PplWare Mobile

Atenção: Há um e-mail falso das finanças a circular


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Miguel Marques says:

    Basta saber que a AT só envia e-mail informativos.
    E-mail relacionados com dividas e pagamentos tender a ser enigmáticos e redireccionados para o via Ctt https://www.viactt.pt/website/index.html.
    Valores normalmente, salvo o valor do IUC, não são descritos no corpo do e-mail proveniente da AT(info@at.goc.pt).

    Só no acesso ao VIACTT é que o cidadão fica a conhecer o montante e prazos de pagamento de dividas!
    Esta informação chega por dois canais um e-mail e o outro por SMS, caso se tenha telefone configurado nos contactos no site da AT!

  2. Carlos Silva says:

    recebi um email destes mas era da @autoridadeaduaneira.racing

    portanto era mais tunning que a do download 😀

  3. Pedro says:

    Aconselho a instalação desta extensão, não vai proteger a 100% mas evita muitos sites Phishing, isto é um email porem pode conter um link para uma página falsa.

    Aconselho vivamente, a todos a utilizarem é sempre uma camada extra.
    https://www.bitdefender.com/solutions/trafficlight.html

  4. Joao 2348 says:

    Mal recebi paguei logo, e aconselho todos a pagar, porque dever às finanças é um perigo.
    E isso de ser falso é imaginação, ninguém ia criar um e-mail falso a fingir ser das finanças, isso seria crime e ladrão que rouba ladrão dá se mal.

  5. A G Fortes says:

    Também recebi um e-mail semelhante da @autoridadeaduaneira.faith

  6. Sérgio J says:

    A minha namorada ligou a dizer que tinha recebido um email estranho a dizer que tinha dívidas avultadas. O domínio do email era brasileiro.

    Não sei se é o mesmo aqui relatado.

  7. Redin says:

    Lido e registado.

  8. poiou says:

    Eu já ganhei reembolsos do fisco inglês

  9. tiago says:

    Até o próprio texto tem erros… mas obrigado pela dica pplware! 😉

    Nesta altura do campeonato dos IRS’s e afins é preciso ter cuidado!

  10. Papa Joe says:

    Também recebi!

  11. João says:

    “Assim venho por este meio…” O simples facto de estar escrito na primeira pessoa do singular é logo um sinal que o e-mail é falso, mas acredito que muita gente nem tenha isto em atenção.

  12. José Rodrigues says:

    “O link aponta para um ficheiro zip”.. Não custava nada terem feito uma sandbox para revelarem o conteúdo do zip para se perceber efectivamente do que se trata em vez de nos ficarmos só pelo alerta do email, phishing qualquer pessoa detecta, o que interessa é que o que está por trás para nos podermos precaver de outras situações que não email.

  13. Joao says:

    É só ladrões / vampiros /parasitas.
    Finanças ladrões autorizados pelo regime psicopata e “legalizado” pelos ingénuos e desinformados que vão votar, roubam,… outros se querem aproveitar do nome.

  14. Redin says:

    Com o modelo P2T todos os milhares de emails criados pelos spammers, terão de ser geridos por eles antes mesmo de circularem na rede para serem aceites pelos destinatários. Com esta atitude retira-se ao spammer a motivação para o fazerem.

    • Joao 2348 says:

      Revela um bocado de ignorância, pensar que o spam e phishing ia parar mesmo com o sistema P2T.

      Os spammers iam fazer o mesmo que fazem com os spam de sistemas analíticos, colocar urls grandes ou curtos e se existir espaço promover com o “viagra mais barato de sempre” nesse url. Mensagem vista! Próximo. Se clica ou não é como agora.

      O phishing igual, “Sua conta paypal vai fechar! endereço curto aqui para reativar”. Bam! Mais um pacóvio viu esta mensagem. Se clica ou não é como agora.

      Por outro lado para os operadores de correio electrónico tanto do lado de quem envia, como de quem recebe é óptimo porque reduz o tráfego, e para o spammer/ phishing é ainda mais barato. É um Vencedor/ Vencedor para todos menos para o desgraçado que vai passar o dia a receber pedidos de autorização de milhares de endereços diferentes todos os dias com a respectiva mensagem publicitária no assunto.

      Se tirar o assunto, o pessoal pode não fazer ideia se é algo que interessa receber ou não… logo o P2T não resolve o problema fundamental para o utilizador, mas ajuda os operadores e os chagas/ atacantes a poupar dinheiro, só por isso já vale a ideia.

      Mas se nem soluções gratuitas vingam com facilidade, menos ainda uma como esta que tem direito de propriedade (pelo menos em Portugal, talvez no resto do planeta não seja assim) e por tanto tenha de ser paga. Mesmo registada não sei até que ponto é suficientemente forte para não puder ser contestada, porque tem de ser algo que alguém com conhecimento nessa arte não chegasse por si a essa conclusão facilmente quando colocado perante o mesmo problema que tivesse de resolver. Mas está registado, e pode ser que ganhem dinheiro… mas o mais provável é que a patente expire e só depois comece a ser adoptado mundialmente pelas empresas que interessam gmail/ yahoo/ hotmail… daí por diante todas as outras tem de adoptar quer queiram quer não.

      • Redin says:

        Não houve uma só frase escrita que revelasse o conhecimento mínimo de como o modelo funciona. Nada vai funcionar como relatas.
        Lamento que não tenhas noção do que falas. Mas há quem tenha.
        https://www.facebook.com/notes/redin-p2t/consultora-maksen-avaliou-o-meu-projeto/667044343378116
        E nessa altura nem sequer estava equacionado a criação de uma patente.

      • Redin says:

        Pelos vistos, este também sabe o que diz. 😉
        http://oi63.tinypic.com/ctj06.jpg

      • Joao 2348 says:

        Vi a sua apresentação disponível no web site, e foi daí que cheguei à conclusão que é uma ideia péssima para o utilizador final… mas não para os prestadores do alojamento (que é quem pretende ter como cliente, logo para tais é de facto um bom investimento).
        Mas para os spammers e phishing é um sonho, ter de repente a possibilidade de ver o seu endereço de e-mail e assunto (no mínimo) obrigatoriamente exposto ao utilizador é um sonho, e se fosse um desses malvados estaria a apoiar, caramba até avançava com o dinheiro para lhe comprar a patente de forma a que todos implementassem tal, porque vejo um potencial tão grande para abuso e aumentar a quantidade de pessoas a ver a informação que seria certamente um óptimo investimento.
        Ah e tal mas só recebem o endereço de e-mail e assunto, mas não a mensagem em si… mas o problema é que tanto o endereço de e-mail como o assunto podem ser muito bem utilizados pelos spammers e phishing na tal mensagem de notificação para expor a informação em si. Ah e tal, mas se recusarem nunca mais vêm a mensagem… certo, mas o que se faz hoje é comprar milhares de domínios e mandar de todos eles para que mesmo que recusem todos, todos os dias, existem sempre milhares de novos endereços para terem de ser bloqueados… e o assunto contêm a publicidade maravilhosa.

        • Redin says:

          Seria vergonhoso e ultrajante que este modelo viesse precisamente falhar num processo de divulgação de endereço de email se não tivesse por detrás uma forma de proteção e precaução adequada.
          O mesmo se aplica à preocupação que você levanta quanto ao assunto.

          Na vez de criticar sem fundamento, questione o porquê.

          As “features” descritas desafiam o que ERA VERDADE no conceito de email atual.
          Levantam no mínimo a curiosidade de quem, estando habituado a um paradigma de 39 anos, a acreditar que já não há cura e tudo o que possa aparecer será visto como um sacrilégio.
          A tecnologia atual permite novos conceitos que levam à evolução.

          Quanto ao assunto ; toda a informação disponível na notificação será limitada ao numero de caracteres e privada do uso de links, sejam clicáveis ou apenas de divulgação.

          Veja isto de uma perspectiva diferente. Quando no modelo P2T eu lhe divulgo o meu endereço, estou a querer da mesma forma que o remetente divulgue também o dele, porque o fator “não repúdio” existente consegue evitar que ele se possa mascarar como sendo outra pessoa diferente.

          Um spammer que use servidores P2T pode querer enviar um milhão de mensagens. Neste exemplo, um milhão de utilizadores recebeu APENAS UMA notificação e ele tem um milhão de mensagens para libertar. Vai haver aqui uma troca de responsabilidades que antes era atribuída ao destinatário e com o modelo P2T fica ao cargo do remetente.

          O modelo P2T apenas recebe dois tipos de informação no lado do servidor do destinatário. Ou notificações, ou mensagens precedidas de notificações. Qualquer mensagem que pretenda chegar ao destino sem notificações é imediatamente destruída antes de chegar ao conhecimento do destinatário.
          Por analogia, da mesma forma que terá de ser você a pagar uma chamada telefónica que faz para mim, terá de ser o remetente a ter esse “custo”. É justo e é imperativo que assim seja.

          Critique com fundamento. Questione. Obrigado.

  15. joão olgario mirrado algarvio says:

    é bom darem exclarecimeto a todos de esses truque que aparensem para enganarem os menos informados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.