Debate – O futuro das consolas de gaming


Destaques PPLWARE

68 Respostas

  1. Rodrigo Santos says:

    Eu acredito, pois ao longo do tempo temos verificado que as coisas tem mudado, como é o caso dos telemoveis e da televisao!

    • João says:

      Sincetamente, já tentaram jogar um jogo “decente” num smartphone? É a coisa mais deficiente que pode exisitir. Sinceramente gosoto das consolas assim, e só espero que se mantenham assim durante muito tempo.

      Quanto à Ouya, nã vai ser mais do que uma consola para jogar jogos de smartphone na tv. E 100 e tal€ por isso? naaa…

      • Bruno M. says:

        Eu já joguei jogos decentes num smartphone… Existem alguns pago muito bons e muitos outros free também…

        Quanto a mim, jogos das consolas actualmente têm muitos males, um dos quais, o grafismo vs jogablidade.

        A Wii é um exemplo de sucesso. Jogos estilo old school com boa jogabilidade e que ficamos bastante tempo a jogar mas com pouco grafismo.

        Resto das consolas, grandes jogos com grandes gráficos, ricos visualmente mas a jogabilidade é muito deficiente e os players fartam-se num instante.

        O smartphone é como a wii (e acredito que a maior parte dos jogos da wii poderiam ter sucesso num smartphone)…

        Já agora, num smartphone, podes jogar com um comando da wii 😉

        Ouya, estou bastante receptivo a essa “consola”, pois com apoios pode vir a ter sucesso e podem desenvolver uma plataforma para o SO em que seja possível jogar grandes jogos num android… (Quiçá correr jogos excelentes num smartphone.

        P.S. Porque dizes que é deficiente jogar num smartphone?

        • João says:

          Já comparas-te bem a jogabilidade de um comando com a jogabilidade de um touch screen? Completamente diferente. Eu tenho um Ipod Touch e felizmente tenho acesso a todo o tipo de jogos, e num smartphone apenas se safam os casuais(Angry Birds, puzzles, etc) que muitas vezes não passam de jogos para passar tempo. Tentei jogar shooters e action games, e digo-te que foi das piores experiências que tive desde que comecei a jogar videojogos na antiga NES. E até podem ter boas narrativas, mas sem aquela sensação de jogabilidade, não vão longe.

          E quanto às consolas não ter jogabilidade, isso não é verdade. É o mesmo que dizer que hoje em dia não se faz boa musica. A boa música continua a ser feita, apenas deixou de ser mainstream. Um pouco de trabalho, e encontram-se pérolas espectaculares. É por iss que na minha opinião, por muito que os smartphones evoluam, e acredito que vão evoluir, nunca substituirão uma consola, e se algum dia isso acontecer, vou ficar muito triste.

          • MLeite says:

            Concordo contigo. Para mim, no dia em que os smartphones substituírem as consolas viro retrogamer. Eu prefiro estar relaxado na minha sala com uma televisão de 42”, um comando na mão seja ele da Xbox, Playstation ou Nintendo.

            É claro que um PC, neste momento, é superior mas isso é a lei da tecnologia. É como comparar um PC atual com um PC de 5 anos atras. E mesmo assim os criadores de jogos conseguem fazer obras espetaculares com consolas 5 anos atrasadas.

  2. Eu sou um pouco velho então, eu gosto do console, não gosto de jogar em portateis.

    É so eu ter uma televisão boa, um controle e meu joguinho que estou feliz.

    • Eu devo ser says:

      Eu devo ser um idoso, porque não gosto de consolas, porque basta ter um spectrum e sou feliz..
      Nannnnnn, quem me tira o multiplayer com tudo o que oferece tira-me tudo

  3. alisson says:

    Espero muito do projeto Ouya, abaixo as consolas com valor abusivo! 😀

    Pra quem não conhece:

    http://www.kickstarter.com/projects/ouya/ouya-a-new-kind-of-video-game-console

    • Bruno says:

      Não acredito que a Ouya, que por acaso aguardo com muito entusiasmo pelo seu lançamento, venha para acabar com este segmento.
      A Ouya é nada mais que uma consola que vai correr jogos que temos nos nossos smartphones.

      • MetroNoMore says:

        E tem o Hardware do HTC one X ou seja tens jogos com qualidade bstante superior a Wii e quase tão bons como na Ps3 ou Xbox ….
        Estamos a Falar dum Quadcore a 1.5 Com 12 cores Gpu Nvidia

  4. nfvp says:

    Hoje em dia de que diferem um computador, um smartphone e uma consola de jogos? Cada um é orientado é tarefa principal para o qual foi concebido, mas na sua maioria começam a ter cada vez mais aspectos semelhantes.
    Cada vez mais se verifica que todos os gadgets tem vindo a convergir, sendo que a linha que separa os vários aparelhos são a marca e o tamanho…
    O futuro? A meu ver, todas as empresas vão estar em todas as vertentes com produtos quase iguais, com serviços quase iguais (lei da concorrência), variando apenas o facto de ter uma maçã dentada ou não, e ser software livre ou não, pouco mais… Isto teoricamente será o melhor porque aumentaria a oferta para o utilizador e era um desafio constante para as varias empresas…

    • Ricardo says:

      Cada vez mais se verifica que todos os gadgets tem vindo a convergir, sendo que a linha que separa os vários aparelhos são a marca e o tamanho…

      Gostei!!!!

  5. Tiago says:

    No título:

    *gaming

    Também espero pelo Ouya, pode dar nova vida ao mercado se for bem implementado, e apoio pelos developers!

  6. Daniel Gomes says:

    Eu estou prestes a comprar (talvez) a Xbox 360… Por isso não sei até que ponto isto vai virar muito

    • MetroNoMore says:

      A xbox 360 com o kinect é uma das melhores consolas que se pode comprar …

      E tão cedo nem vale a pena pensar em novas consolas estas servem muito bem e tem excelentes jogos

      • Daniel Gomes says:

        Eu é mesmo pela experiência online e a interacção com os outros jogadores que pelo que estou a ver em reviews não existe na PS3 e por isso estou a ponderar seriamente a Xbox 360.. E sempre tive PS1 PS2 e PSP e PCs para gamimg mas… A xbox 360 foi lançada antes da PS3 e mesmo assim ainda surpreende

    • Bruno M. says:

      Se estas a pensar a Xbox360 e se eventualmente optares por usar o Kinect, espera pela nova WII e pelos reviews…

      Podes vir a ter surpresas visto que a nova WII parece prometer… já neste Natal.

  7. Daniel says:

    Pois mas lembrem-se que jogavamos jogos em que a realidade era minima… fps, disparavas na cabeça ou no pe e ele morria da mesma maneira… O realismos e grafismo tem evoluido bastante, porque a finalidade dos jogos é JOGAR nao e ir a net ou tirar fotografias, mas sim o prazer de jogar com a maior realidade possivel. Na minha opiniao evoluimos bastante.

  8. ER says:

    Para mim as consolas não passam de um pc, onde só se pode jogar (e fazer todas essas coisas a mais, que, surgem, porque as pessoas procuram dispositivos que façam ourtas coisas), não sei se me estou a fazer entender.

    Para além de todas as questões de markting dos jogos exclusivos etc não vejo qualquer vantagem, sendo que o seu hardware fica parado até à próxima geração. De mim não levam mais nada, já não compro uma consola desda ps1. Para além disso, o tipo de jogos que eu jogo (à volta dos shooters), pc gaming é claramente a melhor solução. Arranjem-me os exclusivos para pc que eu compro um comando e faço a festa 😛

    Venha ai o estoiro dos fanboys!

    • Arcadiy Kulchinskiy says:

      Estás como eu. Não comprei mais nada desde de PS clássica. No meu computador consigo jogar jogos com mesmas qualidades. Pena é que nem todos os jogos vão para PC.

      Ex: Já saíram 2 Silent Hills e nenhum deles dá para PC :\

  9. marquinhos says:

    Com o rápido avanço na capacidade dos telemóveis, vai resultar na morte do PC, notebook e da consola !!

    A microsoft sabe disso e já esta migrando seu sistema Windows 8 para telemóveis e tablets com a opção Xbox Live por padrão.

    Em 2012 começa a morte do Windows e do Linux para PC !!

    • nothing to! says:

      Eu vou continuar a usar PC, smartphone a mim só serve para fazer chamadas e sms.

      E quanto as consolas nunca mais comprei 1 desde a ps1, prefiro claramente o PC para jogos e que para além dos jogos serve para todas as tarefas que se pode fazer num pc.

      cumps

    • Nelson N. says:

      Enganas-te. 2013 é considerado o Golden Age do Linux, tudo por causa da Microsoft.
      E sejamos honesto, Android ainda precisa de evoluir uns anos para conseguir acabar com a microsoft.

      No entanto o Linux está com nova vida, graças á Valve e a sua promissora plataform Steam nestes sistemas que irá mudar muita coisa nos PC’s.
      Existe muitas possibilidades caso a Steam esteja nativa com a Linux. As consolas levam uma grande vira volta.
      Já pensas-te que com Steam no Linux, podes simplesmente montar uma torre na sala com os Componentes que tu podes comprar, e tens uma “consola” ? ou simplesmente, meter 1 DVD que um live Linux e o jogo.

      • marquinhos says:

        Em breve a capacidade dos smartphones irá superar a de qualquer PC atual.

        Vai rodar seu antigo Windows 7 nele ou seu antigo Linux nele, para matar a saudade.

        Voce vai trocar seu PC por um telemóvel, conectar teclado e mouse ou TV, tudo sem fio.

        Vai comandar seu telemóvel por voz e gestos.

        OBS: A Valve esta enrolando, em BREVE vai mudar sua direção e apontar para plataformas móveis e deixar o Linux para PC de lado, onde sempre esteve por ser gratuito. $$$$$$$$

    • Bruno M. says:

      Morte do Windows e do Linux para PC?? Achas mesmo que as pessoas vão usr apenas smartphones para fazer os seus trabalhos?

      Um smartphone é mais uma ferramenta portátil para o dia a dia… Um PC é uma ferramenta de trabalho para toda a hora, basicamente.

      Se me disseres que os smartphones irão ou poderão destronar os portáteis, talvez acredite, mas mesmo assim, tenho as minhas dúvidas.

      A Microsoft não está a migrar o Windows 8, está basicamente a convergi-los de modo a que no futuro seja mais práctico e fácil, bem como menos dispendioso dar suporte aos clientes.

      E não te esqueças que os ecrãs tacteis estão a ficar mais baratos e populares, e é onde a interface METRO se encaixa. Uma outra possibilidade é poder também, poder conjugar o kinect para Windows (e quiçá seus derivados, como o projecto da Asus) no Windows 8.

      Quanto so Linux, está cada vez melhor e mais intuitivo, quase um Windows. A Valve, se tudo correr como esperado, irádar suporte a jogos para Linux e outras empresas de certo, seguirão o mesmo caminho para colmatarem o resto da fatia de mercado que faltava!!

  10. Jose says:

    Verdade seja dita, os PCs estão 20 anos a frente das consolas, sem exageros, jogar no PC no low, tem melhor qualidade que as consolas no seu maximo.

    • João Gonçalves says:

      Isso é relativo. Depende sempre do pc que temos. Agora, ver aqui comentários a dizer que em breve o pessoal deixa de jogar em pcs porque os smartphones em breve vao correr isto e aquilo deixa-me um bocado triste… Como é que é possível alguém comparar um jogo num pc com um jogo num smartphone? Comparem o que é comparável… Quando os smartphone tiverem processamento gráfico igual ao do pcs hoje em dia, onde estao o pcs? Parados no tempo? Nao me parece. A melhor plataforma de jogos é, e será o PC. Razão: é actualizável e tem capacidade de processamento, gráfico também a anos luz do que quer que seja… Basta haver dinheiro… Se não fossem os exclusivos as consolas nem aos calcanhares dos pcs chegavam…

  11. Ricardo says:

    Subscrevo por completo! Não tenho a menor dúvida que num futuro próximo essa será a realidade de todos nós.

  12. Nelson N. says:

    PS3: Está redundante a uma nova consola, sobretudo pelo abafado fiasco do cpu CELL em que em tudo se pensava que iria ter um futuro promissor. A verdade é que não teve, e meteu a PS3 como sendo relativamente banal em comparação a XBOX. Apesar do MOVE e Kinetic, todos sabemos que é um nicho de mercado não muito abrangente. É engraçado, apenas isso, nao cria hardcore gamers, que mova $$$$.
    Alguns jogos exclusivos, mantem a PS3 como preferida, e provavelmente irá se manter, mas está pelas ruas da amargura.

    Xbox: Microsoft tem sucesso no mercado Americano, e tem como flagship os jogos de PC na consola, e a facilidade que as distribuidoras de jogos conseguem ampliar o leque de oferta de um jogo, no entanto, uma nova XBOX (720) apenas seria uma melhoria do que já existe, DX e adição de suportes tablet sobretudo com o seu Surface.

    OUYA: A consola sensação por ser “open-source” a quase, e seu low-cost. para quem não viu a QuakeCon – John Carmack Key Notes, exprimentou estas novas tecnologias Cloud. o calcanhar de Aquilles desta consola e Cloud Gaming, será sempre as latências que este tipo de conteudos trazem, estamos a falar de 500 a 900 ms, dependendo da linha de internet, ISP e ainda a capacidade de latência entre OUYA e o LCD, que tambem tem latência. Ele proprio disse que para ter sucesso, ainda existem barreiras na latência a serem ultrapassadas, antes que o Cloud Gaming tenha sucesso.

    Podem ver o John Carmack key notes, são 3 horas de discurso.

    No entanto não deixei de ficar um pouco intrigado com o futuro dos PC’s que pelo Carmack diz, as coisa estão relativamente confusas, existem tecnologias a serem estudas e re-estudadas como o caso dos Oculos VR ( Virtual Reality ) aliado de Kinectic ou Leap podem fazer uma mudança do tipo de jogos e interação.

    Isto tambem serve para as consolas, porque existe a possibilidade de ter que “inventar” novas formas de interagir com os conteudos. Que muito por culpa dos Touch e SmartPhones, as coisas ficaram realmente complicadas pela dispersão das preferências.

    Futuro das Consolas? apenas pode ser avaliado daqui a 2 anos, depois do impacto Microsoft que vai dar no mercado, e respectivamente o Suporte Linux.
    Tudo vai se mexer a partir dai. Existe o rumor VALVE de criar a sua propria consola, eu acredito que poderá haver uma parceria de Sony + Valve ao desenvolverem a sua consola com base Linux, porque esse sim, ainda pode oferecer conteudos exclusivos e os beneficios são imensos, por exemplo jogar em cross-platform entre PC’s e consolas, essa sim será a maior aposta. E como se consegue isso ? resposta: Linux

    • Jose says:

      A XBox 360 esta acima das vendas da PS3 ja a algum tempo, e não é só nos estados unidos, é no mundo inteiro.

      O rumor da valve criar uma consola e extremamente velho e ja foi desmentido a meses/anos pela a propria empresa.

    • Cláudio Catarino says:

      Este artigo exemplifica certamente como a consola poderá vir se tornar….. Não quer dizer que vá ser assim e que as consolas vão deixar de existir, mas sim que as consolas possam ser adaptadas a outras tecnologias como o caso das Smart TV.

    • AlexAlex says:

      O que tenho visto ultimamente é que a suposta consola da Valve (Steam Box) provavelmente seria fabricada pela AlienWare/Dell.

  13. JAM says:

    Pessoalmente deixei o pc quando as actualizações de hardware para cada nova versão do jogo – na altura o Battlefield 2 -implicava quase tantos €€€ como o custo de uma consola nova….mais tarde mudei-me para a PS3 e assim só gasto €€€ nos jogos

    • ricardo says:

      … assim só gasto €€€ nos jogos. não podia dizer melhor.
      muito honestamente a PS3 pode tar a 40 anos de distancia do pc mas para mim não existe um diferença abismal que me faça abandonar a minha PS3.
      o PC obriga a uma constante actualização do mesmo. a PS3 não. gasta-se 1 dinheirão só para ver uns bonecos um bocado melhor (vai chegar a um pouco que é impossível para o olho humano de perceber a diferença (e não falta mt))
      PS: aquilo que ouço sobre as novas consolas não me agrada nada (proibição de jogos usados, só jogos digitais, pagar pelo online,…). com condições destas, fico pela PS3 e já basta.

  14. furious says:

    Eu tornei-me um gamer com a consola “megasonIII”, era nada mais nada menos do que um clone em termos de design da ps1, mas, em termos de jogos, usava roms de nes. Depois poderiam comprar-me mais cassetes amarelas nas feiras para ter mais roms. (esqueci-a me de dizer que ela começou a derreter por sobreaquecimento 😀 e deixou de funcionar)

    Depois passei para o gameboy color, e quase que completei a pokedex, so me faltavam 30 pokemons para a acabar.

    passado uns anos o senhor josé socrates deu-me 1 pc do e escolas e ainda me diverti uns tempos, mas depois, como o hardware era fraco, comecei a arranjar outras ocupações, como aprender a programar, etc

    agora comecei um projecto, comecei a iniciar me em programação de smart tvs, e estou também a fazer 1 site disso, acredito que as tvs nos futuro vão superir a necessidade de se necessitar de hardware extra como uma consola

    deixo aqui o link do site, ainda está em desenvolvimento, ainda estou a escrever tutoriais, etc, mas se alguém quiser colaborar, toda a colaboração será bem vinda

    não sei se posso “fazer propaganda” ou não, mas como o projecto está um pouco relacionado com este artigo, aqui fica o link: http://www.smart-tv.ws/forum.php

    • Santos says:

      A Smart-TV nunca será uma plataforma aceite por jogadores hardcore, visto serem limitadas em hardware, acredito que seja apenas mais uma plataforma de jogos, como os Tablets, Smartphonesm PCs e consolas o são.
      As consolas terão de se adaptar a uma nova realidade, tendo em conta que uma consola como a PS3 necessita de 4 anos no mercado para ser rentável e outros 4 anos para ser lucrativa, estamos a ver um tempo de vida de pelo menos 8 anos até ao aparecimento de uma sucessora. Na minha opinião, 8 anos no mundo tecnológico é uma eternidade, o elo fraco das consolas será sempre o hardware, que se torna obsoleto demasiado rápido devido ao rápido desenvolvimento de novo hardware. Não se pode descurar o facto, que durante o tempo de vida de uma consola é necessário investir na próxima, num mundo onde as tecnológicas estão em contenção não me parece economicamente viável, o lançamento de consolas em tão curto prazo visto que a Sony ainda não anunciou o desenvolvimento da PS4 sequer, quanto mais o lançamento.
      A curto prazo, a industria dos videojogos passará certamente pela sectorização do mercado e à rentabilização dos equipamentos existente, focando-se no conteúdo e não no hardware.

  15. JP says:

    A wii está 12 anos atrasada. xD

    • Bruno M. says:

      Caro Jp, sem a Wii não havia nem move nem kinect…

      Depois deste Natal, vamos a ver o que os outros vão desinoval (copiar) da Wii U.

      Quanto a mim, a Nintendo «MAIS UMA VEZ» revolucionou o mundo dos videojogos.

      Dizer que está 12 anos atrasada é uma barbaridade.

    • MLeite says:

      E mesmo assim vende como àgua ! É a consola mais vendida.

  16. Marcos Santos says:

    Um update de hardware, estão outra vez as consolas no mercado e actualiadas.

  17. André says:

    Acho uma piada a estes neologismos de “consolas de gaming” e “developers”. No meu tempo (este mesmo) chamavam-se consoladas de jogos e criadores, respectivamente. Pplware, sou um seguidor assíduo do vosso trabalho e tenho uma enorme consideração por vocês. Só não gosto destas “azeitices” de importarmos palavras que têm tradução mais do que suficiente. Apoiemos o que o é nosso, começando logo pela nossa língua. Não me levem a mal este meio insulto, mas andava com isto atravessado xD

    • Pedro Pinto says:

      Boas André,

      Cada um tem direito à sua opinião e acredita que somos defensores daquilo que é português de Portugal…o projecto Pplware é um bom exemplo disso. Quanto aos “estrangeirismos”, o mundo da tecnologia é assim, vamo-nos habituando a alguns termos que encaixam bem nos textos….outros exemplos: devices, smartphones, tablets, site, link..Quanto ao teu comentário “atravessado”…bem de facto foi a primeira vez que comentaste no Pplware e foi logo para dar “porrada”…não havia necessidade 🙂

      • Santos says:

        É inevitável a “apropriação” de linguagem estrangeira no contexto das tecnologias.
        Quem trabalha na área sabe muito bem a fluidez que uma conversa leva se usarmos os termos “estrangeiros” e já para não falar dos acrónimos e siglas! Mas compreendo o ponto de vista do André 🙂

  18. bl1ndn3ss says:

    A quantidade de baboseiras escritas nestes comentários é incrível mas não é isso que interessa.

    Só tenho duas coisas a dizer ao autor deste artigo:
    1)O título que aparece no site da sapo é no mínimo atroz: “As consolas de gaming estão cinco anos atrasadas”. Gostava que me explicassem a relação entre este título e o corpo do artigo. Experimentem talvez: A evolução das consolas. Ou qualquer coisa do género.
    2)”Um exemplo relevante, é o da PS Vita, que permite continuar um jogo iniciado no conforto do nosso lar numa PS3 e continuar a jogá-lo nos transportes públicos através, por exemplo, de uma PS Vita.” Continuar um jogo e continuar um jogo??? Um exemplo relevante é o da PS Vita e por exemplo de uma PS Vita?? Agora num português que seja compreensível sff.
    Obg.

  19. Atan says:

    Na minha opinião, que é a mesma de muitos entendidos, as consolas estão atrasar os jogos!

    E é fácil de perceber porque, as principais companhias de jogos apostam sempre muito forte nas consolas, muitas vezes o pc so recebe, e mal, os ports de consola para pc.

    O que significa que quando estão a desenvolver um jogo tem de o fazer de forma a que a consola o aguente!

    Para mim é triste ver o mundo do pc ser tão avançado e potente a nível de calculo, etc, mas os jogos como tem que dar nas consolas também, tem que vir com pior gráficos ou mais limitados, já que se não, as consolas não os aguentavam.

    É triste, mas é a realidade.

    E claro, gamming, para mim, PC sem duvida nenhuma!!

  20. Snarf says:

    Existem vários problemas para essa ideia vingar:
    A ideia que a Sony seguiu de imaginar que os jogadores queriam era jogos com brutais gráficos e um suporte de bluray para as suas novas televisões HD, falhou muito fortemente nas 2 frentes.
    PS3 só 2 anos depois começou a conseguir vender razoalvemente. Mesmo assim ainda dá prejuízo em cada venda… e já lá vão 5 versões feitas.
    PSP afundou-se mais depressa que a game gear. Tudo porque achou que as pessoas “não eram crianças para jogar jogos estúpidos que a nintendo fazia”…
    Seguiram na mesma com a VITa… para começarem a corrigir e a vender muitos dos jogos “estúpidos” a imitar a “concorrente que só faz jogos para crianças até 10 anos”.
    A microsoft foi pelo mesmo caminho, no entanto, com a grande vantagem de conhecer o mercado americano, foi-se safando por lá.
    Da nintendo… basta dizer que por cada 3 consolas de mesa vendidas, 2 eram wii a 3 era uma disputa entre a ps3 e a 360.
    (no mercado das portáteis nem é preciso dizer nada… tal é o esmagamento que as consolas da nintendo atingem as rivais em todos os cantos do mundo)

    A nível dos smartphones, basta reparar que até 2011 tivemos uma subida brutal das vendas e das compras-utilização de aplicações… o problema está no íncio de 2012, onde já existe uma redução das vendas e uma queda, acima dos 36%, das vendas de aplicações.
    Depois temos a temática do cloud… há 5 anos que se fala nessa grandiosa mudança de sistemas e da forma de usar os terminais móveis.
    No entanto, 99% dos equipamentos smartphone não usam o cloud. 97% dos computadores não usam o cloud. E porquê?
    Porque usar o cloud obriga a um acesso permanente à internet. Coisa que, neste momento e nos próximos 10 a 20 anos, não existirá sem um pagamento avultado numa mensalidade e com possíveis quebras de acesso se não se estiver num grande centro urbano.
    O cloud acaba por ser uma ferramenta profissional usada por vários tipos de empresas para manterem os seus dados sempre acessíveis a partir de vários locais. A nível do utilizador, existe muito pouco interesse de o utilizar. Quer seja pela necessidade de acesso quer seja pelos preços a pagar.
    Um cartão de 16gb custa 10 euros. Para fazer o upload e download de 2gb num dispositivo móvel, fica por 30 euros mensais. Fora dos grandes centros é impossível de ter net móvel acima dos 4mb. (em muitos sítios até a 512kb só em determinados locais das aldeias)
    Até isso ser reformulado e existir um acesso “permanente” a baixo custo, a cloud não passa de publicidade sem qualquer interesse.

  21. Paulo Varela says:

    Lamento que muita gente aqui fale sem conhecimento de causa,apontando para um lado ou outro a sua assência de conhecimento … Eu sou um hardcore gamer viciado desde da ponta das unhas do pés até a extremidade dos cabelos e possúo um pc de gama alta e uma PS3 e tenho amigos que têm Xbox 360 onde também jogo e realidade é , que por mais hardware que se possa fazer para pc num curto espaço de tempo as consolas vão sempre conseguir acompanhar os pc’s para o tempo que são projectadas ; tempo esse que ronda a volta de uma dêcada e por vezes um pouco mais … Porquê ?!… Perguntam … Porque as consolas foram porjectadas tanto a nível de hardware como de software para tal … Existe uma integração hardware com software , tal qual como existe no mundo dos pc’s , com hardware apple com mac os x … O que faz com que a óptimização do hardware das consolas com o software seja uma combinação 100% fiável e quando aliado a combinação de um jogo construído com grafismo decente não se nota diferença no jogo quer o rodem em PC PS3 ou Xbox 360 por mais potente que seja o hardware do PC , desde que a consola esteja aliada a um jogo como falei e conectada a uma smart tv decente , acabam por ficar todos empatados ( PC PS3 e Xbox 360 ) , se duvidam exprimentem todas as plantaformas que referi e exprimentem muito mas , mesmo muito a sério e de verdade antes de virem falar isto ao aquilo sem conhecimento de causa … E quanto a jogabilidade a única diferença das consolas para o PC é que tens uma resposta imediata por exemplo numa volta de 360 graus em relação as consolas ou outros movimentos com o rato no pc caso estejam a jogar um jogo de guerra seja ele online ou não e isso faz toda a diferença do mundo entre viver ou morrer no jogo entre superar ou não uma etapa ou nível mais depressa e com menos dificuldade … Pois é amigo para se falar a que viver as coisas primeiro … Quer concordem ou não esta é a realidade … Agora o markting a volta dos produtos é que é bastante fêroz e muitas das vezes acaba por ser bem sucessedidos cegando as pessoas para a realidade e puxando a brasa a sua sardinha , pois todos eles precisam de comer e viver …

    • Santos says:

      Não concordo inteiramente com a sua opinião, por diversos motivos.
      A PS3 tem o RSX ‘Reality Synthesizer’, que é um processador gráfico desenvolvido pela Sony / Nvidia, baseado no chip NV47, ou seja, arquitectura GeForce 7800, DX9.0c, SM 3.0.
      Actualmente o PC conta com, por exemplo, GeForce GTX 690, DX11.1, SM5.
      O CPU da PS3 é o Cell, que consegue debitar 10,240 MIPS @3.2 GHz, um Intel Core i7 Extreme Edition 3960X consegue 177,730 MIPS @3.33 GHz, portanto como podes dizer que o hardware da PS3 acompanha o PC?

      Em termos de performance pura, e com isto digo, cálculos matemáticos, o PC é substancialmente superior à PS3, e apesar da PS3 não estar dependente de API’s como DirectX, está limitada no seu hardware, que como sabemos, ao contrario do PC não está sujeito a um possível upgrade.
      Compreendo que te possas referir à percepção que tens ao jogares um jogos na PS3 ou PC, mas tal comparação também é desfavorável na consola porque, por exemplo, Battlefield 3, MGS4 e Uncharted só permitem jogar a 720P @30fps, no entanto no PC, BF3 atinge com facilidade os 150fps com 4xAA.

  22. R@lf says:

    Penso que o caminho mais lógico das consolas seja, como já acontece, agregar nelas próprias funcionalidades que além de plataformas exclusivas para jogos, sejam também centros multimédia com possibilidade de navegação na internet.
    Cada vez mais as pessoas não querem perder tempo em processos “complicados” a que um PC obriga: ligar e esperar, às vezes minutos, para iniciar, actualizar o flash player do browser, instalar o jogo xpto, etc, já para não falar nas actualizações constantes de hardware e software, a que cada vez mais os jogos, e não só, para PC obrigam.
    Ou seja, cada vez mais se caminha para uma tecnologia tipo sopa instantânea, em que só é preciso acrescentar água, sem perder tempo.
    Assim, as consolas conseguem fazer isso mesmo: ligam-se, em segundos estão prontas a funcionar, com menus o mais simplificados possível, e em pouco tempo estamos prontos a jogar, navegar, ver um filme, etc, e não é preciso sermos um “rocket scientist” para meter aquilo a trabalhar 😀
    E se for preciso alguma actualização, aquilo avisa e só temos de autorizar (ou não), e o resto do processo é automático. Quanto aos jogos, temos sempre a certeza que vai correr na nossa consola, pois foi criado de propósito para ela.
    Os smartphones são uma guerra à parte, ninguém no seu perfeito juízo vai exigir a mesma qualidade e jogabilidade, que temos numa consola ou PC.
    Smartphones e tablets vingam nos chamados jogos casuais, aqueles que jogamos numa sala de espera, num transporte público, ou mesmo numa fila de trânsito. Jogos apenas com o objectivo de ajudar a passar o tempo sem ser de uma forma “secante”.
    Além disso, tablets e smartphones têm sucesso porque se carrega num botão e… voilá, pronto a navegar, jogar, trabalhar, em qualquer sítio, sem obrigar a mais nenhum tipo de ginástica.
    É só uma questão de tempo até as consolas trazerem de raíz sintonizadores de TDT e entradas para a nossa box de TV por cabo, para podermos programar e gravar os nosso programas favoritos.
    Enquanto isso, poderemos aceder a esse mesmo conteúdo nas nossas consolas portáteis, smartphones e tablets, sincronizados com as consolas caseiras.
    Podem dizer que isso já acontece com certos operadores de TV por cabo. Sim, claro, mas isso obriga, actualmente, à subscrição de um determinado pacote. Tendo uma consola a servir de media center com tecnologia server e a emitir em streaming para a internet ou para uma LAN caseira, já posso aderir ao operador que quiser e ao pacote que quiser, pois sei que através da consola tenho o meu conteúdo disponível em qualquer lado e quando quero.
    Resumindo:
    Acho que afinal que as pessoas querem PC’s camuflados de consola, ou seja, toda a capacidade de um PC sem a complicação do mesmo 😀

  23. Paulo Varela says:

    Santos você ou não leu com atenção ou não entendeu , então vou trocar isto por uma linguagem mais simples … As consolas quando são consebidas são projectadas para um tempo a volta dos 10 anos e a integração do hardware com o software ( sistema operativo ) é superior a integração do software com hardware para PC , enfim as consolas vêm optimizadas a nivel de hardware e de software apenas para a função de correr jogos enquanto o PC têm de abranger um leque muito mais vasto de requesitos o que faz com que este por mutio superior que seja em hardware acabe por empatar com as consolas para o tempo de vida que estas foram desenhadas para estar em alta no mercado … Quando as consolas chegam ao fim dessa vida útil os desenvolvedores dessas mesmas consolas lançam outras para o mercado para não ficarem para trás em relação aos PC’s … Lamento lhe informar mas , por agora as consolas que me refiro acompanham o pc mais recentes correr com de 30fps vais ter apenas mais fluidez a jogar e um ou outro detalhe que te é impercetivel ao olho humano no meio de tanta acção passada a uma velocidade alucinante daí eu me referir que o PC a PS3 e a Xbox 360 estão todos empatados … Daqui a mais 4 anos no máximo quando as motherboards estarem bem integradas com a tecnologia PCie 3.0 aí sim será uma realidade , estão consolas estarão ultrapassadas pelo PC , por agora não é essa a realidade mas , sim um empate claro … Falta mais integração na parte do PC por ora para tornar possivel a percecção ao olho humano de mais efeitos sombras brilhos e muitos outros detalhes de um jogo para poder superar as consolas , poder esse que só será desencadeado com o que me referi a pouco e com um melhoramento muito significativo no DirectX caso este não venha a morrer porque de certeza que microsoft não quer vir a perder para OpenGL que ao se consta é mutio superior ao Directx … Pensamento para ilucidar ” Enfim não basta ter um carro muito potente de estiver mal comandado , enfim desafinado … ” Se é que me faço entender …

    • Santos says:

      Sr. Paulo,

      1º Por não concordar consigo não significa que que não li com atenção ou não percebi o seu ponto de vista, apenas apresentei factos que contradizem os seus argumentos, factos estes que, só não vê quem não quer ou não sabe o que está a ver.
      Portanto, vou mostrar-lhe mais dados que o ajudarão a comparar:

      Nvidia 690GTX [1]
      Floating point —–> 5.6 TFLop/s
      Memory Bandwidth —> 384 GB/s
      Texture Fill Rate –> 234 (billion/sec)

      PS3 [2]
      Floating point —–> 1.80 TFLop/s
      Memory Bandwidth: –> 22.4 GB/s
      Texture Fill Rate –> 8 (billion/sec)
      Como pode observar, é computacionalmente impossível a PS3 acompanhar a 690GTX porque, como tinha dito anteriormente, o hardware a limita.

      2º A questão do software optimizado para o hardware é irrelevante porque, em ultima instância, quem faz o calculo é o CPU/GPU, e se a PS3 apenas debita 1.8 TFLops, o software não a fará debitar mais, a menos que faça overclock! 😉

      3º DirectX ou OpenGL é também irrelevante e nenhuma irá desaparecer em virtude da outra porque ambas são APIs que comunicam com o hardware, apenas de forma distinta, sendo que o OpenGL é multi-plataformas e por razoes histórias é mais orientado ao mercado profissional, e o DirectX é orientado à plataforma Windows. Actualmente a escolha do uso de uma ou de outra prende-se mais pela plataforma de desenvolvimento do jogo e portabilidade do que a performance. [3]

      4º Se para si jogar na PS3 o satisfaz, se acha que a qualidade visual de uma PS3 e um PC são iguais, mantenha-se na PS3, já viu as specs do Unreal Engine 4? Acha a PS3 capaz de produzir tais visuais?

      Não me vai convencer com argumentos do género: “pormenores imperceptíveis ao olho humano”, “150fps apenas é mais fluído”, “optimização a nível de hardware”, “OpenGL é muito superior ao DirectX”, “falta integração na parte do PC.” e “daqui a 4 anos o PC ultrapassa as consolas.”
      Não espero que concorde comigo, mas sem dados concretos que suportem as suas afimações , vejo-me obrigado a manter a minha opinião. 🙂

      • João Ramiro says:

        Santos não concordo com o seu segundo e quarto ponto, o CryEngine 2 em 2007, com o aparecimento do jogo Crysis (e do DirectX 10) no PC requeria hardware topo de gama, lembro me das pubs do jogo recomendarem o core quad extreme da Intel. O software não estava optimizado e a prova disso veio com Crysis Warhead que utilizava uma versão optimizada do CryEngine 2 que conseguia melhores resultados com o mesmo hardware.

        • Santos says:

          João, para isso é que existem Patche’s, que corrigem bugs no código do software, no entanto seja qual for o patch não te vai duplicar a frame-rate.

          • João Ramiro says:

            Exacto mas não estamos a falar de patches aqui, são jogos diferentes no mesmo motor de jogo. A optimização de software não é assim tão irrelevante. Um bom exemplo disso são também os smartphones/tablets hoje em dia mas isso já é um assunto mais que batido. 🙂

            Quanto ao UE4, não retirando o seu mérito e hype, não me surpreende muito quando comparado com o CryEngine 3, entre outros.

    • Bruno M. says:

      Uma Correcção Sr Paulo, as empresas que criam as consolas, não fazem uma nova apenas e só porque estas chegam a fim de vida útil mas sim porque a consorrência assim o exige! Mais, as consolas não competem com os PC’s mas sim com as consolas rivais!

      Outra situação é a criação de jogos. Quando um jogo é criado para uma consola tem obrigatóriamente que correr com fluidez nessa mesma consola, pois uma consola não é um PC e como tal não pode ser feito um upgrade de gráfica ou memórias. Já num PC, um jogo se for bem concebido, pode (ou não) correr num PC de relativamente baixa gama com as definições todas no minimo, e corre de certeza num PC de gama alta, com tudo no máximo. Mas isso e a própria qualidade dos jogos para PC irá depender do hardware actual + da qualidade gráfica que um criador quer que jogo tenha como também do seu motor de jogo e as suas limitações (ou não).

      Uma outra situação ainda é o Marketing. Uma empresa de jogos quer vender o máximo de jogos que consiga daí tirar a qualidade gráfica em detrimento das vendas que possa ter (Ex: um jogo feito para um PC de gama alta vende menos que um jogo que suporte PC’s de gamas baixas ou médias…) daí na maior parte dos jogos para PC’s talvez não se notar a qualidade de um jogo para a PS3.

      Nos jogos (como em qualquer outra situação comercial) o marketing é decisivo na criação e venda de um produto!

      De qualquer das maneiras, um PC terá sempre maior qualidade gráfica e de processamento que uma consola! E as consolas só serão trocadas por novas, quando a concorrencia o exige… (não contando com o facto de que o hardware especifico para as consolas estão em constante desenvolvimento e que todas as empresas esperas por especulações das rivais para poderem inovar ou copiar os produtos para a nova versão dos mesmos)!

  24. Paulo Varela says:

    Eu queria dizer 150fps em vez de 30fps …

  25. T. Castro says:

    Tens uma typo no artigo:

    Parágrafo 7: “Com o surgimento das Couds”, penso que querias colocar “Clouds”.

    Cumps

  26. João Ramiro says:

    O problema nos videojogos chegou nesta geração. DLC? Pagar para jogar online? Online pass? o multiplayer online passou a ser prioridade e já não é muito fácil encontrar um bom jogo com uma campanha que dure mais de 15 horas (em média). Ultimamente tenho jogado Skyrim mas estão a chegar DLC’s e a própria Bethesda planeia “The Elder Scrolls Online”.

    • Bruno M. says:

      Compra o Guild wars 2 e não tens que te preocupar com DLC’s e pagamentos mensais…. Compras o jogo e jogas online sem pagares mais por isso.

  27. Josh says:

    Peguei um errinho ai > “Com o surgimento das Couds,”

    Clouds sao bombas esperando para explodir..

    Console para mim eh console… soh para jogar….quanto mais coisas enfiam ali menos vontade tenho de compra-las. mas essa eh apenas a minha opniao ! Se eu quizer um caixinha com todas essas coisas, uso o meu desktop.. nao o console !

  28. Nuno says:

    ‘desaparecimento da nossa “querida” caixinha à qual chama-mos consola. Jogar os nossos jogos favoritos, aceder á ‘

    chamamos
    aceder à

    Umas correcções 😉

  29. Santos says:

    Joao, é verdade que existe optimização, lembro-me quando tinha o AMD K6-2 @233Mhz, que a Id Software lançou um patch para o Quake 2 que permitia utilizar uma extensão do CPU chamada de 3DNow! e de facto havia um melhoramento de cerca de 80% [1], mas repara, isto foi em 1999. Actualmente, estes patches são muito pouco expressivos, basta veres o change log de um driver da Nvidia [2], na média rondam os 10%, como tal, e nesta comparação em concreto eu considero irrelevante.

    Eu mencionei o UE4 porque o Cry Engine 3 já foi adaptado à PS3 e não se confirma ainda o suporte de UE4 na PS3. Será, a meu ver, um motor de jogo para a 8ª geração de consolas, aquela que já tarda. [3] 😉

    [1] http://www.xbitlabs.com/articles/cpu/display/winchip-2.html
    [2] http://www.nvidia.com/object/win7-winvista-64bit-301.42-whql-driver.html
    [3] http://www.gamesradar.com/unreal-engine-4-preview-epic-games-sheds-light-future-graphics/

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.