Haverá amor à primeira tecla?


Destaques PPLWARE

45 Respostas

  1. Francisco says:

    Posso falar do meu caso, a minha namorada conhecia através de um jogo (League of Legends), através de amigos de amigos(etc) fizemos alguns jogos juntos, ela não gostava de mim xd, mas depois fomos conversando e as coisas mudaram de figura, já vamos a caminho de 2 anos de namoro, ela é dos Açores e eu de Braga, mas já fomos estando juntos algumas vezes (quando o dinheiro permite, god bless Ryanair que vai criar viagens lowcost), neste momento estou a fazer este comentário de casa dela.
    Se é diferente? Claro, não posso ir ao cinema com ela e tudo que seja actividades que duas pessoas juntas fisicamente podem fazer torna-se impossível. No entanto isto também obriga a algum uso da imaginação para tornar as coisas um pouco diferentes. Estamos sempre no Skype em video chamada, e sabem como é o nosso cinema?
    “Amor vamos ver um filme hoje? Sim!” Ok partilha de ecrã no Skype.. e pronto estamos a ver o filme juntos (video chamada no Hangouts). E desta forma vamos tentando minimizar a distancia 😉
    Se ás vezes há sentimos como ciumes e receio que algo se altere, que se calhar se ela estivesse ao meu lado não havia? Sim há, mas tudo se resolve e se aguenta.
    Fico um pouco, desiludido quando por vezes oiço falar na televisão, ou até mesmo em conversas de “café” sobre este tema e as respostas são sempre “Namoros a distancia não resultam blablabla” Penso que são pessoas que não fazem ideia de como usar um computador e Internet também.
    PS: Acho que não me esqueci de nada neste testamento, Desculpem la o tamanho 🙂

    • Rui C says:

      Boa sorte.

      Cerca de 90% dessas relações à distancia acaba mais tarde ou mais cedo.

      • Marisa Pinto says:

        Tens dados científicos que corroborem essa estatística?

      • Francisco says:

        Todas as relações tem probabilidades de acabar mais cedo ou mais tarde, não? Sou filho de pais divorciados e a relação não foi a distancia..

        • Tavares says:

          Rui C,não sei onde foste “buscar” esses números…não consegui encontrar esse estudo!! Já agora diz-me qual a percentagem de casais que se conheceram “normalmente” que passado algum tempo se separaram,divorciaram,etc.! “Rais parta” os preconceitos…

      • NT says:

        Boas,

        Entoces estou nos 10%. 😛
        Também conheci a minha “maria” na net. E já sou casado e pai de filha. Na altura era o IRC e o ICQ(mais irc mas pronto).
        Mas como na ‘vida real’, existem pessoas honestas e outra gente que não o é. Como online é mais fácil comunicar (por exemplo eu provalvemnte não iria conhecer a minha mulher devido á distância geográfica) e essa facilidade faz com que o número de interações aumente, o pessoal diz que é um mito essa coisa de conhecer a sua cara metade online ou que as relações não são para durar.
        Já agora, para o pessoal mais velhinho, quando usam/usaram o IRC estão a ‘falar’ para uma sala cheia de gente. Quando de nós chegou a um café, com pelo menos 30 ou 40 pessoas(desconhecidas) e gritou ‘BOA NOITE PPL’ ???? Online fazemos isso ‘sem medo’ e normalmente até obtemos resposta.

    • Marco says:

      Francisco boa sorte rapaz! 😉 Conheco histórias de sucesso como de insucesso por isso nao ligues a estatisticas

    • Tiago says:

      força man, so posso dizer isso. tive uma relaç\ao Açores-Porto tb 🙂 e durou 2 anos. 1 ano à distancia e mais 1 perto um do outro 🙂

      era fixe, o sentimento cresce exponencialmente e tudo é “importante” nesta relacoes. cuidado apenas com o ciúme à distancia que mata a relação.

      Aproveita esta grande terra, os açores 🙂 eheheh

      grane abraço e força…ha ta gente por ai que se conheceu através da net. Alias, a net é apenas e somente uma maneira nova de conhecer pessoas. Não namoradas com a internet, mas com a pessoa que está do lado de la. ponto 🙂

    • Marisa Pinto says:

      Fantástico testemunho! Parabéns e obrigada pela partilha! 🙂

  2. Tavares says:

    Marisa Pinto…claro que existe!!
    https://www.youtube.com/watch?v=Q6eZO4Glcuc
    Na internet tudo se encontra…tudo se ganha…e tudo se perde!!

  3. RSTS says:

    Artigo interessante e não muito comum num site sobre tecnologia, tenho de dar os meus parabéns a Marisa por isso, talvez a sensibilidade feminina ajude a abordar o tema.
    Fico satisfeito pela abordagem que pode consciencializar algumas pessoas e a desfazer alguns mitos, mas principalmente promover o pensamento e discussão sobre o tema que muitas vezes é visto e associado a um qualquer tipo de libertinagem.

  4. Kabindas says:

    To all the geeks (“home-based” version) : Get a Life !!

  5. Rui says:

    A partir do momento que fiz o slide para a direita no iPhone não voltei a gostar de outro smartphone! Amor à 1ª tecla 🙂

    Quanto aos relacionamentos à distancia, cada um sabe de si… boa sorte para quem vai por esse caminho. A distancia é ingrata.

  6. Luis Silva says:

    Posso falar tb por experiencia própria, conhecia actual namorada pelo face chat, claro que para nsoc onhecermos melhor e nos habituarmos virtualemnte esqueçam, mas actualmente estou mais perto dela, mudei de localidade, claro que teve outras coisas que facilitaram amudança, mas nestas coisas tanto podem ter sucesso ou nao, o memsoa contece conhecendose fora do mundo virtual.
    Mas tmbém digo, nada acontece por acaso.

  7. Rui Pires says:

    Por mim falo também, comecei a falar com a minha atual namorada pelo Facebook e demo-nos bem até que combinamos tomar um café and so on (somos ambos do Porto), e hoje em dia estamos juntos faz amanhã 2 anos e 7 meses 😀

  8. P4W says:

    Por aqui também há uma história identifica de namoro através da “net”. Foi em Fevereiro de 2012 (salvo erro), que comecei a falar pelo MIRC com a minha actual esposa. Na altura apenas 100km nos separavam. Namoramos 10 anos e estamos casados há 2 anos. Temos uma filha e somos felizes.

  9. Isabel Alves says:

    Conheci o meu namorado no Second Live em 2009, namoramos e casamos virtualmente.Após 6 meses decidimos nos conhecer pessoalmente.como ele era de Roma e eu de Lisboa, decidi ir eu conhece-lo.ele mudou-se para portugal em 2011 e em 2015 casamos.Somos incrivelmente felizes e muito cumplices.

    • RJCA says:

      Por acaso eu ia focar esse mundo virtual porque tenho 2 “amigos” do SL, ela Americana e ele Holandês e após algum tempo de convivência online os 2 juntaram-se , casaram-se na Holanda e têm uma linda menina. Apesar de atualmente ter perdido o contacto com eles esta situação é para mim extremamente gratificante porque 2 pessoas de países diferentes, graças à Internet, conheceram-se e avançaram nas sua relações. Até quando não sabemos mas isso depende das pessoas. 😉

  10. Rúben says:

    Boa noite,

    Eu não passei por isso no entanto tenho uma história bastante chegada a mim de sucesso.

    Eu e a minha família somos do Ribatejo, e o meu irmão, numa viagem de finalistas (9.º ano), conheceu uma rapariga na Polónia, portuguesa, que se encontrava lá a viver com os avós, ele com 15 anos e ela com 16 anos nessa altura.

    Mantiveram contacto depois da tal viagem pela Internet durante uns meses até que algo se deu e começaram uma relação, isto ainda com as mesmas idades.

    Temos uns pais que nesse aspecto são muito abertos, com umas ajudas deles e mais uns dinheiros que ele ia juntando foi meia dúzia de vezes passar uma semana ou duas à Polónia.

    Entretanto, ela atingindo a maioridade, começou a trabalhar, juntou uns trocos para poder pagar a viagem para Portugal e assegurar cá 2 ou 3 meses de vida, isto ainda na zona dela, onde tinha conhecidos, na zona da Gaia.

    Tudo começou a ser mais fácil e neste momento, vivem juntos, em Lisboa, já têm um filho e o casamento está para breve, ambos bem servidos e com bons empregos.

    Concluindo, sim, acredito neste tipo de relações desde que se fale certamente com alguém sério atrás do monitor e não com o monitor, especialmente quando tenho um exemplo vivo que muito se desenrolou debaixo do tecto onde ainda vivo.

    Continuações de boa noite.

  11. sakura says:

    “””Haverá amor à primeira tecla?””
    faca a 1º basta ver cliente mmorpg para +18.

  12. Ace Young says:

    Tenho um primo que encontrou a sua companheira pela net, no caso dele foi por um site de encontros, e estão juntos a 3 anos e teem uma filha em conjunto. Por isso é possível sim.

  13. PorquinhoBranco says:

    Eu arriscaria quase dizer que o convencional hoje em dia já é conhecer alguem pela internet! E quando digo conhecer, falo em ficar a saber mais sobre a pessoa, e nao o primeiro contacto. Digo isto porque hoje em dia a primeira coisa que o pessoal faz depois de conhecer alguem pessoalmente é perguntar “tens facebook?”, ou nem perguntar e automaticamente avançar com um friend request. E muitas das vezes é online que acontece a maior parte da “corte”, e quando o novo encontro pessoalmente se dá o “negocio” ja ta practicamente “fechado”!

  14. Ricardo Santos says:

    Gostei do artigo e deixo uma sugestão. Porque não fazer um artigo sobre os diversos sites de encontros amorosos, que na maioria são pagos e muitos apenas para explorar uma carência afectiva por parte dos seu utilizadores.
    Deveriam existir gratuitamente mais formas de duas pessoas se conhecerem de forma gratuita, obviamente para quem quer conhecer outras pessoas com os mesmos interesses sem se encontrarem inicialmente cara-a-cara.

  15. Valter says:

    Sim existe, mIRC, mais de 15 anos, 3 filhos.

  16. Mark says:

    Há duvidas? Já lá vão 4 anos que conheci a minha miúda pela Internet, a distancia que nos separa são mais de 100 Km… Nada é feito a correr, é importante que sejamos coerentes, é necessário construir bons alicerces numa relação, só assim é que elas duram, sejam virtuais, menos virtuais, físicas e menos físicas. Nada é fácil, nem nada na vida está garantido. É como tudo, o sucesso é possível desde que trabalhemos para o ter. Simples!! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.