Quantcast
PplWare Mobile

E como fica a privacidade? O Facebook quer analisar dados criptografados sem decifrá-los

O que é a Encriptação homomórfica?

A encriptação homomórfica é uma forma de cifragem que dá possibilidade a tipos específicos de computação serem realizados com cifrotexto (texto cifrado), de modo a se obter um resultado encriptado que é o cifrotexto do resultado das operações realizadas no purotexto.

Para percebermos melhor, sigamos o seguinte exemplo:

Uma pessoa poderia somar dois números cifrados e outra pessoa poderia decifrar o resultado sem que nenhuma delas consiga descobrir o valor dos números individualmente. A propriedade homomórfica de vários sistemas criptográficos pode ser usada para criar sistemas de votação seguros, funções hash resistentes a colisão, esquemas de recuperação privada de informação e permitir que se use computação na cloud, garantindo a confidencialidade dos dados processados.

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. gabriel says:

    Está tão garantida a privacidade, como a liberdade do Snowden nos EUA…

  2. Samuel MG says:

    A mim não vai acontecer pois já mandei o facebook para o raio que o parta 😛

    • Sapp says:

      Eu com muito orgulho nunca usei mas tenho que usar WhatsApp porque uns lesados do cérebro na minha família se recusam a usar telegram

    • TSSRK says:

      Quando disseste isso, fui ver os endereços carregados por esta pagina e aparece lá o connect.facebook.net

      De qualquer das formas mesmo sem contas eles fazem o fingerprinting dos utilizadores.

      • Artur Peralta says:

        Para isso podes sempre usar NoScript, uMatrix, LibreJS. Embora seja de certa forma redundante, só “executas” o que quizeres quando navegas. Se queres elevar um pouco mais, sempre podes alterar o ficheiro hosts to teu dispositivo e apontar todos os domínios que queiras (google, facebook, …) para a tua máquina.

        Vais ver uma net bem mais rápida e sem publicidade, no entanto existem alguns sites que vais ver desconfigurados, mas no meu caso chega perfeitamente.

      • Sapp says:

        Sim eu uso ublock e uso VPN tracker control. Te garanto que é muito mais difícil pra Facebook ou Twitter ou qualquer tracker me seguir

      • Sapp says:

        Tipo, você sabe que o app do Android “battery and performance” por alguma razão inexplicável conecta e envia dados para o graph.facebook.com? Porque? Não me pergunte mas eu sei e bloqueio essa conexão

    • Miguel says:

      Julgas tu que já o mandaste para o raio que o parte…é tal e qual como “uma vez na internet, para sempre na internet.”

  3. carlos says:

    “Esta forma permite, através de complexas fórmulas matemáticas, processar os dados sem ter acesso direto aos mesmos.” – por isso já saí fora do face. o tempo que perdi não me trouxe nada de útil.

  4. André R. says:

    O exército americano depois pode usar essas “fórmulas” matemáticas para analisar dados encriptados e enviar publicidade ao inimigo. Bem pensado Facebook…

  5. Paulo Cruz says:

    Ou seja: o Facebook vai espreitar pela fechadura antes de colocar a chave… Cusquice digital que rende milhões…

  6. obrigadinho says:

    é o maior esse facebook
    🙂

  7. Miguel says:

    O objectivo de ser criptografado é não saber o conteúdo, se conseguem saber o contexto da mensagem através de formullas matemáticas, algum conteúdo deixou de ser privado, portanto a privacidade não está de facto mantida….

  8. João says:

    A notícia está mal escrita e muito incompleto, e quem a escreveu não percebeu o conceito de encriptação homomorfica.
    É possível, processar informação encriptada, e até produzir resultado, como por exemplo, num ficheiro com dados como com do cabelo, dos olhos, altura, peso, etc, é possível até achar a percentagem de pessoas com cada cor de cabelo, isto sem aceder directamente aos dados que ligam a cor castanho á Maria.
    Um pormenor, que aqui o Pplware não escreveu é que os dados têm já de ser previamente encriptados e depois enviados para a terceira parte que quer fazer qualquer tipo de inferência com os dados.
    Não vale de nada se eu conheço os dados dos utilizadores previamente, depois os encripto e depois aplico seja o que for.
    Outro aspecto, a técnica descrita não é viável como está neste momento, porque consome muita energia por mega de informação.

    • Vítor M. says:

      Estás enganado, está bem explicita e com exemplos sobre a encriptação homomórfica. Além disso, pelos exemplos dados, é possível, em grosso modo, passar a informação da execução do processo pretendido pelo Facebook. Aliás, é pela simplicidade e objetividade que se consegue explicar a forma que será obtida a informação “privada” dos utilizadores com acesso a este tipo de tecnologia sem que com isso, dizem, seja comprometida a confidencialidade.

      Apesar de ser uma técnica viável em teoria, há vários aspetos técnicos que podem no momento não permitir a usabilidade imediata, uma é o consumo de energia, outra é a velocidade do resultado pretendido (além de outras).

      A ideia não é sabes os dados antes de serem encriptados. O que eles querem é que os dados sejam encriptados numa ponta sem acesso do facebook e depois com a encriptação homomórfica retirar os elementos pretendidos para as máquinas de inteligência artificial aplicar essa recolha à publicidade.

  9. Redin says:

    Boa sorte para isso. No entanto poderá ser uma boa desculpa para continuar a injetar publicidade argumentando uma explicação sem sentido.
    Se eu não consigo ler, deduzo à sorte que poderão estar a falar de problemas de saúde e levas com publicidade de um analgésico qualquer. Quem de nós poderá dizer o contrário? Eles é que têm a tecnologia “secreta”.

  10. outra vez !! says:

    A empresa de vigilância Paragon descobriu uma forma de entrar em várias aplicações de smartphone encriptadas. Trata-se de uma organização Israelita que foi fundada em 2019 e revela que consegue fazer tudo isto remotamente.
    A revista Forbes que já analisou esta questão diz que pouco se sabe sobre a Paragon Solutions. Sabe-se que esta empresa tem 50 colaboradores e não tem um site. Entretanto foi fundada por Ehud Schneorson, o antigo responsável pela unidade 8200, na prática o equivalente israelita da americana NSA.

  11. Rui says:

    É como dar uma caixa de chocolates a um puto de 5 anos e dizer-lhe que só pode olhar e não pode comer, já todos sabemos o resultado.

  12. Joao Ptt says:

    O truque é não utilizar nada do grupo Facebook, e bloquear todas as ligações aos serviços do mesmo.

  13. Atento says:

    A chamada «fuga para a frente».
    Aumenta-se a complexidade do sistema, obtêm-se os dados pretendidos, mais tarde, quando se perceber que tudo não passou de um logro … pedimos desculpas pelo contratempo, mas vamos trabalhar muito para melhorar …
    Não critico porque o modelo de negócio da empresa é a informação que recolhe. Quem usa tem consciência disso pelo que também não pode criticar.
    Mas é irritante que me atirem areia para os olhos …

  14. . says:

    Existem pessoas tão tapadas que nem sente a areia e outros a quem lhes chamam de fundamentalistas , no entanto, a realidade é bem diferente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.