PplWare Mobile

Office 2016 ainda vale a pena com a URCDKey


Entusiasta do software, tudo começou com uma programação de Basic no Spectrum 128K do irmão mais velho! Desde aí, nunca mais parei!

Destaques PPLWARE

  1. miguel says:

    Outra vez arroz…
    Mais licenças que a Micrsoft considera ilegais!

  2. João Boavida says:

    Bom dia,
    Caros Atenção que a Microsoft considera este Site como ilegal, em varias formações e meetings a mesma frisa isto constantemente. Atenção pplware pois podem estar a incorrer também vocês em ilegalidades a incentivar o consumo deste tipo de licenciamento. Você tem a obrigação de vez em quando ir a uma formação comercial disponibilizada pela Microsoft.

    • Vítor M. says:

      Bom dia. Como pode a Microsoft considerar os sites como ilegais? Isso desde quando está ao cargo de uma empresa como a Microsoft? Depois, o conteúdo, neste caso o que pertence ao domínio da Microsoft, que são as chaves dos produtos Microsoft, até hoje o que temos lido e ouvido é que são chaves validadas pelos servidores da Microsoft, logo, pressupõe que quem vende esses produtos na China e noutras localizações (porque há já sites com chaves low cost na Europa) é a Microsoft, verdade João? O que o João está a dizer é só por si uma incoerência.

      Depois, o pplware em nada tem a ver com o negócio, nem recebe qualquer comissão pela venda, logo, ao darmos a conhecer estamos apenas a dar a conhecer um site ou vários com produtos que são da inteira responsabilidade de quem os vende. Não estamos a incentivar qualquer tipo de licenciamento ilegal, volto a referir que as licenças (por serem aceites como válidas pela Microsoft) são legais aos nossos olhos, os servidores Microsoft, que são da Microsoft, aceitam e certificam o produto como válido. O tipo de utilização que cada dá ao produto, é da responsabilidade de cada um, não é nosso (se usar uma licença home numa empresa, é da sua responsabilidade, não é nossa OK?).

      Quanto à formação comercial, peço desculpa mas não temos que fazer qualquer update das técnicas comerciais que a Microsoft quer disponibilizar ao João e a vender produtos Microsoft, nós apenas estamos a falar em sites que vendem chaves de software como existem ao milhares por essa internet fora desde há 20 anos ou mais. Por isso, o seu interesse, parece-me, nada tem a ver com o facto dos produtos vendidos.

      Tenha isso em atenção: se víssemos que era pirataria, que a Microsoft – ou as outras empresas detentoras dos títulos vendidos – não aceitava estas chaves como válidas, nunca nós daríamos este tipo de sugestão.

      Cumprimenteiros João.

      • Jajao says:

        Não têm nada com eles mas fazem publicidade a eles.

        http://www.pgdlisboa.pt/leis/lei_mostra_articulado.php?nid=390&tabela=leis

        DL n.º 330/90, de 23 de Outubro, no artigo 8 e 9, indica que devem identificar como publicidade.
        Dizer que tem o apoio da urcdkey, duvido muito que passe aos olhos da lei. Além que o público só lê essa indicação depois de entrar no artigo e de ler o patrocínio todo até ao fim.

        • Vítor M. says:

          Viva caro Jajao. Na verdade está conforme a lei exige. Não sendo um artigo patrocinado, apenas tem apoio no que refere numa caixa destacada no artigo, está legal. Além disso, tudo o que temos de pub está devidamente assinalado. Não queremos criar qualquer confusão, quem a cria muitas vezes são este tipo de comentários, que por vezes mostram uma preocupação “estranha” se as chaves são ou não verdadeiras, não conseguindo um feedback, muda-se a preocupação para o lado se o assunto do post é patrocinado ou não… vejo este tipo de preocupações de forma esquisita, para pessoas modernas e deste tempo, como se de alguma forma incomodasse a informação estar disponível e acessível. Eu agradeço a preocupação e os sentidos alertas, mas, repito-me, nós não temos a intenção de colocar qualquer informação que engane o visitante, por muito que isso custe a certos e determinados indivíduos, que só os vejo comentar neste tipo de assuntos.

          Se fores ver os artigos citados na lei, em nenhum caso este artigo está relacionado, são artigos com determinado apoio que nada tem a ver com patrocínio. Quando é patrocínio, fazemos questão de dizer.

          Abraço e obrigado pela disponibilidade de tempo para disponibilizar a informação complementar.

          • Jajao says:

            Não percebo é o porquê do comentário ter caído novamente na moderação. Foi ofensivo? Foi contra as regras? Era bom que esclarecesse isso.

          • Vítor M. says:

            Bom dia. Há regras que esses filtros automáticos têm. Podem cair sem por forma a ser depois um moderador a ir lá verificar se não é spam, se não tem algo contras as regras, etc… são processos normais das ferramentas da Internet. Não é nada de novo caro Jajao.

            Abraço.

      • João Boavida says:

        CAro Vitor, Peço desculpa se sentiu-se ofendido não era esse o intuito, muito pelo contrario. Pensei dar o meu contributo a vocês e ao fórum. Esta informação foi passada vezes sem conta no ultimo evento Microsoft OnTour. Se encontrar alguma coisa sobre este assunto eu tento entrar em contacto consigo. Um abraço

        • Vítor M. says:

          Viva João. Não me senti ofendido, apenas me foco na questão prática da realidade. O que estará ou não depois disso não sei, porque não tenho nada a ver com isso. Não faço ideia de como a Microsoft negoceia estas licenças nos países asiáticos, mas por várias vezes foram deixados artigos que dão conta de, há alguns anos, a Microsoft, para combater a alta pirataria dos seus produtos na China, ter optado por vender as suas licenças a valor substancialmente mais baixo.

          Possivelmente, digo eu, será a razão de existir no mercado, mesmo na Europa, lojas online com licenças tão baratas e aceites pela Microsoft. Além disso, cada vez parece haver menos pessoas a optar pela pirataria dos produtos Microsoft comprando estas licenças. Parece-me que a Microsoft neste caso ganha em termos de vendas, mesmo que com margem menor e ganha em termos de segurança, dado que não havendo os cracks e outros métodos manhosos não entram malware no seu ecossistema.

          Portanto, como referi, estas licenças, que se vendem também em sites americanos, como o ebay e muitos outros, por exemplo, podiam ser removidas pela Microsoft, se eles assim quisessem. Então, dado que as aceitam e desde há muitos anos, qual será a razão para eles estarem a dizer que não são legais?

  3. Robert Soares says:

    comprei a chaves do office 2019 por 12.74€ na cdkeysdelas.
    Foi só descarregar o software do site da Microsoft e colocar a chaves e violá.
    Activado

  4. Fernando says:

    Sr. João Boavida prove o que afirma. Diz que disse vale zerinhos.

    • João Boavida says:

      Caro Sr. Fernando, eu não tenho que provar nada a ninguém. Só quis dar o meu contributo ao fórum/Site e passar a informação que me foi divulgada pela própria Microsoft (evento Microsoft OnTour). Se querem considerar valida ou não, a mim não me compete isso.

  5. Leonardo says:

    Não sei se é ilegal, mas nós últimos 2 anos já comprei mais de 20 pacotes Windows 10 + Office 2016, para todas as minhas máquinas e de colegas.
    Quando eu entro na minha conta da Microsoft aparece a lista de Windows e Office registrados em ordem de data de ativação, aliás no mesmo lugar que estão as 2 licenças que comprei no site da Microsoft que custaram 5x mais.

  6. LS says:

    Boas a todos.
    Verifico, aqui que as minhas dúvidas quanto à “revenda” de licenças de volume são as mesmas de muitos que aqui postaram.
    Fiz uma pesquisa e encontrei a resposta em que invoca a legalidade e a razão de não haver IVA e o tipo de documento de venda. Esta situação só se aplica dentro da comunidade Europeia e para melhor entender basta ler o POST na Microsoft do Luka Pribanić (primeiro link) e verificar o que o Tribunal Europeu decidiu quanto à aplicação nestas situações nas licenças da Oracle (segundo link).
    1 -https://answers.microsoft.com/en-us/windows/forum/all/urcdkeys/f6c33ed0-f16c-484e-9436-09ad79254bb9?page=2
    2 – https://brodies.com/binformed/legal-updates/european-court-confirms-the-right-to-resell-used-software-licences

    Resumindo…. Eu (cidadão Europeu) tenho o direito de revender as minhas licenças de software desde que sejam para o âmbito comercial e dentro da União Europeia. Isto vem de encontro com as posições abusivas das empresas de software de obrigação de aquisição um número mínimo de licenças.

  7. Rodrigo Catarino says:

    E Office 365 a bons preços há?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.