PplWare Mobile

Saiba como ter a reação LGBT no seu Facebook


Editora no Pplware e psicóloga de profissão. Desde cedo que a tecnologia é uma paixão, interessando-se em particular com o impacto que esta tem na nossa vida e nos comportamentos que as pessoas adotam nas redes sociais.

Destaques PPLWARE

  1. Mario says:

    Lesbicas não existem
    Existem sim mulheres que ainda não me conhecem

  2. Spoky says:

    Agora o pplware que faça censura e não publique o meu comentário devido a ser do contra, infelizmente alguns média censuram a opinião porque coitados pode “ferir” algum membro LGBT! Onde anda a liberdade de expressão sem ofensa / 25 de abril?

    Sou contra o LGBT (e já vós digo porquê) e não me venham com cenas de preconceito isto ou aquilo, uma pessoa mal pode discordar ou não achar que deve ou deva aceitar, já é logo chamado de “tens preconceito!!” “Não sabes de nada!”
    “somos livres” “és uma pessoa inculta”

    Somos logo insultados e bombardeados! O mais engraçado é que essas mesmas pessoas defendem a LIBERDADE, ora se defendem a LIBERDADE porque raio é que eu não posso ser contra?
    Eles falam de uma maneira como fossemos obrigados a aceitar-los como são.

    Isto é, fazem tantas manifestações pela liberdade mas querem forçar la no fundo a que nos o aceitemos, queiram ou não admitir… Eles forçam! Caso contrário para que serveria a manifestação? Digam la? Para trazer mais apoiantes? Para mudar de opinião? É claro que protestam para que os aceitemos.

    O mais engraçado é que andam com placares “Liberdade” “Eu tenho o direito de escolha” e quando eu que não aceito ou não concordo com as ideologias do LGBT afinal o direito de escolha já não se aplica! Ah pois é! Só se aplica para o que esses meninos/as querem!

    Não e não é nenhuma mentira, é uma triste realidade se forem e ficarem atentos.
    Opinião pessoal, não concordo com a existência do LGBT, se querem ter liberdade dêem-nas aos outros também para poderem escolher ou não! Mas está bem a vista que a liberdade só funciona e querem e aceitam quando é o que eles querem! Quando uma pessoa não aceita deixa de ser liberdade de escolha! Ou melhor nem sequer!

    • Jatkoo Miá Chousha says:

      E com o que nao concordas? Com a liberdade de escolha dos outros seres humanos que partilham o mesmo planeta contigo?
      Eu sou heterosexual e nao tenho desses preconceitos. Cada um vive a sua vida como quer, a isso chama-se “liberdade”. Por isso estou confuso com a tua percepcao de liberdade. Explica-te melhor, porque assim as pessoas podem ficar a pensar que es homofobico e um certo nivel de atraso de mentalidade.

      • Spoky says:

        Caro Jatkoo confuso? O Gigbola já disse o que queria dizer de uma forma resumida, mas nem assim muitos chegam la.

        Então mas o LGBT fazem manifestações acerca da liberdade e igualdade segundo eles são direitos que os seres humanos têm correto? Então onde é que entra a minha liberdade de ser contra e de não aceitar? Onde é que isso anda?

        Não anda amigo, sabes porquê? Os mesmos só querem saber da liberdade e igualdade pelo que lhes convém, basta discordares com algo que eles dizem que já se acaba o que eles tanto defendem isto é “Liberdade, Igualdade e Direitos de escolha”

        Entendes assim ou queres que elabore mais? De qualquer das maneiras, não vou elaborar muito mais. É de fácil compreensão.

        Se querem ser respeitados e se querem ter os mesmos direitos, então que respeitem quem não concorda ou não ache certo! La por não achar certo ou não concordar, não significa que vou obrigar-los a deixarem de namorar, viver! Mas na mente deles sim é isso que acontece
        Isto acontece geralmente em quase todas as manifestações:
        “Olha aquele é do contra! Machista!!! Ohh machista! vêm cá!! És inculto Pá! Não respeitas a igualidade e o direito de escolha!! Ganha vergonha!”

        Invocam o direito de escolha, mas esquecem-se que ao fazerem isso estão a por um direito de escolha de um individuo que tem todo o direito de não concordar em causa!
        Mas claro que eles “esquecem-se” desses pormenores, quando são chamados a atenção é uma chuva de criticas e coitadinhos os outros é que são maus!

        É uma realidade, não vamos mentir… Vamos abrir as pestanas!

        • Gipz says:

          Mas porque raio é que tu tens de aceitar algo que é decisão de outros?
          Se uma pessoa escolhe ser gay, é problema DELES, tu não tens de aceitar nem deixar de aceitar, ponto final…
          Da tua responsabilidade são as coisas que tu decides para ti e que te influenciam. Se ha outros que tomam outras decisões só tens de aceitar, alias nem é uma questão de teres de aceitar, não te diz respeito a tua opinião vale o que vale, NADA…
          Isto para dizer que eles têm liberdade de escolherem o que quiserem para a vida deles e é por isso que eles lutam.

          • Spoky says:

            Lol e depois vem aquela questão “Se não tenho que aceitar nada, se não tenho opinião, porque raio é que eles criam uma manifestação?” Com que objetivo? Explica lá!

            Este é aquele momento como na banda desenhada em que se ouve os grilos a cantar gri gri gri gri e a resposta tarda a ser dada..

            Realmente pá! A manifestações que eles fazem são para quê? Com que objetivo? Nenhum? Com essa entalaste-te todo Gipz lool.

          • Pedro says:

            Spoky percebo o teu ponto de vista mas acho que tal como muita gente, estás a ver o que muito meio social quer mostrar. E por meio social entenda-se midia ou mesmo pessoas que publicam em redes sociais.
            A verdadeira essencia da marcha é o orgulho por ser verdadeiros connosco e com o mundo e o apelo ao respeito e à igualdade social.
            Claro que sem houve e sempre haverá radicais em todo o lado. Tal como há pessoas LGBT que se tu dizes ser conta o mundo LGBT te vão insultar e chamar de machista e homofobico, também há pessoas heteró que insultam e mal tratam pessoas LGBT pelo simples facto de existirem.
            Eu sendo um homem gay respeito o facto de não aceitares. Acho que isso é errado? Acho. Vou te insultar por isso? Não. É a tua opinião e ponto. Tenho mais é que a respeitar. Tal como respeito a opinião em outros assuntos nas quais não concordo.
            O que tenho a dizer é que parece-me que aquilo que ves são os radicais e nunca deves ter conhecido ninguem LGBT que na verdade aceita a opinião dos outros sem forcar nada. E olha que a maioria é assim. Até porque nas marchas LGBT, uma grande parte só lá vai pelo convivio e a festa. E o pessoal que está na marcha é uma pequena parte da comunicade LGBT (diria cerca de 20%). A maioria só aparece no fim para as festas nos bares e discotecas.

            Para finalizar, Gipz só para te corrigir. Um pessoa não escolhe ser gay ou lésbica ou trans ou o que for. Tal como tu não escolheste ser hetero. Foi algo que nasceu e se denvolveu contigo.

        • Pestana aberta says:

          Spoky, até certo ponto até tens razão. Eu sou um defensor da liberdade de expressão e acho que tens todo o direito de ser do contra. Claro que, a partir do momento em que existam leis a consagrar, por exemplo, os casamentos e as uniões de facto entre pessoas do mesmo sexo, tu aí já não tens outro remédio senão respeitar. Podes continuar a criticar as leis mas com algum cuidado, visto que não te podes opor à realização desses casamentos e dessas uniões (sem sofrer respectivas consequências). Tens que aceitar, são as regras do jogo democrático.
          Muita gente não entende isto: é de vital importância que pessoas com a tua mentalidade se exprimam à vontade, pois só assim podemos conhecer as vossas ideias. Por exemplo, se de cada vez que um palerma tentar abrir a boca o silenciarem imediatamente, nós nunca saberemos que estamos na presença de um palerma. É preferível que os homofóbicos não se escondam, não tentem disfarçar a sua homofobia perante ninguém nem se sintam obrigados a isso. Todos os vossos amigos, as vossas namoradas e esposas, os vossos filhos, toda a gente deve ficar a saber perfeitamente quem vocês são e o tipo de mentalidade que possuem.
          Não há problema nenhum em ser contra alguma coisa, excepto talvez quando isso possa conduzir à negação do próprio bem que está a invocar. Invocar a liberdade de expressão para a seguir se defender que a liberdade de expressão deveria ser suprimida, por exemplo. E também há situações em que ser do contra não faz sentido nenhum. Se eu disser que sou contra a lei da gravidade, obviamente que passo por tolo. Ser contra a homossexualidade está no mesmo plano. É tão estúpido como tu te revoltares contra a tua própria heterossexualidade, uma vez que a natureza te fez assim, heterossexual, e a outros não.

      • Osvander says:

        Eu tambem sou contra lgbt, e não tenho que ficar a explicar a ninguem sou sim homofóbico!!!

        • Luis Miguel says:

          Osvander, não e homofóbico que tu és…é homosexual reprimido que nunca saíu do armário. É o sinómino que tu procuras.
          Não tens de quê 😉

      • Lixo_Pcorrecto says:

        Eu sou homosexual e estou cheio deste tipo lixo PC.

        Ja enjoa ver estes tipos dos LGBT e os tipos com a mania da cultura PC “como o facebook e outros ” la com a insanidade dos seus membros os SJW.

        Que mais querem estes tipos no mundo ocidental, que direitos e regalias mais querem estes tipos? Andam por ai em marchas a fazerem figuras ridiculas e nos somo obrigados a levar com a triste figura que fazem, os tipos nao respeitam nada nem ninguem, como o bem referis-te se nao concordares com a insanidade deles es rotulado de um individuo homofobico, racista, xenofobo,etc…

        Os tipos do facebook se querem fazer algo PC que organize manisfestacoes dos LGBT, ou manifestacoes feministas no medio oriente, porque aqui no mundo ocidental que mais podem esses tipos ter

    • gigbola says:

      Abreviando, acho que queres dizer isto “Sou contra os LGBT. Tenho o direito de não gostar deles, da mesma forma que os homossexuais têm o direito ter relações com indivíduos do mesmo sexo, tal e qual os heterossexuais, mas com indivíduos do sexo oposto.”

    • Arco-íris says:

      Apanhas bem net aí na gruta?
      E olha eu não concordo com a existência de pessoas como tu.

    • KevinMitnick says:

      Comentário mais retardado que li hoje.
      Se não concorda, pouca diferença lhes faz, apenas meta-se na sua vidinha e não chateie a dos outros.

      Se não concorda, bom para si, faça o seguinte, sempre que vir algo relacionado com os LGBT, saia da página, faça scroll, mude de canal ou fuja a gritar assim que se cruzar com um na rua, tem sempre solução migo.

      • Spoky says:

        Kevin então devia seguir também a sua dica! Afinal também lhe serve para a carapuça.

        “Se não concorda com um comentário, bom para si, faça o seguinte, sempre que vir um comentário a discordar dos LGBT, saia da página, faça scroll, mude de canal ou fuja a gritar assim que se cruzar com um na rua, tem sempre solução migo.”

        Serve não serve? Pois, mandar os outros fazerem isso e não seguir o mesmo caminho é lixado! Ao final de contas isso também se aplica bem a si.

      • joka243 says:

        O problema é que actualmente esses LGBTs estão por todo o lado pra onde um gajo vá. É difícil evitar tanta lgbtice. É que o virus avança lentamente até à aniquilação total.

    • Rafael Conceicao says:

      És a favor da liberdade, mas “não concordo com a existência do LGBT”.
      Então o melhor será matá-los a todos, acabar com a raça e a liberdade deles para que tu tenhas liberdade.
      Fica a saber que não é uma escolha ou porque está na moda.
      Estás com uma opinião muito bem estruturada tu…
      Ahhh, e depois ainda dizes que não és preconceituoso.

      • Spoky says:

        “Ahhh, e depois ainda dizes que não és preconceituoso.”

        Ou seja se for do contra sou preconceituoso? Sou contra quem maltrata animais, também sou preconceituoso?

        Sabes o que significa uma opinião pessoal, gostos e escolhas? Acho que sim!
        Mas la está, não me digas que és dos LGBT cujo não sabem aceitar uma opinião pessoal e construtiva.

        A minha opinião está tão bem estruturada! Garanto-te ou tu não vês ou não vais a manifestações LGBT para veres o que realmente acontece por lá. Até quando passa na TV aparecem pessoas da manifestação LGBT a contrariar as suas ideologias, defendem tanto uma coisa que acabam por se esquecer que estão a fazer a mesma coisa.

        Uuupppssss é mentira?

    • Fabio says:

      Tu és daqueles que achas que a homossexualidade é uma escolha?
      Para dizer asneiras dessas vale mais que não tenhas liberdade..

      • rui says:

        Sejamos realistas. A homossexualidade É uma escolha. Não me venham com tretas. E a culpa é do LGBT. Ganham com isso. Como é que as religiões ganham seguidores? Com aparições, com milagres, ……. Melgam a cabeça a uma pessoa tanto com isso que ela acaba por se juntar. O LGBT e companhia fazem a mesma coisa. Metem o nariz em tudo o que é lado para ganharem mais seguidores. Escolha, meus amigos. Racional ou irracional, isso já é outro assunto. O LGBT ganha com isso. São esses interesses que fazem com que isto meta nojo e desprezo a muita gente. Mas todos os que respondem aos comentários ou falas de quem reage assim, partem logo do princípio que estão a referir-se à orientação sexual. Enfim… Este mundo está perdido. E se já estava, agora com o trump acabámos de “meter a quinta”.

        • Osvander says:

          Falou e sisse cara….

        • Gonçalo says:

          Sim, vamos ser realistas, rui. O rui diz que “A homossexualidade É uma escolha”. Sabe por experiência própria?Se não, algum homossexual alguma vez lhe disse isso ou é simplesmente uma ideia que tem sem qualquer fundamento científico ou de conhecimento de causa?

          “Melgam a cabeça a uma pessoa tanto com isso que ela acaba por se juntar”. Acredita mesmo nisso? Não lhe parece que este argumento serviria para justificar que muitos homossexuais se poderiam “juntar” à heterossexualidade? É que vivemos num mundo onde a heterossexualidade está ao virar da esquina. Parece-me que algumas manifestações e alguma exposição mediática não converteriam pessoa alguma.

          “São esses interesses que fazem com que isto meta nojo e desprezo a muita gente”. Refere-se à “conversão” de heterossexuais em homossexuais levada a cabo “pelo LGBT”?

          Por último, porque não percebi, quando refere “o LGBT”, está a referir-se às associações que promovem os direitos dos cidadãos LGBT?

        • p_t says:

          Bem, suponho que tu escolheste ser heterosexual…

    • Filipe Santos says:

      Caro Spoky,
      foi com enorme curiosidade que li o seu comentário, para tentar perceber os seus motivos e as razões que o levam a ser contra marchas LGBT. Quais os argumentos que apresenta para o efeito, sem colocar em causa liberdade de expressão e RESPEITO pela liberdade dos demais. Confesso que não percebi os seus argumentos.
      Quanto às marchas (manif), são simplesmente uma forma de mostrar à sociedade que a diferença existe e que deve ser respeitada, como são respeitados os “esterotipos” que mentalidades como a sua tanto defendem e apregoam. Infelizmente o preconceito existe e o desrespeito pela liberdade também!
      As placas “direito de escolha” referem-se ao direito de escolher a pessoa com quem se quer estar independentemente do genero, sem ter de obedecer às regras que a sociedade, muitas vezes hipocrita, tenta definir. Assumindo que é homem (de genero) ninguem o olha de lado se for de mão dada com uma mulher! No entanto, se for de mão dada com outro homem (provavelmente o seu grande sonho, guardado em segredo) certamente será olhado de lado e, quem sabe, agredido! É esta a liberdade que se defende! O gostar ou deixar de gostar, é um direito de cada um!! Mas há que saber respeitar!

      • LFS says:

        Apesar de concordar plenamente com o que ele disse (ter mesma opinião), ganhou meu respeito só por ter feito uma critica construtiva em vez de 90 por centro que respondeu ao spooky a ataca-lo, hoje em dia é raro ver alguem a dar a sua opinião como você deu. Tudo de bom para si e um abraço.

        • Filipe Santos says:

          Caro LFS,
          obrigado pelas suas palavras. É um assunto que deve ser abordado como outro qualquer, sem preconceito e com respeito.
          Abraço para si.

      • Joel Reis says:

        “provavelmente o seu grande sonho, guardado em segredo”
        Acabou por lhe dar razão… Também é o “sonho, guardado em segredo” dos gays, andar de mão dada com alguém do sexo oposto?!
        “há que saber respeitar” “o gostar e o deixar de gostar”, inclusivamente o não gostar das manifs ou de ver dois do mesmo sexo de mão dada. Ninguém tem que gostar, apenas têm de respeitar, mas para isso também têm de ser respeitados. Assertividade acima de tudo!

    • p_t says:

      Mais um que confunde censura moral com censura de expressão.
      Tu podes ter a opinião que quiseres e expressá-la publicamente sem repercussões contra a tua dignidade (protegida pela lei), mas não esperes não ser criticado ou repreendido por seres preconceituoso.
      O teu problema é achares que a liberdade é compatível com a intolerância, como se a intolerância não fosse uma forma de reprimir a liberdade.
      Como se isso não bastasse, não percebes o absurdo que é vitimizares-te por as pessoas não serem tolerantes com a tua “opinião” discriminadora e intolerante, quando, primeiro, tu não toleras os outros por serem diferentes de ti, algo que não te afecta de maneira nenhuma.

    • Bruno Nunes says:

      Eu fico é chocado com a argumentação e com algumas coisas que ainda hoje são ditas aqui por estas pessoas.

      Sabes o que é que eu sou contra? A ignorância.
      Ainda se faz “marchas” hoje em dia por opiniões como a sua, porque todos queremos a mesma coisa: liberdade. Quer seja ela de expressão, de opinião, de direitos.

      Triste é o senhor dizer que “não concordo com os LGBTI”. Mas eles são o quê? Uma ceita? Um partido político?
      Você não tem de aceitar, compreender ou se quer entender. Você têm que respeitar que são pessoas que estão ali, que apenas querem ter o mesmo direito que o senhor têm. E por pessoas como o senhor, eles não podem ter esse direito, porque exatamente: são contra a existência dos LGBT.

      O hitler pensava a mesma coisa dos judeus: também era contra os judeus e por isso matou-os a todos. Acho que na mesma ótica, o senhor deve querer o mesmo.

      No final só deixo este comentário: desejo felicidades ao senhor e espero que nenhum filh@ seu seja LGBT ou até mesmo neto.

    • Fran(Kisco) says:

      Ora nem mais. Para uns tem de ser a fartazana porque querem liberdade para terem a vida que querem e em consequência matam a minha liberdade por nao aceitar as suas fantasias.
      Continuo com a mesma opinião de sempre e nao me desvio do meu caminho. Se tenho de aceitar os outros. Os outro tem de aceitar as minhas opiniões contra. Simplesmente isso. E deixemos de marchas e bandeiras. Para isso ja isso o folclore.

    • Vlad says:

      Pelos vistos não sabes o que é liberdade. Os gays, transexuais,…. são pessoas que merecem o mesmo respeito que qualquer outra pessoa, e não devem de ser atacados, descriminados ou ostracizados. Ser gay não é doença, nem muito menos é uma escolha, ou mesmo uma ideologia. Ou seja, a tratares estes como se assim fosse estás a ser inculto e preconceituoso. O LGBT luta pela liberdade de orientação sexual daquelas pessoas que não são heterosexuais, e tu não tens o direito, nem muito menos liberdade de as impedir de terem a orientação sexual que têm. Isto é algo que diz respeito a eles e apenas a eles, pois não interfere com a tua liberdade. Tens apenas a liberdade de não gostar dessas pessoas, mas não podes avançar para além disso. Tu confundes liberdade com libertinagem.

    • Dego says:

      Só penso que há quem já defendeu a aniquilação dos judeus, a escravidão, o abuso de crianças, marcar as mulheres com ferro em praça pública, ou ter o direito de até matá-las so do marido pensar que elas fizeram algo errado. Pensando bem isso nem existe nos dias de hoje, ou existe?

      Só penso que tudo que toli a liberdade das pessoas tem que ser repensado. A causa LGBT é uma delas.
      Mas eu so penso! Devo estar errado!

    • Gaius Baltar says:

      “Eles falam de uma maneira como fossemos obrigados a aceitar-los como são”. Sim, nós somos obrigados a aceitar negros, homossexuais, portadores de deficiências, velhos, etc. como são, pois eles não escolhem ser diferentes, eles simplesmente o são.
      Nós escolhemos clubes, religiões, partidos políticos ou bebidas. Não escolhemos a cor da pele ou a orientação sexual. Há que saber distinguir essas coisas com bastante atenção.

    • Nacionalista says:

      Concordo absolutamente, és dos poucos que tem OLHOS e consegue ver o que se passa nesta sociedade…

    • Texugo says:

      Spoky, até parece que vais preso por dizer mal da comunidade LGBT.

      Se tens a liberdade de ser “contra” (não sei porquê mas também não me interessa) os outros também têm a liberdade de te chamarem o que és pelos nomes certos. 😉 É assim tão difícil de compreender que a liberdade de expressão funciona nos dois sentidos? Ninguém vai preso nem é multado por isso, não estamos no tempo do Salazar.

  3. Luis says:

    Eu tenho amigos gays, que respeito como pessoas que são. No entanto, nenhum deles impõe a sua escolha de modo forçado. E é isso que me irrita nesta coisa que querer impor à força essa questão pelos diversos media. Até na página do pplware isto já chegou! Não se espera outra coisa do Sapo, dado que não há dia em que a questão não seja mencionada de alguma forma, mas forçarem isso até na página de informática!! Não há necessidade… Que as pessoas sejam o que elas quiserem, ainda que eu não partilhe do seu modo de vista é uma coisa, mas continuamente martelarem o assunto onde ele nem sequer é chamado é um pouco demais…
    Falem de informática… é por isso que eu acesso a página! É preciso pedir por favor?

    • Marisa Pinto says:

      Qual a parte que isto não tem a ver com informática? 🙂

    • Fabio says:

      Tudo o que é noticiado é uma imposição?
      Se for então deves ser muito rico para comprar toda a tecnologia que te estão a impor aqui todos os dias!

    • FdP says:

      Dei “gosto” neste cometário

    • Vlad says:

      Onde é o movimento LGBT tenta impor uma escolha a ti? O LGBT serve para celebrar a diversidade no que toca à orientação sexual. Não vejo ninguém a dizer que as restantes pessoas devem de ser gays, transexuais,… Acho que estás a confundir o facto de eles estarem a lutar para serem aceites na sociedade enquanto tu pensas que eles estão a lutar para te converter.

    • Texugo says:

      Também não percebi onde há imposição.

      No entanto, desde a fundação do Cristianismo e do Islamismo que há imposição no sentido oposto. Mas isso, como dizia a outra, agora não interessa nada.

      Visibilidade LGBT é diferente de imposição.

  4. David Guerreiro says:

    E porque não existe símbolo de reação de orgulho heterossexual? Não pode?

    • Paulo says:

      Hahahaha +1

    • Rodrigo says:

      +1. Ao colocar a reação LGBT é porque eles próprios já se julgam diferentes dos outros. Eles próprios admitem que são seres humanos como os outros, então se são que ajam como tal e não se ponham andar na rua todos floreados e armados em superiores, principalmente os gays. São homens e sentem-se num corpo de mulheres? Então comportem-se como tal. Nem uma mulher faz as figuras tristes que muitos gays fazem no meio da sociedade.

      • Boas pessoal says:

        “Ao colocar a reação LGBT é porque eles próprios já se julgam diferentes dos outros.” Hmm, se calhar porque sempre foram tratados como diferentes? Alias, tal como disseste: “São homens e sentem-se num corpo de mulheres?” só demonstra o pouco que sabes e que não te interessa saber mais.
        Estarem a pedir uma reação para “orgulho heterossexual” nem faz sentido, visto que o “normal” sempre foi ser heterossexual. Dado que estamos numa sociedade com evolução constante acho que faz todo o sentido a comunidade LGBT celebrar, dado que não sofrem o julgamento que sofriam antes.
        Acho que não tem nada de mal, alias é só uma reacção no facebook, mas o pessoal tem sempre que fazer um shitstorm quando ouve falar na sigla “LGBT”…
        Alias, ainda haver pessoal a pedir uma reação de orgulho heterossexual só demonstra que se calhar o ser humano já parou de evoluir e está neste momento a regredir aos tempos anteriores.

    • Spoky says:

      Realmente David, tens toda a razão onde é que andam a liberdade em ter “orgulho heterossexual”? Fascistas pá!

    • Gaius Baltar says:

      Pode. É só criar um e propor ao Facebook. Direitos iguais.

    • _Maggie_ says:

      Porque é que existe o dia da mulher e não o dia do homem? Qual é o sexo mais descriminado? (Caso não saiba é a mulher).
      A lógica aplica-se aqui também: os heterossexuais não necessitam de lutar para obterem direitos enquanto que com os homossexuais ainda têm muito que lutar pela igualdade e verem reconhecidos direitos como a adopção, poderem manifestar publicamente afeto se ser agredidos e chamados nomes, etc…
      Cumprimentos

    • Texugo says:

      Já existe orgulho heterossexual, 365 dias, 12 meses por ano. Mas força.

  5. Alvega says:

    He…he…,altamente, melhor tópico que este somente os da Huber (tem andado escondidos), ou da Tesla, (igualmente).
    Pois eu …tanto se me dá, como se me deu, o cu é deles, fazem disso o que quiserem, já nas “meninas”, há imagem de outros comentários…acho um desperdício…mas enfim, sao gostos.
    Agora mais a sério, e eu nao quero ofender ninguém, a minha opinião, entronca com a do “Spoky”, acho que alguém seja LGBT, ou nao para obter RESPEITO dos pares e de todos os outros, tem de saber dar-se ao respeito, e no que toca a essa comunidade, LGBT, acho que sao uma “troupe”, de exibicionistas, e provocadores. Acho que seria de bom tom se os chama-se de pessoas com défice de atenção…(é chique), mas claro que existem excepções, eu conheço MUITAS, sao pessoas como as outras, em que as hormonas…lhes pregam algumas “partidas”, mas nao escondendo a sua orientação sexual, fazem-no com o devido RECATO.
    Tenho clientes, conhecidos, e amigos, de esse grupo (lgbt), e nunca por nunca ser, tive qualquer tipo de altercação, com eles e elas, sao o que sao e assumem-no, fazem bem…acho…

    • Texugo says:

      Quem ler o seu comentário até pensa que LGBT é uma seita.

      Não temos de ser recatados só porque o senhor o quer. E não é por isso que não nos damos ao respeito. Estamos num país LIVRE e somos LIVRES de celebrar a nossa diversidade.

  6. JMCXL says:

    Há cerca de 10 anos atrás a cerveja Tagus (passe a publicidade) vês uma campanha que tinha como mote o “Orgulho hetero”.
    As reacções das comunidades gay, foram de tal forma exacerbadas que a dita cervejeira teve de desistir dessa campanha publicitária.
    Ora se os gays têm o direito de fazer campanhas pelo orgulho gay, porque razão não podem existir campanhas pelo orgulho hetero.
    Se há marchas pelo orgulho gay e são aceites, melhor ou pior, como reagiriam as comunidades LGBT a uma marcha pelo orgulho hetero?

    • Zé Macho says:

      Eu alinho numa marcha pelo orgulho hetero. Haja “tomates”! A ver como respondem os pseudo liberais. Se há liberdade para uns também há para os outros. Considerando que os hetero são cada vez mais uma minoria. Devemos manifestar-nos pelos nossos direitos à mesma liberdade.
      Quem alinha?

    • Gaius Baltar says:

      Concordo. O direito dos gays de celebrar não deve ser tolhido, mas o direito dos heterossexuais também não o pode. Respeito de ambos os lados.

    • Texugo says:

      Força. Mas como já disse acima, o orgulho hetero já se manifesta todos os dias do ano.

      Tem uma mente assim tão pequena, que uma manifestação de orgulho de uma minoria o afeta assim tanto?

      O que chamaria a uma marcha de orgulho branco? Acha que é “necessária”? Ou não será apenas reacionária e racista? Será que o orgulho branco também já não se manifestará todos os dias na sociedade? Pense nisso antes de dizer disparates.

  7. Nuno says:

    Os comentários a esta notícia são justificação mais que perfeita do porquê iniciativas como esta ainda são necessárias. Não se trata de uma questão de exibicionismo mas sim de uma questão de luta por uma igualdade que está muito longe de ser alcançada. Ter o direito de beijar alguém em público sem se ser criticado, ofendido ou sequer notado, independente do sexo, orientação, raça ou qualquer outro tipo de ‘caixa’ a que a sociedade se vê acostumada a colocar os outros porque acreditem ou não: Todos somos de carne e osso por dentro e se hoje podes te dar ao luxo de escrever o que te apetecer num computador ou smartphone foi porque Alan Turin (um homem assumidamente homossexual) criou o primeiro computador que teve um impacto tremendo na vitória dos Aliados na 2a Guerra Mundial (que levou à queda dos regimes fascistas na Europa e a muitas das liberdades que tens hoje em dia). Como recompensa Turin acabou por ser perseguido e quimicamente castrado, levando-o a suicidar-se. Agora reflitam no que acabaram de dizer.

    • Joel Reis says:

      *Alan Turing

      Infelizmente as manifestações LGBT têm sempre demasiado exibicionismo, sim. Não é chocando os outros que vão conseguir o respeito que merecem, não é a forma de luta correta.
      Se querem ser tratados de forma igual, ajam de forma igual, ignorem os preconceituosos que aos poucos se vão extinguindo.

      • Nuno says:

        Obrigado pela correção 🙂 de que forma sente que as manifestações LGBT são chocantes? Porque as pessoas saem à rua e ousam beijar pessoas do mesmo sexo? Porque exibem com orgulho a bandeira da liberdade/arco-iris? Porque despem as camisolas e pintam o corpo de várias cores num ambiente controlado e previamente definido? Em que medida é isso chocante? Em que medida varia de um Carnaval, de uma ida à praia ou de uma celebração da vitória do Benfica no Marquês (ou outro clube qualquer, apenas usei o Benfica por ter sido a mais recente)?

        • Luis Coelho says:

          As manifestações ou “paradas” são completamente exuberantes e exageradas.
          Para eu me manifestar não preciso de o fazer quase nú e a lamber a minha esposa frente às câmaras fotográficas.
          Quase todas as fotos destes eventos demonstram o que eu aqui digo e já agora desafio a responder se levaria uma criança a uma manifestação ou parada gay ou Pride como lhe queiram chamar…

      • Nuno says:

        Por favor não entenda isto como um ataque direto, muito pelo contrário é um pergunta honesta de alguém que lida diariamente com a comunidade LGBT e que ouve histórias de pessoas mal tratadas, discriminadas e atiradas para a rua pelos próprios pais DIARIAMENTE simplesmente por amarem alguém do mesmo sexo e honestamente vejo-me muitas vezes sem resposta para dar porque não consigo entender o que leva um parente ou outra pessoa qualquer a maltratar um ser humano dessa forma. Causa-me revolta e desconforto ver jovens tão novos e com uma vida pela frente descartados como lixo. Possivelmente vai me dizer que estou a CHOCAR as pessoas com estas palavras mas simplesmente estou a descrever o que me passa pela frente diariamente. Sinto a dor dessas pessoas e a sua revolta. Sou previligiado porque todos os dias volto para casa e para uma família que me reconforta e vivo numa sociedade que me ouve simplesmente pela cor da minha pele, género e grau académico por isso sinto que é meu dever lutar por aqueles que não gozam da mesma sorte. A discriminação tem passado despercebida e sido discretamente aceite por demasiado tempo e como um membro de uma nova geração sinto que é tempo de dizer BASTA! E termino em forma de clichê: “Vivam mais e deixem viver”

        • Joel Reis says:

          Também não compreendo nem aceito os extremismos que apontou, que pais, que pessoas são estas que a sociedade gera? É algo que tem de mudar, mas não da noite para o dia e não vai certamente acontecer com outros extremismos, com manifestações puramente exibicionistas, com nudismo, parcial ou total, com crucificações de mulheres semi-nuas e simulações de actos sexuais, que não fazem mais que aumentar a intolerância e o ódio em quem já o tem, sendo que se devia fomentar o contrário. Usando a citação do Balmer: A aceitação e tolerancia tem de vir dos dois lados. Somos uma sociedade em desenvolvimento há milhares de anos, não se pode esperar que todos estejam formatados para concordar com tudo o que escapa à norma, e da mesma forma que nós queremos que os outros nos aceitem, nós também temos que aceitar que alguns dos outros ainda não estão prontos para isso. Tempo e paciencia.”. É este o caminho a seguir por quem realmente quer mudar a situação, não por quem se quer vitimizar e aumentar a discriminação e o ódio pré-existentes.

      • Fabio says:

        E uma manifestação que acontece uma vez por ano é assim tão anormal que se torne insopurtável para os outros?
        Eu quando não gosto de uma “anormalidade”, desde que não afecte a vida de ninguém, ignoro e deixo-os viver a vida deles. Isso é que é aceitar a liberdade ao contrário do que o outro diz mais para cima.
        Eu não gosto do Tony Carreira, mas todos os anos o Continente insiste em fechar uma ruas e criar a confusão para as labregas poderem todas ir à cidade atirar cuecas para o palco. Não vou andar a minha vida toda revoltado com as labregas do Tony por causa disso. Seria uma obsessão doentia.

    • Balmer says:

      Refleti no que tu disseste, cheguei à conclusão: Não sabes o que dizes, logo não defendas quem não te pediu nada. Dizes que não é uma questão de exibicionismo mas obviamente não estás por dentro do que se passa na comunidade.

      “Os comentários a esta notícia são justificação mais que perfeita do porquê iniciativas como esta ainda são necessárias. ”

      Não, não são. São justificação que há certas coisas que não deviam estar a ser esfregadas nas caras das pessoas – Assim elas não se queixam. Posto de lado claro o parecer extremamente idiotico uma reacção “LGBT” … O que quer dizer isso? “Hoje estou a sentir-me um bocado mais transexual” ? “Hoje vou dar numa de homo” ?
      Side note: Tenho uma amiga transexual, operação já realizada e tudo, ela não discorda minimamente com o que estou a dizer acima, e que acha a inclusão da reação completamente ridicula e sem simbolismo util. :B Quem discordar possivemente está a ser opressivo para a comunidade LGBT, cuidado.

      “Alan Turin”

      Claramente ainda estamos com estas praticas em larga escala, é surpreendente como ainda há pessoas suficientes para fazer a tal comunidade LGBT.

      Há aqui um problema, e são os defensores da comunidade LGBT que se vocalização como extremistas. Enquanto há pessoas a trabalhar no mero sentido de haver uma tolerancia (porque é tudo o que é preciso para haver aceitação), tens outros a apregoar por uma aceitação que é de facto deixar os membros da comunidade LGBT fazerem o que quiserem e qualquer comentário que seja feito nem que seja por descuido é uma ofensa a eles e aos familiares e mais alguma coisa.

      E mais uma vez, tenho aqui suporte vindo de dentro. “A aceitação e tolerancia tem de vir dos dois lados. Somos uma sociedade em desenvolvimento há milhares de anos, não se pode esperar que todos estejam formatados para concordar com tudo o que escapa à norma, e da mesma forma que nós queremos que os outros nos aceitem, nós também temos que aceitar que alguns dos outros ainda não estão prontos para isso. Tempo e paciencia.”

      Dito isso, concordamos os dois que há sitios onde a situação é mais problematica, mais extrema (contra LGBT) e isso é de facto preocupante e precisa que algo seja feito — Mas a cura certamente não é alienar as pessoas que ao menos toleram a existencia daqueles que são diferentes.

    • Ana says:

      Obrigada Nuno, é isso mesmo!
      A maior parte das pessoas nos comentários acima está a falar montada em cima do cavalo do privilégio: nenhum hetero é sujeito a discriminação no dia-a-dia e em momentos que interessam (saúde, emprego, relações familiares) por causa da orientação sexual. Não sabem o que isso é, não vale a pena discutir. E se não sabem, não deviam pelo menos tentar diminuir a importância deste tipo de eventos pelos quais as pessoas LGBT passam. Tem importância, tem de mudar, e para isso é necessário chamar a atenção para estes temas – com exibicionismo, provocação e o que mais seja preciso!

      • Joel Reis says:

        “chamar a atenção para estes temas – com exibicionismo, provocação e o que mais seja preciso”
        Qual é a reação normal a estas ações?

        • Ana says:

          Causa discussão, troca de ideias, aumenta a visibilidade destas questões. Repara, não foi preciso ninguém estar a pavonear-se de plumas – FOI SÓ UM EMOJI – para imensa gente homofóbica a vir expressar a sua indignação: “também quero uma bandeira hetero” (já lhe foi negado um trabalho por ser hetero?), “querem nos impingir tudo o que é gay” (andam com formulários a tentar converter o resto da malta?), “não concordo” (com a maneira como eles vivem a vida deles?), “não aceito” (a maneira como eles vivem a vida deles?)…
          Acredito que só causando desconforto – que é relativo, como vês – é que vamos ter mais discussões, pôr em causa estes preconceitos e evoluir nestes temas.
          Se com este tipo de troca de palavras alguém sair mais tolerante, é mais um passo dado.

          • Texugo says:

            Concordo PLENAMENTE, Ana. Quem se indigna com uma marcha também se indigna com uma simples reação do Facebook, e esta caixa de comentários é a prova viva disso.

            O objetivo da marcha é dizer que ESTAMOS AQUI, sempre estivemos e sempre iremos estar. Somos filhos, irmãos, primos e primas de vocês todos, temos empregos, pagamos impostos, somos IGUAIS a vocês e portanto merecemos poder mostrar o nosso amor nas ruas.

            Eu vivo no Porto e muitas vezes tenho MEDO de dar a mão ao meu namorado na rua. Receio comentários, receio que certos conhecidos meus me vejam, e receio por vezes até violência. A marcha de orgulho é a ÚNICA vez do ano em que sinto que posso expressar-me a 100%, junto de tanta gente igual a mim.

            Custa ver a pequenez da mente de grande parte das pessoas nesta caixa de comentários. Só demonstra que a nossa sociedade ainda tem um caminho longo a caminhar, embora tenha melhorado bastante nos últimos 10 anos.

  8. Luís says:

    Não percebo porque a vida privada de algumas pessoas pode ter tal reação noutras pessoas, que têm de fazer comentários afirmando que são contra.

  9. Gonçalo says:

    Como é que uma bandeirinha no FB pode causar tanto “atrito”?! Há coisas que não entendo…

    • Zeze says:

      Criam atrito porque as pessoas andam fartas da tanta “paneleirage”. Já há mais pessoas gays na TV portuguesa do que heterossexuais, querem nos impingir tudo o que é gay para tentar mudar a mentalidade de quem não o é para que os passem a respeitar e até compreendo isso, mas para quem como eu respeita e não quer saber o que cada um faz com a sua orientação sexual pois isso é do seu foro privado torna-se chato estar sempre a levar com o mesmo. Quem é a minoria agora a precisar de ser protegida? Faz me lembrar à uns anos a história do racismo com as pessoas de raça negra. A verdade é que os pretos sempre foram mais racistas do que os brancos. E Portugal não é um bom exemplo para africanos acusarem brancos de racismo. Fomos um dos 3 primeiros países no mundo a abolir a escravatura. A fomentar a educação nas antigas colónias. Tenho familiares pretos e amigos também e são pessoas excepcionais e eles próprios admitem que os africanos no geral são racistas. E basta andar uma hora a pé em Lisboa para ver portugueses brancos com pretas e brancas com pretos. E onde está o problema? Acho muito bem. É como a questão dos refugiados. Je Sui charlie, Je Sui Paris, we are Manchester, we are London, e agora vão todas as semanas ser carne picada. Ainda bem que o UK vai sair da Europa e a França era bom que saísse também. Já ficamos com as fronteiras fechadas com eles e essa mitragem já não vinha para cá. Se vierem 20 milhões de muçulmanos para a Europa e se apenas 1% forem radicalizados… Vao haver bombas por muitas e muitas semanas. Em vários distritos já a maioria é de etnia árabe e religião muçulmana, cada casal muçulmano tem em média 7 ou 8 filhos. Em 20 anos multiplicam o número por 6 ou 7 e dominam a Europa nas urnas. Agora já parecem os países da pipoca. Rebenta aqui, rebenta ali. E os ataques vão ser cada vez mais constantes. Ou pegam em todos os que tenham menos de 40 anos e os mandam para o país de origem ou não vão ter mais descanso. Ainda assim a maioria da população ainda é nativa. Há um sério risco de daqui a 10 anos a continuarem estes ataques, a ser eleito um ditador de extrema direta na Europa no Reino unido ou na França. E depois… CaBummmm fez-se o chocapic. Qualquer um dos cenários é péssimo.

      • Texugo says:

        «as pessoas andam fartas da tanta “paneleirage”»
        A.k.a tu e mais meia dúzia de badamecos, que se ofendem com coisas que não têm nada a ver com a vossa vida.

        «Já há mais pessoas gays na TV portuguesa do que heterossexuais»
        Fonte? E mesmo que fosse verdade, que seguimento tem esse argumento? Arriscar-me-ia a dizer… zero.

        «querem nos impingir tudo o que é gay para tentar mudar a mentalidade de quem não o é»
        Exemplos?

        «mas para quem como eu respeita e não quer saber o que cada um faz com a sua orientação sexual pois isso é do seu foro privado torna-se chato estar sempre a levar com o mesmo.»
        Se de facto respeitasse, não lhe faria qualquer impressão. Ao menos admita que não respeita. Seria mais sincero a si próprio e aos outros.

        «Quem é a minoria agora a precisar de ser protegida?»
        …sim? Minoria por definição não tem peso numa democracia, logo precisa de outros mecanismos para se defender. Era o que faltava as maiorias poderem decidir o destino das minorias que não gostam. As minorias são menores em número, mas não são cidadãos de segunda classe. Se as minorias não fossem protegidas, ainda haveria escravatura hoje em dia. Essa mesma escravatura cuja abolição tanto elogia no MESMO comentário que escreveu.

        A partir daí começou a divagar completamente com coisas que não têm nada a ver. Mas soltei uma gargalhada com o comentário sobre “os pretos serem mais racistas que os brancos”. Essa generalização foi, no mínimo, irónica.

        Não conseguem mesmo ver as falhas na vossa própria lógica? O vosso preconceito é tanto que só vos cega.

  10. viana says:

    Sou a favor de tudo que promove a igualdade ou melhor a equidade, visando um mundo melhor para todos.
    Se alguns são contra , sim , eles tem o direito de serem contra, afinal qual o problema de serem contra os lgbt ?
    Da mesma forma , qual o problema de ser contra os negros , ou outra etnia diferente da tua ? Tens este direito.
    Qual o problema ser contra os portadores de deficiência física ou mental ? Tens este direito.
    Qual o problema ser contra qualquer grupo que sofre discriminação ou preconceito por ser diferente?
    Entendo que não se mede contra ou a favor por ser lgbt , hetero , bi ou assexuado , negro ou branco, religioso ou ateu. E sim por ter caráter ou não.

  11. Luis Coelho says:

    Quero uma bandeirinha de “ORGULHO HETERO” pode ser já amanhã Mark Zuckerberg? Ou tens algo contra os heterossexuais?

    • Pedro says:

      Essa de “orgulho hetero” não percebo. Talvez quando os heterossexuais forem uma minoria que é discriminada, insultada e maltratada. Que é assinada pelo simples facto de existir. Que é torturada porque outros não a aceitam. Que teve que viver escondida dos olhares. E que só agora começa a ter uma visibilidade social mais igualitária porque se levantarou e fez frente à maioria.
      Quanto a comunidade heterossexual passar por isso, aí sim terá a sua bandeirinha tão desejada de “orgulho hetero”.

    • Texugo says:

      E a bandeirinha de orgulho branco? São quase tão discriminados como os hetero.

      Ou será demasiado, hmmm, não sei… nazi?

      Fica a questão no ar.

  12. falcaobranco says:

    Uma coisa é a questão sexual de cada um de nós e outra coisa é o facto do facebook disponibilizar o arco-iris numa bandeira… e neste caso tinha que se discutir era o facto do facebook meter esta reacção e não meter outras…mas não…como sempre as pessoas misturam tudo…enfim!!

    Em relação ao facto do face ter metido esta reacção… nem me aquece, nem me arrefece… não faço questão de a usar, mas quem a usar, bom proveito!

  13. Blob says:

    Devido á minha profissão, sou “obrigado” a ter de aturar muitos lgbt, que até são ás vezes boas pessoas e simpáticas, mas a grande parte simplesmente não respeita os outros e acha que os hetero é que estão mal.
    Esta é (infelizmente) a maioria do pensamento lgbt, que depois não gostam de ver/ouvir opiniões de quem é contra.
    As leis foram feitas por membros lgbt, ou os “moralmente correctos” que têm vindo a destruir a sociedade em geral.
    Não sou contra as pessoas do mesmo sexo que queiram ter uma vida em conjunto, mas não venham com exigências de mais “liberdade”, porque chegou ao ponto de as pessoas comuns não se poderem exprimir contra….

    • viana says:

      Te entendo , e este conflito acontece com qualquer minoria: lgbts , negros, muçulmanos, indios, etc.
      Se a maioria de hoje fosse a minoria de amanhã, aconteceria exatamente o mesmo.
      É importante distinguir que em ambos , maioria ou minoria, existem pessoas bem intencionadas e mal intencionadas, qualquer generalização é injusta!

    • Texugo says:

      Dê-me exemplos dessa “falta de respeito”, por favor. Já agora, se não for indiscrição, fale-nos da sua profissão em que é “obrigado” a lidar com tantos LGBT.

      Diga-me também em que sentido é que a sociedade está a ser destruída.

      Diga-me em que sentido não se pode exprimir contra.

      Está com medo de uma repressão que NÃO EXISTE. Uma repressão que para a comunidade LGBT existe há MILÉNIOS. Já pensou nisso? Viva a sua vida e deixe os outros viver as suas. Está à vontade para ser homofóbico desde que as suas palavras não passem à ação, prejudicando as pessoas que critica.

  14. dajosova says:

    e servir a Deus…?

  15. José Bacalhau says:

    O pessoal aqui é um bocado radical. Eu amo os homossexuais como a todos os outros seres humanos. Presto-lhes a honra de os tratar como homens ou mulheres de corpo inteiro. Não os desconsidero nem os trato como diferentes, porque acredito que não o são. Acredito que homossexuais são tão bons ou tão maus como os outros. E se porventura as pessoas citam a Bíblia para os condenar, mostram ser hipócritas como os que procuravam apedrejar a mulher adúltera e que foram obrigados por Jesus a olharem para os seus próprios pecados, provavelmente mais graves do que a fornicação ou a sodomia.
    Por isto mesmo, rejeito liminarmente a ideologia LGBT, que procura justamente distinguir os homossexuais dos outros, torná-los diferentes ou com privilégios especiais. Querem obrigar a sociedade a aceitar como normal a mercantilização das crianças. Querem leis especiais para poderem casar quando esses direitos especiais são negados (e bem) a outros grupos (por exemplo, irmãos vivendo juntos). Querem impor a dominância cultural, ao suprimirem pela humilhação e apoucamento qualquer opinião que não seja entusiástica para a sua causa. Querem que as pessoas que não embarquem na moda se calem.
    Por tudo isto, não apoio o movimento LGBT. Não é verdade que se trate de um movimento inofensivo. É uma vaga cultural bem pensada e com um objetivo evidente. Prefiro respeitar os homossexuais como seres humanos de corpo inteiro, com fraquezas e grandezas mas iguais em dignidade a todos os outros.

    • Texugo says:

      Que privilégios especiais é que a comunidade LGBT exige? Que eu saiba, para já só foram exigidas medidas para estabelecer igualdade de direitos com o resto da sociedade.

      O que é a “mercantilização das crianças”? Elucide-me, por favor. Estou curioso por saber a resposta. Adoção por casais hetero é normal, mas para casais homo é mercantilização?

      Os “irmãos que vivem juntos” que se queiram casar, estão livres de lutar pelos seus direitos, como a comunidade LGBT o tem feito há décadas.

      “Querem impor a dominância cultural, ao suprimirem pela humilhação e apoucamento”
      A primeira comunidade que me vem à cabeça quando leio isto é a sociedade ocidental dos últimos dois milénios. As comunidades cristã e islâmica, que efetivamente silenciaram, usaram, violentaram e mataram MILHÕES de LGBTs. Quer comparar a isso comentários no Facebook a chamarem os outros de “homofóbicos”? Acha mesmo que a comunidade LGBT é assim tipo uma igreja ou seita organizada com uma agenda política? Tipo, sei lá, a igreja católica?

      Respeito a sua opinião, mesmo não a percebendo totalmente. Acho que as suas críticas ainda advêm de um certo “medo” do desconhecido, de uma “ameaça LGBT” que, digo-lhe como gay que sou, NÃO EXISTE! Não há qualquer agenda!
      Apenas não queremos coisas como:

      – Ser despedidos por sermos LGBT

      – Ser-nos negado alojamento por sermos LGBT

      – Fazerem-nos comentários por andarmos de mão dada com o nosso companheiro na rua

      – Ser-nos negado o casamento com o nossos companheiros, coisa que todos os nossos amigos podem fazer com as suas companheiras. Porque não, se a natureza da nossa relação é essencialmente a MESMA? Amor e vontade de construir uma vida a dois?

      – Ser-nos negada a opção de adotar de um filho como parte dos planos para a vida em família, como qualquer casal hetero pode

      Isto são coisas BÁSICAS da vida em sociedade que nos eram negadas até há bem pouco tempo! Felizmente Portugal é dos países mais avançados no mundo no que toca a legislação, mas ainda há muito trabalho pela frente no que diz respeito a mentalidades!

      É assim tão difícil perceber que não queremos “direitos especiais”, apenas IGUALDADE?

  16. AlecsMil says:

    E quem é que quer ter essa desgraça em seu facebook???

  17. Lisbon lover says:

    Tá, e se uma pessoa cancelar o ‘gosto’ nessa página também perde essa reação?

    Bacano era cada país ter uma reação com a bandeira do seu país…

  18. Ricardo Salgueiro says:

    Eu estive a ler muitos do comentários que foram deixados aqui e devo dizer que tenho apenas 17 anos sou Bissexual e vivo bem com isso respeitando a opinião dos outros mesmo que má fundamentadas.
    A questão de liberdade é algo que tem dado que falar muito, especialmente quando falamos de orientação social, e eu passei os últimos anos da minha vida ouvindo varias opiniões contra ou a favor,fundamentadas ou não e posso dizer com certeza absoluta de que cada opinião é formada e desenvolvida dependente das experiências de vida, da sociedade em que vive e especialmente da maneira de pensar e mesmo que pareça que tem a mesma opinião, ela na verdade nunca é igual mas vou dizer a minha opinião sobre o assunto mesmo sabendo que sou demasiado novo parar ter tido qualquer experiência de vida:
    Na minha opinião todos tem o direito de gostar de quem querem, seja do mesmo sexo ou não, como todos tem o direito de expressar a sua opinião da maneira como quiserem desde que não prejudique ninguém mas alguma vez se perguntaram o porque da população mundial ser maioritariamente heterossexuais?Não?A resposta é fácil. A sociedade. se a sociedade nos tive-se ensinado de que o que esta “certo” e o que é “normal” é ser homossexual ou outro não-heterossexual então a maioria da sociedade possivelmente seria maioritariamente não-heterossexual.Isto no caso de não nascermos gostando de um exacto género pois se for esse caso não há nada que possamos fazer a não ser aceitarmo-nos como somos, mas mesmo que sejá mesmo esse caso a sociedade tem sempre uma palavra a dizer (infelizmente),a minha opinião é uma fusão da duas, penso que todos nascemos bissexuais pois só a partir dos 6 anos, perto disso, é que começamos a nos aperceber do que esta ao nosso redor e uma criança nunca compreendera o amor entre géneros pois para uma criança o que lhe importa é ser amada independentemente de quem sejam as pessoas a sua volta.
    Eu acho que o pior que alguém podia fazer era esconder a sua sexualidade pois esta a proibir a sua felicidade e a sua liberdade de se poder expressar amorosamente.
    Tenho muito mais para dizer sobre este assunto mais não vou prolongar mais esta conversa porque se não nunca mais saiamos daqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.