Quantcast
PplWare Mobile

Estudo: Quem utiliza as redes sociais?

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Ana Narciso


  1. book says:

    Basicamente, tá entranhado na população. Em toda ela.

  2. Aptenodytes Tuxus says:

    “Porque será que as mulheres dominam claramente as redes sociais? Porque é que os homens parecem dominar claramente os sites noticiosos?”

    É quase como perguntar porque é que as mulheres são as que dominam as revistas cor-de-rosa… são cuscas por natureza 😀
    Enquanto os homens apesar de haver uns afemeninados, a maioria prefere frequentar sites de noticias (como o Pplware) e ganhar alguns conhecimentos úteis, do que perder tempo em mariquices de redes sociais.

    • MOr says:

      Assino por baixo. :p

    • Nuno O. says:

      Isto é uma grande verdade, mas nem para todos os casos. Na minha opinião as redes sociais é um espaço onde pessoas que não têm mais anda para fazer podem passar o seu tempo.
      Digo isto porque uma pessoa que tem hi5, facebook, twitter, etc, etc, claramente não tem mais nada para fazer de interesante. Se não, eram pessoas normais como nós que querem aprender algo de útil quando frequenta sites como o pplware… 🙂

      • António Pinto says:

        Sinceramente este tipo de resposta sem saberem do que falam começa a ser comum por cá…

        As redes sociais são apenas para quem não tem mais nada para fazer ao tempo?
        Estás completamente enganado, as redes sociais são cada vez mais usadas por empresarios e empreas de sucesso (todos eles com o tempo contado) para conseguir expandir clientes e o nome ou marca que representam. O própio B. Obama fez grande parte da sua campanha eleitoral nas redes sociais norte americanas e não foi o único.

        E depois popem tambem a descriminação sexual porque o estudo tambem aponte para a esmagadora maioria dos homens serem “geeks” e apesar de eu me encontrar nessa categoria sei que não é melhor do que ser “cusca por natureza”.

        Fiquem bem!

        • Nuno O. says:

          Eu concordo consigo, mas digamos que quem tem várias redes sociais e as usa para fins de publicidade, não são pessoas de passar todo o dia a “cuscar” a vida das pessoas a ver as fotos novos, os comentários, etc, etc.
          Era isto que queria transmitir e que todos os sabem. xD

        • Marisa Pinto says:

          @António Pinto
          Não penso ser ofensiva a palavra Geek.

          Muito pelo contrário, acho bastante IN, muito chique, mui sui generis.

          Mas isto sou eu 🙂

    • Daniel Santos says:

      Axo que a resposta a isso se deve a contas falsas para publicidade… pela minha experiência, embora que pequena no Bebo, a maior parque que me aparecia eram contas claramente viradas pro spam… fiz imensos reports… acabei por apagar a conta devido ao spam…

      por cá, sou user do Facebook 🙂

      cumps

    • Ana Narciso says:

      Então obrigada por me chamares homem, ou melhor, mulher-homem? Ai ai 🙂

      Respondendo a todos, sou utilizadora das redes Myspace, Last.fm, Reddit, Facebook, FriendFeed, Digg, Twitter e LinkedIn. Slashdot não tenho conta, mas costumo ler por vezes. E é claro, sites noticiosos e outros (como o Pplware) são o pão nosso de cada dia.

      Mariquices? Talvez. Útil? Muitas vezes. Por cusquice? Claro que não!

      Para mim, a vantagem das redes sociais é INTERLIGAR as pessoas e permitir essa mesma PARTILHA de conhecimentos úteis. Já foram N os casos em que tomei conhecimento desta ou daquela notícia interessante que posteriormente transformei por exemplo aqui para o Pplware.

      É o Ciclo da Internet!

      • Aptenodytes Tuxus says:

        É claro que o que eu disse foi num tom de brincadeira 😀

        Eu pessoalmente até usufruo de uma rede social (é mais rede musical mas enfim) frequentemente, que é o lastfm. É bastante útil para conhecer novas músicas e bandas dos géneros que nos agradam.

        Agora… para conhecer pessoas e manter contacto com amigos desculpem lá mas aí sou “antiquado” e prefiro sair à rua para conviver com as mesmas.
        São certos tipos de redes sociais em que se explora a vida pessoal que eu nunca fui adepto.
        E acho que as mulheres são naturalmente mais vocacionadas para esse tipo de redes, pois têm uma necessidade maior em relação aos homens de comentar as novidades do dia-a-dia. Talvez por causa do que o usuário Paulo39 menciona uns textos abaixo, a mulher sempre esteve mais virada para o convívio que o homem desde os primórdios. O “são cuscas por natureza” é só uma forma engraçada de dizer :p

        • Ana Narciso says:

          Pronto, estás perdoado. 😛

          Sim, é verdade, somos mais “controladoras”.

          E a tua forma “antiquada” de ver as coisas é uma forma perfeitamente válida. Quanto a mim, já cheguei a tomar contacto com pessoas que entretanto, devido aos diferentes caminhos da vida, deixei de ver. Nessa perspectiva, as redes sociais são uma vantagem.

          E sim, admito, temos tendência a ser cuscas, não nego!

        • Paulo39 says:

          Pois, nesse aspecto sou como tu. Dá-me muito mais gozo conviver com as pessoas reais além de que andar ao ar livre ventila o cérebro (lol). Não gosto de ficar enfiado em casa o dia todo, embora às vezes acabe por ficar, até porque se poupa muito dinheiro :\

  3. Hugo Cura says:

    Eu cá tenho um desinteresse total por redes sociais. Só a linkedin é que acho relativamente útil.
    Não sou anti-social 🙂 mas a forma como se tira partido dessas redes não me interessa, de todo… ainda mais quando vejo toda a gente pasma a olhar para uma quinta e a deixar os amigos reais para lá ir ter com os virtuais. Ok, é um jogo e pode ser viciainte mas…

    • Olly says:

      Assino por baixo.
      Por mais que tente (não quero ser um info-excluído lol) não consigo encontrar utilidade a qualquer um dos 19 analisados.

      Sou um triste 😀

      • Nelson N says:

        Também assino!
        Faço minhas as palavras do Cura

        • PorquinhoBranco says:

          yep, verdade! quase toda a gente que conheço que tem o facebook, basicamente só o usa por causa da bichanice do farmville! a sua grande maioria sao mulheres claro…mas tambem la ha uns barbudos, gays claro! 😀

          Mas por acaso tinha ideia que a faxa etaria dos 18-24 tivesse uma presenca mais dominante nestes espaços virtuais!

          • Pedro Melo says:

            Subscrevo totalmente o Cura.
            Facebook, Hi5, Bebo e afins, são perda total de tempo, preferindo eu usar algo que tenha utilidade, tal como o LinkedIn ou Twitter, por questões profissionais. Por outro lado, o Digg, mais como “time-waster”, ou o StumbleUpon por questões de sincronização de bookmarks e afins. Mas raramente perco mais que 10 minutos à volta de cada um.

            Mas como diz o book, está entranhado mesmo.

          • Matias says:

            A faixa etária dos 18 aos 24 são os estudantes universitários…que, feliz ou infelizmente, são as únicas pessoas que vêm o tempo como um bem raro. Estudar e aprender requer muito tempo…e ou estás a brincar aos amigos ou queimas pestanas.
            A minha (pequena) meia hora de almoço é para esticar as pernas e vir aqui e ao neowin ver as novidades, porque a seguir são 6 horas de estágio!…

            Abraço

          • Ana Narciso says:

            Isso do Farmville é falso. Há muita gente que usa o Farmville, eu por exemplo acho uma perda de tempo e conheço N pessoas que partilham a mesma opinião.

            Para mim a utilidade principal do Facebook não é por esta ou aquela foto daquela festa de ontem à noite e comentar e blá blá. Não. A principal utilidade que eu encontro é o facto do News Feed se assemelhar a um Twitter, mas em ponto maior e com mais recursos visuais. Notícias, Vídeos, Imagens, Sites interessantes, tudo pára lá. Falo isto tendo em conta os meus “amigos” do Facebook, como é óbvio.

            Mas claro, isto tudo gasta tempo, disso tenho eu a certeza. Mas cabe a cada um de nós saber gerir o seu próprio tempo e impor limites.

            Mas isso é como tudo na vida, não é? 🙂

    • kekes says:

      Assino por baixo mas sou utilizador das redes sociais ocasional, pois acho que elas têm algum interesse mas não que que é dado resultante de um vicio.

  4. Tininha says:

    A mim não se aplica o comentário do Aptenodytes Tuxus. Apesar de ser mulher e de ter uma conta em algumas redes sociais, não as uso de todo, porque não lhes vejo utilidade em termos profissionais (ou para o meu tempo livre). Vou ser obrigada a usar algumas porque sou aluna num curso de e-learning. Neste curso dizem maravilhas pedagógicas sobre as redes… Verei e depois conto-vos.
    Entretanto, apesar de não saber nada de informática, venho ao pplware, saber das novidades, aprender e resolver problemas, pois não tenho amigos “reais” para me valeram.
    Espero continuar a contar com o pplware!

    • Carlos says:

      “pois não tenho amigos “reais” para me valeram.”

      E ainda sem não gosta de redes sociais!!!

      Desculpam lá seus NERDS…mas Redes Sociais não é igual a não ter amigos reais!!! 😛
      Parece-me até que existe alguma cumplicidade… entre não ter amigos reais e não gostar de redes sociais!! 😛
      LOL

  5. djx says:

    No way….Really?
    Então mas de todos os meus colegas só uns dois é que não têm facebook… xD
    Ainda dá para responder ao questionário?
    Cumps,
    djx

  6. kekes says:

    “Porque será que certos sites atraem mais a população jovem e não os mais velhos? Porque será que as mulheres dominam claramente as redes sociais? Porque é que os homens parecem dominar claramente os sites noticiosos?”

    Primeiro existem mais mulheres que homens, segundo, os homens nao têm tanta pachorra para sites de carisma social como as mulheres; terceiro as mulheres são muito piores que os homens no que toca a vicios, essa e uma palavra que não existe no dicionario delas porque elas não o admitem; quarto, é por todas estas razões que o publico alvo de ouro de jogos, e afins são as mulheres agora que a internet está democratizada.

    Quanto as idades, eu fiquei surpreendido pela elevada idade dos utilizadores e não pelo facto de serem jovens… Exatamente, reparem a minha geração dos 18 as 24 tem um percentagem muito reduzida de redes sociais… O que eu acho fixe por saber que não é uma geração agarrada como as outras e temos que ver as gerações mais velhas nã sabem usar muitas das vezes computadores, a percentagem e muito de 8 para 80, portanto concluo que as pessoas mais velhas usam mais redes sociais que as mais novas. Este estudo surpreendeu-me muito para dizer a verdade, fico contente por saber que os nossos “pais” são piores que nós filhos…

    • Ana Narciso says:

      O facto da faixa etária dos 18 aos 24 anos possuir menos adeptos das redes sociais é explicado em parte no artigo: a amplitude desse intervalo é menor, 7 anos, ao contrário das restantes (10 anos).

      De qualquer das formas sim, existe uma clara tendência para os trintões usarem as redes sociais.

      Falas em jogos, e dizes que as mulheres se viciam mais? Espero que fales de jogos em Flash por exemplo… Porque se formos a ver os jogos MESMO jogos, é notório o domínio dos gamers de sexo masculino. Para não falar dos inúmeros casos de “agarrados”.

      • kekes says:

        Tou a falar do jogos na generalidade. Actualmente o mercado está voltado para os elementos do sexo masculino mas isso está a mudar, e vemos as mulheres a começarem a viciar-se como nunca, tens exemplo actualmente dos jogos em flash, mas como ja li entrevistas de empresários da industria dos jogos dizer, as mulheres são o proximo alvo… MMO’s está a começar a ganhar adeptos femeninos como nunca, tens o Sims, que não é a primeira vez que vou a uma Fnac ou Worten e vejo as meninas a volta das caixas todas entusiasmadas como eu não vejo os rapazes, tens uma serie de exemplos, e esta reviravolta está apenas a começar agora, pois só agora é que a informatica se tem democratizado, e se tem voltado para o sexo femenino e mesmo assim existe um numero crescente de “agarradas” principalmente nos jogos que permitem uma vertente social…

        Quanto a tal faixa etaria… Não considero o facto da faixa ser mais pequena um ponto importante, sabendo que essa é a faixa etaria actualemente com mais acesso e liberdade de uso da informatica, seria um requesito ser muito mais representativa nestes estudos, o que não se vê. Mas é apenas uma analise superficial, para ser mais preciso necessitava de mais dados.

  7. Paulo39 says:

    Desde já queria dar os meus parabéns ao PPLWARE e à Ana Narciso por este artigo. Está bem escrito e mostra claramente os dados recolhidos no estudo (é este tipo de coisas que se quer num artigo deste género).

    Em relação a este tema, a minha opinião é a de que acho perfeitamente natural que haja uma predominância das mulheres nestes espaços. E, ao contrário do que pensa o Aptenodytes Tuxus e o Nuno O. não creio que isso se deva ao facto de elas “serem cuscas” e não “terem nada de útil para fazer”. Na verdade, há vários estudos que indicam que as mulheres sempre foram o elo social entre a raça humana. Na idade da pedra, quando os homens partiam para a caça, as mulheres ficavam nos abrigos a conviver umas com as outras ao mesmo tempo que cuidavam das coisas para o regresso dos homens. Hoje em dia, em tribos africanas, isto ainda se verifica. Os homens têm, em geral, um sentido mais prático. Falam menos e fazem mais, por outro lado, as mulheres são exímias na comunicação. Ambos os sexos complementam-se.
    (Como nota que acho particularmente interessante, num desses estudos que uma vez vi sobre o a estrutura e organização dalgumas tribos africanas, era explicado que, no seio dessas tribos, os únicos a poder manusear venenos eram os homens, enquanto que as mulheres estavam terminantemente proibidas de o fazer. Segundo os homens da aldeia, se elas o fizessem, não tardaria a que se envenenassem umas às outras! Isto mostra também aquela característica feminina que nós conhecemos tão bem que quando 2 mulheres entram em choque começam num jogo implícito de vinganças muito cruéis até que um dia fazem as pazes e já são as melhores amigas do mundo! xD )

    Agora, como é óbvio, quando se analisam dados deste tipo, tiram-se conclusões para a generalidade, portanto haverá com certeza muitas mulheres que não são assim, como haverá homens que o são.

    Em relação às redes sociais de hoje em dia, devo dizer que não sou grande fã. No entanto, vejo-me na necessidade de aderir a algumas porque, de facto, nalgum momento, preciso. É o exemplo do twitter, que só uso para seguir o PPLWARE e a Eurosport! Já o Facebook, experimentei, mas não tenho qualquer tipo de paciência para aquilo, vou lá 1 vez a cada 2 meses aceitar os pedidos de amizade de conhecidos e pronto.
    Uso o Youtube e o Vimeo para colocar alguns videos online, uso o StumbleUpon para achar pérolas na web e o Lastfm por causa da música.

    • kekes says:

      Exatamente, e também porque as mulheres nas idades mais remotas eram as responsaveis por transmitir os conhecimentos as crianças como tal a sua capacidade de dialogar e muito superior a do homem, que é como disses-te muito prático. Apenas deconhecia essa dos tribos africanas, se bem que conheço muito bem essa caracteristica das mulheres de “envenenarem” as outras, na realidade é o que elas fazem todos dias 😛

      É giro como os dois sexos completamente diferentes em ideias e comportamentos se complementam tão bem.

      • Ana Narciso says:

        Também concordo totalmente com a parte do envenenar. Essa é uma característica que me irrita profundamente quando estou em contacto com mulheres.

        É nessas altura que penso “benditos homens, tão mais simples e simpáticos!”.

    • Ana Narciso says:

      Bem, adorei o teu comentário, muito boa análise!

      Obrigada 🙂

  8. darkxp says:

    ta visto…

    o proximo a registar será no BEBO… o que tem mais mulheres, logo mais oportunidades… hahah

  9. dppako says:

    Isto é tudo referente aos EUA, o que não reflecte em nada o que se passa na Europa, são realidades muito diferentes.

  10. miguel costa says:

    Será que tiveram em consideração bots, e-horing, pessoal com múltiplos perfis, etc, etc?

    o Mais provável é que não!

    as respostas às perguntas deixadas pela Ana, não são simples. E para responder com alguma correcção teríamos de desmanchar os dados da amostra, ventilar os dados, voltar a desmanchar os dados à luz de certos acontecimentos e por fim ventilar novamente os dados. E mesmo assim a margens de ponderação seriam elevadíssimas.

    Deixo só um pequeno exemplo: há 3 semanas, foram colocados à venda 5 000 mil perfis de utilizadores portugueses de uma rede social já com comunidade de “amigos / seguidores” estabelecida. Todos os perfis têm o mesmo género – feminino.

    Acho que para bom entendedor meia palavra basta…

    Cumprimentos a todos

  11. Navyseal says:

    E será que as mulheres apontadas, são mesmo mulheres ou bots com perfis femininos?

  12. Fica aqui a nota para o mesmo género de estudo, mas para Portugal, efectado pela Fullsix/Netsonda:
    http://www.netsonda.pt/not_estudos.php?aID=1382

  13. Matias says:

    eu não tenho paciência para os farmvillers…

    quando estou em aula e oiço ovelhas, porcos e vacas…é deprimente.

    • João Campos says:

      Eu também não tenho paciência nenhuma para o Farmville. Nem para Facebook no geral. A não ser que esse comentário tenha o objectivo de insultar todos os utilizadores de redes sociais no geral. Se assim é, parabéns… És um triste de primeira.

      Posso dizer que sou um viciado no twitter. Eu era daqueles que não encontrava utilidade nenhuma no Twitter. Aos poucos fui me apercebendo que tem, e muita…

  14. José Pedro says:

    Estou a ver que há muitos sociologistas por estas bandas… Se calhar, um sociólogo explicava melhor estas coisas… desde que devidamente estudadas e fundadas!

    Há alguns comentários cheios de preconceitos e ideias pré-definidas…

    Cumps!

  15. Alexsandro says:

    Cada vez como menso tempo para essas coisas…só tenho o hi5 e tou a pensar em apagar a conta já que nao ponho la os pes…

  16. hastsa says:

    lol ja esta ^^)

  17. BrunoG. says:

    Então afinal os homens perdem tempo em redes sociais a ver se “sacam gajas”, mas as mulheres perdem lá mais tempo ainda a organizar fotos em biquini e a ver se as outras estam mais em forma, enfim…

  18. Marisa Pinto says:

    Excelente artigo, Ana.
    É um estudo muito pertinente, curioso e esclarecedor.
    Na minha opinião os jovens são muito aliciados pelo conteúdo e facilidade, de determinada rede social. Já os “old school” penso que usam mais as redes sociais com outra finalidade, ou o de reencontrar pessoas, ou partilhar objectivos, realizações profissionais, entre outros.
    A nível de sexos, surpreendeu-me o facto de as mulheres dominarem praticamente todas as redes sociais, mas talvez essa situação se prenda com a característica sociável saliente, da maioria das mulheres. A dinâmica lúdica das redes sociais como enviar bonequinhos, imagens engraçadas, vídeos, está mais associada à mulher que ao homem, na minha perspectiva. E penso que a possibilidade de criar um mundo virtual com todas essas características que o tornarão único, é bastante aliciante para as mulheres em geral.

  19. Paulo Silva says:

    Antes do mais queria felicitar a Ana pelo excelente artigo que aqui expôs.

    Quanto à questão final que coloca, creio que neste momento a população que mais adere às redes sociais é precisamente a mais jovem (até aos 35-44 anos) um pouco à semelhança do que acontece com os videojogos. Num estudo recente da Activision, chegou-se precisamente aos mesmos resultados, em que a maior parte dos jogadores pertenciam ao escalão etário de 15-34 anos.
    A meu ver, tem a ver com a “colheita” à qual pertencemos. Por outras palavras, tem muito a ver com o panorama tecnológico da altura. Se virmos bem, utilizadores a partir dos 30 anos, significa que nasceram posteriormente a 1980 (mais coisa menos coisa), ou seja, o grande boom informático nasceu aí … já nem menciono os Spectruns, mas sim os computadores pessoais primeiro, depois a Internet, e por fim toda esta abundância de conteúdos online que temos hoje à nossa disposição.

    Em suma, creio que esses gráficos são o reflexo de várias gerações que cresceram com a massificação, também ela crescente, das novas tecnologias.

    Engraçado e interessante seria pensar em como será daqui a alguns anos (uma década ou mais por exemplo) … quase me atrevendo a afirmar que o declinio das ultimas faixas etárias não será assim tão acentuado …

    Bem … cá vamos estando para ver …

    Mais uma vez … um Excelente artigo.

  20. wendel says:

    eu acho que as redes socias so servem para

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.