Dependência em Internet e Jogos Electrónicos

Hoje em dia a grande maioria das pessoas tem acesso a um computador. E as novas tecnologias estão acessíveis a pessoas de todas as idades e classes sociais. A que mais alicia os Jovens é a Internet e o Jogo Electrónico.

A Internet é um mundo que nos promove a facilitação de muitas tarefas, a comunicação com família, amigos e/ou colegas que estejam em qualquer ponto do mundo, a visualização e partilha de informação de uma forma rápida e simples, entre outros serviços.

Por sua vez, os Jogos Electrónicos estimulam imenso os utilizadores, proporcionando lazer, aprendizagens e também habilidades motoras e cognitivas, como também promovem a socialização, essencialmente nos Jogos Online.

crianca


No entanto, cada vez mais, e mais cedo, a aderência dos jovens a esta tecnologia aumenta. Exemplo disso é o facto de 99% das crianças já terem tido contacto com a Internet antes da chegada do Magalhães. Outro exemplo foi o aparecimento do Kudo, que permite a crianças criarem os seus próprios jogos.

Esta aderência também tem os seus aspectos menos positivos, pois o tempo passado na Internet e a jogar se não for regulado e a própria tecnologia não for encarada pelo utilizador como “virtual”, o resultado será a dependência.

As características, segundo a Drª. Kimberly Young, que descrevem a dependência em Internet são:

  • Preocupação excessiva com a Internet;
  • Necessidade de aumentar o tempo online para ter satisfação;
  • Exibir esforços repetidos para diminuir o tempo de uso da Internet;
  • Presença de irritabilidade e/ou depressão;
  • Quando o uso da Internet é restringido, apresenta labilidade emocional (Internet serve como forma de regulação emocional);
  • Permanecer mais online que o programado;
  • Trabalho e relações sociais em risco pelo uso excessivo;
  • Mentir aos outros a respeito da quantidade de horas online.

video_game_addiction5

Já na dependência dos Jogos electrónicos, Brown aponta como típicos os seguintes comportamentos:

  • O jogo torna-se na coisa mais importante da vida do sujeito;
  • Sensação de prazer e alívio quando está a jogar;
  • Necessidade de jogar por períodos mais longos de tempo;
  • O sujeito sente desconforto quando não pode jogar;
  • Existência de conflito com outras pessoas, em actividades sociais e com ele próprio…
  • Tendência para voltar a jogar excessivamente após uma interrupção.

A dependência destas tecnologias traz consigo consequências que se agravam com o tempo, como por exemplo:

  • Má alimentação;
  • Desregulamento dos sonos;
  • Falta de convívio social;
  • Não sair de casa;
  • Troca da vida real pela vida “virtual”;
  • Baixa auto-estima;
  • Falta da prática de desporto;
  • Outros.

Esta situação preocupante, principalmente nos jovens, pode ser colmatada através da imposição dos pais, através da limitação de horas online, da criação de actividades sociais, terapia familiar, recolha de informação sobre os riscos e perigos a que estamos sujeitos quando estamos perante um computador (ex.: pornografia infantil) e qual a melhor forma de os prevenir, entre outros.

screen1

Já agora lanço-vos um desafio. Respondam ao Teste de Dependência de Internet, desenvolvido pela Drª Kimberly Young, e vejam os resultados!

Fontes:

  • Young, K., 2009. Understanding Online Gaming Addiction and Treatment Issues for Adolescents. Bradford, Pennsylvania, USA




  •   
  •   
  •  
  • Pin It  
  • Imprima este artigo
  • Post2PDF


52 Comentários

  1. Se quiserem passar um bom bocado a rir de mais um flop da Apple e ver ao vivo um “fanboy” ( o rapaz diz que compra tudo que brilhe e que seja feito pela Apple), vejam este video, só rir.

    Guerra com google -> Apple pwned ( já que é um post de jogos).

      • Tens noção que o theonion.com é composto por sátiras, certo?

        • E tu tens noção que disse que era para rir?! Sabes qual é a definição de sátira?!

          “A sátira é uma técnica literária ou artística que ridiculariza um determinado tema(…)o objetivo da sátira é atacar os males da sociedade, o que deu origem à expressão latina: castigat ridendo moris, que se pode traduzir livremente como “castigar os costumes pelo riso”.”

          Resumindo:
          A Apple faz uma coisa ,por mais estúpida que seja (Ipad, etc) e os fanboys seguem a sua marca como se fosse uma religião. Defendendo-a sem qualquer razão objectiva.

          • Se sabias que era um sátira então tudo bem. E bastava dizeres isso sem atacares ninguém. Pelo menos sabes copiar texto para ensinar!

            Mas olha que o que escreveste não significa automaticamente que sabias ser uma sátira. Dizeres “querem rir de mais um flop” não é o mesmo que “vejam esta paródia que vão rir imenso!”

            É que ao chamares último flop pode parecer que estás a falar de um produto real

            Repara que podes rir de um vídeo real, não é só das sátiras!!

            Já agora «ver ao vivo um “fanboy”» está incorrecto: é apenas um estereótipo de um fanboy pois não é uma reportagem real.
            Os verdadeiros ‘fanboys’ são piores… eles realmente têm as coisas!
            Vá, os ‘haters’ também não são melhores… ainda por cima têm sempre problemas de cotovelo!

          • Nao gosto de me intrometer…mas a mim pareceu.me que o primeiro a ser atacado foi ele.

            Cumps
            Filipe

      • A malta hoje em dia já não distingue entre programas de humor e programas de informação.

        Não é fácil mas é possível!

        Neste caso o Onion é mesmo um programa de humor!

        • Não consegui responder em cima, respondo aqui.
          Para a próxima sou mais explicito, pensava que para bom entendedor, meia palavra bastava.
          Já agora quando vês por exemplo o gato fedorento, também ficas chateado por não te explicarem ao inicio que é uma sátira? És sempre o ultimo a rir das piadas? Levas muito a peito as questões ou esta questão ( Apple), pica-te e deixa-te incomodo?!
          E inveja da Apple tenho 0.
          Tenho Windows, Linux e Mac OSX 10.5.3. E adivinha qual o pior?
          Tive iphone o primeiro e adivinha o que tenho agora, Htc Hero android. Conheço bem todos os mundos para não ter inveja apenas pena.

      • eheheheh muito bom!! 45m para escrever um email!

    • defines-me flop? (a)

    • Este não é um post de jogos.
      É um post sobre a Dependência de Internet e Jogos Electrónicos.

      Btw, o Mac Wheel é feio

  2. Excelente artigo Marisa. Parabéns !

  3. Bem ao ler descobri que sou um “agarrado” lol

    Mas fora de brincadeiras, o artigo está muito bom. Acho que é bom sobretudo pais de crianças estarem atentos aos sinais para poderem reagir.

    Quanto ao teste de dependência de internet tive score:29 average user, mas também achei o teste um bocado absurdo nas perguntas, mas suponho que existe mesmo pessoas que fantasiem com a internet :O

  4. Marisa:

    A temática dos efeitos (positivos e negativos) do uso das tecnologias interactivas (Internet, Jogos de Vídeo, etc.) nos indivíduos, especialmente crianças e jovens, é alo a que tenho dedicado algum tempo.
    Sou professor de Informática e preocupo-me bastante com esta temática que tento, sempre que possível, abordar com os meus alunos.
    Parabéns pelo excelente artigo e também pelas hiperligações que forneceu – artigos com interesse para juntar ao repertório que possuo.

    • Boas Pedro,

      Estou a concluir o Mestrado em Psicologia, e penso seguir este ou temas com este correlacionamos como tese.

      Penso que é um tema bastante pertinente e que, apesar de na literatura, mesmo que recente, ainda seja pouco abordado, está cada vez mais a tornar-se evidente.

  5. bem a viciados em tudo …visitem http://vejoaquitudo.com/ esta em crescimento este fim de semana esta bom agora com época de exames não a tempo para nada

  6. Bom dia,
    Isto voltou a andar à volta do iPad…quando o artigo…

    Bem, passando à frente, e antes de mais, excelente artigo Marisa. É bom ver estudos acerca da “Dependência em Internet e Jogos Electrónicos”.
    A questão que fica é: qual o impacto que estes estudos poderão ter, ou vir a ter, se não passarem de estudos?
    Gostava de ver artigos relacionados com qualquer coisa como “programas de acção” no combate a este tipo de dependências. Pode parecer cómico, ou simplesmente ridículo, pensar-se neste tipo de abordagens, mas penso que começam a fazer sentido (e falta…)

    Só mais uma coisa, no artigo utilizaste a palavra “aderência”, por duas vezes. Não me interpretes mal, é só um pequeno reparo, mas a palavra adequada às frases seria “adesão”.

    Continuação de bom trabalho.

    • RicardoMonginho,

      O artigo foi uma síntese, com base numa pesquisa realizada por mim, de vários estudos, bibliografias, conceitos, etc..

      Tanto a dependência da Internet como dos Jogos Electrónicos estão a ser consideradas para serem incluídas na próxima revisão do Manual de Diagnóstico e Estatística das Doenças Mentais.
      Contudo as dependências ou o simples uso excessivo já faz parte de muitas queixas dos pais aos profissionais de saúde, bem como já se criou em Pequim um Centro de Reabilitação para jovens dependentes destas Tecnologias.

  7. vim a descobrir que sou completamente viciado em Internet e que a depressão que estou à atravessar deve-se ao facto disso mesmo. A minha vida social está péssima, pois tirando as relações que tenho em casa e no trabalho, praticamente não existem.

  8. Este artigo está espetacular mesmo.

    Retrata sem qualquer duvida um dos mais graves problemas que a nossa sociedade enfrenta hoje em dia, uma dependência técnologica com graves consequências, e o problema é que vão moendo as pessoas silênciosamente e muitas até desprezam o facto e nem sequer associam que estes vicios são das maiores causas dos problemas que têm.

    Parabéns Marisa Pinto, está excelente.

  9. Boas

    Antes de mais bom artigo sobre a matéria.

    É preciso muita atenção com o tempo que os jovens passam “agarrados” ao computador, pois pode ser um excelente ferramenta desde que usado da melhor maneira.

    Só um pequeno reparo a fazer, no artigo fala-se algumas vezes em “…aderência…”

    Neste caso a palavra correcta é adesão, pois aderência é utilizado relativamente a superfícies de contacto (ex: piso, chão, etc…) e não pessoas.

    Abraço o/

  10. OffTopic:

    Peço desculpa estar a falar aqui disto, mas não me consegui esclarecer noutro local. Caso me saibam responder agradeço.
    Foi-me dito que, se o computador estiver à mais que um mês na marca, para resolver um determinado problema, podemos requerer um computador novo ou o valor em numerário do respectivo computador. Alguém me confirma a veracidade destas palavras?
    Cumprimentos

  11. …”aderência” e “desregulamento”, nem no novo acordo ortográfico!

  12. Eu cá sou pplwaredependente!!!!!

    Não consigo evitar…

    PS: Demora muito para o próximo post????

  13. Filipe,

    O que está previsto na Lei, relativamente à questão que colocaste, é o seguinte, tens três hipóteses:

    - deixar que continuem a tentar resolver o problema do teu equipamento;
    - obter um equipamento de valor igual (ou inferior, sendo que a diferença te deverá ser reembolsada);
    - obter o valor do equipamento.

    O meu conselho é que deverás optar pela segunda hipótese que te falei. A primeira tem um senão, tu não fazes ideia quanto tempo poderá levar o arranjo, e nesse entretanto estás sem equipamento. A terceira tem um senão muito grande, pois nenhuma empresa te irá devolver o que pagaste pelo equipamento sem alguma luta (não digo que não lutes…se optares por esta hipótese, força, mas prepara-te para algum tempo de “batalha”, até conseguires o que queres…).
    A segunda hipótese tem uma vantagem sobre as outras. Terás um equipamento novo sem grandes discussões. Ser-te-á pedido que devolvas o teu equipamento à marca (é óbvio que não vais ficar com 2 equipamentos… :P). O senão da segunda hipótese tem a ver com o facto de teres que escolher um equipamento cujo preço seja exactamente igual ao deste pelo teu, uma vez que, tal como te disse acerca da terceira hipótese, não será fácil obter a diferença de dinheiro entre os dois equipamentos.
    Espero ter ajudado.

    • Uma pequena correcção:
      A 2ª hipótese esta mal, ele pode escolher um artigo do mesmo valor ou superior. A empresa que vendeu nunca vai devolver dinheiro ao cliente.
      Se o cliente estiver interessado num portátil mais barato o melhor a fazer é mesmo pedir a devolução total do dinheiro que são obrigados a devolver se tiver passado 1 mês após a data de entrega do material para entrega.

  14. Congratulations, your score is: 33

    Muitas causas e nada sobre alternativas e soluções.
    A questão é que o preço da internet vs conteudos que oferece é superior aquilo que grande parte das pessoas pode obter fora dela.

    Senão vejamos:

    Se quero ir para um ginásio tenho que pagar por um limite de tempo ou mesmo sem limite o preço é alto e o ginásio pode ficar nos “confins do mundo”.

    Se quero participar/assistir a uma peça de teatro tenho que perder tempo a deslocar-me à cidade vizinha, além de pagar.

    Se quero ir ao cinema, em muitos casos é preciso deslocar-me à cidade vizinha e… pagar.

    Se quero tirar um curso, o mais provável é que não existe ou está-me barrado pela idade ou porque tenho conhecimentos a menos ou mais. Além é claro tenho que deslocar-me vários Km, e… pagar.

    Se for um individuo introvertido ou tenha um complexo com as convenções sociais, não vou sair à rua e meter conversa com a primeira rapariga gira que veja. O mais provável seria ser acusado de assédio ou perseguição.

    Se quiser sair com alguém dependo dos conhecimentos que tenho e diga-se que no meu caso ou estão ocupados ou são tão depressivos que rejeitam sair de casa na vasta maioria das vezes.

    A internet tem muitas coisas positivas para serem aproveitadas, mas se a sociedade não criar condições que aproximem mais as pessoas, ainda iremos acabar com programas governamentais de relacionamentos amorosos como já ocorre na Coreia do Sul.

  15. Bom artigo, os meus parabéns menina Marisa. Aproveitei e submeti para uns amigos psicólogos e para outros que são mais do que psicólogos, são pais… pode ser que os ajude. :D

    Fica o desafio, enviem este artigo aos vossos amigos pais e encarregados de educação, será muito interessante eles terem contacto com esta realidade descrita e analisada no post da Marisa.

    • :lol: Por incrivel que pareça, foi precisamente o que fiz logo, porque conheço alguns casos “graves” assim.

      Das psicologas que conheço, foram precisamente as primeiras a quem enviei porque são umas viciadas na Internet que até doi… lol… Farmville, e aquelas questões do Facebook que fazem todos os dias, estilo “espelho meu, espelho meu”.. eu até já gozei com elas sobre isso, parece que não se conhecem ao ponto de ter que perguntar ao Facebook o que são! As mulheres são umas viciadas no Facebook e nas aplicações que qualquer dia ele muda de azul para rosa. :D

      • Não entendo a panca por facebook, nunca tenho qualquer feedback por lá. É uma rede social aborrecida como tantas outras. Boa para quem gosta de adicionar amigos infinitos ou então para as mulheres que possuem sempre quem as adicione.

        • A vantagem do Facebook face aos concorrêntes é que está melhor estruturado.

          Temos total liberdade de escolhera informação que queremos e ocultar individualmente outras.

          Em termos de redes sociais é mesmo a melhor, juntamente com o Twitter, é preciso é saber usa-las.. o problema é que as pessoas usam de tal forma que chegam ao ridiculo, mas como já disse uma vez há uns tempos..

          “Dont blame the tool” ;)

  16. Acho que este artigo até pode ser bom para aqueles que defendem o Magalhães nas escolas.Acho que não preciso estar a explicar porquê.

  17. Obrigado RicardoMonginho, não poderias ter ajudado mais.
    Quanto à segunda opção, o equipamento tem que ser da mesma marca?
    Cumprimentos

  18. lol, onde já ouvi estas coisas de dependência não sei devia tar mocada porque pelo que me lembro acho que deve ter sido lá para as 3 da manha:p, mas sim é um problema serio que afecta nao só as crianças mas também muitos adulto, graças a deus na minha altura só jogava playstation mas á custa disso agora sou caixa de óculos mas pronto .

  19. Resultado deu-me 60!
    Não me admira muito, visto que passo muitas horas ao computador e na Internet. Devido a escola e gosto pessoal.

    Relativamente as acções feitas, até gostava de ver algumas a serem feitas.

    Bom artigo Marisa! :)

    Cumprimentos

  20. Congratulations, your score is: 27 sim tambem fico feliz com o meu score .bigado marrise pelo link para fazer o teste fico mais satisfeita por saber que não preciso de ir ao psicólogo por causa da net

  21. Parabéns Marisa, gostei muito de ler sobre uma temática que me preocupa pois é um problema em que se encontram vários amigos meus.

    Quanto ao teste, tive 55 mas quando vi dei por mim a encolher os ombros, porque sei que não há nada a fazer…

  22. Hehe olha que coincidência… Vou-me deitar para não subir mais no score do teste!

    Gosto de artigos destes.
    Cumprimentos.

  23. Congratulations, your score is: 45, mas acho que devia ter dado mais xD

    Óptimo artigo Marisa, não cheguei a dizê-lo na altura. É óptimo termos uma “psicóloga” na equipa, porque realmente é uma área muito importante neste novo mundo que nos abraça!

    Parabéns mais uma vez.

Deixe o seu comentário

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.