PplWare Mobile

Os submarinos Portugueses e a tecnologia


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.
Artigo escrito por Paulo C. Santos Garcia para o Pplware

Destaques PPLWARE

  1. Sérgio den Boer says:

    Excelente artigo.
    Continuem o bom trabalho

  2. Pedro Oliveira says:

    Excelente gostei bastante aguardo pelos proximos artigos.

  3. António says:

    Em todo o artigo nunca se fala da tecnologia dos mesmos, demasiado tempo perdido a explicar o porquê de estes serem necessários.
    “Sendo o Pplware um site dedicado à tecnologia, será interessante apresentar alguns detalhes sobre todos estes sistemas que equipam estes nossos submarinos”
    Depois deste excerto nunca mais se falou em tecnologia.

  4. Duud76 says:

    Excelente, um verdadeiro exemplo de serviço público em temas onde a ignorância e a irresponsabilidade continuam a prevalecer na sociedade portuguesa. O meu reconhecimento ao trabalho desenvolvido.

  5. José Rodrigues says:

    Falta dizer que os submarinos estão parados.

    Submarino que é submarino tem de ser submarino nuclear, o resto são meninos a chapinhar na água.

    • int3 says:

      não estão parados.

    • Andre says:

      Caro Jose, nao diga Asneiras.

      O velhinho a disel ganhou a um “las Vegas” em simulaçoes.

      Apenas mais nao digo

      • SIMULACRO says:

        Em um determinado simulacro existem regras as ser cumpridas, assim como o embate obrigatório para treino, é de facto positivo que sejamos reconhecidos pela experiência com que operamos o “submarino diesel” mas a verdade é que um “Los Angeles class” é mais avançado apesar de ser bem antigo, actualmente já estão a usar os “Virginia”. Não pense bem do “traste” pense bem de nós, porque os US pensam e aprendem imenso connosco.

        Há bons sites militares para ver a diferença na propulsão usada, e no nosso caso, nuclear seria a resposta, não o diesel.

      • Rochs says:

        Verdade. Um porta avioes americano.

    • Rodrigo says:

      Não fales do que não sabes. A ingenuidade gera respostas deste tipo.

    • Grymlord says:

      Se estão parados não devem ser os da Classe Tridente. E que eu cada vez passo menos tempo em casa e com a familia a conta dos submarinos.

    • Rui says:

      Submarino nuclear? Para lançarmos mísseis intercontinentais? 🙂

      Já agora sabe quanto custa um submarino nuclear? Se os nossos foi uma guerra conseguirmos comprar novo, agora imagine um nuclear!

      • SIMULACRO says:

        Nuclear, refere-se à propulsão usada, não se tem capacidade para lançamento de ogivas.

        Sendo um submarino nuclear, tem maior capacidade de se manter em missão sem reabastecer e ser detectado.

        • Rui says:

          Eu sei, mas também é verdade que todos os submarinos nucleares, também por causa da capacidade acrescida de permanecerem submersos por longos períodos, são utilizados quase só como unidades de lançamento de mísseis intercontinentais, alguns deles com ogivas nucleares!

    • Nuno says:

      Eu sei pouco de submarinos, mas do que julgo saber, os submarinos nucleares servem para projectar poder FORA das próprias fronteiras, dada a sua autonomia. Os submarinos convencionais são aparentemente mais silenciosos e perfeitamente capazes (se calhar mais até) de operar as suas missões habituais relativamente próximo das suas bases, que é o que precisamos.

    • José Luís says:

      Jose Rodrigues nao sabemos da matéria nao dizemos asneiras…
      Mais lhe informo que a nivel de Subs Convencionais estes sao topo gama, NAO Á MELHOR…
      Aconselho a ir ao google, é facil ficamos ilucidados e não dizemos asneiras!!!

    • Rogério says:

      …. Desculpe mas tem que aprofundar os seus conhecimentos acerca dos submarinos… Já agora sabia que já fizemos muitos exercícios com submarinos nucleares é quem ganhou sempre? Sim não me enganei, foi sempre…Os Portugueses….Sabia que os submarinos nucleares emitem muito mas muito mais ruído que um submarino convencional? Sabe quantos sistemas auxiliares são precisos para arrefecer um reactor nuclear? Sabe que os nossos submarinos não são submarinos convencionais normais? Já ouviu falar em AIP (air indpendent propulsio)…?

      • SIMULACRO says:

        Como já escrevi em cima, um exercicio militar pressupôe um embate, neste caso um AIP é mais pequeno, manobravel e silêncioso (esta última depende de alguns factores). Um submarino nuclear é evidentemente maior, mais rápido e tem uma capacidade de ataque fenomenal contra alvos maiores ou território continental, é por isso mesmo e adicionando boa experiência nossa que faça com que levemos a melhor, não pelo que temos de material.

        Resumo: Um AIP está vocacionado para skirmish contra alvos a curto alcance enquanto um submarino nuclear é para mar alto e ataque a como por exemplo, porta aviões ou lançamento de arsenal.

        Para nós, fazia mais sentido cobrir o vasto território com um submarino nuclear que tem mais autonomia e velocidade, já que suspeito que não vamos iniciar nenhuma guerra contra um submarino mais versátil.

        Para os US, eles já aprenderam a lição (o que é pretendido com simulacros) e em breve terão UUV’s AIP a proteger os Los Angeles, Virginia class e Supercarriers como o Nimitz e Geral R Ford.

    • Berrio says:

      Ele á cada BESTA…o que tu percebes de Submarinos?

    • Pedro says:

      O principal efeito dissuasor de um submarino nuclear advém da credibilidade do uso do seu armamento. Alguém acredita que vamos usar armas nucleares para proteger a ZEE?

  6. Rui says:

    Muito bom artigo e venham os próximos 🙂

    Apesar do que muitos portugueses pensam (por ignorãncia, como já foi aqui referido), os submarinos só pecam por serem 2!!!!!

    • Joao 2348 says:

      Concordo, dada a área a vigiar deveriam ser alguns 50 submarinos, produzidos em diversos países (se possível alguns em Portugal com desenvolvimento 100% português) para ninguém conseguir controlar/ ter contra-medidas para todos com facilidade.
      Claro que construir e manter 50 submarinos é impensável para um país como Portugal… sem dúvida! Mas vá-la que uns 8 fosse o mínimo aceitável.
      Aquilo não é só para guerra, ao contrário do que alguns possam pensar, serve para seguir e por vezes deter tráfico de droga, poluição marítima, salvamentos em algumas circunstâncias especiais, recuperações de navios sequestrados, entre eventuais outras missões.
      Para verdadeira dissuasão militar, menos de 50 submarinos (de diversas proveniências) a percorrer toda a área marítima não seriam dissuasores.

    • MarioM says:

      Correcto, 2 são poucos.

      A Ignorância é a mãe de muita porcaria e alguns quando escrevem revelam o quão ignorantes são.

  7. Ms says:

    espectáculo!! parabens

  8. Vitor says:

    Só precisamos mesmo dos submarinos por uma única razão: NATO. E é preciso não esquecer que quando cá chegaram já vinham com problemas estruturais! Remendos à parte em tão sofisticada tecnologia, num país que se diz de mar e com orgulho do mar que tem e destruiu as próprias frotas pesqueiras !

    • Rui says:

      Que problemas estruturais são esses? Não, Portugal já opera submarinos à 100 anos e a NATO não tem tanto tempo!

      Costuma-se dizer que se um país quer ser independente, deve defender as suas fronteiras, incluindo as marítimas. Tirando a decadente Europa, que espero mais cedo ou mais tarde vai ter de abrir os olhos, diga-me lá um país que não aposte na sua defesa? E digo-lhe mais, seja ele comunista, capitalista.

      • Vitor says:

        Os navios vieram com problemas de estrutura e resistência e o contrato não admitia garantia do fabricante, pelo que pagamos a reparação à empresa que os fabricou. E quanto à NATO , sim é recente, mas foi o que nos obrigou à aquisição de dois novos e a retirada dos anteriores. E por ser uma questão NATO não puderam ser novos em ” 2a mão” . Quanto há questão da nossa defesa só resta uma questão? Contra quem e de quem? Como já se dizia em Roma, somos um povo que não se governa nem se deixa governar.

        • Rui says:

          Senhor Vítor, não sei se deu conta que os 4 submarinos comprados ainda no tempo de Salazar!!!!!! Ouviu bem, 4 submarinos com quase 50 anos….. queria ainda manter os museus a flutuar?

          Já agora deixo-lhe uma pergunta, se acha que não devemos defender-nos, porque acha que nunca vai haver necessidade….. Ouviu o aviso do Trump sobre o subfinanciamento dos países europeus em questões de defesa? (independentemente do Trump ser o que é…….)

          Já agora outra questão, imagine o senhor em alto mar, a fazer um cruzeiro em águas de responsabilidade portuguesas, uma tempestade faz com o navio comece a afundar, o que faz o senhor? Chama o 112? Ou pede a Espanha para vir envergonhar-nos a salvar vidas em águas portuguesas? Se é isso que o senhor quer……. depois ainda reclama que andamos de baixo do pé dos alemães, dos americanos….. mas com as suas teorias, também temos de andar de baixo da alçada dos outros países, porventura!

          Quanto à última frase, não sei se é realmente verdade, mas também concordo, mas por motivos diferentes, ora por ignorância de quem nos governa, ora por ignorância de quem os elege, damos muitos tiros nos pés!

        • José Luís says:

          Nunca li tanta burrice, nao sao novos??? Aconselho a informarem-se antes de dizer tanta asneira…

    • Sr Enginheiru says:

      Caramba sinhor inginheiru …

      eu que estou nos submarinos não sei nada, mas o sinhori sabe tudo 🙂

      Ka pinta eihhhmmm?
      LOL

  9. asdf says:

    Só é pena a sua construção apenas ter dado empregos na Alemanha e que Portugal não adquiriu know how nenhum. Fabricado na Alemanha e manutenção no exterior. A justiça foi incapaz de levar à pedra os negociadores desta bela negociata que incluiu luvas e todo o resto.

    • Paulo C. Santos Garcia says:

      Não é bem assim, Portugal vai começar a ganhar know-how nesta área através do Arsenal do Alfeite. E esta capacidade não será apenas aplicável aos submarinos portugueses, poderá ser para qualquer submarino de construção alemã.
      http ://observador .pt/2016/10/20/submarinos-alemaes-passam-know-how-ao-alfeite-para-fazer-revisoes/

    • Grymlord says:

      Em relação a manutenção exclusiva no exterior em breve isso vai terminar. O Arsenal do Alfeite em breve vai ficar com as competencias necessarias para essa manutenção, deixando de ser necessario a manutençao no exterior.

  10. Antunes says:

    Estes artigos políticos só querem dizer 2 coisas.

    Alguém precisa de comprar peças da Alemanha os para os submarinos, a preços bombásticos!
    Alguém está a fazer a jogada para incutir na sociedade tuga que é preciso mais 1 submarino.

    Vi um artigo politico nada sobre tecnologia…

  11. Nuno Pereira says:

    Jose Rodrigues, sou o Comandante Nuno Pereira, primeiro comandante do SUBMARINO ARPAO.
    O TRIDENTE e o ARPAO sao atualmente os dois melhores submarinos convencionais a operar no mundo da NATO. Foram uma compra extraordinaria, em termos de qualidade, o resto nao sei. Parados? Nem pensar….ambos os navios contam ja com mais horas de missao do que a media do mesmo tipo de navios da NATO.
    Ainda assim se quiser os dados concreto pode contactar as Relacoes Publicas da Marinha pois os dados sao publicos….
    O que lhe posso dizer que os submarinos nao param…..estao de boa saude, sendo no entanto realizer a devida manutencao.
    Obrigado pela atencao.

    • Rolha says:

      Eu por mim acho que foram uma excelente compra e até acho que se devia apostar mais na Marinha Portuguesa. Parados os Submarinos não estão porque eu vejo várias vezes, da minha janela no trabalho, um deles a passar pelo Tejo para mar alto.

    • Agostinho Ribeiro says:

      eu gostava de perguntar ao sr ou Comandante Nuno Pereira one posso encontrar a dita Tecnologia Portuguesa dos submarinos Portugueses. Claro na internet, se ha algum site que fale dela ja que estou curioso de ler essa tecnologia, ou entao se for possivel pode falar-me dela?

  12. efe says:

    Portugal precisa de submarinos?
    Sim, porque foi uma “exigência” da NATO.
    Não, porque nos faltam outros meios mais importantes para patrulha da costa e ZEE – lanchas rápidas, aviões de vigilância/patrulha, helicópteros para intervenção/busca e salvamento , etc…
    Não, pelo preço que custaram e ainda vão custar.
    Não, pela falta de armamento destes “brinquedos” da Marinha.

    Enfim, isto é a minha opinião pessoal, claro que a revista da Marinha tem outra…

    • Rui says:

      Olha, não sou militar, mas estás a falar a sério? Vais patrulhar o oceano com lanchas rápidas? Só podes estar a gozar. Olha, agora que o turismo está tão em voga em Portugal, como é que pensas socorrer um navio cruzeiro que tenha problemas em alto mar? Chamas os espanhóis? Ou ligas para o INEM?

      A NATO não exigiu submarinos. Fragatas sim, e por isso é que as 3 Vasco da Gama foram financiadas em parte pela NATO. O submarino é a arma mais poderosa que pode ter um país como o nosso. Mas se estiveres atento aos próximos artigos, pode ser que vejas para que servem.

      Já agora outra questão, imagina que os fogos na Madeira passavam a estar fora do controlo, como é que salvavas 250.000 pessoas sem navios?

      • efe says:

        Rui, a sério??
        Vais socorrer um navio cruzeiro com os submarinos?
        Vais evacuar a população da Madeira com os submarinos?
        Os nossos submarinos são uma arma poderosa? Um submarino é uma plataforma para lançamento de armas (torpedos e mísseis) extremamente eficaz. Mas vamos ver que armas é que eles têm abordo nos próximos artigos para serem “poderosos”.

        A vigilância das águas territoriais deve ser feita por aviões (normalmente a hélice e de grande autonomia) de modo a cobrir grandes áreas – temos falta desse tipo de aviões e dos respectivos equipamentos de vigilância, que detectam navios, poluição … e até submarinos submergidos até certas profundidades
        Lanchas rápidas para intervenção – temos vários barcos de pesca ilegais nas “nossas” águas e não conseguimos fazer nada.
        Helicópteros para busca e salvamento – precisamos de mais e melhores.
        Enquanto não tivermos assegurados esses meios para vigilância, patrulha e salvamento, não devíamos andar a comprar submarinos nem F16…

        • Rui says:

          EFE? A sério pergunto eu.
          Se quizeres evacuar a população da Madeira, não tens nenhum navio preparado para tal (navio polivalente), terias de usar o que temos e é muito pouco.
          Mas qual é o país que patrulha os oceanos só com aviões? Fazes ideia da vastidão das nossas águas? Mesmo no caso de um acidente, como se tem comprovado pelo mundo fora, encontrar destroços ou um navio ou avião naufragado é quase como encontrar uma agulha num palheiro!!!!!!
          Se não sabes as armas dos nossos submarinos eu digo-te, cada um transporta torpedos Black Shark e 4 mísseis Sub-Harpoon block 2 com um alcanse de cerca de 250km (que colocam em sentido qualquer coisa que navegue, voe ou até mesmo alvos em terra fixa que estejam dentro do raio de acção).
          Os radares e demais sensores, quer dos nossos submarinos quer das nossas fragatas, para além de varrarem dezenas de milhas em 360º, permitem interceptar comunicações de navios. Como achas que as autoridades portuguesas apreendem navios que chegam à costa, pela calada da noite?
          Vais patrulhar a costa com lanchas rápidas? Se queres ficalizar as águas e até salvares alguém, precisas de navios de grandes dimensões, com enorme autonomia, que permita navegar sem parar a mais de 10 milhas da costa e de preferência que tenha um helicóptero (só tens 5 navios com helicóptero, e todos eles dos anos 90).
          Falas de helicópteros de Busca e Salvamento, são poucos, é verdade, só temos os Merlin para tal e temos muitas ilhas (não esqueças que são usados para evacuar doentes urgentes das ilhas, ou órgãos, ou na busca e salvamento).
          Resumindo, temos poucos meios e bastante envelhecidos!
          Já agora, conheces algum país com a nossa dimensão que não tenha aviões de combate como os nossos F-16? Achas que é um luxo? Tens a certeza?

        • Nuno Pereira says:

          Os SUBMARINOS da Classe TRIDENTE estao equipados com TORPEDOS BLACKSHARK – atualmente o mais modern torpedo a ser utilizado a nivel mundial e por MISSEIS SUB-HARPOON, um missil ultra modern capaz de atacar navios e terra.
          Ambas as armas estao em Portugal e devidamente armazenadas. Temos algumas dezenas destas armas, por isso nao estamos a falar de ir comprar…nao…estao ca e PRONTAS…..
          De entre os TORPEDOS foram adquiridos torpedos de exercicio que sao lancados com frequencia, varias vezes por ano, para testar toda a cadeia de fogo e os conhecimentos das pessoas….forma ja lancados muitos tendo TODOS atingido o alvo…..
          Va la pessoal, falemos do que sabemos…..

    • Garret says:

      A grandeza do mar atribuído a Portugal, é eficaz com 12 submarinos em navegação na área, mais três navios hospital, três porta aviões, tal é o numero de navios em circulação no atlântico centro/norte, pessoas embarcadas e muita pirataria aos milhares.

  13. Telmo Barros says:

    Artigo excelente!! Só tenho pena de uma parte “economia do mar verificamos que ela representa, de acordo com Estratégia Nacional para o Mar 2013-2020, cerca de 2,5% do PIB”, muito pouco mesmo, acho incrivél como tendo a area que nós temos não podemos tirar melhor partido do mar e não digo explorar até à exaustão!

    • Rui says:

      Telmo, tem razão, mas não esqueça que quando entramos na UE, recebemos muitos milhões de euros para abater navios obsoletos e renovarmos a frota. A parte do abate de navios abatidos e dos milhões “dados” cumpriu-se, faltou a parte da renovação!!!!! Eu aí não deito a culpa ao estado, não tem de fazer tudo por nós! Mas já deito a culpa a quem negociou as quotas de pesca lá fora……

      Em relação aos 2,5% do PIB, mesmo assim ainda representa mais de 4 mil milhões de euros. Mas concordo que é pouco.

      Não sou de Lisboa, mas secalhar pode ser que em vez de tanto Tuk Tuk, os operadores turísticos passem a apostar mais em viagens marítimas ou mesmo fluviais…… digo eu!

  14. Nuno Pereira says:

    Sr Vitor…esta redondamente enganado. Se fosse pela NATO nao precisavamos dos submarinos. Existem alguns noi seio da Alianca que podiam patrulhar as nossas aguas. Mas o facto de PORTUGAL ter uma das maiores areas maritimas do mundo faz com que tenhamos de ter alguma capacidade autonoma de patrulha e dissuasao nesse gigantesco espaco sem dependermos tanto de terceiros….
    Logo nao compramos os submarinos por casa da NATO mas exactamente pelo motive oposto….

    Sr. Antunes, claro que os submarinos precisam de manutencao e as pecas sobresselentes sao caras. Sem duvida. Mas o Sr esta preocupado com migalhas que nos garantem afirmacao de soberania sobre o mar portugues ou esta preocupado com alguns buracos de milhares de milhoes que por ai andam em outroa sitios?

    • Joao 2348 says:

      O problema é que são muito poucos! Deveriam ser no mínimo uns 8 submarinos, para capacidade de dissuasão psicológica… que para dissuasão militar real, menos de 50 submarinos de diversas proveniências, incluindo alguns 100% desenvolvidos e construídos em Portugal, são poucos para dissuadir terceiros… já que todas as frotas navais militares tem meios para detectar e destruir submarinos.

      • nelson says:

        por questões estrategicas e de gestao da frota deviamos de ter no minimo 3 submarinos, alis por essa razao ao longo de 100 anos tivemos praticamente sempre o minimo de 3 submarinos

  15. Informático Amador says:

    Bom artigo e que desperta apetite para os próximos. A utilidade da Arma Submarina, só é questionável para os políticos que não receberam o seu quinhão “no negócio” e querem usá-los como arma de arremesso político, para aqueles que percebem tanto de geo-estratégia como uma mulher-a-dias (sem ofensa para esta última), ou para aqueles que querendo puxar a brasa à sua sardinha, perceberam que para o dinheiro ir para submarinos, não ia para os “projectos deles”. No geral, quase todos percebem que num País marítimo sem recursos para uma grande esquadra, meios de dissuasão são o que se pode ter. E entre estes, o Submarino ocupa lugar de destaque. Venham esses Artigos! E não esqueçam que o Alfeite está a ser preparado para dar toda ou quase toda a manutenção necessária. Ou seja, se possível incluam essa componente nos artigos.

  16. JM says:

    Se fazem falta ou não depende sempre da perspetiva com que se analisa a questão e das prioridades do país.

    Mas a mim o que me preocupa mais é saber afinal quem foram os altos funcionários e afins cá no burgo que receberam umas prendinhas pelas quais os administradores da empresa alemã foram condenados por as terem oferecido (antigamente até era permitido desde que fossem vendas a um país estrangeiro, receber é nunca foi ;)). A justiça alemã sabe perfeitamente quem são mas aparentemente a nossa justiça tem mais que fazer.

  17. poiou says:

    Já ouvi alguém da Marinha dizer, que os submarinos eram precisos (os da classe Albacora já estavam obsoletos), o problema foram os “caldinhos” que houveram por trás

  18. Rui says:

    Sao Ferraris para os quais nao temos dinheiro para a manutencao. Defendermo-nos de quem?

  19. João Neves says:

    Que venham os restantes artigos. Já agora, alguém sabe se dos antigos submarinos algum está em exposição? li algures que iam estar em exposição e que existia uma localidade interessada em construir uma área de exposição … Obrigado

  20. Nuno Pereira says:

    Sr. Rui…que visao tao curta da vida….nao se trata de nos defendermos de ninguem, ainda que a historia nos ensina que os conflitos humanos sao como os io-io…vao e voltam e Portugal tem de ter uma capacidade minima autonoma para fazer valer as suas posicoes. Ainda assim, naop se trata de nos defendermos de ninguem, felizmente….se atualmente Portugal nao tem grandes ameacas e porque Politicamente e Militarmente temos feito um bom trabalho…..
    Agora….
    Sabe o que a Plataforma Continental?
    Sabe que o estatuto juridico e de TERRITORIO NACIONAL, tal e qual o chao que pisamos no Rossio?
    Sabe que sendo territorio nacional temos de manter uma presenca frequente e credivel?
    Sabe onde fica a PLATAFORMA CONTINENTAL? Debaixo de agua….
    Esta disposto a ceder 95 pct do territorio nacional (Plataforma = 4 milhoes de KM2 Portugal Continental = 97000 Km2)?????
    Pense bem…..
    Ja agora…os SUBMARINOS custaram 1% do buraco do BANCOS…..
    OBRIGADO!

  21. Diego Delavega says:

    Oh meu amigo comandante.
    É muita gira a verdade que nos dá e nos entrega através dos seus comentários, mas isso é a verdade que está disposto a ver.
    Prioritária? Não parece.
    Exemplar? Também não.
    Necessária? Talvez.
    O primeiro passo para fazer alguma coisa bem feita, é fazer uma coisa de cada vez.

    Continuamos no jogo preferido do português, razão temos todos e não tem ninguém. A selvajaria “racional” com que nos prendemos todos e perpetuamos através do exemplo para as próximas gerações vai ser muito mais grave do que qualquer percentil de ameaças ou alertas vindos dos mar através da mão humana.

    Relativizar a coerência com que agimos. E os umbigos que servimos.

    Bom dia e boa semana.

    • Nuno Pereira says:

      o amigo Diego Delavega…sem nenhuma pretensao que nao seja esclarecer os meus concidadaos….pode ser um pouco mais claro e explicito no seu comentario….
      A ver se compreendi….
      A verdade sera sempre a verdade da qual cada um tem consciencia….
      A verdade e que NENHUMA, repito, NENHUMA nacao do mundo que tem um palmo de agua nao tem SUBMARINOS…essa e a verdade. Portugal tem-os desde 1913 e perde-los quando se candidata a extensao da Plataforma Continental seria muito estranho.
      – A VERDADE internacional sobre os submarinos e QUEM TEM QUER MANTER QUEM NAO TEM QUER OBTER…..
      – PRIORITARIA….os velhinhos submarinos anteriores fizeram o milagre, com enorme sacrificio dos militares da Marinha envolvidos, em viver 42 anos..REPITO 42 anos…..se nao avancassemos rapidamente perdiamos de todo a capacidade pois o factor humano desaparecia….
      – EXEMPLAR…nao sei ao que se refere….talvez ao buraco de 20 000 milhoes da banca. Mas os miliatres envolvidos nada tem a ver com o negocio em si. O que lhe posso dizer e que os SUBMARINSO sao excepcionalmente bons. O dinheiro do buraco da banca nao sei para onde foi mas o que se gastou nos submarinos esta a vista…e so ir a Base Naval de Lisboa e voila……
      NECESSARIO….bom…..nao sei…..se calhar e melhor continuar a cosntruir autoestradas paralelas umas as outras……
      Respeitosamente,
      Nuno Pereira

  22. Ora ora says:

    Quando é que o Paulo Portas vai preso?

  23. fabio says:

    isso tudo se resume em … REVISÃO!!!! 5 milhões para cada um …são 10 milhões de euros!!!!!

    • Rui says:

      Deixa lá que o dinheiro que todos os portugueses já deram aos bancos nacionais, dava para pagar revisões dos submarinos pelo menos para mil anos!!!!!! Só a CGD já vai em 10 mil milhões de euros (dava para comprar 20 a 30 submarinos iguais aos nossos, mesmo com luvas incluídas! Mas ainda tens o BPN, BPP, BANIF, BES……….. é fazeres as contas como diz o outro!

    • Nuno Pereira says:

      Sr Fabio….5 milhoes nao da para mudra o oleo ao motor…..
      Sou o Comandante Nuno Pereira. Sou submarinista ha 17 anos e fui o ultimo Comandante do BARRACUDA e o primeiro do ARPAO.
      Os submarinos sao um meio militar relativamente barato para a capacidade militar que apresentam….mas sejamos serios TUDO O QUE E MILITAR E CARO.
      Eu nao tenho os valores de cor mas 5 milhoes nao sao certamente e bastante mais….
      SERIEDADE E TRASNPARENCIA ACIMA DE TUDO, pois tenho muito respeito e consideracao pelo esforco notavel que os meus concidadaos contribuintes fazem para que Portugal possa ter esta capacidade….
      Abraco,
      Nuno Pereira

  24. Carlos Araújo says:

    No meio de todos os comentários, não sei se referiram a grande diferença em termos de energia e propulsão! O hidrogénio como combustível, e a utilização de células de combustível isto sim é tecnologia a grande profundidade. Agora imaginem o que se pode aprender com isto…

  25. Tuga dos Dembos Malange says:

    Alguém está familiarizado com a sigla DAE (?) “destacamento de actividades especiais (??) Os tubos dos torpedos não lançam só torpedos… também são uma forma de projectar “soberania” e de socorro … além mar em terra… Não sou entendido destas cenas dos “mikes” mas tendo crescido em zona de guerra ZON Angola desde 1966…
    Quanto aos charutos propulsionados a célula de combustivel… é um must … e o problema nem é dinheiro como esta crise demonstrou; é estratégia … pensamento… missão e … cultura */ defesa da n/Comunidade – Timor não foi um acaso… digo eu… seria bom que alguém com conheciemnto de causa se “abrisse” um pouco…
    Cordialmente.

    • JVC says:

      DEA é o Destacamento de Acções Especiais.

      • Tuga dos Dembos Malange says:

        Grato pela correcção JVC e apresento as minhas desculpas pelo lapso. Pelas informações que recolhi, e são muito poucas para não dizer NENHUMAS – só se consegue chegar lá pelas entrelinhas de forma muito indirecta – deverão de ser só as tropas MAIS especiais que a RP tem ao dispor – …passeios pelas zonas quentes da Guiné e Congo… para resgate / protecção de cidadãos nacionais e Comunitários. Claro que o vector de lançamento foi subaquático… Bem haja.

        • JVC says:

          Na verdade não é suposto que haja. O DEA será o mais próximo que temos dos, agora conhecidos, SEALS da marinha norte americana. Numero de elementos, bom como as suas missões são secretos. Apenas se sabe que já participaram em missões de combate ao narcotráfico em cooperação com as polícias.

          Mas não são os únicos. Os Rangers de Lamego e a própria UPF da Força Aérea são unidades, que pela natureza das suas funções, são discretas e pouco faladas.

          Mas há reportagens na net sobre elas.

          Cumps

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.