PplWare Mobile

Vamos começar a programar em Python? (Parte I)


Autor: Pedro Pinto


  1. João says:

    Boa tarde!

    Penso que é uma excelente iniciativa ensinar esta linguagem que é tão simples de aprender e tão poderosa para fazer pequenos scripts… Com um pouco mais de conhecimento, passar para uma framework como o Django para desenvolvimento web é muito fácil…

    Como reparo, gostava apenas de dizer:
    – Penso que era ideal apresentarem o python 2.7 ou 3 em vez de estarem a programar no 2.4
    – Utilizarem exemplos onde mostrem toda a simplicidade do python. Isto é:
    print “Hello World!”;
    não precisa do “;” A linguagem python tenta ser o menos verbosa possível sem parenteses, chavetas e pontos e virgulas 😉

  2. diogoj95 says:

    Acho uma ideia excelente!
    Ainda há poucos dias pensei em aprender sozinho, mas ao contrário do que acontece com muitas outras linguagens de programação, tais como C, C++, VB, etc., achei que as “aulas” de Python que se encontra na internet são um pouco confusas. Creio que vou agora descobir se por estas terem sido pensadas de forma confusa ou se é a própria linguagem que é confusa. 😛

  3. Tomé Soares says:

    É sem dúvida o começo. É a linguagem “universal” de programação simples que dá para quase tudo. Fico a aguardar pelas próximas partes.

  4. naoliveira says:

    Parece que é desta que vou pegar no python… 🙂

  5. Joaquim Pinheiro says:

    Estou desejoso de ver os próximos artigos.

    É desta que vou conhecer o Python 🙂

  6. someone says:

    Boas, acho que em vez da v2.4, a v2.7 ou ainda melhor a v3 seria o melhor para quem vai agora iniciar-se nestas aventuras.

    Eu não gosto muito desta coisa de linguagens interpretadas, mas a verdade é que vou tendo que ceder…

    O Python é um desses casos, hoje em dia tudo e mais alguma coisa usa python, não sou nenhum expert mas como o python é muito acessível dá pro gasto 😉

    • Tiago Dias says:

      Penso que actualmente a versão 3 ainda não é suficientemente concensual (posso estar enganado). Existem algumas bibliotecas que não suportam v3.x, sendo o OpenCV uma delas.

      • someone says:

        Concordo a 100%, por isso disse:
        “a v2.7 ou ainda melhor a v3 seria o melhor para quem vai agora iniciar-se nestas aventuras.”

        Para quem vai aprender por exemplo até será bom preparar logo para a v3.

        Para quem está muito activo e usa muitas libs, então a v2.7 é a recomendada.

        Na verdade actualmente a coisa já não é tão grave como foi, tanto para quem usar v2.7 ou a v3.

        Muitas novidades da V3 também acabaram por ser portadas para a v2.7 😉

  7. Paulo Jorge says:

    É sempre uma excelente iniciativa partilhar conhecimentos com a comunidade por isso força! Neste caso Python é uma linguagem pela qual tenho muito carinho, pois trabalho com ela quase diariamente principalmente voltado para a web, com a framework Web2py (<3) – Cherrypy e Django também gosto mas não uso tanto – e também criação de apps desktop e videojogos indie no tempo livre (biblioteca Pyglet <3, também estou-me a aventurar e a gostar do engine Pando 3D). Esta linguagem é um canivete suíço que dá quase para tudo (desde motores de busca do google, software da nasa até MMORPGs já vi de tudo a ser feito com ela) por isso para os curiosos não é tempo deitado fora.

    Um excelente ponto de aprendizagem de Python (e não só) e o projeto Udacity (resumo do projeto: universidade gratuita e aberta a todo o mundo), onde têm gratuitamente uma curso de introdução à Ciência da Computação todo em Python, ensinando a linguagem passo a passo através de exemplos práticos (neste caso criação de um motor de busca para páginas da net). Os tutores dos vídeos são um Prof. da Univ. da Virgínia e em alguns vídeos o criador do google car, por isso estão bem servidos 🙂 Foi lá que aprendi Python para um projeto do mestrado e safou-me.

  8. Jesus says:

    @PedroPinto para programar no iPad dá jeito uma app destas http://omz-software.com/pythonista/ ainda mais que agora está com desconto.
    Cumps.

    • Pedro Pinto says:

      Excelente..é por isso que eu amo o Pplware…a nossa comunidade é fantástica!

    • Tiago Dias says:

      Já tinha estudado um pouco essa app mas não cheguei a comprar. Penso que uma grande limitação são as bibliotecas. Com o Pythonista está-se confinado às bibliotecas que vêm com a instalação. Um dos trunfos do python é a versalidade de bibliotecas que se encontram para tudo e mais alguma coisa.
      Para aprender, brincar e fazer umas apps para correr no iOS, é uma boa solução.

  9. Miguel says:

    O Python é um óptimo exemplo de “fazer muito, escrevendo pouco código”, principalmente se a performance for pouco relevante para a tarefa em causa. Exemplo: lidar com ficheiros csv.
    Sou apenas um iniciado, mas sei que há uma diferença enorme entre aqueles que escrevem programas que simplesmente funcionam e pessoas avançadas que escrevem código de qualidade e com boa performance em python.

    • Tiago Dias says:

      Só um aparte @Miguel, apesar do python ser uma linguagem interpretada é possível ober resultados em termos de performance muito, mas muito satisfatórios. Inclusivamente, há uns meses li um artigo sobre uma comparação entre python e C em que, no desempenho de uma determinada tarefa (não me lembro agora qual) o python levou a melhor.
      Python foi escrito em C e portanto, para quem conhecer a sua implementação e tiver noção dos processos que ocorrem na máquina durante a execução do código, e tiver necessidade de implementar em pouco tempo uma solução, Python é uma excelente escolha.

      • Fantasia says:

        OK, então bota-lhe assembly! 🙂

        • Miguel Goyanes says:

          Por acaso gostei bastante do que aprendi de Assembly

          • Fantasia says:

            Então agora aplica e faz um joguito em assembly, ou uma coisa que não seja percorrer vectores e fazer ums cálculos… 😉
            É interessante conhecer, mas programar é chato como tudo!

      • Miguel says:

        Tiago, o Python levar a melhor sobre o C acho muito dificil. Como tu próprio disseste, os interpretadores são implementados em C.

        De qualquer modo, eu não quis dizer que não se consegue boa performance em Python. O Youtube funciona com base em Python. Como disse no fim, o pretendi transmitir é que, na minha perspectiva, desenvolver código com boa performance em Python é bastante mais dificil do que noutras linguagens mas é possível. Os iniciados como eu até fazem código que funcionam mas possivelmente com performances muito abaixo do que seria possível.

  10. Francisco says:

    Estou a fazer o meu projecto de final de curso em python, realmente nunca vi linguagem tão simples e elegante como esta.
    A separação de blocos com simples identações, fim de instrução sem ponto e virgula.
    Só tem o problema que também é um beneficio ao mesmo tempo.
    Tipagem dinâmica, faz com que não seja fácil o IDE saber quais os atributos ou métodos para fazer o autocomplete, por outro lado não obriga a declarar. Também gosto muito de java mas é muito mais verboso comparado com python.

  11. Manuel says:

    É agora que vou aprender a programar!

    Prometo seguir atentamente os tutoriais aqui colocados.

    Abraço,
    Manuel

  12. Tiago Dias says:

    Não querendo roubar o protagonismo à iniciativa, um local bom para aprender as bases de forma rápida é no tutorialspoint. Aliás, neste site pode-se encontrar material didático das mais diversas linguagens e para os mais diversos níveis de dificuldade.
    Para o tutorial de python segue o link:
    http://www.tutorialspoint.com/python/

  13. simao lemos says:

    a meu ver a melhor maneira era ensinar python juntamente com html, nao somente python

    assim o pessoal conhecia outras formas de programar sem ser o asp e o php que sao os mais habituais

  14. Nuno says:

    É uma boa iniciativa como apresentação e introdução à linguagem Python, a linguagem é bastante acessível e poderosa!

    Fica aqui este recurso para quem estiver interessado em algo mais avançado: https://www.edx.org/course/mit/6-00x/introduction-computer-science/586 … falta dizer que este curso foi criado pelo MIT e no final se houver aproveitamento é nos atribuido um certificado.

  15. Hugo Matos Rodrigues says:

    Excelente ideia 😉 já andava à tempos para retomar ao python e acho que vai ser muito bom para todos que querem aprender uma nova LP.

  16. Denis Encarnação says:

    Uma boa linguagem de programação.
    É tão intuitivo que não é necessário preocuparmos com o python mas sim no problema que deparamos.

  17. Renato Sousa says:

    Bem eu comecei a aprender a programar em Python para usar no meu hobby, animação 3D, no Blender.
    Comecei por aqui: http://www.codeacademy.com/ e depois fiz este curso no coursera:
    https://www.coursera.org/course/interactivepython

    já terminou o curso que começou em Abril mas vai haver nova série em Outubro. Aconselho vivamente estes dois sites para quem quer começar no Python. Começam pelas bases e termina-se em coisas já avançadas.

    Entretanto esta semana descobri que um dos softwares que vou usar profissionalmente, para criação de malhas computacionais para simulação, dá para fazer scripts em Python… ouro sobre azul para parametrizar as tarefas chatas e repetitivas.

  18. Carlos says:

    Para os utilizadores do OSX basta irem ao Terminal e escreverem python e ele abre-se

    Cumps,
    Carlos

  19. Ricardo says:

    Grande ideia 😉
    Parabéns;)
    MAs já agora esta programação dá para programar o raspberry e usar sensores led´s etc?

    Cumps

  20. Danilo Araujo Luiz says:

    Sou brasileiro e acho o Peopleware um dos melhores sites de tecnologia. Gosto muito das iniciativas de colunas de tutoriais. Tem a série Raspberry Pi que é muito boa, tem a série Android que me foi muito útil também, tem diversas séries de tutoriais que ajudam bastante quem se interessa pelo assunto. Gosto também da imparcialidade de vocês que falam de Linux, Mac e Windows sem priorizar nenhum. Vocês podiam lançar um podcast, seria uma boa. Grande abraço equipe do PeopleWare!

  21. RJ45 says:

    Excelente ideia. Python é uma linguagem de programação muito fácil de aprender e com uma ampla gama de bibliotecas. Para quem desejar, ao mesmo tempo, entrar no mundo 3D sugiro vpyhton “www.vpython.org” uma biblioteca extraordinária.

  22. Bruno Moreira says:

    Excelente ideia. Eu comecei a aprender esta linguagem sozinho, só com a ajudar de tutoriais na Internet e estou a achar fácil. 🙂 Já faço uns programinhas simples mas que me dão jeito para o meu trabalho 🙂

    Abraço e continuação de bom trabalho

  23. Daniel says:

    e uma excelente ideia ate porque vai ajudar muitos dos utilizadores que usam o raspberry pi como eu
    como novo utilizador nao e nada facil começar a interagir neste mundo
    cumprimentos

  24. honey says:

    eu vejo muitos problemas de segurança numa linguagem assim

    • Paulo Jorge says:

      Qualquer linguagem de programação com as entranhas abertas na web é perigosa, mas isso é igual para todas, o PHP que é tão usado é igual, se for mal polido pode deitar abaixo um servidor inteiro, para tudo é preciso tomar precauções e cuidado, começando por filtrar os dados que entram de código e tags maliciosas, se houver esse cuidado nada de mal pode acontecer. A framework web2py fá-lo bem por exemplo, e tem sido adotada por entidades institucionais pela sua segurança: http://www.web2py.com/book/default/chapter/01#Security
      Este projeto dedica-se melhorar a segunrança das apps python por exemplo http://www.pythonsecurity.org/

      Um exemplo interessante: O reddit tem mais visitas e visibilidade do que muitos de nós comuns mortais das internets sonharemos ter, e deve sofrer muitos ataques, mas é todo ele construído em Python (inicialmente framework web.py e recentemente Pylos penso eu) :p https://blog.brainsik.net/2009/why-reddit-uses-python

      Se eles não se queixam da segurança do Python é bom sinal…

      Aliás li algures o criador dizer que a transparência da linguagem ajuda a evitar bugs dos pesados e a polir a segurança, mas isso é um extra secundário.

      Resumo: o que quero dizer é que o assunto da segurança está mais nas mãos do programador do que na linguagem de programação, a questão é igual a qualquer outra linguagem, há sites com segurança de caca feitos em PHP tal como há outros com segurança de aço feitos na mesma linguagem.

  25. Nosferatu Arucard says:

    Alguns tablets Android (como o meu ASUS Infinity) trazem um interpretador Python por causa de algu software da marca usar esta linguagem de programaçao, no entanto se instalar o Terminal Emulator tenho acesso ao Python. Depois o uso e´ muito similar ao Linux no modo de Linha de Comandos.
    Agora para quem queira usar bibliotecas do Python em Android, o melhor e´ usar aplicaçoes como o QPython que incluem modulos adicionais.

  26. Pedro Miranda says:

    Para quando um tutorial de ruby? Isso é que era giro 😀

  27. PedroCerqueira says:

    Boas, Só vi hoje este tópico e comecei a fazer o tutorial. Porquê não?! 🙂 Bom trabalho Pplware!

    Btw, no Windows não reconhecia o comando python muito provavelmente porque não estava instalado. Instalei a versão 3.3.2 e no print dava erro de sintaxe! Resolve-se metendo entre parêntesis 🙂

    print(“Hello World!”)

    Boa rubrica!

  28. Bruno Martins says:

    Ótima iniciativa e vou ler todas as “partes”. Só uma dica para iniciativas futuras, comecem por explicar como instalar o Python.

  29. artur says:

    Qual o compilador a usar?

  30. Deolinda das Dores says:

    Pyton é linguagem de panisgas!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.