PplWare Mobile

Guia de Aplicações para a Educação – Uma análise


Editora no Pplware e psicóloga de profissão. Desde cedo que a tecnologia é uma paixão, interessando-se em particular com o impacto que esta tem na nossa vida e nos comportamentos que as pessoas adotam nas redes sociais.

Destaques PPLWARE

  1. Sergio says:

    quero saber como é voces espiam a minha mente? Ia agora fazer essa pesquisa no itunes, mas lembrei-me primeiro de vir ao pplware.

    Estava a pensar dar o ipad mini à minha filha, mas a minha ex-mulher diz que ainda é muito cedo. Dei-lhe o Magalhaes tinha 2,5 e meio. Aos 3 dei-lhe a nintendo ds e agora aos 7 diz que a nintendo não presta. Mas não queria dar-lhe a 3ds ou a Vita. Para isso dou-lhe o ipad Mini. Já a sondei e ela até perfere. Mas as pessoas dizem que ainda é cedo. A questão é que ela já pesquisa para fazer os deveres, passa a vida a ligar-me via skype etc. O computador da mae deveria ser só para trabalho dela. A avó tb gosta dos seus facebooks e ipad acabava tb por ser interessante para ela. Porquê o ipad e não outro qq? porque ela está habituada ao meus iphone e ao do da mãe. Seria um corpo estranho para alguem tão novo. E não sei como está neste momento os jogos no Android. Há 2 anos era uma miséria. Mas estou aberto a sugestões

    Tento convencer a mae, por causa de todas as outras mais valias que são as apps educativas. Já conheço algumas, mas este tópico vem mesmo a calhar. Mais logo vou ve-lo com mais atenção.

    • Helder says:

      Eu com 7 anos andava de skate, de bmx, jogava ao peão, futebol e isso.
      Se ela ja tem um Magalhães, Nintendo, etc… Eu acho que isso já é suficiente para ela.
      Talvez quando ela tiver umns 12 ou 13 ai já dará um pouco mais de jeito um iPad. Até porque se lhe deres um agora daqui a uns 2 ou 3 anos esse iPad fica “obseleto” e ela vai pedir outro.

      • Sergio says:

        ela tb anda de bicicleta, skate, joga a bola, salta a corda, anda nos escuteiros, brinca com os amigos e essas coisas. Posso dizer que nisso está a ter uma infancia igual à nossa. Mas há meses que me anda a dizer que a a DS dela não presta porque os amigos tem todos a Vita ou a DS XL, etc. Eu não quero que ela tenha melhor que os outros, mas acho o dinheiro numa consola tão mal dado, quando há alternativas bem melhores. Note-se que dois jogos pagam o diferencial entre a consola e o ipad mini. Eu sei que há os homebrews. Ela tem na DS dela, mas comprando o cartão homebrew + cartão tb não fica muito longe.
        Mas compreendo o que dizes e estou com muitas dúvidas. A decisão final será sempre minha, mas sou todo ouvidos. Obrigado pela opinião

        • Hugo says:

          Uma simples opinião sem querer ofender.
          Não compres nada (excepto se considerares ser mm essencial e necessário). Se aos 7 já tem ipad e já teve consolas e afins então daqui a 2 anos vai querer e ter o quê?
          Pensa nisso.
          Cumps.

          • Sergio says:

            Tb já pensei isso. Mas depois penso quem é o miúdo de 7 anos que nao tem consola. Qual é a longevidade de uma consola? Claro que muitos miúdos infelizmente nao tem consola nenhuma ou apenas uma na vida. Mas voltando aos amiguinhos da escola, que é uma escola de gente pobre, todos os miúdos tem a consola mais recente e muitos já vai na segunda consola posso estar a ser precipitado mas os outros pais tb o são. A diferença é que estão a dar uma consola em vez do tablet. Respondendo ao João Tavares, concordo em absoluto contigo. O que me esta a inclinar para o iPad é apenas o facto de tanto eu como a mãe termos iPhone. Ha todo um ecossistema que já existe. Um tablet com android seria um corpo estranho, ainda por cima eu nao posso estar presente devido a estar divorciado. Receio que com um tablet android possa nao lhe dar o suporte conveniente. Com o iPhone a coisa é mais simples.

            Note-se que este meus posts tem dois objectivos. Um é obvio, mas ha que foi por isso que coloquei a questão. Estou a usar o meu caso como exemplo. Onde quero chegar é se faz sentido uma consola face um tablet. Por exemplo o nexus 7 custa quase o mesmo que uma Nintendo ou que uma vita. Claro que a consola tem algumas vantagens, mas pondo as vantagens e desvantagens nos pratos da balança qual é que faz mais sentido. Para um miúdo que nao sabe ler a escolha parece obvia, mas um miúdo que saiba ler ten um mundo todo a frente. Eu vejo na minha filha que o computador é tratado por tu e ela nao é nenhuma sobredotada é uma miúda normal que teve acesso às novas tecnologias muito cedo

          • Sergio says:

            E claro que nao me ofendes. Nem que aparecesse alguém a dizer que estou a ser parvo, porque admito que até o possa estat

  2. João Tavares says:

    Para uma criança mais vale investir num tablet barato. Acho que com um nexus 7 já era uma alternativa razoável ao ipad mini e custa menos 90€. Ou aqueles da BQ que estão á venda na fnac que se já compra um porreiro por uns 160 euros.

  3. ChumChum says:

    Vamos la deixar de ser retrogradas… Essa da criança ter um iPad e no meu tempo tinha um pião é conversa de dinnossauros. Vais me dizer que quando tinhas 7 anos existia iPad, ou melhor estava ao alcance de qualquer reles mortal consolas de video… claro que não. sinceramente faz-me confusão em pleno seculo XXI pesoas tentarem ter linhas de pensamento dos seculos passados. Já agora na altura nao deviam tar a ler livros em vez de partires o corpo todo em desportos radicais? Think about it.. 😉 (sem ofensas)

    Quanto a questão do Sergio, eu não aconselho o mini por causa do tamanho do ecrã, acredito que as crianças tiram maior partido do dispositivo com ecran grande para poderem por a mão a vontade e nao ter de procupar com precisão do toque. Mas aconselho vivamente o iPad 2 tendo em conta a questão do eco-sistema e da criança ja estar algo familiarizada com o iOS. Claro que como tudo na vida, se sairmos da zona de conforto podemos encontrar coisas fantasticas, basta estar na desposição de o fazer hehehe 😉

    • Sergio says:

      obrigado pelo comentário. 2 notas: a minha filha não conhecia o ipad mini, quando o conheceu ficou encantada, por ser mais ergonomico e mais leve. Tb pensei no ipad 2, mais por causa da minha ex-mulher e ex-sogra. A questão da janela de conforto tb pensei nela, mas como disse não poderei estar presente para o suporte. Há uns meses ofereci à minha ex-mulher um smartphone com android. Ela não se dava nada com ele. Falava super mal. Vi-me na “obrigação” de oferecer um iphone 3G em segunda mão. Aí ela ficou super encantada porque tudo era intuitivo. Não deve haver muitos ex-maridos a oferecer 2 telemoveis em tão pouco tempo. lol Por isso é que estou a colocar sérias reticencias aos tablet android.
      Mas continuo a não ver ninguem a pronunciar-se sobre a questão tablets vs consolas portateis

    • Hugo says:

      Conversa de dinnossauros?
      É uma questão de criar limites. Já o Bill Gates diz “O meu filho não tudo crio apenas condições para ele conquistar”. Tenho um primo pequeno que me disse “Eu tenho 2000 euros no bolso…”. É isto saudável? E daqui a uns querem o que 20000euros no bolso? Como o Nilton diz que anda à rasca não são os jovens são os pais…

      Não querendo por em causa as questões financeiras de cada um mas sim o dinheiro gasto nas mãos de crianças pequenas.

    • ChumChum says:

      Sergio … Bem a minha openião quanto a consola vs tablet resume-se ao seguinte… consolas tem um pequeno grande problema que é só servirem para jogar e nesse campo as tablets não conseguem proporcionar a mesma experiencia. Isto vai um pouco em conta aquilo que queres ter.. se for a capacidade de multi-tarefas e jogar e uma das tarefas as consolas perdem muito porque nao conseguem fazer face as outras necessidades. Mas se os jogos são o foco principal as consolas dao melhor conta do recado. Pra mim os jogos nas tabelts é como as camaras, servem só para desenrascar em situações pontuais, alias basta ver que a grande maioria dos jogos simulam um game boy (ja deve ter notado que metem as setas de direcção a esquerda e uns botoes a direita) tentam adaptar a coisa mas a experiencia nunca chega a ser o mesmo. Muito sinceramente Nintendo DS era o que eu escolheria se quisesse que por exemplo a minha irma tivesse algo para brincar de vez em quando. Eu ofereci uma tablet a pouco tempo a minha mas foi porque nao queria ver a miuda muito tempo nos jogos como eu pasava xD e tambem para ter uma iniciação mais restrita ao “mundo virtual”.
      Não sei se me fiz intender

      Hugo … Mas o que q ter um gadget moderno tem a ver com criar lemites? Vamos la parar de responsabilizar 3º’s pelos erros dos 2º’s se é que me intende. Eu vejo a coisa desta forma… Muita gente fala em internet estar a fazer isto e aquilo a nova geração e as crianças perdem-se muito por la. Mas a internet gera os conteudos automaticamente? Não. Alguma vez paraste para ver a programação infantil (nem vou falar da programação para os teenagers porque ai então era a loucura total) epa não oiço ninguem culpar as estrelas da televisão por isso, todos dizem que a TV faz mal as crianças. Com isto onde e que eu quero chegar.. ora bem, se uma criança fica mimada e megalomana nao e porque um dia teve um computador ou la a coisa valiosa e se sente mais que os outros, mas sim porque as pessoas em seu redor nao tao a cumprir com o seu dever, abandonar uma criança no sofa e esperar que ela fique educada porque nunca lhe ensinaste o contrario nunca ha de resultar. Eu fui dos primeiros a ter um computador e internet onde eu vivia e não foi por isso que passei a ser novo Hitler… you should think about it 😉

      desculpem la o testamento 😛

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.