PplWare Mobile

Apple quer eliminar concorrência ao serviço de música da Beats


Autor: Pedro Simões


  1. Ricardo Raimundo says:

    Por favor não comprem beats!
    Fica mais barato comprar na loja chinesa.. já que a qualidade de som é idêntica..

  2. Marcos says:

    A apple até pode ser inovadora, mas continua na senda de secar tudo à volta! Vergonhoso.

  3. 1berto says:

    Agora que a industria da música se estava a compor, com os download ilegais a diminuir, e as pessoas a terem acesso ao conteúdo, vem esta Appl€ querer estragar tudo.

    • miguel says:

      Lá está mais uma vez à Apple que tantas “pessoas” veneram a lixar a malta, há quem goste de pagar e sustentar chulos e ainda aplaudida de pé…
      parece o que acontece com o Sócrates cá em Portugal, roubou, fez contratos para os amigos, etc.. e ainda tem uma legião a defender que ele é inocente.

  4. Francisco says:

    Sinceramente, a ser verdade, além de ser uma atitude muito má por parte da Apple, também acho desnecessária; mesmo com concorrência, irá sempre ter bastante clientes a usufruir do seu produto.

    • miguel says:

      Por mim a Apple já tinha levado um corte nas receitas, tal como aconteceu com a Samsung.
      pior devia levar um ainda maior.
      A piadapiada aqui é que nos EUA aquilo não vai dar em nada, o tribunal não vai fazer nada, mesmo que meta uma multa a Apple , ela com as receitas do 1 mês do serviço da beats com estes contratos vaí pagar a multa.
      Assim também eu não me importava de pagar a multa..
      devia era ser obrigada a redefinir os contratos.

      Mas No fundo quem fica a perder vai ser o consumidor e a indústria da música…

      No meu caso de o spotify deixar de dar música que eu quero, passo logo de novo para os downloads ilegais..
      eu pagar 1 euro de 3 em.3 messes não me importo. aliás eu nem Quero ter as Musicas no meu pc, só ocupa é espaço.

      Mas os isheeps ainda vão.defender pobre gente.

  5. Benchmark do iPhone 6 says:

    Está um bocado exagerado o post. “And Apple itself isn’t entirely against free music. Sources say the company intends to keep its free iTunes Radio service running, since it doesn’t think Web radio services compete with music sales.” – diz o re/code

    A coisa põe-se assim – o Spotify tem 60 milhões de utilizadores em todo o mundo, sos quais 15 milhões são subscritores pagantes (25%). Os restantes 75% têm que ouvir uns anúncios. No YouTube os anúncios são por demais.

    Isto parece um jogo de soma nula – quanto mais subscritores pagantes houver, menos têm que pagar cada um, e menos são os utilizadores que ouvem publicidade – diminuindo, consequentemente as verbas movimentadas em publicidade.

    Não é streaming pago vs. streaming gratuito é streaming pago vs. streaming suportado por publicidade [não confundir o Spotify com rádios web, habitualmente um serviço gratuito suportado por publicidade]. É um equilíbrio difícil, não me parece que haja uma solução que agrade a todos. O que a Apple fará é pagar melhor a quem lhe garantir, por exemplo, o exclusivo de uma semana ou duas quando são lançadas novas músicas. Não pode?

    http://recode.net/2015/03/06/big-music-labels-want-to-make-free-music-hard-to-get-and-apple-says-theyre-right/

    • JJ says:

      Eu por acaso prefiro a publicidade.

      Acho que actualmente produtos como musica, filmes, series e jogos, deviam ser suportados pela publicidade e não pelos consumidores. Isto porque esses produtos são óptimos meios de divulgação de outras marcas/produtos, que só são possíveis de ter ao se comprar.

      Se assim fosse, a pirataria das musica, filmes, series e jogos, seria praticamente nula.

      Nada contra a Apple apenas negociar a exclusividade de determinadas musicas durante um x de período, outras empresas fazem o mesmo. A questão que se levante é, como é feita a negociação desse tipo de exclusividade e que tipo de exclusividade é que se está aqui a falar. E será nesse ponto que pode estar haver um abuso de poder.

      • Paulo says:

        Séries suportadas pela publicidade? É o que não falta (olha a produção nacional de TV)… e a maioria não vale o tempo perdido…

        Jogos suportados pela publicidade? É o que não falta também nas plataformas móveis! Vale a pena? Para mim, não!

        Agora… música suportada pela publicidade? Estou a ver no meio da música… “agora vamos fazer uma pausa breve para falar sobre o novo produto que temos para apresentar”… já os videoclips são suportados pela pub, e cada vez pior são! É só product placement.

        • JJ says:

          Series/Filmes – Quando falo em publicidade, não são os anúncios dos intervalos. Mas dos produtos utilizados na propria programa. Alem disso, não é o facto de ser suportado pela publicidade ou dos consumidores, que dita a qualidade da produção.

          Jogos – Não falando daqueles jogos que só são feitos para por a publicidade, existe muito bom jogo nas plataformas moveis que são suportados por publicidade que tem qualidade e essa publicidade não interfere no jogo. Mas não estava a referir-me esse tipo de jogos. Falo dos jogos tipo FIFA. O FIFA gratuito, onde as publicidades nas camisolas ou nos placas a volta do estádio/relvado, serem vendidas onde podiam mudar com os tempos, e a EA teria um lucro continuou com o jogo, porque vendia aquele espaço publicitário por x de tempo. E isso não afectaria o jogo em si.

          Musica – Existem serviços legais de streaming que passam publicidade na passagem de uma musica para outra. Qual é o problema disso, se não estragar a musica? A pessoa que não quiser essa publicidade, paga uma mensalidade.

        • 1berto says:

          Não queres publicidade, tens essa opção no Spotify, o que a Appl€ quer fazer é remover a opção de escolher.

          Se fosse pela Appl€, tinhas de pagar para respirar!

          • Nunes says:

            A Apple tem tb um serviço de música gratuito, com publicidade, em moldes diferentes e que deve continuar mesmo com o novo serviço de streaming [o Radio].

          • Mrsz says:

            Não, o que Apple quer é, ou fazem um preço mais barato para o nosso serviço pago, ou nós pagamos mais, mas não há serviços à borla.

          • 1berto says:

            Mrsz

            Mais barato que à borla não há…

            E se querem fazer uma opção paga mais barata que o Spotify, porque estão então com a estratégia da notícia? De forçar as editoras a não renovarem contratos com o Youtube e Spotify…

            Pois… A Apple será sempre Appl€.

      • Nunes says:

        A grande questão é se a publicidade nos serviços de streaming de música em que as pessoas podem escolher à vontade o que ouvir, é uma forma sustentável para quem produz a música!
        O que se ouve há já algum tempo são vários músicos a reclamar do que recebem destes serviços – a publicidade não gera o mesmo dinheiro que uma assinatura no serviço de streaming, e os incentivos para as pessoas assinarem não são fortes o suficiente, pois o serviço com publicidade dá ainda bastante liberdade para ouvir muita da música que se quer no momento! Daí até todo entusiasmo com o Tidal por parte de alguns dos artistas mais bem pagos no mundo!!

      • Carlos says:

        Portanto achas que os artistas deviam trabalhar de graça…

        O que fazes exatamente? É que eu quero contratar-te. Não te vou pagar, claro, mas podes usar todas as t-shirts com publicidade que quiseres.

        Que te parece?

        • 1berto says:

          Um artista não tem patrão, logo tem de se desenrascar da mesma forma que toda a gente que quer trabalhar por contra própria e não a contrato.

          E ninguém obriga os artistas a estar no Spotify… Eles estão lá porque percebem que de forma gratuita para os consumidores, e ainda assim a receberem % da publicidade, conseguem chegar a mais gente e ganhar mais fama.

          Exemplo disso está no mundo da tecnologia… Tu tens Dropbox, Google, etc. a fornecer serviços gratuitos ao consumidor, porque eles sabem que a melhor maneira de ter clientes, é terem muita gente a consumir o seu produto, nem que seja de forma gratuita. Imagina se toda a gente tivesse de pagar para ter um armazenamento online, ou ter uma conta de email, ou para fazer uma simples pesquisa… Nenhuma dessas empresas teria chegado a onde está agora e a colher esses frutos.

          • Nunes says:

            os artistas estão lá porque as discográficas apostaram que esses serviços poderiam ser uma fonte de receitas adicional, e tinham expectativas sobre essas receitas! Se as expectativas de todos os que trabalham no ramo não são correspondidas é natural que comecem a reclamar… e neste caso parece que muitos tinham a esperança que nesta altura a percentagem de pessoas pagantes seria maior nos serviços de streaming.

          • 1berto says:

            Nunes,

            De certeza que ninguém os obriga a assinarem nada… E as editoras estão a ser pressionadas a não renovar contratos, não é o mesmo que estarem descontentes, porque se não houvesse Spotify e YouTube, a maior parte dos artistas seria completamente desconhecido, ou seria conhecido pela através de pirataria, que dá 0€ a editoras e artistas.

            Como já expliquei aqui 500 vezes, o sucesso de um produto (o artista neste caso) depende igualmente da facilidade com que o consumidor chega ao mesmo. Exemplo disso é, tiras toda a gente dos concertos que nunca comprou um álbum… Com quantas pessoas ficavas?

          • Nunes says:

            @ 1berto
            O descontentamento já se ouve há algum tempo e bastante publicamente, tendo o exemplo dos artistas que querem fazer da Tidal uma alternativa.

            ” porque se não houvesse Spotify e YouTube, a maior parte dos artistas seria completamente desconhecido, ou seria conhecido pela através de pirataria”
            essa só pode ser para rir, certo!? “coitados” dos artistas que antes da existência de tais serviços não conseguiam ganhar nada e ficar conhecidos… Há muitas maneiras para se promover, e os artistas têm todo o direito a não quererem que toda a sua obra esteja disponível sem a compensação que acham justa…

    • FG says:

      Não!

      Aparentemente, há muita gente que acha que os Estados Unidos da América é um país comunista.

      E ouvir o Kanye West ou lá o que é que os putos ouvem hoje em dia, sem pagar, é um serviço público tendencialmente gratuito…

      Ainda bem que existe liberdade, a verdade é que existem milhões e milhões de pessoas pelo mundo que podem fazer música, quem não gosta destas tretas? Então deixe de ouvir música dessas editoras… etc…

      • 1berto says:

        Ou melhor ainda, sacam as músicas ilegalmente e assim os artistas nem sequer uma pequena parte recebem… E continuamos todos contentes!

        Defensores da Apple têm sempre razão! 🙂

  6. Zefra says:

    Acredito que haja algum exagero no rumor… mas muitos rumores são por si só um exagero. A provar a veracidade do rumor acho que esta na altura de por os pontos nos “i” e deixar de dar de mamar a algo que começa a aproximar-se de um monopólio. Foi bom enquanto eram novatos agora jogam pelas regras que outros antes lhes impuseram.

  7. Tavares says:

    A noticia até pode (espero que seja!) mentira ou apenas “meio” verdadeira…mas caso se confirme reforça a minha razão para não utilizar produtos ou serviços desta empresa. Comparo esta estratégia comercial com alguns projetos políticos…só vivem bem em ditadura e sendo “escolhas” únicas! Esperemos que as instituições façam cumprir as leis…e não sejam corrompidas como tantas vezes acontece!

    • miguel says:

      Produtos desta empresa… nunca, pagar um exagero, por uma coisa que custa metade…
      Desde os primóprimórdios da empresa que estas práticas são frequentes, ou como acham que a Apple cresceu?
      Foi a comprar barato, fazer patente, e vender caro.
      eles pouco inventaram do seu portfolio,compraram foi muitas ideias dos outros e “alugaram” os direitos por muito dinheiro, ex: o rato, etc… quem teve a ideia recebeu 25mil dólares, e a Apple faturou milhares de milhões milhoes..
      ao menos que tivesse sido justa e dado uma pequena percpercentagem até digo 2 a 5 por cento a empresa que o concebeu.
      nada tudo para o bolso.. e é assim que se ganha a vida, sendo um grande cá***o.

      • Paulo says:

        Sim, quem teve a idea, recebeu 25 mil dólares, mas não gastou um tostão a desenvolver software que puxasse pela adopção do rato, publicidade, não teve que lidar com os chineses para fazer os ratos, não teve que lidar com ANOS de F.U.D. por parte da IBM e dos clones a dizerem aos clientes que os computadores da Apple (que eram tecnicamente superiores), que eram brinquedos, e teve ZERO risco dos seus 25 mil dólares não darem retorno.

        É que és fino…

        Se em 1984, comprasses $25 mil de acções da Apple, a 52 cêntimos, hoje terias 48 mil acções, ou seja, $6.17 MIL milhões. Ou seja, mais de 4X mais rico que o Belmiro de Azevedo.

        Por vender uma patente de um rato! Algo que acabou por ser copiado à força toda e foi…

        • Nunes says:

          a patente nem foi vendida à Apple, apenas licenciada!

        • Carlos says:

          Isto é fanatismo levado ao extremo.

          • miguel says:

            LOL em 1984 comprar acoes da apple, não sejas ridículo, se comprasses também 5€ quando a Mc donalds/ cocacola, etc no inicio também eras rico.
            Eu estou aqui a falar de um negocio que a apple fez, porque tinha um hambiente grafico mas não tinha como o usar, resultado.
            Compra o rato por uma bacatela e factura rios de dinheiro, a XEROX é que foi burra, como ainda não havia onde o implementar vendeu ao desbarato.
            E tantos outros casos, a Apple é daqueles empresas que só ve o seu umbigo o resto a sua volta pode queimar, que eles não querem saber.

            E antes de Defenderes a Apple, vai ver o Historial NEGRO que ela tem.. essa do Rato foi um absurdo.

          • FG says:

            @miguel, tá caladinho, Okay?

            Essa do rato é a mais estúpido, o rato não serve de nada se não tiver um sistema operativo completo, pronto a utilizar o rato, senão, ninguém compra!

            E tu, sozinho, não fazes o trabalho de dezenas de engenheiros. Logo $25K para o gajo, na altura, era pegar ou largar… Fez ele bem… Na altura era muito dinheiro…

          • Nunes says:

            @ miguel
            Não só a Apple nunca comprou a patente do rato, como a patente não era da Xerox!

      • Nunes says:

        @ miguel
        rato!? Se pagou isso por uma licença a culpa não é da Apple mas de quem tinha a patente! PAra além disso, qualquer outra empresa tb podia adquirir a mesma licença da patente que por sinal durou muito pouco tempo após o “boom” do rato!
        E não esquecer que o rato da Apple era bastante diferente!

        • miguel says:

          durou pouco tempo?? tu es doido a Apple ganhou receitas do rato por mais de 8 ou 9 anos.

          Eu quero la saber se o rato da apple era diferente ou não ate podia voar, o que eu aqui estou a dizer é que qualquer empresa que fabrica-se um rato tinha de pagar a Apple.

          Parece os outros genios, fizeram uma pantente das Estufas (daquelas que ja havia por ai), e agora os fabricantes de estufas, que ja as fabricavam antes de haver patente teem de pagar uma percentagem.

          E claro que tu vais achar justo e uma grande ideia. pois eu também achava se pode-se fazer dinheiro a conta dos outros

          • FG says:

            Tinha?

            Mas não pagou!

          • Nunes says:

            Santa paciência! Eu acho que já te disse isto tudo noutra altura e pelos vistos não te entrou…!!!
            Onde é que tu viste que tinham que pagar à Apple, se a Apple nunca comprou a patente do rato!???? A patente foi licenciada à Apple pela SRI, tal como outras empresas conseguiram uma licença da patente da SRI!
            A patente expirou em 1987, por isso pouco mais de 3 anos desde o início da “era do rato”

    • Mrsz says:

      Escolhas únicas?

      Eles estão a proibir alguma coisa?

      Estão a por uma pistola na cabeça das coitadinhas das editoras?

      • miguel says:

        tu tens 12 anos ou que?? sabes bem que não é preciso apontar a pistola a ninguém para fazer pressão.
        um exemplo simples, tu vais te meter com o juiz da tua zona de residência? mesmo que ele estacione o carro mal estacionado ao pé da tua casa??
        claro que não, porque sabes que no dia que meteres la os pés, a tua vida vai ser muito mais complicada.
        ou vais te meter a reclamar por coisas sem jeito nenhum com o teu vizinho que por acaso é policia??
        claro que não sabes que na semana a seguir levas uma multa.

        ou tu ainda vives no mundo do Idealismo?? Acorda para a vida

        • Paulo says:

          Uma pergunta…

          Afinal qual é o serviço de streaming dominante?

          É o Beats? Ou o Spotify?

          • 1berto says:

            Não se trata do serviço dominante, trata-se da estratégia da Appl€ que pretende eliminar a concorrência… e isso não é bom para o consumidor.

          • miguel says:

            tu podes ter um serviço dominate em qualquer area, mas se houver uma empresa que seja 5000X maior que tu, e ela usar a sua estrutura, influencia para manipular o mercado tu vais cair do dia para a noite, quando das por ti estas como mendigo

          • FG says:

            Aí agora já se trata da influência…

            Quer dizer, uns estão a dar de borla um serviço que tem de ser pago, e está tudo bem, e os artistas têm de aceitar…

  8. Mikes says:

    Nada de novo. Já com os livros foi o que foi.

  9. JJ says:

    Se isto for realmente verdade… deixa a Apple com uma imagem muito má.

    • miguel says:

      não deixa nada, amanha ninguém se lembra e vai tudo a correr compara os produtos da apple, e dizem que estão a fazer um grande negocio

  10. Nunes says:

    eu diria que há muito mais nesta história do que estes rumores algo simplistas! O que se ouvia era que a Apple andava a deixar de dar relevo no iTunes a artistas que usavam os serviços de streaming… e que andava à procura de assinar contractos de exclusividade para o seu novo serviço com vários artistas. É bem possível que nesses contratos de exclusividade a Apple queira impedir que esses artistas tenham mais tarde as suas obras disponíveis em modalidades não pagas.

  11. FG says:

    Até parece que a Apple lhes põe uma arma apontada à cabeça…

    Até parece que 99% da indústria discográfica não quer destruir o Spotify gratuito, e inclusive a spotify…

    Até parece que serão os únicos a quererem isso, e não interessa também à Tidal e à Google…

    • JJ says:

      O problema é esse mesmo… É que a Apple nem precisa de grande esforço para conseguir esses acordos com a industria discográfica.

      • Mrsz says:

        Pois, porque lhes paga bem, e não lhes dá facadas nas costas…

        • 1berto says:

          E quem paga no final é o consumidor… Eu até gostava que a Apple conseguisse fazer isto! A sério que gostava! Queria ver quantas pessoas iam defender com unhas e dentes a empresa da maça depois de esta a obrigar a pagar mensalidades por tudo e por nada. xD

  12. Pedro says:

    querem tornar os outros chulos também?

  13. Kekes says:

    Com esta atitude espero que o beats seja grande fail. Infelizmente as Isheeps vão ficar todas contentes de poderem pagar mais pelo mesmo.

  14. Rui P. says:

    Se o serviço for tão bom como os headphones, vamos ter cerca de 75% da qualidade da concorrência ao triplo do preço. Pena é que o serviço, ao contrário dos phones, não é lá muito bom como artigo ostentativo de puro showoff.

  15. Paulo says:

    Ora bem, é só traçar as linhas…

    O Tim Cook fala com o Jimmy Iovine (da Beats), o Jimmy também é dos mais importantes da Interscope (Eminem, Dr. Dre, Fergie, Phillip Phillips, Maroon 5, Kendrick Lamar, Madonna, Lana Del Rey, Schoolboy Q, OneRepublic, U2, Imagine Dragons, Zedd, Lady Gaga, entre outros), a Interscope fala com a Universal Music Group… que controla a maioria da música comercial…

    Temos pena…

    Não ouçam… é só porcaria, dizem muitos…

  16. Manuel says:

    Estou farto de ser chamado icoisas, sim, a apple tem um serviço e uma filosofia que considero assertiva, e como musico, devo dizer que o itunes foi uma bafada de ar fresco, deu oportunidade a qualquer um de divulgar e vender o seu trabalho, fez com que os preços diminuíssem, e acima de tudo, e isto sim é importante, definiu uma qualidade mínima de áudio, que por sinal muito aceitável, é um desrespeito para os artistas verem o seu trabalho ser disponibilizado gratuitamente, e ainda por cima com uma qualidade de som miserável. A Apple tem de tomar medidas, e espero que o faça e tenha sucesso, e se em vez dos 7€ ficar a pagar 3€ por um serviço de excelência, e souber que estou a pagar a quem fez a musica, fantástico, e a nova geração de surdos, que continuem a ouvir sem lá de onde com qualidade de grafonola.

    • Paulo says:

      Sabes como é…

      Headphones de 1000€… para ouvir Spotify gratuito, YouTube e Torrents…

    • JJ says:

      O problema aqui não é esse.

      É que se a Apple fizer esse tipo de acordo de exclusividade, apenas os clientes Apple é que vão conseguir aceder a essas musicas. Portanto, o cliente não vai apenas pagar 3€/mês, vai ter de fazer um investimento de 700€ ou bem mais, no mínimo.

      Alem de monopolizar o mercado, visto que todas as outras empresas não vão conseguir fazer algo semelhante, mesmo que dêem dinheiro aos artistas.

      Outro ponto é, desses 3€, quanto dinheiro vai para os músicos? 1€!? Se calhar nem 0.50€…

      E como musico, criar um site onde possa vender a sua musica e ter a certeza que 100% do dinheiro é para si. Talvez ganhava mais…

      • Nunes says:

        Nestas coisas os acordos de exclusividade são normalmente para apenas um período de tempo após lançamento! A Apple não estará a impedir que nenhum outro serviço venha a ter as músicas, no máximo poderá é dificultar que as músicas fiquem disponíveis no sistemas suportados por publicidade.

      • Manuel says:

        Não falo na primeira pessoa, mas já ouvi vários testemunhos de pessoas bastante satisfeitas com a distribuição de lucros por parte da Apple, aliás a própria empresa pública os mesmos…. Quanto à questão de criar um site, não tem a mínima possibilidade, a Aplle tem a divulgação e a facilidade de reprodução nos diversos dispositivos…

      • Mrsz says:

        Quem é que falou de exclusividade.

      • Mrsz says:

        “apenas os clientes Apple é que vão conseguir aceder a essas musicas”

        A app Beats vai estar disponível em outras plataformas, como o Android.

    • pedro says:

      Deves ser mesmo músico. Tão músico como eu. Deixa lá de defender a monopolização de mercado. Se não houver concorrência eles até podem por a 50€ por mês só a deixar-te ouvir 10 músicas por semana e tu e todos os isheeps vão pagar e ainda se vão rir. A concorrência faz falta. Posso não gostar da apple, e já muita gente deve ter percebido, mas se eles vão com isto para a frente, uma das maiores empresas a nivel tecnológico vai mandar tudo por água abaixo e mandar-se a ela também. E outra coisa senhor músico: com os meus headphones que até nem são os mais apropriados para música e spotify gratuito tenho melhor qualidade de som que a usar spotify pago com os tais auscultadores que só porque tem um “b” de lado custam mais que o meu portátil. Há pessoas que precisam é de juízo na cabeça e não se deixarem levar pelas marcas nem pelas modas.

    • Carlos says:

      Os serviços de stream são para surdos, música sem conteúdo feita para vender. Por isso qualquer stream serve.

    • 1berto says:

      O Spotify é o primeiro serviço que consegue efetivamente reduzir a pirataria, e ainda assim pagar aos artistas com isso…

      Parem de justificar o facto de as pessoas terem acesso à música gratuita, com o facto de a música não chegar para pagar as contas ao final do mês. Quantos developers também não têm dois empregos quando querem desenvolver as suas aplicações?

      A partilha de música só beneficia os artistas, que têm a oportunidade de chegar a mais gente, e dessa forma podem fazer mais concertos. E artistas sem talento, vão chegar tão longe como developers sem talento. É a vida…

      • Manuel says:

        Adoraria que um dia o teu patrão te fizesse trabalhar de borla para divulgação do teu trabalho, à com cada um… Certamente ouves a música no YouTube, pensas que a qualidade é a máxima, assim como a versão gratuita do Spotify. A sorte é que somos muitos usuários que não nos importamos de pagar uns trocos para usufruirmos de qualidade, e os restantes que continuem, se ouvem música sem respeito pela mesma, também não é por algumas medidas de proteção da Apple que vão ficar prejudicados…

        • JJ says:

          Mas que qualidade fala? Qualidade de um CD/Vinil/FLAC?

          Qualquer pessoa sabe, que para ouvir musica com qualidade, tem que usar num dos formatos indicados acima. Isso não ha volta a dar.

          Mas que equipamentos se ouve musicas? Segundo o seu comentário, para poder apreciar ao máximo a musica, e bem sabemos disso, não é nem num PC/smartphone/internet/autoradio, é preciso ter uma boa aparelhagem para se poder usufruir em pleno dessa qualidade.

          E se fala tanto em qualidade, se calhar já era tempo de exigir as rádios de começar a fazerem transmissões acima dos 64bits. Isso sim é um crime a qualidade da musica, no local onde mais pessoas ouvem musicas.

        • 1berto says:

          Pois, eu tenho um patrão para poder pagar a renda, um artista não tem patrão, essa é a diferença.

          Como disse, um developer por conta própria tem as mesmas dificuldades que um artista, e neste formato de negócio, só os mais talentosos são bem sucedidos.

          Eu se vou a um concerto de um artista, é porque conheço as músicas, e para isso, a melhor maneira é facilitar o acesso às mesmas, da mesma forma que vou a um espetáculo de comédia, porque já vi, li ou ouvi as piadas do comediante, e felizmente ele não me fez pagar por elas.

      • Mrsz says:

        Spotify é basicamente pirataria.

        Enfim…

        • 1berto says:

          Ótimo, assim quando acabarem com o Sportify, os artistas já estão habituados aos downloads ilegais e a não receberem nada por isso…

          Oh, wait… afinal recebem!?!

  17. Daniel says:

    Investigação à Apple na Europa em 3, 2, 1…. AMD vs Intel novamente, mas agora com uma fatia de receita bem mais elevada a ser cobrada como multa. Os cofres Europeus agradecem à Apple essa “inovação”.

    • Mrsz says:

      LOL, a Europa não tem nada a ver com este assunto.

      • Daniel says:

        És muito tenrinho. A CE já está, actualmente, a investigar a Beats preventivamente. E isto não é novidade, veio a público no início de Abril. Para já estava só em “enquiries”, a enviar cartitas para a concorrência e restantes players para saber como corria a integração do Beats na Apple, mas com isto vindo a público essa investigação preventiva tomará nova dimensão. Como disse, a CE já o estava a fazer e tornou isso há mais de um mês.

  18. Gustavo Lima says:

    Sou músico e os serviços de streaming são a maior porcaria que existe á face da terra.
    Vocês também gostavam de estar a trabalhar durante um mês e depois vir o patrão pagar-vos alguns décimos de cêntimo? Ou terem um restaurante aberto onde o cliente só paga se gostar da comida? Já experimentaram ir a um médico privado de borla? Ou talvez quando forem de férias, talvez ainda vos paguem….
    A ganância ao mais alto nível…….

    • 1berto says:

      E dares uns concertos? Se não consegues pagar a renda, é porque se calhar é falta de talento… Engraçado, se eu não tiver talento no que faço, o meu patrão despede-me…

      Um developer por conta própria, tem as mesmas dificuldades que um músico, quantos developers se andam aí a queixar que ninguém compra as suas aplicações? Ou que têm de meter publicidade nas mesmas?

      Enfim…

    • JJ says:

      Ganância de quem!? De quem não tem nada… ou de quem tem tudo?

      E as editoras ganham quanto a pala dos músicos? Se é musico, porque é que não cria um site própria e vende as suas musicas sem recorrer as editoras, e assim ganha o preço justo.
      E não venham com as historias da divulgação… Hoje em dia formas de divulgação existem muitas e eficazes.

      E os músicos são os seus patrões ou estarei enganado? Assim como um trabalhador de conta própria, tem de fazer esforços adicionais no inicio da sua empresa, para poder vir a lucrar, porque é que no caso dos músicos, eles querem logo ter um lucro brutal no primeiro CD que lançam? Como querem logo isso, ficam reféns das editoras e depois só as defendem.

      E depois os gananciosos são os consumidores… francamente…

      • Gustavo Lima says:

        Para quem não vive disto falam muito e acertam pouco.
        Coitados…… tão habituados a ter tudo de borla não é?
        Nada como sacar musica e ainda queixarem-se.
        Sim dou concertos e vendo bem… não tou preocupado em aparecer na TVI nem em ser “famoso”.
        Mas claro, aqui os “especialistas” é que sabem……

        • 1berto says:

          Honestamente, quantas pessoas que vão ao seu concerto, compraram um álbum seu? Está contra essas pessoas?

          É que se tivessem de pagar para ouvir o seu álbum, provavelmente nem pagavam, nem iam ao concerto… Qual é o modelo que prefere?

    • zombie says:

      Deves ser tanto musico, como eu ! E do negocio da musica, percebes ainda menos! Ha muito, mas muito tempo, que os artistas ganham o seu dinheiro, nao é com os discos, mas sim com as digressoes e os concertos !!! E para isso precisam de divulgaçao, coisa que as radios actuais, completamente pre formatadas e acefalas, ja nao conseguem fazer com eficacia ( entao tirando aquelas tretas mais comerciais dos tops, nem pensar ). A internet, o youtube, a propria pirataria e mais tarde o Streaming (por radio ou serviço dedicado), vieram suprir essa falha. Os artistas devem ser pagos, obviamente ; a começar pelas editoras, fnacs e afins, que os “esmagam” ate ao tutano. Num cd de 15/20 eur, quando recebem 50 centimos, ja nao é mau. Ora em Portugal p ex, um disco de ouro, sao 20.000 exemplares ( algo que so alguns conseguem ), da a milionaria quantia de….10.000 eur! Bem morriam a fome! Por alguma razao, estes serviços de streaming, tiveram o boom exponencial e a adesao do mundo artistico, sim pq eles estao la em força, nao sao apenas meia duzia. Basta ver p.ex, a profundidade de um Spotify. Claro que gostariam de receber mais. Poderia ate ser mais justo. Mas isso, todos nos gostariamos, principalmente num pais, onde a media salarial dos contratos feitos desde 2013, esta nos 581 eur ,,,BRUTOS !!!!!!!!! Por alguma razao ha tanta adesao, ate a serviços tipo, Jamendo, em que os artistas recebem zero ( apenas eventuais doaçoes diretas), pq de outra forma, nunca chegariam a ser conhecidos, nao entrariam no circuito normal e os tais concertos, estariam as moscas.
      Qto a Apple, seria o mesmo, que ha uns tempos ( e quiça ainda hoje), a Galp, chegar aos revendedores e dizer, vendem so o nosso produto, ou produtos que custem o mm, nao permitimos, que vendam outros mais baratos, nomeadamente low cost ! Nesse caso, nao terao o nosso! Ou a Sonae ou Jeronimo Martins, impedirem os fornecedores, de terem outros planos de negocio mais vantajosos, com outros clientes; no limite poderao obviamente pedir o mesmo ou ainda mais favoravel, mas nunca, impedir. Caia o carmo e a trindade, era um atentado as teorias do mercado da livre concorrencia, abuso de posiçao dominante e afins. O objectivo ou uma das grandes bandeiras, dos mercados capitalistas ou mercados livres, é a livre concorrencia, que em tese permitira, que os preços sejam mais vantajosos, para o consumidor, por oposiçao aos modelos oligarquicos e de monopolio. O objectivo é ser mais concorrencial, no binomio, qualidade/preço. Produzir o melhor que se consegue, o mais barato possivel e nao o contrario, é este o lema da industria/comercio . Depois, o consumidor final, decidira, em funçao das variaveis que pode dominar, dentro do equilibrio possivel, para uns sera mais a qualidade, para outros o preço, depende do bolso. Se nao fosse assim, quem nao conseguisse ir ao produto de marca, passava fome, pq os big players nao permitiriam as marcas brancas ou low cost, ou ate mm as ofertas e doaçoes gratuitas.
      Haja bom senso, cada um que atire ca para fora o seu produto, e o mercado que decida, nao tentem decidir antecipadamente, por ele.

      • Malamen says:

        Sem tirar nem pôr… excelente comentário.

      • Manuel says:

        Eu por sinal, estou totalmente contra, conheço casos de pessoas que apenas gravaram discos e os colocaram no iTunes… Como estou de acordo apoiarei a iniciativa da Apple em não tornar a música gratuita, conheço aliás pessoas que gravam discos atualmente e os colocam em sites, (mais um mercado moderno para combater esta situação) para dar em conhecer sem ter de os meter em Spotifys e afins, porque se isso acontecer lá vai a venda de CDs e consequentemente o lucro que poderiam obter do seu trabalho. Eu por sua vez que adoro música deixaria de ter conteúdos interessantes pois o pessoal apenas estaria interessado nos ditos concertos. Por isso apoiarei totalmente a medida e ajudarei a defender a mesma perante a opinião pública. Sim porque os bons músicos não precisam de gravar CDs para arranjam concertos, gravam porque ganham com isso, se deixarem de ganhar deixam de gravar… Enfim, nunca conheci nada gratuito que fosse bom…

        • zombie says:

          Ha aqui, alguma confusao ! Nao ha streaming gratuito ! Como alguem disse mais acima, aqui ha, pago pelo consumidor (mensalidade) e pago pela publicidade. Os artistas recebem…SEMPRE ! Se poderiam receber mais ou menos, isso sera sempre aleatorio. Se tudo for pago por mensalidade, , pode ate haver menos consumidores ( muito menos cliques nas musicas ), e a media do que se paga aos artistas, podera mm baixar.
          Eu p.ex., prefiro pagar, pq tenho uma adiçao exponencial pela musica ( como consumidor ) e quero a melhor qualidade possivel, sem suportar a publicidade irritante. O meu irmao p ex, assim como outras pessoas, que vai ouvindo quando nao tem mais nada pa fazer ou em viagem, nao esta interessado e suporta a publicidade, para que os artistas tambem possam continuar a receber. Agora, tb nao adianta pagar 15 eur no tidal para ter flac (para ja pelo menos), para depois andar a ouvir, em dispositivos onde nem vou notar a diferença ou quando estou no trabalho ou ando na rua ou na praia e com ruido ambiente a volta. ( so em boas aparelhagens hifi e afins, ou seja, no limite so qdo se esta em casa e com tempo, para disfrutar convenientemente )
          Mas as mm pessoas que se sentem incomodadas por este tp de serviços, depois reclamam, qdo abrem um video e tem 5s de pub ( aqui mm neste site p ex ), usam apps gratis e nao se incomodam, pirateiam, sistemas operativos, softwares, filmes, series, conteudos desportivos, qdo leem sites como este, sites de imprensa, editoriais, cientificos etc…as pessoas tb tem trabalho, deveria pagar-se ,…e ….paga-se, eles ganham com a publicidade, que depois gera receitas, para pagarem aos colaboradores. Caso contrario, teria que se pagar tudo a peça. Imagine-se as tvs e a internet, sem publicidade !!!Nao havia bolso que aguentasse.
          O que eu defendo, é que nenhuma empresa, “POR DECRETO” tem quaisquer legitimidade, para vir impor ao Mercado o que lhe apetece e impedir outros modelos de negocio. Deve e pode, apresentar o seu e dp o consumidor e neste caso, os artistas tambem, que decidam. Cada um sabera o que é melhor para si. Isto, sim é a livre concorrencia e o mercado livre.
          As empresas com estes projectos ( seja quais forem), nao andam a ofertar nada a ninguem, é um puro e simples negocio. . Ate parece que a apple é o pai natal. Se paga melhor ou nao, compete aos artistas decidir, ; se o produto final é mais caro (dependendo das variaveis mais importantes para cada um ) ou nao para o consumidor, cabera tb a este decidir.
          Depois e para terminar. Aparentemente, se a apple esta tao preocupada com os artistas e afins, pode arrasar com a concorrencia, sem grande dificuldade. Quem tem 13 mil milhoes de lucro num trimestre, faz o que quer, com serviços cujo unico negocio é o streaming e muitas vezes, senao a maioria, deficitario.. Mm que o ios tenha so 15 % do mercado. Ou entao, os tais 81% do android e mais uns pozitos do Wp, geram tantos cliques pagos por publicidade, que os beneficiarios, ainda pensam duas vezes em ficarem presos, apenas a um modelo de nogecio.

      • FG says:

        Enfim… Tanta bacalhoada…

        Esse spotify que tantos artistas recusam em por lá as músicas…

        • 1berto says:

          Não te esqueças que não é só do Spotify que fala a notícia, mas também do Youtube.

          Mas lá está, eu só ouço destas duas plataformas, os artistas que não estão nem no Spotify, nem no Youtube, bem que podem chorar o que quiserem, que nunca irei ver um concerto deles… Eu e muitos porque nunca vão sequer ser conhecidos para isso… Temos pena.

  19. LP says:

    “Apple pressiona operadoras móveis para fornecerem serviços apenas a iPhones”

    “É assim mesmo! Por que razão haveriam de fornecer serviços a SOs cheios de lag e publicidade, ou sem apps de jeito? E acho muito bem que a seguir os preços do iPhone subam exponencialmente, afinal de contas, quem pode paga, quem não pode que deixe de utilizar telemóvel e recorra a cabines telefónicas, que não têm malware!”

  20. Etnic_bOy says:

    Artistas como Britney Spears, Jay Z, Madonna, Beyoncé estão carregados de dinheiro, pois são artistas com carreiras sólidas e que obtêm o maior número de fãs, esses ganham rios de dinheiro com as tournes, porque se estivessem à espera do dinheiro dos álbuns bem podiam morrer à fome.
    Se querem um serviço de streaming com audio de qualidade não é no Spotify que vão encontrar.
    O melhor serviço de streaming de músicas atualmente é o Tidal, a qualidade do audio é optima, qualidade de CD e Flac e 75% dos lucros vão para os artistas! Os próprios artistas (Madonna, Nicki Minaj, Rihanna) andam a apelar ao uso desse streaming.
    São 14 euros mensais ajustados à realidade portuguesa (no UK é 27 Libras) e tem-se a certeza de que os artistas vão realmente beneficiar.
    Sim, porque os artistas trabalham! Fazer músicas, dar entrevistas, fazer tours mundiais é trabalho! E merecem ser recompensados pelo trabalho que têm!

  21. Dienzoebang says:

    Germano Neves disse:O iPad podere1 ne3o chegar nunca ao Brasil poqrue uma companhia brasileira comprou o nome iPad e ne3o permite que a Apple use o nome em terras brasileiras. He1 dfavidas que a Apple aceite pagar o que quer que eles queiram para liberar o nome.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.