PplWare Mobile

IVA zero, a nova medida do Governo! PDF com todas as medidas…

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Luis says:

    É o costume…
    Manter a função publica agarrada à xuxa

  2. Rui says:

    O subsidio de refeição +18€ também é para o privado ?

    • Naodouonome says:

      Subsídio de alimentação não é obrigatório por lei, por isso se o tens não te queixes

      • DeathSoldier says:

        Estás te armar em policia agora a tentar controlar o que os outros se podem ou não queixar?!
        É verdade que não é obrigatório por lei, mas também é verdade que é uma excelente forma da empresa não pagar despesas extra a nivel de taxas e parte do ordenado vai limpo para o trabalhador sem aumentar ainda mais as taxas que possui.
        A pergunta dele é completamente válida, ganhes ou não, o máximo possivel sem descontar.
        O problema aqui é que simplesmente aumentaram o teto minimo de pagamento do subsidio de refeição e não o teto máximo.
        Por isso quem já recebe o sub. de refeição no teto máximo, livre de descontos, não deve ser aumentado.

      • Carolina Costa says:

        não é obrigatório, mas tens que disponibilizar a refeição. ou uma coisa ou outra

      • André says:

        Então não sabes da lei. O que manda acima e nunca abaixo da lei geral do trabalho, são as convenções das várias indústrias. Desde que a empresa é signatária do mesmo é obrigada a cumprir pelo menos com o que lá está eatabelecido no acordo, vulgarmente chamado contrato colectivo de trabalho. Praticamente todas pagam, ou têm cantina ou ambos.

    • Renato Martins says:

      Isso já cabe ao teu patrão aumentar-te ou não. Se o fizer não paga mais impostos sobre o aumento até +/- 6€ mês.
      O subs. de alimentação nem sequer é obrigatório ser pago.

    • Repara says:

      Subsídio de refeição é para funcionários públicos:
      +18€/mês = +0,80€ /dia (considerando 22,5 dias). Passa de 5,20€ para 6€
      De facto, quem leva a lancheira com os restos do jantar de véspera vai poder passar a ir aos restaurante.

  3. oiiiii says:

    aposto que os preços vão se manter exatamente iguais ou subir mesmo com o iva a 0%

    • Joao Ptt says:

      Era esse o argumento do governo, que baixar o IVA nos alimentos não teria impacto real porque os comercializadores simplesmente iriam manter o mesmo preço (ficando com a diferença), ou até aumentar à mesma.
      Parece evidente que é isso que irá acontecer, que o português é chico-esperto.

    • Maria says:

      Claro, por isso há medidas que se não forem propostas é só criticas.
      Mas quando o são, não servem para nada porque não secrefletem no consumidor final. Só servem para financiar os negocios, são ajudas aos negocios.
      Por isso a economia de mercado nao funciona infelizmente e o liberalismo só funciona no papel, já que a subsidiodependencia é a regra dos chico espertos. O Estado não deve intervir… mas quando intervem todos se agarram à subsidiodependencia ou visivel ou invisivel com outro nome que se chama abaixamento do IVA

  4. Rui Soares says:

    Estamos cada vez mais parecidos com a Venezuela.
    Dar dinheiro, para suavizar alguma coisa, em vez de reduzirem os impostos do trabalho, para que possamos ter mais alguns euros no final mês.
    País da treta…
    Cambada de xuxas

    • Grunho says:

      Todo o IRS é cobrado ao trabalho, e ao trabalho por conta de outrem. Os negócios e as profissões liberais ligadas a ele não pagam praticamente um cêntimo de IRS. Se baixasse o IRS o estado ficava praticamente sem nada.

    • Grunho says:

      Todo o IRS é cobrado ao trabalho, e ao trabalho por conta de outrem. Os negócios e as profissões liberais ligadas a ele não pagam praticamente um cêntimo de IRS. Se baixasse o IRS o estado ficava praticamente sem nada.

  5. B@rão Vermelho says:

    Vamos ver o que é considerado um cabaz alimentar essencial.
    Há combater mais a economia paralela, há pessoas que vivem deste expediente, enganar meio mundo, enconto não tivermos a esperteza de pedir faturas e declarar rendas pagas a senhorios que não declaram vamos andar sempre de mão estendida.

    • Test User says:

      Estas defender que mais dinheiro, resolve os problemas.

      Então com as bazucas, alta taxas impostos, novas taxas, etc. Nesse caso os serviços públicos deveriam ser de excelente qualidade.

      Se não são todos taxados, é ineficiência do estado. Outra economia paralela dos negócios ilícitos e corrupção como propões cobrar esses impostos,

  6. dfs says:

    Não concordo com o IVA. Para além de beneficiar todos, quem tem menos e quem tem mais, há o risco do benefício não chegar ao consumidor. Seria preferível dar esse valor a quem mais precisa.

    • Mr. Y says:

      Como assim não chega ao consumidor? Ao ser para todos vai atingir todos os consumidores e, por serem bens essenciais que, basicamentem, são a gama de produtos que as pessoas com menos recursos gastam no seu orçamento.

      • Rodrigo says:

        O que ele quis dizer é que pode acontecer o mesmo que aconteceu em Espanha… Que é o mais provável. Medidas tristes… Quem votou neles, espero que esteja satisfeito

        • Mr. Y says:

          Quando Espanha tomou essa medida, o Governo disse que não iria implementá-la por ter acontecido o que aconteceu, ou seja, os preços mantiveram-se ou subiram, até.
          Veremos o que os fez mudar de opinião…

      • Zé Fonseca A. says:

        não chega ao consumidor porque o custo vai ser absorvido pela distribuição como aconteceu em espanha.
        além disso o valor real num cabaz desses produtos seria de 2€ a menos, e vocês sabem sequer que produtos estamos a falar? há muito produto essencial que nem consta como essencial.

        • David Guerreiro says:

          Porque na sua maioria serão produtos de pequeno valor e com IVA a 6%, ao retirar os 6% na maioria dos casos são cêntimos que baixa, e qualquer subida do produto derivada da inflação, ultrapassa logo essa poupança.
          Especialmente em hortaliças e frutas, em que o preço sobe com muita regularidade, o que as pessoas vão ver é que continua a subir.

    • David Guerreiro says:

      Também não concordo. Porque razão uma pessoa rica tem de ser ajudada? Já nem falo de rico, basta ser classe média alta, o rendimento é suficiente para viver bem. Está-se a esbanjar dinheiro com quem não precisa. Foi como o Autovoucher em que se dava dinheiro a qualquer um, mesmo quem nem tinha carro.

      • Mr. Y says:

        Esbanjar dinheiro? O consumidor é que paga menos IVA.
        Podes argumentar é que esse dinheiro do IVA é poderia ser distribuido com subsídios. Mas aí todos iriam estar a contribuir para isso (até os mais pobres) o que seria menos justo

        • David Guerreiro says:

          Sim, aqui o esbsnjar é imposto não arrecadado. A questão é que faz muita diferença a um pobre, e não faz nenhuma a alguém de classe média alta para cima. O IVA que seria cobrado a quem realmente não precisa de ajuda, poderia servir para ajudar quem precisa de ajuda.

      • DeathSoldier says:

        “Porque razão uma pessoa rica tem de ser ajudada?”
        Diz que és extrema esquerda, sem o dizeres diretamente………….

        Cérebro tão pequeno coitado

        • David Guerreiro says:

          O que é que isso tem a ver com extrema-esquerda? Aliás, a extrema-esquerda está de acordo com retirar o IVA para todos, inclusive os ricos, e mais… querem acabar com as propinas universitárias para todos, inclusive para os ricos. É uma questão de gestão de recursos, porque ao retirar o IVA é menos imposto arrecadado, que poderia ser utilizado pelo Estado. Está-se a dar ajudas a quem não precisa ao não cobrar IVA. As ajudas têm de ser cirúrgicas, só mesmo para quem precisa.

    • Grunho says:

      Não estou a perceber, o estado foi sempre o tal monstro que não sabia outra coisa que sugar impostos em cima de impostos, etc. etc.. E agora que passou para zero o IVA de alguns produtos é que criticam? É preso por ter cão e preso por não ter.

      • Test User says:

        Se percebesses que inflação é um imposto.
        Quanto mais alta, inflação, mais impostos estado recebe.
        Podes dizer o que supostamente vais receber, já pagaste anteriormente ,

        Até parece que inflação surgiu agora. Devem ter andado caçar inflação com um gato este tempo todo.

        • Grunho says:

          E que tem esse paleio a ver com o facto de o IVA ter baixado para zero? Que eu saiba IVA à taxa zero dá sempre zero receita ao estado seja qual for a inflação e preço dos bens abrangidos pela taxa.

          • Test User says:

            Esse comentário é puro paleio.

            Por acaso IVA vai ser zero para tudo.
            Espanha já tomou medida similar, foi por acaso agora. Como a
            Inflação começou hoje vamos imitar os espanhóis.

      • David Guerreiro says:

        Mais valia continuar como está, e a usar o que estão a cobrar a mais para ajudar quem precisa.

  7. Liberal Modernaço says:

    Acho mal, com fome é que o povo trabalha no duro!

  8. Black Russian says:

    Agradar aos FP , são eles que garantem o “poleiro”…….

    O IVA desce , os produtos descem temporariamente de preço para português ver, rapidamente ficam ao preço anterior, quando acabarem os 6 meses desta isenção de IVA, aumentam ainda mais face ao momento inicial desta medida, fica um win-win para as grandes superfícies e distribuidoras, o produtor e consumidor xuxam ………

    “Venezuela is coming………..”

    • Mr. Y says:

      Se querem agradar assim tanto aos FP porque é que há este braço de ferro com os professores e com os médicos?
      Essas guerras de privados vs públicos não faz sentido nenhum. Se não gostas de trabalhar no privado podes sempre entrar num concurso e vais trabalhar para o público.

      • Zé Fonseca A. says:

        querem agradar à FP na medida que os bolsos do estado permitem a brincadeira dos professores é impossivel de se realizar, não há dinheiro para isso, já os médicos, nenhum médico inteligente vota PS.
        as guerras entre privado e publico têm de continuar a existir, as pessoas com menos formação trabalham mais árduamente no privado do que no publico e no publico recebem bastante mais, já pessoas com maior grau de formação é o oposto, ganha-se muito mais no privado e no publico, não obstante dos funcionários publicos serem pagos com os impostos dos funcionários privados e os serviços ou não funcionam ou funcionam mal.

        • Micael says:

          “(…) as pessoas com menos formação (…)”

          E que tal mais formação e depois concorrer a funções públicas?!
          Se é assim tão melhor do que o privado…
          Que ninguém se resigne! Quem quer, consegue.
          Mas é preciso vontade e sacrifício para estudar, trabalhar, etc.
          Não venham com fatalismos.

          • Zé Fonseca A. says:

            É melhor para quem não gosta de trabalhar, no meu caso ganharia 10 vezes menos no público, verdade teria uma vida santa

          • Micael says:

            Ora aí está! Afinal devias saber… O sector privado compensa mais.
            Mesmo nos salários mais baixos, acho que o sector privado remunera melhor. Segurança no emprego é que será outra coisa.
            Mas não se pode ter tudo e quem puder que faça a sua escolha.
            Farto de pessoas que choram dando a ideia de que nada podem fazer para melhorar as suas vidas.

      • papagaio says:

        o mesmo se pode dizer dos que estão no publico a reclamar ..constantemente?mudem..só que não

  9. deepturple says:

    Bela peneira para tapar o sol… enfim!

  10. Joao M says:

    A história do IVA 0 é para inglês ver e é para “spin” politico.

    A descida de 6% para 0% não se irá notar ou, pior, será absorvida pelos sistema – tal como aconteceu quando o IVa da restauração desceu e ninguém viu os preços a baixar. Isto não funcionou em Espanha e não vejo como irá funcionar cá. Mesmo que os grandes distribuidores (SONAE, Malta do Pingo doce, etc..) realmente baixem o IVA , basta nas próxima semanas existir algum aumento na cadeia de distribuição para que essa “diminuição” desapareça. Nessa altura, como já é normal, toda a gente se irá levantar contra os distribuidores por subirem os preços e estarem a ignorar a descida do IVA. Durante isto o governo assobia para o lado como o “Grande Pai” que ajudou os pobrezinhos mas, na realidade, não fez nada.

    Se é para realmente ajudar quem precisa então pegue-se nesse dinheiro que seria gasto no IVA e junte-se a mais algum e toca a ajudar realmente as familias carenciadas – Essas sim custa-lhes comprar o pão quer este tenha IVA a 0% ou a 6%. A segurança Social é para estas coisas. Nada de vouchers complicados que só servem para quem tem internet . Se é para ajudar mesmo quem precisa então os municipios e o governo que realmente extenda as tarifas sociais da energia e da água.

    Que tal, diria eu assim à maluca, o governo se quer realmente ajudar a classe média então que baixe o IRS? Não digo baixar a retenção na fonte, porque isso é um engana meninos (pois no prox ano vão pagar…) mas baixar as taxas. É muito triste olhar para a tabela de IRS e ver que o meio da tabela, o lindo 4º escalão é para quem ganha uns miseros 700 a 1000€ liquidos por mês.. é isto a classe média? Continue-se a nivelar por baixo e nunca mais vamos sair deste buraco.

    Mas vá, o que o povo gosta é de esmolas.

    • Jonas says:

      Sublinho.
      Mas o governo “governa” para quem vota neles. Há uma classe “média” de reformados e velhos do restelo que sem grande literacia financeira olham para as “gordas” e aplaudem as medidas. Isto são migalhas num orçamento anual de estado escandaloso quanto aos gastos fixos que tem (TAP anyone?).
      Esses “ricos” portugueses que ganham 1000~2500 mês são os que aguentam esta brutal máquina de desperdiçar dinheiro. Continuem assim.

    • David Guerreiro says:

      Sucedeu também com os ginásios, o IVA baixou e a mensalidade do ginásio ficou na mesma. Eu sou da opinião de que em vez de tirar o IVA no retalho, o mesmo deveria ser pago integralmente por todos, e o governo depois procedia ao reembolso para os contribuintes até um determinado escalão de rendimentos. E aqueles mais pobres, como escreveste, e bem, deveriam ter alguma ajuda extra.
      Não faz sentido tirar o IVA para todos, ajuda-se o pobre e o rico que não precisa.

  11. Sergio says:

    Boa medida a do IVA, é a única maneira de garantir que o apoio é gasto no que interessa e não num bilhete dos coldplay.
    O apoio à agricultura também continua a ser necessário, mais custos energéticos, mais custos de embalamento, mais custos de transportes foram constatados pela ASAE nas ultimas inspeções.

    Contudo, esta medida ao setor publico continua a ser a compra de votos habitual deste governo.
    Mas pronto nem tudo foi mau neste anuncio

  12. PoPeY says:

    Na minha opinião deveria baixar os impostos e respetivos descontos. Agora assim vai dar ao mesmo, para os mesmos.

    • David Guerreiro says:

      O IVA é um imposto… se te referes ao IRS, então e quem está no escalão isento de IRS, porque ganha tão pouco? Iam baixar o IRS aos outros (e acho bem que o fizessem), e quem não desconta porque ganha muito pouco não tinha ajuda nenhuma.

  13. Venenino says:

    Isto e só área para olhos este governo é uma anedota este medidas só ajudam sempre os mesmo e não mais desfavorecidos mas sim os preguiçoso (que é quem da os votos).
    Depois esta contas que nos mostram não sei onde vão buscar os valores de ordenados e preço das rendas. Quem dera muita gente ganhar mais que 1000 euros mês e ter casas a 450 euros a renda.
    As medidas deviam ser diretas nos descontos das pessoas, sim beneficiar que trabalha.
    A mediado do IVA e boa se houver fiscalização que não vai haver como sempre.

  14. SteveRobs says:

    Depois de ler estas medidas fiquei a saber que sou rico! Nice….

  15. Bernardo duro says:

    Com a fuga ao fisco que temos ainda dão dinheiro em vez de fiscalizar não dão o pouco que têm a muitos parasitas que não descontam o que ganham…

  16. Test User says:

    Porque a inflação portuguesa é quase o dobro da espanhola?
    https://eco.sapo.pt/2023/01/03/porque-a-inflacao-portuguesa-e-quase-o-dobro-da-espanhola/

    Como esta tudo satisfeito, continuem votar nos mesmos.

    • Repara says:

      Isso foi em dezembro. Durante o ano. De janeiro setembro a inflação em Espanha foi maior. Mas:
      Governo de Espanha: PSOE e Unidos Podemos
      Governo de Portugal: PS.
      A conclusão é que se se tivesse votado mais no Bloco e menos no PS para ter uma coligação igual à de Espanha, a inflação tinha diminuído no final do ano? Os governos é que controlam a inflação? O artigo fala mais em diferenças nas contas do INE de lá e de cá quanto aos custos em eletricidade.

      • Test User says:

        Olhaste para gráfico, a nossa continua aumentar,
        Janeiro: 3.3 e em Dezembro : 9.3

        Inflação é principalmente controlada por BCE. Depois governos podem influenciar através de impostos e salários. Existem outras variáveis como os Custos de energia, sempre foram maiores em Portugal, nestes anos todos não foi feito nada para alterar. Existem mais medidas que se pode tomar.

        Comparação que deverias fazer é que são governos de esquerda em ambos países. Mesmo assim Espanha inflação esta em inversão.

        Continua votar nos mesmos, é premiar incompetência.

        • Repara says:

          Estás a racionar ao estilo mais habitual – da inflação pelo lado da procura. A inflação que se está a viver, sobretudo nos bens alimentares, é dos lado da oferta – da escassez de oferta.
          O BCE não controla a inflação – procura controlar a inflação, para que baixe para os 2%. O instrumento de que dispõe é o aumento das taxas de juro – se as subir significativamente diminui a oferta e aumenta o problema.

    • David Guerreiro says:

      Já viu o nível de consumo em Portugal? Viu o que o presidente do Santander disse dos restaurantes cheios à sexta-feira à noite? A verdade é que a pressão do consumo português, com a escassez de bens, é o que causa a subida da inflação. Para reduzir a inflação há 2 formas: ou reduz-se a procura, ou aumenta-se a oferta. Só que não está a ser possível aumentar a oferta, e como a procura não diminui, a inflação continua alta. A subida do juros tem como objetivo aumentar o custo do dinheiro para travar o consumo.

      • Repara says:

        O que o Presidente do Santander disse é que as classes média e média-alta continuavam com padrão de consumo elevado e continuavam a ir aos restaurantes às 6ª Fª. Não se referiu aos portugueses em geral (o que teria sido um tremendo disparate).
        Não disse que a inflação no preço dos produtos alimentares, que é a que mais se tem notado, era devida a um padrão de consumo elevado.
        A inflação atual resulta da escassez da oferta. Subindo os juros cria dificuldades adicionais às empresas, o efeito é diminuir a oferta e piorar a situação. Se não houver medidas que estimulem a oferta dos bens onde se tem verificado o maior agravamento e se fiscalize para impedir a especulação a escassez e a inflação vão-se manter. Aumentar as taxas de juro é inútil e prejudicial.

  17. jimmypt says:

    Somos governados por um grupo de bandidos, é o que me apraz dizer. Quanto mais depressa essa corja sair do poder, melhor. Espero que isso aconteça em breve. O socialismo só traz miséria e corrupção.”

  18. Repara says:

    Sobre as taxas de IVA.
    Como sabem, em Portugal há bens e serviços isentos, e os sujeitos a IVA, no continente: a taxa reduzida (6%), a taxa intermédia (13%) e a taxa normal (23%).
    Os da taxa reduzida são estes: https://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/informacao_fiscal/codigos_tributarios/civa_rep/Pages/c-iva-listas.aspx
    Daqui há de sair um cabaz com taxa zero: arroz, farinha, massas, pão, etc (Já agora, onde vêm carne a 6% é a não manipulada, por exemplo, o rolo de carne já é a 13%).
    “Ah e tal, mas os preços não vão baixar!”. É um sinal. Isto de fazer baixar a inflação por decreto não é coisa simples.
    “Ah e tal, mas também os ricos vão pagar menos!” Os ricos pagam (ou devem pagar) mais nos impostos sobre o rendimento e o património. Pela carcaça devem pagar o mesmo.

    • Repara says:

      … veem, de ver (e não vêm, de vir). Veem, leem é com dois “olhos” – dois “e”
      A minha “pssora” bem que me ensinou … mas nunca sei se é o corretor ortográfico a pregar-me partidas.

    • David Guerreiro says:

      Não concordo com isso do rico pagar a carcaça. Estamos a falar de uma medida temporária, que tem como objetivo ajudar as famílias a ter menos custos com a alimentação. O rico não precisa de ajuda nisso, ganha o suficiente (e ainda bem) para suportar o preço da carcaça com 6% de IVA. O pobre que mal ganha para viver, esse sim, cada cêntimo faz a diferença. Se o governo isenta de IVA para todos, deixa de arrecadar imposto, e vai ter de o arrecadar de outra fora. Se quem não precisa desta ajuda pagar os 6% na mesma, não fica pobre por isso, e o valor arrecadado serviria para o Estado utilizar nas suas funções. Foi como o Autovoucher, andaram a dar dinheiro a todos, até quem nem tinha carro.

      • Repara says:

        Quando se chegasse à caixa do supermercado – quem apresentasse o “cartão de pobre/necessitado” não pagava os 6% de IVA, quem não apresentava pagava. Quem é que emite esse cartão?
        Eu nem queria ir po aí. Apenas dizer que ser rico não é crime, há impostos que há de pagar mais, sobre o rendimento ou sobre o património. A partir daí – preço das propinas na escola pública, taxas moderadoras nos hospitais, portagens ou o IVA é igual. É assim em todos os países civilizados.
        Quanto ao Autovaucher (que levou algum tempo até o pessoal perceber que ao comprar chiclets na bomba de gasolina o Estado dava o mesmo dinheiro do que se enchesse o depósito) houve um problema insolúvel – na compra paga por Multibanco no posto de combustível não era possível saber o que se tinha comprado, se combustível ou qualquer outro artigo. Por isso não se conseguia pagar o apoio só a quem tivesse comprado combustível;
        Daí resultou uma grande trapalhada. Mas mostra uma coisa – o Estado dar dinheiro que não corresponda a pagar (vencimentos, pensões, ou outras despesas que têm os circuitos bem definidos) não é simples. No caso do Autovoucher recebeu o apoio quem era suposto receber … e quem se aproveitou.
        “Ah e tal, mas então em vez de baixar o IVA, vejam pelas declarações do IRS e diminuam iRS a pagar!” Mas isso, relativamente aos rendimentos de 2023 só é conhecido em 2024.

      • AlexS says:

        Artigo 13 da Constituição:
        2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de (…) situação económica (…)

        Este é o artigo da Constituição mais violado pelo regime que a implementou.

        • Repara says:

          Saltaste o nº 1: “Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.”
          No caso, na taxa de IVA do pão, os pobres/necessitados podem ficar isentos de IVA e os ricos pagar?

      • Zé Fonseca A. says:

        O que o pobre não tem noção é que o rico paga muito mais impostos, o pobre ganha 1000€ leva para casa 900€, o rico ganha 5000€ leva para casa 2500€ só para depois se perceber que afinal o rico também é pobre.
        Viajem, vivam fora e aprendam sobre fiscalidade, em PT os ricos são aqueles que ganham 500k num ano, nem as figuras públicas a ganhar 10k para apresentar programas e fazer novelas sao ricos, faz tudo parte de uma classe média mais ou menos empobrecida e sem real poder financeiro.

  19. compro essa também says:

    Lá anda o amor pela esquerda depois de terem estragado a direita … alias, depois do suicídio da propria direita que até afinal até era de esquerda …. segundo um dos artistas à beira mar desaguado …

    Lá anda a razão ou falta da mesma quando não entendem o que é ou deveria ser proporcional e equilibrado …

    E também para variar “apoios” nada ou pouco equilibrados ou “calibrados” com o que é a constituição, e os que de facto necessitam não vão receber nada, como aconteceu com os anteriores ” apoios” dos quais ainda nada lhes chegou …

    Já os contratos para fundos e offshores … e palcos milionários a preparar mais mercado para a milionária ” indústria de habitações de luxo para turistas ” e de lucros de privados intereces …

    Tudo uma maravinha Venezuelana, nitidamente ….

    HAHAHAHA !!!!!

    HAHAHAHA !!!!!

    Que cebolada do catano !!

  20. R says:

    Como sempre já chega muito tarde; e pior, vai ser implementada depois de se provar que não funciona noutros países.
    Por cá (des)governa-se para ficar bem no Facebook.

  21. AlexS says:

    Government’s view of the economy could be summed up in a few short phrases: If it moves, tax it. If it keeps moving, regulate it. And if it stops moving, subsidize it.

    Ronald Reagan

    Ou seja isto é a continuação do mecanismo para ainda dar mais poder á Política: mais assessores , pareceres , burocracia, programas emais programas . Em 25 anos a economia Portuguesa não cresce. Mas cresce o número de regulação, leis, taxas, programas de apoio, subsídio.

    É isto Portugal . Uma orgia de de regulação, leis, taxas, programas de apoio, subsídios. Para tornar a política o eucalipto de suga o sangue do país. Trava-e depois acelera-o para mostrar que manda em tudo.

  22. Fernando says:

    Quer dizer , quase toda a gente vai receber, as pessoas que estão doentes e com baixa de longa duração foram esquecidas .vale mesmo a pena estar uma vida inteira a descontar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.