NHSbuntu: O Ubuntu que quer substituir o Windows na Saúde

Download

SO: GNU/Linux
Licença: GPL


Destaques PPLWARE

70 Respostas

  1. Miguel Cruz says:

    Será que têm incluído um visualizador de imagens DICOM?
    Isso era bastante útil para departamentos de Imagiologia

  2. Carlos Fernandes says:

    … o Lobby da Microsoft é muito forte em Portugal, por isso não faz muito sentido.

  3. Macgyver says:

    Em Portugal nunca fará sentido uma vez que a Microsoft tem os Politicos no bolso!!! Em portugal já existem empresas que têm Linux nos seus computadores e servidores(onde o Linux é Rei) , no Estado apenas o PCP tem sistema open-source neste caso linux. Agora pergunto se o linux é gratuito, bem mais seguro que o Windows porque o Governo não muda???? Porque será???? ( Microsoft tem os Politicos no bolso!!!)

    • Joaquim says:

      Se deres a alguém a escolher qual o SO que quer ter no seu PC, o que achas que a grande maioria escolhe? Abstrai-te de tudo o que escreveste, e responde lá, Windows, Linux ou IOS?

      Não esqueças que há uns anos a esta parte, o Governo tentou implementar o Linux nos PCs das escolas secundárias? O que aconteceu a esse projeto? E porquê?
      O projeto caiu porque nem a miudagem se queria adaptar ao Linux…

      • Paulo Martins says:

        Desculpa mas não é a miudagem que não se quer adaptar ao Linux, são os professores, eu quando andei no secundário o meu professor de programação insistia em dar linguagens de programação ultrapassadas porque estava mais confortável com elas, ele em 2008 ainda nos ensinou VB6 uma linguagem já com 10 anos e que claramente já caía em desuso em relação a outras como Java e C#.

        • APereira says:

          E o teu professor estava a fazer o que é correcto…ensinar-te as bases…

          Por o pessoal pensar como tu é que ainda ha pouco estavamos a contratar e nas entrevistas poucos eram os que sabiam o que era um simples ping…

          E a culpa é de quem?
          Dos professores que nao lhes ensinavam as bases dos sistemas e que coincidencia ou nao, tem mentalidade similar a que descreves.

          Em 1999 aprendi QBasic, Pascal…problema?Nop…entao qual o problema em te ensinarem VB6?

          • Paulo Martins says:

            O problema é que não te deixa minimamente preparado, eu aprendi Pascal no 10º ano e fui dos poucos que percebi a importância de ensinar Pascal, mas VB6 é diferente porque se era para aprender programação orientada a objectos C++, C# ou Java têm uma implementação mais completa e mais ajustada ao mercado.

          • APereira says:

            Acho que mesmo com isso tudo nunca conseguiste perceber o conceito de uma linguagem de programacao.

            O que te deixa preparado nao é o aprenderes a ultima linguagem, o que te deixa preparado é te ensinarem o conceito.
            A partir desse momento facilmente aprendes qualquer linguagem que tenha uma estrotura/conceito similar.

            Uma linguagem de programacao é para ser consultada.

          • JOSUE SILVEIRA SANTOS says:

            Vb6 não é base para nada em programação.
            Quer ensinar uma boa base, então ensine C.

          • APereira says:

            Oh Josue, é só programadores sem teclado por estes lados…

            Pesquise lá um pouco para perceber porque é que se ensina primeiro Vb ou similar…

      • Daniel says:

        oh amigo, IOS é da Cisco.

    • APereira says:

      Porque nem sempre é a melhor opcao…

      Obviamente que depende do ambiente onde estiveres, em determinadas situacoes Linux sem margem para duvidas em outras Windows.
      No final, feliz ou infelizmente sao mais as situacoes onde Windows é a opcao nao só por ser mais barato implementar mas tambem por ser a opcao mais fiavel.

      Existem empresas em Portugal onde Linux é rei, sim assim como existem outras onde MacOS é rei na maioria Windows é e continuará a ser rei porque no ambiente mais generalista, nao tem concorrencia.

      A questao que colocas sob o Governo, tens quem já tenha tentado implementar e no final chegou a conclusao que ficava bem mais caro e decidiram voltar para Windows porque, era a melhor opcao em praticamente todos os niveis.

      • José Rodrigues says:

        Linux só sai mais barato em PMEs (10-250 pessoas). A microsoft dessas nem sequer tem interesse. Nas outras saíra sempre mais caro e não garantirá segurança.

        • andre says:

          Bem, em Portugal são mais de 90% as empresas as que têm menos de 250 trabalhadores…

        • APereira says:

          Lol nao é bem assim…

          Depende do ambiente em que estejas… tens um exemplo de uma empresa grande em Portugal que usam maioritariamente Linux e tem mais de 500 funcionários…
          O sistema é limitado a browser, SAP e telnet…

          Ja no departamento administrativo, windows é quem reina devido aos requisitos.

          • José Rodrigues says:

            Conheço bem a empresa de que falas e não, não usam maioritariamente linux, têm menos de 100 postos num parque de mais de 1000 e é porque são sistemas fechados apenas para alguns “operadores”.

          • APereira says:

            Eu nem sequer falei em nomes e tu já vens dizer que nao menos de 1/5 dos funcionarios que referi …
            Nao, a empresa em questao usa maioritariamente Debian como sistema operativo…

        • Xinuo says:

          Grandes empresas sempre têm pessoal especializado em S.O.’s, seja GNU/Linux, seja Windows, pois possuem servidores com diversos serviços. O que ocorre é que geralmente os desktops são Windows, mas se o pessoal fizer com vontade consegue colocar um desktop com Linux de modo a agradar usuários.

          Para mim é uma mistura de má vontade e acomodação. Aqui no Brasil um grande caso de sucesso de uso de GNU/Linux é o Banco do Brasil, que possui mais de 110 mil computadores com esse sistema.

          http://computerworld.com.br/banco-do-brasil-estima-economia-de-r-50-milhoes-com-uso-de-software-livre

        • Gekko says:

          Google, Amazon Facebook, Netflix, Wikipédia, Bolsa de Valores de Nova york, Pizza Hut, Policia NAcional Francesa, Parlamento Francês, IBM, a própria Microsoft na Cloud Azure , As forças armadas dos EUA, etc, todas usam linux e não são todas PME ;D

          • Amilcar Alho says:

            Acrescenta aí a “nossa” Rádio Popular.

          • José Rodrigues says:

            “Usam linux”.. Usar todas usam, mas aqui não estamos a falar em usar, estamos a falar em trocar.

          • APereira says:

            @Amilcar Alho…

            Soubesses tu a razao porque é que a Radio Popular usa Linux e o que está por trás de todos os sistemas deles…

            Lol

            Sim eles usam maioritariamente Linux é verdade, mas estamos a falar de um ambiente controlado e mais ou menos fechado porque se fores para a Administracao, compras e afins já vais ver Windows com forca.

        • lmx says:

          Caro trabalho numa empresa…com muito mais funcionarios que isso,
          A grande maioria espalhados pelo mundo, eu trabalho na Area Linux/Unix, e não, não querem mudar, querem é expandir a utilização do mesmo..
          hA…

  4. Vítor Rodrigues says:

    Nas escolas devia de ser ensinado a usar todos os sistemas operativos, e depois os alunos podiam usar o que quisessem.
    Mas começa logo pelos professores que só aprenderam a usar Windows e não vão aprender a usar outro por preguiça ou porque a Microsoft lhes oferece a eles e ganha milhares com os alunos. Apenas interesses. Por isso todos os miúdos andam com aquela tralha todos os dias ás costas.

    • APereira says:

      Sim sim, a Microsoft paga aos professores para eles ensinarem Windows… Oh que santo…

      • Gekko says:

        Acho que o que ele quiz dizer foi mais no sentido de a microsoft fazer acordos com governos, para terem windos nas escolas e a microsoft ter “convencido” entre muitas aspas quase todos os fabricantes de laptops e desktops a virem com o microsoft pré instalado.
        O que faz com que as pessoas tenham pouco contacto com alternativas.

        Um exemplo: nos anos 90 quando o windows não vinha com o Internet Explorer pré instalado e as pessoas tinham que instalar e as pessoas tinham que procurar elas próprias um browser para instalar, o netscape era o mais usado que o IE. Só quando o o IE veio por default no windows é que ganhou ao netscape. Pois se já estava instalado para muita gente não era necessário procurar outro.

        É deste tipo de preguiça/ofertas que ele fala (acho eu)

        • APereira says:

          Mas isso é apenas marketing… e nesse ponto claro que concordo, no entanto tens de ter em atencao a um pequeno pormenor…
          O maior numero de utilizadores vai irremediavelmente estar onde existem mais aplicacoes e o maior numero de aplicacoes desenvolvidas vai estar onde houver mais dinheiro.

          Quais as plataformas que mais dinheiro dao aos users?Windows, MacOS…

          Depois disso a maioria dos users sao isso mesmo, users…tem mais do que fazer em saltar para a linha de comandos ou andar a vasculhar o sistema…
          Tem X aplicacoes, browser, e está feito…usaram windows na escola, usam windows no trabalho…o que vao usar em casa?windows claro.

          Depois tens o famoso Office da Microsoft que até hoje nao tem concorrente que esteja a altura.

          • Gekko says:

            “Quais as plataformas que mais dinheiro dao aos users?Windows, MacOS…”

            Se usas um computador para ganhar dinheiro então isso é uma ferramenta de trabalho e não é um caso de um user a jogar (a não ser que seja jogo de apostas online 😉 ) ou a ver vídeos no youtube.

            Um user não “ganha dinheiro” com o sistema operativo do seu computador pessoal em si, muitas vezes até gasta, pagando a licença.

            Se estamos a falar de ferramentas de trabalho e qual a ferramenta de trabalho que te permite ganhar mais dinheiro, obviamente isso depende de qual é o teu trabalho e ai a resposta pode ser *nix, MacOS, Windows, ou qualquer outro.

            Depende do teu trabalho.

            “Depois disso a maioria dos users sao isso mesmo, users…tem mais do que fazer em saltar para a linha de comandos ou andar a vasculhar o sistema…”

            Há dez anos poderia concordar com esta frase, hoje em dia faz cada vez menos sentido. Há distros de linux para todos os gostos e tipos de tarefas. No caso das distros que são mais viradas para serem user friendly em desktop, cada vez menos isso é o caso.

          • APereira says:

            @Gekko,
            Continuas agarrado a linha de comandos… da mesma forma que um IT deverá saber e usar a linha de comandos até no Windows.

            No meu trabalho diaramente salto para a linha de comandos antes sequer de pensar em usar o GUI, porque é mais fácil e rapido de usar, porque nao me vejo a conseguir resolver metade dos problemas que me aparecem sem isso, acontece no Windows, acontece ainda mais em Linux/MacOS.

            A questao de ganhar dinheiro, se pensares no simples facto de que um user em vez de ir comprar a loja da esquina compra Online mais barato, está a ganhar dinheiro.
            Se ele tinha de ir ao servico publico para tratar de algo e nao o teve de fazer porque fez online, está a ganhar dinheiro…
            Indirectamente mas está.

    • Carlos says:

      Vais tu pagar os Macs para os professores todos?
      O quando dizes “todos os sistemas operativos” queres dizer “todos menos os da Apple”?

  5. Aguamenti says:

    A quase totalidade do software em Portugal é feito pela Glintt, assente todo em Windows. Ainda usam o Delphi 7, nem se dando ao serviço de mudar para um dos XE mais recentes da Embarcadero. E nem se dando ao trabalho de resolver bugs graves e bem conhecidos, btw.

  6. Alexandre says:

    Pergunto quantos trabalham no mundo IT.
    Falar é fácil, instala-se linux e é super barato … faltam alguns promenores:
    a. Não existe nada que chegue aos calcanhares da integração entre Windows e Active directory. Para tentar fazer o mesmo me Linux é preciso DevOps tools como Puppet, Chef, Ansible, integração com LDAP.
    b. Custo para formar os utilizadores.
    c. Vendores desenvolvem software para windows. ex: Hitachi 9990, Um dos melhores storages na altura (2004). Os upgrades era executatos a partir de uma disquete sob a console a correr Win 98.
    d. Velocidade de assistência por parte do vendedor, A Redhat não tem Time-to-Repair com um contrato Premium. Resposa inicial 1 hour e as sucessivas é a cada hora ou sob acordo.
    e. Não há standard em Linux. Entre RHEL 5 e 7 existing 3 métodos de gerir serviços e dois tipos de cluster.
    f. Não há backwards-compatibility. Um major upgrade e acabou. Se a aplicação foi criada para RHEL 5 ou 6 existing grande probabilidade que não irá correr em RHEL 7.

    Não estou a dizer que prefiro o Windows ao Linux, na realidade sou mais Solaris. Mas a realidade ainda é que o ecosistema da Microsoft é bastante forte quando comparado com o Linux ou Unix.

    • APereira says:

      Esquece, os paladinos do Linux e open source vem já aí todos a correr dizer “Linux é gratis por isso é mais barato que Windows”…

      Eles sabem, mas nao querem ver o resto dos custos associados porque…”Open source rules and we will work for free all our life”

      • Luis Borges says:

        O codigo nao tem que ser aberto. Desenvolver para Windows e’ “obsoleto”. Desenvolve-se para Web que ‘e multiplataforma e embora se possam usar tecnologias “open source” o codigo pode e deve ser “fechado”.
        A tendencia, com a “cloud” ‘e voltarmos ao “mainframe” e passarmos a ter “thin clients”.
        Ate no estado (na saude) ja temos implementacoes em “thin client”.

      • Gekko says:

        O modelo de negócio no open source não é cobrar por patentes ou licensas de utilização, é prestar serviços.

        As Red Hat do mundo ganham dinheiro a prestar servços e soluções aos seus clientes.

        Interessa-lhes que o software seja desenvolvido e para isso apoiam vários projetos open source (pagando até salários ou contribuindo com trabalhores seus para esses projetos) para que o software possa ser desenvolvido para os serviços que eles prestam.

        • APereira says:

          Entao diz lá qual a empresa por trás de uma qualquer distro que seja do tamanho da Microsoft ou similar?
          Qual delas presta o mesmo servico de suporte que a Microsoft?

          A Microsoft neste momento tambem se esta a tornar nisso…

          Office365 é um exemplo claro disso.

          • Gekko says:

            Só para esclarecer duas cenas:

            1 – Eu não disse que havias empresas que apoiam distros open source que têm o mesmo tamanho da microsoft.

            Disse que o modelo de negócios no mundo open source é diferente; baseado em prestar serviços e não em cobrar patentes. Um erro que cometi foi o caso de licenças de utilização (caso da Red Hat, mas vem com o serviço de apoio e tem versões gratuitas, centOS e Fedora).

            2 – O modelo de negócios da microsoft é diferente do open source.

            Durante muitos anos baseou-se em vir já pré instalado nos computadores e tentar criar monopólios fechando ecossistemas tentando subverter normas standard, para documentos, quiseram alterar o http e html, o java, etc.

            Só nos últimos anos se viraram para cloud e office não sei das quantas.

            O seu tamanho deve-se ao terem conseguido que o Win viesse pré instalado nos computadores. Criaram a sua base de utilizadores assim e os fabricantes de aplicações foram atrás.

            Ou estás mesmo a querer dizer que a microsoft tem o tamanho que têm pelo excelente apoio técnico que presta?

            Se a tua questão é que achas que o modelo de negócios da microsoft (com as suas práticas monopolistas) é melhor a um modelo de prestação de serviços e apoio, aí já entramos num campo de valores e princípios políticos de cada um, no qual a tecnologia em si não é parte principal da questão.

          • APereira says:

            Nao meu caro, estas enganado…

            Tu nao tens nenhuma empresa no mercado que preste servicos como a Microsoft, principalmente no que diz respeito ao mercado empresarial…

            – Active directory,
            – Microsoft Office,
            – Skype for business (antigo Lync)
            – Exchange,
            – Dynamics ERP,
            – SharePoint,
            – Microsoft Azure, (Ok aqui tens concorrente AWS)
            – SQL Server,
            – Microsoft Office,
            – Microsoft Office Online,
            – Office 365 (e tudo o que a ele esta agarrado)
            – Windows Server,
            – Microsoft IOT
            – Microsoft Visual Studio,

            E a lista continua por aí fora…

            A maioria dos produtos sem nenhum concorrente a altura…

    • José Rodrigues says:

      Slowlaris alex? 😉

    • Luis Borges says:

      Os contantes exploits vao comecar a mudar o cenario…
      As empresas vao precisar adaptar-se… e nao vai ser apenas com “melhorias nas firewals” ou evitar que os postos “vao ‘e net” – solucao tipica 🙂

    • Alessandro says:

      Será que este conceito de AD… não é algo do passado? Como empresas como Google, Apple, … não gerenciam seus ativos de TI? Com certeza não é com AD, Wsus, … 🙂

    • Xinuo says:

      O ecossistema só é forte porque deixam forte. Qualquer empresa sabe que não é estratégico depender tanto de outra, os interesses podem não ser os mesmos e se resolver mudar de fornecedor poderá haver grandes prejuízos devido a dependência anteriormente criada e cultivada.

      Um grande exemplo são os sistemas que rodam na Web, de modo a que qualquer S.O. possa acessá-los, antigamente as empresas aderiram a esse modelo mas deixaram ele muito dependente de produtos da Microsoft (leia-se Internet Explorer 6 = IE6), há uns poucos anos atrás, quando tiveram que atualizar, viram que a forte dependência do IE6 era um problema.

      Creio que hoje, as soluções empresarias para web que correm em servidores web internos, são muito menos dependentes do fabricante do navegador que se utiliza, pois as empresas aprenderam com o erro de confiar demais nas implementações proprietárias, sabem que isso é uma armadilha, um aplicativo Web deve funcionar em qualquer navegador, se for para escolher um navegador padrão, que seja o que melhor siga os padrões da web. Pois sabem que optar por depender de recursos exclusivos de um navegador vai gerar muitos custos de adaptação anos depois. Sendo que a Microsoft gosta de fazer isso e criar amarrações, se o gestor da empresa for inteligente fugirá dessas amarrações, mesmo que use fortemente soluções da mesma.

      Falei de web, mas vale para tudo… Banco de Dados, por exemplo, porque depender da Microsoft ou Oracle? No futuro pode ser interessante ter um banco PostgreSQL e aplicação estar amarrada há um dado fornecedor implica em custos elevados de adaptação. Através de abstrações é possível deixar as aplicações livre de amarrações. Qual o melhor? Ter uma aplicação que depende de Oracle ou MS-SQL server, ou uma que roda com qualquer dos dois? A empresa ficar dependente e ter alto custo se decidir mudar ou mudar de fornecedor de acordo com as próprias conveniências internas?

  7. Alessandro says:

    Ninguém liga o computador para usar o Windows… Ligam para usar os aplicativos (editor de texto, folha de cálculo, gerenciador de e-mail, browser, …) Uma vez que estes executam online ou em outros SO… A dependência pelo Windows vai morrendo 🙂

  8. coiso says:

    O ataque foi feito a computadores com microsoft porque é o mais utilizado se o linux ou distro baseada em linux começar a ter por exemplo 50% do mercado os hackers vão arranjar maneira de fazer o mesmo
    tem tudo ver com o que usam, por exemplo o android tem bases em linux e é pior que o windows em segurança

  9. sakura says:

    ??? you are ::::::::::: .

  10. Carlos says:

    O erro básico destes tipos é pensarem que as pessoas usam sistemas operativos.
    As pessoas normais usam aplicações, no caso da saúde frequentemente aplicações feitas à medida.
    E mudar para Linux implica sempre mudar essas aplicações, ou então usar coisas como o Wine.
    E isso para não falar dos equipamentos médicos que só se podem ligar a PCs com Windows, porque o fabricante apenas desenvolveu drivers para Windows.
    Os hospitais que foram atingidos ainda usam o Windows XP e a probabilidade de nunca terem atualizado a infraestrutura para pelo menos o Windows 7 apenas por questões financeiras é zero, a razão mais provável é a necessidade de manter compatibilidade com aplicações e equipamentos.
    E aí não há volta a dar. Ou alguém acredita que *todos* os PCs nesses hospitais são anteriores a 30 de junho de 2008, data em que o Windows XP deixou de poder ser vendido?
    E ainda há outro erro básico: partirem do princípio que depois de migrarem para o Linux vão passar a manter os computadores atualizados. Se não o fazem com o Windows, porque o fariam com o Linux?

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.