Quantcast
PplWare Mobile

Já há uma solução para o problema de privacidade dos smartphones Xiaomi

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. GM says:

    Solução: não comprar XIAOMI! Problema resolvido. Next.

    • Spoky says:

      A solução é comprar um Samsung la a privacidade é 100% Garantida, até porque a Google não espia!!! Nadinha mesmo. A Samsung idem… Nem ver-los!

      Solução: Não usem telemóvel! Problema resolvido. Next.

      • FAR says:

        Não é por ter uma empresa a ter acesso indevido à sua informação que deve “levantar os braços” e desistir de ter qualquer tipo de critério acerca de quem sabe o quê acerca de si. Se há medidas que estão dentro do seu espectro de ação tome-as.

        É certo que irá sempre haver alguma empresa / entidade capaz de obter alguma informação, mas essa atitude sarcástica, pseudo-derrotista de nada serve para além de, talvez, vazar algum recalcamento.

        • abdu says:

          A apple também recolhe informações e não vejo ninguém a reclamar:
          “The logs surreptitiously uploaded to Apple contain a list of all calls made and received on an iOS device, complete with phone numbers, dates and times, and duration. They also include missed and bypassed calls.”

    • João says:

      Bom bom é iPhone n é

      • GM says:

        Para mim, tb não é, pois tem um conceito que não me agrada. A começar no preço, passando pelo conceito de subscrição de iCloud, acabando na quase obrigação de associar cartão de crédito ao equipamento. Para mim, não!

    • ArtFar says:

      Digo mais, tendo em conta o passado, duvido que em telemóveis, tablets, pc’s de origem chinesa seja a única.
      A China, ou o tão adorado partido comunista chinês, adorado por algumas pessoas daqui já disse que a China ia ser a Arábia saudita dos dados. Basta ver o número de câmaras por habitante, métodos de pagamentos, redes sociais, firewall, etc, etc, etc. Telemóveis são uma parte disso.
      Tenho Xiaomi e o caminho é deixar de ter, ou limpar roms e afins. Sim, confio mais em empresas não Chinesas. Sugiro que vejam o estado atual das coisas e pesquisem e vejam os interesses deles

      • GM says:

        Estou em progresso de migração do W10m, e vou para ANDROID, por razões que já expus noutro comentário neste tópico. Escolhi um NOKIA 7.2, primeiro pela marca em si (apesar de ser tb ela fabricada no sítio do costume). Não tem as specs doutro modelo que me faria pensar, o MI A4 (por ser ANDROID ONE), mas pelo menos é um modelo honesto no desempenho, pelo que tenho visto e lido. Tenho em casa um MI A3, que apesar de se estar a comportar muito bem, sem sido uma desilusão no que respeita à actualização para o ANDROID 10. Espero que o NOKIA me surpreenda pela positiva, quer no desempenho quer nas actualizações, e também na durabilidade. Foi talvez um pouco mais caro do que seria o XIAOMI, ou mesmo um MOTO G8 PLUS que também ponderei (já que o G STYLUS ficou destinado, pelo menos para já, ao mercado norte-americano – EUA, México e Canadá). Mas, estas duas marcas são chinesas, uma nativa, e a outra detida pela LENOVO, o que dá que pensar. Sobram poucas marcas como opção à avalanche chinesa. Irei adquirir outro telefone para o meu filho mais novo, tendo pensado no REDMI NOTE 8 / 8T, mas já tomei a decisão de optar pelo NOKIA 5.3. É talvez inferior, mas não é chinês.

  2. SANDOKAN 1513 says:

    Mi Browser Pro,Pedro Simões.Mi Browser Pro.Por 2 vezes engana-se no artigo e depois no penúltimo parágrafo dá o link com o correto nome do browser.Então,já é o cansaço a evidenciar-se ?? 🙂

  3. Joao Ptt says:

    Xiomi = para o lixo.
    Próximo.

  4. Jaime Moreira says:

    Smartphones de todas as marcas = LIXO…

  5. Vai-te catar says:

    Em todo o material de marca chinesa ou Made in China, há um potencial spyware. O melhor é fazer embargo completo a esse material.

  6. Figas says:

    Ter a função significa que ela funciona? Ate pode ser um botão de “recolha de dados em modo turbo” . Vale o que vale

    • GM says:

      O botão é apenas um placebo. O proprietário pensa que está desactivado, mas não. Aliás, há-de estar desactivado para funcionalidades do utilizador, mas para a função “spyware” continua a funcionar.

  7. Daniel says:

    Uma vez que a recolha era feita pelo browser da Xiaomi, é fácil. Basta usar outro browser.

  8. TSSRK says:

    Ao que isto chegou, agora têm de usar o modo »incógnito« avançado para os chinocas “não recolherem” dados

    • FAR says:

      Recolhem sim. E não só pelo browser, respondendo também ao @Daniel.

      Se tiverem possibilidade usar uma ferramenta (por exemplo com um raspberry pi com o pi-hole) que analise o tráfego feito na vossa rede doméstica, tendo um telemóvel da dita marca ligado à vossa rede. A quantidade de informação que segue para a “nave-mãe” é realmente algo de extraordinário. E já agora aproveitem e dêem uma vista de olhos ao que é enviado para o facebook – isto dá para ver com qualquer telemóvel, desde que tenha a app oficial instalada. Acho que poderá uma experiência bastante esclarecedora.

  9. Álvaro says:

    Estes comentários é só rir… onde é que vocês tem privacidade???

  10. David Guerreiro says:

    O curioso aqui é que foi necessário alguém descobrir isso, para adicionarem essas opções, senão não o fariam.

    • Napoléon Bonaparte says:

      Óbvio! Estavas à espera de quê?
      A OnePlus já esteve numa situação semelhante, que corrigiu de imediato, por pressão dos clientes, que bateram o pé através da rede deles.

  11. Pedro says:

    Tenho pena de quem pensa que a Samsung e a Apple não espiam. Já agora, o único país a ser acusado formalmente de espionagem foram os estados unidos.

  12. Mitra says:

    os meus comentários não estão a aparecer…
    Pode-se desinstalar o browser nativo e usar outro? É possível instalar uma firewall que bloqueie esse tipo de tráfego? conhecem alguma? Obrigado.

  13. iFernando says:

    Acho que a Europa tem de defender os Europeus destas e de muitas outras ameaças à segurança nacional.
    Já não bastam os Porta-aviões e Submarinos.
    Temos de defender a Informação e a Saúde.

    • Bruno says:

      quanto à informação não sei, relativamente à saúde esquece lá isso

      • iFernando says:

        Defender a Saúde, é sermos independentes relativamente à produção de equipamentos. Sem fecharmos as portas a alguma importação, mas paralelamente termos linhas de produção industrial de equipamentos de saúde activas.
        Em casos de Pandemia, não ficarmos nas mãos de países terceiros, como está a acontecer.

  14. João says:

    Meus amigos é tudo a mesma coisa tanto faz ser Xiaomi como Apple como Huawei tanto drama se depois nas redes sociais partilham toda a me&%a

  15. Miguel says:

    .Há mais de um ano que temos Xiaomi em casa, nunca usamos o browser de origem. Isto é uma notícia boa, mas com pouco sentido prático. Porque a partir do momento em que entramos num browser, e fazemos pesquisas, estamos a dar informação nossa a alguém. Xiaomi, Samsung, Huawei, Apple, Google, Microsoft, Facebook, etc, etc, etc, etc… Usar browsers como o Brave, ou mesmo Ópera em VPN, com motor de busca como o DuckduckGo, é um aumento de privacidade, mas perde-se muitos comodismos, e isso pouco estão dispostos a perder. Agora são ridículos comentários do género: “Xiaomi igual a lixo”, quando surgem noticias semana após semana de falhas de segurança de grandes empresas conotadas como “de confiança”, a maior parte delas norte americanas, cujo o EUA é conhecido pelos seus serviços de inteligência como o país com maior ingerência nos assuntos internos dos outros Estados. Realmente, faz uma lógica….

  16. Napoléon Bonaparte says:

    É muito simples: deixo de comprar Xiaomi!
    Quando eu substituir o meu atual MiA1, acabou o problema!
    Pelo menos com essa gravidade, que me parece uma infeção crónica…!

  17. ze says:

    Os chinos a sacar dados…… Faz me lembrar a polemica Huawai….. É tudo farinha do mesmo saco. Alias. Pais

  18. Napoléon Bonaparte says:

    Bye! Bye, Xiaomi.
    Bye, bye Mi A1, que prometia muito mas também vinha com o ovo do cuco…!
    Está comprado o meu novo smartphone e desta vez não é chinoca. Trata-se de um Galaxy A 71 e deve chegar até ao início da próxima semana.
    Mal posso esperar para voltar ao ecrã amoled…!
    A porta traseora de recolha de dados da Xiaomi foi a gota, para mim. Chiao!

    • Miguel says:

      Estás a comparar dois telemóveis de gamas e preços diferentes. Se gastasses o valor do Galaxy A71 num Xiaomi de agora, se calhar terias uma máquina superior. Mas é mais facil falar mal de uma marca, só porque tens um telemóvel de média baixa gama que aparentemente não correu bem, sabe-se lá porquê….

    • Miguel says:

      Com o dinheiro do A71, compravas um Xiaomi 9T Pro, que tem quase o dobro da performance. Com ecrã AMOLED da Samsung. E as atualizações da Xiaomi são muito mais rápidas que a Samsung, isto porque o A71 é gama média, e a Samsung não dá o mesmo foco como dá aos topos de gama. lol…

      • GM says:

        Pode ter melhores especificações, actualizações mais rápidas, pode até fazer o pino. Mas o 9T Pro continua a ser……chinês. E é esse o mote em cima da mesa. Ou escapou-me alguma coisa? Ah, e desde 2019 que os SAMSUNG deixaram de ser fabricados na China.

        • Miguel says:

          Ah, está certo. Então não pode ser o A71. É que tem processador da Qualcomm, e de certeza que muitos componentes que tem são feitos na china. Ou seja, se queres fugir à china, tens que pensar noutra marca. Mas mesmo a Asus, Sony, LG ou Motorola, que nao sao feitos na China, tem componentes feitos na China. Acho melhor desistir e não comprar smartphones.

          • GM says:

            Fizeste mal em mencionar Motorola. É que apesar de ter origem nos EUA, a divisão mobile pertence à LENOVO. E com isso está tudo dito. Ou não?
            Quanto a deixar de comprar smartphones, já esteve mais longe, apesar de estar a aguardar a chegada do NOKIA (que também é fabricado na China, mas não é chinês). Enquanto as marcas ocidentais não interiorizarem a absoluta necessidade de saírem da China, o problema vai continuar.

          • Miguel says:

            Não fiz nada mal nenhum em falar da Motorola, porque muitos telemóveis são fabricados na Índia. Pode comprar um Nokia à vontade, são bons, mas lá está, feitos na China, ou com muitos componentes chineses. Apresentar soluções anti-China faz muito sentido, até porque a concorrência é sempre bom, mas, há que o fazer com pés e cabeça, porque senão é o consumidor a pagar a fatura. Por mais que ache que realmente, deve descentralizar-se a fabricação de tecnologia, não quero pagar o dobro por um telemóvel ou outro componente eletrónico, só porque não é ou nem tem nada de Chinês. Pagar 5% ou 10% a mais, ainda admito, agora, muito mais que isso, o que vai se ressentir é o mercado mundial. E as empresas vão começar a cair que nem tordos. A divisão mobile da LG está a ser injetada pela parte dos ecrãs, a Sony tem a PS4 que alimenta o resto, mas tem a sua divisão de sensores que ganha dinheiro a rodos porque vende a quem? Aos chineses. Mesmo a Motorola tem a Lenovo por trás e sucesso em pais de mercados emergentes, como a Índia. A Nokia não tem tido muito sucesso porque a estratégia também tem tido algumas falhas (típico, podiam estar no topo de mundo, tinham as condições para isso, quiseram remar contra a maré, lixaram-se). Depois vemos empresas com a Ericsson e Nokia, no mercado de telecomunicações, que não conseguem desenvolver as tecnologias (como o caso do 5G) tão bem como a Huawei. Quem se lixa, o consumidor. A implementação do 5G abrandou em todo o mundo porque o Trump decidiu fazer guerra, quando são os EUA que mais ingerência nos assuntos internos dos outros Estados tem. Isto é uma economia global, tira-se uma carta, e o monte pode desmoronar. Diz que o problema vai continuar, mas, se não fosse o portento industrial da China na tecnologia, ela não era acessível a todos como é. O que para mim, não me parece um problema. Aliás, foram marcas como a Huawei, Xiaomi, Lenovo, Dodge, Realme, etc, que fizeram com que as empresas mais conhecidas (como a Apple e Samsung) fizessem uma evolução grande na área do mobile para não perder cota de mercado. É inegável que a Huawei (com as suas câmaras em parceria com a Leica) fizessem com que a Samsung e a Apple se esmerassem com os seus dispositivos. Esta concorrência é saudável, por mais que pensem o contrário.

          • GM says:

            Miguel, estás a ver a maçã linda por fora. É grande, brilha, tem uma casca sedosa. É até barata, pois está a ser dada. Eu estou preocupado e intrigado, sim , é com o que está na polpa.

          • Miguel says:

            Porquê? Acha que a Polpa das outras marcas é melhor? Acha que a privacidade só está salvaguardada se estiver nas mãos de empresas europeias ou norte americanas. Um sistema operativo Google, MacOS, iOS, Windows… Todas elas têm falhas, todas elas retêm informação confidencial. Nos fazemos uma pesquisa no Google e no segundo seguinte somos bombardeados com publicidade no Facebook. Os micros dos telemóveis estão as escutar as nossas conversas para vender produtos. Está preocupado com a China? Tem um iceberg pela frente, para se preocupar.

          • GM says:

            Ok, Miguel. Não faças nada, então. Não podes fazer grande coisa, tal como eu. Mas podes optar na altura da compra.
            Queres um exemplo? Comprei à quase dois anos um “smartwach” LENOVO WATCH X PLUS, na GEARBEST. Pois, esse relógio, apesar de bonito e relativamente bem fabricado, neste momento não tem suporte. A aplicação da LENOVO que permite controlar o relógio, simplesmente desapareceu da loja. Para acertar o relógio, pois, não dá. E descobri recentemente que tem problemas de segurança, via BT. https://threatpost.com/lenovo-watch-x-riddled-with-security-vulnerabilities/141822/. Vê só, um relógio, que de smart pouco ou nada tem, mas para espiar já tem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.