Tabelas de IRS para 2018 já estão disponíveis! Saiba o que muda


Destaques PPLWARE

38 Respostas

  1. Hugo Gomes says:

    Tomara muitos terem um rendimento bruto mensal de mil e tal€

    • António Fagundes says:

      Estudasses.

      • Bruno M. says:

        @Toni Fagundes… há os que estudam e ganham ordenado mínimo! 😉 E são muitos por aí fora….

      • maxim says:

        se estudaste bem então és a prova viva de que não é preciso ser inteligente para estudar

      • Hugo Gomes says:

        Tenho 2 licenciados em casa não preciso de mais estudos para ganhar o ordenado minimo

      • asd says:

        o meu pai tem o quarto ano de escolaridade e ganha bem mais que muita gente a trabalhar na construção civil… e é cá no país… sabe fazer as coisas, tem a experiencia do seu lado, é a diferença…

        “ah e tal a minha arma tem um clique estranho quando a uso” diz um caçador na loja de armas.
        o doutorado vai ver a mola, averigua que não está danificada e não sabe qual é o problema…
        o velho com experiencia vai reparar que a mola, apesar de estar em boas condições, perdeu força, originando o dito clique estranho.

        infelizmente hoje em dia valoriza-se mais o conhecimento e não a experiencia…

      • Aguamenti says:

        Eu estudei 5 anos um porradão de livros para me oferecerem como primeiro salário 800€ brutos. Agora estou nuns fantásticos 1000€ tabelados pelo sindicato.
        Na verdade, fartei-me de estudar.
        Essa do “estudasses” deixa-me piurso: se fosse por aí, eu devia ganhar acima de muitos licenciados recentes, ainda por cima com as responsabilidades que a minha profissão acarreta.
        Se um dia o médico prescrever 4x a dose máximo ao teu filho recém nascido, reza para que alguém como eu tenha o cuidado de não dispensar o medicamento e contactar o médico. Essa já me aconteceu… e 4x a dose daquele medicamento em particular era bebé à cova.
        Portanto, um trabalho sem grande responsabilidade… nada, mesmo.

        • blabla says:

          Quando diz que estudou 5 anos, espero que seja apenas faculdade para cima, senão essa história não é assim muito fascinante.

          Caso contrário, não faria sentido estudar mais uns 2 ou 3 e deixar de ser farmacêutico?

          • Aguamenti says:

            Se eu não tivesse dado conta do problema da dose, a retirada da minha Carteira Profissional teria sido fascinante. Quanto ao médico, isso eu não sei que a Ordem é outra.
            Não se metem Doutorados e Pós-docs em balcão – tem qualificações a mais para esse tipo de emprego. Esses seguem ensino e investigação, e há regras apertadas para se poder enveredar por esse caminho.
            Apesar de ter sido convidado a seguir Doutoramento, recusei. Não me revejo no mundo do ensino. Uma pessoa olha mais do que para a carteira – também olha para a realização pessoal e profissional e para o que lhe dá gosto fazer.
            Apenas lamento que os farmacêuticos sejam vistos como “empregados de balcão”. É triste estudarmos para ajudar os outros e os outros tratarem-nos assim, com o papo cheio. :/

        • António Fagundes says:

          É preciso saber escolher o que estudar, eu nunca estudei na escola e ganho uns módicos 3500 brutos.
          Empregados de balcão como tu há muitos.

          • Aguamenti says:

            O meu curso tem MUITAS valências. O “infelizmente da história” é que a esmagadora maioria das vagas disponíveis são para os “empregados de balcão” como tu tão desonradamente chamas.
            Eu não estudei nesta área com a expectativa de o ser – há quem o faça e goste! -, portanto não andes a tirar ilações da minha pessoa a esse bom ritmo.
            E se achas que a responsabilidade é apenas de “empregado de balcão”, também estás muito enganado. Não se estuda 5 anos “apenas” para tal.
            Falar de papo cheio está o mundo cheio. Falar com humildade é que já é uma tramóia do camandro.

        • MShaitan says:

          Devias era ter dado conhecimento à ordem dos médicos, têm todos a mania que são a última bolacha do pacote.. Tenho todo muitas desilusões com esses “profissionais”…! E quem tem bebés sabe bem do que falo..

          • Aguamenti says:

            Há limites no que podemos fazer e há actos que geram poucas consequências.
            Enquanto puder detectar estas falhas e não ter uma série de farmacêuticos de bancada à minha volta a mandar bitaites sobre o meu trabalho, a coisa já não vai mal. Pena é que os farmacêuticos de bancada são mais que as mães, mas isso são contas de outro Rosário.

    • JJ says:

      Por isso é que as vezes chateia ver estas tabelas!
      É que a malta que tem um rendimento bruto, abaixo dos 1000€… tem de andar sempre a procura da informação, porque nunca aparece nestes exemplos.

    • pois..... says:

      é apenas um exemplo, e a media nacional, é a volta desse valor

      • Bruno M. says:

        Se menos de 850euros (MÉDIO) é próximo dos 1000 eu sou o pai natal em cuecas!

        É tipo aqueles que ganham 23000 num ano que apenas se dão num determinado grupo social (com €€€ ), pensam que o país vai bem, que não há desemprego, que as pessoas estão bem gordinhas (nos bolsos) e que vai tudo de férias para fora para hoteis 5**!

        • pois..... says:

          em relação ao espectro dos ordenados em portugal, eu acho que 850€ é proximo de 1000€
          Se não achas estás no teu direito :p

        • Woot says:

          23000 num ano é muito? É devido essa mentalidade que as empresas oferecem cada vez menos. Contentas-te com pouco.

          • Bruno M. says:

            @Woot… num exemplo abaixo.,…
            Se achas que ganhar perto de 1600€ / mês é pouco que dirão os trabalhadores que ganham apenas 560€ / mês!!

            Nos subsídios de Férias e de Natal são 3200€ assim do nada! ao contrário dos 1060€ que a maioria recebe!

            Tenta ir para um hotel de 5* com um ordenado de 560€ durante uma semana, se conseguires e compara com quem ganha 1600€!

            @pois…..
            850€ matemáticamente é efectivamente perto de 1000€, no entanto no que toca a dinheiro/ordenados, fica muito aquém dos 1000€!!

            Sabes.. 150€ nos bolsos das pessoas é muito dinheiro! E numa família de 3 ou mais pessoas faz muita diferença por isso, sim, não é próximo dos 1000€!!

          • Bruno M. says:

            P.S.: Realmente, a vossa mentalidade deixa muito a desejar!
            Ou isso ou não têm a mínima noção da vida que as pessoas têm e da realidade do país!
            Enfim,,, tipico zé tuga que ainda vivem num mundo de fantasias… bem ao estilo do passos coelho!

        • António Fagundes says:

          Ir para fora para hoteis 5 estrelas sai barato, experimenta fazer o mesmo cá dentro, aí sim é preciso bolsos fundos, até agora no verão ficava sempre pelo algarve, mas já começo a pensar acabar com essa mania e poupar algum.

          • Bruno M. says:

            @Toni Fagundes… sim, realmente sai barato.. deve de ser por isso que um trabalhador com ordenado mínimo fica num 3 estrela eee… ee…. se conseguir poupar para ir de férias!

            Triste mentalidade… .

        • Woot says:

          @Bruno M.

          Estás a fazer mal as contas.
          23000 anuais são perto de 1150 na conta líquidos mensais e não 1600.

          Óbvio que eu não estou a comparar com quem ganha 580€ não é isso que está em questao, o facto é que 1150€ é pouco no geral. E não é preciso pertencer a nenhuma classe alta como sugeres e só se dar com “malta dos €€€”.

          Se fores a uma entrevista e pedires 800 porque ganhas 580 e 800 parece muito, e se todos os outros que lá forem a entrevista pedirem 1600 óbvio que te vão aceitar. Até podes ser uma besta mas és o que trás menos custo para a empresa. Infelizmente é assim que hj em dia funciona. Se todos forem como tu os ordenados não sobem porque as empresas pensam sempre “com 1600 vou buscar 2” e “Há sempre alguém que pede menos”. Para mudar isto temos de mudar todos juntos, incluindo os que ganham pouco.

          • Bruno M. says:

            @Woot..
            Segundo as minhas contas, 23000 / 14 ( com subsidio de ferias + natal) da 1640 euros +/-… Os valores que falei sao liquidos nao brutos!!

            Ainda assim 1150 é um ordenado ja muito bom face ao ordenado minimo que temos!!!

            Nao concordo com o ordenado minimo de 600€ – deviamos de estar a par com Espanha ou melhor ja que o nivel de vida e precos sao identicos nos bens essenciais!!!

            1150€ é pouco no geral?? Ok..
            Deves de recweber um ordenado excelente para falares assim.. Normalmente quem ganha bastante ( e 1000 euros ja é bastante face ao nivel de vida / ordenadoa que a maioria ganha. Entao 1600 muito mais!

            Mas onde foste buscar que eu penso que o ideal é ir buscar quem recebe menos?
            Faz o favor e le bem o que disse acima mas antes le TODOS OS COMENTARIOS ANTERIORES pois o meus comentario foi feito tendo em conta todos os outros.

            Dizes que 23000 euros nao é muito.
            Entao 7840 deve de ser um balurdio que é o que parte ganha num ano… Muitos ganham menos!!!

            Realmente para mudar tem que ser por todos. A comecar no Estado a aumentar sem medos e logo para 750 por exemplo e entao fazer com que as empresas paguem acima do ordenado minimo!

            Agora aqui a questao que se pos foi que 850 era proximo dos 1000 euroa.. Nao é!
            150 euros é muito dinheiro para muito boa gente que ganha 7500euros anuais e nao sera assim tanto para quem ganha 15000 euros 20000 euros ou 30000 euros para cima!!!

            Nao vivavivam em fantasias.. 560 euros nao da para muito.
            Casa
            Comida
            Carro + seguro ( para muitos nem para isto da!!)

            E pouco mais!!

    • Luis says:

      Quando se vê estas tabelas é que se pensa “devia ter estudado mais”, não é? Se não pensas, está explicado o porque de não receberes acima de mil e tal. 😉

      • Aguamenti says:

        Olha outro…
        Eu olho para estas tabelas e penso “Foi para isto que estudei 5 anos, heim?”.
        Essa dos estudos é um barco que já partiu caminho há muito.

      • JJ says:

        Isso é argumentação mais parva que existe! E que a sociedade “podre” em que vivemos continua a tentar incutir!

        Malta com licenciaturas, alem de cursos adicionais, é que não falta a trabalhar em callcenters, caixas de supermercado ou reposição, bares ou restaurantes. E esses milhares de certeza não ganharam muito mais do que o ordenado mínimo!
        Depois ainda tens aqueles licenciados, que trabalham a recibos verdes nas áreas em que estudaram, mas precisam de ter um bom mês para conseguir chegar aos 1000€, como por exemplos professores que trabalham para as AEC.

        Quem desconheces esta realidade… esta explicado que tem boas cunhas e nunca teve grandes problemas arranjar trabalho.

        O facto de uma pessoa estudar menos que outra, não devia criar um fosso tão grande a nível de ordenados. Alem disso uma pessoa ter muitos estudos não significa que sabia muito… apenas serve para fazer aumentar o ordenado (o que é estúpido).
        Como muitos engenheiros informáticos… anos e anos na faculdade, estruturam redes muitos bonitas, mas depois na hora de passar cabos, alem de não os passar, só fazem asneira, e tem de ser um técnico especializado com 30 anos de experiência a corrigir os problemas, que o Sr. Eng. fez. Afinal estudo para que? Apenas para dizer que sabe e não sabe… e poder ganhar mais? Mas, depois quem realmente trabalha, ganha 2 ou 3 vezes menos do que ele. Grande teoria…

        Alguém que trabalha em AVAC, é tão importante para a sociedade como um médico, por exemplo. E um exemplo disso foi o que aconteceu no Hospital Santa Maria.
        A diferença é que o médico ganha 4/5 mil euros ou bem mais por mês… e o desgraçado que foi fazer a manutenção ao sistema de refrigeração (que certamente terá a formação adequada para o serviço que realiza), deverá estar numa empresa de trabalho temporário, a ganhar pouco mais do ordenado mínimo… e agora se calhar já esta desempregado…
        Já um médico, comete um erro e morre alguém… com meia dúzia de papelada… e no dia a seguir continua a trabalhar.
        O que eu quero dizer, é que se calhar o indevido deveria ganhar mais, pois isso criava maior senso de responsabilidade e por sua vez ajudaria a melhorar a sua atenção e minimizar os erros.

        Numa sociedade como deve de ser, um trabalhador de serviços técnicos ou não técnicos, devia ganhar um valor adequado a responsabilidade e importância que tem.
        Até porque muitos desses trabalhadores, estão a trabalhar para pessoas que ganham, líquidos, 10x mais do que eles. Que mal tinham de ganharem apenas 5x mais?

        • António Fagundes says:

          Isso é tudo muito bonito, mas tens um factor do qual te esqueces, estás em Portugal, e não falo isso por causa dos ordenados, falo isso por causa das competências, tanto o marmanjo que tirou o curso de medicina, direito ou wtv como o zé técnico com o 9º ano tirado à noite tipicamente são maus profissionais, aí está a discrepância típica dos ordenados, ou a pessoa é boa e indispensável e ganha bem ou então a qualquer momento podes mandar essa pessoa dar uma curva e treinar outro macaco qualquer para o seu lugar.
          Por isso o mais importante do que estudos ou do que fazem, é serem bons naquilo que fazem, eu tenho o 9º ano, sou auto didacta e trabalho em PT na área de IT e ganho mais que muitos médicos. Por isso, façam pela vida.

          • JJ says:

            Estas a contradizer-te…
            Primeiro dizes “estudasses”… agora dizes que o mais importante
            é ser bom no que se faz.

            A muita gente boa no que faz… e se o patrão não for com a cara dele, é o primeiro a ser despedido quando houver oportunidade.

            Logicamente, que existem bons e maus profissionais. Mas o problema é quando as empresas olham mais para os números do que para a qualidade dos profissionais que tem.

            Existe muito maus profissionais que ganham muito bem.

            Alem disso, muitos até são bons profissionais, mas como recebem mal e não são recompensados pelo esforço que fazem, chegam a uma altura que simplesmente passa a pensar “não quero saber”. É uma má atitude? É… mas também após 2 ou 3 anos a serem chulados, acaba por ser uma atitude espectável.

            E o problema esta mesmo ai… é que muitas pessoas tem a ideia que essa malta é “tipicamente má profissional”. Contratam alguém, já na expectativa de ele ser mau, e não lhe dão as devidas oportunidades. Dêem-lhes as mesmas oportunidades que outros e vejam se são ou não. Se calhar vão ficar muito surpreendidos, pela positiva.

            Junta-se a esse preconceito que existem em Portugal, com relação aos trabalhadores portugueses, o facto de as empresas quererem que um trabalhador se mate a trabalhar, fazendo o trabalho de 2 ou 3, trabalhar alem do seu horário sem pagamento de extras, pois só assim é que é considerado um bom trabalhador.

            “Por isso, façam pela vida.” – A serio? Dá-me as mesmas oportunidades que tiveste… e se calhar ainda vou ganhar mais do que tu!

  2. Botelho says:

    Onde diz “valor de retenção que sobe para os 632 euros” tem de dizer “valor mínimo sujeito a retenção que sobe para os 632 euros”.

  3. Balearic Soul says:

    Os solteiros sem dependentes continuam a levar no pelo… Alguns não têm filhos porque ganham mal. E ainda são castigados por isso? Que palhaçada de país!

  4. AR says:

    Não consigo fazer zoom na imagem mas parece que o que se representa é a diferença em termos de retenção na fonte para comparação mensal e não a diferença em termos do exercício de irs efetivo (aquele feito em Março /Abril).
    Para quem ganha menos ou mais que o representado nos exemplos é uma questão de fazer as contas com as tabelas novas, que estão no portal das finanças.

    Tenho a felicidade de ganhar bem acima da média nacional mas infelizmente o que não falta é malta com muitos estudos a ganhar uma miséria. Também conheço exemplos ao contrário mas são mt poucos.
    Estar licenciado actualmente não é uma vantagem, não estar é que é uma desvantagem, especialmente nos jovens. É como o inglês.

    Ter filhos faz bastante diferença no orçamento, até devia de haver mais descriminação positiva para incentivar a natalidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.