PplWare Mobile

Tesla Semi – Um camião elétrico com grande autonomia


Daniel Jesus

Curioso desde cedo por tecnologia, procuro aprender e partilhar um pouco mais a cada dia que passa.

Destaques PPLWARE

88 Respostas

  1. Rui says:

    Anúncios a Tesla faz com fartura, produzir o que anuncia é que é outra história, é só treta, treta e mais treta!

    • Vítor M. says:

      Verdade, mas também é verdade que a Tesla precisa de marcar cada setor do mercado e depois produzir. Penso que o caminho está certo, vamos ver é se num mercado de consumo massivo a empresa tem finanças que aguentem. Para já estamos a ver pouca coisa, mas em ideias e protótipos estão liderar o mercado e a obrigar os restantes a “pedalar”.

      • Rui says:

        Falta-lhe a optimização dos construtores automóveis mundiais, para produzirem carros a um ritmo elevado, algo que ainda falta à Tesla. A única forma que vejo de resolverem esse problema é adquirirem uma marca com implantação no mercado e com fábricas espalhadas pelos principais continentes!
        Um exemplo do que digo existe na IIª Guerra mundial, de facto a Alemanha produzia aviões, carros de combate, armas, etc, melhor e com mais qualidade do que qualquer outro país, mas foi esmagado pela quantidade faraónica de material militar produzido pela Rússia e EUA. Não que o que estes 2 produzissem fosse melhor, longe disso, mas produziam muitos mais!!!!!!!!

        • Vítor M. says:

          Sim exatamente. Mas as outras marcas não estão a dormir. Vejam a entrevista do CEO da VW e temos um sinal que as marcas estão atentas. É mais provável a Tesla ser adquirida quando começar a incomodar que o inverso, até porque a Tesla acumula prejuízos avultados. Depois há a questão de no próprio país de origem a marca não ser bem vista pelas autoridades… é lobby do petrol!!!

        • Mambo Cruz says:

          O problema é precisamente o contrário! A Tesla está a preparar as fábricas para serem quase exclusivamente robotizadas! Para isso comprou à algum tempo uma empresa alemã que preparava as linhas de montagem das grandes marcas alemãs. E cancelou os contratos que tinha com as BMW, Mercedes, etc… Provavelmente uma retaliação pelos problemas com os fornecedores alemães das portas traseiras do modelo X.

          • Rui says:

            Factos, são factos. Quando há várias marcas que conseguem produzir mais de 10 milhões de carros por ano e só não fazem mais porque não há procura para mais, por outro lado tens uma marca que dá prejuízo atrás de prejuízo, tem carros que até admito tenham muita procura, mas não consegue produzir números que se vejam!!!!!!
            A “giga-fábrica” de Palmela consegue produzir mais de 100.000 carros por ano, assim haja procura, ou seja, mais do que alguma vez fez a Tesla!!!!!!!

          • JJ says:

            @Rui… Que raio de contas andas a fazer? Nenhuma marca de carros produziu tantos carros 100% eléctricos, com a Tesla!

            O que se tem vindo a ver é que carros 100% eléctricos tem uma produção mais demorada que carros de combustão.

            Não podes comparar produção de veículos de combustão, com produção de veículos 100% eléctricos.

        • Az8teiro says:

          VAi ver quantos carros novos, sim novos com 0kms, que não chegaram a ser vendidos, não saíram do stand ou sequer do parque da fábrica na bmw ou na mercedes, e vais ficar espantado com os números…. Dezenas de milhar…
          A tesla, lança o carro, cria o hype, e vai produzindo com calma, para dar tempo de escoar a produção e para não ter carros novos a irem para o lixo…
          Se tu achas mal, eles acham bem, pois perda por produção em excesso = 0. ISto também é bom para o meio ambiente já que reduz o desperdício…
          Falam bem, só precisa de produzir muito quem cria produtos descartáveis, se crias algo que dura uma vida, cada pessoa comprará um ou 2 e não 10. Tens um exemplo claríssimo, telemóveis.

      • Pedro Coelho Silva says:

        Nao concordo. todos os produtos que anunciou foram ou estao a ser produzidos. Os volumes podem ser inferiores nos produtos recentes mas já existem no mercado!

        Que produto anunciaram que não foi produzido?

        • Vítor M. says:

          O que o Rui estava a referir (penso eu) é a capacidade de lançar veículos como produtos de futuro, de os colocar no mercado muito tempo depois mas a conta gotas que não se pode chamar produção em massa.

          Estes dois que foram lançados hoje só daqui a muitos anos poderão chegar ao mercado como um produto de venda em massa, pois de certeza que se atualmente estão a ter grandes dificuldades em fabricar o Model 3… agora vamos imaginar juntar mais estes dois veículos.

          • ald says:

            Nenhum destes dois veículos vai ser produzido em massa.. e já existem preços para o roadster. 50000 reserva para o base model de 200000 ou 250000 de reserva para o founder series com esse mesmo preço e que vao ser produzidas 1000 unidades.
            E o model 3 acabou de entrar em produçao, nao percebo porque é que nao haviam de ter problemas.. daqui por 1 ano já vao estar a produzir entre 5 a 10mil por semana

          • Vítor M. says:

            Vamos ver vamos ver. Tomara que consigam vingar e ter produção para a procura, mas para já as dívidas acumulam-se, as promessas começam a registar atrasos… 😉 venham eles.

        • Rui says:

          Pedro Coelho Silva, Já viu o no Nissan Leaf? Tem a autonomia igual à no Model 3 no pack normal e superior no pack extended, sabe quantos é que a Nissan consegue produzir por ano? Sabe quantos vendeu da versão anterior? A Nissan produz 250.000 Leaf por ano já vendeu na geração anterior 1 milhão de unidades o que fez a Tesla? Contou umas tretas com o model 3 e entregas 0 prejuízos muitos! A Tesla não tem hipótese nenhuma para a Aliança Renault – Nissan que actualmente lidera o mercado eléctrico, só a Renault já tem 5 modelos eléctricos diferentes no mercado desde passageiros a comerciais o que a Tesla tem é treta a rodos! A Nissan é o maior fabricante de Eléctricos do mundo a Renault é a maior da Europa a Tesla será a maior bolha financeira a arrebentar na bolsa em Nova Iorque desde a crise do subprime!

          • Marco says:

            Não resisti em comentar, mas este rui é qualquer coisa de fenomenal, a obsessão pelo leaf até doi… vamos por as coisas desta maneira, a nissan foi fundada em 1932 é um gigante na produção automóvel, que está a vender um eléctrico por 24mil euros se não estou enganado, a tesla é uma marca americana em ascencão, que ainda nem se estabeleceu de forma clara na europa, fundada em 2003 e com a produção do seu primeiro veiculo em 2008, cujo veiculo em causa, model 3 custa mais 10mil euros que o nissan, que para alem de ser um veiculo é também uma oferta de tecnologia, os sensores, o piloto automatico…

            o que é que á aqui para comparar mesmo? era o mesmo que eu comparar um puto de 5 anos com um note8 ou iphoneX e um velhote de 90 com o nokia 3310… obvio que a nissan vende mais era muito estranho que uma marca com quase 90 anos de mercado a produzir electricos mais baratos que uma marca com pouco mais de 10 anos que ainda nao tem presença mundial a vender um produto mais caro…

            actualmente o tesla e mais um produto de hitech do que um simples carro electrico, ja para nao falar performance de um leaf contra um model 3 mas pronto…

            so achei mesmo piada a esta comparação forçada que nao diz nada com nada é como o pessoal que gasta 100 euros num tele mas que se tivesse capacidade financeira gastava 1000… entre o tesla model 3 e o nissan leaf, para alem do peso da marca o que conta mesmo e o peso do dinheiro…

            mas deviam fazer um estudo quantas pessoas aceitariam ter um electrico e dessas quantas conhecem a marca tesla, talvez o rui se deixe destas comparações

          • Marco says:

            alias pela logica do rui a ferrari, a bugatti e outras marcas de luxo não deveriam existir, porque nao tem produção para bater a nissan…

            era ver o ronaldo no seu leaf a ir para o santiago bernabeu

    • Ze says:

      “produzir o que anuncia é que é outra história, é só treta, treta e mais treta!”

      Diz isso a todas as ~100.000 pessoas que compram os Modelo S e X todos os anos, e a quem já começou a receber o modelo 3, e a todos os clientes que já têm uma powerwall em casa e a todos os clientes industriais que já usam os powerpacks….

      • Pedro Coelho Silva says:

        Nao entendo porque dizem que é só anúncios..a maior parte das empresas do ramo automóvel anunciam dezenas de protótipos/conceitos que nao saem do papel. A tesla ontem apresentou prototipos funcionais! Podia-se andar no camiao e no desportivo, já os produziram..e estão a funcionar, obviamente que sao versões iniciais, mas até nisso a Tesla mais que anunciar , faz!

      • Rui says:

        Sim, e agora compara com quase 100 milhões de veículos produzidos anualmente, qual é a quota da Tesla? 🙂

        https://en.wikipedia.org/wiki/Automotive_industry

        • ald says:

          qual é a cota de qualquer elétrico? 🙂
          daqui por um ano falamos da quebra de vendas da bmw no segmento média e do numero de vendas do model 3 pode ser?

          • Rui says:

            Por acaso falaste de uma marca que tem 2 carros eléctricos à venda à anos e tem também ofertas de carros movidos a hidrogénio a alimentar os motores eléctricos, e de facto eu não vejo a BMW a vender menos séries 1, 2, 3…… do que o i3 e i8!!!!!

          • JJ says:

            @Rui… Não podes comparar a produção de veículos de combustão com veículos 100% eléctricos.

            Neste momento existem três categorias de veículos: combustão; híbrido; 100% eléctrico. (Hidrogénio ainda esta numa fase “beta”.)

            A Tesla encontra-se na categoria dos 100% eléctricos. E nessa categoria, a Tesla sozinha já produziu quase o mesmo numero de veículos, que todas as outras marcas juntas, dos seus carros 100% eléctricos.

            Resumindo… o “bom” problema da Tesla, é que tem muita procura para a capacidade de produção actual.
            Mas, se recuarmos uns 30 anos atrás, vamos encontrar o mesmo problema em grandes marcas, onde os clientes tinha de esperar 2 ou 3 meses para receberem o carro que compravam.

            A comparação tem de ser sempre feita, sobre a produção dos veículos 100% eléctricos, e nesse campo a Tesla esta bem melhor (e mais a frente) que as outras marcas, relativamente a produção dos seus veículos 100% eléctricos.

          • Rui says:

            A Nissan já produziu 1 milhão de unidades do Leaf!

          • JJ says:

            @Rui… como assim já produziu 1 milhão!? Estas a dizer que em 2 anos, eles venderam 800 mil carros!?
            Não estarás a confundir com o numero de carros 100% eléctricos vendidos a nível mundial?

            É que em 2015 eles tinha atingido a meta dos 200 mil carros vendidos. Isso dará uma media de 40 mil carros vendidos por ano, desde 2010.
            Se fizermos uma media nos últimos 2 anos a uns 60 mil carros/ano… dará no total uns 320 mil carros vendidos em 7 anos!

            A Tesla entre 2015 e 2017… fabricou/vendeu mais de 210 mil carros. Ou seja, em 3 anos fabricou tantos carros com a Nissan em 5 anos… Logo a Tesla em proporção esta a fabricar mais carros que a Nissa com o Leaf.

            Eu estou a falar de carros vendidos, porque todos os carros fabricados pela Tesla, já tem dono. A Tesla não fabrica para criar stock…
            Por sua vez também não estou a ver a Nissa a produzir tanto carro para fazer stock…

        • Mambo Cruz says:

          Parece que a história do iphone se está a repetir…
          Modelo 3 – 400 mil reservas … as entregas crescem a um ritmo exponêncial!
          Já agora voltemos ao inicio da Tesla… esta prometia vir a fabricar 500 mil carros em 2020… acontece que se enganaram e vai ser já em 2018!

          • Rui says:

            Sim sim, este trimestre fizeram uns estonteantes 260 unidade do model 3 os 500 mil deve ser o prejuízo por por hora que a Tesla dá!

  2. gigbola says:

    Quando for grande vou comprar o desportivo.

  3. Cortano says:

    Duvido que chegue à Europa.
    Estou curioso acerca da visão de futuro das marcas europeias – em especial Volvo e Mercedes.

  4. Sergio says:

    No artigo diz: “[…] Traz uma bateria de 20 kWh […]”, quando deveria dizer “[…]200 kWh […]”

  5. criisthian bini says:

    elon musk é um visionário, ainda que nenhuma idéia dele saia do papel, mas muitas já saíram e sairão ele deixará um legado de evolução pra humanidade incomparável, sem duvidas um homem a frente do seu próprio tempo!

  6. Daniel says:

    É realmente um grande anúncio. Numa outra notícia refere que este camião carregado pode subir uma estrada com 5 graus de inclinação a uma velocidade de 104km, mais do que os 70km/h dos camiões convencionais. se juntaros a isto o poder de arranque superior, para além de ser mais económico, acaba por fazer viagens mais rápidas o que é uma grande mais valia para os transportadores.
    Com os mega carregadores em meia hora carrega mais de 600km, o que é mais rápido do que as pausas obrigatórias dos motoristas.
    Vamos é ver se os preços são competitivos, mas é claramente um grande passo em frente.

    • Cortano says:

      Estás enganado acerca dos convencionais so subirem a 70kms, da mesma forma que o resto do que dizes se aplicar ao camião vazio.
      Além do mais, esqueceste-te que os camiões estão limitados na maior parte dos casos ao maximo de velocidade de 90kms… E não aconselho a passares porque tudo fica registado para a policia ver.

      Não me parece ser ainda uma boa alternativa para longo curso, mas sim para regional

      • Paulo Gonçalves says:

        Está a pensar mal, qual é o tempo máximo que é permitido aos motoristas para conduzir sem parar? Não acredito que dê para fazer os 800km anunciados de autonomia, estamos a falar em talvez em 12 horas seguidas a conduzir, ora considerando os tempos obrigatórios de pausa e os megachargers e temos condições para tornar viavel o camião e com custos de operação muito mais baixos.

        • JJ says:

          Os camionistas podem conduzir no máximo 4h30 seguidas, e para esse tem tem de fazer uma pausa mínima de 45 minutos. Depois pode andar mais 4h30 seguidas e voltar a parar, mas ai a pausa tem de ser no mínimo de 9h.

          Resumindo a autonomia deste camião é mais que suficiente para a lei em vigor…

        • Cortano says:

          Estão a esquecer um ponto importante: Postos de abastecimento. Acham mesmo que conseguem ter postos de carregamento de 400 em 400 kms num futuro próximo?
          Sabem que há longos cursos com 2 motoristas? Sabem que há camiões com 2.000 kms de autonomia?
          P.ex., Austrália. Fazem viagens de milhares de kms em estradas onde não há nada. Os camiões a terem de carregar de 400km em 400kms nem saem da cidade de origem.
          Isto é solução regional

          • JJ says:

            Isso não será para uma solução para Austrália!
            Mas para uns EUA ou uma Europa é bem viável.

            Serve muito bem para viajar de Lisboa-Madrid, por exemplo.
            Na Europa é menos comum andarem dois motoristas no mesmo camião.

          • Cortano says:

            Lisboa-Madrid é praticamente regional 😉
            Para os EUA também pode não ser solução para os longos cursos.

            Enquanto não tiveres postos de carregamento de 200 em 200 kms isto nunca pode ser considerado para longo curso

          • JOSE PEREIRA says:

            VOU POR ORDEM NAS IDEIAS DAS PESSOAS QUE NAO PERCEBEM NADA EM ENERGIA E COMENTA-O O QUE NAO SABEM ,POIS EU SOU INVENTOR DE GERADORES DE ENERGIA GRAVITACIONAL E VOS DIGO QUE ESTE TIPO DE DE TECNOLOGIA NUNCA VAI A VANTE,POIS AGORA E FÁCIL DIZER QUE E UM BOM VEICULO,POIS UTILIZA ENERGIA ELÉTRICA E NAO E POLUENTE MAS QUANDO TODAS AS TRANSPORTADORAS COMPRAREM CAMINHÕES ELÉTRICOS E QUE TIVEREM DE CARREGAR TODOS AO MESMO TEMPO NUM POSTO DE ABASTECIMENTO ELÉTRICO NAO HAVERÁ ENERGIA SUFICIENTE PARA ESTAR 20 OU TRINTA CAMINHÕES A CARREGAR AO MESMO TEMPO POIS DEVERIA HAVER AO PÉ DE CADA POSTO UMA CENTRAL PRODUTORA DE ENERGIA POR VOLTA DE 10 MW DE ENERGIA PRODUZIDA E RENOVÁVEL DE PREFERENCIA,O QUE SERIA ABSURDO EM TERMOS DE POTENCIA E DE INFRAESTRUTURAS PARA DEBITAR ESSA POTENCIA DE ENERGIA,O FUTURO O DIRÁ MAS ESTOU CONVICTO QUE SERA IMPOSSÍVEL ,A ENERGIA ELÉTRICA NAO FAZ MILAGRES,SÃO ESTRAI- DOS TRILIÕES DE LITROS DIARIAMENTE QUE DEVERIA O SER CONVERTIDOS EM KILOWATTS,UM ABSURDO

      • Popopo says:

        Se não me engano Elon disse que era com o camião a carga máxima (80 mil lbs ou aproximadamente 36 toneladas). Também com a carga máxima (e aqui tenho a certeza) faz 0-100km/h em 20 segundos (!!). Outra vantagem é a possibilidade de criar um ”comboio”, o camião da frente tem condutor e depois podes ter mais 2 atrás sem condutor a seguir o principal.

      • Cortano says:

        Dica: Vão pesquisar sobre as tecnologias atuais, que existem nos modelos atuais os volvos ou Mercedes. Vejam a segurança e comportamento em estrada. Vejam a tecnologia da Mercedes em modo Convoy ou Volvo em segurança ativa.
        Não sei se viram um video real, de umas crianças na Noruega que saem do autocarro e atravessam sem olhar. Há um Volvo FH que trava a tempo sem atropelar uma delas.
        As notícias dizem que foi reflexos do motoristas, mas não foi, aquilo foi o computador do camião que travou e salvou a miúda.

    • Ruy Acquaviva says:

      É conhecido que os motores elétricos possuem melhor tração que o motores diesel e são mais adequados ao transporte pesado. Tanto que as locomotivas diesel-elétricas dominaram sobre as locomotivas diesel nas linhas férreas não eletrificadas. Naquelas o motor diesel é usado para gerar energia para os motores elétricos que efetivamente movem o comboio.
      O uso da tração elétrica para transporte de cargas faz muito sentido. Na Suécia está sendo testado um sistema de transporte de carga pesada usando linhas de transmissão sobre as estradas, com os camiões possuindo um contato semelhante aos utilizados nas locomotivas elétricas. Esse sistema pode complementar o uso de baterias, aumentando muito a autonomia dos camiões em longos percursos nas estradas principais.

      • Cortano says:

        Isso da traçao é tanga que estás a dizer. Os camiões hoje em dia já possuem tração independente aos 2 eixos ou podes bloquear o diferencial se for preciso.
        Isso das linhas de transmissão é muito giro em auto estradas. Como é fora?

  7. Bruno Miguel Silva Pereira says:

    “Traz uma bateria de 20 kWh que permitirá ter uma autonomia de 1046 km…” deve haver gafe na capacidade da bateria, não será antes 200 kWh? Falo isto por comparação com os modelos já lançados da Tesla que com baterias de 100 kWh não tem autonomia para 600 km, com 20 kWh fazer 1000 km ainda por cima num desportivo, tinha que haver uma evolução da tecnologia descomunal.

    Continuem com o vosso bom trabalho.

  8. Dani Silva says:

    O Tesla Semi tem 4 motores iguais aos do Modelo 3… 1000 cv não é a potência do Modelo 3, é cerca de 4 vezes menos (250 cv)

  9. darkvoid says:

    Começo a ler o artigo e deparo-me logo com afirmações estranhas:
    “…irão entregar uma potência equivalente à do Model 3, ou seja, cerca de 1000 cavalos.”
    Onde é que o model 3 tem 1000 cavalos ou motores equivalentes?

  10. Dani Silva says:

    O preço para o novo Roadster será de 200.000$ para o modelo base, 250.000$ para o modelo “founders series”.

    Esta máquina redefine completamente o mercado automóvel! A partir de hoje, qualquer Ferrari, Lamborghini ou até Bugatti parece uma charrete puxada por bois…

  11. Pérolas says:

    Gostava de ter um… Era tipo um “RV” em grande, eléctrico e com uns paineis solares no tecto ficava 5* 😀

  12. WF says:

    Roadster que pode ir aos 400KM/h com 2 lugares para adultos à frente, compreensivel. Agora 2 lugares para crianças atrás… num roadster? … logic

  13. TugAzeiteiro says:

    Só vejo é dores de cotovelos… num site dedicado a tecnologia a quantidade de pessoas a criticar a TESLA é incrível! Os únicos que realmente INOVARAM o “carro” nos últimos 100 anos… e é só criticas! Cambada de tristes… devem pensar que é fácil o que a TESLA está a fazer… E quanto aos preços, há 25/30 anos atrás quando os computadores começaram a chegar às nossas casas, também deviam pensar que eram baratos!! A maioria dos que comenta aqui nem essa idade deve ter…

  14. Jeba says:

    portefólio ???
    Latim a esta hora não

  15. Mambo Cruz says:

    Para quem acompanha o que vai acontecendo com a industria automóvel… percebe-se que a Tesla está a entrar na 2ª geração de elétricos enquanto as restantes marcas refletem se devem fabricar carros eletricos. Para quem acompanha a Tesla à alguns anos… tudo o que foi prometido é praticamente uma certeza, havendo apenas a possibilidade de se atrasar no tempo, especialmente as baterias de 200KW que suspeito poderão dependem de alguns avanços tecnológicos que possibilitem melhorar a densidade energética e colocar a bateria de 200KW num carro tão pequeno. Mas não se iludam, os valores apresentados foram obtidos nos protótipos… por isso não são teóricos!

    • Rui says:

      Não digas disparates!
      Quase todas as marcas já têem carros eléctricos ou com baterias ou com produção de energia recorrendo ao hidrogénio ou até híbridos, à anos!!!!! A Tesla não foi a primeira a produzir carros eléctricos, não percebo é tanta publicidade à volta da Tesla, quando há soluções à venda no mercado dezenas de marcas com vários modelos eléctricos. Só para referir uma marca, a BMW tem série 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, x1, x3, x5, x6 híbridos ou mesmo eléctricos como o i3 e i8. E se fores ao stand, tens para entrega, não precisas de esperar anos! Tens o Nissan Leaf, Renault, Mercedes, etc, etc….. mas a Tesla é a mais melhor bom, não é?

      • Paulo Gonçalves says:

        Nenhum desses modelos que indica tem a autonomia dos Tesla, logo por ai tem uma diferença que para a maioria das pessoas faz toda a diferença. Mais o objetivo da Tesla sempre foi apresentar um veiculo eletrico sem que isso significasse abdicar do quer quer quer fosse, autonomia e performance, em nenhum outro veiculo eletrico tem isso.

      • Mambo Cruz says:

        He he he he…
        Existiam tantos carros elétricos, que quase ninguém os comprava: eram feios, muito muito lentos e as marcas não sabiam como haviam de fazer para os vender… Resumindo, estava tudo bem!
        Já agora uma pergunta: O meu carro a gasóleo tem uma bateria e luz eléctrica… Será que também entra na tua classificação de carro eléctrico?

      • Rui says:

        estas a gozar certo? o i3 é caro e lento, super impratico, tens de abrir a porta da frente para poder abrir a de tras!! hibrido não é o mesmo que eletrico! Renault com o novo zoe é um bom esforço mas o carro não passa dos 130km/h e a autonomia real ronda os 250/300 e depois para o preço não ser absurdo o interior deixa a desejar mesmo para um Renault. o unico concorrente da tesla neste momento é o opel apemra-e…

        • sm says:

          Errado.
          Passa doas 130 km/h, não passa dos 140 km/h.
          Contudo, dá os 140 mesmo a subir.
          O I3 é extremamente rápido (nos arranques, claro).

        • Daniel says:

          Quanto ao Opel âmpera I ainda há dias veio uma notícia de que iria ser pouco vendido na Europa porque iria ficar mais caro e porque não havia capacidade de produção.
          Isto de produzir automóveis tem muito que se lhe diga. Mesmo a Nissan que tem o Leaf à um bom tempo, acho que apenas vendeu 250 mil unidades, e apesar de ter apresentado o seu novo modelo em setembro apenas começa a vender para o Ano, e creio que antes houve protótipos. Desenvolver um carro demora muitos anos mesmo para as grandes marcas, a Tesla até é dos fabricantes que desenvolve mais rápido, mais inovador, apesar de ter menos experiência.
          A tesla pretende produzir para o ano cerca de 500 mil automóveis, elétricos mais do que qualquer marca produziu, logo este objetivo e´é bastante ambicioso, e mesmo que não seja totalmente atingido, não deixa de ser algo notável. A tesla também vai produzir as suas próprias baterias, que creio que ninenhuma marca o fassa, pelo menos na totalidade.

          Se falarmos de carros elétricos é claro que a Tesla está claramente à frente dos outros, e apesar dos preços elevados dos seus modelos, creio que é a marca que mais unidades vende. Se falarmos do mercado de automóveis global, claro que a Tesla tem uma quota baixa, mas não podemos comparar a Tesla com cerca de 10 anos com marcas com mais de 100 anos, e não esquecer que a produção de carros é um negócio que é difícil entrar.
          Segundo boatos tanto a Apple como a Google consideraram produzir carros, mas apesar de todo o seu poder económico consideraram que era um negócio difícil.

  16. carlos says:

    Está tudo muito bem menos a velocidade! 400 km/h é criminoso, quando o máximo é 120 por hora! Já não basta a mortandade nas estradas e os muitos condutores criminosos e infratores?! Os carros não deviam poder ultrapassar os 120, tal como as aparelhagens para casa e carro não deviam poder passar os 5 Watt de potência! Afinal é um carro ou um avião?! Apostem mas é nos Carros Autónomos, sem condutor, está tudo à espera dessa grande mudança que vai acabar com os milhões de morts na estrada!

    • Rui says:

      e depois como é que o estado ganhava dinheiro com as multas? e sabes que existe circuitos fechados inclusive em Portugal onde podes andar como querer!!

    • JJ says:

      Talvez já se mudava era a lei dos 120km/h… que foi feita quando os carros pouco ou nenhuma segurança tinham!

      Alem disso culpa-se o excesso de velocidade pelos os acidentes, mas isso não significa que seja acima dos 120km/h em autoestrada. Normalmente o problema dos excessos são andarem nas estradas nacionais a 120km/h ou mais.
      Alias, normalmente a mortalidade da estradas por excesso de velocidade, acontece em cidade e estradas nacionais.

  17. Cortano says:

    Contínuo com a minha dúvida: Como vão fazer no futuro com as baterias em fim de vida?

    • Ruy Acquaviva says:

      As primeiras baterias de íons (ou iões, como preferir) de lítio usavam eletrólitos com produtos tóxicos e o reaproveitamento do lítio era comercialmente inviável. Atualmente o quadro mudou muito. A nova geração de baterias de lítio com eletrólito de fosfato de ferro permite completa reciclagem dos materiais das baterias, além de eliminar o risco ambiental de toxicidade do eletrólito.
      Estamos vivendo um momento em que a tração elétrica está no limiar da usabilidade. A maior barreira à adoção da tração elétrica é em relação à escala de produção para redução de custos e a infraestrutura de postos de reabastecimento e essas não são mais questões puramente técnicas mas envolvem questões econômicas e sociais, já que a escala de produção e a vontade política em investir em uma rede de abastecimento representam limitações maiores do que a tecnologia de baterias.

  18. Nuno Palma says:

    Sou o único que reparou que vai ser dificílimo pendurar um calendário da michelin??? Stupid truck…

  19. falcaobranco says:

    Não sei se o típico camionista vai gostar desses monitores… sim, sejamos realistas, todos nós já vimos como eles conduzem e fazem as manobras… agora com monitores??? Nah…não acredito!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.