PplWare Mobile

Python e a revolução nas linguagens de programação


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

33 Respostas

  1. Danilo says:

    Eu queria que Java acabasse

    • Programadorzx says:

      Hahahahahha, concordo!

    • joaquim silva says:

      podes esperar sentado

    • Teste says:

      Não sabe programar de verdade por isso diz isso nutella

      • Danilo says:

        Claro, eu tenho vida social, diferente de você que deve ficar horas na frente de um PC quase cego, sem contato social algum sem ser virtual com um copo de café digitando milhares de linhas de códigos e se achando o fodinha por causa disso, uau.

        • Tiago Morais says:

          Com isso, quer dizer que a conjugação de ambas as realidades é impossível ?
          Ou seja, não consigo ser programador e estar 8h em frente a um PC a programar e ter vida pessoal. É isso?

          • Danilo says:

            Em 99% dos casos não.
            A pessoa da área de I.T. vive para computadores, passa horas a trabalhar, criando códigos…
            Não é algo que se faz em poucos minutos.
            Dependendo da complexidade, você vive para aquilo.
            Sua vida social é quase nula.

          • carlitos says:

            Quando se chega a esse ponto, corre-se o risco de tanto a saúde mental da pessoa ser afetada irremediavelmente sem se dar conta, quanto a saúde física. É um risco nesta profissão para o qual é necessário estarmos atentos.

    • Tsan says:

      E podes explicar porquê? Java continua a ser das melhores escolhas para grande maioria de software, tem benchmarks que podes comparar ao C as vezes, funciona em todos os OS, e dá para fazer praticamente tudo.. isso são comentários tipicos de ignorantes, que nao percebem logo descartam. Eu vejo muita coisa boa em python para scripting , agora para fazer software a sério com modelos de negócio complexos, longe dela.

    • Lucia says:

      A pior coisa é aquele plugin Java para navegadores, que é um perigo para segurança, mas continua a ser usado em muitos sites de bancos. Ótimo para scripting!

  2. ThornC says:

    Bom artigo mas faltam as desvantagens… as principais são o GIL e a fragmentação…

    De resto no ecosistema Python há muitas coisas boas e o Jupyter é uma delas.

  3. Jader says:

    Qual a linguagem mais fácil de aprender eu só conheço a linguagem Basic muito antiga eu quero aprender uma mais nova!!!!

  4. francis says:

    Gostava de criar uma plataforma web.
    Que precisa ter um base de dados por trás bastante complexa.
    Qual as melhores ferramentas e linguagens?

    Uso visual stdio para programar em c# e programo em c mas precisava de novos desafios

    • Tiago Morais says:

      VueJS + Node.js ou Angular + Node.js.
      Vue ou Angular para Front e Node.js (Sequelize, express, SSL, Auth0, etc… para API’s e Processos/Cálculos mais complexos) para Backend.
      Isto é o que uso.

  5. carlitos says:

    Eu aprendi C# e agora estou a aprender Python. A base é a mesma de qualquer outra linguagem orientada a objetos, mas sendo uma linguagem ultra high-end, a sua escrita e leitura é mais intuitiva sobretudo para quem não é um profissional da programação e quer resolver problemas na sua área de trabalho, sobretudo as que exigem cálculo. Existem bons cursos na net para aprender para quem está a começar. Aqui vai uma sugestão:

    https://ocw.mit.edu/courses/electrical-engineering-and-computer-science/6-0001-introduction-to-computer-science-and-programming-in-python-fall-2016/

  6. César Oliveira says:

    Eu gosto muito de Python contudo não a considero adequada para o desenvolvimento de aplicações Android.
    Com o Python temos o Kivy mas enfim, não é uma boa solução.
    Não se compara ao desenvolvimento nativo com Java ou Kotlin.
    Temos uma nova solução para o desenvolvimento nativo para Android e IOS, o Flutter com Dart.
    Mas como a Google é muito inconstante há sempre a possibilidade do Flutter ir parar ao lixo.

  7. Joao says:

    como já disseram acima, python eh bom pra scriptar necessidades triviais, acadêmicas e para escrever artigo cheio de groselha sem embasamento, no mundo real eh diferente, comparem o número de vagas em empresas, python não chega nem perto de um Java,. Net ou PHP

    • carlitos says:

      É sempre preferível falar do que se sabe ou então estar calado.

      • Joao says:

        Faz o seguinte, entra em um site de empregos, vê o número de vagas em Python e depois em Java/c#/php e posta aqui.

        Depois a gente conversa 😉

        Python é linguagem de iniciante aventureiro.

        • carlitos says:

          João, dizer que atualmente, em Portugal, a área comercial(as empresas), procura mais programadores em Java/C#/PHP que Python, é uma verdade, pois é uma evidência.
          Contudo, depois de ter aprendido a programar em C# e atualmente estar a aprender Python, tanto quanto me foi dado a perceber, tudo o que me interessa fazer em C# eu posso fazer com Python mas de uma forma diferente, mais intuitiva para o ser humano, respondendo a necessidades crescentes de programação. Eu não posso discutir se uma linguagem é melhor que outra, cabe a cada necessidade escolher o que lhe convém.

          No entanto, João, dizer que Python é “… bom pra scriptar necessidades triviais” ou “Python é linguagem de iniciante aventureiro.”, só pode ser por desconhecimento, além do mais sabendo-se que Python é a linguagem que mais cresce, em sociedades de conhecimento, não só na área educativa, mas cientifica, machine learning, data analytics, business inteligence e AI. 🙂

        • carlitos says:

          Eu poderia acrescentar, que na minha opinião, até agora as linguagens de programação foram desenhadas para profissionais da programação. Python foi desenhada para pessoas, users.

          No entanto, vai continuar a haver trabalho, cada vez mais, para programadores em Java, C#, C , C++,… 🙂

  8. Victor Bento says:

    Python virou hype. Só existem 3 cenários onde realmente supera as outras linguagens:
    Scripts de Administração de SO Linux
    Análise de Dados
    Machine Learning
    Em qualquer outro cenário, prepare-se para sofrer. Ficou popular porque de repente o mercado descobriu machine learning o que sempre esteve lá ok? ML já existe há 15 anos e ja tinha aplicações práticas. Análise de dados? Nunca ouviram falar de BI isso é antigo. Virou moda, mas os casos que citei são onde o Python tem sucesso.
    C e C++ são para sistemas embarcados ou para necessidades de muita performance, onde é preciso estar mais próximo do hardware.
    Java é a linguagem para o mundo dos negócios, web, desktop, embarcada, Android até agora, Kotlin vai dividir atenção.
    PHP para web em pequenos negócios.
    C# tentando ser o novo Java há 15 anos, com o dotnet core, e o abandono do Java pelo Google, talvez consiga, mas tem um loooongo caminho para percorrer, isso se a MS não fizer mais besteira.

    • carlitos says:

      Victor Bento, como bem percebeste, nisto e em tudo o resto, nada é absoluto… 🙂

    • carlitos says:

      É verdade que houve quem fizesse Business Analytics e BI desde há muitos anos quando até nem nome havia para isso. Para tudo existem pioneiros, malucos… e só muito mais tarde aparece o “NEW” e os que conhecem conceitos pelo nome que lhes deram. O Fortran também é uma linguagem antiga que continua a existir para a área cientifica…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.