Quantcast
PplWare Mobile

Portugal: Vendas de veículos elétricos em julho 2021 cresceram 49.6%

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. SANDOKAN 1513 says:

    Mas quem os compra é só quem pode.Ora,ora…

    • Abreu says:

      E só fazer cálculos , e claro se podes carregar sempre em casa.

      • SANDOKAN 1513 says:

        Na rua,diz você.Em casa ?? Tomara eu !! Eu e milhões em Portugal que quando precisarem de carregar os veículos elétricos em “casa” estarão feitos ao bife.Era bom,era. 🙂

    • Zé Fonseca A. says:

      Uma economia funciona assim mesmo, quem tem maior capacidade económica compra e cria-se assim uma economia de escala que tipicamente ajuda aos valores a descerem através de diminuição dos custos de produção e dos riscos de insucesso.
      Enquanto tiver a possibilidade de trocar de carro da empresa a cada 4 anos não me aventuro em nenhum carro, em 2023 troco o meu por outro híbrido na esperança de 2027 poder comprar um f-cell para a família e poder converter o car allowance em salário.

  2. Rui says:

    Tradução (e os vossos últimos parágrafos levantam essa pista):
    As pessoas endinheiradas aumentaram a compra de carros, os desgraçados aflitos com o fim do mês não compraram nada…… porque é evidente que quem ganha o salário mínimo está a pensar comprar um Lexus, Audi, BMW, Mercedes……. eléctrico, para poupar nas despesas ao fim do mês 🙂

    • SANDOKAN 1513 says:

      Kkk,bem dito. 🙂

    • Eg0niz says:

      Acredito que quem ganha o salario minimo também não estará a pensar nos modelos das marcas Dacia , Hyundai, Kia, Renault (só para referir algumas das marcas com veiculos com precos mais baixos do que os que indicou). Mas será preciso ser assim tão “endinheirado” para comprar um destes modelos?

    • Domdiego says:

      Quando apareceram os primeiros veículos de combustão interna, não eram para todos, só para quem podia. Também eram criticados pela baixa autonomia, porque não havia onde comprar benzina ou gasolina sem ser nos grandes centros urbanos… Hmmm… onde é que eu já ouvi estas críticas… enfim… history repeating itself… cumps.

    • Joao Santos says:

      Dacia Spring São 16K. Optima opção para andar na Cidade
      Ao fim de 160 000 km o Carro pagou-Se a ele próprio em poupança de gasolina

      • Zé Fonseca A. says:

        Para fazeres 160 000 kms em cidade vais levar 50 anos…

      • Rui says:

        Os preços dos Dacia são excelentes nos folhetos publicitários, mas foi lá ver? Já não é a primeira vez que peço orçamentos de Dacia (pelo menos em 3 situações e carros diferentes), e vai ver quando começar a somar os faróis de nevoeiro (são sempre opção), os vidros eléctricos, o autorádio, etc…… fica ao preço das outras marcas!
        Se não acredita vá você ver e depois diga-me o valor final do eléctrico 🙂

        Como diz o Zé, o problema é que quando alguém sai da cidade, não encontra onde carregar o carro!!!!! A não ser em casa e a autonomia não lhe permite ir muito longe!!!!

        Quer vir para locais de montanha testar um eléctrico e depois diga-me como resolveu os problemas das inclinações gigantes que tem de vencer e sempre com o acelerador a fundo!

        Julgo que para cidade, tem transportes à pato pagos pelos portugueses, não?

  3. Sergio J says:

    Um artigo sobre a exploração do Lítio, especialmente em Portugal seria interessante

    • Zé Fonseca A. says:

      Também gostava de ver, principalmente nos efeitos de uma mina a céu aberto e de uma lavaria de lítio nos solos e rios.
      Mil vezes viver ao lado de uma exploração pretrolifera.

      • Paulo says:

        O litio polui mais que o petroleo? Deves trabalhar na galp. Esta gente e ridicula a defender o indefensável mas portugal vai mesmo explorar litio e farei tudo tudo para que isso aconteca. Evoluam

        • Toni da Adega says:

          Um dia descobrem que o maior poluente em Portugal é a refinaria de Sines, que básicamente transforma um poluente noutro poluente.

          • PML says:

            Mas de facto Sines é (ou era) a zona com maior poluição de Portugal devido à refinaria e central a carvão. Agora continua a ser das maiores, mas com a central a carvão desativada.

        • Zé Fonseca A. says:

          Não trabalho em nenhuma petrolifera e mesmo que trabalhasse isso não implicaria nada a minha opinião, muito menos factos.
          O processo de mineração de litio, cobalto e niquel uma vez que é a ceu aberto tem um impacto gigante num raio de 70km de raio, motivo pelo qual na mineração que querem fazer em portugal se avançar vão ressarcir as populações e realojá-las noutro local a mais de 70km de distancia, além disso para mineração destes metais é necessário a instalação da uma lavaria, sem isso não consegues separar o litio da camada rochada extraída, esse processo de lavaria é feito com recurso a quimicos e acidos nocivos que se alojam nos solos, e por sua vez nos lençois freaticos o que faz com que extenda para os rios e seus afluentes.
          Existe muita coisa que desconhecem e gostam de falar como se fossem senhores conhecedores só porque têm noções basicas do que vos vendem na comunicação social e nas redes sociais.
          Por consequência da minha profissão tive de desenhar processos e infraestruturas de IT em vários sitios entre os quais em petroliferas, que tinham operações em plataformas e em terra seca, em centrais nucleares, em diamantiferas e em muitas outras empresas de extração de variados minerios e metais, e até hoje nada me chocou tanto como ver ecossistemas e populações circundantes de extração de litio e cobalto, é o que que tem mais impacto, deixa os solos contaminados por decadas, talvez seculos e todos os processos de descontaminação são apenas actos politicos sem qualquer melhoria significativa.
          Por isso preferiria 1000 vezes exploração pretolifera ao largo da costa portuguesa do que mineração de litio. Há coisas mais importantes e mais impactantes que o CO2.

      • Nuno says:

        portanto a exploração de litio polui mais que o petroleo ahah esta gente nao tem mesmo noção do que disto e para já começa a investigar as baterias de carros eletricos porque o grande problema nem é o litio saõ metais como o cobalto e etc

      • FAR says:

        A azia é tanta que sinceramente nem vale a pena. É rir e seguir em frente.

  4. Eg0niz says:

    Os impostos em Portugal fazem com que um Tesla custe cerca de 20mil euros mais do que na Noruegua onde os salários são bastante diferentes (também o custo de vida, não esquecer).
    Deveria existir uma redução destes impostos a estes veiculos (VE), também como forma de incentivo. Desta forma, a criação de mais postos de carregamento iria começar a aparecer.

  5. MalicX says:

    O meu “pilhas” completou 20000 km. Seriam 1800€ de gasóleo e mais de 400€ de manutenção, mas foram apenas 250€ de eletricidade e 60€ na revisão. Quase 2000€ de poupança em ano e meio.
    E com a dedução do IVA e apoio do estado ficou ainda mais barato que o equivalente a gasóleo. Peugeot e208. Grande maquina.
    Compensa desde o dia 0.

    • Zé Fonseca A. says:

      Cada vez que leio estes comentários não posso deixar de me lembrar do pessoal do GPL, parecem pobres a contar esmola.
      Alguma vez alteraria alguma coisa na minha vida para poupar 1000€ por ano? Isso é o custo de um fim-de-semana num hotel..

    • Miguel Porto says:

      @MalicX
      Boas contas mas quanto pagou a mais relativamente a um carro a combustível fossil?
      Por exemplo, no site da Peugeot encontrei um e208 de 100kW por 33.000€.
      Quanto custava um 208 a gasóleo novo? E a gasolina? Estamos a falar de mais de 10.000€.
      Acho que o valor de aquisição também é importante nestas contas.
      Obrigam as pessoas a deixar o combustível fossil mas continuam a deixar entrar barcos de passeio no Tejo, quando estes poluem o mesmo que milhares de carros juntos.
      Não sei se é esse o melhor caminho.

      • MalicX says:

        Caro Miguel Porto. Eu escrevi que, com o desconto do governo e dedução do IVA o preço foi igual ao diesel. 22k€

        Compensa logo desde o dia zero.

        Só por curiosidade, esta semana estou de ferias no norte e vim com o elétrico. 500km feitos e 8€ gastos e. Eletricidade. Nada mau.

        • Miguel Porto says:

          Sim mas isso não é universal. Se eu quiser hoje comprar um igual, não vou conseguir o desconto ou a dedução.
          Mas ainda bem que o conseguiu. A esse preço sem dúvida que compensa. Senão 10.000€ são muitos anos de gasóleo e manutenção.
          Outro tema é contemplar a reciclagem das baterias. Provavelmente já não é para si, mas alguém um dia vai ficar com isso para pagar.
          Cumprimentos

  6. João do Olival says:

    Ainda não se lembraram que o Estado não vai ficar, não pode ficar, sem os impostos sobre os produtos petrolíferos? Quando a maioria dos veículos forem elétricos virá um um qualquer imposto para compensar as receitas perdidas. Já ninguém se lembra do imposto de compensação sobre o gasóleo? Dentro de algum tempo será igual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.