, se vc é algum quadro da ACAPOR, da PIDE, perdão, da polícia tributária ou lá como se chama? É que da maneira como vc vomita o seu ódio a quem partilha músicas e a “autoridade” com que replica que vai acabar com a pirataria é de tal ordem, que só de lê-lo fui também vomitar e depois fui obrigado a beber uma Água das Pedras para aliviar…
        Para tipos como vc, fazia-lhe agora falta uma guerra colonial para saber como elas mordiam (e matavam) para lhe tirar o catarro mas também – e felizmente que essa guerra injusta acabou com o 25’Abr’74 – sempre pode voluntariar-se para o Afeganistão, o Iraque, ou até quem sabe, para um grupo talibã, por conta própria?

      • João Paulo como o PAPA says:

        LOLOLOL gigante para si amigo. Uma coisa que ninguém pergunta e é muito obvio é a fonte dos fundos para perseguir a cruzada contra a pirataria. Como é possível uma associação destas dispor dos fundos para combater a pirataria essa é a questão. Batalhas em tribunal são caríssimas, amigos da ACAPOR se acharam a mina de ouro partilhem a localização. Já agora tem piada tentarem acabar com a pirataria.

      • VPinto says:

        Vê se fechas o TPB e companhia lda.
        Acaba os portugas o povo vira-se para os estranjas…

      • loooool says:

        Tenta o piratebay então ehehe
        Nem o governo dos estados unidos conseguiu fecha-lo, não hás-de ser tu 😉

  3. ElectroescadaS says:

    A Inquisição regressou foi? :O

    Uma coisa que nõa percebo é porque razão os sites/fóruns de partilha têm de ser fechados quando nenhum deles hospeda os referidos ficheiros sendo estes da responsabilidade de quem os publica. É como usar softwares gratuitos ou Open Source como eMules e/ou Torrents. Mas pronto é teorias. Foi a Troika que os mandou fechar também?!? 😈

    O queme parece é que as pessoas não iraõ deixar de dar a volta aos problemas só porque A ou B quer fechar este tipo de sites/fóruns (digo eu que sou muito certinho e nunca descarreguei nada) :mrgreen:

    • Daniel says:

      Teem que encerrar, ou pelo menos são possiveis alvos de tais acusações pela regra de que “tanto ladrão é quem rouba como quem deixa roubar”.

      Concordemos ou não a lei abrange essa situação.

    • José Almeida says:

      Amigo partilha com copyright é ilegal ! Eu não gosto de ver as minhas aplicações serem partilhadas sem pagarem como é óbvio. Tive o trabalho mais a minha equipa de desenvolve-las, para andarem aí a passar uns aos outros sem contribuírem nada.
      Se você tivesse filhos para criar, e produzisse uma aplicação, e ninguém lhe comprasse e via a partilharem sem pagarem nada, você gostaria de ver o seu filho passar fome sem o poder alimentar ? A mim parece-me que não .

      • é assim says:

        Eu (e quem diz eu diz muita gente) tenho todo o software (incluindo o so) legalizado no meu pc e portátil. Tenho uma conta da Steam recheadíssima de jogos, uma discoteca bastante completa (em cd originais), muitos jogos em dvd (originais e registados) e uma biblioteca de filmes em dvd enorme (originais). Tudo foi testado antes de comprar o que quer que seja. Não vejo onde está o mal da partilha.

        • José Almeida says:

          Mas tu pelo menos testaste e compraste como eu faço. Só que testo em lojas de jogos, discotecas, cinema. Mas muitos por ai, vivem com pirataria, onde já vi muita gente a vender e a lucrar a custa de outros.

          • Ru1Sous4 says:

            Podem-me dizer onde posso “testar” as aplicações (ipa)completas da AppStore? Algo do género, testar e se n gostar entregar num prazo de 7 dias…

          • sergio says:

            tens que me dizer como testas no cinema, já fui ao cinema e fiquei desiludido, já vi trailers(iludem) que deixam vontade de ver o filme e depois adormeci de tão fraco que era, já fiz downloads e se pudesse doava uns euros. este comentário é para a tua resposta ingénua e não para José TROLL Almeida empregado da Acapor e developer.

          • Marco Pereira says:

            Eu compro o que realmente gosto. Lá fora é tudo mais barato e vivem todos acima de nós, porque a qualidade de vida é proporcional. Não tenho comprado porque estamos em dificuldades financeiras, deixem-se de hipocrisias e tretas.

            Se querem apanhar esses não é fecharem estes sites, mas sim irem às feiras 😉 em todas as feiras vendem-se pirataria e roupa falsificada e continuam a existir.

          • miguel says:

            testas o que nas discotecas??? o teste do álcool??? se esta a funcionar bem???

            ou vais dizer que estas musicas loooooooooool

          • darth says:

            as ilegalidade que é vender versoes digitais atraves de loja, e depois nao poder devolver/revender, é algo que vai ocupar muitos juristas no futuro.

      • sanol says:

        Sr. José Almeida explique-me o seguinte: então você não recebe aquela taxa que a ACAPOR impos a todos os dispositivos físicos de memoria (cds, dvds, pens, cartões de memoria, …) que todos pagamos no acto da compra? Se você não recebe esse dinheiro, ele vai para onde?

        Outra questão: porque é que os videojogos em Portugal são tão caros, ao ponto de custarem o dobro de que noutros países como a Inglaterra? Não me diga que o selo do IGAC vale 30/40€ de diferença?! e porque é que na Inglaterra passado 3/4 meses os jogos baixam quase para metade do preço e no nosso belo pais se mantêm no mesmo preço? Porquê?

        • José Almeida says:

          Isso é um assunto que tens a falar com o Dr. Passos Coelho.

          • sanol says:

            Presumo pela sua resposta que não recebe o dinheiro proveniente dessa taxa. Presumo também que se esgotaram os argumentos. Se não recebe a devida taxa que todos nós pagamos e está descontente com o mercado acho que você é que tem que agendar uma reunião com o Sr. Primeiro-Ministro.

          • Ru1Sous4 says:

            N vejo pq devemos perg ao Primeiro Ministro, ou recebe ou n recebe a taxa, é uma questão simples.

            Ao que parece a ilegalidade vem de cima, todavia esse peixe mais graúdo ninguém quer colocar em tribunal pois daria mais trabalho.

          • Nuno Miguel says:

            Recebe ou não afinal?

          • vv says:

            j almeida és patético

      • César Silva says:

        José Almeida,

        Você gostaria de criar um programa, ter filhos para criar, e o seu programa render tanto dinheiro que o seu filho fica obeso, a sua esposa só pensa em fazer plásticas e você nem tem tempo para eles porque está completamente ambicioso e ganancioso, e gasta todo o tempo em ganhar apenas mais dinheiro e aperfeiçoar o seu dinheiro?

        Esta situação é bem mais real que a sua…

        É digno de nota que empresas pequenas que disponibilizam programas, muitas dão licenças dos seus programas a utilizadores não comerciais, e nem fazem um inquerito para provar que o programa vai ser usada unica e exclusivamente por utilizadores não comerciais. As grandes empresas apenas pensam nos lucros, e não querem saber daqueles que compram os seus produtos, e que deixam os seus filhos passar fome por isso.

      • Ricardo N. says:

        É nessa altura que o José revê o modelo de negócio e se adapta à realidade actual! Quem sabe até encontra um método inovador que pode expandir-se à escala mundial. Não estou a dizer que não concordo consigo acerca da partilha ilegal e de ver o seu trabalho ser pago, mas se muitos utilizadores recorrem aos sites que permitem partilhar ficheiros sujeitos a copyright é porque os modelos actuais não satisfazem.

      • Cenas says:

        Isso é a conversa de encher chouriços.
        Se a tua aplicação desenvolvida for boa, pode ter a certeza que quem lhe der uso a vai comprar. E sabe porquê? Porque quer suporte e no futuro vai querer comprar-lhe uma versão nova com mais funcionalidades que correspondam às necessidades desses clientes.
        Ex 1: jogo desenvolvido….muito bom, só pirateado, dinheiro a entrar = 0. O que diz a equipa de produção…epá ninguém pagou porque ninguém quer mais lixo deste. Ora se quem experimentou ou sacou, e gostou vai pensar, eu quero mais jogos destes gajos no futuro…e o que fazem? Compram o jogo.
        Simples…
        Ex 2: Séries sacadas…se tiverem uma boa recepção (comentários nas revistas, internet,…), o que fazem as operadoras de televisão? Epá…queremos ter malta a ver o nosso canal por isso toca a comprar a série.

        Não sou anjinho, mas o que gosto compro seja livros, filmes, jogos.
        Por isso o resto da conversa é hipocrisia.

      • rotflol says:

        não gostas de ver as tuas aplicações partilhadas? boa sorte para elas.

        eu sou um desenvolvedor de videojogos junior e ficaria muito contente de ver os meus jogos partilhados.

        não chamo pirateados, okay?
        chamo partilhados.

        se tem pessoas que não podem comprar, compreendo
        existem, e sempre existiram pessoas dispostas a pagar por um bom produto.

        se tu dizes que fazes aplicações e não queres que ninguém partilhe, como queres que a tua aplicação corra meio mundo.

        enfim, dois golpes bem duros na partilha de ficheiros em portugal.

        mas se tu estiveres atendo à história, saberás que com o abater de um site nascem dois.

        esses sites vão abaixo em parte por vontade com fundadores deixarem de acreditar no projeto. basta olhar para o TPB que depois de tantos anos continua de pé a está muito bem de saude.

        apesar da minha área ser videojogos, percebo alguma coisa de sites, como fazer sites…

        vou já criar um projecto para colmatar o duro golpe da partilha de fincheiros em portugal

        a internet cresceu muito para além do que esses sr da ACAPOR e afins imaginavam. o modelo de negócio deles não se aplica mais da era em que vivemos. no dia em que eles se aperceberem disso, a partilha de ficheiros verá outra luz.

        abraços a todos e boas partilhas

      • Bruno M. says:

        E o sr Almeida? Já estudou por fotocópias?

      • PR says:

        Exacto, há que encher o cu sempre aos mesmos. No caso da indústria da música é gritante, o preço do cd é altamente inflacionado pelas produtoras.

        Depois a ganância sai caro..azarito.

      • Rui says:

        Não é preciso ser muito inteligente para perceber que a pirataria ajuda a divulgar o trabalho dos outros. Se a tua aplicação for realmente boa, existirá quem a use sem pagar, contudo, irá haver uma maior divulgação e mais pessoas irão comprar, porque não vão querer dar-se ao trabalho de andar sempre a sacar versões “pirateadas”. É melhor ter 1000 instalações (pagas) e zero(!) “pirateadas” ou 1000 pagas e o dobro ou o triplo de pirateadas? O estatuto que ganhas com isto não conta aqui nada?

      • Zé Barnabé says:

        José Almeida…

        Existe outras formas de incentivar a comprar de um produto… isso chama-se Marketing…

        Quantas aplicações para mobile que são compradas todos os dias… e mais ainda… quantas aplicações gratuitas para mobile são descarregadas… muitas delas com micro transacções onde muitos acabam por usufruir do desejo de ter mais do que a simples aplicação gratuita…

        Nós os portugueses só sabemos é conseguir “sacar” o dinheiro do mais próximo… mesmo que se tenha que destruir alguma “comunidade”…

        Esse não é o futuro… o futuro é pensar para além do dinheiro fácil… é ter prazer de fazer uma aplicação, apresentar e divulgar… mesmo que seja de borla…
        O que interessa é que essa aplicação tenha sido criada e apresentada ao mundo…
        Agora, arranjar dinheiro para essa aplicação, basta pensar um pouco como consumidor…

        “Você compraria a aplicação que acabou de criar, pelo preço que está a praticar?!”
        Se não compraria… Então porque a fez?!
        Se não compraria… Porque é a aplicação é paga?!
        Se não compraria… Porque achou que além compraria a sua aplicação?!
        Se não compraria… Porque é que não arranja uma alternativa para que a comprem?! Nem que seja por micro transacções?!

        Pense nisso, pense de mente aberta e não de mente fechada dentro desta sociedade podre e viciada…

      • Baarux says:

        Deixo aqui um pedido ao sr.Almeida, pode deixar aqui os nomes das suas aplicações. É que fiquei curioso para saber um pouco mais sobre elas.

        Com o fecho destes sites significa que vou ter que esperar X de anos para ver aqueles filmes e series que demoram a sair cá em Portugal.

        • José Almeida says:

          Rtp1, Rtp2, Sic, Tvi

          • Motaman says:

            no comment about that, isto era outra conversa!

          • Baarux says:

            Portanto vou ter que esperar cerca de 1-2 anos para ver series como Breaking Bad, Game of thrones entre outras series que nem conheço.
            E depois esperar mais uns meses ou anos para comprar os DvD’s?

          • Gil says:

            Rtp2 não era aquele canal que estavam a pensar fechar?
            A meu ver, não por partilha de conteúdos, mas porque muitos dos portugueses não querem ver programas de cultura e preferem ver as telenovelas dos outros canais.

          • César Silva says:

            Diga mas é o nome dos seus programas… (se é que os tem)
            Provavelmente nem estão registados Assoft e você anda aí a vende-los sem quaisquer garantias.

      • ElectroescadaS says:

        A amigo José ALmeida por acaso leu o que eu escrevi?

        Parece-me que não senão não escrevia os disparates que escreveu.

        Eu entendo o seu ponto de vista mas você tem é que “responsabilizar” quem anda a “partilhar o seu produto” independentemente da sua qualidade e utilidade para o público em geral…

        Fechar sites/fóruns de partilha de conteudos não resolvem o seu problema.

        Mas dou-lhe uma sugestão. Programe os seus produtos de forma a que os mesmos que sejam partilhados só atraves de aquisição de uma chave comprada (mas faça preços que as pessoas possam comprar) para que os seus filhos não morram à fome (também pode ir cavar terra e plantar umas alfaces):twisted:

        Um abraço :mrgreen:

      • myself says:

        Mas isso é uma politica completamente errada. Ora pensa comigo. Crias uma aplicação com os teus colegas, a tua aplicação tem sucesso, porque não acrescentar um botãozinho de doações e por o código da aplicação livre? Se formos pela tua lógica não tinhamos sistemas Operativos como o linux e as suas 1001 distribuições. Em parte foram todas criadas com base numa coisa: Partilha. De certeza que em puto já partilhaste brinquedos, músicas, jogos, entre outras coisas que, na caixa diziam que não é permitido emprestimo de x ou y.
        Se a aplicação tem sucesso porque não pegar nela e torna-la aberta ao publico e receber ainda mais com isso? conheco inumeros casos de pessoas que têm aplicações usadas e que recebem constantemente doações de pessoas desconhecidas por causa do seu trabalho. Faz update as tuas puliticas 😀

      • samuel says:

        A frustração a vir ao de cima…

      • bvxv says:

        AS produtoras de filmes teem milhoes e milhoes de lucro. se formos ver quem ve filmes na internet e uma misera quantia ao pe do que ja ganharam…muitas vezes vou ao cinema e apetece-me ver o filme outra vez e vejo em casa na internet…

    • Bugatti says:

      O problema é que agora eles estão a pensar que são os maiores de todos porque põe processos individuais só que se esquecem que a varias formas de ter um site Online e não precisa de ter os nossos dados verdadeiro só que para isso não podemos dar a cara e por vezes esses nossos amigos que tem os sites tem conhecimento superior aos nabos que tentam fechar os sites e por vezes esse site ta alojado nos servidores deles e não dão conta por isso eu digo ELES SÃO MUITO NABOS… E podem continuar a tentar fechar mais eles vão fechar 1 abre 5 aí eu que sou dessa área sabem que quase todos esses sites tem copias de segurança quando eles fecham 1 eles passam essa copia para o outro endereço provisório por isso nao fica muito tempo Offline como eles queriam mas OK eles querem ter TRABALHO porque se não são despedidos 😀

  4. é assim says:

    Mas deixam o coveiro de Portugal (socrages) regressar hoje à RTP, completamente impune… p*** que os pariu a todos. Triste País…

    • kongas says:

      é assim,

      não concordo contigo, tal como o pdclinks, entendo que todos temos direito à nossa liberdade de expressão, e tal como acho que os senhores da Acapor estão a jogar sujo só pq o MP na última ação os fez fazer figura de estúpidos, também o socrates deve ter o seu momento para se defender. Acho que nos últimos tempos muitos políticos têm jogado sujo e, para desculpar a sua incompetência, dizem que o culpado foi o Sócrates. Nesta altura do campeonato, acho que os Portugueses culpam o Sócrates por tudo, até por não terem emprego… Apesar de não saírem de casa para procurar, apesar de não se quererem qualificar noutras áreas com mais procura, apesar de não quererem fazer o esforço para se deslocarem mais do que 10 km de sua casa para ir trabalhar. Poupem-me, este País não está mal SÓ por causa dos políticos, aliás, os primeiros a levar na tromba (que eu acho que isto só lá vai assim) nem devem ser os políticos…

      Enfim, opinião de quem teve que se adaptar ao ambiente e fazer-se à vida e arranjar trabalho e não teve hipótese de ficar à espera que lhe ofereçam um emprego… Como 90% dos desempregados…

      • kongas says:

        Quanto aos AkaPorcos,

        São tão estúpidos que em vez de perceberem que o que estão a fazer é piorar ainda as vendas e incentivar ainda mais os downloads ilegais.

        Eu não compro nada porque sou obrigado, compro quando identifico qualidade e quero incentivar e premiar essa qualidade.
        Eu sou informático e músico, faço alguns downloads mas na verdade compro muita música e muitos filmes, 100% depois de os ver e ouvir primeiro, pelas diversas formas existentes.

        Enquanto músico, tomara a mim que houvesse muita gente interessada em fazer downloads ilegais das músicas dos meus projetos!

        Quanto à Acapor, tal como a grande maioria dos Portugeses, ainda não se aperceberam que o paradigma mudou e que a realidade está a mudar, o tempo não parou e a sociedade evolui, acompanhem essa mudança e adaptem-se aos novos modelos de negócio. Este tipo de notícias só mostram a ignorância e mentalidade destas instituições…

        • é assim says:

          +1
          Eu (e quem diz eu diz muita gente) tenho todo o software (incluindo o so) legalizado no meu pc e portátil. Tenho uma conta da Steam recheadíssima de jogos, uma discoteca bastante completa (em cd originais), muitos jogos em dvd (originais e registados) e uma biblioteca de filmes em dvd enorme (originais). Tudo foi testado antes de comprar o que quer que seja. Não vejo onde está o mal da partilha.

        • Nelson says:

          +1 É isso meso, alias o ultimo estudo indica que o download ilegal tem sido mais benefico para a industria musical do que prejudicial. A musica, os filmes quando são de qualidade as pessoas compram, eu pelo faço isso. O Software a mesma coisa, e no caso de software profissional, duvido muito que as empresas que tenham a porta aberta ao publico tenham software ilegal a correr nas suas maquinas, o que essa ACAPOR fez não passa de uma tentativa de chamar a atenção para uma entidade ate agora praticamente desconhecida e que possivelmente quer protagonismo para não ser extinta e acabarem todos no desemprego. Onde têm estado essa ACAPOR nos ultimos anos? Ou só agora é que os programadores portugueses correm o risco de ficar sem dinheiro para alimentar os seus filho?

        • HB says:

          O meu caro já comeu a papinha que os políticos lhe têm dado. O país está como está por causa de dívida pública excessiva. Quem contraiu essa dívida? Os governos. Quem duplicou a dívida em 6 anos? O Sócrates, que não é o único culpado pois antes dele tivemos por exemplo o actual presidente da república que destruiu a nossa capacidade produtiva a troco de €€€€€ da união europeia e que o mesmo diz, agora, que é preciso criar. A união europeia tb é culpada porque andou a pagar-nos para destruir-mos a nossa capacidade produtiva e a co-financiar obras para as quais já não tinhamos dinheiro.

  5. Tiago Almeida says:

    Há muitos países por esse mundo fora capazes de alojar sites sem terem que se preocupar com coisas estupidas como estas. Acaba tudo por chegar ao piratebay anyway, what’s the point?

    Um concelho, mudem só o alojamento de país e actualizem a entrada de DNS. ACAPOR…? lol

  6. Jose-António says:

    As palavras dos admn dos sites (ne-miguelito, pdc) nunca foram tao derrotistas. Nas vezes anteriores defendiam a luta, algo que nao leio agora. Projectos como os dois acima que referi requerem trabalho arduo e muita gente nos bastidores. Lamento isto acontecer…

    Cumprimentos

  7. José Almeida says:

    Deixo-vos aqui uma notícia, pode ser que tenham impacto sobre ela:

    Assunto: Pirataria ‘rouba’ 9 mil empregos
    http://www.forum.partidopiratapt.eu/index.php?topic=2000.0

    • kongas says:

      Olá José,

      Portugal tem profissionais de excelência nas Tecnologias de Informação, com talento invejável e que está a fluir para outras partes do mundo.
      Porque não Portugal aproveitar o talento que desperdiça quer para fora quer para arranjar estes esquemas de carsharing e afins, em melhorar as tecnologias, criar empresas de segurança eletrónica para aumentar a exportação, criar valor interno e baixar os preços praticados nestes conteúdos?
      Provavelmente, podia-se criar muito mais que esses 9000 empregos… Em 2013 já não se ganha dinheiro numa loja a vender cd’s! O que está a acontecer é exactamente o que acontece com as cassetes! O formato deixou de ser utilizado! adaptem-se!

    • é assim says:

      O vitor gaspar tambem diz (pensa) que com as suas ideias luminosas/financeiras vai salvar o País. Olha como estamos(ao que chegámos)!?

    • Mário Sousa says:

      José, se me permite o comentário pessoal e sem reflectir a opinião PPLWARE, penso que o cerne da questão reside no preço das obras.

      Na minha opinião continuamos a assistir à apresentação de preços desfazados com a realidade portuguesa no que toca a conteúdos áudio, vídeo e entretenimento. Alguém pode entender que, por exemplo, um jogo de uma qualquer consola possa custar 60 euros ou mais? 60 euros corresponde a quase 14% do ordenado mínimo nacional (435 euros liquidos). Isto para nem falar do custo de um cd original, bem que pode vir um camião de dinheiro se quisermos aceder a alguma cultura audiovisiual…

      Pessoalmente aderi, há já alguns anos, ao Legalsounds.com onde uma qualquer música online custa no máximo 9 centimos. Isso mesmo, 9 cêntimos. É um valor justo. Apostam no volume da venda, coisa que o empresário português, infelizmente, tem uma tendência natural para esquecer.

      Penso que é premente encaixar a ideia que o volume pode ajudar às vendas, mas acompanhado desse volume vem o preço. Enquanto tivermos editoras, proprietários, produtores e artistas que querem ganhar este mundo e o outro do dia para noite, com pesados preços e custos para o público, a pirataria/partilha será sempre um factor importante.

      Mas o pior de tudo é ver muitos dos artistas contra os próprios argumentos de muitas editoras e produtoras no que toca ao combate da pirataria/partilha. No caso do dos artistas de áudio, na grande maioria dos casos aquilo que lhes dá verdadeiramente lucro são os concertos, não houvesse gente a pagar aos 10, 200 e 500 euros em todo o mundo para, por exemplo, ver a Madonna…

      José Almeida, entendo o seu ponto de vista: estamos sempre a falar de roubar a comida aos criadores de algo, mas entenda que uma LARGA MAIORIA dos utilizadores de Internet em Portugal se não fosse pela partilha de conteúdos não teria acesso a absolutamente nada…a não ser, claro, e repito, que os preços sofram uma grande reviravolta nos próximos tempos, coisa que dúvido muito. A partilha de conteúdos pode levar ao desemprego 9.000 pessoas como refere num link acima, mas a NÃO venda em geral leva ao desemprego de muitos mais e ao desincentivo da criação de novos conteúdos.

      Para terminar, deixo apenas uma questão no ar: porque motivo tenho eu de pagar uma taxa especial que reverte a favor de editoras e artistas cada vez que compro um disco rígido, uma pen, um DVD para gravar as fotos e vídeos dos meus filhos e os meus documentos pessoais? Estou a contribuir para quem com os meus conteúdos? Porque não recebo também dinheiro dessa taxa visto estar a ocupar o disco com propriedade pessoal?

      • sanol says:

        Completamente de acordo!! Não diria melhor! Aguardo com ansiedade a resposta do Sr. José Almeida

      • José Almeida says:

        Sr. Mário concordo com o que disse. Os preços são um pouco elevados falando em questão económica, mas não quer dizer que avancemos pela pirataria. Eu dava por jogos da ps2 65eur, e cheguei a comprar o san andreas por 69,90eur. Hoje os jogos estão a 25eur da ps2. Quanto aos jogos os preços baixaram. Se os jogos da ps3 estão caros, vale mais jogar na ps2. Temos sempre outras opções além da pirataria.
        Acredito que se baixassem os preço de forma a que todos ou quase todos pudessem comprar, a pirataria diminuiria com certeza.
        Os preços da França não variam muito para cá, mas a qualidade de vida é superior, sim eu sei. Mas lá não há pirataria, quem se atrever a fazer UM download é alertado, na segunda é com aviso de processo em tribunal, na 3 vez não tem maneira de escapar. É isto do que falo em Portugal, é o que falta no nosso País, mas para isso o estado deveria corresponder a essas necessidades o qual não tá a altura disso.

        Cumprimentos,
        José

        • sanol says:

          Ade de dizer isso aos seus filhos: “filho, vai jogando PS2. Daqui a 10 anos o pai compra-te a PS3 e os jogos todos que quiseres porque depois irão custar 10€.”

        • bigkax says:

          Em França há partilha de ficheiros, ainda o mês passado(Fevereiro) a Hadopi enviou 80000 primeiros avisos, 8550 segundos avisos e 33 terceiros avisos, o que acontece é que a maioria ou muda para sistemas de partilha que sejam mais privados ou adopta um serviço VPN que acaba por custar mais 7/9€ por mês que já não são gatos a comprar esses conteúdos. Até pode ser que se reduza os níveis de partilha mas o aumento de compra ainda não se verificou, o que representa que estão a gastar dinheiro e tempo para não terem mais lucros e impedirem algumas pessoas não tenham acesso a certa informação

        • Gonçalves says:

          Tá a brincar, certo?… É que já estamos em 2013… Já ouviu falar nas lojas online? Isso é o modelo do futuro.
          Não são as pessoas que tem de mudar.É o modelo de negócio que vocês tentam impor.

        • Gil says:

          José, caso não tenha conhecimento, a atual geração de consolas foi que durou mais tempo, ao de os jogos feitos hoje em dia não aproveitarem o poder computacional do hardware atual, por causa de manter a compatibilidade com as consolas.
          Isto para dizer que são consolas que existem à cerca de 7 anos. Jogar jogos com mais de 7 anos pode ser uma solução, mas não é a solução ideal para quem comprou uma consola da ultima geração. Tal como foi referido os preços são bastante altos, mesmo em jogos usados. Caso me consigam indicar onde comprar o Max Paine 3 e equiparáveis a 5€, como comprei no estrangeiro, por favor indiquem-me.

          Baixar o preço dos conteúdos multimédia diminuiria a pirataria, mas não é por fechar/processar sites deste tipo que os preços baixam.

        • Afonso Dias says:

          “Sr” José Almeida, eu não acredito no que disse… jogar na PS2 nesta altura? É devido a esse tipo de mentalidade que o pais está como está, com um atraso extremo em relação à maioria dos paises. E depois querem que o pais progrida… sinceramente

        • Pedro says:

          “Mas lá não há pirataria, quem se atrever a fazer UM download é alertado, na segunda é com aviso de processo em tribunal, na 3 vez não tem maneira de escapar.”

          Meu caro amigo José Almeida, eu não sei onde foi buscar essa dos avisos de processo em tribunal. Posso dizer-lhe que vivo e estudo em França, e que vejo todos, mas todos os alunos de uma turma da universidade a fazer downloads sem receber nenhum aviso! Eu mesmo faço downloads, e NUNCA

        • Pedro says:

          “Mas lá não há pirataria, quem se atrever a fazer UM download é alertado, na segunda é com aviso de processo em tribunal, na 3 vez não tem maneira de escapar.”

          Meu caro amigo José Almeida, eu não sei onde foi buscar essa dos avisos de processo em tribunal. Posso dizer-lhe que vivo e estudo em França, e que vejo todos, mas todos os alunos de uma turma da universidade a fazer downloads sem receber nenhum aviso! Eu mesmo faço downloads, e NUNCA recebi um aviso. Mas enfim, se o senhor o diz….e mais, com o vocabulário que utiliza é preciso estar completamente tolo para ainda se acreditar que trabalha para seja o que for….

        • Nasex says:

          DAAAHHH , o José Almeida não pára de ser hilariante. Aqui nem pago para me rir. Os preços baixaram porque houve partilha! Por isso a malta vai continuar a partilhar pois 25 eur por um jogo PS2 continua a ser mt caro além de que agora estamos na PS3 , ou seja outro nivel ;). Vamos continuar a compra originais porque queremos e não porque nos obrigam Ok sr inocentezinho

      • dipo says:

        Quem fala assim não é gago!! Já que muito se defende os artistas que estão a ser roubados eu pergunto o seguinte, porque razão alguns artistas disponibilizam nos seus sites algumas das musicas? Serão eles burros e não percebem nada de economia e de vendas? A resposta é muito simples, o que os artistas ganham com a venda de CD’s não chega para alimentar os filhos, já que se tem falado de filhos e alimentação neste tópico…
        E depois aqui às uns tempos essa associaçãozeca disse que tinha uma data de IP’s de pessoas que alegadamente estavam a partilhar conteúdos na Internet, eu pergunto é como descobriram esses endereços? Com certeza que não foi por meios legais…enfim essa associação é mais uma parasita, que quer protagonismo e fama a custa do povo…Já não basta a troika e os azul-laranjinhas a explorar, ainda vem estes a querer mamar…como diz o povo, vão trabalhar malandros!!!

      • Fernando Andrade says:

        Concordo plenamente assim como concordo com o pfbatista.

        devo aconselhar ao sr Almeida que vá ver os vídeos do youtuber pogobat sobre os ficheiros e que aprenda qual o valor das coisas.

        Um ficheiro de media vale ZERO pois um ficheiro digital pode ser replicado infinitamente o preço de seja o que for no mercado é igual à sua procura a dividir pela quantidade existente no mercado, agora faça as contas e meta TODA a população animal e vegetal do planeta a ‘comprar’ o seu .mp3 .mov .avi .deb .rpm ou .exe agora divida por infinito… dá erro certo? é impossível dividir por infinito, contudo tende para ZERO!

    • pfbatista says:

      MENTIRA!!!

      – Os 9 mil empregos foram roubados pelo exagero dos valores cobrados na compra de originais!!!!

      As empresas distribuidoras cobram fortunas, e dessas fortunas só uma pequena percentagem segue para o autor!!!

      Querem ganhar tudo duma vez só?! Não ganham!!

      Eu recuso-me a comprar originais cá em Portugal, quando os compro, vêm doutros países

      Chulos assim perdem os seus clientes…

      • Bruno M. says:

        pfbatista, estes gajos da acapor estudam/estudaram por fotocópias e agora andam atrás de quem partilha CULTURA!!!!

        O MEGABOX está a chegar e muitos artistas já se juntaram à causa de Kim.com (já têm contratos assinados e deram permissões para usarem o seu nome na nova plataforma)..

        Além do mais, se o MEGA teve um sucesso inigualável na história mundial/online, o megabox promete deixar na penúria muitas editoras visto que as músicas vendidas online por esta plataforma, apenas uma pequena percentagem fica para Kim.com e o resto é DIRECTAMENTE para o autor!

    • Bugatti says:

      por isso é que te vou continuar a FDD a ti e a tua equipa porque fazem um programa depois cobram um balúrdio por ele e ainda por cima vem cheio de erros falhas que por essas falhas podem danificar o computador de que comprou ou fez download para experimentar por isso abre bem os olhos antes de falares qualquer coisa a PROGRAMAÇÃO tem coisas muito giras não é só o José Almeida que sabe programar nem sei se sabe mas oki cada um tem o que consegue ter 😉 como eu tenho jeito para a programação vou continuar a lutar contra esta injustiça que senhores como tu José Almeida nem sei se deveria tratar por senhor porque não se comporta como tal.

      Por isso vou ter muito prazer de ajudar o meu POVO na luta contra senhores como tu que só pensam no bolso cheio de € e não ser útil a sociedade porque pode se ser útil mas não precisas de ficar a roubar mais do que roubas não é.

      A e tal tenho filhos para criar olha muitos que tem esses sites também os tem e fazem esforço de tirar dinheiro do bolso deles para ajudar as pessoas a não serem mais enganadas como senhores como tu José Almeida

    • Sleepy says:

      Bom dia,

      Caro José Almeida, ao colocares essa noticia aqui para o pessoal ver, certifica-te que lês realmente os posts com as “letras pequeninas”.

      Link: http://www.forum.partidopiratapt.eu/index.php/topic,2000.msg10193.html?PHPSESSID=b438bf996c7940549c841d968d854ad8#msg10193

      Exemplo: Jogos Xbox, PS3, WII e afins = + 50€ ?? Querem lucrar a curto prazo? Coloquem a 10€ cada jogo e vão ver o que é ir buscar lucros a médio prazo!

      Tal como é impossível combater o crime a 100%, o mesmo acontece com a pirataria. Se acontecer como à +10 anos atrás… Um compra, outro copia e partilha e assim se continua a pirataria 🙂

      Obrigado!
      Sleepy

    • Ah Ah Ah says:

      Bullshit !!!

      Convereter directamente cada download numa venda perdida é uma falácia.

      É mesma lógica que se alguém às 8 da manha estiver a oferecer alfaces à porta do metro, e distribuir 1.000.000 alfaces, a seguir o Pingo Doce / Continente / whatever vir dizer que como cada alface custa 1 euro, a distribuição das alfaces no metro provocou perdas de 1.000.000 euros ao supermercado.

      Não entrando na questão legal/ilegal o que a industria ainda não percebeu (ou não quis perceber) é que o modelo de negócio que têm usado nas últimas décadas (e que os enriqueceu) está acabado !!!

      O modelo de negócio baseado na venda do CDzinho e do DVDzinho está acabado, com pirataria ou sem pirataria.

    • Claudio Oliveira says:

      Também muitos milhares de postos de trabalho foram suprimidos em outros setores da economia.
      A culpa foi também da pirataria?

    • Rui Costa says:

      Relativamente a esta noticia (que duvido que tenha lido por inteiro) o Sr. José deve ter percebido que são pagos 6 milhões de euros por ano ao IGAC para porem selos nos DVD’s e enviarem emails aos representantes dos sites de partilha de ficheiros com ameaça de processos, certo?

      Em algum momento pensou que talvez o mercado esteja mudado e que não são selos ou emails que fazem a ecónomia crescer?

      Eu trabalho e desenvolvo uma aplicação com base no volume de negócios e isso sim faz sentido e traz resultados.

      Há quem esteja a pagar 60€/70€ por jogos disponibilizados em BlueRay que caberiam no DVD…
      Isto demonstra para além de falta de empenho na qualidade dos produto final(p.e.: videos introdutórios, animações, etc…) a falta de preocupação com o consumidor final.

      Cada vez aparecem mais serviços que disponibilizam produtos baseados no que o utilizador pretende e isso sim é o caminho a seguir. Quem precisa de um software que faz de tudo quando so necessita de 10% das funcionalidade, que podem ser gratuitas, e os outros 90% podem ter a função de “presentear” o utilizador com o que existe de mais avançado.

      Neste momento o problema é a mentalidade e não a pirataria, enquanto se trabalhar como gestores do tempo das vacas gordas que não se sabem actualizar e evoluir com o mundo vai continuar a existir pirataria.

      Tal como o Sr. José tem uma opinião clara quanto a este assunto, muitas vezes não fazer orelhas moucas ao que a comunidade/mundo dizem evita que se pare de evoluir, espero que o Sr. José não se identifique com o tipo de gestor que prospera em Portugal e que consiga evoluir para colmatar as suas necessidades pessoais.

      Bem haja

    • Baarux says:

      Deixo-vos aqui uma noticia, pode ser que tenham impacto sobre ela:

      Assunto:Pirataria aumenta vendas de música
      http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/mercados/2012/05/18/pirataria-aumenta-vendas-de-musica

      • Ze Carlos says:

        E para me despedir que já perdi muito tempo com este post, deixo aqui a opinião do senhor Bill Gatesa respeito da pirataria e do Windows, um “programa” que ele criou…

        “A Microsoft admite que a pirataria do Windows auxiliou grandemente na participação do mercado na China, e que se torna mais fácil de obter lucro quando os usuários legalizam as cópias. Bill Gates afirmou: “É mais fácil para nosso software competir com o Linux quando há pirataria do que quando não há”” via Wikipedia

  8. eu mesmo says:

    ai lá se vai o MEO/ZON pro crlho…………………………….. Sócrates volta, estás perdoado………………………

  9. sanol says:

    A ACAPOR tem muita moral. Quer é satisfazer os desejos da clientela que servem. Os músicos recebem tostões do que produzem, ficando as editoras com a fatia de leão.

    Cada vez que compro um cartão de memoria, um cd/dvd ou uma pen tenho que pagar uma taxa adicional por MB para satisfazer estes senhores. Dizem eles que esta taxa é reencaminhada para os músicos, escritores, e produtores de software. Será mesmo?!

  10. Gualter says:

    Ohh já se vão abrir mais dois 🙂
    Vocês são tão ceguinhos LOOL so para tapar as vistas aos fdps da ACAPOR entre outros…

  11. PorquinhoBranco says:

    O que faz, e fará sempre estes sites serem perseguidos, são os moldes em que estes sao feitos e geridos, e que é tambem a razao pela qual existem tantos! Os criadores destes sites ganham milhares de euros, seja em publicidade, seja em donativos, seja em “subscriçoes” para nao estar sujeito a racio etc! Basta aceder a estes sites e eles já estao a ganhar! Um ficheiro alojado num desse sites tipo megaupload e afins, se tiverem millhares de downloads, quem o disponibilizou la, ja esta a ganhar dinheiro! Nao sejamos anjinhos, por mais que isto (pirataria) nos seja conveniente! Ninguem dá nada a ninguem, e Robin Hoods só em Sherwood!!
    Se fosse um politico a ganhar milhares por tar sentado na assembleia sem fazer nada, reclamavam, mas nao se importam de atirar milhares de euros livres de impostos para quem cria estes sites e dá exactamente o mesmo contributo pro pais (zero), em troca do download de meia duzia de filmes e musicas!

  12. Alexandre says:

    Só estão a cavar o seu próprio buraco… A pirataria nunca vai deixar de existir, enquanto não houver uma sensibilização para a importância de contribuir para que a cultura não fique mais pobre. Eu contribuo e pago por ela, mas não em Portugal, pois acho irreal pagar 20 euros por um filme/cd de musica e 70 euros por um jogo. Se baixarem os preços, acredito que as vendas aumentem. Agora se continuarmos com este mercado faminto por dinheiro, em que os próprios autores ficam apenas com uma pequena percentagem do dinheiro da venda, isto não irá a lado algum.

  13. DragonSeat says:

    José Almeida porque não lançar uma queixa contra zon e meo por terem video clube a 2.5 euros enquanto num video clube é mais dinheiro que se paga??Queixa tambem contra o youtube pois lá estao alojadas musicas e filmes…O problema é que em Portugal se tenta arranjar desculpas, mas fique sabendo que se eu pago iva na compra de um cd ou dvd para gravar tenho o direito de lá ter o que bem me apetecer…se eu tiver um jogo tenho o direito de o partilhar com quem me apetecer…

    • José Almeida says:

      Amigo a Zon e a Meo também pagam impostos. Tu ao fazeres um download ilegal, vais pagar imposto? Por isso é que o País não avança, e ficamos para trás. Enfim…

      • sanol says:

        O Sr José Almeida das duas uma: ou é um fanático/revoltado que hoje não tem nada para fazer, ou é um “cachopo” pequeno e está a gozar o prato.

        O país não avança devido à pirataria! Se você se candidatar a PM tem já aqui um voto garantido. Não se vale mais dos baixos ordenados desfasados da realidade social em que vivemos, nem da alta carga de impostos a que estamos sujeitos. Resolva-se o problema da pirataria e o Portugal será um pais melhor a encher os bolsos de gestores que não percebem que o modelo de negocio do audio-visual/entretenimento tem que mudar! Ponto final! Mesmo que acabem com todos os sites de partilha eu não dou pago um cêntimo cá, porque lá fora os preços são muito mais competitivos. Um jogo para a PS3 aqui custa 60€ enquanto que em Inglaterra custa-me 45€ c/portes. E passado 3 meses custa-me apenas 30€ ou 25€. Percebam que vivem em mercado aberto e que o preço mais baixo conquista os consumidores.

      • Zé Barnabé says:

        A Zon e Meo (e companhias) pagam impostos que por sua vez vêm buscar esses impostos aos preço praticados para o consumidor final, todos nós…
        Como tal, se nós pagamos um serviço de internet que por sua vez a empresa que fornecesse esse serviço está a pagar impostos, então, nós podes fazer download de tudo o que quisermos…
        Mais ainda, nós pagamos a contribuição áudio-visual… Ou seja, pagamos nós e pagam as empresas de distribuição de serviço áudio-visual…

        Se realmente querem que uma pessoa deixe de fazer downloads ilegais, em vez de fechar sites, que dá muito trabalho, perda de tempo e gastos para o país em processo de tribunal, porque é que a Zon e Meo (e companhias) não fazem uma coisa mais simples…
        Bloquear logo pela raiz os IPs desses sites?!
        Porque para essa empresas que fornecem internet, ao fazerem esse bloquei logo pela raiz, não conseguiriam impingir a um cliente 100MB de download já que para um utilizador comum, não lhes serve de nada…

        Por isso, é que não existe esses bloqueios…
        Chama-se a isso, EVOLUÇÃO e ADAPTAÇÃO ao meio existente…

        Não basta cortar uma coisa pela raiz… temos que nos adaptar ao meio existente…

  14. Xiuaua says:

    Lá foi a Weblusa dar os nomes dos responsáveis do site…. vergonha!

  15. Antonio says:

    Siga para a Holanda…

  16. [W4r3zGuy] says:

    “RIP a esses sites…. Boas Piratebay, Demonoid, Torrentz, SceneRush, BTNext, IsoHunt, KatPh, TorrentReactor, BTJunkie, ExtraTorrent, EZTV, BitSnoop, 1337x e fora os trackers privados na DeepNet que a esses nem a Policia consegue localizar… E agora eu pergunto: Mas afinal quem está a ganhar o jogo? [k33pRunn1ng]

    😉

    • José Almeida says:

      Queres mais ? Torrentleech, Scenerush, ttl, .. Será que tens a certeza que não conseguem localizar ? Hmmm.. não tenhas tanta certeza disso 😉 é so terminar com servidores e cliente p2p ahahahh

      • José Almeida says:

        sceneacess*

      • [W4r3zGuy] says:

        Aprende do que falas ao menos. Sabes ao menos o que é a DeepNet ou o TOR? Sabes ao menos que há pelo menos 5 trackers privados que só acedes se configurares o TOR para isso? Rapazola, ao menos informa-te das coisas e deixa os adultos trabalhar em paz. Volta lá a brincar aos policias e ladrões, hahaha. 😉 Vai lá dizer que se consegue localizar uma ligação TOR devidamente encriptada apenas para mostrar que não percebes nada do que falas. 😀

        • Bugatti says:

          É isso mesmo [W4r3zGuy] ainda por cima só diz coisas que não sabe os fins para que servem

        • [W4r3zGuy] says:

          E digo mais, eu até pago por certas coisas. Tenho conta premium no Spotify, por exemplo. O cerne da questão é o pagar EM PORTUGAL E COM ESTES PREÇOS.

          Já aluguei filmes pelo MEO e é coisa que irei continuar a fazer, principalmente filmes de bonecada para a criançada, porque não se vira a Acapor para isso? Alegam que é legal, talvez, paga-se pelo filme. Mas tbm terá sido isso um dos principais motivos pela extinção dos videoclubes. Mas contra Meos e Zons nada se pode fazer, não é?

          Aprendam uma coisa, por cada um de vós a deitar abaixo, há 20 a elevar. E se nem mesmo as autoridades têm meios para localizar certos trackers ou sequer para deitar abaixo outros nunca será a acapor a fazer tal feito.

          A acapor não é ninguém, e até já levou na boca dos anonymous á uns tempos.

          Faz mossa nalguns sites? Capaz, qualquer um o pode fazer. Mas mossa grande? Nunca enquanto existir internet livre. 😉

          E sinceramente? O que não faltam por ai são .pdfs a ensinar como encriptar e a construir uma rede TOR decente para conseguir usar um dos vários trackers privados na deepnet. >LURKMOAR! 😛

      • Bugatti says:

        com o servidores Cliente p2p nunca vão acabar José Almeida se és desta área já deverias saber porque esses servidores não é só para ter desses conteúdos ;)porque esses serviços ajudam muita gente que trabalha 😉

      • Ricardo Sousa says:

        lolol deves ser maluco.

        Vais acabar com a scene agora ? que trinta 😀

      • Gil says:

        Se acabarem com os clientes p2p e eu não conseguir fazer as atualizações do WoW o LoL (sim, usam clientes p2p personalizados) vou reclamar com esse senhor.
        Vê-se mesmo a falta de cultura de uma pessoa ao dizer que basta fechar os servidores p2p. Para além disso se se derem ao trabalho de ler as especificações do bittorrent podem verificar que não são precisos servidores/trackers para a rede funcionar.

        • José Almeida says:

          Sim eu sei, que até ao momento os servidores p2p é difícil de filtar.
          Só mais uma coisa. O CardSharing também vai terminar, acho que devem saber perfeitamente o que é. Dou prazo até ao fim do ano 😀

  17. é assim says:

    óh zé ACORDA pá…

  18. Komodoro says:

    http://youtu.be/aCkX0KcNwrI

    Metam os olhos na JOSS Stone!!!

  19. Komodoro says:

    Fala-se em dvd’s e compras… minitros das finanças e economia… eu nao percebo… era dar mais 10 euros ao ordenado minimo, e baixar em 10/15% preços relativos a estas cenas… parecendo que nao a coisa ia ser diferente e ia haver mais consumo.
    Nao faço puto de ideia donde é que estes nabos da politica tiram as ideias e “contas” que tanto dizem que fazem… para aumentar o que quer que seja, onde o risco ta, fazer exactamente o contrario e nao como querem!

  20. Carlos says:

    Caríssimos senhores da ACAPOR:

    Arranjem uma maneira barata E SOBRETUDO FACIL das pessoas terem acesso legal às coisas e vão ver a pirataria vir por aí abaixo.

    Enquanto for mais fácil ir ao Pirate Bay (ou a um dos muitos outros sites) e sacar o filme ou música ou série que se quer do que adquiri-lo legalmente pela Internet NUNCA VÃO RESOLVER O PROBLEMA.

    Sabem como é que eu deixei de piratear músicas? Comprei um Xbox Music Pass anual que me deixa ouvir LEGALMENTE todas as músicas que me apetecer por streaming, e se quiser guardá-las para ouvir offline também posso. Ou podia usar o Spotify Premium, que vai dar quase no mesmo.

    Arranjem uma coisa do género para as séries e para os filmes e vão ver que os sites piratas vão começar a desaparecer por si. Claro, as salas de cinema e as estações de televisão provavelmente desapareceram a prazo ou ficaram restritos a nichos (canais de notícias, mega-cinemas tipo IMAX 3D…), mas isso não é um problema de quem faz o filmes nem séries.

    Parem de lutar contra a realidade e vão ver que conseguem muito melhores resultados e com muito menos custos. Porque as coisas vão mudar, quer vocês queiram ou não.

    É que quanto mais perseguição legal houver, mais obscuras e perigosas vão ser as formas de pirataria.

    Seria de pensar que depois do descalabro que foi a proibição de venda de bebidas alcoolicas nos EUA e o desastre que está a ser a guerra contra a droga, tivessem aprendido que não há como impedir os consumidores de obterem o que querem, por mais ilegal que seja.

    • Carlos says:

      Errata:
      onde se lê “provavelmente desapareceram” deverá ler-se “provavelmente desaparecerão”.

      Em minha defesa eu sofro de dislexia moderada… 🙂

      • José Almeida says:

        Maneira mais fácil? Simples:
        1º Estudar!
        2º Trabalhar.
        3º Com dinheiro podem comprar, se não gostarem, podem sempre vender. Não consegues o http://www.olx.pt , podes vender artigos usados.

        Eu se não trabalhasse, e se fosse malandro, preferia viver à custa dos outros. Começava a fazer download de cd, dvd com musica, so, filmes e começava a vender a 2/3eur iria ganhar muito dinheiro. Mas como isso é ilegal, prefiro ser honesto e trabalhar.

        • pfbatista says:

          Oh José Almeida… já dizia o outro:

          “O teu cu não tem inveja da quantidade de m3rd@ que te sai pela boca?!”

          Com gente como tu… a partilha de conteúdos nunca pára… és tu próprio que a alimentas!!

        • Robert Soares says:

          ui! para alguém tão entendido na matéria com o Sr José Almeida deveria saber que Vender software de “segunda mão” é crime! Por isso também não é la pessoa muito honesta pelos vistos

        • Carlos says:

          Ah sim?

          Então explica-me lá como é que com estudo e trabalho posso ver, por exemplo, o último episódio da série “The Killing”?

          Vou aos sites legais e, ou ainda não está disponível, ou quando está não me deixam comprar porque estou no país “errado”.

          Vou ao Pirate Bay e 5 minutos depois estou a vê-lo.

          Eu não disse que o problema é o preço, tanto que eu COMPREI um Xbox Music Pass que me custou 99 euros, estou a dizer que muitas vezes é IMPOSSÍVEL ter acesso às coisas legalmente e é FACÍLIMO tê-lo ilegalmente.

          Estás a perceber o problema da facilidade ou preciso fazer um desenho?

        • Carlos says:

          E outra coisa.

          No outro dia cometi o erro de comprar o Skyrim via Steam.

          Passado uns dias pifou, diz que bla bla bla não consegue ligar ao Steam e não me deixa jogar. E nem foi o primeiro jogo a fazer isso, já me tinha acontecido o mesmo com o XCOM: Enemy Unknown.

          Fui ao Pirate Bay e em 5 minutos achei os dois, com os cracks, e voltaram a funcionar.

          Por isso volto a dizer “Estás a perceber o problema da facilidade ou preciso fazer um desenho?”

        • NeoXBlast says:

          Vai tu trabalhar ou achas que isso da ACAPOR é trabalho?? isso é mais uma associaçãozeca que enche o cu de dinheiros duvidosos e/ou publicos …

          Só perdes postos em tamanha bestisse

        • César Silva says:

          Amigo, algém está a falar em vender? Deves estar parvo. Isso sim é crime. Mas ainda mais crime é o que tu estás a dizer. Deves pensar que a comunidade do PPLWARE é feita daqueles ciganos que andam a ver BR na feira a 5€…
          O pessoal daqui trabalha, é honesta! Mas pelos vistos, nem sabes o que isso é.

          E se conheces tantos sites que compartilham ficheiros, é porque também lá estás metido… Eu não conhecia nem metade desses. Devias ter vergonha da maneira que falas

        • vv says:

          “Eu se não trabalhasse, e se fosse malandro, preferia viver à custa dos outros.”

          tás a falar da acapor??
          que recebe renda indevida por cada mb comprado??

          a tua moral / honestidade mete-me impressão

  21. JJ says:

    Recentemente, uma produtora de grandes jogos disse o seguinte:

    “Ouvimos claramente as reclamações dos jogadores de PC por não termos versões para eles. Mas estarão estas pessoas a reclamar apenas porque não há versão PC ou porque querem realmente jogar? Comprariam se o fizéssemos?” “É difícil porque há muita pirataria e poucas pessoas estão a pagar pelos jogos PC para que possamos compensar os custos de o fazer. Talvez apenas sejam apenas precisos 3 meses para 12 pessoas criarem o jogo no PC, não é um custo enorme, mas é um custo mesmo assim. Se só 50 mil pessoas comprarem o jogo, não vale a pena” by http://gameover.sapo.pt/artigo/ubisoft-culpa-pirataria-pela-ausencia-de-i-am-alive-no-pc

    Quando li isto… comecei a fazer contas…
    – Ordenados programadores:
    10.000€ x 12 = 120.000€ x 3 = 360.000€
    – Produção CD/DVD:
    3€ x 50.000 unidades = 150.000€
    – Distribuição:
    500.000€
    Total de despesas: 1.010.000€

    Preço do jogo: 70€ x 50.000 unidades = 3.500.000€
    Ganhos das lojas (30%): 3.500.000€ – 30% = 2.450.000€

    Resultado final:
    2.450.000€ – 1.010.000€ = 1.440.000€ de lucro

    E talvez tenha abusado nas despesas e tenha cortado nos ganhos. E concluímos que o lucro é ainda superior a despesa.

    Cheguem as vossas conclusões…

    • José Almeida says:

      Muito estudo e trabalho chegam sempre ao sucesso. Invistam no estudo e no trabalho irão ver que conseguem 🙂

      • Komodoro says:

        Concordaste com as contas apresentadas?!

        Então concordas que as pessoas exageram quando dizem que não há lucro!

        So falta mesmo ali, fora despesas, tipo uns almocitos e lanchitos para meter ao bucho e andar e a elctricidade e desgaste de maquinas e compra de software legal para a empresa trabalhar com aquilo. No entanto aquilo ja deve tar mais que “comprado” tambem. Ou usam “Open Source” como muita empresa inteligente faz. Por isso tambem nao tem problema em pagar licenças sobre o uso de programas numa empresa.

        Aposto que a ACAPOR deve andar como muitas outras, tambem a fazer as suas manhas para nao pagar, ou ir sacar mais do que aquilo que tem direito! E depois funciona sobre os descontos dos contribuintes… fuck logic, para eles nao irem de acordo aos interesses deles mesmos e irem de encontro aos interesses proprios.

        Sobre o olx, vais ser tu que me vais comprar um coisas usada, uma vez que seja, pelo preço que me custou.
        Era mesmo isso.

      • César Silva says:

        Mas como deves saber, em Portugal vai-se muito, mas mesmo muito mais longe com graxa e padrinhos… infelizmente, temos um Portugal hipocrite e sem valores morais. E quem tenta contrariar a corrente, não passa de um pobre coitado que nunca vai ter nada na vida.

        Mas sabes que mais? Ainda bem que é assim! =) Não para mim, mas para o que há de vir.

  22. Baarux says:

    Se eu alugar um filme e juntar alguns amigos/familiares para o verem comigo, também estou a fazer partilha passível de levar alguma multa?

    Vou expulsar toda a gente de minha casa e guardar o comando no cofre. “Não vá o diabo tecê-las”

    • José Almeida says:

      Se não sabe destingir de partilha ilegal de partilha legal certamente. Se alugar, pagou um x eur. Pode partilhar com a família, agora não vai andar a partilhar pela net ou a vender de forma a lucrar com isso. Veja se percebe o ponto de vista, antes de dizer algo incorrecto.

      • Baarux says:

        Então se pagar pelo filme/jogo posso partilhar ele? Visto que o jogo que esta a ser partilhado, sem qualquer lucro para mim, é meu e a empresa já recebeu o devido lucro.

      • Komodoro says:

        Então pera ai… tu pagas pelo conteudo, mas num espaço fisico tu podes partilhar o conteudo porque é teu?Certo? dar a ver aos amigos, e até emprestar. Ele fica com o conteudo e depois nunca mais me devolve é ilegal ele pedir-me emprestado e depois ficar em casa dele?!

        Então, porque é que eu, se compro algo, e quero por na net e partilhar também, chamam a isso pirataria?!

        Same logic, os meios é que sao diferentes.

      • Zé Barnabé says:

        Parece que o José Almeida não sabe o que é “partilhar” e “pirataria”…

        Partilhar é dar a alguém sem receber nada em troca…

        Pirataria é vender o que foi roubado…

        E o que a grande parte de sites que existe pela internet fora é partilha de informação…
        E pelo que sei… todos nós já partilhamos informação…
        O José Almeida de certeza que já partilhou com os seus filhos conhecimentos para que eles possam crescer e ser mais fortes e consigam viver nesta vida de vigaristas e que só pensam no seu umbigo…
        Estou a falar na partilha do conhecimento da vida…
        De como é que aperta um sapato, como comer, brincar e partilhar experiências…
        Tudo isso é partilhar…

        E o que grande parte destes sites fazem, é partilhar informação…
        Sem lucros…

        Partilhar informação é evoluir… é Ajudar o próximo… é continuar e Existir…

      • myself says:

        Caro José, e se a familia estiver num país estrangeiro e quiser partilhar o conteudo com essa pessoa atraves da net? Continua a ser familia, continua a ser conhecido, a unica diferenca é que está fora do país, segundo a sua lógica e tendo em conta tudo o que disse em cima isso seria legal ou ilegal?

    • é assim says:

      brutal 🙂 🙂 🙂

  23. Pedro says:

    Fixe. Estão a fechar um por um esses sites com moderadores arrogantes 😛 finalmente algo de jeito.

  24. Chirucca says:

    Pirataria é o dinheiro que levam pelos jogos, aplicações musicas, filmes, etc.

  25. gus says:

    ainda estou a espera dos direitos de autor das minhas fotos privadas que guardei no ultimo disco rigido que comprei e que a acapor nunca me deu. será que estão a piratear os meus direitos de autor??

  26. José Almeida says:

    Por hoje chega, espero que não tenham falta de emprego! Ai vão reflectir sobre o assunto, e vão ler tudo o que escrevi.
    Podem tirar excertos de texto do que escrevi, não tenho patente registada digital.

    Cumprimentos,
    Dr. Eng. José Almeida

    • Mário Gonçalves says:

      Está explicado:
      “Dr. Eng.” à tuga mesmo…

    • NeoXBlast says:

      Fica descansado que emprego temos … agora tu tenho duvidas se essa merdazeca pode se chamar de emprego … é mais ladroagem

    • ElectroescadaS says:

      Não te esqueças da enxada para ires cavar terra para alimentares os teus filhos porque arrogante como és o teu software não vale nem os 23% que pagas às Finanças 😉

    • Gonçalves says:

      Exmo. Sr. Dr. Eng. Almeida (suposto empregado da ACAPOR).

      Pagam-lhe para divulgar as suas divagações? Por acaso as 11:26 da manhã não estão dentro do seu horário de trabalho?

      Como é possível uma entidade se deixar representar por alguém como o senhor (supostamente…) que não faz a mais pequena ideia da realidade no mundo actual.

      Vem sugerir que joguemos todos PS2 se não conseguirmos pagar os títulos da PS3???
      Sabia que a PS2 tem actualmente 13(!) anos???
      Sabia também que de momento são poucas as editoras que ainda fazem jogos para ela? Não me parece!

      Pelas suas palavras quem pensa de forma diferente são “(..) pessoas com falta de interesse e sem educação”.

      Não quero que pense que estou a favor da pirataria. Quero que veja o problema com outra perspectiva.

      Em vez de criminalizarem a pirataria e quem partilha, porque não incentivam a criação de alternativas legais a preços justos? Não vejo isso acontecer!

      Tenha como exemplo o netflix e o spotify, que devem ser talvez os mais conhecidos.
      Onde está a alternativa portuguesa?
      Não existe! E sabe porquê?

      E não me venha com o meo e a zon porque são serviços completamente diferentes. Não podem ser considerados como alternativas aos sites de partilha.

      Geralmente estes serviços restringem os conteúdos a determinados países para que não tenham problemas com as questões de direitos de autor de cada país.

      Isso quer dizer que os grandes responsáveis pela não disponibilização desses serviços são vocês e o estado!

      Estão mais preocupados em criminalizar do que em resolver as questões de fundo que impedem os serviços de operar.

      Estamos em crise, não acha que já está na altura de se ajustarem à realidade?

      Só um último reparo: se realmente trabalha para a ACAPOR, espero que apanhe um processo disciplinar pela quantidade de porcaria que escreveu aqui! Se não pertence à ACAPOR…. Vá se f_d_r!

      Cumprimentos,
      Eng. Gonçalves

      Obs: Não permito qualquer tipo de reprodução da sua parte e da ACAPOR do texto acima.

      • João Gaspar says:

        Nem mais Gonçalves! God mode on 😀
        P.S.: Não sei se posso utilizar esta expressão sem ter o Quake original.

      • Bruno M. says:

        Há uma linha que separa a pirataria e a partilha…

        Tudo o que se faz na net, sem venda é partilha (não considero donativos ou retorno de publicidade pirataria).
        Já a pirataria é sacar, gravar para um cd e vender (seja filmes, jogos, cd audio).

        Pena que estes m###as tentem confundir a comunicação social e esta última mandes postas para o público alterando a opinião pública bem como o entender de quem está à frente da LEi…

        Além do mais, duvido que este sr seja daquela infame instinuição e que seja “Dr. Eng.”

  27. Pedro Fernandes says:

    Bom,

    Pela quantidade de comentários do José Almeida, diria que ou pertence à Acapor, ou à AFP… é que ele passa aqui o tempo todo a fazer comentários, e portanto, não deve de fazer nada no trabalho 😀

  28. Ricardo says:

    Aparece aqui alguem a dizer que é da Acapor e todos assumem que assim seja, ok vou dizer que sou da PJ e estou ligado aos crimes informáticos. Também acreditam? 😉

  29. SamC says:

    Com a crise económica generalizada estas ações ainda vão ser mais frequentes, a pressão dos grandes grupos económicos sobre os governos vai ser mais forte.
    Outros países mais “desenvolvidos” tomam mais medidas nesse sentido e Portugal por arrasto irá atrás. A pirataria vai sempre existir mas não pode estar acessível tão livremente como agora e com o tal sentimento de impunidade por quem a pratica. Possivelmente no futuro, apenas um nicho de pessoas com mais conhecimentos técnicos é que vão conseguir piratear livremente, quanto ao público em geral têm de ter mais dificuldade para sacar algo pirata sem serem detectados por as autoridades.

    Quanto ao que dizem para defender alguma “pirataria” acho que não é bem assim:
    – são uma pequena minoria as pessoas que compram o que sacam (falo por mim e por todas as pessoas que conheço).
    – mesmo em preços baixos há pirataria, contra custo zero não há preço baixo que resista (exemplo: aplicações Android a 1 €)
    – a pirataria ajuda a difundir a cultura àqueles que de outra forma não teriam acesso… isso é verdade mas por outro lado também implica que sejam criados valores na sociedade que não são desejáveis (conheço diversos miúdos da geração de 90 que nunca compraram um disco ou jogo ou aplicação para o telemóvel e não têm falta de nada nos seus dispositivos). A cultura deles é muito alta? Sinceramente não.

    A respeito dos defensores do encerramento destes sites:
    – está mais que provado que o modelo de negócios que têm não funciona, mas não se pode culpar a pirataria por ser o motivo da decadência desse modelo de negócio
    – se estamos a falar de justiça e tributar ou lucrar com o que é de devido valor, não faz sentido o imposto extra pago em cada unidade de armazenamento
    – não sei até que ponto dentro de algum tempo entra nos tribunais um processo da parte dos “piratas” contra a ACAPOR e similares por haver inconstitucionalidades (existe o tal imposto mencionado acima e algumas decisões do tribunal curiosas http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/mercados/2012/09/26/ministerio-publico-diz-que-e-legal-copiar-musicas-e-filmes-na-net )

  30. É says:

    Algo me diz que os Anonymous não vão ficar muito contentes com os senhores da ACAPOR..

  31. Robert Soares para Sr.José Almeida says:

    ao contrário do que o sr.josé almeida pensa…
    Eu como musico partilho a 100% todos os meus trabalhos e as minhas obras DE GRAÇA, faço questão e fico contente quando a minha obra é partilhada em sites p2p tal com a grande maioria dos músicos que conheço “e se calhar” quase 90% dos músicos a nível mundial.
    Porquê?
    Muito simples… Em vez de dar-mos dinheiro a esses sumiticos, de empresas discográficas que espremem todo o trabalho, amor, e dedicação de um artista sem recebermos um cêntimo que seja NÓS ARTISTAS preferimos que o trabalho seja divulgado para que as pessoas ouçam e partilhem! Por isso empresas com a ACCAPOR são uma valente M_rda pois isso certamente interesses por trás não deve faltar! Hoje em dia todos e quaisquer artistas estão “presos” num sistema burocrático que quase nem podem fazer aqui-lo que lhes vai no coração! Partilha = Pirataria? NAO! Extorquir dinheiro dos artistas isso sim é pirataria.
    Quer um conselho? Informasse primeiro junto de quem percebe e de quem sofre com isso.
    Obrigado

    • José Almeida says:

      Não discordo consigo, mas como músico, caso tenha valor, não gostaria de receber mérito por isso? Na minha opinião penso que sim. Há músicos que fazem um video e postam no youtube a cantar, e há músicos profissionais. Atenção, há diferença se é que me entende. Artistas como Tony Carreira, José Cid, Metálica, Muse… entre outros profissionais, certamente ganham o seu mérito pelo seu trabalho. O Tony Carreira denunciou e levou a tribunal um rapaz que andava a copiar as músicas dele e a vender, e tinha sucesso, a voz muito parecida com a dele. E no entanto não gostou e com razão, de ele estar a roubar o seu trabalho, poderia fazê-lo sim, mas não copiando. Se é que me está a perceber.

      • Bruno M. says:

        Óh José Almeida, o exemplo que deu vale o que vale por uma simples razão… deu a entender que o rapaz cantava as músicas dele, gravava e vendia.. E deu a entender que SEM AUTORIZAÇÂO! Nessa perspectiva o rapaz apropriou-se da obra de alguém, SEM AUTORIZAÇÃO, PARA FAZER DINHEIRO, coisa que partilha é completamente diferente!!

      • Pedro says:

        O Tony também roubou músicas de outros.

  32. SamC says:

    Lembrei-me que assim como o mercado da música mudou muito:
    a taxa de pirataria de MP3 diminuiu não por causa de haver mais conscientização mas por não fazer sentido andar a sacar MP3. Qualquer miúdo de 6 anos vai ao youtube e escreve o nome da música e ouve.
    …possivelmente o mercado do audiovisual (especificamente séries de TV), também irá alterar para um modelo em que no futuro poderemos encontrar cada vez mais episódios de uma forma LEGAL e gratuita no youtube. Será uma forma de a indústria se adaptar ao novo mercado (a indústria musical teve de se adaptar e arranjar novas formas de receita visto que nunca houve tantos espetáculos e com boas taxas de lotação, o ano passado em Portugal)

  33. Adamastor says:

    Como é que a ACAPOR teve acesso a dados pessoais dos gestores dos sites?? Se nem sequer esta envolvida qualquer autoridade do estado?? A Acapor é uma associação e não uma autoridade.

    Esse gestor do PDCLINKS borrou se? Foi ameacado de morte? Então ele não sabe as leis do pais? A partilha de ficheiros é Legal, ele simplesmente tinha que ameaçar a ACAPOR por ter tido aceso a dados pessoais que por norma são confidenciais. Simples.

  34. Ru1Sous4 says:

    Legalmente o processo n iria levar a nada em tribunal, dai a ACAPOR optar por “aconselhar” o fecho dos sites, os admins dos mesmos q não tem dinheiro e apenas fazem isto por gosto, optam por fechar o projecto. É fácil para a ACAPOR persuadi-los a fechar o site e não leva-los para tribunal.

  35. Alex says:

    Sr. José Almeida, já agora porque que não pede à Google para encerrar o YouTube? O que lá não falta é conteúdo ilegal.

    Gostava de ver a ACAPOR “tentar” fazer isso… -.-”’

  36. rotflol says:

    depois de já ter mandado uns bitaites ai pelo meio dos comentários dos outros, segue a minha opinião acerca disto tudo:

    para todos esses lunáticos que acham que conseguem acabar com a partilha de ficheiros… desenganem.

    é difícil de admitir, eu sei… mas é um combate perdido logo antes de ter começado.

    é igualmente errado converter cada download em lucro perdido.

    esse zé almeida parece aqueles miudos a fazer castelos de areia à beira mar. fazem um castelo, vem o mar e destrói tudo.
    voltam a construir o castelo, vem o mar e a cena repete-se. até quando vai ele perceber que tem que fazer o castelo mais longe da água do mar??

    acontece o mesmo com essas associações como a ACAPOR. ou elas se adaptam á era da Internet e ajustam o seu modelo de negócio ou então vão ficar o tempo todo a tentar desligar sites….

    enfim, é preciso ter paciência para esse trabalho.
    porquê não se adaptar aos tempos da partilha??

    boa sorte no combate à partilha, seja ela qual for

  37. NelsonZED says:

    O comentário anterior reflete a realidade….partilha não é pirataria. O sr. da ACAPOR parece antes desesperado e preocupado com o que ganham os moderadores destes sites e que não declaram esses rendimentos? Ok eu tb concordo….

    A verdade é que a pirataria vai sempre existir….mas os artistas arranjaram forma de dar volta a isso….tentem tb aproveitar o que tem de bom a internet….não sejam como os meus colegas da FP que ficaram parados no tempo e que acham que são excelentes funcionários porque cumprem o horario laboral!!! Os tempos mudaram…..mudem vosses tb…

    Cumprimentos

  38. elsaldanha says:

    As distribuidoras de conteúdos estão para os artistas, com os hipermercados estão para os agricultores que lá tentam escoar os seus produtos.

  39. Rodrigo Pedro says:

    Sr. Almeida,

    No meu país o preço do bilhete de cinema é 6,6€, e é só menos se apresentar o cartão de estudante (5,7€). Mais barato só se for com o cartão de cliente da empresa do cinema (Não é preciso sair de casa para saber os preços).
    Já agora que soube dizer que no seu país é 4,25€ o cinema (quero saber onde é isso). O que tem a dizer sobre os 20€ de um CD que na Amazon custa metade do preço? E o mesmo se passa com os jogos e filmes. A Amazon também paga os impostos.

    Vou dar-lhe um exemplo que aconteceu comigo, comprei um jogo para o PC, que em Portugal custava ou custa 49,9€. Passado uns dias, comecei a “pesquisar” como se faziam compras online. Comecei a fazer pesquisas na Amazon e vejo que o jogo que eu comprei a 49,9€, exatamente igual, custava cerca de 25€ com portes. É metade do preço!

    Se quiser podemos continuar falar no mercados dos jogos, vá até à Steam e veja os preços. Fazem promoções todos os dias, tem promoções maiores no fim-de-semana. Se ficou espantado, espere pelo final de junho e dezembro, época de saldos na loja em questão. Quando falo de saldos, é até 75%! Eu na minha lista de jogos dessa loja, tenho cerca de 100, o jogo mais caro deve ter sido uns 15€. Jogos que custam em Portugal 40€, eu comprei por 10€! Alguns, eu tinha feito download deles antes e cheguei a terminá-los. Mas como gostei e o valor pedido por eles era aceitável eu comprei! E falo de jogos recentes (1 ano aproximadamente). Não como o Sr. sugeriu, jogar jogos da PS2! Já agora jogamos jogos da Sega! A PS2 tem cerca de 10 anos! Vai-me desculpar, mas a sua sugestão só demostra o quanto a sua mentalidade é antiquada.

    Admita e evolua! Acha que através das tecnologias de agora, alguém sai de casa para alugar um filme? Isso era no tempo do VHS! Também quer que ande a ver cassetes porque o preço deve ser mais baixo?

    Estudar… Pois estudo! Engenharia informática. Agora pergunto-lhe, quantos licenciados estão a trabalhar fora da sua área e a ganhar o mesmo que uma pessoa com o 12º ano? Só estudar resolve o problema? O país responde? Não!

    Sobre os 9mil postos de trabalho. Só tenho uma coisa a dizer, quantos é que não se perderam devido às máquinas e robôs nas fábricas? O Sr. diz, sim é verdade, mas por de trás disso criou-se outros x mil postos. Ora aí está! Criou-se o comércio online! Criou-se x mil de postos e perderam-se x mil no comércio tradicional.

    Os tempos mudam… Pena as mentalidades não mudarem…

    • Diogo R. says:

      Deixem a waka fechar tudo, vamos ver o crescimento astronómico das vendas online de outros países e veremos a diferença que vês nas vendas de CD’s (quem compra CD’s) e DVDs neste retalho.

      *Devias criar um glossário a explicar o que é a steam, amazon, o sr. almeida pode não entender, na waka waka a google está na blacklist.

  40. NelsonZED says:

    Ops….que erro ……este teclado do magalhães é tramado …..mudem vocês tb….assim está correto.

  41. Ana Sofia Montez da Cruz says:

    E agora onde é que vou sacar software de qualidade???

  42. Ricardo says:

    Aparece alguem a dizer que é da Acapor e todos acreditam, ok pode ser, então posso dizer que sou da PJ e investigo crimes informáticos…

  43. Miguel says:

    Sr. Jose Almeida, é facil de perceber que voçe é um mentiroso.Voce não trabalha na Acapor.Porque sei isto? Não lhe vou dizer, nem tenho que o fazer.
    A equipa da Acapor está a fazer o trabalho para o qual é pago, e calculo que sejam pessoas serias, mas pela sua linguagem a responder ás opiniões dos leitores deste blog profissional, não me parece que você tenha dignidade de trabalhar numa equipa profissional, o maximo que pode ser é um adolescente a gozar com todos nós.
    Portanto passo de você para tu.
    Se és quem dizes que és mostra o teu CV do linkedin, se sabes para que é que isso serve.
    Ou então nem idade tens para ter conta no FB.

    • Miguel says:

      Presidente da ACAPOR admite poder ter cometido um acto ilícito
      http://videos.sapo.pt/o2yNwZsy7MBJTZjCWalp#share

    • Gonçalves says:

      Ui! Agua beta e presunção, cada um toma a que quer.
      Nunca aches que és melhor que os outros. Acabas por cair primeiro.

    • Miguel says:

      OK, tiveste coragem, chamei-te mentiroso porque simplesmente não trabalhas na Acapor. Só vieste provar que os teus canudo não te ensinaram educação, e não me conheces de lado nenhum para saber se está avançado em relação a mim. Pelos menos em dignidade estás muito atrasado.
      Eu gasto muito dinheiro em material legal,não me venhas julgar.
      Como é que apoias clientes na optimização e desenvolvimento de software,és consultor, e falas com uma superioridade em que todos estão abaixo de ti.
      Não fizes-te nada para combater a pirataria a não ser insultar os leitores deste blog.

    • Bruno M. says:

      Eu também posso procurar um perfil no linkedin e postar o link aqui…

      morre longe e diz que me amas…..

    • T. Castro says:

      José, se não tivesse tido colegas no mínimo fantásticos, uma equipa de professores invejáveis, e um orgulho na minha licenciatura, eu teria vergonha de saber que alguém que passou por esta experiência universitária(FCT) tenha uma visão tão turva e própria neste assunto. Mais vergonha ainda de “tentares puxar dos galões” quando não vejo NADA no teu perfil que o justifique, ou seja, não há nada que a nível profissional seja relevante. Não fundaste nada, não tiveste cargos de liderança, saltitaste por diversas consultoras e novamente descartado para vir para ao governo. Se queres usar a tua experiência profissional não a uses aqui, neste contexto, porque só te estas a denegrir por aquilo que escreves, e como escreves.

  44. X_TugaPT says:

    Esta ACAPOR anda a arranjar lenha para se queimar não deve faltar muito para que o site deles vá abaixo também. Querem acabar com os sites todos em prol do seu ganho e dos video club’s mas digo uma coisa na zona onde moro não existe se quer um video clube e os dois cinemas que existiam (Castelo Branco e Torres Novas) ambos da Castello de Lopes fecharam os dois, agora digam me onde vou ver um filme que saia novo?

    Deixo esta pergunta no ar.

  45. euzinha says:

    Já agora também vão fechar o youtube??????

  46. Asura says:

    ate parece k alguem da ACAPOR vem comentar para um forum xD
    o José Almeida deve ter sido banido de todos site de partinha e agora nada feito revoltado xD

  47. Graymalking says:

    Acho relevante incluir na discussão esta TED Talk com Amanda Palmer: https://www.youtube.com/watch?v=xMj_P_6H69g

    Para quem não conhece (a sério? Já vi aqui uma foto dela no Porque Hoje é Sexta e tudo), é uma artista músical que se tornou verdadeiramente indie quando decidiu dar um pontapé na editora onde estava e financiou o seu último álbum, assim como os concertos a ele associados(!), com dinheiro dado pelos fãs. Acabou por angariar muito mais do que pediu inicialmente. Do ponto de vista do negócio, saiu-lhe muito mais lucrativo pedir directamente aos fãs do que depender dos parasitas das editoras, distribuidoras e associações da láia da ACAPOR, AFP, SPA, etc.
    E agora vocês perguntam: como conseguiu ela uma base de fãs tão grande? E eu respondo com uma reguada nessa tromba porque até agora não estiveram a prestar atenção a nada do que foi dito.

    Falemos de jogos (e aplicar também a software, porquê não? Jogos são, no fundo, software): quem joga ou conhece Minecraft? Para não me alongar muito, recomendo quem não conhecer a ver este mini-documentário sobre o criador do vício que me está a arruinar a vida: http://www.penny-arcade.com/patv/episode/minecraft-the-story-of-mojang-20-minute-short
    “Notch” começou por distribuir o jogo gratuitamente e, graças ao feedback recebido, foi expandindo-o. E expandiu não só o jogo como a empresa que acabou por criar através dele. Hoje em dia o jogo custa 20€. Isso não impede que exista a versão pirata, mas é notório o efeito que a pirataria não tem no sucesso da Mojang.

  48. samuel says:

    Penso que a ACAPOR está somente a fazer uma parte do seu dito trabalho, mas uma coisa que me intriga e muito é, se a ACAPOR é uma associação portuguesa, porque se preocupar com assuntos estrangeiros, sim 100% dos links desses sites são só de conteudo nacional, não? ou será que se calhar é 1%? Para simplificar, imaginem um cesto de fruta onde só uma peça está podre, vão atirar com tudo para o lixo ou tiram apenas a podre?

  49. Duarte says:

    Esta acapor é tao burra pensa por mandar abaixo um site que no mundo da pirataria é considerado uma formiga, sites como este existem aos pontapes. Eles sabem muito bem que nas fontes principais de onde vem todos os arquivos ilegais nao conseguem tocar entao divertem-se a mandar abaixo os peixes pequenes…

    Enfim!!

  50. Baal says:

    e acho que sei qual foi acto ilícito que foi obtenção de dados peços de forma ilegal e agora os admin dos sites podem cair todos em cima da acapor e entrarem com um processo judicial contra a acapor por adquirirem dados pessoais de forma ilegal e se isso acontecer vai dar bronca pro lado da acapor

  51. André Correia says:

    José Almeida, KEEP CALM QUE EU VOU FAZER UMA PARTILHA 😉

  52. Manuel says:

    Eu tenho para mim, pelo menos em matéria de video, que se os filmes tivessem as suas estreias na mesma data em todo o Mundo e no caso das séries não tivéssemos de esperar tanto tempo pela estreia dos episódios muita da “pirataria” estaria resolvida. Acho perfeitamente imoral estar a espera que estreie uma série em Portugal quando ela já rodou há mais de 6-7 meses nos EUA. Veja-se o caso do The Walking Dead que tem passado os episódios praticamente na mesma semana da estreia nos EUA, evitando assim que muitos façam download porque não vale o trabalho.

  53. Chirucca says:

    Há relativamente pouco tempo desinstalei a Suite de Antivirus que vinha de origem com o recém comprado computador portátil. Até ao momento da desinstalação recebia constantemente mensagens que a suite custava a “módica” quantia de 59,99€ (já com 20% de desconto). No momento em que decidi substituir a suite de origem por outra, e ser obrigado a desinstalar a original, recebi uma mensagem a baixar o preço para 9,90€. Gostava que a ACAPOR também revê-se a politica comercial daqueles que tanto espumam por causa da partilha de ficheiros/programas.

  54. Gualter says:

    ACAPAR ide trabalhar pras Obras, não tem que fazer so pode.

  55. Vítor M. says:

    Eu li cada comentário que colocaram neste tópico, principalmente as respostas ao José Almeida.

    Ele apenas disse que achava correto acabar com a pirataria.

    Uma opinião dele, muita gente o criticou, além de muitos outros o atacarem com outros argumentos que não tenho adjectivos para classificar, mas ele só deu a sua opinião.

    Eu tenho a minha: eu acho que se deveria definir bem o que é pirataria, abuso de posição dominante, exploração de mercado, e sobrevalorização de bens.

    Deveria haver uma autoridade da concorrência que funcionasse, deveria haver preços máximos de mercado fixados pelo estado, onde somente abaixo desses poderia haver concorrência e deveria haver justiça a quem prevaricasse, a quem pirateasse. A quem não respeitasse a propriedade intelectual, o trabalho que outros tiveram em criar.

    Tudo junto, aí sim funcionava, o principio do José Almeida não está errado, está é muito incompleto.

    Qual é a vossa opinião?

    • myself says:

      Na minha opinião essa “autoridade” existe, apenas está a funcionar com valores de mercado que não são realistas para o mercado portugues. 60€ não são o mesmo que 60USD. Embora o dolar actualmente valha menos que o euro, 60USD não são nada para eles lá. A simples mudança de USD para EUR sem qualquer conversão de moeda, leva aos preços exurbitantes que temos aqui.
      Fugindo um pouco ao assunto, não sou a favor da autoridade da concorrencia em geral, não gera nenhuma competitividade entre mercados, pois tem tudo que ficar com x ou y e como tal não se ve casos conforme um que li a uns bons tempos atras de uma empresa de telecomunicações britânica ter posto por um tempo limitado os seus tarifários a preços absurdamente baixos. Cá em Portugal isso nunca irá acontecer por causa dessa autoridade da concorrencia.

      back on topic: As metodologias que o José Almeida veio aqui dizer são, a meu ver, arcaicas e de quem tem uma mentalidade presa no sec. XX. Ora analizemos: Segundo o que ele foi dizendo por aqui, temos que estudar para ter trabalho, certo e errado pois segundo ele, ainda pensa que ter um “canudo” tem logo direito a emprego o que é uma visão absolutamente irrealista. As politicas que ele fala, favorecem apenas as editoras e não os criadores de conteudos. Conhecem-se casos e casos de bandas que se sentem chuladas pelas proprias editoras e que só recebem uns 20% dos lucros que fazem da venda de cds.

      Para combater a “pirataria/partilha de conteudos”, há que adaptar o pensamento sobre algo actual. Pensar o que leva uma pessoa a piratear e o que leva uma pessoa a não o fazer. Lembro-me na altura isso ser combatido com, no caso dos jogos, a criação de versão demo dos produtos. hoje em dia não compensa fazer isso logo, dado que a maior parte da gente tem ligação permanente a net, porque não pegar nessa ligação e “jogar” por aí?

      • Vítor M. says:

        Eu apenas peguei no início do que ele disse, sobre o tema, o primeiro comentário, que é o que me importa:

        Passo a citar “Temos de por FIM à pirataria ! Acho correctíssimo .”

        O resto não vou sequer entrar em detalhe.

        A minha dúvida é: será que a ACAPOR está a agir errado ou é todo o sistema que está desenquadrado assim como a mentalidade?

        Será que os preços praticados é que impelem este tipo de partilha?

        Eu acredito que é impossível acabar com este tipo de método de partilha (chamem-lhe pirataria… o que quiserem) porque há preços que são simplesmente criminosos, mas há muita coisa que não podemos simplesmente aceitar que passe de baixo do nariz sem controlo, quem produz, os autores, querem ver o seu trabalho ressarcido.

        Há um grande desnível em Portugal e isso está a sentir-se cada vez mais. Estas acções marcam mais agora, em plena crise.

        Mas algo está muito errado.

        • myself says:

          Acho que é uma mistura explosiva dos dois.
          No caso dos jogos eles adaptaram-se bem, criando os free-to-play e criando item shops, pensando que não, é um mercado que tem lucro e se calhar mais do que o modelo anterior. Nos filmes há o net-flix, hulu etc, na musica cada um pode comprar uma música individualmente e fazer a sua própria “mix-tape” legalmente. As voltas que o mercado deu actualmmente penso serem bastante boas e até um bocado “fáceis” do ponto de vista que agora qualquer um consegue produzir conteudo. Nesse aspecto a ACAPOR e Portugal tem que se adaptar, não ao contrario.

          Concordo contigo a 100% que os preços em si são algo muito mau e que impede os portugueses de efectuarem compras de certas coisas.

          Aconselho muita gente a ver isto, eles falam de jogos apenas, mas aplica-se ao resto das coisas: http://www.penny-arcade.com/patv/episode/piracy

    • Miguel says:

      Vitor, concordo plenamente, eu proprio aderi a serviços como o spotify pois ao menos tenho a certeza que não faço nada ilegal e fico bem com a minha consciência,o problema é que as empresas não se adaptam ás novas realidade da web e teimam em combater em vez de evoluírem.
      Dou um exemplo do Netflix ou outros serviços on-demand que podíamos usufruir e que não temos em Portugal devido ás burocracias dos direitos de autor que demoram uma eternidade para chegarem a um acordo com a SPA.
      Comprei um DVD de 78€ na Amazon da serie The Bible com material didatico, porque houve um dia que baixei a serie num site pirata e levou-me a gastar esse dinheiro.
      Adaptar ao consumidor e não gastar recurso numa batalha que não irá ser ganha pois tapa-se um buraco aqui, abre-se outro ali.
      O que me incomoda é que esse senhor Jose Almeida nem esta na equipa que levou as queixas ao MP.

      • Bruno M. says:

        Miguel, quem tem os serviços 3play já tem uma gama considerável de filmes e muitos, antes de saires para dvd por uns miseros 2/3€ e alguns até grátis…
        Isto só por si, faz provar que as diminuições das vendas dos clubes de video não é por causa da pirataria!!

    • Zé Barnabé says:

      concordo com tudo o que disse o Vítor M.
      e se ler os meus comentários verá que se trataram de construtivos e não destrutivos…
      cada um tem a sua opinião, tal como o Vítor disse no seu post mas, realmente o José Almeida não conseguiu defender a sua ideia e apresentou muito pouca informação sobre esta matéria…

    • lulzthat says:

      Vivemos na era digital, dados são dados independentemente do que seja e os protocolos de web foram feitos para os partilhar

      Se pensares bem a pirataria preserva os dados através do tempo, pois se eles não forem partilhados acabaram por desvanecer, e só são úteis se estiverem acessíveis a qualquer 1

      Os dados digitais são a única coisa à face da terra que pode atravessar o tempo infinitamente sem perdas e alterações que o tempo causa, não existe mais nada que consiga fazer isto

      Não seria interessante, daqui a uns 200 anos alguém poder sacar da web filmes, musica, documentários, jogos dos dias de hoje?
      Seria impressionante, pela a inormidade de conteudos que existem nos dias de hoje, como viajar no tempo

    • sanol says:

      Pirataria são os cracks/vacinas, os jailbreaks e outros métodos que te permitem usar certas e determinadas funções as quais devias pagar para ter. Ou noutros casos adaptares determinado equipamento a fazer “coisas” para as quais devia estar bloqueado. Isto é pirataria. Eu comprar um jogo/filme/musica e partilha-lo não é pirataria. É a mesma coisa que emprestar só que de forma digital. Eu posso comprar um CD digital e a seguir fazer copias para um amigo meu que também queira. Isto é partilhar, não piratear!

      “Devia haver uma autoridade da concorrência que funcionasse”
      Completamente de acordo! A que existe está apenas a fazer missão de corpo presente. Existe para servir a clientela tal como a ACAPOR. Evidencia: mercado dos combustíveis e da energia. Só não vê quem não quer!

      “Devia haver preços máximos de mercado fixados pelo estado”
      Não concordo! Vivemos num base de mercado livre. Cada um pode por o preço que quiser. O mercado encarrega-se de mostrar se esse é o preço justo ou não. Concordo com essa medida em casos que se prove que existe combinação de preços como no mercado dos combustíveis.

    • Graymalking says:

      O primeiro comentário do “José” foi claramente inflamatório, assim como os seus restantes comentários e respostas ao longo desta discussão. É difícil considerar como opinião a palavra de alguém que veio aqui fazer “baiting” de maneira tão óbvia.

      Acho que aqui ninguém concorda com a pirataria, tanto é que ninguém aceita que esse termo seja usado de modo tão lato. Mas quem tem de combater a pirataria são os próprios criadores e alguns o fazem com maneiras criativas. A principal reviravolta nesse aspecto é que eles não combatem a pirataria através da supressão, porque já perceberam que é praticamente impossível, mas sim através de uma distribuição directa dos seus conteúdos (por exemplo) e vendo que o que recebem em troca chega muitas vezes a ser mais do que suficiente para viver e continuar a criar. É o que Amanda Palmer disse na TED Talk: não se obriga as pessoas a pagar por conteúdo. Deixa-se.

      O que irrita as pessoas nestes casos em que grandes associações e empresas obrigam a encerrar sites de partilha é que essas entidades, para além de não serem criadores de conteúdo e que ainda assim reclamam para si uma grande parte dos lucros dos artistas apenas pela distribuição e divulgação, acreditam que todos os downloads ilícitos são iguais a lucro que não se obteve. Por essa lógica, as bibliotecas nem existiriam (e atenção que não estou a dizer que a partilha ilegal e o sistêma de empréstimo das bibliotecas seja a mesma coisa!).

    • NeoXBlast says:

      Desculpa mas mandar o pessoal ir trabalhar é dar opinião?? ele conhece-me de algum lado?? tanta gente boa que morre de cancro e esse ainda tá vivo… tenho dito…

  56. ... says:

    Site da Acapor fechado em 3.. 2… 1…, ah esperem ainda vai demorar mais um bocadinho XP

  57. Gualter says:

    Ultima hora:
    http://www.wareztuga.ws
    Sem topicos.

  58. quimkaos says:

    É por estas e por outras que 95% do software que uso actualmente é Opensource/GNU/GPL… Deveria era em vez de ter comprado o CS4 Master Colection da Adobe (adquirido por motivos profissionais e que nem me abre ficheiros produzidos nas versões posteriores Master Colection) ter doado os quase 3000€ que paguei pelo software a projectos como o inkscape, gimp, scribus e outros similares. Já deveria era ter aprendido quando a Microsoft me vendeu o windows 98 cheiro de erros, bugs e defeitos, e depois me quis obrigar a comprar o windows 98SE para corrigir os erros deles.

  59. DarKNeSs says:

    Eu acho impressionante comentários aqui. Em que no caso do jose almeida, diz que é developer. Eu sou developer, e digo mais prefiro a minha aplicação ou seja o que for ser pirateada mas que depois tenha um feedback dos possíveis bugs, possíveis actualizações, eu nao me importo. Pois sei que se as pessoas experimentam a minha app e gostam vão gostar de comprar se o preço for acessível para a carteira de cada um. E a falar em preço das app, estão muito acima daquilo que nos podemos comprar. Um jogo ps3= 69 €… Opa se vocês dizem que isto é acessível, digam me o vosso ordenado e aproveito e também peço para me pagarem a ultima propina da minha faculdade se faz favor 😀

    Eu sou adepto da pirataria para um bem melhor, pois sem ela não evoluía tecnologia.Sou novo em relação a muitas pessoas neste foram, mas já consigo perceber como os meus pais se esforçam para me dar um futuro. Eu muitas vezes utilizava estes sites por causa dos gps, pois explicavam muito bem como actualiza los e os possíveis problemas.

  60. Ricardo says:

    Uma coisa que nunca percebi é:

    Quem paga a esta associações parasitarias, como ACAPOR e Mapinet?
    Em Portugal é só gente que gosta de inventar empregos da treta e não fazer nada, é por isso que isto anda tudo na M****

    Basicamente é pessoal que é pago apenas para andar nestas guerrinhas do copyright, vi uma entrevista a 1 tipo da Mapinet e basicamente o trabalho dele era abrir o browser pela manhã e reportar links -_-, até metia nojo…
    Pesquisem “Movimento antipirataria pediu remoção de 931 mil links usados por portugueses”

  61. lulzthat says:

    É assim, os fracos metem o rabo entre as pernas…
    O problema não são esses escrotozitos de ACAPORs e afins,
    existem muitos desses pelo mundo fora.

    Vejam o que aconteceu quando ele tentaram processar o TPB à 2 anos
    O gajos hackearam os mails e site da ACAPOR e e deram leak dos mails num torrent
    Nem os grandes param os sites internacionais quanto mais esses escrotozinhos nacionais…

    Mas eu só tenho uma coisa a dizer: WAREZTUGA FOREVER!
    Servers offshore e nenhum desses parasitas nos vai parar!
    Existem muitos datacenters offshore, na Russia, Romenia, Suecia, Ucrania,… é só escolher

    O problema destas comunidades é que os admins orgulham-se demasiado e todo mundo acaba por saber quem eles são, ser anónimo e estar “underground” é a melhor protecção, esses datacenters offshore não revelam dados bancários nem cedem a pressões por “warez linking”
    (e mesmo que revelassem existem inumeros serviços de pagamento anónimo)

    • Bruno M. says:

      Já tive o meu servidor (à uns 6 anos atrás +/-) num offshore (com um VPS) e era um fõrum warez.. na altura ainda havia o katz.cd…
      Também tinha recebido uma queixa mas era para retirar um link de uma aplicação, na altura um pouco rara, que um mod meu nos tinha arranjado, e apenas isso, um aviso para retirar um link apenas!!

      Só então mudei o servidor para um VPS offshore. A partir daí nunca mais me incomodaram, ninguém!

      Além do mais, tinha quem doasse por paypal.

      Mesmo os sites tugas fecharem, existem centenas, senão milhares de sites internacionais, fora do bedelho desta ACAPOR. Com um mundo inteiro, uma internet super mega internacional, sem fronteira virtuais/reais, é impossível não aceder a sites como o TPB, BTS, H33T, TH, SP.me, TD, VCDQ, e muitos, muitos, muitos mais!!

      Estes gajos pensam que fechando sites cá, que vão resolver alguma coisa, pelo contrário, só vai fazer com que as pessoas procurem noutro lado, internacionalmente…

      Bota mentes retrógadas nisso…..

  62. Magic says:

    O oxe7 também já foi.

  63. Iago Melo says:

    Este também foi:”OXE7 CHEGA AO FIM!”

    • Rodrigo Pedro says:

      O melhor é fechar o youtube. Tem lá filmes completos e músicas…

      A ACAPOR deve pensar que vivemos na china -_-

    • flavio says:

      OXE7 CHEGA AO FIM!

      Face aos recentes desenvolvimentos, nas últimas 24 horas, no que respeita a queixas da ACAPOR contra os sites de partilha, a administração OXE7 resolveu emitir o seguinte comunicado:

      O objectivo do OXE7 sempre foi proporcionar a todos os portugueses o acesso à cultura e dar a conhecer as últimas novidades a nível cinematográfico, músical, etc.. Graças a nós muitos portugueses viram excelentes filmes europeus que nem sequer chegam ao país, demos oportunidade de todos terem acesso às últimas novidades cinematográficas, mesmo aqueles que moram a dezenas de quilómetros de um cinema ou a comunidade emigrante. Graças a nós demos a conhecer aos portugueses vários grupos musicais que não passam cá nas rádios e que sem nós não teriam conhecimento. Ainda há dias saiu um estudo, encomendado pela Comissão Europeia, que concluiu que mesmo se as opções de partilha não existissem, não comprariam música nas lojas. Ou seja, as pessoas compravam o que gostam, mas deixavam de conhecer toda a diversidade de música que existe.
      Moveu-nos o espírito de partilhar conhecimento e cultura por isso ficamos muito tristes ao ter de comunicar que o OXE7 acaba por aqui.

      A partir de hoje acaba a partilha de links para download ou visionamento online.

      Cumprimentos a todos aqueles que nos seguiram desde sempre!

      Por enquanto a mim o warez ta on

  64. Pedro says:

    Pplware e seus links para distribuiçoes Linux, cuidado com a Acapor!!!!!!!!!!!:) mt bom este post, quase se matam uns aos outros:)

  65. Gualter says:

    wareztuga tambem

  66. Rodrigo Pedro says:

    Sou só eu ou o btnext também já se foi?

  67. retlaw says:

    Mas acham mesmo que esse JOSÉ ALMEIDA é da ACAPOR e é quem diz?

    É que se for está a prestar um péssimo serviço à ACAPOR. Muita baboseira e parvoíces tenho eu lido desse tal José Almeida.

    Nota-se que existe muitas informações que não domina de todo, sabe lá ele o que é a internet, o que é um modelo de negócio online, o que são sistemas operativos LINUX onde uma pessoa pode navegar e fazer o download do que quiser em total anonimato, sabe lá ele a forma injusta como a indústria tenta fazer a divisão de lucros para quem produz, para quem faz filmes, música,etc, sabe lá ele que o dia em que a pirataria acabar a internet terá os seus dias contados, isto é, NUNCA…

    Por isso José Almeida, ou tu és uma fraude de todo o tamanho ou já vem aí alguém da ACAPOR puxar-te pelas orelhas e tirar-te de vez o teclado da frente.

    • Diogo R. says:

      Estamos em portugal, quem vai pagar bons salários?
      Parece que não viste o que se passou na sonae…

    • José Almeida says:

      Amigos, não trabalho na ACAPOR. Só contribuo com felicitações à acapor. Não misturem alhos com bugalhos sff.

      • Ricardo says:

        Isso já eu tinha dito atraz, ninguem da Acapor ou de qualquer instituição revela o que fez ou o que deixa de fazer, mas todos acreditaram. Infelizmente para ti, para cada 1 que fecha abrem outros 3, não podes parar isto, é a INTERNET. Enquantos os piratas de colarinho branco nos roubarem, nós temos de fazer pela vida. Ah e enquanto existir LINUX não volto a meter as mãos em software pago, vulgo Microsoft. E caso não saibas o proprio Bill Gates usa Linux para se proteger… viva o software livre.

      • myself says:

        Allez troll allez, Há 2 artigos atras dizias que trabalhavas na acapor, agora dizes que não. Decide-te…

      • ElectroescadaS says:

        Uma coisa lhe digo Sr. Almeida, no dia em que NINGUÉM sacar nada da Internet (seja descargas legais ou ilegais), os gigantes dos discos rígidos vão-te bater à porta para alimentares os filhos deles… 😈

        Esta foi boa ou não?

  68. Miguel says:

    Eu acho que a ideia que a cultura deve ser grátis para todos não faz sentido. Ninguem diz a mesma coisa do pão ou da roupa. Porque é que a cultura haveria de ser grátis? É mais importante a cultura do que a roupa e comida? Quem produz cultura deve ser obrigada a ter outro emprego para se sustentar?

    Agora o que também não faz sentido é haver intermediários que ficam com 80 a 90% dos lucros. Os intermediários foram necessários noutros tempos, e mesmo no dias de hoje não precisam ser necessáriamente dispensados, mas os lucros que apresentam são vergonhosos e imorais. Cada vez mais com a internet, os autores começam a depender menos destas autoridades intermediárias.

    A pirataria é uma forma de reacção. Quer monetária, quer de facilidade.

    A facilidade com que se saca um filme ou série ou música é muito maior do que ter de sair de casa e comprar um filme/musica. Alias este tipo de comportamento já não faz sentido. Os preços muito menos. Aliás por falar em preços o pais está em crise, o consumo a diminuir enormemente, e os preços continuam mais altos que em paises como UK e USA. O que esperam milagres? Os novos modelos de streaming e venda online estão já a vingar.

    As pessoas não são insensíveis aos direitos de autor, no entanto também não são insensíveis à chulice. No momento em que os preços começarem a ser razoáveis dada a realidade portuguesa e os modelos serem mais facilidadores para o consumidor a pirataria irá não desaparecer, mas diminuir significativamente.

    Outra questão à parte é a taxa de armazenamento, não percebo qual é o significado. Alías não só é incompreensivel, mas ultrajante e uma forma de roubar.

    Porque raio tem os autores de receber qualquer tipo de taxa pela informação que coloco no meu disco? Seja ela documentos de trabalho ou software pago ou música paga. Se falassemos uma taxa de compensação por pirataria até poderia fazer sentido. Mas se pretendem acabar com a pirataria então acabem com esta taxa repugnante.

    Não consigo respeitar quem defende uma taxa destas. Perde toda a minha credibilidade.

    Em relação ao cinema não acaba porque é um ato social. Eu vou ao cinema porque quero ir com a amigos ou namorada. Não vou ao cinema sozinho, salvo muito raras excepções. Agora com a crise é normal ir-se menos ao cinema, os preços de bilhetes são caros para a realidade Passos Coelho.

  69. José Cunha Braga says:

    Mas que excelente noticia que volto a ler novamente aqui. Assim sim caminhamos para o progresso e futuro do país. Esses bardam###as que por ai defendem a piratiaria e partilhas de ficheiros, são os mesmos que querem tudo dado e arregaçado. Com o tempo deixarão de ladrar e começarão a piar fininho como o actual governo já os está a por. Acho muito bem que acabem com esses sites de partilhas, deveriam até começar por punir severamente os donos. Nem que fosse com trabalho comunitário. Há-que por este país a produzir e para produzir é preciso vender e não roubar e partilhar.

    • Gualter says:

      Oh palhaç* deves ser rico para nada teres partilhado, so pode.
      Deixa-te no teu canto, a reza para que um dia não vás dormir pra rua como muitos fazem.

    • sanol says:

      Mais um miúdo a gozar o prato

    • José Almeida says:

      Concordo PLENAMENTE contigo Sr. José Cunha Braga, o mal do nosso País é ter muita malandragem, e viveram às custas dos pais, sem fazerem nenhum, esse é que é o mal.
      E vão acabar com tudo o que seja pirataria. Ainda se lembram do Piratatuga ??? Lembram-se ? Do Btuga ? Lembram-se ? Sim foi tudo abaixo. e vai continuar!
      Falta por abaixo:
      -oxe7
      -wareztuga
      -muitos outros.. Com o tempo iremos vencer estes piratas de meia tigela 😀

      • Dat55 says:

        grande coisa, o btuga foi abaixo, mas nasceu logo a seguir como btnext.

      • vv says:

        e por falar em malandragem …

        … que dizes da acapor andar a roubar uns cêntimos por Mb

        ao estudante que comprou uns Mb para neles meter o trabalho que vai entregar ao professor,

        ao fótógrafo que comprou uns Mb para neles meter as fotos que tira,

        e a tantos outros que compram Mb e nada têm a ver com piratarias ?

        podias mandá-los trabalhar e deixarem-se de viver da malandragem

        com tantos sites de pirataria a ir abaixo,a taxa por Mb já devia estar a diminuir

  70. Dat55 says:

    podem até fechar os foruns, mas teremos sempre os sites de torrents. 🙂
    Ou bastava criar um forum numa offshore, e voces não faziam nada. take that!!

  71. sanol says:

    Os sites piratas subsistem devido ao aparente anonimato que a internet confere aos que, ganhando dinheiro, subvertem toda uma indústria e queimando pelo caminho milhares de postos de trabalhos.
    Logo que o anonimato cai os projectos sucumbem porque estes profissionais da pirataria sabem bem os lucros que auferem e melhor conhecem o carácter ilegal das suas actividades.
    É assim que acaba o Fórum PDC Links um fórum com sete anos de existência, mais de 230.000 membros e 50.000 obras disponíveis, entre filmes, álbuns, software e videojogos. Tendo decidido abortar o projecto voluntariamente, o jovem administrador do fórum vai assim poder continuar a sua vida sem quaisquer consequências, contrariamente às milhares de pessoas que perderam os seus empregos, e alguns até a família, por culpa exclusiva deste e doutros fóruns semelhantes.
    No entanto os administradores dos sites cujas queixas já deram entrada não gozarão da mesma sorte.

    Mas a ACAPOR pensa que é a PJ?

  72. Jaime Reis says:

    Acho fantástico virem para aqui dizer que por existir pirataria perdem-se postos de trabalho, mas não se lembram que muitos dos administradores de sites/fóruns ditos “ilegais” vêm neste modo a única maneira de poder ter comida na mesa.

    Enfim, liberdade em Portugal continua a diminuir.

    • José Almeida says:

      Amigo, há se não houvesse administradores e moderadores de sites/fóruns não chegaríamos a este ponto. Que começassem a arranjar emprego , se não tem emprego, que estudem, que também tive de estudar para chegar onde estou.
      “Nada custa, tudo custa”

      • Jaime Reis says:

        Deixa-me dizer-lhe uma coisa, muitos dos administradores desses sites não conseguem arranjar emprego pelo actual estado do país. E conseguiram uma melhor educação possivelmente pelo mesmo motivo.

        Agora diga-me uma coisa, sendo eu um estudante sem qualquer tipo de receita mensal diga-me como consigo comprar jogos a 60€, filmes e álbuns a 20€, livros a 30€ ?

      • Antonio says:

        Se não é o teu vizinho do lado, vai ser o vizinho da frente a fazer pirataria.

        Vais dizer que não tens nada pirata em casa?! Que nunca usaste para estudar algo pirata?!

        Se não tem emprego que estudem?! Mas tu sabes o que tas a dizer? Como e que uma pessoa vai estudar se não tem dinheiro por exemplo?

      • Gualter says:

        Dá grassas a Deus que tens um empregue, é que muitas das pessoas davam tudo para ter um simples emprego e não o conseguem ter. Mas ainda hades engolir essas tuas palavras, e quem me dera de um dia te ver a dormir numa caixa multibanco… se ainda existirem…

        • José Almeida says:

          Amigo, estudei e esforcei-me para ser alguém na vida. Não andei a malandrar.
          Se todos fizerem pela vida, serão alguém no futuro. Lembra-te destas palavras, e não sou psicólogo.

          • Jaime Reis says:

            “Desemprego em Portugal é o terceiro mais elevado da OCDE”

            Vamos deixar de comer para comprar filmes.

          • Antonio says:

            O que tem o te esforçares haver com pirataria?!

            Atenção que n estou de acordo com o que o gualter disse a cima, so te estou a mostrar o meu ponto de vista.

            Pelo que percebi es um gajo 5* compras tudo nem lojas nada no ebay e a fins.

            So vejo uma coisa, que tens dinheiro, se eu tivesse dinheiro tambem comprava tudo. Do bom e do melhor.

          • José Almeida says:

            Se não se pode, não se comprar. Onde é que não percebem ?
            Estão habituados a terem tudo !

          • darth says:

            tas aqui o dia inteiro em foruns, deves de facto ter um emprego jeitoso

          • Gualter says:

            Bom para ti, dá grassas a Deus, mas tem isto em atenção: Muitas pessoas estudaram MAIS que tu, e neste momento não tem onde ir buscar dinheiro para comer ou para os bens essenciais. Agora diz-me se a partilha a estas pessoas faz algum mal as vendas? Se não tem dinheiro também jamais iriam comprar… haaa queres ver que os iam obrigar a comprar 😮
            A partilha não tem culpa nenhuma, se tas bem com o teu emprego, se tens muito dinheiro, bom para ti.

          • Fidbeck says:

            O comentário anterior está com gralhas peço dos mods para o apagarem pois vou refazer o mesmo.

            Eu tenho uma licenciatura e estou a acabar o mestrado, queres fazer medições é?

            Este país funciona assim… tens o 6º ano, trablhador ideal. Tens o 9ª ano lá tem de ser porque é a escolaridade obrigatória, Tens 12ª? já torcem o nariz, E aqueles que quando vão entregar curriculos têm de meter menos estudos dos que realmente têm para conseguir um emprego? Meter que se têm um curso superior só mesmo para empregos onde é estritamente necessário ter o grau académico, de resto… tudo muito abaixo. E se por exemplo se candidatar a um trabalho numa qualquer cadeia de supermercados, mal a pessoa que esteja encarregue de analisar os curriculos mal bater com os olhos no grau académico vai meter esse mesmo curriculo de lado, porque tem estudos a mais, e como tem mais estudos querem ganhar mais, quando muitas vezes não é assim. Em portugal o que funciona é a lei do venha a nós o vosso dinheiro
            Sei de casos em que colegas meus tinham mais estudos que oa patrões e mentiram no CV para arranjarem trabalho

            Essa teoria do façam-se à vida é muito bonita enquanto teoria porque, e isto aconteceu comigo, quando terminei a licenciatura inscrevi-me no IEFP e passados um meses largos recebi uma proposta de emprego e a primeira vez que falei com o dono da empresa em causa vi logo que ali era para esquecer e porquê? O dono veio com uma conversa, Ah o Sr. António (nome ficticio) do centro de emprego não me disse nada. Viva o factor C

            Mais um exemplo e que já foi referido aqui. Muitas vezes fica imensamente mais barato mandar vir seja o que for de fora e dou outro exemplo… Comprei uma capa protectora para o meu telemóvel, e capa custou-me £0.55, ou seja paguei um preço 200 ou 300 vezes inferior ao praticado em Portugal.

            “Se não se pode, não se comprar. Onde é que não percebem ?” muito simples realmente disse uma verdade, mas se não compramos como é que essas acapors vão sobreviver? Ah espera vão processar o estados por criar os desempregos, porque sem empregos a malta não compra e assim eles não enchem os bolsos. É mesmo do estilo se não for eu o resto que se

  73. Duarte says:

    O jose almeida se ficas feliz por fecharam os sites de partilha portugueses parabens, a mim eles tarem abertos ou fechados nao me aquece nem me arrefece o que nao me falta e fontes para sacar arquivos ilegais e se pensas que a pirataria em portugal acaba por fechar 3 ou 4 sites que nao e nada mais nada menos que umas gotinhas no oceano do mundo da pirataria es muito ingenuo…

  74. Rafael says:

    José Almeida, você e a sua equipa devia é não chamar muita atenção, senão ainda são atacados pelos anonymous. Há uns tempos atrás, os Anonymous imporam-se. E a SOPA e isso foram abaixo. Acha que uma simples empresa conseguia resistir-lhes? Por favor.

  75. Nuninho says:

    Sr. José Almeida, deixe que lhe diga que para a felicidade de muitos como eu e para a infelicidade de pessoas como o senhor este tipo de sites como o Né & Miguelito e o PDC Links serviam de “suporte” para os downloads feitos na internet.

    Ali, tratava-se apenas de serem disponibilizados links para partilha de ficheiros alojados em sites que nos limitam a velocidade de download (limite esse imposto para que queiramos nós comprar contas premium e “sacar” sem limites).

    Se tentar fazer downloads via TORRENT irá ver que o leque de aplicações, jogos, filmes, etc. é muitíssimo maior e o melhor de tudo é que não há limites de velocidade pois utiliza o método P2P (senão conhecer alguma expressão, pode usar o Google, pois não comete crime nenhum).

    Portanto, não vai ser nunca por causa destes 2 grandes sites de PARTILHA DE LINKS fecharem que EU e muitos outros vamos deixar de fazer downloads ilegais.

    Já fiz imensos TBs, continuo a fazer e irei continuar a fazer.

    Pois com isto, sempre que saco um álbum da banda X e me agrada não falto nos concertos deles, sempre que sai um filme novo do actor/realizador Y, quero ir vê-lo ao cinema…

    Por mais que lhe custe engolir, a pirataria na internet não irá acabar nunca. As pessoas irão utilizar SEMPRE métodos diferentes! SEMPRE!

    Tenho dito.

  76. Alfredo Santos Silva says:

    Só tenho que aplaudir todo esta situação. As pessoas têm de se mentalizar que se querem viver em sociedade têm de cumprir regras, quem não as cumprir ou sair fora da linha é penalizado e castigado. Esses sites de partilhas devem ser todos fechados. Quem quer um filme ou um cd COMPRA. quem não tiver dinheiro que vá trabalhar. Os cantores e artistas trabalham diariamente para que vocês andem no gozo a ver filmes de borla, isso têm de acabar a toda a força e neste momento conheço pessoas que andam a vasculhar a net a procura desses sites e a denuncia-los na acapor. Quereis mama mas isso acabou, até o governo vos estar acabar com a mama quer queiram quer não.

    • Pedro says:

      Se eu tivesse trabalho comprava Cd’s e Dvd’s. Não conseguindo trabalho, nada feito.

    • Jaime Reis says:

      Caro Alfredo,

      Penso que não deve viver no mesmo país em que eu resido.
      Hoje em dia, só encontra trabalho quem tem cunhas ou é muito bom naquilo que faz. Como é que quer que nós compremos aquilo que é produzido com esforço se pura e simplesmente não temos dinheiro? Ainda refere para irmos trabalhar? Como?

      Já que refere em baixo, que a ACAPOR é quem fala mais alto, eu se fosse à ACAPOR começava a contratar especialistas em segurança informática, pois nunca se esqueça do movimento ANONYMOUS!

  77. Antunes says:

    Caro Alfredo: atualize-se, pois, bastam 2 cliques e pode “comprar” tudo o que quiser em sites fora de Portugal.. e agora?

    • Alfredo Santos Silva says:

      E agora o que? Pensas que toda a gente é como tu e vai comprar aos marroquinos o que pode comprar cá? Lembra-te que maioria do povo português ainda é da moda antiga e utiliza a loja para as suas compras, são 100 ou 200 mil que vão fazer diferença e comprar online? Tás enganado, maioria recorre as lojas fnac worten e outras para comprar as suas coisas e lembra-te que muitos têm medo de comprar online, outros nem sabem como comprar por isso vossa fatia de partilhas está no fim. Olha pelos rumores que já li em fóruns o BTNext foi outro que já foi a vida. Parece que a ACAPOR afinal é quem mais alto fala.

      • Nuninho says:

        LOL

        Vai haver SEMPRE maneiras de contornar estas situações 🙂

        Tenho amigos que não sabem sacar de outra forma pois estavam habituados aos links… Pois cá estou eu para os ajudar. Com todo o meu maior gosto!!

        Ou também irão fechar o PirateBay? LOOL só me fazem rir estes senhores ricaços que vêm praqui encher o pplware de nódoas sujas.

        Viva a pirataria! Viva a liberdade! 😀

      • Nuninho says:

        Ah e se você acha que comprar na internet é o mesmo que comprar aos marroquinos então deve pertencer a essas pessoas que ou têm medo de comprar online ou se calhar nem sabe mesmo o que isso é.

        Ri-me mais um pouco consigo amigo, não leve a mal! 🙂

  78. Rascas says:

    Já me grizei bues aqui com alguns comentários… Este filme “Os xicos-espertos que pensam que podem acabar com a partilha de ficheiros” já foi visto e revisto mtas vezes…

    Vou mas é por a tirar um filme a sério em HD do tehparadox, com a minha conta do alldebrid, para ver no fim de jantar hehe 😛

  79. Vítor says:

    Como pretendi descrever no ultimo comentário.

    Nunca na vida essa associação o vai conseguir, porque por detrás do que esse senhor diz ser pirataria, para além da partilha existe tamanha riqueza de conhecimentos que também contribuem para a evolução (por exº o trabalho de legendagem, para que todos os portugueses a entendam). Eu deixo aqui um conselho aos senhores que mandam neste país (apesar de mal), arranjem um lugar na PSP, GNR a este senhor pois os verdadeiros gatunos estão nas ruas e nas grandes instituições que se aproveitam da fraqueza dos mais necessitados (por exemplo os artistas).

  80. ElectroescadaS says:

    Eu é mais bifanas. Quem estiver de acordo passe a responder a este tópico e vamos ver uns filmes com miudas na praia. Só não convidem o Jack Sparrow porque é um pirata assumido e pode ficar ofendido… :mrgreen:

  81. V. Afonso says:

    Humm

    tb existiam sites de LINKS em Portugal?

    é pena ver estes senhores destas instituições apenas saberem reagir desta forma, a um problema que eles nunca vão conseguir controlar, porquê….. simples, sites deste tipo são como as baratas, matas um nascem vinte….

    O que eu aprendo daqui é que neste momento se podiam criar oportunidades de negócio muito boas…. darem aquilo que as pessoas querem…. melhorarem a oferta deles… o que as pessoas querem na realidade é saber primeiro aquilo que vão comprar. Se num cd de musica apenas gostamos de uma delas porque raio vou ter de comprar mais 15 que não valem um p3id0.

    Eu quando vou a uma loja de roupa antes de comprar experimento, no caso de filmes e series não é com um trailer de 2 minutos de um filme de m3rd@ que me faz ir ao cinema ou comprar o dvd. No caso da musica… por amor da santa, não me mandem pro mercado justins biebers….

    No meu caso todos os BONS filmes que vi primeiro online, fiz questão de ir vê-los ao cinema, ou mesmo comprar o dvd. O que falha aqui? a qualidade do produto, quero e tenho o direito de ver e experimentar aquilo que vou comprar amtes de levar….

    Caso da me0, porque raio vou ter de adquirir um pacote de 70 programas se só vou ver 5, acho que tenho o direito de pagar por aquilo que vejo, e no caso desses 5 canais que pago devia ter o direito de pagar apenas pelos programas que vejo e não por um mes inteiro. Isto é o verdadeiro significado do tão publicitado PAY-PER-VIEW.

    Mas claro estes burros da acapor, apenas fazem aquilo para que são pagos (pelas editoras), alegando estarem a agir consoante a lei…..

    MELHOREM A OFERTA, E AÍ SIM VÃO ACABAR COM A PIRATARIA..

    • Jaime Reis says:

      Lei?

      Um despacho divulgado ontem pelo Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) veio favorecer a internet e pôr fim a uma queixa antiga: o Ministério Público considerou que é legal descarregar filmes e músicas da internet desde que seja em redes de Partilha de Ficheiros de Portugal, avançou a Exame Informática.

    • Fidbeck says:

      Não seria mais simples fazer com que os ISPs dêm velocidades inferiores? Para que é que eu preciso de 12 megas? (acho que é o pacote minimo em vigor se não estou em erro) e já nem falo das velocidades maiores. 1 ou 2 megas servem bem para it ver mais ou ir a uns foruns ou blogs.

      Ahah no inicio quando as velocidades eram limitadas no reclame até diziam que se conseguia sacar X músicas e Y filmes looool

      Se andamos a brincar aos processos também nós podemos processar por nos quererem levar taxas por cada Mb de um dispositivo de armazenamento, quando muitos usam esses mesmos suportes para fazer backups de coisas pessoais por como exemplo fotos.

  82. J. Goncalves says:

    Bom dia, pessoal, parece que há mais uma vitima dos senhores da ACAPOR, o OXE7 também fechou….

  83. pirata says:

    so eu tenho 5 sites de partilha podem fechar eu abro outros 10 kkkk nao falta a onde abrir

  84. psybruno1983 says:

    porque nao fechao o torrentllech é dos aiores sites

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.