PplWare Mobile

VeraCrypt: Aprenda a proteger a informação da sua PenUSB


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. fornost says:

    pergunta: pra abrir isso precisa do vera no computador ? Caso precise, há uma versão portátil que possa abrir isso sem privilégios de admin?

    Creio que tentei fazer isso com o trucrypt no passado e, infelizmente, não adiantou, pois só tinha acesso aos arquivos em casa, não podia abrir no trabalho, por exemplo.

    • André says:

      Existe uma versão portátil que podes colocar dentro da pen para poder aceder à partição encriptada. Neste caso o processo é ligeiramente diferente. Se a pen é de 16gb crias uma partição encriptada dentro da pen de 15.5gb ou do tamanho que for necessário e usas o espaço que sobra para colocar o software portátil do veracrypt. O que vai permitir poderes aceder à partição sempre que quiseres.

    • Alex says:

      Depois de cifrado o conteúdo da PenUSB, basta montar a mesmo e introduzir a password definida para aceder à informação.

      Parece indicar que é necessário o programa para montar a imagem…de certeza que dá para o tornar portable, devem ter usado o nsis para o setup…

      O VeraCrypt faz alguma diferença (em termos de segurança) do truecrypt? Eu ainda uso o 7.1 desde que saiu so para nao deixar os dados das finanças espalhados.

  2. José Coelho says:

    Eu uso o “Lexar Secure II Plus” muito bom.

  3. Az8teiro says:

    Estou na minha praia, isto é tudo muito giro, mas…

    Confiar em programas de 3ºs para guardar a minha informação sensível, é o mesmo que entregar a chave de minha casa para o meu vizinho quando eu for de férias para ele me cuidar das plantas.

    COm sorte ele trata-me das plantas, com azar trata-me do recheio todo da casa…

    Para mim cifrar dados é com um programa desenhado e escrito por mim. O resto é conversa…

    E até posso apontar 2 ou 3 pontos que provavelmente a ineficácia desse sistema.

    -Cifrar quantidades grandes de dados, implica mover todos os dados que passam pela memória para o disco normalmente;

    -Se se está a cifrar dados no disco, os sectores onde estão os dados cifrados, posteriormente terão que ser reescritos, ou a informação está lá na mesma, e “apagar” os ficheiros não os apaga efetivamente, ficam apenas como se estivessem ao utilizador, no entanto o sistema vÊ, e o utilizador consegue recupera-los pois a única coisa que é alterada são os bits que indicam a utilização do sector…

    -Se se usam chaves para cifrar então as chaves têm que ficar guardadas em algum lado. A menos que o utilizador a decore mentalmente (esta seria a única forma segura), pois se ficar guardada em algum lado, quem quiser obter os ficheiros vai obviamente tentar obter a chave e não tentar decifrar tudo de raíz.

    -Além de que não sei obviamente, quem está por de trás do financiamento da empresa, nem das backdoors do sistema, ou acordos com o fbi e manhas no código para terem acesso á informação sem serem os donos legítimos da mesma.

    • Joao says:

      Sim, pode fazer o seu próprio programa, já o fez? Está bem implementada a encriptação? O gerador de números aleatórios é de qualidade? Está a usar o inseguro AES?

      Os componentes físicos do seu dispositivo foram criados por si a partir da matéria prima?
      O sistema operativo e todos os programas e ficheiros que lá se encontram foram todos criados por si?

      Se sim, parabéns é a única pessoa do planeta a não confiar em mais alguém e que tem tudo feito do zero.

      Para os restantes humanos, usar coisas criadas por terceiros é o caminho, a menos que sejam programadores para aí virados.

      Para apagar os dados, existem imensos programas para o fazer, e sim pode fazer o seu.

      A chave é o que o utilizador quiser. Provavelmente a maioria aponta a mesma, mas pode perfeitamente confiar na sua memória… a menos que esta lhe falhe :p

      No caso do Veracrypt não precisa de confiar em ninguém, pode mesmo analisar o código fonte do programa todo. Espero é que seja um ótimo programador, especialista em encriptação, especialista em segurança relacionada com a programação e tenha muitos anos disponíveis para analisar o código fonte todo como deve ser.

  4. Mário Dantas says:

    O VeraCrypt tem corrigidas as falhas de segurança que o TrueCrypt refere na página inicial? De momento estou a utilizar o BitLocker da MS que tirando a incompatibilidade com outros SO, funciona lindamente e é bastante prático!

    • Fabio says:

      Quais são as vantagens de usar o BitLocker ?

      • Mário Dantas says:

        A principal vantagem é que não necessitas instalar aplicações de terceiros (se tiveres windows Windows Vista / 7 / 8). Encriptas o armazenamento externo e em qualquer um destes SO basta-o conectares e introduzir a password! Rápido e simples.

        • Santos says:

          Sou + 1 que uso BitLocker para pen`s e discos rígidos, para zonas seguras no próprio PC uso a “Encriptação de dados” do Kaspersky Pure que é muito simples, rápida, fácil de usar e parece-me que tenha a mesma segurança que qualquer outro aplicativo criado para esse efeito.
          Deste modo não sinto necessidade de outro tipo de programas para segurança dos dados.
          Quem tenha o Kaspersky como antivírus ao mesmo tempo pode aproveitar a encriptação de dados e já não tem de instalar mais nada para esse efeito.

          • Mário Dantas says:

            Concordo, mas não sou apologista de encriptar os discos internos. Já me “tramei” com essa opção em que o PC avariou e como bom Português que sou, não guardei a chave de recuperação. Disse bye bye aos dados que lá estavam… É preciso cuidado!

  5. Juca Pirussas says:

    Outra forma é comprimir (arquivando apenas) RAR toda a informação não crucial com palavra passe do tipo RicargoSalgado%110HONESTO-PIU no ficheiro final.
    É simples e higiénico.

    A informação perigosa (imagino a quantidade de gajos importantes no mundo) pode ser guardada em Vários discos metidos dentro de um cofre na garagem, enterrado e coberto de betão e armadilhado com C4.

    É só malta da CIA e do FBI pelos vistos.

    LOL

  6. Cabral says:

    Estou a usar o softwarm e leva montes de tempo a prepara a pen de 8GB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.