PplWare Mobile

Como proteger o nosso dinheiro online


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. B80 says:

    Um artigo tão extenso e não falaram de um dos melhores e mais seguros sistemas de pagamentos de compras pela net ( e que por acaso até é nacional) o Mbnet.
    Sim eu sei que o artigo é uma “publireportagem” mas já agora podiam ter mencionado o sistema.

    • JS says:

      Boa tarde B80 se fosses utilizador assiduo desta pagina verias que ja se falou disso e pesquisavas,encontravas varias dicas deixo-te esta:

      https://pplware.sapo.pt/tutoriais/paypal-carregar-a-conta-a-partir-do-mbnet-parte2/

      • Pedro Pinto says:

        eh eh eh. B80 respeitando a tua opinião, eu considero que este tipo de dicas são sempre importantes para quem tem menos conhecimentos ou que, por vezes, não pensa em determinadas situações.

        • B80 says:

          @Pedro Pinto – Estou completamente de acordo. Toda esta informação é necessária para pelo menos “abrir os olhos” a quem não está acostumado.
          O meu comentário foi só na base de que poderiam complementado um pouco o artigo acrescentando uma referência sobre mbnet. (por exemplo o link que o js colocou)
          Mas que continuem a vir mais artigos deste género pois bem falta fazem a bastante gente. 🙂

        • Márcio says:

          @Pedro_Pinto, outro meio de pagamento e totalmente livre é o Cryptoescudo, a cryptomoeda portuguesa. penso que ainda não falaram dela no site 🙂

    • Rui Castro says:

      Acordo, é uma vergonha não falar da principal segurança, mbnet

      • FNP.PT says:

        Concordo também. E com cartão virtual, com a importância (€) e validade que queremos.
        Mas, nem tudo lembra e pplware continua 5*s

        • Rui Castro says:

          Desculpa não é a culpa do PPLWARE mas sim do tipo da Kaspersky.

          Ou sera que não existe um sistema tipo o do Mbnet lá fora, poderá não haver. Poderá ser uma invenção portuguesa como tantas outras.

          Já agora, ouvi uma vez num podcast de segurança “Security Now”, neste momento a forma mais segura conhecida, é fazer download de um Distro que bate correctamento com o seu hash de download, gravar num CD não regravavel. Assim sim, vai ter um sistema seguro sem phishing ou malware e que não pode ser alterado…. ate alhuem arranjar uma maneira de alterar as BIOS LOL

          Uma vez uma colega apanhou um malware qualquer que alterava o site do Banco no IE e no Firefox. Só mesmo com o arrancar de um Linux em CD é que vimos que realmente ela tinha razão que o site não era o mesmo pq foi alertada pelo Banco.

          Tinha um trojan no arranca da maquina que alterava os sites bancários. Que medo.

  2. okapi says:

    A meu ver as empresas Bancárias e outras de pagamentos é que se devem preocupar em salvaguardar o cliente e nesse aspeto estou super bem servido, qualquer acesso à minha conta ou pagamento estou protegido com uma password única gerada no momento por uma calculadora ou pagamentos online pelo metodo Verified 3D Secure.

  3. Não existe nenhum método seguro para transações online nem adianta ter antivirus X ou antispyware Y. Basta o problema ser “server-sided” que dá logo asneira.

  4. Benchmark do iPhone 5 says:

    Penso que os bancos e a Unicre não querem os cartões de crédito “clássicos” metidos em transações na internet, com o estrangeiro, quando não sejam entidades (re)conhecidas. Comigo não efectuaram um pagamento, de menos de €20 e suspenderam o cartão até confirmarem (telefonaram-me) que tinha sido eu a fazer o pagamento.

    Também têm medo que os dados dos cartões de crédito caiam nas mãos erradas. Para não caírem acho que os pagamentos devem ser feitos pelo PayPal (a quem pagamos não fica com informação nenhuma), ou usando um cartão de crédito virtual iMBnet criado naocasião (ou um cartão de crédito virtual “net”, com um plafond baixo, associado a um cartão “clássico”).

  5. hj says:

    “os seus dados serão transmitidos de forma encriptada” A palavra “cifrada” é mais correcta que “encriptada”. Não utilizem inglesismos quando há uma palavra portuguesa

  6. Bovidino says:

    “Olhe para a barra de endereços e veja se aparece lá um pequeno cadeado e o protocolo “HTTPS”: se assim for, os seus dados serão transmitidos de forma encriptada.”

    Não tão simples. Há trojans que apresentam um cadeado de segurança e o protocolo ‘https’. É necessário clicar no cadeado e verificar se a identidade é comprovada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.