Quantcast
PplWare Mobile

Huawei lança um cartão de crédito, semelhante ao Apple Card

                                    
                                

Fonte: Gizchina

Autor: Marisa Pinto


  1. rikardo pereira says:

    nem que me paguem.. um destes nao é para mim de certeza

  2. Silvestre says:

    Não percebo o destaque deste produto.
    “O cartão de crédito da Huawei será lançado exclusivamente na China”
    Não tem nenhum interessa para nós.

  3. jorge says:

    A mim me serve muito bem a MBWAY na tugolandia, e no país onde moro o cartao maestro do banco aonde tenho a minha conta salario, quantos mais cartoes pior, agora ca cartoes da china penso que nunca os irei ter, como marcas chinesas de telemoveis.

  4. Herlander Pacheco says:

    Copiam e expiam tudo e todos, não quero saber de Chineses e em tudo o que puder ou souber vou fugir do Made in China ou P.R.C (que é a mesma coisa).
    Não defendo ditaduras e muito menos quem persegue e faz desaparecer médicos e jornalistas que tentaram avisar o Mundo do Virus Covid-19, nem de um País que mente e oculta dados á OMS, mas pior é que voltaram a deixar a população comer animais exóticos como os morcegos e voltaram a abrir os tais mercados de matança de animais exóticos de forma cruel. E foi tudo isto que está a matar milhares de pessoas pelo Mundo e o responsável chama-se China e a sua ditadura.

    • Filipe F. says:

      Se fores internado vais recusar um ventilador made in china? gostava de ver isso.

      • Louro says:

        Claro que sim, também vai deixar de usar praticamente tudo que sao equipamentos tecnologicos pois é quase tudo fabricado na China.

        • José says:

          Dizem vocês que não se preocupam com nada, e falam por falar. Eu faço questão de não comprar nada chinês até mesmo no fabrico de bens que não são chineses, sobretudo enquanto tiver aquele regime, pois nada tenho contra o seu povo, bem pelo contrário, vejo-o como vitima! E, não é que tenho conseguido? Garanto que em minha casa, sendo eu doido por tecnologia e amante de Alta Fidelidade, tenho-o conseguido em pleno, basta procurar ou chegar à loja e dizer, se for chinês eu não compro. O dinheiro é meu.

      • José says:

        Se for internado, não vai estar em coindições para ver que lhe espetam na frente! Mas seria mil vezes melhor que tivesse outra proviniência, do que alimentar aquele regime cruel e irracional.

    • Filipe Rocha says:

      Espero que faças o mesmo com os EUA então é que são outra face da mesmissima moeda.

  5. Astérix says:

    Ouço aqui gente a falar, e com razão, do sistema político chinês, que é o que todos nós sabemos, nem vale a pena falar nisso.
    Eu conheço a China muito bem, há umas dezenas de anos que sou visitante assíduo daquelas bandas.
    O problema maior é a falta de alternativa ao sistema em vigor.
    Um regime como o nosso, em que tem mais direitos os criminosos que os honestos, em que a polícia é atacada à pedrada etc e outras coisas que me envergonham, se entrasse em vigor na China, eu não tenho dúvidas nenhumas que ao fim de 6 meses estava tudo mergulhado numa enorme guerra civil.
    Os Chineses não são todos iguais, existem enormes diferenças entre eles, tanto de raça como de cultura.
    A região do Xinjiang, junto ao Cazaquistão, é de cultura árabe, entre eles falam árabe.
    Sabem falar mandarim porque nas escolas é obrigatório falar mandarim, mas fora disso falam árabe.
    Queriam independência, fizeram alguns ataques com facas em estações de comboio, mas as coisas correram lhes mal porque os chineses sabem lidar com essas situações e prevenir futuras.
    Foram às aldeias dos atacantes, prenderam os familiares e mandaram as aldeias abaixo.
    Acabaram se os ataques…
    Um sistema frouxo como o nosso daria origem a que todas aquelas regiões quisessem independência , isso daria origem a tudo ao molho…
    Têm que ter um sistema forte, que os mantenha unidos.
    Não há outra hipótese para ali.
    Estar a dizer o contrário é não saber do que está a falar.
    Aquilo é tão grande e são tantos, com tantas diferenças, que não há alternativa.
    Antes que alguém me chame de comuna, digo desde já que nem que me dessem o mundo eu votaria em PS, PCP ou BE ou porcarias do género.

    • Jose says:

      Nenhum país grande, sobretudo antigo, é legítimo. Tem de esmagar sempre outros para se fazer de grande. Não adianta, como vimos com a URSS oprimir os outros pela força, principalmente nações antigas, porque os estados em algum momento estarão em posição de fraqueza, depois disso só correrá o sangue. Não há nenhum exemplo na História de um país que se mantenha unido por muito tempo pelo ódio. Simplesmente não resulta. Os tibetanos, manchucos, uigures entre outros, jamais irão abdicar das suas culturas, por muito que os chineses os oprimam. Continuarão a falar a sua língua, a praticar sua religião e tradições, até um dia. A URSS tentou abolir a religião, perseguiu e mal se desmoronou os russos e os outros todos, voltaram às suas tradições e cultura com mais força do que nunca. O medo não vive para sempre.

  6. Astérix says:

    O poder central chinês dá autonomia às diversas regiões para criar leis e tudo o mais, mas com uma ressalva, as directrizes económicas gerais e o poder sobre as forças armadas mantêm se em Beijing.
    O poder central chinês não se importa que uns falem árabe, outros tibetano e assim por diante, mas se houver tentações de independência, seja de que região for, é logo tanques para cima.
    Mas, alguma vez a China teve outro tipo de regime na sua história? Sempre foram governados por poderes centrais, sejam os dos Imperadores sejam agora os do PC.
    Repito, com democracia tipo a nossa, seria bem pior para eles. Mais vale assim que mergulhado numa interminável guerra civil.
    Eles agora estão muito fortes, estão a comprar tudo ao desbarato, as melhores empresas ocidentais, e a formar as maiores e mais avançadas forças armadas do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.