PplWare Mobile

Conheça alguns conceitos da Criptografia


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Eskiso says:

    Uma maneira fácil é pegar numa imagem e colocar um ficheiro .rar ou .zip dentro com os ficheiros que se pretende que fiquem escondidos usando a linha de comandos =)
    Basta colocar os ficheiros “sensíveis” dentro de um ficheiro .rar depois arranjar uma imagem, coloca-los na mesma pasta e da linha de comandos fazer:
    copy /b imagem.png + ficheiro.rar resultado.png
    Isto cria uma imagem normal que se abrirem com o winrar vê-se os ficheiros, senao abre a imagem normal =)

    • Emanuel Lopes says:

      isso já é mais velho que a pedra, isso tem um nome próprio mas eu já não me lembro.

    • Victor Abreu says:

      Existe algo vagamente similar para telemóveis Nokia com Java e capacidade para criar pastas (de Series 40 para cima – ou seja, compatível com quase todos os Nokias atuais) e que consiste em:

      – Criar uma pasta Teste.jad (o nome não importa, mas a terminação tem de ser .jad)
      – Colocar o conteúdo que se pretende esconder nessa pasta
      – Criar uma pasta Teste.jar (o nome tem de ser igual ao da 1ª pasta, apenas com a terminação diferente. Por exemplo, se o nome da 1ª pasta tiver sido Pplware.jad, o nome da segunda terá de ser Pplware.jar. A localização terá, também, de ser a mesma)
      – A 1ª pasta (.jad) será escondida, ficando apenas à vista a 2ª pasta (.jar)

      Para a 1ª pasta tornar-se visível (quando se pretende efetuar alterações ao seu conteúdo) basta retirar o sufixo .jar da 2ª pasta. E para voltar a escondê-la, basta voltar a acrescentar o mesmo sufixo à mesma pasta.

      Não creio, no entanto, que se encaixe – pelo menos completamente – na categoria da encriptação/criptografia. Acho, também, que já é um método algo antigo.

      • Diogo R. says:

        quem usa o x-plore como eu, nao muda nada…até por bt browser consegues ver as cenas 🙂

        • Victor Abreu says:

          Verdade, mas muitas das pessoas que têm um Nokia não se irão dar ao trabalho de instalar um explorador de ficheiros ao ver que já possuem o nativo, que é mais do que suficiente.

          Com outro file browser a história é outra, porque os ficheiros JAD servem apenas de complemento para conteúdo JAR (nomeadamente jogos e aplicações Java), logo, o explorer nativo “junta” os dois ficheiros numa única entrada visível, para instalar o que se quer de forma mais segura, rápida e simples. É o único que faz isso.

          Daí o processo que descrevi ser inútil com apps externas: ao colocarmos as terminações .jar e .jad, estamos, de certa forma, a “enganar” apenas o gestor de ficheiros nativo, fazendo crer que essas pastas são aplicações.

  2. Miguel says:

    Artigo interessante, mas o conceito de “Estegnografia” está incorrecto. O objetivo da estegnografia é obter anonimato, enquanto que o principal objetivo da cifragem é obter confidencialidade.

    Estegnografia pode ser definido como a arte de esconder mensagens (http://en.wikipedia.org/wiki/Steganography) usando um canal dessimulado. Por exemplo, esconter texto dentro de ficheiros de imagens, som, video, etc.

    O “steghide” (http://steghide.sourceforge.net/) é um exemplo de uma aplicação que permite esconder texto dentro de uma imagem. Esta aplicação também permite escolher o algoritmo de cifra a ser usado antes de esconder o texto e se quisermos também é possível fazê-lo sem cifrar através da opção “-e none”.

  3. José Sousa says:

    Só uma correcção:
    Esteganografia não é criptografia!
    Na esteganografia o texto não sofre alterações (i.e.: não é cifrado) é apenas escondido da vista.
    O objectivo da criptografia não é esconder o texto mas sim torna-lo initeligível (para quem não tem a chave) mesmo sendo este texto público.

    Bom trabalho.

    • Deus says:

      Sim é verdade que não faz parte das técnicas de criptografia moderna pois não é utilizado nenhuma chave. Daí ser referido que é uma técnica da criptografia obscura onde o segredo da mensagem depende da técnica utilizada.
      Mas isso do texto não ser alterado nem sempre é verdade uma técnica utilizada na Esteganografia é a alteração do ultimo bit de cada hexa para esconder mensagens nas cores. nesse modo não é o texto original 😉

  4. Mário Cardoso says:

    Aguardo ancioso pelo próximo artigo! Parabéns ao autor Roberto Sousa!

  5. Deus says:

    obrigado 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.