PplWare Mobile

Panama Papers: A maior fuga de informação da história


Autor: Pedro Simões


  1. Zefra says:

    Mais do que os Terabytes, gigabytes ou Kilobytes de informação deveriam apertar os calos localmente. Nos outros países, é com eles, em Portugal não é apenas o Ricardo Salgado e o seu grupo. Há mais alguns dentro de Portugal que não humanidade alguma e muito menos vergonha ao fazerem desvios colossais. Esses nomes deveriam revelados e na comunicação social se há gente que “os tem no sitio” não deviam ter medo. Esta manha ja ouvi que quase de certeza vão esconder informações.

  2. umx says:

    Não acredito que esta informação tenha estado um ano a ser processada e que os visados pela investigação não tenham tido conhecimento

  3. Ricardo M. says:

    Acho que a Apple devia abrir um banco. Estes gajos não respeitam a privacidade de ninguém.
    Só quando a Apple abrir um banco vou sentir que o meu dinheiro está seguro!

  4. rui says:

    Um esquema tão complexo tinha que ter um português envolvido. Podemos ser bons a elaborar esquemas mas somos muito maus a escondê-los.

  5. samuel says:

    É isto meus amigos. só não rouba quem não pode, quem não tem o que roubar. Se eu tivesse o poder também roubava. Ia ser a ovelha\burro no meio dos lobos?

  6. darksantacruz says:

    O capitalismo no seu melhor!

    • jorge santos says:

      Isto não é Capitalismo.

      Esta corrupção acontece em qualquer modelo económico ou político. O problema são as pessoas… sempre é e sempre será…

    • Rui says:

      Pois, pois, o capitalismo é o culpado. O czar Putin da Rússia é capitalista (na conta bancária já vimos que sim, no resto eu tenho dúvidas). E a monarquia saudita? E secalhar também encontramos muitos governantes africanos, mas em nenhum desses países impera o capitalismo!!!!!

      • darksantacruz says:

        O modelo tem falhas logo também é culpado! Para além de permitir estas “falhas” gera desigualdades… não me vou alongar pois é uma discussão para horas. Será um desafio para as próximas gerações encontrarem um modelo que se ajuste às pessoas.

      • Luís Garcia says:

        Putin não é comunista, e putin não tem conta nenhuma no Panamá, portanto não vejo a ligação.
        Desde quando uma monarquia é incompatível com capitalismo? Então e o Reino Unido? E que parte do sistema económico-financeiro da Arábia Saudita não é capitalista?

        E que parte do sistema económico-financeiro dos estados africanos não é ultra-capitalista? Capitalismo de rapina, selvagem, escravizador?

        Vives em que mundo tu? Méééééééé´

  7. int3 says:

    Ainda falam mal do capitalismo lol.

    • Alpha says:

      Essa é a ignorância. Capitalismo não é um sistema politico é um comportamento humano. Estas coisas vão continuar a existir enquanto houver estados pesados e compadrio com privados, isso tem tudo a haver com SOCIALISMO e malta que enriquece com o estado, não tem nada a haver com capitalismo ou liberalismo. Mas enquanto pensarmos assim vamos andar a bater na porta errada e alegremente a aceitar que tenhamos um estado monstro e uma elite que o domina através da política.

      • tobias says:

        e eu acrescentaria: a ter uma sociedade civil medíocre, subsidiodepente do dinheiro de todos e onde até os empreendedores e os empresários a maior parte vai mamar de fundos estatais, ou de alguma forma tem a ajuda do estado, mas que depois mordem a mão de quem lhes dá de comida, em comentários bacocos.

    • Rui says:

      Achas mesmo que o problema é do capitalismo? Vê lá quem aparece na lista, tens pessoas desde a extrema esquerda à extrema direita, de todo o tipo de países do mundo!

  8. eu sou pobre says:

    Procurei e procurei e não apareço nesses documentos… sou pobre… muito pobre…

  9. João says:

    Tantas cabeças vão rolar…

    • Miguel says:

      Começo é a desconfiar deste documentos.
      A um ano que são conhecidos e só agora aparecem?

    • mad says:

      não rola nada, o que vai acontecer são novas leis e restriçoes á internet estes tipos têm a faca e o queijo na mão, são lobbys muito poderosos que influenciam toda a sociedade e a opinião publica. Já parece os politicos portugueses que têm tanta porcaria feita com implicações muitos em casos de corrupção e não vêm nenhum demitir-se nem com vergonha pelo contrario ainda se riem do povo. Olha o passos coelho com os recibos verdes, olha a antiga ministra das finanças do PSD que saiu é deputada e ainda assiste no privado umas empresas com informações, olha o deputado do PS que tinha 650mil euros numa conta e nunca declarou, vês algum preocupado!!!!! a maquina está toda controlada ainda pensei que o Bloco de Esquerda e PCP fossem diferentes mas entraram no jogo porque são pessoas e no fundo só pensam no beneficio proprio e das suas familias (vai ver o caso dos eurodeputados portugeses quantos têm a familia toda na lista de remunaração de cada um dos seus gabinetes) é a lei da sobrevivencia nivel 10000 em que não é o mais forte a vencer neste caso é o mais influente e sem caracter. A questão é que podemos nós fazer para recuperar o controle e ser imunes ás sanguesugas que são alimentados por quem trabalha e vive miseralvelmente.

  10. Asdrubal says:

    Esta é uma empresa.
    Faltam outras milhares de empresas que gerem offshores. Só para ter uma ideia.

  11. Vasco says:

    A realidade é simples!!!
    O mundo está dividido em aqueles que “podem”… e os que não “podem”…
    Não acredito que os que podem… estejam tão preocupados como aqueles que não podem!!!

  12. Rui Santos says:

    Onde está o dinheiro está o ladrão…

  13. fp says:

    Nada que ninguém já não desconfiava, isto só vem validar suspeitas. No entanto, esta informação de nada servirá porque ficará tudo na mesma.

  14. Alpha says:

    A maior parte da malta envolvida tem como objectivo esconder ganhos, não só por questões fiscais, mas sim corrupção à volta dos estados. Enriquecem todos alegremente dos impostos que somos obrigados a pagar.
    A falta de inteligência é sugirir como solução destes problemas vir com o chavão dos ” males do capitalismo” e cair em cima das offshores e taxar ainda mais (aumentar o estado) para estas individualidades se rirem ainda mais. Quase tudo se resolvia se não vivessemos no inferno de impostos que temos e o estado fosse muito mais pequeno.

  15. Barão Vermelho says:

    Au ler este tipo de noticias fico admirado é como não há mais pessoas a radicalizarem-se , e a cometer atentados, infelizmente os que o fazem escolhem é mal os alvos.
    Os nomes das pessoa envolvidas são daqueles que estão sempre a lembrar aos outros que temos a obrigação de pagar impostos.
    E quem paga é sempre os mesmos.

  16. silva says:

    com tanta tecnologia não conseguimos ver as safadesas deste que governam o mundo, cada dia que passa nos tornamos mais viciados na tecnologia, já não conseguimos se quer ser nos mesmo. depois dizem que existe terrorismo, eu não acredito, com tanta tecnologia . num so dia de atentado gerou milhares de milhões de euros, sera que esto tudo não passa de uma armacão para gerar dinheiro, já que os governantes matam as pessoas lentamente, com falta de emprego, falta de tudo.

  17. Luis Figueira says:

    Vai dar no mesmo que deu o wikileaks, em nada!

  18. Cristiano Quintela says:

    Alguém sabe como essa informações vazaram ou foram obtidas?

  19. Alpha says:

    Há 3 tipos de pessoas ali envolvidas que devemos ter em atenção, nem todos os que usam offshores é para negócios ilegais!

    Há:

    – os políticos corruptos que são eleitos através de discursos populistas/socialistas e que depois são apanhados nestes esquemas (sabe bem ser socialista com o dinheiro dos outros e ganhar algum pelo meio)

    – os indivíduos que estão a esconder dinheiro sujo que resulta de negócios com os anteriores enunciados

    – os indivíduos que ganharam o dinheiro de forma honesta e apenas querem fugir de um roubo chamado IMPOSTO, dado que não pretendem contribuir ao nível de impostos que os tentam obrigar a pagar.

  20. Larsen says:

    O problema não é eles ir para os paraísos (fiscais);
    O problema é obrigar nos a ficar no inferno (fiscal).

    • Alpha says:

      nem mais… +1

    • Tomás says:

      o facto de muitas fortunas irem para os paraísos fiscais ajudam a que estejas no inferno

      • Alpha says:

        Errado, é graças a elas que tens emprego. Pagam-te o ordenado, incentivam à inovação…
        O inferno é pagares um balurdio de impostos que te tiram a motivação de produzir mais para alimentar uma elite que vive dos impostos e uma parte da população que vive à conta da outra parte.

        • Tomás says:

          Achas que este dinheiro serve para pagar salários cá e investir em inovação? Em que mundo é que vives? Se uns não pagam impostos porque enfiam o dinheiro em paraísos, outros têm que pagar mais… não pensaste nessa parte?

        • Peter says:

          Errado. Nao vejo elites. Vejo é inovadores e empresários a mamar de Dinheiros públicos e depois a fugirem aos impostos que deviam pagar. Dupla mama. Se querem um modelo puramente liberal nao ande atras de dinhiros públicos para desenvover a ideia. Trabalhem para isso. Os lobbies do emprendorismo e inovação pululam em todo o lado

  21. ZiLOG says:

    Amanhã vai cair no esquecimento e nunca mais se vai ouvir falar disto…

  22. AlexAlex says:

    O interessante é que essa associação é mantida por grandes meios de comunicação de varios países, e eventualmente por outras grandes empresas. Aposto que não há ninguém que esteja de alguma forma ligado à essas empresas na tal lista; ou os que estão ligados aos meios de comunicação são todos religiosos pagadores de impostos? Se fossem, não seriam grandes meios de comunicação pois não teriam capacidade financeira para competir no mercado.

    Vejo essa associação mais como um grupo de jornalistas que tiveram uma grande ideia de negócios para extorquir muito dinheiro à quem tem: ou começa a “descontar” para a associação ou suas aplicações vão acabar expostas em algum vazamento. Lembrando que estabelecer estruturas off-shores para a prática de elisão fiscal é perfeitamente legal – diferente do branqueamento de capitais.

    Além disso, não conheço absolutamente ninguém, que tendo montantes de dinheiro muito relevantes, não vai tentar uma forma evitar os impostos, pois ninguém é idiota de acreditar que o Estado (qualquer um), o que é, na prática, um grupo de políticos atuando em prol de seus objetivos pessoais bem definidos, vai investir o dinheiro dos impostos de forma realmente satisfatória ao público.

    O dinheiro sai todo do bolso das pessoas, e são aplicados pelos Estados de forma a garantir a agenda pessoal daqueles políticos no poder; ou o dinheiro sai do bolso do contribuinte para o ficar a disposição de outras pessoas. Assim, meu dinheiro prefiro no meu bolso.

    • AlexAlex says:

      Para aqueles que acreditam que apertar os off-shores é o caminho, devem reparar que muitos poucos (ou mesmo nenhum) americanos vão aparecer na lista. Os americanos têm que descontar para o IRS americano mesmo que lá não vivam e não possuam qualquer tipo ligação além da nacionalidade – ressalvados questões de tratados para evitar dupla tributação.

      Os EUA, em especial o governo Obama, têm caçado essas aplicações/estruturas de cidadãos americanos de todas as formas possíveis, incluindo a imposição de coisas como o FACTA – o que em tornado caríssimo manter essas estruturas para cidadãos americanos e, muitos já não aceitam americanos como clientes, mesmo na Suiça. E, tem conseguido com isso forçar todos para pagar multas e os impotos relativos as aplicações off-shore que possuem, mesmo que a legislação envolvida diga que não têm que pagar.

      O resultado prático *real* é que os americanos que possuem muito dinheiro, e aqueles não necessáriamente possuem mas vivem fora dos EUA por algum motivo, estão adquirindo outra nacionalidade (qualquer uma que conseguirem o mais rápido possível) – quando adquirem, e em seguida renunciam a nacionalidade americana. Deixam o país, mantêm suas estruturas off-shore e retiram tudo que possuem nos EUA de lá, para cortar qualquer conexão.

      A maioria está seguindo para o Canadá, que oferece impostos bem baixos por varios anos para quem for lá investir, e não está a caçar operações off-shore de seus residentes – sejam nacionais ou não. Para aqueles mesmo muito ricos, Singapura é o destino preferido e, se pesquisarem verão que o país está abarrotado de apátridas.

      Resultado: a caça aos cidadãos americanos com estruturas para elisão fical praticada pelos EUA aparentemente está a dar resultado, uma vez que muitos poucos americanos possuem atualmente essas estruturas e fogem aos pagamentos de impostos para os EUA – até porque os bancos e as law firms se recusam à formá-las. Mas, na realidade, o que estão conseguido é que além de ficar sem o dinheiro que estão nas off-shores (salvo o pagamento momentâneo de multas e impostos), também estão ficando sem o dinheiro que lá estava e os impostos relativos.

      Basicamente, os milionários estão deixando os EUA *aos milhares* todo ano, e levando o todo o dinheiro que possuem junto. Em quanto isso, não param de chegar mexicanos (e outros) pobres.

      Inclusive, já existem escritórios especializados nessas operações “Escape from America”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.