Quantcast
PplWare Mobile

Tags: inteligência artificial

Peter Scott-Morgan: cientista poderá ser o primeiro cyborg do mundo

Peter Scott-Morgan, de 62 anos, está numa missão para se tornar o primeiro cyborg do mundo, numa tentativa de combater a sua doença de desgaste muscular. O cientista quer aperfeiçoar o seu corpo com um exoesqueleto de alta tecnologia e um computador de leitura da mente.

Para a experiência, admite querer ser uma cobaia humana para perceber até que ponto podemos espelhar a ficção científica na realidade.


Receita da Nvidia cresce 50% em GPUs para jogos e Inteligência Artificial

No mundo gaming há algumas marcas de componentes que se destacam mais do que outras. A Nvidia é um desses exemplos e cada vez mais tem conseguido estabelecer um caminho sólido num mercado tão competitivo.

A marca norte-americana tem tido várias razões para festejar. E recentemente viu a sua receitar crescer 50% em GPUs para jogos e Inteligência Artificial.


Milhares de aves mortas nas centrais fotovoltaicas dos EUA

Não é um assunto com muito destaque, mas é um problema real. Todos os anos são mortos dezenas de milhares de pássaros em centrais fotovoltaicas, sem que haja uma razão aparente ou completamente aceite.

Assim, um observador alimentado por Inteligência Artificial já está em campo, para ajudar a perceber e, quem sabe, resolver a situação.


Elon Musk diz que as pessoas que não temem a IA são “mais burras do que pensam”

Numa entrevista concedida ao Business Insider nesta quarta-feira, Elon Musk fez uma declaração bastante peculiar e curiosa. O CEO da Tesla diz que as pessoas que acham que a Inteligência Artificial não pode tornar-se mais inteligente do que elas, são “mais burras do que elas pensam”.

Esta afirmação polémica, também nos deixa a pensar sobre o verdadeiro poder que a IA poderá ter face à capacidade do ser humano.


Algoritmo de Inteligência Artificial pode prever risco da doença de Alzheimer

A OMS estima que cerca de 48 milhões de pessoas no mundo sofram de demência, sendo a doença de Alzheimer a responsável por cerca de 65% desses casos. Uma doença, que rouba a lucidez e a vida, é alvo de vários estudos, tendo em vista soluções, tratamentos ou apaziguadores dos sintomas. Da Universidade de Medicina de Boston surge um algoritmo projetado para prever com precisão o risco e realizar um diagnóstico para a doença de Alzheimer.

As descobertas do estudo foram publicadas no jornal de neurologia Brain.

Ilustração Algoritmo de Inteligência Artificial pode prever risco da doença de Alzheimer