PplWare Mobile

TOP 10 – Linguagens de programação mais populares


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

    • kyk says:

      mentira.. é o pascal claro <3 (tou só a brincar.. continuam a ensinar isso nas escolas…)

      • Luis Silva says:

        Também tenhoa mesma duvida, embora acho que agora a primeira linguagem deve ser c++

        • int3 says:

          Não confundas C++ com C.
          A primeira “pseudo-linguagem” até é algoritmia para desenvolver o raciocínio lógico. Depois sim, é o C para perceber o datatypes e funções e outras coisas que não vou estar a explicar.
          Depois disto tudo pode-se praticamente saber qualquer linguagem, e aprender mesmo muito rápido. Pelo menos eu segui desta forma, e sei C# (aprendi mesmo fast) VB (lol tive que aprender -.-), Java (android só), C++ (aprendi com o que dei no C# e apliquei ao C++, not big deal) e Python 😛

          É assim que devia de ser

      • HB says:

        Meu caro, nas escolas não ensinam pascal, usam o pascal (por ser simples) para se fazer uma introdução ao mundo da programação e a ensinar-se a lógica da programação.

  1. David Cunha says:

    Ruby também pode ser utilizado para desenvolvimento mobile: http://www.rubymotion.com/

  2. R says:

    MATLAB for life <3

  3. Rui Ribeiro says:

    Preferida = c# e java…
    Mais divertida = python

  4. kekes says:

    Python e muito boa e fácil de aprender, a minha preferida!

    • int3 says:

      Apesar de não dizer que python seja bem uma linguagem de programação é mais scripting é boa para programas rápidos. Principalmente python e perl é a linguagem preferida dos sysadmins.

    • Tózé says:

      Isso é muito bonito para se fazerem uns scripts e uns programitas que sem só lib’s já com tudo feito.

      Não tem estrutura mesmo nenhuma, uma dor de cabeça!

    • Rita Zakaluk says:

      Meu TCC era pra criar um web site escrito em Python, mas em 4 anos de nível médio com técnico nunca utilizei, apenas nos 2 útlimos anos aprendi C#, C++, PHP e básico de JAVA. Mas considero meu nível um horror pois busquei tanto aprender Python por conta própria, (já que meu orientador era só de fachada, nunca me deu orientações) mas nunca consegui programar com ele.
      Então enquanto eu já estava à trocar de orientador próximo a data da apresentação à banca, o “orientador” muda o tema e diz que só quer o estudo teórico, sem necessidade da aplicação.(O que sugere que ele nunca me deu apoio por também não saber programar em Python e não querer aprender para me ensinar)

      Me sinto frustada sabe, não consegui nem fazer a conexão com o banco, mesmo usando o framework (web2py). Agora termino meu TCC decepcionada por não poder dizer também que é muito fácil de aprender ;// P.s. Além de dizer isso, queria aprender para dizer depois com meu diploma: Chupa professor!

      Deixo aqui meu comentário “desabafo” com uma esperança que um dia eu ainda possa ter força de vontade e conseguir aprender.

  5. Tiago says:

    Im always Javing

  6. Sambas31 says:

    Python———————–>

  7. Pedro says:

    Apesar de serem inicialmente difíceis de aprender, tanto C como C++ (ou ambas no mesmo programa) continuam a ser as minhas preferidas para client-side 😀

    Já para server-side prefiro PHP sem dúvida alguma 🙂

  8. EXP001 says:

    O Java é compilado E interpretado.

    O que acontece é que realmente um programa Java passa por dois passos para sua execução:
    1. Compilação do código-fonte para o chamado bytecode, que seria um ‘assembly’ da máquina virtual Java;
    2. Interpretação dos bytecodes pela máquina virtual, para que eles sejam executados pela plataforma nativa.

    Isso porque o bytecode não pode ser executado diretamente pelo sistema operacional, ele tem que passar pela JVM.

    Pra complicar só mais um pouquinho , internamente, muitas JVMs compilam os bytecodes para código nativo – baseadas em compiladores Just-In-Time, ou JIT -, para melhorar a performance. E outras ainda – como a tecnologia Hotspot da Sun -, mantém os dois modos de execução em paralelo, inicialmente interpretando – para diminuir o tempo de início -, e compilando para linguagem nativa apenas os pontos críticos, identificados durante a execução.

    Mais informações sobre a Hotspot e JIT aqui: http://www.javafree.com.br/forum/viewtopic.php?t=6776

    • Só um gajo says:

      A maneira como um programa em Java corre pode ser complica, mas uma coisa é certa… Quando comparado com C ou o C++ o Java é muito mais simples de aprender e utilizar. A linguagem dá um nível de abstracção bastante alto, escondendo tudo quanto é complexidade do utilizador.
      Só o simples facto de não ter que me preocupar com apontadores simplifica muita coisa. Tudo bem que o nível de optimização não consegue ser tão alta como no C, mas para um gajo que programe em alto nível isso é refresco.

      • int3 says:

        “Só o simples facto de não ter que me preocupar com apontadores simplifica muita coisa.”
        Isto é o maior problema para programadores de Java.
        Porquê? Fazem programas em que depois são lentos nas máquinas. Só pelo facto de não conseguirmos controlar ponteiros, estruturas (modo como a estrutura é compilada na memoria, vê: http://stackoverflow.com/questions/672461/what-is-stack-alignment ) entre outros prova que qualquer linguagem de alto nível não consegue ter as melhores potencialidades como as de baixo/médio nível. Obviamente que ninguém anda por aí a programar assembly ou só C. é necessário termos uma linguagem orientada a objetos mas a melhor coisa que alguma vez se fez foi o Qt API para C++ http://qt-project.org/

        Desta maneira, consigo tornar o meu programa rápido, usar framework do Qt project, e usufruir de toda a liberdade do C++ 🙂
        E até posso programar assembly (assembly inline) mas isto não é preciso o Qt para fazer basta só usarmos __asm();
        🙂

  9. Zakk says:

    Java (profissionalmente na Oracle)
    Clojure (hobbie)
    C++ (jogos)

  10. Pedro says:

    Assembly é que é 🙂

  11. Jorge Frazão says:

    Boa noite pessoal,

    Gostava de colocar uma questão aqui aos entendidos na matéria.
    Eu sou um curioso nestas coisas.
    A minha área profissional é completamente diferentes destes mundos das informáticas. Ainda assim, gosto destes assuntos e de brincar com o Dreamweaver e Photoshop.
    Tenho umas ideias de HTML/HTML5 e CSS/CSS3.
    Neste momento estou prestes a tentar aprender PHP. Epa mas já andei a ver umas coisas por alto e aquilo parece-me muito complexo. Não sei se consigo chegar la. Array’s e o arco da velha.
    Nesse sentido, aqui aos entendidos destes assuntos, gostava de questionar o seguinte. Para quem já da uns toques (poucos) em HTML e CSS, para aprender PHP, chegarei la ou sera complicado? É preciso ver que a minha actividade profissional é um ramo distinto e não tenho formação académica nenhuma nisto. O pouco que sei é de uns cursos que faço aqui e ali, como o youtube e os cursos do Adriano Gianini.
    Gostava de colocar a seguinte questão: devo tentar fazer algum cursito de logica de programação antes de tentar aprender PHP?

    Um abraço a todos e desculpem la estas “nabices”.
    Jorge

    • Tomás says:

      Boas Jorge,

      PHP é uma linguagem de programação e HTML/CSS é uma linguagem de marcação, ou seja, tipos de linguagens distintas.
      Para quem já sabe “programar”/escrever HTML/CSS, o PHP é um bom complemento, mas a sua aprendizagem será bastante diferente do HTML/CSS. PHP será uma boa linguagem para começar, podendo haver linguagens mais simples, com esta aprenderá alguns conceitos bastantes úteis para a generalidade das linguagens.
      Aconselho a experimentar o “Code School” ou o “Codacademy”, que costumam ter cursos bastante interessantes de programação gratuitos, começando sempre pelo nível básico. Boa Sorte 🙂

      • Jorge Frazão says:

        Ola Tomás,

        Antes de mais, muito obrigado pela resposta.
        o CodeAcademy, é da casa. Aliás, já comecei o curso deles de PHP. A questão é que não estou a conseguir acompanhar. Epa, eu sou das áreas das economias. Supostamente devia ter alguma facilidade em perceber isto das funções e afins. O que é certo é que estou a nora.
        Epa, se calhar vou ter que optar por um curso de vídeo-aulas payware. É que eu gostava de aprender isto.
        Mas enfim, cada macaco no seu galho. Os meus parabéns à malta que domina isto.
        Mais uma vez, obrigado pela reposta Tomás.

        Abraço,
        Jorge

        • Tomás says:

          Existem alguns pontos chaves da programação:
          – Funções;
          – Ciclos;
          – Arrays;
          – Entre outros.
          Referi estes, que me lembrei, e que foram talvez para mim os que mais se destacaram em termos de aprendizagem (na minha) propriamente necessária.
          Talvez seja bom procurar por referências sobre a lógica da programação, no fim de entender estes pequenos conceitos verá que o resto já se torna mais fácil.
          Faz muito bem em aprender uma área que não a sua, parabéns por isso e boa sorte mais uma vez 🙂

      • Nelson JP says:

        Carissimo,

        O meu percurso é semelhante e por isso vou dar-lhe umas dicas do que vim a perceber mais tarde, mas mais vale tarde, que nunca.

        A ansiedade vai fazer-nos atalhar caminho e resultar em frustração mais tarde ou mais cedo.

        Primeiro, como já alguém disse HTML/CSS é markup, não é programação (não há variáveis, loop, operações lógicas…)

        O melhor é aprender primeiro os ‘fundamentos’, pode parecer um bocadinho ‘secante’ mas depois dá-lhe as bases para aprender qualquer linguagem!

        Aconselho vivamente o lynda.com e aí, em especial os cursos ‘ministrados’ pelo Simon Allardice. Basta subscrever um mês ($25) e fazer download dos video-cursos que quiser. Eles têm uma série chamada “Foundations of Programming” que se subdivide em várias partes. Comece por “Foundations of Programming: Fundamentals” e depois vá vendo… talvez a seguir ‘Object oriented design’, seguido pelo de bases de dados e depois passe então para um de uma linguagem, no seu caso o PHP (que é uma ‘linguagem’ para ‘meninos’) que de facto é uma scripting language mais do que uma ‘programming language’, mas isso são outros ‘quinhentos’

    • EXP001 says:

      Es capaz de gostar deste

      http://courses.tutsplus.com/courses/php-fundamentals

      25$ ou então procurar no youtube 😉

    • JB says:

      No EDX há um curso de iniciação à programação muito bom.
      Embora no curso seja usado Python (que é uma excelente linguagem de programação e muito usada como dá para ver no ranking), na verdade são dados muitos conceitos que se aplicam à variadas linguagens.
      Veja em http://www.edx.org e procure pelo curso MITx: 6.00.1x Introduction to Computer Science and Programming.
      JB

      • Jorge Frazão says:

        Estimados,

        Muito obrigado pelas respostas.
        Já tenho aqui mais uns sites nos favoritos para analisar com mais calma.
        Mais uma vez, obrigado pelas dicas e pelos links.

        Abraço,
        Jorge

    • Telmo says:

      se quiser optar por uma aprendizagem mais old school, há um livro da FCA que é o PHP 5.5 (acho que o nome é à volta disto) e posso dizer que quando andava a tirar o curso foi um excelente complemento para me orientar.. Uma coisa que é fundamental não só no PHP, mas em todas as linguagens orientadas a objectos é perceber muito bem este conceito das classes e objectos.. E com isto também todo o conjunto de semânticas comuns como if’s, while’s, for’s, variáveis, tipos de variáveis, etc, etc ,etc.. Tal como disse esse livro é muito bom porque aborda estas componentes todas.. Bom para iniciantes 😉

      Espero ter ajudado e boa sorte.

    • Recomendo que sigas as aulas e que vás praticando assim como começar pelo curso de algoritmo e não avançar logo para PHP pois assim vais perceber melhor as lógicas de programação.

      https://www.youtube.com/user/cursosemvideo

  12. euclides machado says:

    De acordo com o link ” The Top Programming Languages”, informado acima, as Top 10 não são as mesmas informadas aqui.

  13. roney says:

    Fico feliz em ver R aí na lista. Essa lista daqui há 7 anos tera Julia brigando com python, R, matlab, C e C++.

  14. pedro dias says:

    Boa noite
    Algum programador Freelance por aí com disponibilidade para fazer 2 projectos ?

    Php e Android …

  15. João says:

    Boas.

    Vi acima 3 bons sites de tutoriais! Para c++ alguém sabe de algum?

  16. João says:

    Bom dia,

    Só uma correção ao POST.

    Java é uma linguagem compilada e não interpretada. Um programa Java é compilado para ByteCode e posteriormente é executado por uma máquina virtual (JVM).

    Numa linguagem interpretada as instruções são executadas directamente (não compiladas), como o caso da linguagem Python. No entanto existem também compiladores para Python.

  17. Serafim says:

    PHP nem sequer pode ser considerada uma linguagem! Aquilo só serve para fazer templates, como é que pode estar ao lado das restantes verdadeiras linguagens de programação!

  18. Hugo says:

    Este gráfico não está correcto. Por incrivel que pareça a linguagem com mais linhas de codigo usada hoje em dia é o COBOL. Não existe nenhum banco, seguradora, facturação que não o use..

  19. int3 says:

    Eu acho interessante gente que não sabe o que é uma linguagem de programação. Confunde linguagens de formatação com linguagens de programação (executadas, primeiro ‘compiladas primeiro e assembladas’, pelo CPU) e confundem também ambientes de virtualização, nem sabem o que é. lol é só entendidos.

    • TUSABESQUEM OH int3 says:

      Ó int3, tem calma meu! 🙂 As pessoas aqui partilham o conhecimento delas, que adquiriram com o tempo, se estão erradas, devemos é dar o nosso melhor para as ajudar e tentar chegar a uma conclusão e não estar com esse tipo de comentários “lol é só entendidos.”! Se formos todos só a criticar não se evolui. Ninguém sabe tudo! Diz-lhes o que sabes e depois ambos podem aprender sempre alguma coisa que o outro não saiba! Mas olha tudo fixe, não venho aqui estragar a cena a malta 😀 Tudo bem na mesma Fiquem Bem todos e programem até ficarem sem dedos 🙂

      • int3 says:

        Isto foi para quem não quer aprender -.-

        • SABESQUEMÉAGORA Ó int3 says:

          Mas tens de ter mais calma meu! 🙂 Sem stress, tudo se resolve com calma 🙂 tenta ser um mais paciente e passivo com quem diz coisas que talvez parecem estupidez para quem percebe mas para quem as disse foi isso que aprendeu, que lhe ensinaram! 🙂 Não se pode ser logo radical! Primeiro tentas ajudar com boa vontade a pessoa, se ela não quiser saber do que lhe estas a tentar ensinar, não se pode fazer nada!! Mas tentaste de boa vontade! 😀 Tudo fixe na mesma! Com calma é que se chega lá

  20. Duarte says:

    COBOL para sempre! he he he

  21. joaquim says:

    Realmente não entendo como como é possível o COBOL ter ficado de fora deste ranking. Não há mainframe que não a use. E quase todas as grandes empresas têm um mainframe com dezenas ou centenas de milhares de programas em COBOL. Como vou eu agora viver?! Agora que deixei de acreditar nestes rankings… snif, snif.

  22. José Fonseca says:

    Delphi é a minha preferida, de seguida Java, onde é muito intuitiva e fácil de interpretar e desenvolver. C, C++, C# é para meninos…

    Conclusão no dia-a-dia programo mais em Delphi e Java, são a minha onda.

  23. Matheus Luiz says:

    Na verdade nós podemos utilizar java para Sistemas embarcados.

  24. Fábio says:

    e assembly? jk
    as que gosto mais/que já aprendi são: java e python!

  25. Tavares says:

    gwbasic (só para velhotes)

  26. Pedro says:

    Não concordo, onde está HTML, CSS, PHP ?
    Se a internet não dependesse destas 3 linguagens, não teriamos a diversidade de sites que temos hoje.

  27. Gonçalo says:

    E Fortran, apesar de ser muito antigo, quem aprende Fortran, tem algum beneficio? Pode-se dizer que é parecido com C, ou nada a ver?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.