PplWare Mobile

Jet Ventoinha USB portátil da Prozis: Para quando está calor


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. eu mesmo says:

    viva! viva! viva as promoções ridículas! viva a manteiga de amendoim! viva!

  2. ZarkBit says:

    Ainda me record quando o pplware falava bastante de PC’s e tecnologias…

    Mais alguém se recorda desses tempos?

    • Filipe F. says:

      Agora que falas, realmente a Pplware é basicamente carros, telemóveis, Prozis, e ambiente. É raro realmente ver aqui notícias de componentes de PC, de portáteis novos, de gráficas novas e com testes, de processadores mas com testes porque ainda fazem algumas notícias disso pelo menos, testes a tablets etc. Realmente o que deu origem quase a PplWare em conteudo agora
      mal se fala.
      Era interessante voltarem a apostar mais na notícia teórica e prática de hardware diversificado para além de telemóveis

      • Filipe says:

        A questão é que esses artigos não dão dinheiro, a não ser que as marcas patrocinem e possam emprestar os produtos para esses respetivos testes serem feitos. Os artigos da Prozis são patrocinados.

        Pronto. Tens a explicação porque quase todos os dias há um artigo desses. Resta ignorá-los e não os abrir e passar ao artigo a seguir.

        • Vítor M. says:

          Filipe, sabes que por vezes acho que as pessoas não percebem a Internet. Todos os artigos dão dinheiro, todos. Uns mais, outros menos e o conjunto do trabalho angaria uma quantia de dinheiro que é usado para pagar a quem trabalha. Tu, pelo que falas, trabalhas gratuitamente, ofereces o teu tempo e empenho gratuitamente. São opções, pode ser por carolice, porque não tem qualidade necessária que levem a pagar pelo teu trabalho, por altruísmo… são as tuas opções. Aqui não temos essa generosidade.

          Estes da Prozis, são vistos por ti e por muitos que dizem que não gostam e são vistos por muitos que gostam. Portanto, resulta, a Prozis tem tecnologia e muito mais que serve a um vasto leque de pessoas. Mas, como te disse, todos os artigos geram receita.

    • Vítor M. says:

      Nunca falou mais do que agora. Sempre o core foi mais software, mais serviços, é mais usabilidade. Atualmente o mundo evoluiu, vocês é que não deram conta. Hoje qualquer um dos dois passa mais tempo agarrado ao smartphone do que ao computador. Por outro lado, hoje falamos muito mais em tecnologias do que no passado.

      Atualmente as pessoas que estão atentas, as pessoas modernas, gravitam em volta da usabilidade dos sistema operativos, as ferramentas transformadas em aplicações. É o seu chat, o seu email, a sua rede social, a navegação na web, é a fotografia e o gaming casual. Temos os melhores conteúdos.

      Linux ainda é um segmento que vem do passado com um bom número de utilizadores, nesse sentido dedicamos muitos guias, atualizações de distros e novidades deste mundo, sobretudo deixamos muitas ferramentas. Poucos o fazem como nós.

      No âmbito dos gadgets, hoje fazemos análises a muito mais do que se fazia no passado. Muitos smartphones, câmaras, auscultadores, ratos, robôs aspiradores, carros híbridos e elétricos, drone, trotinetas elétricas, smartwatches, fitbands, portáteis, armazenamento SSD, box tv, smarttvs, colunas de som, NAS, routers, APs, power lines, mesa de vídeo, e muito… muito mais. Ninguém faz isto com esta variedade.

      A par disto, desenvolvemos software, o Pipplware para Raspberry Pi. Desenvolvemos informação relativa, guias e até serviços dedicados.

      Ainda assim, conseguimos falar do espaço e das tecnologias incrementadas, porque cada vez o mundo tem mais interesse no espaço, não sei se deram conta?

      Ciência é outro tema fantástico, porque as novas tecnologias, a inteligência artificial e a realidade aumentada mudaram a forma como hoje a ciência evolui. Estamos atentos e já vimos que as pessoas adoram o tema.

      Motores e energia elétrica, não há dúvidas que hoje é tema atual. Carros elétricos que estão a mudar o paradigma da nossa vida, produção de energia solar que vai transformar a sociedade… só faz sentido falarmos nisto.

      Criptomoeda, aqui voltamos a ter conteúdos únicos e dos mais completos. Uma panóplia de sub-temas, guias práticos, truques e dicas é muito informação para informar e alertar as pessoas. É tema atual, só faz sentido não entender para explicar.

      Segurança é outro tópico que temos centenas de artigos muito bem desenvolvidos e que são a.eryas para as pessoas incautas. Muito conteúdo especializado quer dirigido ao consumidor final, mas também a quem gere estruturas.

      O meio ambiente, tendo em conta as políticas de adaptação tecnológica, dado todo este enquadramento informático na vida das pessoas, faz sentido alertar sobre como está o planeta, no que toca ao ambiente.

      Serviços dedicados ao dia a dia, o cartão de cidadão, chave digital, portal das finanças, é tanto que temos disponível para nos servir, tem de ser analisado, exposto é informado. Ninguém faz como nós. Porque os visitantes assim obrigam.

      Depois há tudo o que gravita em torno do software e hardware, uma espécie de peopleware info.

      Portanto, tempos antigos já passaram. Quem não consegue ver isto é diz o que diz o Filipe, por exemplo, está ultrapassado.

      Abraço a ambos.

      • Filipe F. says:

        Olá Vítor. Da minha parte nada contra o que se fala, mas como disse há assuntos que ainda são moda e para vocês morreram.
        Dando o exemplo, os artigos de Raspberry isso é algo praticamente morto que vocês dedicam tempo, tal como 1001 distribuições Linux com artigos e artigos que apesar de ser usado é por uma minoria. E agora pergunto-te: para o leitor importa mais artigos de Linux ou Raspberry que praticamente ninguém quer saber, ou hardware como gráficas, cpu, e até no campo dos periféricos os monitores, impressoras etc ou até televisoes? São coisas que toda a gente tem hoje em dia e usa e bem mais difíceis de escolher que um telemóvel e onde a partilha de informação tem uma grande mais valia.
        Claro que tudo o resto que falam também interessa, a uns mais que outros mas sim, principalmente telemóveis e como disseste e bem, serviços.
        Mas existe mais para além disso que ainda faz parte e fará parte da vida de praticamente todos os vossos leitores e que acho que podiam continuar a investir por vezes nisso.

        • Vítor M. says:

          Boas. Lá está, estás errado e estranho dizeres isso. Tens de ser justo. 😀 Vá lá.

          Repara, como sempre, temos a maior consideração pelas boas opiniões que as pessoas deixam mas não posso deixar de te dizer que tu não fazes ideia do mercado Raspberry. Não tens ideia de quanto este tema tem um eco grande no mundo académico. Temos ainda milhares de visualizações mensais em artigos com 3 e 4 anos sobre o tema. Como tal, temos de falar disso.

          Depois, dado que o mercado do Pplware é global, com 55% do tráfego fora de Portugal, as comunidades Linux são enormes e os resultados são muito bons em termos de retorno de proveito dos artigos. Por isso há muitos e cada vez mais. Sabes que as estáticas não enganam e temos isso ao segundo.

          Depois, gráficas e CPUs é cada vez menos um mercado cativante (embora que não o temos esquecido). Porque 90% das pessoas faz a sua vida online dos dispositivos móveis. Mesmo assim, temos algum material dedicado a essa área, mas é um nicho face a outros conteúdos. Além disso, não é um mercado assim tão dinâmico, porque já foi tempo das pessoas decidirem o seu computador pela gráfica. Hoje é cada vez algo menos importante, até pela fantástica qualidade do software e da programação envolvida. Além disso, os portáteis hoje ganham terreno aos desktops e ninguém se chateia com essa escolha dentro de máquinas compostas.

          Impressoras? Há algum mercado, mas não é nada de extraordinário em termos de interesse (mais até ao nível empresarial). É algo que já perdeu força, dado que hoje as pessoas imprimem menos e uma impressora hoje dura mais de 10 anos. Logo, o que tem evoluído nesse campo está ligado aos serviços e software, como a gestão documental e cloud. O resto, hoje não tem grande impacto. Mesmo assim, temos alguma coisa e boa.

          Ecrãs, sim, aqui é algo que ainda existe um bom mercado. Temos pouco material, mas o que temos é bom. Contudo, para falar de certos equipamentos, tens de ter um grande investimento em equipamentos para poderes estudar, analisar e depois conseguires desenvolver bom conteúdo. Se quiséssemos escrever sobre ecrãs (como grande parte do mercado atual) sem o testar, sem o conhecer mesmo, isso era fácil, o que mais temos são press releases de todas as marcas a cair no mail, mas isso não é informar, isso é desinformar. Não contem connosco. Gostamos de usar, testar e comparar. Quando há hipótese, fazemos… e em breve vamos ter coisas boas 😉

          Tvs… é outro mercado que não podes dedicar pouco tempo, tens de ter pessoas e equipamentos que possam desenvolver informação nova, mais do que as características, mais que o consumo de energia, ou a resolução. Tens ir mais além (para o consumidor esporádico, um nicho), para isso em Portugal tem de haver mais suporte das marcas. Achas que consegues analisar um equipamento quando te dispensam durante 3 ou 4 dias? Ou mesmo uma semana, achas que se consegue fazer um trabalho com qualidade? Nunca. Por vezes, tens de fazer escolhas.

          Sabes que falar é fácil 😉 mas eu percebo-te. Nós que andamos aqui há mais de 15 anos sabemos que para manter os nossos visitantes perto, não podemos dar coisa pouca. Caso contrário, eles vão embora. São muitos anos sempre a dar mais, a exigir mais do mercado e das nossas capacidades. Já reparaste que nos últimos 15 anos não houve nenhum outro projeto que conseguisse dar tanto como o Pplware? De certeza, em abono da verdade, tu sabes que não é fácil.

          Abraço. Bom feriado.

  3. PT-PT says:

    Leio e aprendi muito com peopleware, quantos softwares e analises de sistemas fizeram, até os guias de how to do it? Guardava na minha pasta people ware nos favoritos.
    Obrigado por todo o vosso trabalho: )

    “Peopleware são pessoas que trabalham diretamente, ou indiretamente, com a área de tecnologia da informação, ou mesmo com Sistemas de Informação.”

  4. Wilson F says:

    Tenho uma questão para o PPLWARE:

    Estas novas “descobertas” e “reviews” da Prozis, vão se manter? Porque eles compram da China, fazem rebranding e metem à venda, não é nada de especial e não me venham dizer, que têm uma óptima relação “qualidade-preço” quando um produto idêntico, deve custar metade…

    Se são reviews patrocinadas, deveriam mencionar isso logo no inicio e no titulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.