Quantcast
PplWare Mobile

Concorda com a obrigatoriedade da app STAYAWAY COVID?

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Sardinha Enlatada says:

    Nao.

  2. PMT says:

    “Além disso, e como estamos em tempos modernos, muitos países optaram por criar uma aplicação móvel como forma de detetar e quebrar possíveis cadeias de transmissão.
    Portugal foi um desses países e criou a app portuguesa STAYAWAY COVID”

    Quanto é que custou o desenvolvimento desta app?

  3. Carlos Fernandes says:

    É meramente mais uma camada de proteção, por isso entendo que é igual à obrigação de usar mascara.

  4. Júlio Samorinha says:

    A pergunta não está correta, uma vez que a proposta do Governo é só para, “em situação laboral, escolas, forças de segurança…” e só no caso das pessoas terem smartphones. Ora da maneira como está colocada, as pessoas podem pensar que é para todos e que, caso não tenham smartphone terão de comprar um, o que não é verdade.

    • Stayawayestaline says:

      Sim, porque nada é mais justo e democrático do que uma lei que se aplica arbitrariamente apenas a alguns! Eu também sou a favor de todas as obrigatoriedades que recaiam exclusivamente sobre os outros e não em mim.

      Seguindo a mesma lógica, porque não aplicar os limites de velocidade nas estradas apenas aos maus condutores com registo de acidentes nos últimos 10 anos? Assim já posso testar a velocidade máxima da minha viatura na A1.

      Já agora, nunca usei o telemóvel no trabalho, mas se o tiver que fazer por decreto e o mesmo se danificar no exercício das minha funções, o estado paga-me um novo? Ou já chegámos ao ponto de pagar para trabalhar?

      Esgotado o sarcasmo: não concordo com a obrigatoriedade e jamais desbloquearei o MEU telemóvel para terceiros sem ordem judicial! Não tenho facebook, tiktok nem instagram e se algum dia instalar será por minha OPÇÃO!

  5. Malamen says:

    Não… defendo o seu uso, mas sou contra a sua obrigatoriedade.

  6. Sergio says:

    É mais um pequeno passo para combatermos e controlar-mos a propagação, tal como o uso da mascara obrigatorio. Por isso, sim.

    • Tiago says:

      “controlarmos”* – é assim que se escreve. Mas para quem defende isto, é normal que seja uma pessoa sem grande educação.

      • Asdrúbal says:

        Eu sou contra toda e qualquer forma de censura, seja qual for o motivo ou a justificação.

        Mas depois aparecem posts destes e fazem-me desconfiar que devo estar errado…

      • Sergio says:

        Lol verdade poderia ter mais atenção e verificar as correções do meu xiaomi.. Mas sinceramente pensava estar num local onde se poderia falar de um assunto sério, independentemente da opinião.

        Mas convido-te a visitares a minha empresa em Aveiro e se calhar chegarás à conclusão que um analfabeto como eu soube criar postos de trabalho e se calhar com o dobro da tua contribuição tributaria 🙂

        Abraço e saude.. ups, saúde

        • Aguiar says:

          Por acaso fico um bocado surpreendido pelo tipo de comentários que aparecem por aqui, sinceramente diversas vezes penso que não estou num espaço dedicado a tecnologia, tal a falta de iliteracia digital de algumas pessoas, relativamente aos “hífen” eu também coloco em todo o lado… não por desconhecimento, apenas por distração.
          Mas sim, defendo que deveria ser utilizada e de forma voluntária por todos, mas se não somos capazes de o fazer autonomamente concordo com a sua imposição nos contextos previamente mencionados.

        • FukSoc says:

          @Sergio

          tributária

      • Jorge says:

        Numa democracia todos temos direito á nossa opinião, o Sérgio tem todo o direito de a manifestar! Falta de educação é assumir que por dar erros ortográficos alguém é mal educado!

        Já agora por não saber escrever não se tem direito ao voto…

        Falta de educação é escrever ou falar sem pensar no que se vai dizer Tiago!

    • ToFerreira says:

      “tal como o uso da máscara”? Não!
      Seria mais eficaz que todos os infetados tivessem de trazer consigo um sinal que os identificasse como tal, identificando também a sua casa. Porque não?

  7. Miguel says:

    Compreendo, mas exijo que primeiro a polícia fiscalize as mascaras nas universidades e secundário…

    • Asdrúbal says:

      O problema (penso eu) é que tu (a não ser que faças parte do governo ou “tenhas um amigo que é amigo dum amigo que conhece alguém”) não estás em posição de exigir nada…

  8. João Rocha says:

    Muitos colocam toda a sua vida nas redes sociais e agora estão preocupados em perder alguma privacidade com esta APP, que poderá ser uma mais valia no combate à pandemia.

    • fim do mundo says:

      não duvido, no entanto nem toda gente tem smartphones recentes compatíveis para poder instalar a aplicação, outros apenas tem o banal e telemóvel básico para chamadas e sms e não precisam de mais.

      isto já começa a ser é uma palhaçada muito grande, ou seja imposição de regras à pressa sem pensar, e não foi falta de tempo para tal, simplesmente durante o verão deixaram-se à sombra da bananeira e agora algo que já se previa estão à rasca e não sabem já o que fazer.

      nunca se devia ter deixado de manter as regras apertadas, pois continua a haver muita gente a borrifar-se para regras impostas e depois é o que se vê, os números a disparar.

      isto já está tudo uma miséria, a economia pelas ruas da amargura por causa da incerteza e medo, desemprego a disparar, empresas a fechar outras a despedir, pessoas sem rendimentos a passar fome, não há acesso a médicos, é só covid, realmente nunca pensei estar a viver isto.

      Uma coisa que podia ter sido contida logo de inicio quando chegou à europa, mas não, desvalorizaram e agora estamos todos num barco sem rumo, os governantes é sempre a mesma coisa a tomar decisões em cima do joelho, enfim este mundo está perdido.

    • PMT says:

      Mas pelo menos tu tens opção de escolha se queres instalar, usar ou partilhar alguma coisa nessas plataformas.

    • Almaister says:

      João Rocha se quiseres uma fita métrica tenho cá umas quantas em casa…

    • Vitor Sousa says:

      Tem toda a razão. A maior parte das pessoas que falam acerca da privacidade perdem-na quando se registam nas redes sociais pondo lá toda a porcaria que lhes vem à cabeça. Mas isso não interessa.Só é importante uma aplicação que nos pode salvar a vida e pelos vistos não é tão intrusiva como se pensa

    • José Manuel says:

      É isso mesmo. A maior parte das pessoas está preocupada com a privacidade em vez de se preocuparem com as pessoas que morem por causa deste vírus.

  9. C. says:

    A pergunta em si é um pouco vaga. Não concordo com a obrigatoriedade de modo genérico mas o que está a ser ponderado é o uso nos locais de trabalho e similares portanto sim, acho que faz sentido ser obrigatório.

    Apesar de não concordar com os parâmetros da app (mínimo de 10 minutos para contabilizar registo é demasiado), é uma questão de bom senso. Esta app não irá funcionar quando vou a um centro comercial e me cruzo com pessoas ou estou proximo delas, há os tais 10min que na minha opinião irá reduzir a sua eficácia.

    Se ha esse mínimo, uma vez que estou em teletrabalho, isto no meu caso em particular so se aplica caso vá a um restaurante ou um almoço com a família portanto sim, vale o que vale..

  10. SSD says:

    Pois embora concorde que se o pessoal se deixasse se treta e realmente a usasse poderia ser uma ferramenta util, Já diz o povo mais rápido se apanha com mel do que com fel. Era muito melhor terem ido pela via de darem algo tipo de ganho a quem a usar como fazem com as facturas. Isto só vai fazer com que o pessoal se afaste mais da app ou que a instale só por instalar

  11. BlackFerdyPT says:

    Não concordo. Pois, deixa margem a que haja quem possa contornar tal obrigatoriedade.

    O que se devia fazer, era antes implantar (obrigatoriamente) um chipe debaixo da pele de cada pessoa, que tenha o mesmo tipo de função desta app – para que, desse modo, não pudesse haver quem escapasse a tal vigilância.

  12. darth says:

    nao, e nem é legal ela ser obrigatoria. nem e legal segundo a constituicao, nem é legal segundo o contrato que tem com a appstore e playstore. arrogancia socialista por parte de uns tecnocratas la do governo, que nao pensam

  13. LuisG says:

    Não! Já chega que qualquer elemento da autoridade possa entrar na minha casa sem mandato! Defender a obrigatoriedade de uso de máscara é outra… 95% da população usa a máscara de forma absolutamente errada (já nem falo do tipo de tecido)… Era como no início com o uso de luvas… Punham luvas e siga a tocar em tudo tal como se elas não estivessem lá! Resumindo… a falsa sensação de segurança causa mais danos do que previne.

  14. Miguel says:

    Mas qual obrigatoriedade?
    O Costa depois de ver a borrada que fez já disse que é contra também, logo não existe nenhuma obrigatoriedade nem vai existir.

    Bem sei que muitos preferem que isto seja cuba, China, Venezuela mas ainda não é desta mas temos que estar alerta pois não tarda recomendam meter um microchip no rabo a nascença!

  15. Pedro says:

    Não faz sentido a obrigatoriedade da utilização da APP sendo em contexto laboral ou pessoal. De que vale ser obrigatório utilizar a aplicação se quem está infetado pode simplesmente optar por não introduzir o código e já não é considerado, para a aplicação, como um caso positivo. Desse modo perde-se a essência da aplicação. De igual modo, pelo que sei, o código demora demasiado tempo a chegar às pessoas (faz sentido numa era digital, em que a Proteção Civil envia avisos de “temporais e incêndios”?), e como tal a notificação relativo a eventuais contactos vai surgir somente em relação a um período temporal muito anterior, e entretanto as pessoas que tiveram contactos de risco já tiveram “n” contactos de risco e podem eventualmente ter disseminado, contraído e vencido a doença.
    Obrigatoriedade de uso da aplicação, sim mas se for obrigatório/automático a notificação dos casos positivos, caso contrário a aplicação não serve para nada. Note-se que a identificação dos casos positivos, para a aplicação, é completamente anónima.

  16. Curioso says:

    Gostava de ver algumas questões esclarecidas, qual a eficácia desta aplicação ? quando os códigos demoram alguns dias a ser fornecidos, e o que as autoridades de saúde fazem perante uma pessoa que seja notificada pela aplicação ? se perante um caso suspeito que viva com outras pessoas mandam essas pessoas fazer a vida normal até que seja conhecido o resultado.

  17. ToFerreira says:

    Aqueles que abrem mão da liberdade essencial por um pouco de segurança temporária não merecem nem liberdade nem segurança.

    Benjamin Franklin

    • Fantasma says:

      Sabe , ao menos, em que contexto isso foi dito?

      É que, provavelmente, se o soubesse não o usaria neste contexto.

      • ToFerreira says:

        E não se adequa a este contexto?

        • Fantasma says:

          Nem por isso!

          Isso passa-se no contexto da guerra contra os franceses e índios, na Pensilvânia. A assembleia geral preparava-se para taxar a família dominante , exatamente para a contribuição para a defesa do território, taxa que essa família considerava que a assembleia que governava não tinha essa legalidade, chegando a oferecer grandes somas de dinheiro para que essa taxa não fosse instituída.
          A intervenção do Franklin, na forma de uma carta, protestava exatamente contra o que considerava ser uma afronta de quem minava a liberdade de quem governava para decidir e legislar a favor do bem comum e da segurança dessa comunidade.
          E quando se referia à segurança, referia-se mesmo à segurança física, por haver situação de guerra.

          Essa frase foi muito cedo apoderada pelos “defensores dos direitos de liberdade e privacidade” digital retorcendo o verdadeiro significado da frase, e o contexto em que foi escrita.

          Portanto, não. É, praticamente, apoiar o “lado contrário”!

  18. Nuno Casaleiro says:

    Não concordo, mas quem ainda não percebeu este tema é simples. É um discução esteril pois vai contra a constituição. Serve apenas para desviar a atenção do orçamento de estado, como todos os anos aparece algo assim. Se duvidam suguiro que façam uma pesquisa das noticias durante a discução do orçamento e vão encontrar, algo deste genero todos os anos.

  19. rlamp says:

    Entre fechar o país ou instalar uma app e usar umas máscaras…. mil vezes a app e a máscara. O governo devia ter dito que a STAYAWAY COVID dá para partilhar fotos e vídeos bem como marcar encontros. Aí seria um sucesso 😀

  20. Paulo says:

    Se vier junta com um IPhone 12 até nem me importo.

  21. LA says:

    A App só tinha lógica se utiliza-se, o número de utente, e se fosse o SNS a inserir a informação de quando a pessoa está infectada e de quando deixa de estar.
    Da forma que foi criada, é pouco viável.

  22. nuno a says:

    faz parte das condições da google e da apple a não obrigatoriedade da aplicação, logo a sua utilização tem de ser voluntária. Caso o governo torne a utilização obrigatoria é só uma questão de horas ou dias até a app ser removida das respectivas lojas tal como aconteceu com o fortnite por violação dos termos .

  23. Nuno Almeida says:

    Sim se o código respeitante a um paciente que esteja infetado seja automaticamente inserido no sistema sem possibilidade de escolha!
    Só assim faz sentido a aplicação ser obrigatória!

  24. Laurentino José Dourado Nunes says:

    Que se lixe esta aplicação ….

  25. João says:

    O artigo explica mal. A proposta da obrigatoriedade aplica-se apenas ao “contexto laboral ou equiparado, escolar e académico” e “pelos possuidores de equipamento que a permita”.

  26. pedro Soares Gomes says:

    sou a favor se me derem um smartphone, caso contrario no meu smartphone só meto as apps que eu quero….

  27. spid3r001 says:

    Atenção não concordo que isso seja obrigatório.

    Mas acho que toda a gente que possa e tenha telemóvel para o uso da app deva utilizar por opção própria

    Ninguém anda atras de informação quem quer a vossa informação não precisa de uma pequena app, não se deixem enganar o facebook consegue mais informação vossa que o bilhete de identidade. Não sejam inocentes.

    e deixem se de parvoíces da PID e afins. Eles não precisam da app para aumentar IVA, Impostos, IRS, etc.

    Mas pronto esta e a minha pequena opinião e vale o que vale .

  28. Jota says:

    Reservo-me o direito de não responder a essa pergunta! 🙂

  29. Hugo Sá says:

    Defendo que se use a aplicação mas não me parace correto a sua obrigatoriedade.

    • DB says:

      Percebo e entendo perfeitamente… No entanto, todos sabemos como a coisa funciona… Se as mascaras não fossem obrigatorias em estabelecimentos, definitivamente toda a gente ia para espaços fechados sem ela…

      Infelizmente a gente só responde a imposiçoes. É claro que não era necessario tal coisa se as pessoas livremente optassem pelo uso da app, ja que é para o bem de todos…

      Ser classificado como obrigatório acaba por ser um mecanismo agil para a divulgação da app a ver se ainda vai a tempo de servir para alguma coisa.
      Para mim serve, mas apenas se for colaborativo. Um dos grandes pontos do waze é a comunidade e a facilidade com que sinaliza acidentes, entre outras coisas… Sem a participação de todos o Waze perdia parte do interesse. Com a app do StaywayCovid é a mesma coisa.

      • ToFerreira says:

        Obriga-se a instalar, mas não a colocar o código, tornando-a inútil, tão inútil como os que querem obrigar os outros a instalar algo nos seus telemóveis.

  30. Gabriel says:

    Deveria ser como o direito de voto, ser um direito pessoal e constituir um dever cívico assente numa responsabilidade de cidadania, ao qual não deveria estar ligada nenhuma sanção em caso de incumprimento.

  31. Jose Santos says:

    Não tenho por hábito comentar noticias, mas neste caso abro uma exepção. Como é possível passar uma factura do valor que foi referido por uma app que falha o mais básico dos requisitos de ser o mais universal possível. Uma aplicação que querem que as pessoas usem mas nem sequer um iphone 6 suporta (exemplo que tenho cá em casa). Como isto pode acontecer em algo que apenas precisa de ter acesso ao bluetooth e plano de dados dos equimentos para partilhar a informação que recolhe e acharem que isto é o “D. Sebastião” que nos vai salvar de propagação da doença.
    Como é possível sendo uma aplicação que garante o anonimato individual (e isto é ponto assente caso contrário nunca estaria disponivel )tem de ser por iniciativa própria a publicar a informação (se ninguém activar o alerta é igual a zero), se é anónimo pode ser chamada a atenção de quem esteve nas proximidades sem comprometer a identidade do infectado.
    Já nem falo do atropelo ás liberdades direitos e garantias que a obrigatoriadade de uma coisa destas seria, apenas para finalizar queria referir que mais de que atirar 400k à rua que tanta falta faz para outras coisas o mais simples será bem mais eficaz neste caso, usem máscara sempre que possivel e respeitem as medidas de segurança.

  32. João says:

    Opá…
    Vamos lá a ver.
    A app vai notificar pessoas que estiveram, a menos de 2 metros, por mais de 15 minutos, no caso de haver infecção, claro. Ora, estar a menos de 2 metros é exactamente o que se pede para evitar. Além disso, a correcta utilização das máscaras por toda a gente faz com que o risco de contágio seja muito reduzido. Ora, vamos notificar dezenas de pessoas, entupir o SNS24 com chamadas para detectar 1 ou 2 casos. Não faz sentido. Mesmo que 100% da população tivesse smartphone e a app, não ía ter resultados práticos. É irrisória e ineficaz para o fim que se pretende.
    Além disto, o mesmo governo que diz quer obrigar as pessoas as instalar uma app é o mesmo que não assegurou o correcto e seguro funcionamento de escolas, transportes públicos e até mesmo do SNS. Aqui na minha zona, a grande maioria dos casos tiveram origem nos serviços de saúde. Enfim. Não há prevenção. Não há preparação, não há porra nenhuma. Mas querem impor uma app? Se ainda funcionasse, na prática, correctamente, ainda vá que não vá. Agora com uma eficácia muito reduzida, não vale a pena sequer. Era o mesmo que fazer testes com 5% ou 10% de eficácia.
    Usem máscara, evitem aglomerados, lavem as mãos. Ponham as pessoas na TV de máscaras. Quando os membros do governo especialistas acham que por estarem na TV estão seguros, estamos a ver o que valem. Quando o ministro dos transportes diz que não se pode garantir distanciamentos nos transportes, afinal andam a fazer o quê? Tanta medida, tanto dinheiro e todo mal gasto. Ponham o Jorge Gabriel e o Júlio Isidro a ensinar a malta a usar máscaras e a higienizar bem as mãos. Façam o SNS funcionar. Respondam aos mails do SNS24 que estou à espera de uma resposta há uma semana (por não ser urgente optei por não ligar).
    Para mim, ter a app instalada ou não, não faz diferença. Preferi prevenir o possível para mim e prevenir também para os outros, mesmo que muitos desses outros não se preocupem com isso. Mas ter cuidados também é, para mim, ser solidário.

    No meio disto tudo, muito se fala da app e pouco do orçamento de estado. Porque será?

    • Almaister says:

      …porque… 😀 😀 😀

    • Pedro says:

      Concordo.

      Para mim, e talvez até acima de tudo o resto, o maior problema desta app é ser de cariz «reactivo» (baseada em dados do passado) e de pouca eficiência.

      Gostava sim era de ver uma nova versão em que, em conjunto com uma política de testes à população em geral de forma intensiva e períodica (cujos resultados fossem carregados no sistema), permitisse à aplicação fazer uma análise do risco que eu correria em estar num determinado local tendo por base os dados relativos à quantidade de pessoas aí presentes que fizeram testes e à quanto tempo atrás os fizeram. Mesmo não tendo a capacidade de me dizer quem estaria ou não doente, pelo menos permitir-me-ia, e de forma «proactiva», fazer uma escolha informada (baseada no risco ou probabilidades) no sentido de me manter ou de sair desse local – para mim nem porecisava de ser obrigatória que eu iria logo a correr instalar essa app.

  33. Nuno Silva says:

    Como membros de uma sociedade já somos obrigados a tanta coisa para proteger os outros …
    Era só mais uma ….

  34. AlexX says:

    Sim, claro que concordo. Mas não uso ou instalo. Também concordava com a obrigatoriedade dum butt button tamanho XXXL para todos mas também não instalava nem usava.

  35. DB says:

    Se concordo: Não concordo que seja algo imposto.
    Se percebo: Totalmente!

    Esta é uma situação atipica e invulgar, de um inimigo comum. Acredito que esta APP pode servir para evitar propagação e desse modo para mim para minha segurança e para segurança dos que me rodeiam, eu preferia que essa app fosse realmente imposta!

    Na minha balança, a vida prevalece sobre o resto…

    • ToFerreira says:

      Para ser eficaz é preciso obrigar a instalar e depois os infetados colocarem o código. Isso não evita, ainda, que infetados que infetem outros e não faltam casos disso. Assim, para evitar a propagação de modo eficaz, quem está infetado deveria ser encarcerado, ou pelo menos trazer consigo qualquer coisa que o identificasse como tal e haver listas públicas de infetados, com as moradas, para que quero faz por exemplo entregas se proteja.
      A vida sobre o resto!

  36. Patanisca says:

    Sim, para quem está infetado.

  37. Jota says:

    Essa do “mais de 15 minutos” é que não se percebe!

  38. Almaister says:

    Só concordaria com a obrigatoriedade se a incorporação do código de “infectado” fosse obrigatória por parte das entidades competentes que executam os testes…

  39. Vitor Sousa says:

    A maior parte das pessoas que falam acerca da privacidade perdem-na quando se registam nas redes sociais pondo lá toda a porcaria que lhes vem à cabeça. Mas isso não interessa.Só é importante uma aplicação que nos pode salvar a vida e pelos vistos não é tão intrusiva como se pensa.

  40. Fantasma says:

    Sou a favor da sua utilização, mas não concordo com a obrigatoriedade.
    A praticabilidade na fiscalização é virtualmente impossível e é a que traz problemas. Sem possibilidades reais de fiscalização torna a obrigatoriedade uma ilusão e se, efeito.

    Não me faz espécie nenhuma que alguma autoridade possa “fiscalizar” o meu telemóvel, mas é algo de estranho e aceito que seja altamente incómodo para, se calhar, uma grande maioria.

    Compreendo a intenção, Não sentiria de modo algum a minha liberdade nem privacidade atingida, valorizando o interesse potencial comum. Mas, quanto a mim, terá sido dado um passo maior que a perna. Maior e mais intensa campanha de informação seria preferível, para além de maior otimização dos serviços para geração dos tais códigos para quem detete que esteja infetado (pelos vistos, haverá falhas neste departamento. Nada pior que o conhecimento de que, potencialmente, a coisa não serve para nada quando há falhas nas ações básicas necessárias para que o sistema funcione. Péssima publicidade!)

  41. StayAway_PorreiroPá says:

    Anda toda a gente a GASTAR ENERGIAS sobre um tema que nem devia ter saído da boca do indivíduo, que por sua vez, se deve estar a rir à brava de todo o circo à volta de algo que NÃO RESOLVE NADA.
    Em vez de gastar o seu precioso tempo a servir verdadeiramente o país, é incrível como é que nenhum conselheiro o tenha mandado trabalhar, realmente pá.
    Vamos pensando na qualidade dos políticos que nos vão governando, é que infelizmente não há nenhum que dê um puto de murro na mesa.
    Ninguém é capaz de dizer ao indivíduo que é necessário reforçar equipas de profissionais de saúde e autoridades, reforçar meios, substituir ferramentas obsoletas em vez de os sobrecarregar com uma MEDIDAS PARVAS?
    Arre burro!

  42. Paulo says:

    Boa noite, eu só gostava de entender como é que esta app funciona, gostava que alguém me explicasse como eu fosse muito burro, é que ainda não entendi… então vamos la a ver, se alguém apanhar o vírus não tem que ficar em quarentena em casa ou seja la onde for sem poder ter contacto com ninguém???… então para que serve a app ao certo, metemos o código que estamos contagiados ok, mas ficamos em isolamento,…é isso que ainda não entendi bem.

    • Marisa Pinto says:

      Como funciona a app STAYAWAY COVID?
      A app é instalada e assim que alguém tenha um teste positivo, insere o código na sua app e esta envia um código para um servidor central. Por sua vez, esse servidor vai notificar os dispositivos móveis com a app instalada que estiveram em contacto com aquele utilizador infectado num espaço de 14 dias anteriores à data da inserção do código.
      Exemplo prático:
      A Maria esteve em proximidade com o António no dia 10 de setembro. A Maria por alguma razão faz o teste no dia 13 de setembro e sabe o resultado a 15 de setembro, que deu positivo. A Maria insere o código na aplicação e esta, através de códigos aleatórios e anónimos, vai enviar os dados ao servidor. Por sua vez o servidor vai notificar os smartphones com a app que estiveram em proximidade com a Maria.
      Portanto, a Maria está em casa de quarentena, ao mesmo tempo que o sistema alertou as pessoas que estiveram em risco de contágio, no espaço anterior até 14 dias (tempo de incubação estimado do SARS-CoV-2).
      Quem receber a notificação poderá então proceder a medidas preventivas, como ligar para a linha 24 e eventualmente fazer o teste.
      Não há qualquer recolha nem partilha de dados pessoais nem de localização do utilizador.

      • Paulo says:

        Obrigado Marisa, agora sim fiquei a perceber, embora já tenha app instalada desde que saiu

      • Pedro says:

        Infelizmente, ainda assim, a utilidade da aplicação continua a ser pouca dado o seu cariz «reactivo» (baseada em dados do passado), pois até que alguém saiba que teve resultados positivos num teste, lhe seja fornecido um código e o mesmo seja carregado no sistema, já muito pode ter acontecido, nomeadamente as pessoas que potencialmente foram infectadas por causa de terem estado em contacto com quem teve os tais resultados positivos aos testes podem elas próprias já ter infectado meio-mundo!

        O que me faria ver uma maior utilidade numa aplicação destas e ir lgo a correr instalá-la:
        – Ser lançada uma nova versão em que, em conjunto com uma política de testes massificados à população de e forma períodica (cujos resultados fossem carregados no sistema), permitisse à aplicação fazer uma análise do risco que eu correria em ir para, ou estar, num determinado local, isto tendo por base dados relativos à quantidade de pessoas aí presentes que fizeram testes e à quanto tempo. Mesmo não tendo a capacidade de me dizer quem estaria ou não doente, pelo menos permitir-me-ia, e de forma «proactiva», fazer uma escolha informada (baseada no risco ou probabilidades) no sentido de me manter ou de sair desse local.

      • João says:

        Falta dizer que a probabilidade de contágio, caso todos façam a devida prevenção, é muito baixa (talvez menos de 10%), mesmo a menos de 2 metros. Nesse caso, vamos ter a app a notificar várias pessoas quando o risco é mínimo. Essas pessoas vão ligar para a SNS 24. A SNS 24 vai, eventualmente, mandar essas pessoas para casa ou fazer testes, por prevenção, claro. E isto falando com o pressuposto de 100% da população ter smartphone compatível e usar a app.
        Se um aluno de uma turma de uma escola for diagnosticado com COVID, mandam 2 ou 3 que estejam mais próximos para casa. A restante turma continua a ir ás aulas, e nem testes fazem. E isto, mesmo em idades em que não é obrigatório o uso de máscara. Não sei, haverá aqui alguma tipo de racionalidade de critérios? Ou será melhor comprar smartphone com a app instalada para os putos a partir dos 3 anos de idade? Se calhar é isso que querem…
        Mas pronto, se os ministros vão para a televisão, estúdios fechados, e nem máscaras usam, que exemplo podem dar?

        No meio disto tudo, não seria melhor prevenir?

  43. Samuel MG says:

    Não pois vai abrir um precedente calamitoso!!

  44. Luis says:

    Eu estou de acordo com a obrigatoriedade, mas, só no caso de o Costa me dar um subsídio para um telefone novo, já que o meu IPhone 6 com a ultima actualização não permite o download da aplicação! Para uma aplicação com público alvo, à partida já tão espartilhada, o investimento é mais uma daquelas “Jobs for the boys…”! Talvez esteja a ser mauzinho… mas que me parece uma treta, parece!

  45. Tiago Conceição says:

    Tanta conversa e polémica sobre isto mas o maior vírus que anda ai é o ser humano, e este muito dificilmente terá cura. O COVID é apenas um menino de coro ao pé de nós.

  46. John says:

    Não sei qual é o problema em instalar a aplicação e utilizar corretamente, vocês estão preocupados com a privacidade? se realmente estivessem preocupados com isso não utilizariam nem Android nem iOS, só o facto de utilizarem estes sistemas operativos bem podem dizer adeus à privacidade! a começar pelo microfone!

  47. Leandro says:

    Quando se instala a app, pede para se ligar o Bluetooth, pede para paramos o otimizador de bateria, pede para correr em segundo plano, , pede para ativar o gps etc…
    A bateria esgota-se em metade do tempo.

    Aparte disto a app mostra a falta de noção democrática de um governo,sendo obrigatório a fiscalização de um objeto pessoal, depois nunca ninguém sabe onde e como serão tratados os dados recolhidos , basta ter a preocupação da proteção de dados.

    Por fim a eficácia da APP é praticamente nula, servindo apenas para TAPAR a incompetência do governo na preparação do SNS e de Escolas e todos os outros locais de trabalho onde o governo é patrão.

  48. ZéBoss says:

    é pena a app não virar moda como as matriculas

  49. João Pratas says:

    Não concordo com obrigatoriedade mas, idealmente, todos deveriam instalar voluntariamente visto ser do interesse comum.
    Se passarem a dar os códigos num período de 24h até vejo benefício mas, com pessoal a receber os códigos 18 dias depois, esta APP é inútil.

  50. TT says:

    Impressionante a ingenuidade que paira por aqui…

  51. StayAway_PorreiroPá says:

    Não percam tempo com algo que é falível.
    O conceito é excelente mas, para funcionar em pleno tem muita acção humana e é precisamente na acção humana que está o erro. Nem com um polícia para cada cidadão a coisa vai lá, isto é apenas conversa para boi dormir.
    A solução será “chipar a carneirada” e já faltou mais.

  52. Miguel says:

    Claro que sim. A app é melhor coisa para acabar com o covid-19, qualquer pessoa sabe isso 🙂
    Já agora, novos estudos sujerem que covid-19 se propaga através de qualquer orificio humano. Quem tiver interesse tenho rolhas á medida a preço de saldo 🙂

  53. ernez says:

    Os Humanos são muito engraçados, quando não “era” obrigatório, toda a gente queria que o fosse, agora que o governo quer que essa aplicação passe a ser parte integrante da nossa vida, já todos dizem que não, compreender… enfim!

  54. JCR says:

    GAEN – Google/Apple Exposure Notification, é o sistema que a APP 100% inútil usa, e é claro que o código fonte desse sistema não é público, porque os 2 gigantes da CIA não deram acesso, e portanto, é meio caminho andado para a espionagem!

    E também convém referir que os infectados, se meterm o código na APP, têm que também depois partilhar todos os códigos que a APP trocou com outros telemóveis que teve contacto, com o servidor que está instalado na Casa da Moeda, conforme o seguinte parágrafo do artigo da DECO indica:


    Quem testou positivo para a covid-19 pode aceitar partilhar num servidor os códigos aleatórios gerados nos 14 dias anteriores, para que os restantes telefones possam consultá-los e ver se os têm registados. As autoridades de saúde contactam quem obteve um resultado positivo e verificam se a pessoa instalou a StayAway Covid. Se sim, será convidada a abrir a app e a utilizar um código de 12 dígitos fornecido por um médico. Ficará no sistema e, se entrar em contacto com outros utilizadores da app, será disparada uma notificação.

    (https://www.deco.proteste.pt/tecnologia/telemoveis/noticias/stayaway-covid-nao-recolhe-dados-mas-suscita-reservas)

    O nome da APP devia chamar-se AppAway, dada a inutilizade e ineficácia da mesma, devia estar AFASTADA para sempre de todos os telemóveis em Portugal, e não como o acéfalo PM quer impôr!

  55. Miguel says:

    Independentemente da sua obrigatoriedade, é impossível controlar o seu uso sem passar por cima de uma série de questões legais, tais como, obrigatoriedade do bluetooth ligado e dados móveis, desligar optimização da bateria e ligar permissão de funcionamento em segundo plano. Logo, tornar o uso da app obrigatória não vai ser possível controlar. É a tal história do outro, “é proibido mas pode-se fazer. O que é que acontece? Nada…”, Logo, é uma proposta inútil.

  56. lumia says:

    Concordo é com o uso da máscara em todos o locais públicos! isso sim…

  57. Paulo says:

    A questão é mais a utilidade e eficacia da aplicação em si.
    Sabendo que a maioria dos contaminados não a vão usar, ou porque não tem telemóveis compatíveis ou porque não querem ou não sabem mexer, a aplicação torna-se ineficiente.
    O que pode criar é uma falsa segurança naqueles que a usam para “se proteger”. Para ser eficaz, a aplicação tinha que se basear num parâmetro mais fácil de ser gerido, tipo um bracelete ou uma pastilha colada no doente, como existe em festivais de musica ou corridas ou acessos a parques de diversão, espectaculos…
    Assim, por um smartphone, torna-se ineficiente.

  58. Jose Virgilio says:

    Não Concordo em Absoluto , com a App Tampouco é uma intrusão ao Corpo Humano , se Vierem Implementar uma Vaçina Obrigatória, Contra o Covid19. Ninguém Nenhuma Autoridade tem Direito de Obrigar Qualquer Sêr Biológico Humano a Administrar-lhes seja qual for a Vaçina sem o Prévio Consentimento do Próprio Visado. Prá Alem de estar contemplado na Declaração dos Direitos Humanos.

  59. António says:

    Se a aplicação fosse para se levar a sério, o nome deveria ser em português e não em inglês.

    • JCR says:

      Isso não tem nada a ver com a APP ser ou não útil (para mim, é 100% inútil), mas tem a ver isso sim, com a nossa maneira de ser, dado sermos uns macaquinhos de imitação dos EUA/Reino Unido, aonde temos que meter tudo em Inglês, tendo nós 1 língua tão rica, não sou nenhum fundamentalista da nossa ortografia, não acho mal termos conhecimentos doutras línguas, mas o uso da língua Inglesa, a susbtituir palavras Portuguesas, já há muito que passou os limites do aceitável, e basta ver o último anúncio da cervejeira SuperBock, nas TVs, aonde em vez de dizerem confinamento ou quarentena, disseram “lockdown”, vão para o raio que os parta a todos, a defesa da nossa língua, há muito que caiu no esquecimento, tendo sido dada 1 grande machadada, com o (Des)acordo Ortográfico, mais conhecido pelo Brasileirês!

  60. FEDC says:

    Sim, desde que não seja necessário ter conta Google ou Apple para fazer a instalação.

  61. BMF says:

    Esta app só teria efeito se tivesse ligação à base de dados do SNS onde a mesma seria actualizada diariamente e sem intervenção dos infectados, de momento não serve para nada porque os infectados existentes não se registaram na APP

  62. Carlos Vasconcelos says:

    Concordo com a existência e alguma utilidade desta app, porém julgo que a sua instalação deve ser deixada ao critério cívico dos cidadãos… e jamais OBRIGATÓRIA. Por último e também importante é que nem todos os cidadão têm telemóvel e alguns dos que o possuem não têm capacidade de descarregar app’s.

  63. Amei says:

    Quem tem a app instalada tem o smartphone aberto a qualquer pessoa
    com um pouco de conhecimento em gsm para clonar o mesmo….
    querem que seja obrigatório para justificarem o valor que pagaram….. 90% dos portugueses
    nao sabe usar esta aplicaçao o outras tantas parecidas… O tuga quer e futebol put@s e vinho
    verde e dinheiro vindo da europa para gastar. Politicos sao os piores. Quem trabalha e que
    vai pagar toda essa porcaria. Quem trabalha apanha o virus e vai para o hospital. Quem manda
    nao tem nada. Seja em usa…Brazil ..Mexico…etc. o covid nao mata politicos e ladroes.
    Quem trabalha apanha com tudo e tudo tem que pagar….

  64. Paulo says:

    Instalar o Facebook e Instagram que captura toda a minha informação e vende a terceiros para fazer milhões? CLARO QUE SIM!!!

    Instalar uma aplicação anónima para ajudar a combater uma pandemia que já matou mais de um milhão de pessoas e condiciona a vida de todos? CLARO QUE NÃO!!!

    Cambada de egoístas e hipócritas!!!

    Acho muito bem que seja obrigatório e que as multas sejam exemplares… Se as pessoas não sabes abdicar de 50 megas de espaço no telemóvel para ajudar todos, acho muito bem que seja obrigatório! E obrigatório lançar na app a informação dos positivos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.