Aliança entre RIM e Microsoft à vista?

Há dias deixamos expresso neste artigo os problemas que a RIM e a Nokia estão a enfrentar no mercado móvel.

O mercado móvel da empresa canadiana sempre foi muito restrito ao ramo empresarial, embora que se tem visto alguns particulares a usarem equipamentos Blackberry, mas mesmo dentro do mundo empresarial, a RIM não tem vincado e cada vez mais as empresas e particulares têm preferido equipamentos mais sofisticados como iPhones ou equipamentos Android.

São vários os motivos para refutar os serviços da RIM, alguns deles já foram mencionados no artigo em cima referido, e com a procura de serviços equivalentes mas mais rentáveis às necessidades das empresas e dos individuais, fez com que a empresa canadiana perdesse interesse e mergulhasse numa crise que, desde o ano passado, já a fez perder 70% do seu valor.

Dada a situação que assola a RIM e segundo três fontes que falaram com a agência Reuters, a empresa canadiana está a ponderar várias hipoteses para contrariar a sua crise. Entre elas está uma possível aliança com a Microsoft ou a venda do seu negócio a outra empresa.

Segundo as mesmas fontes, Steve Ballmer, CEO da Microsoft, tem nos últimos meses abordado a RIM à procura de uma aliança semelhante à que foi feita com a Nokia e tal como aconteceu com a Nokia, a RIM terá de abandonar o seu próprio sistema operativo, BlackBerry OS, e adoptar a nova versão do sistema operativo móvel da Microsoft, o Windows Phone 8, que sairá entre Outubro e Novembro deste ano.

Se eventualmente a parceria com a gigante de Redmond se concretizar, a Microsoft pretende comprar uma parte da RIM e financiar as despesas de marketing. No entanto, a RIM não mostrou grande interesse na proposta da Microsoft, até porque iria acabar com aquilo que a RIM sempre defendeu, a sua independência. E para contrariar a proposta de Steve Ballmer, a empresa de Waterloo, vai continuar a desenvolver o BlackBerry 10 apesar de ter adiado o lançamento para meados de 2013.

A outra hipótese em cima da mesa, no entanto, em último recurso, é vender o seu serviço de comunicações, que são conhecidos por serem altamente seguros. A empresa que comprasse este serviço poderia, numa possibilidade, fornecer um serviço de emails ou outros serviços de comunicação móvel altamente seguros a agências governamentais, a empresas de smartphones ou a outras empresas que necessitem de um serviço de comunicações seguras. Segundo as fontes, empresas privadas estão a tentar arranjar uma forma de conseguirem aliciar a empresa canadiana a vender o negócio de comunicações móveis sem terem que comprar a empresa toda.

Acham que a RIM deve aceitar a proposta de aliança com a Microsoft?

Que outras possibilidades a empresa deveria ponderar para sair desta crise?





  •   
  •   
  •  
  • Pin It  
  • Imprima este artigo
  • Post2PDF


33 Comentários

  1. Penso que podiam aceitar e manter ao mesmo tempo a sua plataforma, tentavam assim ir buscar mais vendas por oferecerem dois tipos de plataforma uma para o mercado de entretenimento e outra para uma vocação mais profissional.

    Não sei qual é a margem de manobra deles mas estar a negar a proposta de Microsoft para o WP8 e depois cair na falência porque o seu sistema sozinho afinal não deu rentabilidade é um risco duro principalmente em termos sociais…despedir milhares de pessoas não é nada agradável nesta altura do campeonato com uma falência desta ordem.

  2. Por favor não digam que é o Android o salvador…

  3. Pena, eu gostava da RIM (e não da Microsoft). BlackBerry é uma boa opção, gosto…

  4. Samsung compra a Nokia

    Só um “mas que também” sobre estas coisas, no caso tablets.

    O Tablet Google/Acer Nexus está a criar grandes engulhos entre os fabricantes de tablet Androids como a Samsung.Não percebem como é que a Google vai vender um produto, em que não lucra, mas lhe faz concorrência. Há quem diga que o Nexus tablet é tão fraquito que, desse modo, não bafa os outros fabricantes.

    Mas os rumores sobre os efeitos nos parceiros da Microsoft do Microsoft Surface RT, não são engulhos, são pedregulhos. O que se diz é que a Microsoft fez uma espécie de parceria com os fabricantes de hardware para o desenvolvimento do Surface, sacou-lhes a informação e depois fez-lhes um manguito, que os deixou pior que estragados.

    O link que se segue é de pessoal da área Apple (o que não faz deles burros) a reproduzir esses rumores:
    http://appadvice.com/appnn/2012/07/under-the-surface-microsofts-arm-tablet-is-a-terrible-mistake

    Voltando à RIMM, que no trimestre que terminou em 30 de Junho produziu 7,8 milhões de BlackBerry e à volta de 260.000 tablets BlackBerry PlayBook, pode interessar à Microsoft para entrar no mercado dos smartphones (já desmentiu que lhe interessava, mas enfim).

    Se isso se concretiza, lá vãos os fabricantes de smartphones com Windows Phone, como a Nokia, ficar ainda mais lixados e vão-se virar para outros lados.

  5. Microsoft a benemérita, primeiro foi a Nokia e agora a RIM. Qual será a próxima empresa a submeter-se?

  6. Na minha opiniao, somente Android, WP, iOS é que vao ficar no mercado dos “Ecosistemas” Mobiles, sim ecosistemas ja que somente SO mobile é decada passada. BBos, Meego/Tizen, (BadaOS,symbian lol!) e afins jà nao acredito que tenham alguma hipotese. Dai acho que a RIM deveria apostar no WP e fornecer em exclusivo nos seus aparelhos aquilo que tem melhor, o serviço de comunicaçoes.

  7. Pois… o orgulho pode matar. E a RIM já está a ser vítima dele.

    • Esta politica faze-me lembrar o que aconteceu com o VAX-VMS, melhor sistema operativo de sempre e que nunca se soubr adaptar. Aparentemente a RIM vai pelo menos caminho.

  8. Bom dia ,

    Eu tenho uma opinião que embora diferente da até agora expressa acaba por seguir o mesmo sentido , eu penso que o sector mobile tem de estar interligado a todo um ecossistema para que possa vingar num futuro muito próximo , é isso que os utilizadores vão privilegiar , logo parece-me que a RIM infelizmente não tem esse ecossistema e não tem meios financeiros para o fazer .

    No fundo PCs , tablets , smartphones , portáteis e outros dispositivos domésticos ligados a domotica têm de fazer esse ecossistema que vos falo , sem essas capacidades prevejo que tudo o que surja fora deste contexto corresponda a nichos de mercado ou a Países emergentes aonde a tecnologia ainda teima a não surgir com esta integração .

    Quanto a aliança com a Microsoft , penso que a RIM teria mais a perder do que ganhar pelo menos na forma em que este negocio foi proposto , a melhor solução seria mesmo a criação de uma fusão com um dos 3 gigantes aproveitando o que a RIM tem de bom que é basicamente o seu serviço de email , ou então partir para uma fusão com outras companhias mais pequenas e aproveitar por exemplo o SO da Mozilla ou mesmo de uma distribuição Linux , hoje já estão prontos para entrarem no mercado móvel 2 distros Linux o Ubuntu e o KDE que poderiam também tentar com o apoio da comunidade criar uma loja com aplicações e ter o seu próprio ecossistema .

    Cumprimentos

    Serva

    • Ponto um: A questão não é propriamente se a RIM tem ou não bons serviços… Um dos problemas está nos custos que as empresas pagam para usarem os serviços da RIM e hoje em dia as empresas procuram serviços bons e simples a preços rentáveis, e aqui a Google e outras empresas ganham.

      Ponto dois: A RIM está a apostar em terminais com teclado Qwerty físico, e actualmente o teclado físico em equipamentos móveis faz parte do passado, e quem experimenta um equipamento táctil, pouco provável que volte a querer equipamentos com teclado físico.

      Ponto três: O BlackBerry OS é, em comparação à concorrência (Android, iOS, WP), mais virado para o mercado empresarial e por si bem mais confuso. O utilizador final, seja empresa ou particular, procura algo simples de se trabalhar e que ofereça quase ou os mesmos recursos / serviços.

      Para além disso, paga-se bem por um BB, um BlackBerry
      Bold 9790 custa perto dos 500€, e por este preço, dá quase para comprar um iPhone 4 ou um Android topo de gama.

      • hummm acho que nunca tives te um equipamento com teclado fisico!!!
        quem experimenta não sai de lá!!!
        No entanto o tactil é uma desilusão!!

        cmps

        • Tive vários com teclado físico.
          Hoje em dia um telemóvel não serve só para mandar mensagens ou fazer chamadas.

          Para muitos, um telemóvel é um equipamento de trabalho, e em certos casos, há necessidade de ter um ecrã maior e um equipamento ter teclado físico impossibilita a existência de um ecrã maior.

          Se vires os equipamentos mais vendidos são equipamentos touch e sem teclado físico.

          • +1 teclado físico.

            Alias o actual Blackberry OS é muito mais estavel(isto visto que tem vindo a sofrer implementações e nao restruturações como o Windows mobile *tech scope*), vejo imensas pessoas a comprar BlackBerrys a gama mais acessivel claro para usar o BBM, o WhatsUp, Msn, Email tudo no centro de mensagens do BB , esta é a justificação que mais oiço mas no entanto isso esta a aconteçer agora por alguma razão os jovens tem vindo a efectuar estas compras em massa nos ultimos 6 meses, isto sao dados do dep.comercial da phone house.

            Em termos tecnicos e relativamente a Parceria, submissão ao Gigante Microsoft não concordo mas se for uma fusão que tenha o melhor do soft da rim incorporado no WP mais a recente aquisição da skype tech esses 3 componentes uff seria espantoso.

      • Desculpa, mas não posso concordar com a afirmação do Blackberry ser mais confuso. Tudo o que se faz com um iOS e com Android (nativamente) está lá também e tens que fazer uma progressão de 3 ou 4 drilldowns pelos menus para chegar lá, tal como nestes exemplos que conheço bem.

        A questão do preço pago pelo serviço quase *premium* que se tornaram o BIS e o BES é de facto aberrante, mas quem quer o que ele pode dar, não se importa de pagar mais. Mas é facto que dantes, o que motivava a adesão a estes serviços era algo que doutra forma não conseguias ter em nenhuma operadora de forma consistente: email. Foi isso que lhes permitiu chegar onde chegaram e é agarrado a isso que a RIM está a afundar.

        Na questão que levantaste sobre o preço do hardware, aí concordo plenamente. As specs do Bold 9700 (que custa cerca de 550€, livre de operador) estão ao nível do que encontras num telemóvel Android de 400€.

  9. Na minha opinião, se a RIM de junta a MS, poderá ter uma saída, mas temporária, pois os utilizadores não vão gostar da ideia, e o design dos telemóveis penso que não seria boa ideia.
    Mas em vez disso, pegassem por exemplo no recém chegado Firefox OS, podia ser digamos a pioneira do sistema operativo, e fazer frente aos Android, WM e OS 5. Assim pegava neles todos, juntava misturava e pum tenho tudo o que vocês tem mas não sou de nenhum de vos.

    Mais uma vez único, pioneiro (digamos), parecido com todos diferente de todos.

  10. Para mim, a única maneira de estas empresas apanharem o comboio, era lançarem terminais a correrem linux. Mas linux puro, que pudesse correr as aplicações que existem para linux. Assim entravam logo com milhões de aplicações e uma grande carinho da comunidade geek. Imaginem um blackberry ou um Nokia com Ubuntu Phone 1.0, onde pudessemos correr (se o hardware assim o permitisse, Openoffice, GIMP, Apache, etc, etc. E abrir os drivers á comunidade para sacar o potencial dos aparelhos. Esta seria a minha estratégia como CEO da Nokia.

    • E cm CEO levaria a nokia à falencia !

      Ja esta mais que provado que interfaces de desktop nao sao adequadas para interfaces de dispositivos moveis veja-se sucesso do iOS e falha do Win. Mobile !

      • Era preciso ser burro para querer o terminal a correr o gnome ou o kde. Claro que o interface teria de ser trabalho da empresa. Um Interface móvel. O importante seria correr linux puro por debaixo, para poder abrir um terminal e fazer o que se quiser. Era uma questão de tempo até aparecerem novas distros e novos interfaces, como o gnome e o kde. Depois com suporte para periféricos, era um mini PC linux. Tenho a certeza que era uma aposta ganha.

  11. Começo a achar este ramo dos telemoveis/smartphones uma banalidade..
    Isto está igual à roupa, veste-se mais o que está na moda..

    Eu num café com 3 amigos meus pego num iOS, num WP e num android de TOP e objectivamente fazem as mesmas coisas quase à mesma velocidade.. A unica coisa que varia é o aspecto e o market de aplicações.

    Todos os dias crucificam as marcas pelas opções que tomam relativamente aos softwares que desenvolvem e esquecem-se que metade das pessoas so usa um iphone para telefonar, mandar mensagens e mostrar aos amigos.

    Lembro-me tambem da noticia sobre a nokia despedir bastantes trabalhadores, deram tanta relevancia a isso que nem consideraram um acto normal de gestao. Pois se a Nokia tenciona acabar com os terminais Symbian ate 2016 é normal que despeça as pessoas que desenvolvem esse software.

  12. eu não vejo de tanto alarido com o android, o bb10 foi lançado um pouco tarde.. como os outros sistemas (symbian^3, wp7, webos3, bb10 etc..)

    a rim é que tem que ver como vai ficar, mas eu acho que cada empresa devia ter o seu SO e nao depender dos outros (antes era assim! ou parecido!)

    off: a samsung parece que abandonou o seu querido BADA

  13. Boas a todos!

    Enquanto utilizador orgulhoso de um Bold 9700, tenho que reconhecer que a RIM está a ficar para trás mais rapidamente do que eu gostaria.

    Algumas das sugestões aqui feitas sobre da RIM adoptar o Mozilla OS parecem-me absolutamente disparatadas. Senão vejamos: o BBX10 está (virtualmente) pronto, é o OS utilizado no Playbook. A versão que eles precisam de concluir requer implementação de todo o backbone de serviços exclusivos de *telefone* que não foram ainda criados para o Playbook e esse é o principal motivo de ordem técnica para o atraso do deployment do BBX10.

    Não é no entanto, o único motivo.

    O BBX10 afasta-se em termos de funcionamento de todas as anteriores versões das plataformas BB5, BB6 e BB7. A grande motivação para a encruzilhada da RIM neste momento e na minha opinião é a seguinte: eles não têm massa crítica de desenvolvimento para a plataforma deles. E não é por causa do hardware, nem por causa do SDK, é por causa do marketing que foi mal feito até agora e o esquema de não terem mão absolutamente nenhuma no App World que tem mais lixo que outra coisa.

    Isto resulta que por um lado, o BBX10 vai ter que ter legacy support para algumas das apps que tiveram êxito nos Blackberrys e manter os actuais developers contentes, mas por outro lado vai ter que puxar gente para uma nova plataforma que pelo que conheço, é muito promissora.

    Posto isto e no que toca à pergunta: a Microsoft não tem resposta para este problema, muito menos forçando o licenciamento do Windows Mobile para a RIM.

    O que eu esperava que acontecesse se a Microsoft injectasse dinheiro na RIM, era para canibalizar o portfolio de patentes da RIM no que toca à estrutura de comunicações que eles têm, reciclá-la para o Windows Mobile e depois deixar a RIM a apodrecer, cadavérica, num canto e a sobreviver da baixa receita que isso lhe iria gerar, sem poder vender telemóveis nem capitalizar os seus serviços de forma exclusiva.

    Solução para a RIM dar a volta por cima, na minha opinião era seguir um rumo semelhante ao da Apple: fazer 2 equipamentos apenas (1 touch, outro com teclado físico para os puristas), high-end, ciclos de actualização de specs semelhantes, policiar convenientemente o App World e torná-lo apetecível para developers, investir no BBX10 para torná-lo de vanguarda a cada iteração e concessionar a um preço razoável os serviços BIS e BES para as operadoras, que cobram couro e cabelo ao utilizador final por um serviço que a única benesse que traz neste momento face a um serviço de dados convencional é a compressão de tráfego a 30%, porque em termos de funcionalidade e segurança, os outros concorrentes mais dia menos dia apanham o ritmo.

    Parabéns e obrigado se leram até ao fim :) sei que me estiquei um bocado! ;)

Deixe o seu comentário

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.