PplWare Mobile

Última Hora – ACAPOR fecha site Né & Miguelito


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Miguel Batista says:

    A ACAPOR não tem autoridade para fechar nenhum site!!!! O titulo é um pouco tendencioso.

    • sergio says:

      exacto, quem decidiu fechar foi o próprio dono para evitar problemas!

    • Joao says:

      O OXE7 tambem ja nao dá

    • Joao says:

      O OXE7 tambem ja nao dá

    • Anonymous says:

      Mais um fechado pela ACAPOR: pdc-links. Isto vai tudo à vida, fogo

    • João Santos says:

      Noticia de ultima hora!

      O né-miguelito irá regressar noutro serviço!
      Mais detalhes: ne-miguelito.net

      Obrigado

      • Diogo Silva says:

        João Santos. Não sei o que pretende com a sua informação ou se desconhece a sua origem, mas o site que indica É FRAUDULENTO E NÃO TÊM QUALQUER LIGAÇÃO COM A EQUIPA DO NE-MIGUELITO. Os próprios fizeram questão de referir no seu site oficial que o único site que gerem é o ne-miguelito.com ou ne-miguelito.info
        O site que referiu sugere que se façam donativos para um dominio xxx.net.

        NÃO FAÇAM DONATIVOS NESSE SITE! É FRAUDE!

        • Bubble Gum says:

          Fraude..? É a palavra de ordem no extinto ne-miguelito.com onde de x em x tempos o ne-miguelito.com mais uma vez pedia donativos.
          Donativos PayPal perdidos por conta bloqueada…., Donativos para novo servidor… ,Donativos para todos os gostos e feitios. Quem criou o dominio ne-miguelito.net ao pedir donativos tentou ser o mais fiel possivel a casa mãe . LOOOL

  2. Nuno Soares says:

    A ACAPOR não mandou o site abaixo, o site é que preferiu fechar para não ter chatices, ou seja a ACAPOR não fez nada que obrigasse a fechar o site por via judicial.

  3. Luis says:

    Como já havia dito aqui:
    https://pplware.sapo.pt/informacao/microsoft-actualiza-tres-aplicacoes-do-windows-8/

    Agora não sei onde é que se vai arranjar tanta coisa para o TomTom e ainda por cima com o apoio técnico que lá havia! 🙂

  4. Gualter says:

    LooL mais um site que fecha durante uns meses mas volta logo depois 🙂
    ACAPOR?? qué isso? Isso pode ser considerado empresa?
    uhmm acho que não.

  5. Ivo says:

    Esses senhores se apresentassem serviços decentes como há lá fora (netflix, hulu, etc.) a preços decentes ganhavam mais.
    Neste triste pais somos roubados a torto e a direito para ver um filme, ouvir um disco, ler um livro.
    Não lutem, adaptem-se
    Gananciosos

  6. rotflol says:

    hum… bem me parecia que havia *movimentações* dessa natureza.

    desconfio que o site KickassTorrents está para ser bloqueado em Portugal (já está bloqueado no UK).

  7. Emannxx says:

    De tanta coisa que podia acontecer, o MSNM era o último que eu via como possível alvo passível de ser abatido.

    É uma pena 😡

    • Artur says:

      > o MSNM era o último que eu via como possível alvo passível de ser abatido.

      sure. com aqueles admins cobardes e gananciosos isto era previsível. uma administração exemplar é a do wareztuga.

      • Artur Burro says:

        Artur não diga disparates ok?
        A administração do wareztuga é bem pior que a do MSNM

      • Diogo Silva says:

        A qualidade e organização do MSNM em termos de conteúdo eram muito muito mais acessíveis.
        Para não falar que era bem mais rico em conteúdos. Quer em quantidade como variedade.
        A única coisa que em serviços o wareztuga ganharia ao ne miguelito, seria em relação ao serviço de streaming wareztuga.tv

  8. RF says:

    lol.. Portugal é um país triste! O que não falta é saites deste por ai..

  9. Canelas says:

    Vem ai m…. Cheira-me que a ACAPOR vai levar no pêlo e em breve.
    Contudo, de referir, que a ACAPOR é uma vergonha a angariar clientes. Isto só piora as coisas para eles.

  10. Ricardo Santos says:

    Acho muito bem! Primeiramente o site não respeitava uma ideologia que devia estar presente em toda a malta do P2P português, nunca distribuir material português, nem que seja por um período de tempo (é algo que eu faço, por exemplo).

    O administrador desse site fartava-se de ganhar dinheiro com essa porra! E olhem que sei do que falo!

    Outra coisa, é que não houve cuidado nenhum em esconder as coisas. Ou seja, já se sabia que o desfecho ia ser este. Basta ver o caso do BTuga.

    Mas pronto, fecha um, abrem dois. Sempre foi assim e pouco se pode fazer para acabar com isso.

    • lipex says:

      a ignorância abunda na tua integra, brasileiro…

    • Ricardo Santos says:

      Vais-me dizer que com esse falso moralismo nunca descarregaste de lá nada? Se o administrador ganhava uns trocos o que queres? Ninguém é obrigado a pagar…

      É lamentável este tipo de situações… isto so acontece porque sao sempre os mesmos a querer “mamar”… Porque nao é por autores.. De certezinha… Que baixem os preços dos produtos, que façam algo realmente inovador…

      Agora fico é com uma questao no ar.. Nao houve um despacho qualquer relativamente à copia privada? Em que ficamos?

      • lipex says:

        ainda tens muito que aprender rapazinho..

      • Ricardo Santos says:

        Nunca la descarreguei nada, pois aquilo parecia um circo… E está calado, que não me conheces de lado nenhum. Posso te garantir que qualidade e liberdade de expressão é o que não era norma no site.

        E calem-se lá um pouco, que vocês não sabem nada do mundo P2P.

        • Ruben Silva says:

          Oh triste pessoa, se não descarregaste nada o que ias lá fazer?? O né miguelito foi a minha segunda casa durante 6 anos e no que diz respeito a liberdade de expressão e qualidade foi o melhor que já vi, até fiz lá muitos amigos. Agora vem para aqui um triste que não percebe nada do que diz argumentar com factos que nem ele próprio sabe o que está a dizer .

          É nestes momentos que fazias bem em estar calado Ricardo Santos.

          • Ricardo Santos says:

            Por exemplo, via os casos onde baniam os utilizadores quando reportavam “algo que não agradava à administração”. Só lá ia para ver o circo, como já disse.

        • Tu é que não sabes nada do que é o mundo P2P, como se pode ser tão ignorante? Como se pode dizer tanta porcaria duma só vez?

          És daqueles ‘xicos espertos’ com a mania de mandar postas de pescada, e depois tem o PC apetrachado de programas sem licenças. Enfim

  11. Rui says:

    Wareztuga ainda está a bombar e pelos vistos vai continuar. Depois temos os torrents para aceder a tudo.
    “Fecha-se uma porta, abrem-se muitas janelas” … é só escolher.

    LOL

    • Ricardo Sousa says:

      de certo nao conhecias as releases homemad do msnm.

      Não usava o site, visto que uso torrents. Mas até na rede P2P se via as releases deles.

      TVRips e sistemas operativos com atualizações mensais em português, para além de encodes e de uma equipa de legendas. Tem que se dar valor. Não era um vulgo site de downloads.

      Agora dizerem que a acapor fechou o site, é totalmente mentira…

      • sergio says:

        eu gostava do msnm, mas tinha um amigo meu que na altura com boas velocidades de upload conseguia primeiro releases com o carimbo msnm do que os próprios administradores, e meia volta quem tinha os ditos ficheiros caseiros eram eles e não esse tal amigo meu

    • Carlos Vidal says:

      wareztuga? Quem fala desse site não está nada a par das novidades que saem na net. Eles metem os filmes dias depois de sairem em outros sites parecidos. Têm muita fama, de resto zero.

      • Ricardo Santos says:

        lol, que parvalhão desculpa lá. Nos outros sites tens qualidade? Tens legendas decentes? Mas tu pensas que quando sai um filme, vais ter legendas de qualidade no mesmo dia?

        Deves ser um dos que anda pelos Oxe7 ou coisas assim parecidas.

    • Nuno says:

      Pois, sobra o wareztuga. Esse último bastião ou haverá mais algum=?

  12. João Dias says:

    Deixem que deixe aqui a minha achega.

    Não concordo que se coloquem processos em tribunal visando possíveis lucros por indeminização. Contudo não concordo também com a partilha total de conteúdos.

    Se eu crio um produto que me custou dinheiro e o pretendo vender, com que direito alguém tem de o partilhar livremente sem a minha autorização?

    No caso do TomTom, se todos “sacassemos” o software desta empresa, gratuitamente, que lucro tinham? Como pagariam aos funcinários que melhoram o mesmo produto a cada lançamento ou update?

    • Gualter says:

      Discordo.
      Internet é sinonimo de liberdade ( se não é deveria ser )
      Ainda se te referisses a venda no exterior aí sim, agora partilha não é venda.
      Eu posso comprar um Album e emprestar aos meus amigos, qual o problema?
      Partilhar é diferente de Vender.

      • Rui says:

        Partilhar, segundo a tua analogia, implica que apenas uma pessoa tem acesso aos conteúdos de cada vez, e não milhares em simultâneo.

        Pirataria pode ser crime, é como roubar, e nisso sofremos todos os dias e ninguém pede indemnizações ao estado ou sujeitos presentes no mesmo. Se pedissem preços como deve de ser por filmes/música, pirataria seria desnecessária imho.

        Direitos de autor são muito bonitos… Para as editoras, porque os desgraçados que criam estão bem tramados (isto na onda portuguesa).

      • João Dias says:

        Falas porque não produzes nem crias nada comercialmente. Caso contrário não falavas dessa forma.

        Muitos produtos não chegam a ter o sucesso necessário devido ao p2p.

        Concordo com as restrições a este tipo de sites.

        Se eu saco um Windows 8, gratuitamente e não pago a sua licença, também não me devo de sentir na autoria de reclamar a sua má qualidade.

        • Ricardo Santos says:

          Não chegam a ter o sucesso necessário por causa do P2P? lamento mas não tem qualquer fundamento o que disseste.

          Se não têm sucesso é por causa do modelo de negócio.. Olha para a industria dos jogos que é a mais “penalizada” e vê se não têm sucesso… eu já comprei muitos à custa de ter descarregado primeiro.. a culpa não é do p2p, mas sim do modelo de negocio das empresas.

          • RaCcOn says:

            Ricardo,

            Não tem sucesso, pois se 90% dos utilizadores fazem download ilegalmente ninguém dará seguimento ao projeto e o mesmo acaba por ficar obsoleto e desparece…
            Talvez isso funcione na música mas não no software, e mesmo na música é discutível.

        • Ricardo says:

          E já puseste a questão de outra forma?
          Eu a nível profissional usa uma AIO do Windows 7 e 8 disponibilizada pelo NM.
          Sabes o que quer dizer AIO? All In One.
          Ou seja, naquele “DVD” tenho *todas* as versões do Windows e instalo a que pretendo, de acordo com a licença que está no PC do meu cliente.

        • Gualter says:

          Amigo imagina o seguinte:

          Começa por « Tu não tens possibilidades financeiras para comprar um Game »

          Tens duas opções ou compras ou pedes emprestado.

          Supomos que não consegues emprestado, também não o vais comprar porque não tens dinheiro.

          Tu tens a possibilidade de conseguires emprestado, e usufruis do Game emprestado, portanto, não consegues comprar, mas consegues emprestado, agora diz-me onde isto prejudica as vendas ou o direito do autor? Se não consegues emprestado e se também não o consegues comprar, diz-me onde isto está a prejudicar o Autor do produto.
          Enfim, não vale apenas bater no seguinho.

        • Rosmaninho says:

          http://techcrunch.com/2013/03/21/study-pirates-rejoice-illegal-downloading-doesnt-impact-digital-music-sales/

          Pois, essa teoria de que a pirataria afecta os autores ainda está longe de ser provada.

        • Se não fosse o P2P as coisas nunca teriam metade da fama que têm, não sejam ingratos.

      • JJ says:

        Isso concordo… desde que ninguém ganhe dinheiro.

        A meu ver o problema esta ai. Muitos do sites de partilha, acabam por ganhar dinheiro com o conteúdo dos outros.

      • justanotherone says:

        Gualter, a tua analogia não se aplica.
        Se partilhares um CD com os teus amigos, existe apenas uma copia, e desse modo, apenas uma pessoa de cada vez pode usar, não milhares em simultaneo

        • ER says:

          Isso é porque não hácontacto físico com essas pessoas. Se reunisses dezenas de pessoas, partlhavas o conteúdo com elas à mesma. emprestavas a todas. Simplesmente a internet torna as coisas mais rápidas.

    • Prodígio says:

      Concordo. Andavamos aqui a trabalhar para aquecer. A partilha total de conteúdos é subjectiva.

      Contudo, também concordo com alguns projectos freeware. Acho que há mercado para tudo, e cada caso é um caso.

      No caso da Indústria discográfica (e a cinematográfica) que é o mais sonante alvo da pirataria, a mesma obrigou a própria indústria a remodelar-se, e passamos de um sistema cheio de intermediários, para um sistema quase directo através do iTunes, Beatports, etc. No caso do cinema, o video-on-demand.

      • João Dias says:

        O freeware e o open source, fazem com que se aumento a qualidade, contudo é um assunto completamente diferente do p2p

        • Pedro says:

          Concordo plenamente com o usuário João Dias…

          As pessoas têm tendência para confundir as coisas em seu beneficio. A Internet deve ser livre, mas apenas no sentido em que todos devem poder ter acesso a ela. Não quer dizer, que se deva partilhar tudo através da mesma.

          Eu sei que dá jeito, é mais confortável fazer download do que gastar dinheiro, mas será justo para quem trabalhou na produção desse produto?! É claro que não…
          E de certeza que as pessoas que trabalham na industria do audiovisual sabem o que custa produzir um filme, uma musica, um jogo, um software… e há pessoas que simplesmente não percebem isto.

          É claro que fiz e por vezes faço download, por exemplo de software, principalmente quando estes não têm versões trial… não vou ser hipócrita, mas o que me mete confusão é as pessoas que dizem que assim é que é, e que a Internet é liberdade, e que as coisas são para ser partilhadas!

          E depois acho imensa graça, às pessoas que dizem que fazem download porque as coisas estão caras, como se falassem de um bem essencial. É o mesmo que dizer, ah os ferraris são caros, portanto vou roubar o primeiro que me aparecer à frente…

          Enfim… sinceramente, não gosto da ACAPOR, porque funcionam como o Governo, procuram alvos a abater em vez de encontrar soluções. Mas também acredito, que a maioria dos portugueses, mesmo com um serviço tipo Netflix, iriam sempre optar pelo download… portanto não é só a ACAPOR que tem mentalidade retrograda…

          • Gaius Baltar says:

            Creio que a tua posição é muito racional. Não creio que toda a gente que comentou ou comentará aqui tenha baixado conteúdo protegido por copyright ilegalmente. Mas não quer dizer que estejamos confortáveis ou achemos que é mesmo assim. Há muitos tons de cinzento (e não refiro-me ao livro 🙂 ) entre o preto da ACAPOR e o branco dos defensores da partilha total de conteúdos.
            Se eu não pago nada ao developer de uma app como o indivíduo paga suas contas? Não falo de empresas que têm um modelo de gestão focado na publicidade, como a Google ou o Facebook. Estas podem oferecer um serviço o software “gratuito” pois ganham dinheiro com nossa privacidade.

  13. lipex says:

    É triste ver um fórum de partilha de informação fechar devido à ignorância de certas entidades..

  14. Mike Litoris says:

    Novamente o homem que seduz está em cima do acontecimento.

  15. Artur says:

    é triste que uma grande e reconhecida identidade de produtores de azeite feche as portas

  16. Hugo says:

    A nossa liberdade termina onde começa a dos outros. Por outras palavras, se eu criei algo com prespectiva comercial, não vou desejar que estejam a partilhar ilegalmente, prejudicando-me.

    • Mike Litoris says:

      Explica-me por favor, à luz da tua explicação por que motivo tenho de pagar uma taxa sempre que compro um cd ou dvd a uma associação da qual não tiro qualquer beneficio.

      • Pedro says:

        Pela mesma razão que tem que pagar imposto ao estado quando compra um carro, pela mesma razão que tem que pagar imposto quando compra uma casa, pela mesma razão que tem que pagar imposto quando ganha o EuroMilhões…

        É giro dizer que se faz download porque as coisas são caras, o problema é que as pessoas querem ter tudo. É melhor sacar 40 CDS de musica em 6 meses, do que poder comprar apenas 2 ou 3… eu percebo… Mas não deveria ser essa a mentalidade das pessoas.

  17. António Pereira says:

    Gostava de ver alguns representantes de livrarias e editoras a processar o Sr. que confirmou publicamente ter recorrido a fotocópias de obras durante a sua licenciatura.

    Curiosamente é o mesmo crime pelo qual a ACAPOR anda a atirar a toda a gente.

    Hipocrisia …

  18. Palavra do senhor says:

    Caríssimos,

    Vamos lá falar a sério…eu não trabalho para nenhuma ACAPOR nem nada que se pareça…mas voces acham mesmo que é errado fechar um site de partilha de conteúdos piratas?? Eu também usava, bem como faço downloads de torrents, mas não é correcto. Desde livros, passando por software, música, vídeos, estamos a obter material sem pagar. Que diriam se o vosso pai ou mãe trabalhasse numa livraria e não vendesse praticamente livros porque eles estão publicados na net e toda a gente faz download? Depois iam às associações pedir comida porque não tinham dinheiro, certo?

    Que diriam se o vosso pai ou mãe trabalhasse, por exemplo, numa pequena empresa de software e fossem despedidos simplesmente porque o único produto/software que fabricassem fosse alvo de pirataria e estivesse gratuitamente disponível em sites de P2P? lá iam voces novamente à misericórdia buscar comida e roupa usada (atenção, não há vergonha nenhuma nisso, e ainda bem que há instituições que o fazem para quem precisa).

    Eu acho bem que estes sites acabem pois violam a lei, prejudicam muita gente, colocam em risco postos de trabalho. Acho muito mal que serviços como netflix e afins não existam em Portugal. Acho mal canais como a sport tv não ter servilço de pay-per-view, pois ganhavam mais…o que aconteçe é que toda a gente usa sites de streaming para ver os jogos (mesmo com pior qualidade, é mais barato que pagar 28 euros mensais).

    Os tempos mudaram e a indústria tem de se adaptar aos novos paradigmas da sociedade e necessidades dos consumidores.
    Se eu tivesse um serviço por 5 euros mensais para ver uma série de filmes e séries, nem me dava ao trabalho de andar a sacar torrents!! Simplesmente pagava e acedia (sem problemas) aos conteúdos!!

    Esta é apenas a minha opinião. Há quem concorde, há quem discorde…por isso mesmo é apenas uma opinião!

    • Gualter says:

      Podes até ter razão em parte, mas repara:
      De acordo como está o País, muita gente nem para comer tem dinheiro, repara, se nem para comer tem dinheiro então para comprar um livro/filme(…) teria, agora imagina, a quantidade de pessoas sem informação ou cultura que iríamos ter no nosso país, apenas os ricos teriam acesso a essas “informações” algo que as outras classes nunca iriam conseguir ter, portanto, pela lógica, só os ricos seriam cultos, só os ricos estariam informados, e passaria a ser tudo como antigamente, os pobres seriam os “burros sem cultura”.

      Discordo, desde que não se ganhe dinheiro com isso, deveria haver liberdade de partilha.

      Partilha nada tem a ver com vendas, se se vende pouco ou muito, até pode não haver partilha e continuar-se a vender pouco, porque trata-se de pobreza e não de partilha.
      Acredita que uma pessoa que tem muito dinheiro não precisa de estar a pedir coisas partilhadas, logo pode comprar, já uma pessoa que não tem dinheiro jamais poderia comprar, logo, mesmo que não houvesse partilha essa pessoa jamais iria comprar.

      • João Dias says:

        Diz-me um produto de cultura com fama no p2p?

        • Tavanez says:

          Queres listas de manuais universitários?

          • João Dias says:

            Achas isso correcto?
            É o trabalho de alguém?
            Se tirares direito, vais trabalhar Toda a tua vida pro-bono?
            Comes do quê?

          • Tavanez says:

            Se acho correcto?
            Não, mas também não acho correcto que algo que se produz a 10€ seja vendido a 60 e não me venham com conversas que é a margem de lucro de quem tem o trabalho na produção e que só compra quem quer, porque hoje em dia o que é pago por um produto não reflecte nem os custos nem o trabalho dos autores que não beneficiam do preço final…
            E também não acho correcto que para estudar seja necessário ficar enterrado em dividas se só optares por materiais ditos “legais”.
            E posso muito bem comer do que produzo sem intenção de venda…

        • Canelas says:

          Pergunte ao Nuno Pereira se compra originais. Aliás, qd ele andava na faculdade sempre usou fotocópias. Já que anda com isto, devia ter dado o exemplo. Não lhe parece?

      • Pedro says:

        Caro Gualter,

        O seu comentário é muito bonito, mas irrealista… Essas pessoas que não têm dinheiro para comer, também não têm dinheiro para ter computador ou Internet… aliás, muitas vezes, são aqueles que melhores posses têm, que mais depressa recorrem à pirataria.

        O problema, é que as pessoas não se contentam em comprar um filme de 2 em 2 meses, em ir ao cinema de 3 em 3, ou em comprar um CD de musica por mês.
        Os jovens não se contentam em ter um videojogo, muitas vezes nem acabaram um e já estão a fazer download de mais dois ou três…

        Agora diga-me… pondo a situação ao contrário, acha justo que uns paguem pelas coisas e outros “mais espertos” as tenham de borla?!
        Acha justo por exemplo, você ter uma ideia para um software, gastar meses de trabalho, e depois ver o seu trabalho distribuído de graça quando era suposto este lhe dar lucro?!

        É que não sejamos hipócritas, quem é que trabalha e não pensa em obter o máximo de lucro que conseguir? Quem é que trabalha e não se importa com o que vai receber ao final do mês?! Quem é que trabalha e vai dizer ao patrão que não quer receber nenhum aumento porque aquilo que ganha já chega para os seus gastos?!
        Ninguém… sejam realistas… as pessoas trabalham para obterem o máximo de rendimento possível, para depois poderem ter aquilo que desejam.

    • Tiago Santos says:

      Discordo e concordo…

      Discordo que seja errado partilhar filmes/series/livros pois a partilha existe desde sempre, apesar de a internet te permitir a partilha com milhões de utilizadores.
      Concordo que os serviços tem de se adaptar pois uma pessoa já não tem disponibilidade para seguir a sua série na fox (i.e.), estes serviços tem de se adaptar aos novos mercados. Tens exemplos de serviços que continuam a comprar (steam, novos serviços zon /meo que te permitem andar para trás), ou novos modelos que têm dado lucro às suas empresas como LOL na riot (jogos) ou Ubuntu na Canonical…

      • João Dias says:

        Cuidado com o português (Discordo que seja errado partilhar filmes/series/livros pois a partilha existe desde sempre)

        Pode ler-se… (Discordo que seja errado matar pois a a vontade de o fazer existe desde sempre)

        • Jose Silva says:

          Então e se eu comprar um filme, que ganhou os oscares todos, vejo na televisão que é o melhor filme alguma vez feito, bla bla bla… chego a casa pego no dvd, e demoro 4 ou 5 dias a vê-lo por adormecer a ver a pior porcaria alguma vez feita… posso ir à loja devolvê-lo? quem defendeu os meus direitos nesta publicidade enganosa?

    • Rik says:

      muito bem dito

  19. radktic says:

    O problema é que os membros do NM faziam os propios uploads, e releses, foi isso que estragou tudo, e na entreviste ele ainda confirma isso. Mas há que dar o merito, porque lançaram muita release, desde filmes a gps’s 😛
    Já a algum tempo que não ia lá mas tinha bom conteudo apesar de não gostar da organização do site.
    Como alguem disse fecha 1 abrem 2.

  20. JJ says:

    Não apoio de todo ACAPOR e ao mesmo tempo não concordo em muitos casos como a difusão de conteúdos (vulgarmente chamado de pirataria) é feita.

    Referente a filmes/series/musica, se fizer-se o download, vê-se e apaga-se, não gravando em suportes físicos (DVD) nem vendo a outros e por sua vez o site onde se encontrava o mesmo NÃO GANHAR qualquer valor por isso, na minha opinião não devia ser considerar de forma geral um acto de pirataria/ilegal. Pois muitas vezes, ao ver esse filme, serie ou ouvir a musica, vai causar uma possível comprar. Pode vir a comprar o filme ou a serie em suporte físico, e no caso da musica fazer as pessoas irem ao concerto e até comprar o próprio CD, como muitos estudos tem comprovado.

    No caso do software… é diferente, ai sim acredito que cause mais prejuízos as empresas, porque a única forma de ganharem dinheiro é a venda do software.

    Mas é entre estas duas industrias que se tem visto a diferença entre quem evolui no tempo e que não evolui no tempo.

    Enquanto que as empresas de software, tem procurado lançar produtos mais difíceis de “piratear” e soluções mais atractivas, bem como em alguns casos a redução do preço. Nas empresas do audiovisual, estão claramente paradas no tempo. Não apresentam alternativas mais eficazes para combater a “pirataria” e a única coisa que tenta fazer é processar tudo e todos, disparando em todos os sentidos tentando recuperar de um suposto prejuízo.

    Por isso é que é raro, empresas de software virem a publico reclamar da pirataria (apesar na minha opinião terem mais prejuízo), em contra partida as empresas de filmes e musicas estão sempre a se queixar.

    O NM, nunca usei…

    • João Dias says:

      O custo de prevenção de pirataria em audiovisual, é muito alto, dai não compensar esse investimento.

      Existem formas com o iTunes de pagar valores muito baixos por conteúdo audiovisual.

      Essa sim é a solução.

      • JJ says:

        Mais económico implementar protecção anti pirata no software? Não é bem assim, por exemplo muitas empresas tem apostado a ligação aos servidores para o software funcionar, isso vai obrigar comprar servidores e assegurar a sua manutenção, despesa que não tinha e vão passar a ter para sempre.

        Num filme/serie/musica, se abaixar o custo de venda, se utilizares a publicidade como forma de ganhar dinheiro, o produto em si não precisa ter um custo alto. E as despesas serão sempre as mesmas, quer o cd/dvd custe 10€ ou 50€.

        Existe muita forma de ganhar dinheiro com filmes/series/musica. Por exemplo, filmes/series o maior ganho que tem é das marcas que patrocinam o filme/serie, com o carro, PC, telemóvel que aparece. Alem dos cartazes que podem aparecer quando as cenas passam na rua, etc. Ou seja existe uma fonte de receita, que pode muito bem custear as despesas e ainda ganhar dinheiro.

        No caso da musica, pode ser um pouco mais complicado, mas porque não haver publicidades nos “livros” que vem com o CD com as musicas? Porque não, o CD não conter 1 ou 2 faixas de 15/20 segundos de publicidade? Talvez pode ser uma ideia estúpida, mas se o CD fosse grátis, eu não me ia preocupar com isso. Alem de poder existir uma versão sem essa publicidade a pagar. Depois ganham dinheiro com a ida a TV, concertos e discotecas.

        No mundo dos jogos, os jogos podiam ser gratuitos, mas havendo publicidade. Por exemplo no jogo FIFA a publicidade a volta do campo, podia sendo alterada (com a ligação a net) gradualmente gerando uma receita continua a EA. Ou então um jogo de carros, onde os cartazes, também podiam mudar.

        O restante software, se começar a praticar preços mais baixo e criar formas de subscrição, género Oficie 360, certamente vão ganhar mais compradores.

        Existe muitos modelos de negocio que podem ser aplicados, tem é que haver iniciativa e vontade por parte das industrias.

      • Gil says:

        Concordo plenamente, musica e video on-demand é a solução para a venda/aluguer a baixo custo.

        Mas a ACAPOR quer que as pessoas vão ao video-clube. Se eu usufruir de um serviço VoD é claro que não me vou deslocar ao video-clube para alugar filmes/series. A ACAPOR ficou com o formato desactualizado dos video-clubes e pensa que ao fechar sites deste tipo as pessoas vão automaticamente a correr para o video-clube.

  21. João Dias says:

    O pplware, é a prova de que podemos ter conteúdo gratuito e de qualidade.

    Para os que vivem de p2p, sugiro que leiam e coloquem em prática os tutoriais que existem aqui neste site sobre o rasperry pi.

    Se todos contribuir-mos para o open source ou qualquer outro tipo de projectos, o mundo seria um pouco melhor, não estaríamos limitados ao que os outros produzem.

    E por sua vez não morreríamos estúpidos.

    • José Almeida says:

      Concordo plenamente com o que disseste.

    • Canelas says:

      Claro que o PPLWARE é bom exemplo. Mas a ACAPOR não é e nunca foi. Arranjou guerras com os ISP’s por causa dos videoclubes, criticou as plataformas online de filmes e recusou evoluir. Isto é algo que não se pode nem se deve tolerar.

      • João Dias says:

        Não falo da ACAPOR porque não falo do que não conheço, mas temos de convir que não produzimos…

        Estes amigos que contribuem aqui no pplware merecem os nossos donativos (nunca o fiz peço desculpa) mas eles fazem algo que mais nenhum site dito institucional faz.

  22. Miguel Lopes says:

    Aleluia que fecharam esse forumzito. Era a pior coisa que poderia haver na internet. Pirataria é crime !!!!
    Deveriam proibir toda a pirataria. O que é original é que é TOP 😀
    Esse Miguelito andava a ganhar dinheiro à custa dos outros, morava em Viseu, e estudou no Politécnico de Viseu, na Escola Superior de Saúde. Todos o odiavam pelo fórum de lixo que tinha.

    Fiquei mesmo contente =D

    Obrigado ACAPOR!

    • Passos Coelho says:

      nem toda a gente se pode dar ao luxo de ter tudo original…

      • João Dias says:

        não me posso dar ao luxo de ter um bmw, mas também não o vou roubar…

        • José Almeida says:

          Exatamente, concordo plenamente com o João.
          Se tiver uma ideia, e por em prática. Não quero ficar prejudicado e que andem a passar cópias pela internet, e a minha ideia vir abaixo, e sendo um sucesso na pirataria.
          Falo muito disso, porque sou programador avançado. Faço programas nas quais já vi ser pirateado pela internet.
          Se eu não posso ter um mercedes ou bmw, não vou roubar, prefiro ter um carro que se enquadre com o meu salário como é óbvio, e o João tem toda a razão.

        • Nuno Mesquita says:

          Porque não podes… se desse para sacar BMWs da mesma maneira que ando na estrada com MP3 era certinho

    • Nuno Mesquita says:

      tens é uma dor de cotovelo que até daqui dá para ver, um grande bem haja Miguelito, tudo de bom, espero que um dia voltes em força

      Quem não gosta de sites piratas tem muito bom remédio vai a lojinha e estoura 60€ num blueray, aqui ninguém teve de se livrar de cassetes e depois das cassetes os DVDs? eu não gasto nem mais um tostão em suporte físico… já viram as novas TVs 4k? 4x1080p? mais uns tempinhos e o BlueRay tem os dias contados, ai vão eles trocar tudo outra vez…

      • João Dias says:

        Não se trata de dor de cotovelo como descreves, e sim de bom senso.

        A pensar dessa forma, os outros são obrigados a criar conteúdos gratuitamente para o menino poder usufruir? E o dinheiro para pagar actores, caracterizadores, figurantes, mideas, etc?

        Cinceramente, vivemos num mundo de hipócritas. Como já se disse aqui, que nunca te vejas sem trabalho por causa de um grupo de pessoas usou um produto sem pagar, comercializado pela tua empresa.

        • José Almeida says:

          Exactamente, como eu digo. Ele não é criador, logo não dá valor a isso. Porque se “roubassem” o trabalho dele, pensaria 2 vezes antes de dizer asneiras.

        • Nuno Mesquita says:

          Dá-me um exemplo de uma empresa que tenha um produto fora de série que foi ao charco por causa da pirataria, ou uma produtora de filmes/jogos/aplicações, só um exemplo…

          • RaCcOn says:

            Meu caro, tens imensos projectos que nunca chegam sequer a ver a luz do dia devido a pirataria…

            Como é natural muitos não estão para investir o seu tempo e dinheiro sem uma garantia mínima de retorno.

        • André Ferreira says:

          Pá, gosto do teu moralismo, mas deixa- me corrigir- te aqui em dois pontos:

          1º. Escreve- se Sinceramente e não Cinceramente. :X Fica- te mal esse moralismo todo na teoria, mas a escrita ser uma vergonha.

          2º. Concordo contigo na parte do: “pagar a pagar actores, caracterizadores, figurantes…”, mas a parte do etc onde se inglobam editoras que ganham mais do que os proprios actores, estado portugues, leis de tudo e mais alguma coisa, mamões que por ter um selo num jogo encarecem- no 15 euros…. Não, isso não concordo.

          Tenho pena é que o pessoal ainda não tenha reparado nisso.

          P.S.- Alternativas ao ne-miguelito, exitem?

          Cumprimentos;
          André Ferreira

          • jafui says:

            Boas.
            *actores, atores.
            *inglobam, englobam.
            *proprios actores, próprios atores.
            *portugues, português,Português
            Não faças/digas aos outros o que não gostas que façam/digam a ti.
            Desculpem pelos meus erros, mas só estudei em Portugal até aos meus 12 anos.

      • José Almeida says:

        Amigo, você não deve ser criador. Se você fosse a criar, de certeza que não gostaria de ver o seu sucesso a ser pirateado.

        • Nuno Mesquita says:

          Deixa cá ver uma aplicação muito pirateada, hummm já sei: Windows e vá lá IOS.

          entre cracks e JailBreaks essa gente está mesmo nas lonas não está, se pudesse trocar a minha situação financeira pela dos CEOs destas empresas, era já!

          • João Dias says:

            Espero que nunca venhas a ter problemas com estes softwares.

          • Pedro says:

            Essas empresas não estão nas lonas… mas diz-me, achas que as pessoas devem chegar a um certo ponto de lucro e descansar?! Se calhar assim é que ficam nas lonas… Eu se criar algo, quero ter o máximo de lucro possível e imaginário. Por vezes, é nesse lucro que está a diferença entre despedir centenas de funcionários, fechar delegações da empresa noutros países, ou não aumentar ordenados aos mesmos…

            É de uma hipocrisia extrema, criticar alguém por querer ganhar o máximo dinheiro com algo que foi feito por si próprio.

            A gasolina está cara, vais roubar gasolina? Os medicamentos estão caros, vais roubar farmácias?! Claro que não, mas as farmacêuticas também vivem bem… e os donos das gasolineiras andam cheios de dinheiro…

    • Tavanez says:

      Só te falta aí um “Enviado do meu iPhone pago pelos meus pais” LOL

      Não é que concorde com a pirataria informática a 100%, mas também não posso de forma alguma concordar com a forma como eles se comportam e com as atitudes que têm que na realidade são destinadas apenas a proteger os próprios lucros…

      • Nuno Mesquita says:

        Boa…
        Enviado pelo meu Android que comprei com o meu dinheiro porque não ando a gastar em Filmes a 60€

        realmente fica muito melhor, obrigado.

        • João Dias says:

          60€, que se podem dividir por:
          medias
          actores
          distribuidores
          transportes
          uma miríade de serviços e produtos usados para o fazer.

          Porque não crias tu um filme, com o budget to teu próprio suor? depois vende por um euro ou colocas num site p2p. Vais ver eu mudas de opinião.

          • Nuno Mesquita says:

            Já sei vou criar uma aplicação gratuita de atirar pássaros a porcos e vou ficar pobre, certo?

          • CabecinhaPensadora says:

            Tadinhos dos Actores , estão mesmo pobrezinhos . Que necessidade tem um actor de ganhar 1milhão de dolares por episodio? Devem ganhar mesmo pouco as editoras para pagar isso -.-

        • Pedro says:

          LOL… ok comentário de menino autentico… então, gastar 60 euros em filmes é desperdicio, mas se calhar gastar 200 euros num android não?!

          Achas que a marca desse telemovel, merece mais lucro do que as pessoas que tiveram trabalho e gastaram dinheiro para fazer o filme?

    • Canelas says:

      Não te preocupes. Quando tiveres um site ou blog, quem to fecha sou eu.

    • Artur Burro says:

      Haters gonna hate 😉

  23. XangoMan says:

    Devo de admitir que é um choque para mim, vir hoje a descobrir o encerro do site ne-miguelito. é um site que eu não conheço desde a sua origem, mas que tenho vindo a usar a bastante tempo. tenham eles lucrado ou não com o assunto, isso ai compete apenas a consciência de uem duou dinheiro. apesar de fazer um bom uso da pirataria, sou contra a propria, mas tambem sou contra o preço abusivo que se paga hoje em dia pela mais pequena informaçao que seja. o consumismo hoje em dia é vergonhoso, mas mais vergunhoso é a exploraçao a volta dele. sim pirataria é um erro, mas tambem é um erro obrigarem, ou forçarem-nos a comprar. por exemplo, tenho uma webcam antiga boa e ainda em pleno funcionamento, mas sou obrigado a comprar outra porque o produto esta descontinuado. o que eu quero dizer é que sim, a pirataria é um erro, mas deus queira que se mantenha forte e que continue a crescer para lembrar a estas empresas para não esticarem a corda, porque já abusam que chegue. certa ou errada é a minha opiniao.

    • João Dias says:

      Eu crio um produto e vendo-o ao preço que quero, não é o comprador que vai regatear, o comprador só o compra se quiser.

      A liberdade serve para os 2 lados não só para quem usa, mas também para quem cria.

      • Nuno Mesquita says:

        exatamente e depois de pagar o que tu quiseres pelo conteúdo sou livre de fazer cópias e partilhar com os meus amigos, comprei é meu, muito obrigado passe bem…

        • João Dias says:

          Infelizmente, quando compramos um software e o instalamos, nunca lemos a declaração de direitos durante a instalação, mas é ilegal o que dizes. Pois se não lês o problema é teu, mas está lá.

          • Nuno Mesquita says:

            Na prática é ilegal sim mas,
            nunca li a declaração de direitos, por um simples motivo… o meu dinheiro já está do lado deles o direito deles sobre aquela cópia acabou a partir do momento em que concordei com o preço estabelecido. Depois de pagares o teu carro o fabricante dizer que não podes atira-lo de uma ponte vale o mesmo que nada…

          • João Dias says:

            Nuno, desculpe, mas fez a analogia errada.

            Se se trata de um produto com direitos de autor, não o pode usar como bem quer, paga apenas uma licença para o usar, não está a a comprar os direitos sobre o mesmo.

            São coisas completamente diferentes.

            O mesmo se passa com as músicas, para usar uma música no genérico de uma novela os canais terão de pagar licença para o fazer, não basta comprar um cd e colocar lá.

          • RaCcOn says:

            Nuno Mesquita,

            Não a marca do carro não pode impedir-lo de atirar-lo da ponte…mas pode acusar-lo de crime caso utilize esse modelo para construir replicas desse mesmo automóvel para depois distribuir nem que seja de forma gratuita…

            O carro é seu, a cópia também mas a criação é propriedade intelectual de quem o criou.

            Como já foi dito por vários users, esperemos que se veja um dia debaixo de uma ponte devido a terem copiado uma criação sua.

      • João Rodrigues says:

        Sem querer dar a minha opinião sobre pirataria, e remetendo-me exclusivamente ao comentário do João Dias:

        Nem o mais puro defensor da direita conservadora poria as coisas dessa forma. Até mesmo a cambada do Tea Party reconhece que os mercados têm de ser regulados.

        Os monopólios e Oligopólios na cultura ou em qualquer outra área tem que ser controlados.

        Se eu tiver o monopólio de um medicamento posso vender com lucro para milhões ou vender com o mesmo lucro para meia dúzia. Depende de quanto especule o preço do bem e quão primário é esse bem. A diferença é que no segundo caso poderia estar a matar milhões de pessoas…

  24. Quest says:

    Quais são os outros 3 sites para este ser o 4º os outros devem ser muito bons! Alguém sabe quais são os outros 3’s’

  25. José Almeimda says:

    Obrigado por acabarem com o fórum. Aplicações que fazia, e faço atualmente, os ladrões do ne-miguelito, arranjam crack para terem os aplicativos livres. Não estou a criar as ideias para me “roubarem” e não pagarem o preço do aplicativo.
    Deveriam processar todos os que fizeram uploads ilegais, e que revejam isso e identifiquem-nos. É um crime roubar, pior do que o Governo faz.
    Obrigado ACAPOR! Já poderei aumentar o meu ganho das minhas aplicações sem serem crackeadas.

  26. João Dias says:

    No meu tempo, no tempo do 48k, tinha-mos de criar tudo, pouco havia, lá onde morava até criámos uma revista de jogos para 48k, tinha-mos apenas 10 a 15 anos.

    Hoje em dia, somos preguiçosos, queremos tudo feito, não criamos, exigimos, e ainda queremos de graça.

    A escravatura acabou à muito tempo…

    • Mike Litoris says:

      tinhamos; há

    • José Almeida says:

      Bem verdade João. Eu tenho 22 anos, sou programador informático, ou seja, crio as minhas aplicações.
      A maioria do pessoal hoje em dia, quer tudo feito, a papinha toda na mesa e os pais a pagarem-lhes tudo. Eu com as minhas aplicações que eu crio, ganho dinheiro desde os meus 13 anos.
      Os meus pais não precisam de me sustentar, porque trabalho, crio, não faço plágio nem roubo.

      • João Dias says:

        Se todos produzissem como tu, os preços baixariam, pois haveria mais competição no mercado, mas não, preferem usar o produto de terceiros e acham-se com legitimidade para o sacar e destríbuir.

      • JJ says:

        Se todos fossem como tu… não ganhavas dinheiro… porque não conseguias vender o teu software, porque todos faziam o seu próprio software.

        • João Dias says:

          Se calhar se todos pensassem como eu, já teríamos saído da nossa galáxia, porque devido à concorrência os produtos seriam cada vez melhores. Olha os detergentes ou os champus?

          Como vivemos à “mama” do trabalho dos outros, daqui por 200 anos o homem ainda não foi a marte.

          • JJ says:

            João… acho que já percebes-te que eu não apoio a 100% a pirataria. Também concordo que dentro do realístico, cada um deve fazer o que precisa para si.

            Porque a roupa, os sapatos, os alimentos, o hardware, o relógio, o carro, etc… não és tu que fazes. Lógico, compras para ter.

            Claro que cada um deve ganhar pelo o que trabalhou. Mas todos deviam ganhar um valor justo e razoável…

            Defendo mais, que todos deviam partilhar, dou um exemplo:
            Eu faço um software para um restaurante, o restaurante dava-me refeições. Eu cultivo alimentos e dou ao restaurante, o restaurante da-me refeições. O cozinheiro do restaurante trabalha por gosto e satisfação dele é cozinhar, como é do informático de programar e do agricultor de cultivar. Aplicar isto a toda a sociedade e todas as coisas é que era! Todos estávamos satisfeitos, alegres…

            Enfim… sonhos…

          • João Dias says:

            JJ, esse seria o mundo ideal, até o vizinho do lado ter um mercedes, no dia seguinte tinhas um lexus.

            Infelizmente existe uma moeda e temos de viver com ela.

          • André Ferreira says:

            Man… dasss!! Escreve- se shampoo. Depende lá a acapor, mas com um certo valor. Se o pessoal da acapor sabe que os estas a defender com esse “tuguês”….. ts ts!

      • Sergio Lima says:

        Primeiro, nao me vais fazer crer que nunca fizeste download de 1 filme ou de uma musica,muitos dos autores ate te agradecem que se calhar vais ser +1 no proximo concerto, visto ganharem menos de 1 € em cada cd vendido e kem ganha sao os lobbys e nao eles.
        Segundo, eu tambem sou programador mas com mais idade, mas as linguagens de programaçao de quando eu tirei o curso ja nao sao muito viaveis nos dias hoje. Pascal, turbo C VB4 Cobol. Espero que daqui a 10 anos na tenhas ke gastar o dinheiro que ganhas desde os 13 anos em manuais e em varias distribuiçoes porke nao vem tudo num unico livro para continuares a ser programador, provavelmente o ke ganhas desde os 13 nao te vai chegar, e cuidado a consultar forums e tutorials/how to’s porque isso é partilha e pelos vistos é proibido, eles tambem te devem cobrar por partilhar os conhecimentos deles.

    • JJ says:

      Eu concordo com que cada um produza o seu. Mas isso não deve ser a justificativa para evitar a pirataria.

      Temos de ser realistas.

      Um padeiro, não tem que saber fazer um programa de facturação, por isso tem de comprar, não piratear. Mas talvez ele não ganha dinheiro suficiente para comprar um, porque o seu modelo de negocio o valor de ganho é baixo. Claro que a solução não devia ser piratear, mas sim software a um preço mais acessível.

      Por exemplo um fotografo, não tem de perceber de programação, mas para a realidade actual é precisa um bom programa para trabalhar a fotografia. Ele tem de comprar o programa, mas a maioria dos programas tem preços exorbitantes. Se fossem mais baratos, ele não iria piratear.

      Resumindo, isto tudo não passam de um problema de ganancia e de sociedade, mas não vai mudar assim de qualquer maneira.

      • João Dias says:

        Ora ai está, nem todos temos de ser programadores, mas se os que são se dessem ao trabalho de desenvolver, ai sim terias uma maior escolha e uma maior variedade de preços.

        Tens o primavera por exemplo, tens o free e o pago, depende do teu negócio.

        Tens o gimp e o photoshop, um free e um pago…, mas deveriam de haver mais.

        • JJ says:

          A questão, chega é a outro patamar… quem é que esta disposto a trabalhar sem ganhar dinheiro?

          Por exemplo tu… não sei qual é o teu nível de conhecimento de programação. Mas se tiveres conhecimento para fazer um programa com a mesma qualidade Photoshop, se fizesses seria gratuito? Porque não ser gratuito? Acredito que fazias por gosto…

          Tinha era de se alterar o modelo de negocio a nível mundial para tudo na sociedade!

          Alias, concordo que devia haver muito mais programas bons a competirem… o problema é que no exemplo do Photoshop tens mais dois ou três ao seu nível ou superior, ao mesmo preço ou superior… e os mais baratos tem uma qualidade significativamente inferior. O problema esta, porque não existem mais empresas a produzirem este tipo de software?

          • João Dias says:

            Para um simples programador como eu isso seria complicado.

            Pois criar um produto dessa envergadura sem um budget levaria-me à banca rota.

        • André Ferreira says:

          *defende

      • Ivan says:

        Ora lá está! nem mais!

  27. Norberto says:

    O NM era abusivo, as mentalidades destes sites em Portugal estão a mudar, exemplo disso é o wareztuga que está a erradicar todo o conteúdo que envolva diretamente empresas e direitos portugueses.

    é preciso ter em atenção a influência de cada download em cada conteúdo. Um filme de Hollywood ser sacado por todos os portugueses não tem impacto nenhum a nível mundial para eles, não é por isso se pouca um bocadito que seja no filme quanto mais não fazê-lo. Já um filme em Portugal se não tiver visualizações no cinema, dá buraco dos grandes. A mesma conversa com bandas e a história dos livros… isso é ridículo, vou à biblioteca e não pago direitos nenhuns a ninguém e 1 livro dá para imensa gente… se calhar para calar esses m###as da ACAPOR também deveriam criar videotecas e aí onde estava a moral para se queixarem da partilha???

  28. Antonio Tavares says:

    Aqui na alemanha,por descarregar o Django no KAT,passada uma semana recebi uma carta para pagar 850€!!!
    Ficou por 600€!! tou a pagar 50€ por mês…
    Agora,só com TOR

  29. JORGE says:

    Será que so conheco estes sites dps de fecharem? Fogo

  30. Manuel says:

    Foi bom enquanto durou.

    Agora é partir para outra!!

    • José Almeida says:

      Agora comecem a trabalhar, chega de malandrice que é o que Portugal mais tem.

      • Canelas says:

        A ACAPOR trabalha?? Ou vive das cotas de associados?! Eu penso que é mais a segunda opção.

      • Ivan says:

        Eu quando for grande quero ser como tu, a serio que quero!!

        Um trabalhar nato, altamente profissional, um cidadão exemplar, que nunca fez downloads, que nunca cometeu um crime por mais pequeno que seja!

        José Almeida a 1o ministro! JÁ!!

        • José Almeida says:

          Pessoal acordem para a realidade. Se querem ter as coisas, há que dar corda aos sapatos e começar a trabalhar. Eu fui uma pessoa que para ter o que tenho, tive de lutar, e desenrascar-me legalmente. Se não tivesse possibilidades, não iria roubar certamente.

          • Canelas says:

            Se não podemos comprar e nem podemos pedir emprestado como podemos obter as coisas legalmente?
            Lembre-se que a crise é GLOBAL e que o desemprego não para de subir.

          • André Ferreira says:

            Eu não sei que idade é que este José Almeida tem, mas gostava muito de te enfiar tres bananos bem assentes nessa cara para tu acordares para a vida. Parece- me que tu não sabes o que é dificuldades na vida. Deixa- me lá ver a tua vida assim em duas frase. Nasceste, foste para um colegio privado porque o teu pai é dono de uma empresa qualquer e anda de Mercedes. Lá te conseguiu pagar um curso numa privada qualquer, dás uns toques num visual basic e dizes para o resto do pessoal para ir trabalhar?

            Deves de ser familiar de um ministro qualquer, só pode.

            P.S.- Aposto que vai contrariar tudo o que disse e ainda dizer que a infância dele foi muito complicada.

        • João Dias says:

          A crise é desculpa para a pirataria…

          • Canelas says:

            Mas é desculpa para as pessoas não comprarem. Sobretudo qd os preços são muito altos.

          • Carlos Vidal says:

            Este João Dias deve ser o senhor da Acapor infiltrado…

          • vv says:

            ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão

          • RaCcOn says:

            Canelas,

            Não sei se trabalha nem em que área mas não acha que o seu salário é demasiado alto?

            Estamos em tempo de crise, e talvez o Belmiro e Azevedo tenha razão…
            Há que baixar os salários e é se querem ter trabalho…

            Meu caro, pense antes de falar…antes de querer tirar aos outros pense se gostaria que lhe tirassem a si.

      • Manuel says:

        Malandrice ou Malandragem??

        O País poderia estar muito melhor se os associados desta associação declarassem na integra as suas vendas e assim pagarem os respectivos impostos!

        Essa é que é a verdade do teu País! Um País de foragidos aos impostos que se tornam “virgens enganadas”.

        Sabes lá tu o que é trabalhar, pá!!!

    • Canelas says:

      Keep calm que DEUS faz milagres e a esperança é a ÚLTIMA a morrer!! Eu tenho fé que eles regressam. Diziam o mm do wareztuga, do oxé, do TPB e de tantos outros.

  31. ??????? says:

    Já agora quando é que vai a ACAPOR vai meter um processo crime, e fecha o governo?
    Ou será que esses não roubam?
    Será isto um Estado Democratico em que quem rouba milhões escapa impune e quem luta pela liberdade é perseguido por crime.
    Acho que é tudo a mesma coisa esses senhores são amigos uns dos outros e o seu verdadeiro objectivo é encher o proprio bolso, e quanto menos o povo souber melhor.

  32. Luis M says:

    Eu nao quero deitar mais achas a fogueira.

    Queria no entanto dizer isto: o ordenado minimo em PT são 485 euros. Façam as contas e digam-me em percentagem quanto custa uma ida ao cinema, um DVD original , um windows original e por aí adiante em Portugal. Depois façam a mesma conta para Alemanhas, Uk´s ….

    As coisas são muito diferentes em Portugal. Se fizerem as contas a unica conclusão que se pode tirar é que o Estado quer que sejamos todos burros e retrogados porque o acesso a cultura e informação legal em Portugal é carissimo! Não se pode pensar de outro modo…

    De qualquer forma nao defendo a pirataria, cada um que escolha o caminho que quer seguir.

    PS – Eu tambem ja ouvi uma historia real de quem na Alemanha sacou um filme e recebeu carta para pagar 800 euros!

  33. eu mesmo says:

    o mal disto tudo é só um… o lucro não chega para todos… e de preferência lucros bem altos, 500000$ por mês etc etc se chegasse para todos já podiam ser piratas à vontade que não havia qualquer problema. a natureza criou a pirataria para combater a ganancia. é o equilíbrio… é o equilíbrio….

  34. J says:

    …e depois ia haver tanta oferta que o que vos iam pagar não dava para a vossa comida.

    Eu percebo que quem cria deve ser recompensado. O problema realmente está nos piratas: associações, distribuidoras e outros intermediários…

  35. sanol says:

    Pelos comentários que tenho lido das duas três: ou somos todos informáticos/programadores, ou somos todos ricos! Eu se fosse a comprar todos os conteúdos que gostaria de “consumir” não ganhava para comer.

    Mas eu agora sou obrigado a saber fazer programação?! Tenham juízo e pensem antes de escrever!

    • Ivan says:

      Epá se o José Almeida te lê!

    • Norberto says:

      ainda não são 4 da tarde, as pessoas que aqui estão, ou são estudantes, ou uns tótós de trabalham em casa ou uns preguiçosos desempregados que deviam estar à procura de emprego

      • João Dias says:

        Em qual das categorias te inseres?

        A internet serve para isto mesmo, partilha de opiniões e não só para partilhas ilegais.

        A internet serve para adquirir conhecimento, enriquecer o nosso intelecto, coisa que hoje não vi aqui ainda, esta conversa toda fez-me regredir uns 10 anos…

        Não interessa se estou a trabalhar, em casa ou a estudar, interessa sim estar a dar a minha opinião sobre algo que acredito, a algumas pessoas que possívelmente nem barba ainda têm, e que nem um vislumbre possuem do que é a vida, fora da faculdade ou fora da alçada dos pais.

        Trabalhador, pai, marido e desenvolvedor, adoro o que faço e defendo o que faço.

      • Canelas says:

        Ou talvez não temos padrinhos e boas cunhas para arranjar emprego como TU.

        • João Dias says:

          Não fales do que não sabes, o que tenho vem do meu suor, nunca tive de pedir trabalho a ninguém, tenho muitas vezes de quase suplicar para que me paguem, porque depois do trabalho estar feito não querem pagar.

          Se tivesse cunhas não andava pelo país todo a trabalhar, a suar o sustento da minha casa, não vivo nem nunca vivi ás custas de ninguém.

          Falamos de pirataria ou de assuntos pessoais?

          • Canelas says:

            Eu falo daquilo que sei. O Norberto fez uma pergunta e eu respondi.
            O que você faz é consigo. Eu não quero saber. Se tudo o que tem foi alcançado por si, ainda bem.

    • João Dias says:

      Pela sua forma de pensar, se não sabe cultivar vai assaltar uma mercearia…

      Se não sabe programar paga a licença para usar o software que eu criei amigo, e estou no direito de o defender. Se o dono do software o denunciar por roubo, ele é que é o infractor?

      • Canelas says:

        Sabe o que fizeram algumas empresas? Baixaram o preço dos produtos. Resultou e hoje estão com mais clientes. Pensem reformular o negócio. Isto que faz a ACAPOR só irrita as pessoas.
        A ACAPOR não deve os que têm mérito (autores). Defende os seus bolsos.

        • Canelas says:

          Correcção: Sabe o que fizeram algumas empresas? Baixaram o preço dos produtos. Resultou e hoje estão com mais clientes. Pensem reformular o negócio. Isto que faz a ACAPOR só irrita as pessoas.
          A ACAPOR não defende os que têm mérito (autores). Defende os seus bolsos.

        • RaCcOn says:

          Ora dê lá uns exemplos dessas empresas?

          Estudos?Dados?Antes e depois da baixa de preços?

          Onde estão?

          Concordaria em baixar o seu salário?

      • sanol says:

        Totalmente errado caríssimo. Se não sabe cultivar ou aprende ou compra. Agora já ouvi aqui comentários a insinuar coisas do género “esta malta e tudo uma cambada! Se soubessem programar é que eram Homens!”

        Eu aprendo a programar e você aprende finanças. Assim eu deixo de comprar aplicações e você deixa de usar os bancos e o contabilista.

        Parece que o maior mal do mundo é a pirataria!

      • José Almeida says:

        Exactamente, o windows 8 saiu, eu paguei licença. Se fosse eu o criador não gostaria que andassem a fazer cópia ilegais do que eu fiz. Se não pudesse comprar, continuaria com linux. É open source. Temos nos adaptar às nossas possibilidades. Muito são filhos dos papás, dão-lhes tudo, e ficam mal habituados. Depois os pais que tanto trabalharam para deixarem bem os filhos, estes deixam as empresas irem abaixo. E porquê? Porque tiveram tudo e não precisaram, depois foram gastando, e quando derem conta, a empresa já não tem asas para levantar, no que resulta o desemprego de muitos.

        • Mário Silva says:

          Sr. José Almeida,
          acredito que o sr. e o sr. João Dias queiram defender este tipo de actuações por parte destas e outras associações, e sinceramente também concordo que a produção deve de ser feita com o intuito a lucros, mas como o sr acabou de referenciar adquiriu recentemente o Windows 8. O que o sr não referiu foi que esta versão do windows saiu para o consumidor a um preço 10 vezes mais baixo. O que ainda não foi referido foi que a microsoft não sobrevive apenas do software vendido ao consumidor, mas também com os acordos feitos com as marcas, para os seus computadores saírem com o seu software. Com isto não digo para o sr e todos os outros fazerem os mesmos acordos, mas já pensaram em fazer o mesmo que a microsoft e baixarem o preço do software para que possam angariar mais clientes? Não!!
          Outra situação é a da musica, têm falado dos músicos como se eles ganhassem algo com isto, não meus caros, um musico por cd não chega a ganhar 10% do valor do mesmo. Logo o lucro não vai para quem tem o trabalho de escrever a musica e toca-la! Mas sim para quem tem uma maravilhosa maquina que grava 100 cds por minuto!
          Pensem nisto e reflictam bem sobre os vossos ideais! E no dia que estas grandes associações deixarem de receber por parte dos grandes editores, os compositores e programadores e afins vão continuar a ganhar o mesmo.
          Um bem haja a todos.

    • José Almeida says:

      Não tem que ser programador. É simples, quem não pode comprar, não compra. Eu não vou comprar um bmw quando não tenho possibilidades de comprar. Com a vossa solução, o que fariamm ora nada mais fácil que roubar um. Prontos, e o Mundo andaria assim, roubar uns aos outros. É claro que não vou comer mangas, quando só tenho dinheiro para comer maças. Isto é assim, tudo vai do trabalho de cada um.

  36. Norberto says:

    falam muito das idas ao cinema. mas acham que a ZON se importa com a baixa de visualizações nos seus cinemas?? claro que não! faturam muito mais dinheiro com a internet, se acabar a pirataria muita gente baixa as velocidades da internet, porque sinceramente não vejo qualquer utilidade senão for para fazer download e upload de ficheiros que 90% são pirateados

  37. eu mesmo says:

    ahhh e já me esquecia…. a natureza também criou os ISP e os gravadores de DVD/BR, será que vai doer muito os ISP caírem para 10%? a Internet no futuro vai ser para, entregar o IRS meus caros!!!!

  38. César Assombro says:

    Quem nunca ouviu um CD emprestado, viu um DVD de um amigo, recorreu a uma biblioteca? A partilha de bens culturais sempre existiu. Na era digital, tem especificidades próprias, mas é falso que a cópia de um ficheiro não autorizado seja um ‘roubo’.

    A partilha de bens culturais é uma novidade dos tempos da Internet?

    Claro que não. Felizmente, a partilha é muito anterior à Internet.

    Como se fazia partilha antes?

    De muitas formas. Sempre houve, e sempre há-de haver, empréstimos informais entre particulares. Quem não leu já um livro ou ouviu um disco emprestado? Quem não gravou um disco ou mesmo fez gravação de música a partir da rádio? E também sempre existiram instituições para promover a partilha. Quem não recorreu já a uma biblioteca?

    Mas então qual é a diferença com os meios digitais?

    De facto há uma diferença. É que a cópia digital é uma cópia idêntica, diferente das cópias analógicas, que eram muito aproximadas, mas não idênticas.

    Isso faz tanta diferença assim?

    No caso da música, por exemplo, quem tinha um bom gravador dolby, não nota uma grande diferença. Só que a cópia digital é muito mais fácil (e rápida) de fazer.

    E qual a diferença que a Internet veio trazer?

    A Internet veio permitir a partilha entre pessoas que não se conhecem, em comunidades específicas ou generalizadamente, e através de diferentes tecnologias.

    A partilha pela Internet significa uma violação dos direitos de autor?

    Não necessariamente. A partilha só é uma violação dos direitos de autor se for feita contra a vontade explícita do detentor desses direitos, isto é, quando houver uma infração do copyright.

    Para além do copyright, há outras licenças que protegem os direitos de autor em condições mais flexíveis?

    Sim, Muitos autores põem as suas obras disponíveis na Internet mediante licenças que permitem a partilha em determinadas condições, de acordo com a especificidade da licença. A condição mais comum é que seja dado o devido crédito ao autor da obra. O autor também pode especificar que só permite a partilha se for para fins não lucrativos, ou pode permitir a partilha apenas se a obra for mantida tal como está; mas também pode permitir que a obra seja modificada ou integrada noutra. A mais popular destas licenças é a creative commons.

    Mas há muitas partilhas feitas na net que violam os direitos de autor?

    Há. Isso é uma realidade inegável e incontornável.

    Isso quer dizer que a indústria cultural vai falir toda e os criadores vão deixar de poder ganhar dinheiro com as suas criações?

    Claro que não. Há um enorme exagero, um verdadeiro terrorismo em relação aos efeitos destruidores da chamada “pirataria”. Em geral são as grandes indústrias culturais, como as empresas discográficas ou as produtoras de cinema, que mais fazem esse tipo de terrorismo, porque de facto há partes do seu negócio que estão a ser afetadas e elas preferem criminalizar a partilha a mudar, a inovar. Os autores reclamam muito menos, e há muitos autores que têm uma atitude oposta e que consideram que a partilha beneficia a divulgação da sua arte.

    Se quiserem, leiam na íntegra esta opinião bem interessante relacionada com este assunto que já mete nojo de partilhar algo via net no seguinte link:

    http://www.esquerda.net/dossier/perguntas-e-respostas-sobre-partilha-de-ficheiros-na-internet

    • João Dias says:

      copyright: direitos sobre a cópia

      • sanol says:

        Tu compras tudo, não pedes nada emprestado, não emprestas nada a ninguém, não fazes downloads, pedes factura em todo o lado e não dizes asneiras! Sim senhor, um verdadeiro cidadão exemplar.

        Desculpa lá mas eu desses desconfio sempre!

        • João Dias says:

          Nunca leste que era santo, mas não defendo os direitos de autor.

          Por acaso não digo asneiras, mas isso é mau?

          Fui bem educado, ou não?

          Trabalho por conta própria, pago 23% do iva e mais 21% de segurança social. Para muitos de vós viverem ás custas do que deixo todos os anos lá.

          Peço factura até de um café, é o meu direito, se posso ir buscar 5% porque não?

          Já lá o coloquei e posso reave-lo no final do ano, grão a grão enche a galinha o papo.

          Não vivo acima das minhas possibilidades, as minhas férias cingem-se a viagensitas por Portugal, mas o que sobra consigo pagar a licença do meu mac, a licença do meu windows, e todas as apps que descarrego para o iPad e iPhone, dispositivis esses comprados com o suor do meu corpo. Porque sou pago pelo produto que disponibilizo ou pelo meu serviço. Se me dessem um cacho de uvas ou um queijo por cada serviço, como pagava o colégio da minha filha? Como pago o selo, seguro e combustível do carro para ir trabalhar? Ou como pago o passe?

          Não compro roupa nas feiras, porque apesar de ser mais barata, está a fechar fábricas e a colocar familiares meus e “seus” na rua, que sem receberem não têm como alimentar os filhos. Porque o estado paga pouco, porque existem muitos a viver ás custas do suor dos outros…

          Bem já me alonguei penso que por hoje chega.

        • José Almeida says:

          Amigo, se todos pensassem como o João Dias, o País não estaria assim certamente. Agora 90% quer tudo fácil, não vamos a lado nenhum. Só nos arrastamos para o buraco negro.

          • sanol says:

            Não me venha com moralismos por favor!

            Você tem 3 opções disponíveis: ou compra e paga o “produto”, ou obtém-no de borla e poupa o dinheiro ou gasta-o noutra coisa qualquer, ou não compra. Não me venha dizer que em 100% das vezes escolhe “comprar” ou “não comprar”!

          • Canelas says:

            Claro… e vai-me dizer que os políticos são uns santos? O mundo está mal e não é pela “pirataria”. É pelos (des)governos e políticos que só sabem fazer porcaria.

    • JJ says:

      Já agora… na década de 90… grava-se o filme que passava na TV numa cassete… e a musica que passava na radio. Era pirataria?

  39. esquim das couves says:

    Eu saco tudo por torrent, desde que o megaupload foi à viola.

    Fecham hoje o site, amanha abrem dois iguais.

  40. LOL says:

    É lamentavel o fecho, mas era previsivel!

    A questão é que isto não é apenas em Portugal, esta evolução atinge a escala mundial, e os criadores, têm de adaptar e criar uma nova realidade para a venda dos seus produtos, e nunca através destas “associações” vulgares que nada fazem para justificar os seus lucros.

    A internent veio alterar a visão sobre o mundo, e todos têm-se de adaptar e não ficar para trás…

    É indiferente o fecho destes sites, quando posso tirar via torrent, na Russia, USA, etc…. É inevitável…

    Estes artistas da ACAPOR, só estão a adiar o inevitavel!

  41. fil says:

    A favor ou contra a pirataria acho que tudo depende do dinheiro que tens. Quem tem muito é contra e quem tem pouco é a favor.

    Eu pessoalmente não concordo com a ideia de pirataria, mas acho que ela é um mal necessário. Sem pirataria o pobre não tinha acesso a cultura dos filmes, jogos, livros, etc…

    Na minha opinião cultura deve ser um bem garantido para toda a gente, a cultura é como a saúde, não deve só os ricos a ter aceso a eles.

    Enquanto existir ricos e pobre vai sempre existir pirataria. Podem acabar com um site, mas vais sempre aparecer mais 2 ou 3 logo a seguir.

    • José Almeida says:

      Cultura temos a biblioteca onde podemos requisitar livros de forma legal. Nada melhor que ler um livro. Temos wikis na internet. Filmes ? Temos a famosa sic, tvi, rtp1. Música ? Temos rádio gratuita, cidade FM, RFM, entre outras. Asério, não sei o porquê de fazerem pirataria :s Quando temos acesso a tudo. Ou porque querem ter tudo ?

    • JJ says:

      Acho que fazia mais sentido, ninguém pagar pelo o saber e pela cultura, quer rico quer pobre. A quantidade de conhecimento devia de depender do tempo de cada queria gastar adquirir o saber e a ser culturalmente “rico”.

      Mas as vezes nem dado as pessoas querem…
      Eu tive em artes no 10º-12º… nós íamos a museus a custo zero, com visitas guiadas. 90% da turma queria era que aquilo acaba-se depressa para ir embora… apenas eu e mais 2 ou 3 é que ficávamos lá depois da visita guiada, porque podíamos visitar o museu todo e não pagávamos! Ou seja a maioria da malta que estava supostamente em artes porque queria… simplesmente se borrifava para as artes quando podia…

      Se é assim, quando é por uma coisa que supostamente se gosto… imaginem quando não se gosta lá muito…

    • João Dias says:

      A cultura é um bem precioso, mas necessitava de ser vista.

      Porque é que os canais generalistas( privados) não colocam programas de cultura?

      Porque o povo gosta de novelas, seguidas com os mesmos actores, gostas de big brothers e reality shows ridiculos, essa é que á a realidade portuguesa, mas ainda estamos a tempo, abram os olhos e eduquem os vossos filhos como foram educados, eu fui educado a ver o custou e o antigo national geografic….

      • José Almeida says:

        Exato, faltou-me dizer isso. Porque haver novelas repetidas, quando poderia dar canais onde ponham em prática a cultura geral. Eu também fui educado a ver programas de cultura, livros de cultura, não a ver novelas que não trazem qualquer favor à humanidade.

        • sanol says:

          Se vivêssemos no mundo perfeito era assim. mas não vivemos nesse mundo. Vivemos num mundo em que se aplica as regras da procura e da oferta. Se o publico procura novelas e reality show’s, é novelas e reality show’s que se oferece. Se não veja-se um simples facto: o canal mais cultural da televisão portuguesa (a RTP 2) é o que tem menos audiências.

          Você na sua empresa não oferece um produto que o cliente não quer só porque acha com aquele produto o mundo vai ser melhor.

          Vai haver sempre pirataria porque a procura da mesma é enorme. Fecha um, abrem dois. E acredite que a mentalidade raiz dessa procura é só esta: se eu posso ter de borla (sem magoar ninguém, não venham com a historia dos roubos!!) para que vou comprar?! E na crise que vivemos esta mentalidade está cada vez mais enraizada.

          • João Dias says:

            O amigo Sanol demorou 12 meses a desenvolver uma aplicação, depois um tuga com a mentalidade referida por si, diz, se posso ter de borla porque vou pagar.

            Depois você, perdeu um ano de trabalho, gastou dinheiro, e esse mesmo tuga ainda pode ir para as redes sociais dizer que o seu software não presta.

            não acho isso correcto, sejamos francos.

          • sanol says:

            O amigo João deve ter feito um estudo de mercado, e nesse estudo de mercado deve ter tido em conta a possível variável da pirataria. Só depois é que deve ter chegado a conclusão se seria viável a venda da aplicação ou não.

            É estes estudos que produtoras como a EA, a Ubisoft ou a Konami fazem antes de desenvolverem um jogo novo porque sabem que a pirataria existe e que tem de viver com esse facto. E não é por isso que não saem centenas de jogos todos os anos. Acredito que também não seja por aí que a sua aplicação não dê lucro.

      • Luis says:

        Há gajos que não devem fazer nada na vida!

      • Gualter says:

        Tas praí a mandar farpas pro ar, sabes sequer o que é cultura?
        cinema, musica etc etc etc também é cultura, não é só o national geografic.
        Ca pra mim deves ser um dos da ACAPOR, so pode.

  42. Andre Pinto says:

    Boas,primeiro venho dizer que foi muito “cliente” do site ne-miguelito.Depois temos que distinguir a “pirataria”para consumo proprio ou para venda externa”negocio”no meu caso posso admitir que so faço para consumo proprio.Acho que estes senhores da ACAPOR,em vez de estarem no cantinho deles sossegados andam ai a fazer queixas e processos crimes.Se um “gajo” “saca” um dos motivos é porque os preços dos dvds e cds e jogos sao fora das possibilidades da maior parte deles.Se estes Srs da ACAPOR rectificacem os preços dos mesmos (cds dvds e jogos)para preço mais baixo,acho que ganhavam muito mais.Nao é porque um portugues nao compra um cd de um certo artista,que é o fim do mundo.Muito dos artistas ganham uma bacatela por cada cd,e so compra cds originais quem quer

  43. CXB says:

    Quando é a próxima Inauguração?

  44. Texugoelectrico says:

    Sempre que vejo estas notícias costumo pensar nos diferentes casos e que gostava de ver discutidos. Tenho para mim que:

    Cinema: Não prejudica muito, continuam-se a bater recordes de bilheteria e talvez percam apenas aqueles filmes que de outra forma conseguiam “enganar” o espectador.

    Séries: Os que ganham melhor com a pirataria, a maioria dos produtores até gosta (depois é que se vêm sempre desculpar:p) mas a verdade é que dá publicidade e aumenta vendas mesmo em países onde as séries não são transmitidas. Aliás, a coisa está de tal forma que os canais já estão a pensar em disponibilizar online os conteúdos com pouco tempo de diferença após a transmissão, penso que isso vai acontecer já com a “Guerra dos Tronos”.

    Música: Tanto foi que acabou por entranhar, ao início perdeu-se muito, principalmente as distribuidoras, hoje em dia é a melhor forma de divulgar cantores e bandas e mesmo os consagrados até acabam por vender o mesmo, ou até mais do que há uns anos atrás. Talvez se tenha tornado a compra do CD/DVD/mp3, numa espécie de prenda para a banda que gostamos pois até podemos ouvir todo o CD livremente ou por um preço muito baixo e legalmente. Ou então vemos todos os “hits” no Youtube de forma igualmente legal.

    Livros: Perdas em algumas áreas mas no geral parece-me que não há grandes perdas, aliás, os Best-Sellers cada vez se vendem mais e sinceramente, o papel nunca irá acabar, o pessoal gosta.

    Videoclubes: Penso que o grosso dos apoiantes da ACAPOR mas realmente dos que mais perdem. Seja pelos preços cinema VS novidades no videoclube, seja pela pirataria, seja pelos conteúdos oferecidos pelos serviços MEO e ZON, seja pelas diferenças nas datas de disponibilização dos filmes. Os videoclubes perdem com o mercado actual e não acredito que mesmo que mesmo sendo possível erradicar toda a pirataria, eles voltariam à “ribalta”.

    Software: UI! O grande problema. Seja pelas novas versões ano após ano incompatíveis com o ano anterior, seja pela impossibilidade de conseguir livre compatível e depois a versão paga ser muito cara, seja simplesmente porque já está tão enraizada que por exemplo nos SO’s há pessoal a piratear só para experimentar ou ter o mais recente, mesmo quando não precisa. Sei lá, a pirataria existe desde que o software existe. Para mim a solução passa por apostar no desenvolvimento de software livre, se, por exemplo, o Libre ou Open Office fossem perfeitamente compatíveis com as versões MS (muito difícil pois até de ano para ano a compatibilidade não é perfeita) e permitissem as mesmas edições avançadas, então não havia metade da pirataria do MS Office (digo metade porque muita gente pirateia o MS Office para fazer aquilo que até com a versão Office Starter ou a versão 365 livre conseguiam fazer).

    Acho que não me esqueci de mais casos de pirataria, não!?

  45. José says:

    Saquei muitos filmes e muitas séries nesse forum e quase não tenho cópias desses downloads, comprei originais aos pontapés depois de sacá-los. Nem todas as pessoas têm a minha disponibilidade para conseguir adquiri-los em formato original, mas foi dessa forma que esse “site” colaborou comigo. Pouca pirataria, muita divulgação. Muito obrigado.

  46. Gaspar says:

    Se a partilha é tão destrutiva, alguem me explica?

    – As receitas de hollywood bateram novos recordes em 2012…
    – As receitas discográficas em 2012 voltaram a subir…

    Além disso:

    – Se hoje tenho um photoshop pago, é porque comecei por usar um photoshop “partilhado” isto acontece com muita coisa;

    – Quantos de nós comecamos por “partilhar” uns manuais atraves de repografias e a usar uns programas partilhados e hoje ganhamos dinheiro à custa do que aprendemos nessa altura e pagamos o que é devido?

    – As aplicações mais partilhadas são também aquelas onde geralmente existem mais lucros, e a partilha contribuiu imenso para o seu sucesso (lembro apenas o windows e o office a partilha ajudou a criar um standard);

    Podia-se dizer muito sobre as falsas moralidades e a suposta tragédia da partilha, mas honestamente a realidade não é bem assim…

    • nelsonjma says:

      Não existe aqui falsa moralidade é tudo uma questão de $$$ nós estamos aqui todos a discutir moralidades, se é legal ou não. mas tudo se resume a $$$. O engraçado é que ACAPOR defende os interesses de empresas que ganham milhões e o lírico desta historia é que muitas dessas empresas não existiam hoje se não fosse a pirataria.

  47. Krasy says:

    R.I.P. Old friend é só o k digo ao né e meguelito muito bom conteudo de lá saquei

  48. Miguel says:

    200 comentários? vocês não tem mais nada que fazer?

    Fechou um site de partilha e então? existem carradas de alternativas.

    E quem se anda praqui a queixar de pirataria queixem se do governo, e de quem mete preços altos nos filmes/programas/jogos em que a maioria funciona mal e porcamente.

    A maioria anda-se a queixar e nem faz filmes nem aplicaçoes/jogos, e ainda nao se informaram de que as industrias dos mesmo estao cheias de dinheiro, a roubar pessoal toto que pague 30 euros por um filme ou 70 euros por um jogo..

  49. R!cardo says:

    E viva o TorrentLeech 🙂

  50. Contatudo says:

    Posso estar enganado mas:

    A Acapor defende os direitos de autor porque é para isso que é paga!
    Se nenhum site publicar as informações relacionadas com esta entidade eles deixam de ter “publicidade gratuita” quando existe este tipo de temas.
    Não acredito que a ACAPOR defenda os direitos de autor a 100%, o que eles querem é ruido à volta do nome ACAPOR….. quando um site destes fecha ( Miguelito ) eles ficam todos contentes!. Aposto tudo que eles descobriram o admin do sites do miguelito, ou porque existiu um bufo de serviço, ou porque a Arsys divulgou o nome de quem pago o dominio….

  51. Nitrocell says:

    Os fracos são assim, mesmo com servers offshore na Russia, metem o rabo entre as pernas. E eu só digo: WAREZTUGA FOREVER!

  52. Jorge says:

    Esta perseguição aos direitos de autor… é de rir (no mínimo).
    Trabalho num centro de impressões digitais e cópias e uma das coisas que não podemos fazer é copiar edições que tenham direitos de autor, seja qual for. Nem sequer a imagem de capa. Mas se pagarmos à ACAPOR já podemos. Parece aquela estória de ser proibido comer carne na sexta feira santa mas se pagarmos ao padre já não há crise? 🙂
    Até aqui tudo bem, um criativo tem direito a receber pelo seu trabalho.
    Mas e então e nós? Compramos uma máquina fotográfica, tiramos umas fotos a nós mesmos, à namorada, à família, ao cão, ao gato,… as imagens são nossas, a propriedade intelectual é nossa… então decidimos guardar as nossas memórias num CD ou DVD mas…. temos de pagar direitos de autor na compra de um desses suportes digitais ainda vazios. Quem nos paga a nós os direitos de autor do que é nosso? Ninguém, somos legalmente roubados.
    Mas há ainda mais ridículo. Compramos umas músicas em mp3 pela net, nessa compra já inclui os direitos de autor, mas vamos grava-las num CD para guardar ou ter no carro… azar… voltamos a pagar direitos de autor. É tipo pagar imposto sobre imposto.
    Mas afinal quem é que são os “piratas” mesmo?

  53. Apoiado says:

    Tanta gente aqui preocupada porque o gamanço acabou…se voces fossem os roubados e nao os ladroes se calhar em vez de estarem a protestar, estavam era a aplaudir!!
    A partir do momento em que cada um de voces aceitar trabalhar de graça, eu junto-me a vossa causa!!
    Parabens Acapor!!!!!!!

    • José says:

      Que gamanço? Eu trabalho muitas vezes de graça e faço muito voluntariado. Fiz alguns downloads e comprei ainda mais originais. E conheço (mesmo) muitos mais como eu. Seremos mais se te juntares a nós. Que gamanço?

    • Jorge says:

      Eu sou criativo e aquilo que crio “por desporto” cedo gratuitamente. 😉

      • João Almeida says:

        Argumento pouco sólido este, certamente que os milhares de CD’s, filmes, e não me vou alongar mais, não foram cedidos gratuitamente, nem com tão pouco intuito de.

  54. Releaser says:

    eu ca vou continuar a postar para o pessoal!

  55. Tiroliro says:

    Não faço downloads, mas também não alimento parasitas neste rectângulo mal desenhado. Tenho uma coleção de mais de 6.000 CD’s, e 90% foram comprados aqui: http://www.play.com
    Não deixo de achar curioso como é possível comprar um CD em Inglaterra, Alemanha, Holanda etc, mais barato que em Portugal, e ainda me oferecem os portes. Neste portugalzinho mediocre e de gente imbecil, querem encher os os bolsos e enriquecer em 2 dias à custa dos pacóvios, e depois queixam-se que o negócio não dá.

  56. Se acham que é a fechar forums/sites de pirataria que vão vender mais estão muito enganados, Eu faço downloads ilegais todos os dias, se um dia acabarem com a pirataria(algo que nunca vai acontecer), vão atrás das pessoas que emprestam os cds/dvd/livros

  57. Capitão Gancho says:

    É tudo a piratear e mais nada, quem produz ou programa que proteja as suas ditas criações. Não sabem, mudem de negócio. Ou então passem mais uns anitos a queimar pestanas a ver se aprendem. Há-de sempre haver alguém mais esperto e inteligente. Agora as ofendidas podem continuar a espumar-se.

    • Carlos Alexandre says:

      Podes-me dizer aonde é que trabalhas?? Se é que trabalhas!!
      É que assim o pessoal já fica a saber que te podem “visitar” e roubar tudo o que lhes apetecer pois a culpa será sempre tua pois simplesmente nao te protegeste…
      Engraçado tambem era o teu patrao chegar ao final do mes e dizer-te ” oh pah é tudo a piratear e mais nada e este mes eu nao te pago e se nao aceitas muda de negocio!”
      Abraço aí

  58. Jorge says:

    Estas pessoas a favor da ACAPOR mas que não sabem do que falam devem é ser das primeiras a entrar num centro de cópias para copiar um livro na integra. vamos falar de legalidade? de certeza que quase toda a gente já teve a necessidade de copiar qualquer coisa, seja numa revista ou um simples artigo de jornal, mas quando o fizeram ficaram todos contentes porque tiveram o que queriam e nao quiseram saber se tinha direitos de autor ou nao. mas tem. infelizmente lido com pessoas assim todos os dias. nao atirem pedras; neste mundo todos temos telhados de vidro.

  59. Carlos Vidal says:

    Como é que o da Acapor teve conhecimento da morada das pessoas para enviar carta registada? É alguma entidade, alguma PJ? O que estão a fazer, segundo a nossa constituição é ilegal, pois estão a obter dados das pessoas de uma maneira ilicita… Se fosse comigo esse senhor da Acapor levava com processo em cima…

  60. Júlio Rocha says:

    Boa noite,

    Sobre questões técnicas GPS, o fórum RADARES de Portugal tem dado umas ajudas, dentro dos conteúdos legais.

    É só procurar no google.

    Abraço e obrigado.

  61. Sampaio says:

    o portal PDCLINKS tambem encerrou…

    • João Almeida says:

      Só falta o Oxe7 e o Warez. Aí é que vai ser o descalabro.

      • pedro elias says:

        Hehehe…achas?…so esses 2?….ai ai…que medo…que descalabro.(ainda bem que so ficam a faltar umas dezenas)fecha um abre dois.Comprimentos.

        • João Almeida says:

          Mas isso és tu que andas sempre “à procura” assim digamos, os milhares de utilizadores do Warez, mais propriamente, são na sua grande maioria adolescentes que ao dado momento em que o fecham não se “preocupam” em ir à busca de outros, estando mais preocupados em manifestar a sua indignação nas redes sociais como o Facebook ou Twitter. Não referi descalabro como o fim da partilha de conteúdo, mas sim o descalabro com a indignação massificada que vai surgir.

  62. João Dias says:

    Bons dias, venho aqui responder e dar por finalizada a minha intervenção.

    Não pertenço a nenhuma instituição, como já disse sou freelancer, na área da informática, trabalho por conta própria para os mais incultos.

    Deixo aqui a minha última opinião pois começo a ver que a escassa quantidade de argumentos resulta em insultos pessoais.

    Não que tenha de explicar mas os erros ortográficos devem-se a estar a escrever e a trabalhar ao mesmo tempo.

    Defendo os direitos de autor e sempre defenderei, não defendo instituições ou empresas, sejam estas lesadas ou que usufruam dos valores ganhos com estes mesmos direitos.

    Entristece-me ver que a camada jovem Portuguesa defende a pirataria que pode ser traduzida para um bom Português e ler-se roubo.

    Sim fazer pirataria é roubar, roubar o trabalho árduo de quem criou ou teve aquela ideia. Se eu tirar uma foto de uma paisagem, e registar na Sociedade Portuguesa de Autores, todos os direitos de uso dessa foto são meus, e não seus só porque gosta e não quer pagar 30€ para a usar. Se não tem capacidade para criar, seja filme, música, programas, ou qualquer outo tipo de produto, tem de comprar, ou usar freeware.

    Agora não me venham com justificações de que como o autor só ganha 10% não paga, prefere roubar. Esses 10% são o ganha-pão do autor.

    A todos os senhores que defendem a pirataria (roubo) aconselho a dedicarem-se ao trabalho, e verem o seu trabalho recompensado com um aumento ou até um upgrade nas vossas carreiras.

    Se todos nos dedicássemos ao roubo, o mundo seria uma coisa muito bonita.

    Tal como acontece na Alemanha, também deveria de acontecer aqui, tanto o dono do site, como o user que disponibiliza, como o utilizador final, deverão ser responsabilizados pelos seus actos.

    Já saquei em tempos software ilegal, mas depois fez-se luz, e tornei-me profissional.

    Para ter direito a pedir suporte, ou opinar sobre qualquer tipo de problema, defeito etc., tenho de adquirir a licença do programa.

    Para opinar sobre o estado do país tenho de votar com o Cartão de contribuinte e não com o cartão da segurança social. Quero com isto dizer que não se pode falar mal, sem pagar.

    Não quero ofender ninguém, mas penso que a maioria dos opinantes apoiantes da pirataria, sejam estudantes ou desempregados, pessoas ressabiadas que acham-se no direito de usufruir de tudo às custas dos outros. Dizem que não possuem dinheiro para adquirir um produto, mas não pode faltar para a ZON/Meo etc., para a internet não pode faltar…

    No meu tempo havia pirataria, lá em Queijas, tínhamos a vivenda do Casaca que vendia cassetes piratas do pacman, Fenix, Bruce Lee e jogos que raramente vinham para Portugal. Mas nós meros jovens entre os 10 e os 15, não nos podíamos aproximar da casa dele sequer.

    E fazíamos os nossos jogos, os senhores do Sapo.pt, são dessa geração, e tornaram-se no que são, devido á escassatês de recursos, tiveram de inventar, de aprender, de inovar, algo que falta ao povo Português, sim Português, não me interessa o resto do mundo, interessa-me apenas o meu pais, pais este que vejo ser destruído, por jovens que pensam que a ilegalidade é um direito. A esses digo, larguem as manifestações e vão trabalhar.

    Trabalhar não é um bicho ou doença, é algo digno que nos eleva e ao nosso país.

    A todos os piratas, aconselho por favor a entrarem no próximo supermercado e roubarem uma palete de leite, só porque o produtor do mesmo, apenas recebe 2,3% do valor que vão pagar, sim esses míseros 2,3%, são o ganha-pão deles, se eu não pagar, o supermercado perde um pouco, mas o produtor perde uma temporada inteira de produção, e depois tem de despedir, os empregados que apenas com a 4ª classe vão para o fundo de desemprego, e acabam a limpar as ruas, ou jardins da autarquia. É também um trabalho digno, mas deveria ser obrigatório para quem recusa 3 empregos do fundo de desemprego, não para quem quer trabalhar.

    Pensem que a pirataria pode ser benéfica para muitas instituições ou corporações, mas para a arraia-miúda pode ser a desgraça.

    • Andre Pinto says:

      Boas Joao Dias,voçe mencionou em cima que ja sacou,software ilegal antes de exercer a sua profissao.O meu caso é parecido consigo,eu tambem saco e saquei,O meu objectivo é em exercer como profissao é DJ de house,trance e techno,como neste caso,eu saco cds desse generos e trabalho com do Virtual DJ,para poder mandar alguns trabalhos para algumas agencias,até um dia se fazer “luz”,sei que tenho trabalhar muito ate um dia chegar aos pes dos grandes DJs,mas sei que um dia quando receber um telefonema de alguma agencia tudo vai mudar,entretanto enquanto nao consigo o meu objectivo vou sacando e fazendo trabalhos em casa,Porque quando tiver que trabalhar para varias pessoas e em estabelecimentos de diversao nocturno,tenho que pagar as liçenças todas.Nao tenho curso nem diploma de DJ,mas ja ando nisso desde dos 17 anos tendo 24 agora,tudo que aprendi foi sozinho e vendo uns videos no youtube,para ter mais noçoes daquilo.

    • Texugoelectrico says:

      Não concordo com a parte dos desempregados. Concordo que é possível que a probabilidade de um “pirata” ser desempregado ou estudante é maior do que a de ter um emprego, no entanto é preciso perceber que na situação actual do país existe muita gente que está desempregada porque simplesmente não se consegue empregar, até o cargo de varredor de rua já é escasso. A internet torna-se portanto um dos melhores meios para procura de emprego e vejo-a como indispensável tanto para esse efeito como para uma melhoria pessoal e profissional em tempos de crise (cursos online, video-aulas, etc.), por isso não pegaria por aí, para além disso muitas vezes a internet vem atrás da TV e telefone nos pacotes dos fornecedores.

      A questão é que o desemprego torna as pessoas menos propicias a gastar o seu “precioso” dinheirinho num produto que podem ter “de borla”. Também acredito que o tempo livre é mais propicio à pirataria, “sacam-se” filmes para passar o tempo, vêem-se séries, joga-se etc., quando se tem trabalho não há tempo para isso, no máximo chega-se a casa tarde e vê-se qq coisa na TV e ainda que seja um filme da “net” isso será sempre uma pirataria “residual”, acredito eu. Já no software a coisa é mais complicada, acredito que há muita pirataria “desnecessária” mas a verdade é que quando se torna essencial usar um software pago, ou porque se recebe um ficheiro da versão mais recente ou porque surge a necessidade de criar um ficheiro num formato diferente na maioria dos casos esse software é caro para quem está a trabalhar e ainda mais para quem está desempregado e com certeza não irá usufruir muito dele. E em Portugal a “coisa” ainda é pior, quer queiramos quer não, pagamos o mesmo ou mais do que lá fora e recebemos muito menos, há pessoas que até vêm a pirataria como um “ajuste de contas”.

      Outra coisa que estranho é a questão da pirataria ser “benéfica para muitas instituições ou corporações, mas para a arraia-miúda pode ser a desgraça”. Sempre tive a ideia diferente, sempre pensei que os grandes é que sofriam mais com o problema, onde muitas vezes até a pirataria leva a mais pirataria, para além disso não estou a ver o interesse de se piratear algo que tem poucos utilizadores ou ouvintes, etc, aliás, até tenho para mim que esses são os que têm mais a lucrar com isso, já se criaram verdadeiras legiões de fãs, de bandas, séries, filmes que à partida teriam pouco interesse mas cuja internet se encarregou de os difundir. Estou-me aqui a lembrar do “Balas e Bolinhos”, pfv, quem é que via aquilo se não fosse a internet? Aliás, eu fazia tão pouca ideia que até pensei que aquilo fosse um daqueles filmes livres, criados mesmo para a internet até porque anda pelo Youtube, isso mesmo, está lá para quem quiser e só há pouco tempo (numa entrevista no 5 para a meia noite) é que percebi que a coisa era “séria”. No máximo o realizador pode pensar que se todos os que já viram o filme fossem ao cinema ou ao videoclube, então ele estaria rico, no entanto a verdade é que de outra forma o filme não passaria de algo que até poderia criar uma legião de fans mas que nunca atingiria uma patamar para, por exemplo, fazer o terceiro filme. Mas ok, isto é só um exemplo e talvez na questão de software a “coisa” seja diferente mas gostava de perceber melhor o problema pois tenho a ideia completamente contrária.

    • Carlos Alexandre says:

      Muito bem escrito e comentario com bastante substancia!!
      Resumiu tudo muito bem…parabens!!
      é por existirem pessoas como voce, eu e mais umas quantas que as coisas ainda se produzem!!
      a partir do momento que algo nao dá lucro ou mesmo prejuizo…deixa-se de se fazer!!
      Mas muita gente ainda nao percebeu isso…
      Abraço e parabens pelo comentario

  63. PedroT says:

    E que tal deixamo-nos de HIPOCRISIAS??!?!?!?
    Todos os que usam serviços de partinha, nos quais eu me incluo, sabemos que se trata de uma ilegalidade!
    Pura e simplesmente uma situação em que não existe um “nojo” por parte da sociedade perante o delito cometido.
    A sociedade aceita os downloads ilegais. E assim ninguem se opõe a que eles sejam feitos e distribuidos, partilhados dentro de pen e discos portateis nos empregos e em casas.
    Não acredito que os utilizadores deste forum nunca tenham tido um filme ou episódio de uma série num portátil, tablet ou disco externo.
    Toda as pessoas aceitam isso como normal, como aceitam como normal circular numa autoestrada a 140/160Km, quanto o limite são 120Km.
    Quase toda a gente anda, numa ou outra ocasião a mais de 50 Km dentro da cidade, mesmo sabendo de não pode. Por favor não se façam de santos e digam que não!
    Quantos já não levaram o carro á oficina da esquina da rua de casa e em troca de um simpatico desconto abdicaram da factura, mesmo sabendo que ajudavam a fugir aos impostos???
    Estes sites de partilha são ilegais!!!
    Simples!!!
    Simples!!!
    Simples!!!

    E sim uso e vou continuar a usar!
    E não me digam que as vendas iam aumentar se eu não usasse.
    É mentira porque simplesmente não iria ver todos estes filmes e todas estas séries.
    Os preços são demasiados elevados para o que eu posso pagar.

    O windows 8 saiu a um preço razoavel e eu actualizei o portatil. Pagar 30€ por um Windows não acho caro. Pelo contrario.
    Se o software for bom e a preço razoavel as pessoas compram. A microsoft já percebeu isso.
    A realidade de Portugal não é a de França ou Alemnha. oS PRODUTOS NÃO PODEM TER o mesmo preço.
    Se uma loja paga os seu funcionários ( A empregada da caixa, o gerente, a funcionaria de limpeza, de distribuição , etc etc) a preços de portugal, como é possivel vender aos preços da Alemnha quando os seus custos são bem menores?
    Alguem ganha e não quem produz nem quem financia, nem as produtoras internacionais…
    Afinal quem ganha com o dinheiro gerado??? Talvez a Worten por exemplo que ainda quer pagar menos aos funcionários…

    No caso de séries e Filmes simplesmente veria o que estava a dar na TV.
    As séries que vejo são as que dão na Tv actualmente:
    The Folloing, Once upon a Time, Sobrenatural…
    Teria que esperar e subrescrever um desses que dá para ver a programação dos ultimos dias quando se quizer…

    Quanto a jogos só mesmo no telemovel e em geral são gratis ou têm versões para exprerimentar. Depois se gostar ai, sim compro…

    Livros? Jamais em computador… o Prazer de ler passa por te-lo na minha mão como objecto que é.
    E acredito que é assim com a maioria das pessoas.

    Revista, essas sim em computador. Como é possivel pedir 10€ por uma revista mensal? (Android magazine versão inglesa)

    Já agora alguem acredita que todo o trabalho que dá manter um forum de partilhas não é recompensado???
    Somos todos idiotas ou simplesmente estamos a virar a cara para o lado?
    Estes sites vão buscar dinheiro a publicidade que está presente em muitos deles, nos donativos que as pessoas fazem, mas PRINCIPALMENTE por cada pessoa que vai
    ao site (Rapidshare, upload, etc) retirar um ficheiro são pagos por esse site.
    É só fazer contas…
    100.000 ficheiros por dia x 0,1 Centimo que seja…

    Por isso não venham de falar de espirito de partinha nestes sites. Deixem isso para o p2p com o saudoso BTuga ou actual BTnext.
    Se entro em contracenso? Talvez.
    Mas quando o estado confisco parte das reformas e no meu caso parte do ordenado, os conceitos morais mudam e adaptam-se…
    Já agora alternativas ainda existem… BTNEXT (no p2p), wareztuga.tv, degracaemaisgostoso.org, filmescomlegendas.net (P2P), etc. Só procurar no google…

    Já agora actualizem a noticia: ne & miguelito e OXE7.com

    Sim o OXE7 tambem esta fora de actividade 🙁 🙁 🙁 🙁

    E sim vou ter muitas saudades do OXE7.com.
    Era perfeito!!!

    Por isso vou até outros sites… Fazer os downloads do dia
    😛

    • fidbeck says:

      PedroT falas no update ao Windows por 30€ mas se vires por exemplo o SO da Apple.
      Cada versão é vendida por cerca de $20 que dá 15€. Tá bem que pagas bastante caro os produtos da Apple mas muitas vezes tu pagas a marca e não o conteudo em si.

  64. fidbeck says:

    Recentemente comprei uma capa para o telemóvel que mandei vir de Inglaterra e a capa ficou a £0.55 ou seja paguei mais por portes do que pelo produto, Em Portugal o que funciona é por quantas mais pessoas passar o produto melhor porque cada um vai querer uma parte. Um optimo exemplo é a casa da música, era para custar X mas acabou por custar 27 vezes mais. Isto porque quem ganha o trabalho dá-o a outro e esse outra dá a outro e por aí fora, e todos querem ganhar claro. Dei este exemplo mas acontece com tudo.

    Há um tempo atrás, precisamente pela mesma altura do fecho do MSNM v1 a mesma acapor falou que havia uma grande empresa e vender VODs bastante mais caros do que o preço real. Agora pergunto eu… O que é a a acapor fez contra isso? Pois não conseguem sequer arranhar grandes empresas como PT e outros não é?

    Só em jeito de finalização… seria melhor meter um processo contra PTs ZONs, Cabo Visão e assim porque disponibizam net com velocidades de 12, 24 e até 100megas, ora que francamente para que é que eu vou utilizar um serviço de 100 megas de net para ver emails ou um forum ou outro? Epá se calhar isso até traz vantagens, vejo as mensagens antes dos outros. UAU.

    Também me lembro que as grandes produtores americanas que tanto refilam da pirataria e os prejuizos que isso lhes traz e no entanto li um noticia que dizia que essas mesmas produtoras tinham cópias piratas de filmes de outras produtoras, uau é assim mesmo. É sempre as mesma lenga-lenga… Faz o que eu digo não faças o que eu faço.

  65. Pedro says:

    Boas a todos! Eu tb era utilizador do site mas raramente fazia download de conteúdos, ate porque o formato não me agrada, os serviços de alojamento dos ficheiros é mau e implica esperar muito para poder sacar as partes. E já que estamos a sacar, não vejo lógica pagar uma conta premium para poder sacar a grande. Prefiro os torrents, em que vem tudo direitinho e num instante.
    Eu concordo com os direitos de autor. Acho que quem cria deve ser remunerado por isso. Agora o que eu não percebo e não posso concordar é com os preços que são praticados em Portugal pelos conteúdos. Se eu for à Fnac ou a Worten pago em média por um Cd 10 a 12 euros (não falando das novidades, que custam muito mais). Se encomendar na Play.com ou na WowHD vem parar a minha casa em poucos dias, não gasto combustível nem parque para ir a loja e compro um cd a um preço médio de cerca de metade. Outro exemplo fantástico é a conversão dos preços. Por exemplo um Ipad mini de 16gb custa nos EUA 329 dólares (257€) e cá custa 339€. Não se percebe. Só chego a conclusão que em Portugal há verdadeiras sanguessugas.

  66. doom4 says:

    há para aqui muito palhaço que falam mal do ne-miguelito, mas que eram frequentadores do mesmo, senão não estavam a perder tempo com esta notícia.
    aqueles que falam na pirataria em parte têm razão, não concordo com a partilha de um filme que saiu á pouco tempo nos cinemas, e depois aparece em formato Ts na net, pois são as fontes de bilheteira que vão ajudar a pagar as despesas da produção de um filme
    mas será pirataria expôr num site um filme ou um cd de músicas que nunca saiu em Portugal, nem nunca sairá?
    sou obrigado a comprar só aquilo que for homologado?
    há para aí um que nos comentários diz que criou um software, qual?
    se o criou , porque é que nunca o nomeia, será léria?

    O escritor Paulo Coelho argumenta que a pirataria serve como divulgação do trabalho de um artista.

    http://blogs.estadao.com.br/link/paulo-coelho-defende-pirataria-e-ataca-sopa/

    e isso é verdade, pois muitas vezes nesses sites de partilha se divulga conteúdo desconhecido, ou não homologado no país.
    ou seja divulgamos cultura, agora se há algum palhaço a ganhar ilicitamente com isto?

    eu sou um poster e limito-me a repartilhar o que encontro na net.
    e vocês que andam neste mundo, nunca pesquisam os termos dos tópicos partilhados no google para encontrar a fonte?
    um exemplo pesquisem este termo na net:

    Aladdin.1992.PT.ENG.720p.BRRip.XviD.AC3-NOTINFPT

    o site francês: http://www.imineo.com/, cobra por download, não sei se é legal..

    o google nas sua pesquisas apresenta resultados de sites de download, e não é castigado.
    o próprio youtube, têm filmes e episódios de séries completos, tudo ganha, com isto e tudo é hipócrita…

  67. Cuidado says:

    O MSNM ao contrário do que alguns membros oportunistas andam a comentar, não vai voltar. Vejam o fundo da página:

    http://ne-miguelito.info/

  68. gdm says:

    há um site que só tem cd`s porém ele promete que mesmo que a acapor feche o site e elimine todos os postes, os mesmos links estão salvaguardados no site de hospedagem (mega) novo megaupload). e ele mesmo informa para que os visitantes possam enviar os seus email para depois em caso de fecho do site os visitantes possam continuar a receber novidades acerca dos discos que vão saíndo!

  69. anonimo says:

    eu uso o mercado-negro.biz funfa legal e e tuga

    alem disso para a acapor fechar o site tem de ir a russia 😀 onde as leis offshore imperao

  70. doom4 says:

    alguns dos membros migraram para os seguintes fóruns:

    http://warezptdown.com

    http://www.warez-box.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.