Quantcast
PplWare Mobile

Atualizações de segurança nos smartphones? Alemanha quer fabricantes a oferecer 7 anos

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. iSad says:

    Faz sentido e ambiente agradece.

  2. JR says:

    É uma excelente iniciativa e se realmente avançar para a frente podemos ver alterações no consumo dos smartphones. Mas essas alterações implicam preços superiores aos atuais
    E isso é algo que irá implicar menos vendas e assim menos profit para as empresas…

  3. FreakOnALeash says:

    Excelente proposta que peca por tardia. Há que estender a mesma premissa a todos os eletrodomésticos. Lembrar que a indústria automóvel está obrigada a manter contingente de peças por 10 anos após o último veículo sair da linha de produção.

    • PAULO SILVA says:

      Também gosto mas quer os automóveis e electrodomésticos tem uma grande diferença: só as peças e que são produzidas, já o software é diferente. Além disso um automóvel é produzido por 6 a 8 anos, enquanto um telemóvel as vezes nem esta a venda durante 6 meses….

      • FreakOnALeash says:

        Dás-me razão. É essa diferença que tem de ser esbatida. As melhorias entre modelos de telemóvel assim como electrodomésticos do mesmo fabricante por vezes são mínimas. Menos modelos por mais tempo à venda = melhor economia de recursos.

  4. zé das teclas says:

    mesmo após o fim do windows 7, a microsoft atualizou-o durante vários anos … para mim, não faz sentido ter um smartphone da Xiaomi com 4 anos e não receber updates há algum tempo 🙁

  5. Miguel says:

    O ambiente agradece e outra coisa que a Europa deveria fazer era obrigar a Apple a vender peças originais para se poder reparar os equipamentos Apple.
    Praticamente é o único fabricante de smartphones que não vende peças originais a ninguém.

  6. David Guerreiro says:

    Não vai ser viável. Os fabricantes ou iam cobrar o dobro do preço, ou então iam fazer os equipamentos ficarem lentos ao fim de 2 anos, de tal forma que ninguém ia conseguir utilizar o smartphone. Isso não vai dar em nada.

    • iDroid says:

      Os fabricantes têm uma boa solução: apresentar soluções verdadeiramente revolucionárias nos smartphones, em vez de evoluções cada vez menos significativas, de ano para ano. Isso faria com que muitas pessoas atualizassem os telemóveis, se assim quisessem.

      Em relação ao segundo ponto, nunca poderiam pôr os telemóveis lentos ao fim de dois anos? Não te lembras do escândalo da Apple há 3 anos atrás? A lição está aprendida.

      • David Guerreiro says:

        Seria fácil arranjar desculpas, era só lançar updates a mamar montes de CPU, e diziam: não queriam 7 anos de atualizações? Pois aqui está, mas o hardware já não aguenta. A Apple é diferente, fizeram isso com baterias com desgaste, se trocasses deixava de ficar assim. Ali ficaria sempre, desde que atualizasses.

  7. kodiakshadows says:

    Proposta excelente. Bom, agora temos o outro lado o consumidor, que na sua maioria gosta de mudar de telefone como quem muda de camisa. Eu tenho um telefone Zero problemas no hardware, só peca nas atualizações de segurança e sistema operativo ( Umidigi F1) os outros Xiaomi , esses coitados nunca passaram dos 6 meses e nem querem saber quando chega a hora de resolver problemas. Apertem com os fabricantes só assim eles podem ter algum respeito pelo consumidor.

  8. luis carreira says:

    Um dos artigos que devia mudar é as impressoras. Porque que é que os tinteiros ainda existem?? Porque é que não há um so modelo de tinteiro para aquela marca. ou então mudar para os depositos de tinta de uma vez por todas. Paga mais mas à menos chips e plastico e alem disso dura muito mais
    Outro artigo é os aspiradores. 1001 sacos diferentes…

    • PAULO SILVA says:

      Para isso teriam que ser todos os aspiradores iguais em potencia, capacidade e dimensões…
      Para os tinteiros, também ia ser complicado, dado os tipos de impressão…

    • kodiakshadows says:

      Queres impressora com depósito de tinta, já existem no mercado e Aspiradores sem saco também, não te podes queixar.

  9. sayWhat says:

    ahahahah…
    E eu quero o Euromilhões!!!
    Alguns smartphones, pelo valor que é cobrado, deviam ser 7 anos, deviam…

  10. Ru says:

    Os meus telemóveis são sempre baratos e sem nenhum suporte oficial. Mas isso não faz confusão nenhuma. Apenas compro telemóveis que dão para desbloquear o bootloader, e que tenham desenvolvimento activo de LineageOs. Assim tenho sempre as últimas versões do sistema operativo, e sem tralha das marcas ou serviços que não uso.

    • iDroid says:

      A questão é que 99% dos utilizadores não sabem nem querem saber executar esses procedimentos…

    • Manuel Costa says:

      O ser barato também depende… para um suporte razoável, tens de gastar 250 a 400 euros. Sim, depois podes instalar o Lineage ou outra versão e tens um android mais limpo e actualizável, pelo menos durante uns tempos.
      Só que 99,9999999% dos utilizadores não sabem nem nunca saberão, fazer isso.

    • David Guerreiro says:

      O problema é que o Lineage nem sempre é estável, e por vezes há coisas que não funcionam bem, porque o fabricante não divulgou o kernel ou pela implementação. A ROM original normalmente é bem mais estável, e por norma funciona tudo a 100%. Eu coloquei Lineage num Oneplus One e aquilo em alguns builds faz alto drain à bateria.

  11. Manuel Costa says:

    O problema não é só o software.
    A maioria dos telemóveis vão evoluindo mensalmente. Fazem novos modelos, com um chip diferente, já cortam o software do outro, que ainda é vendido em todas as lojas.
    Uma das razões para isso, eram os 2 anos de garantia. Para as empresas, ao cabo de 2 anos, após o lançamento, aquele modelo está morto. Uma parte é para reduzir o orçamento em software. Outra é para investir em novo hardware. A maioria (para aí 99,9995%) dos telemóveis não tem forma de ser reparados. Quando algo se queima já foi. Uma bateria chega a custar mais do que um telemóvel novo… maioria das vezes a bateria é “recauchutada” de uma que foi entregue para reciclar.

    • iDroid says:

      Se tiveres um iPhone e trocares a bateria numa loja autorizada garanto-te que a que colocam é nova. e não custa mais do que um telemóvel, nem para lá caminha.

    • David Guerreiro says:

      Posso-te dizer que na maioria dos casos fica mais barato substituir uma bateria num centro autorizado Apple do que numa loja não autorizada. Além de que tens a certeza que levas uma bateria de qualidade, e manténs a possibilidade de ter assistência oficial. Quando um smartphone Apple é intervencionado por terceiros não autorizados, a Apple cessa qualquer relação com o equipamento. É recusada qualquer intervenção a partir daí.

  12. Pedro says:

    Salvo erro o iphone 6s e o ipad air 2 já vão com 7 anos de atualizações

  13. Marco Rodrigues says:

    Muito bem! É incrível (€)como smartphone s com tanta tecnologia e com valores acima dos mil euros só com 2 anos de atualizações (android).
    Depois tem marcas que dizem que bateria tem vida para 2 anos,o que é mentira ,tenho Galaxy s8 á 4anos e bateria está ótima.

  14. ToFerreira says:

    7 anos?! Um telemóvel? Lol!

  15. CPU Lord says:

    Uma daquelas poucas notícias que me faz querer espetar um beijo na boca à Merkel. E olha que não é fácil… por isso a notícia deve ser mesmo boa.

  16. dude says:

    Tinha um telemóvel perfeitamente bom com 4 anos. Mas tive de trocar, devido ao Android estar demasiado desactualizado e nao conseguir rodar muitaa apps. Essa medida deixa-me bem esperançoso. Venha ela.

  17. Joao Pequeno says:

    Se forem como as da apple para por o tmv mais lento, dispenso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.