Redes – Como calcular sub-redes?


Destaques PPLWARE

65 Respostas

  1. Boca says:

    Muito bom artigo.
    Parabéns!!

  2. grande artigo!!
    vai dar geito, já não me lembro muito bem….

    • Redevil says:

      Excelente e muito bom artigo!!

      Um dos módulos mais importantes e complexos do CCNA1.

      Também já um pouco esquecido…

      • Silva says:

        Complexos? conheçes a matéria do CCNA1?…. se conheçes deves estar um pouco esquecido ao afirmares que subnetting é o mais complexo desse módulo

        • Pedro says:

          A definição de importante é bem diferente de complexo ;-). Concordo com o Redevil. É parte importante do CCNA1 e algo que normalmente sai em exame. Ao aprender sub-redes estás a relembrar o que já deste anteriormente. Indentificar a classe através do ip. Se quiseres esquematizas em decimal e em binário. Não é o mais complexo, eu acho fácil, mas é importante. Claro que há formas de complicar, se tivermos em conta uma class a, a quantidade de sub-redes que se pode criar é colossal mas lógica matemática será sempre a mesma, abraço a todos.

      • IMG says:

        You got to be kidding me LOOOL

    • Rodrigo says:

      pelo Jeito esqueceu como se escreve também, rs

  3. Nimboos says:

    Boas

    vai dar jeito para hoje!!!

    Onde de lê “Então a nova máscara a aplicar às novas sub-redes será: 255.255.240.0 (/27).”, não deveria ser “255.255.255.224 (/27)”?

    • João says:

      Sim, deveria… 😉
      O texto tem esse bug e o indicado pelo Miguel Ribeiro.

      Relativamente ao TPC, assim de cabeça, creio que ficaríamos com 2 rede utilizáveis:

      192.168.150.0/25
      192.168.150.128/25

      Estou certo?
      Esta foi uma matéria que nas aulas de redes quando começamos a falar disto nunca atinei muito bem com ela…

  4. Miguel Ribeiro says:

    /25 = 254 hosts? O.õ posso estar a fazer mal as contas de cabeça… mas isso nao me parece bem…

    • IGOROV says:

      Houve engano no primeiro slide lá em cima, sendo a rede classe C é 192.168.0.1/24 não /25
      São disponíveis 254* hosts, o primeiro IP para a rede e o o ultimo para Broadcast.

      Em função das sub redes as redes podem ser /24 para uma rede de 254 hosts (porque o 0 também conta)
      /25 para duas redes ate 128* hosts cada
      /26 para quatro redes ate 64* hosts cada
      /27 para oito redes ate 32* hosts cada
      /28 para 16 redes ate 16* hosts cada
      /29 para 32 redes ate 8* hosts cada
      /30 para 64 redes ate 4* hosts cada

      *Como cada rede precisa de um IP de rede e Broadcast as redes /30 por exemplo só podem ter 2 Hosts.

      • KaPutnixZ says:

        Antes de mais parabéns pelo artigo..

        IGOROV: Tás a pensar bem mas a escrever mal.. :)

        Quando dizes “/27 para oito redes até 32 hosts cada” deverias dizer IPs ou endereços e não hosts. Podes estar a contribuir para a confusão geral que este assunte de sub-neting costuma gerar..

        • Igorov says:

          KaPutnixZ tens razão escrevi mal.

          Sendo em cada rede de 254, 128, 64, 32, 16, 8, ou 4 IP´s retiram se 2 endereços (IP Rede e o ultimo para Broadcast) a cada uma delas e temos o numero de hosts possíveis 😉

          Desculpem o lapso.. a meio das aulas.. de manha hehe

    • Pedro Pinto says:

      Foi um “bug” na imagem :)

  5. Edgar Silva says:

    Venho estudar bem cedinho, para exame final do primeiro modulo do CCNA e sou presentiado com material de estudo em português!lol

    GRANDE PPLWARE!!

  6. joao says:

    ccna 1 ja esquecido :( Bom Tutorial!

    “Sabendo que a escolha é então 32 podemos então rapidamente AFIRMAR QUE AS SUB-REDES TERÃO UMA DAS OUTRAS e que podemos variar 3 bits.”

    Terão o que? nao falta nada aqui?(corrijam-me)

    Já que isto é para o pessoal mais leigo e sem grandes conhecimentos, acho que falta explicar como aplicar isto em casa.
    No fim, creio que vão surgir perguntas do tipo:

    “E agora? basta por estes ips nos pcs?”
    “Tenho de ir ao router e por a minha rede com a netmask /27?”
    “Ou ponho a netmask dos pcs a 240?”

  7. NoFait says:

    Na imagem inicial.. Não devia ser /24 = 254 hosts? é que /25 = 128 hosts…

    De resto está excelente o artigo. Gostei! :)

    Abraço.

  8. Jônatas says:

    Uma pergunta, o endereço de sub-rede, eu coloco aonde na máquina? Eu sei que é lá no TCP/IP, mas aonde?

    Abraço!

    • João says:

      Sub-rede também conhecido máscara da rede ou netmask.

      Em windows, na janela onde se define o ip, normalmente é o campo logo por baixo.

      Em linux, n sei pq normalmente utilizo o comando ifconfig ou os ficheiros de configuração…

  9. cucu cartman says:

    Por isso é que adoro redes… eu não teria explicado melhor…
    CCNA1 e 2, great learning :-)

  10. Redin says:

    Para os mais preguiçosos como eu… LOL temos o BosonSubnetCalculator da CISCO

    http://www.boson.com/FreeUtilities.html

    Cumprimentos.

  11. ana sofia says:

    deviam de ter publicado isto ha 3 dias atras ! tive teste acerca disso na segunda :( muito bom post !

  12. Pedro Sousa says:

    eu vou ter teste amanha de redes, e sai um exercicio de subredes. desejem-me sorte. 😀 ora vejam o que me espera.

    — exercicio de VLSM
    — conceitos de: Vlan/ Trunk / Intervlan Routing
    — Processo De Arranque de Um Switch /Routing cisco
    — Conceitos de Private VLAN
    — Comandos IOS

    e sim, é um grande post. :) cumps.

  13. Manuel Silva says:

    UFA!!!! Só correcções!!!
    ´
    Rede:
    192.168.1.0/24

    O endereço 192.168.1.0 representa a rede!!!

    A máscara de rede 255.255.255.0 (se contarem os bits são 24 – o bits por cada octeto) indica-nos que temos uma rede (de Classe C) com 256
    hosts!!! -> sendo que o primeiro identifica a rede e o último é o endereço de broadcast.

    Se acrescentarmos 1 bit na máscara (passamos de 24 para 25) fazemos uma divisão da rede (o chamada sub-neting) – e passamos a ter 2 redes com 128 hosts cada (incluindo os endereços que identificam as redes e os endereços para atribuir a clientes).

    192.168.1.0/25 – a identificação da rede 1
    192.168.1.1 até 192.168.1.126 – endereços úteis
    192.168.1.127 – endereço de broadcast para a rede 1

    192.168.1.128/25 – a identificação da rede 2
    192.168.1.129 até 192.168.1.254 – endereços úteis
    192.168.1.255 – endereço de broadcast para a rede 2

    Se tivessemos acrescentado 2 bits na mesma rede inicial teríamos não 2 redes mas 4 (cada bit acrescentado divide a(s) rede(s) que tivermos).

    |———————|
    24 bits = 255.255.255.0 (rede original de classe C)

    |———(1)———|
    25 bits = 255.255.255.128 (o bit acrescentado divide 1x a rede)

    |—(2)—(1)—(2)—|
    26 bits = 255.255.255.192 (o 2º bit divide cada uma das 2 redes existentes)

    E assim sucessivamente…

    Quando retiramos 1 bit (superneting) passamos a ter uma rede com mais hosts. Exemplo:

    192.168.0.0/23 – identifica a rede
    192.168.0.1 até 192.168.1.254 – endereços úteis
    192.168.1.255 – endereço de broadcast

  14. xtrender says:

    Também concordo com outro user que deviam mostrar agora como se faz na prática.

    Em linux/windows

    • Pedro Pinto says:

      @Xtrender

      Não percebi bem o que se pretende. Ensinar como configurar as máquinas num SO com Windows ou Linux, é isso?

      • xtrender says:

        Sim…

        Como disse outro user aqui:

        “E agora? basta por estes ips nos pcs?”
        “Tenho de ir ao router e por a minha rede com a netmask /27?”
        “Ou ponho a netmask dos pcs a 240?”

        Na minha opinião, e sendo estudante de informatica, acho que as vezes torna-se mais interessante se houver uma ponte entre o teórico e o pratico.

        As vezes é preciso “sentir nas mãos” os efeitos da teoria.

        Perceber como se fazem as subredes e quais são as consequências de se estar em duas redes distintas.

        Não sei, acho que talves daria um artigo interessante para os menos leigos na matéria.

  15. André Silva says:

    Pedro, só uma nota que acho importante clarificar: o que aqui explicaste não é VLSM mas sim subredes de primeiro nível, ou seja, divisão de uma rede em subredes com o mesmo tamanho (e consequentemente com a mesma máscara).

    VLSM, tal como o nome indica, consiste na criação de subredes de tamanho (e máscara) variável.

    Fica a nota :)

    • Pedro Pinto says:

      Sim eu sei, mas este artigo é para dar continuidades efectivamente à parte do VLSM.

      Referi isso na parte final “Num próximo artigo vamos tentar explicar um exemplo onde os requisitos a nível de hosts variam de rede para rede.”

      Para a semana a ver se sai o artigo já que este tipo de assuntos é muito difícil de passar para “texto”.

      Abraço

  16. LeVan says:

    Excelente artigo! Muitos parabéns pelo modo como o assunto foi exposto!

  17. Silva says:

    já agora… era porreiro se fizesse um artigo relacionado com Wildcard masks :)

    fica a sugestão!

    continuem!

  18. seemog says:

    Eu sei que já venho tarde, mas só hoje me coloquei a fazer contas.
    A resposta ao TPC, qual é?

    Apenas 1 rede?
    192.168.150.0/27 a começar em 192.168.150.1 até 192.168.150.128 com broadcast em 192.168.150.129

    Depois só sobram 98 endereços livre e já não dá para outra sub-rede de 100 (+2 endereços).

    Nota: não percebo nada disto. Fiquei curioso com o artigo, mas não sei se percebi

  19. seemog says:

    Aliàs … máscara de rede /25

    • seemog says:

      Enganei-me.
      Dá 2 sub-redes:

      192.168.150.0/25
      de 192.168.150.1 a 192.168.150.126
      broadcast 192.168.150.127

      a outra
      192.168.150.128/25
      de 192.168.150.129 a 192.168.150.254
      broadcast 192.168.150.255

      Serão duas redes com hipótese para 126 hosts cada

  20. GOSTARIAS DE SABER MAIS SOBRE A MATERIA DE REDE

  21. TUDO QUE REDE TEM A FUNCAO DE PESCAR ALGO.E EU TENHO PESCADO A:CRIS– MINHA NAMORADA

  22. jonas says:

    Se tiver apenas uma unica rede (192.168.1.1 a 192.168.1.254) qual qual seria o broadcast?

  23. Jonas says:

    Se tiver uma única rede 192.168.1.1 a 192.168.1.254 qual o broadcast?

  24. Vasco Amaral says:

    Umas aulinhas de IPv6 é que era de valor!

  25. Filipe Nunes Rodrigues says:

    Existem métodos mais simples de perceber, no meu ver.

  26. Carlos says:

    Sou novo nesta matéria e estive a pesquisar sobre subnetting e deparei me com o vosso site,
    Gostaria que me respondessem a umas perguntas.
    1-Qual o motivo da criação de subredes? qual o propósito?
    2-Seguindo o vosso exemplo, visto que 192.168.1.0/24 tem suporte para 254 hosts, e necessitam de 180 hosts, a network principal não suportaria esse numero de hosts? ou teria custos a nível de velocidade e rendimento?
    Grande abraço.

  27. david says:

    Considerando a rede 192.168.150.0, pretende-se que a mesma seja dividida de forma a ter 100 máquinas por rede?

    Esta pergunta está confusa, se a pergunta é se é possível usarmos essa rede na mesma situação (6 sub-redes mas agora com 100 hosts cada) então não, não é possível, para isso teríamos de ter como endereço inicial 192.168.148.0 uma vez que vamos precisar de usar 612 endereços (600 hosts mais 2 endereços rede e broadcast por cada uma das 6 redes) vamos precisar de 10 bits, máscara /22 o que vai interferir no último bit com o nosso .150

    Se a rede inicial for então 192.168.148.0 podemos ter as 6 sub-redes, cada uma com 6 bits:
    —————————————-
    Rede 1: end rede – 192.168.148.0
    end broadcast – 192.168.148.127
    —————————————-
    Rede 2: end rede – 192.168.148.128
    end broadcast – 192.168.148.255
    —————————————-
    Rede 3: end rede – 192.168.149.0
    end broadcast – 192.168.149.127
    —————————————-
    Rede 4: end rede – 192.168.149.128
    end broadcast – 192.168.149.255
    —————————————-
    Rede 5: end rede – 192.168.150.0
    end broadcast – 192.168.150.127
    —————————————-
    Rede 6: end rede – 192.168.150.128
    end broadcast – 192.168.150.255
    —————————————-

  28. JVinhais says:

    Obrigado Pplware disciplina feita a conta do desta explicação. Obrigado

  29. Bruno Miguel says:

    Material baste esclarecedor! Aquele forte abraço…

  30. Enfraime says:

    essa explicação me foi muito útil pois com a mesma já posso fundamentar explicar com clareza os meus colegas e alertar o meu professor que vinha cometendo erros no calculo de subredes

  31. lizomar ribeiro says:

    amigo comeco entendendo bem mais no meio eu me perco , por favor me passe seu email pois preciso de ajuda.

  32. Osvaldo says:

    Muito bom eu tambem uso este método e resulta muito, força

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.