PplWare Mobile

Educadores dos EUA processam o TikTok, YouTube e Snapchat por prejudicarem os jovens

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Lopes says:

    humm, viciantes, engraçado ao fim de tantos anos só agora é que olharam para esse problema, se calhar o problema não está nas plataformas, mas na forma em como as crianças e adolescentes são educados, pois para os entreterem toma lá youtube e tiketoks e depois a malta já é viciada, fantástico …

    • deepturple says:

      claro. os pais por preguiça, desleixo e irresponsabilidade põe os filhos a jeito de serem educados pelo alheio.
      Depois vêm queixar-se que os miúdos têm comportamentos assim e assado!
      E ainda falam mal da educação cristã, valores de família, etc.
      E depois é a bipolaridade dos próprios pais… ou 8 ou 80!

  2. M. Alves says:

    Boa… Deviam fazer o mesmo para o Facebook e Instagram. Mas já fico feliz por este ser o início da morte destas porcarias de redes sociais. E fico também ainda mais feliz porque vai se acabar a mama para aqueles que vivem, através delas, à custa do dinheiro dos outros.

    • windows says:

      Eis que não demorou muito alguém aparecer logo aqui a defender o outro lado, pois o problema está mesmo nas redes sociais, não está do outro lado de quem está a educar que incentiva ao uso descontrolado das mesmas sem impor limites e dar a entender o uso que deve ser realmente dado, é mais fácil atacar as plataformas só porque lhes convém…

      Infelizmente os que ganham dinheiro através destes meios é porque as coisas mudaram hoje passa tudo pelo mundo digital, a TV entre outras coisas são do passado, talvez deva refletir um pouco sobre como as tudo funciona ao seu redor atualmente.

      • Blockd says:

        Educar é essencial, mas isso é responsabilidade dos adultos,ç (pais, não a escola) que não se apercebem que tbm têm um problema e dão o exemplo negativo… A chupeta digital servida desde o berço vai dar erro (tão fácil dar o tlm ou tablet e deixá-los a “mamar” durante horas, assim não chateiam)… Tantos miúdos e jovens (adultos tbm) que não conseguem ficar concentrados no que quer que seja por mais de 10 min (com sorte…)…

      • M. Alves says:

        Deves ser daqueles que vai estoirar o dinheiro todo no onlyfans…. O mundo está a beira do colapso…. Vá lá… Defende lá as meninas que vendem o corpo por essas plataformas…

        • windows says:

          Sim o mundo está há beira de colapso com pessoas como tu que se preocupam é em mandar a culpa para os outros ao invés de assumir que está errado e precisa de tomar responsabilidade nas suas ações…

        • Lopes says:

          Bem quem deve estoirar dinheiro nas meninas deves ser tu, pois já deste a conhecer que estás dentro do assunto, por isso pela boca morre o peixe, não é verdade.

          Simplesmente o que ele disse e com razão e tu és desses mandar a culpa aos outros, hahaha…

          Eu venho do tempo em que respeitinho era muito bonito e eduquei os meus nessa base, acompanhei a evolução tecnológica desde sempre e como é natural eu não dependo da mesma, apenas a uso como ferramenta de trabalho.

          Já as gerações mais novas principalmente as que nasceram no inicio deste século já tiveram outras facilidades e devido a outras prioridades em casa a educação começou a deixar a desejar aliciados as novas tendencias, pois hoje tudo gira em torno da internet, criou-se outros tipos de negócios, agora o problema de quem passa os dias grudado na WEB é simplesmente não lhe ter sido logo incutido em casa regras de boas maneiras.

          As escolas cabem ensinar não é educar isso é trabalho dos pais, por isso é que depois se vê o que se vê, os desvaneios nas escolas, e no final é tudo culpa das redes sociais…

          • M. Alves says:

            Usas como ferramenta de trabalho… Está mas é falado que tu e a tua geração não passam de uns fallhados sejam em que area for… Até na educação que deveria dar são autênticos falhados… Na volta tambem ensinaste aos teus a gastar o dinheiro nas meninas…. Pessoas como vocês são o esterco da sociedade. Nem escrever sabem… Aprenderam português pelo YouTube….

  3. tiago says:

    Nos estados unidos processa-se tudo e todos por qualquer coisa, que culpa tem as plataformas do cyberbulling e as crianças ganharem doenças, se calhar estes professores deviam era processar os pais dos alunos por andarem a dar uma má educação em casa, mas claro isso ia dar uma má imagem para as escolas aonde os meninos andam e processar as plataformas é mais “fácil”, sempre ouvi dizer que culpar os outros pelos nossos erros é mais fácil do que admitir que erramos e afinal é verdade.

    • windows says:

      Bem observado, hoje a sociedade não consegue admitir que está errada em muitas das opções que tomou, então tenta-se logo demarcar das responsabilidades para os outros…

  4. Saiyajin says:

    Depois, podem começar a processar as cadeias de fast food porque prejudicam a saude das crianças, bem como a industria seja ela qual for. Não menosprezar a indústria dos jogos, que tem impacto negativo tambem nas crianças. Não menos importante, o mercado laboral que consome muito o tempo dos pais, impedindo-os de ter tempo para educar os seus filhos e por fim o estado porque está a degradar o ensino.

  5. Blockd says:

    Que se faça o mesmo na Europa. Os efeitos são arrepiantes e os números vão mostrar isso mesmo num futuro próximo. Ansiedade será o menor dos problemas. E já não é pequeno!

  6. Tiago says:

    Como eu costumo dizer, a chamada geração Twitter. A geração que só sai à rua quando o protesto é publicitado no Twitter, que são ativistas das modas que são tendências. Uma geração de ovelhas.
    Sim, acho que as redes sociais contribuem muito para um baixo QI dos jovens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.