Quantcast
PplWare Mobile

Prisões portuguesas estão a ser sobrevoadas por drones

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. Isabelinha says:

    É legislar-se com duras penas para acabar com essa palhaçada de brincadeira de crianças transformado num atentado à privacidade das pessoas bem como se vê, para a criminalidade.

  2. Alex says:

    Nada que uma shotgun ou um balázio bem direccionado não resolva.

  3. NT says:

    Usem a mesma lei que já existe a nível de aeroportos e/ou bases militares e é só alargar para prisões. Agora ficar com cadastro criminoso por estar num parque a usar um brinquedo destes acho que é ir longe demais.
    Se é invasão à privacidade então as autoridades também deveriam estar proibidas de usar este tipo de tecnologia o que já acontece.

  4. Pedro says:

    Instalar nas imediações das prisões um inibidor de sinal, de forma a impedir ligações GSM, GPRS, Bluetooth e wifi. Assim que o trone se aproxime dessa zona cairá por falta de controlo, além de que mesmo que na prisão haja um telemóvel não conseguirá rede para fazer chamadas.
    Não terá assim um custo tão elevado fazer isto.

    • poiou says:

      Ouvi dizer há uns anos que houve uma empresa que estava a desenvolver um inibidor e queria testar de borla nas cadeias portuguesas mas as prisões recusaram.
      Ao que parece, se existirem inibidores nas cadeias, é mais complicado para a pj investigar, porque perde as chamadas dos elementos presos

    • jonas says:

      O drone assim que começa a perder sinal volta para o ponto de origem. Ele não cái!

    • Paumandado says:

      E depois como comunicavam os guardas prisionais?

    • Hugo Ferreira says:

      Depois acabava-se o negócio….

    • Berrio says:

      Isso até seria uma boa ideia, mas um pau de dois bicos…passo a explicar, em caso de necessidade ou emergência dentro da prisão, as forças de ordem iriam ficar inibidas de usar os seus próprios drones, para poderem controlarem uma desordem interna por exemplo. Depois quanto às restrições de aeroportos e áreas militares, uma coisa é aquilo que está escrito outra é a realidade diária que é bem diferente.

    • Cabritone says:

      Os drones usam Radio, nao usam wifi, bt, GPRS…
      não é algo facil, mas concordo que pelo menos as prisoes deviam estar dentro de uma “No fly zone “, como os aeroportos. Apesar de haver formas de ultrapassar esta limitacao.

  5. lagidiv says:

    As autoridades sabem de tecnologia e por isso só têm uma forma de precaução que é: usar da tecnologia disponível e pô-la em prática , porque é possível identificar quem é que faz e para quem faz o serviçinhp.

  6. cabecinha pensadora says:

    contra ataquem com outro drone munido de mísseis e balas a Melhor defesa e o ataque

  7. Pedro Ferreira says:

    Eu posso usar um automóvel para atropelar 500 pessoas reunidas numa festa. Posso user a internet para roubar dados bancários, posso até usar uma boneca de uma criança para transportar droga. Não é por isso que deixamos de ter automóveis, serviços de internet ou bonecas à venda e deixamos de os poder utilizar. Uma pessoa pode até ter uma arma, no entanto só pode matar com ela em casos muito especiais.

  8. Ricardo gomes says:

    não acho mal nenhum os drones levar tabaco aos presos !!

  9. Sergio J says:

    Sempre fui contra esta Praga. Uma moda que irá passar, como todas as outras.
    Não sou contra os drones, sr for muito bem vigiado, com definição de voos muito bem definidas ou espaços de utilização muito bem delimitados.

  10. Pedro B says:

    Desde que devidamente usado pode ser uma ferramenta de trabalho incrivel. Eu por exemplo faço aerofotogrametria que basicamente é a geração de um modelo tridimensional através de fotos tiradas do drone, condeno veemente toda e qualquer utilização que ponha em perigo ou atente contra privacidade das pessoas. Agora colocar toda a gente no mesmo saco como já é típico da mentalidade portuguesa é ridículo, um telemovel tb invade a privacidade das pessoas e qualquer idiota tem um..

    • alex says:

      As pessoas queixam-se muita da invasão de privacidade e não sei mais o quê, e depois põem tudo e mais alguma coisa nas redes sociais..

      • Flavio says:

        Realmente é um bom ponto, é do género ninguém tem o direito de ver os meus ficheiros que estao no facebook que é uma rede social publica. claro que a privacidade é algo que qualquer pessoa tem direito mas devia tambem ser um dever para termos uma moral de poder falar sobre este assunto. porque eu desejar a privacidade por isto ou aquilo mas depois nao respeito a minha privacidade, nao faz sentido

  11. Velho do Restelo says:

    Acho que no mínimo seria prisão efectiva, é uma atividade de grande perigosidade.
    Divirtam-se.

  12. Mais Nada says:

    Na realidade a solução é bem simples basta oferecer um telemóvel de ultima geração a cada recluso, ligação de fibra optica em todas as celas com um portátil em condições, um televisor curvo em cada cela, frigobar sempre bem abastecido, drogas à descrição e um jakuzi para cada recluso! E já agora um drone para cada recluso tambem para ajudar nos trabalhos externos.

  13. Joao 2348 says:

    Qualquer dia isto parece a Alemanha e até dão as chaves das celas aos presos, e sei lá, começam a ver a reincidência de criminalidade a baixar.

  14. tamak says:

    A distribuição de droga devia continuar a ser feita pelos proprios guardas mas de forma gratuita nas prisoes pois evitava este incomodo todo dos drones

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.