PplWare Mobile

Computação Ubíqua, sabe o que é?


Autor: Pedro Pinto

Destaques PPLWARE

  1. siga fazer exploits para as máquinas de café do futuro e canetas etc 😀

  2. Radnor says:

    Quando esse futuro vier, e ja nao esta muito longe la vou eu ter que comprar um PC melhor para correr o meu Hackintosh V1.2

    Huumm..venham os bons tempos !!!

  3. Telmo M. says:

    E a evolução não para 🙂 …
    Vi durante uma pesquisa minha, uma previsão de um senhor cujo o nome não me lembro, que fez uma previsão do futuro e dizia que que em meados de 2029 as máquinas(talvez robôs ou computadores(provavelmente)) iriam ser tão inteligentes como o homem e até a nível emocional!
    Onde quero chegar com isto? Com essas máquinas por todo lado e com a nossa inteligência se elas se lembram de nos tramar alguma…Tamos feitos, pois provávelmente dependiamos ainda muito mais delas nessa altura do que agora, e ainda por cima elas iriam estar por todo o lado!
    Secalhar estou-me a basear também nos filmes em relação à trafulhice, mas n sei n…

  4. Lokier says:

    Apesar da ciência que estuda o IA a nível computacional dizer o contrário é impossível as “máquinas” terem sentimentos, pois isso é humano. O máximo que poderão vir a fazer (ou não) é imitar as reacções humanas que nos levam e pensar que realmente a máquina estará a sentir, mas nunca sentirá.

    • Sketi says:

      Nós na verdade somos levados a simular essas mesmas reacções via químicos enviados pelo cérebro, quando comes algo que gostes o teu cérebro interpreta isso como algo bom e benéfico para o corpo e espalha serotonina pela corrente sanguínea.

      Biologicamente os sentimentos são químicos a “enganarem” o cérebro, mas não é por isso que nós não “sentimos”.

  5. Eduardo says:

    Tanto que eu gostava de uma máquina destas, emotiva ou não, que disse-se: Vai-te sentar ao sofá, vê lá o jogo descansado que eu já te levo uma cerveja fresquinha 🙂

  6. pg says:

    O Linux é que nos vai ajudar com esse sonho.
    Já o temos em muitos aparelhos embebidos e com grandes resultados.

    mcm

  7. TopPlus says:

    Boas!

    Interessante conceito, realmente convém começar a pensar nestes equipamentos todos que cada vez mais nos rodeiam.
    Lá pro quarto vídeo o coisa fica mais interessante.

    Bom post!

  8. José Fonseca says:

    Muito interessante

  9. Pedro Pinto says:

    @pg

    Exacto. Actualmente já existem alguns dispositivos móveis onde o sistema operativo que normalmente usam é baseado no Linux. Vejam o exemplo do TinyOS (http://www.tinyos.net/) que é um sistema operativo com alguns 10kB e que é usado especialmente em redes de sensores.

    “A typical TinyOS ‘mote’ platform has 10 KB of RAM, 100 KB of ROM, and consumes 10 μA to 25 mA, depending on which components are active”

    Pedro Pinto

  10. João Afonso says:

    Só espero k o Arnold Schwarzenegger ainda esteja vivo nessa altura para nos salvar dum futuro medonho…

  11. leonardo says:

    hum , é interessante esse negocio de computação ubiqua e pervasiva, mas essa baboseira de IA no futuro ser perfeita, isso nao existe :P, ja estudaram IA?? uma meia duzia de algoritmos de busca enlaçados com meia duzias de brach and bounds, e outra meia duzia de metodos estatistico, bem o que eu quero dizer é que de Inteligente a Ia nao tem nad. Nunca vai existir um robo que simule emoçao humana :P, ele vai so olhar um if e dizer agora eu choro, agora eu rio :P.

    Legal vai ser ter cuecas com chips que dizem ops vc deu uma freiada XDkkkkkkkkkkkk

    • AnaC says:

      Já estudei IA e concordo com o Leonardo, a programação de um robot não passa de uma representação de conhecimento. O robot apenas irá procurar o if em que se encaixa a informação captada pelos sensores e efectuar a acção 🙂
      btw sensores na roupa intima eram melhores para monitorizar batimentos cardiacos ou assim 😀

      cumprimentos

  12. Hilton says:

    Também tem um if na sua cabeça pra dizer se você chora ou ri. 🙂

  13. João Bruno Abou Hatem de Liz says:

    Pessoal, acho que computação ubíqua é mais abrangente que isso, e já está entre nós.
    Sistemas Ubíquos permitem, por exemplo, o controle de um sistema de ar-condicionado, através de um servidor central em um prédio, que recebe informações sobre a temperatura através de sensores e envia um sinal de saída para o sistema de ar-condicionado que equilibra a temperatura. Isso já existe.
    Quanto aos robôs com emoção, é complicado se desenvolver um robô com emocões iguais as nossas, porém hoje os robôs já possuem o que a gente chama de emoções lógicas. Isso é, emoções que nós programamos neles que os permitem tomar decisões em situações que não foram previstas por nós. Isso os possibilita aprender.
    Mas, realmente, esse é um tópico incrível, com diversas aplicações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.