Quantcast
PplWare Mobile

Spotify também já prepara resposta “HiFi” aos outros serviços de streaming

PUB

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Riko says:

    Foi preciso a apple para agora estes acordarem….a proprosta da apple e muito melhor e mais barata.

    • Blox says:

      Pena é que NÃO! O Tidal já tem esta funcionalidade há muito. No mínimo podes dizer: Apple COPIA Tidal, e continua atrás do Spotify.

      • cross says:

        Assim como o Deezer.

      • Vítor M. says:

        Blox, a Apple também não quer em muitas coisas ser a pioneira 😉 porque não traz vantagens. Prefere esperar que o mercado mostre as tendências, a reação a certos produtos e serviços e depois a empresa adapta a oferta.

        No caso do Apple Music, estamos perante um serviço que tem as suas raízes no iTunes e iTunes Store (venda de música), que nasceu em 2003. A empresa aí sim foi pioneira em muita coisa e ajudou o mundo da música, salvando muitos músicos: https://bit.ly/3u2ckBI

        Contudo, a Apple percebeu que poderia fazer mais do que alguns serviços que já existiam na época, como o IUMA e Ritmoteca (que eram incompletos (mas pioneiros) face ao que a Apple fez, junto da indústria da música).

        Anos passaram e o mundo evoluiu, apareceu forte o streaming de música e a Apple, com a sua experiência com o revolucionário iPod e com a próspera e cada vez mais poderosa iTunes Store tinham tudo para em 2015 poder lançar o Apple Music.

        Portanto, nesta altura já existia o IUMA (1993), o Napster (1999), o Last.fm (2002), o Pandora (2005), Deezer (2007), o Spotify (2008), o Tidal em 2014, e muitos outros que, acrescentaram algo e todos foram, se alguma forma, inovadores.

        A Apple agora está a fazer o mesmo. Usar o seu serviço Apple Music para trazer LossLess aos seus clientes, mas sem aumentar ao preço. Outros não o fizeram, tinham esta opção, mas com um plano diferente. Mas não foram esses que “inventaram este mercado” 😉 apenas acrescentaram algo, como a Apple agora está a acrescentar.

        Depois há algo mais, como o Áudio Espacial e o suporte para Dolby Atmos, que é mais um excelente incremento.

        Resumindo, Blox, o que dizes está tudo errado…

    • Toni da Adega says:

      Para já a proprosta da apple nao faz muito sentido visto que nenhum dos dispositivos aúdio da Apple suporta Hi-Res Lossless.
      Muito provavelmente estao a preparar uns novos AirPods/AirPods Max com suporte a Apple Music Lossless ou entao a introducao de dispositivos com cabo.

      https://www.macrumors.com/guide/apple-music-lossless/

    • Trumpetas says:

      looooooooooooooooooooooool

      tidal e o deezer há muito tempo que têm HI-FI

      quem precisa de acordar és tu Riko

  2. Jorge Carvalho says:

    “O Spotify estará a parar a sua proposta HiFi para ser disponibilizada em breve.”

    Faz sentido 🙂

    Abc

  3. Nuno Ribeiro says:

    “O Spotify estará a parar a sua proposta HiFi “

  4. Brutosaurus says:

    HiFi para ouvir através do DAC da treta de qualquer telemóvel, e ainda pior, através de bluetooth para aquelas colunas mono que só dão graves… enfim

    • Hugo says:

      Bingo.
      E aquela malta que diz “ainda usas pen com mp3 no carro? …eu emparelho o telemóvel e a qualidade é boa” 😀

    • FAR says:

      Certamente não será para todos, mas não faz mal existir uma opção de alta qualidade para quem a quiser, certo?

      • Brutosaurus says:

        Para ativar no Iphone não tem muito sentido, não. Se tiveres um bom dac para gerir o serviço de streaming com amplificador e colunas correspondentes, vá lá, mas sabemos que a malta vai é ativar isto, multiplicar o consumo de dados e não ter qualquer melhoria áudio (sim, o efeito placebo vai fazê-los dizer que sim). Isto sem entrar na incapacidade dos “airpods e companhia”… que sim, são da mesma marca de telemóveis…

  5. FreakOnALeash says:

    Pergunta de leigo, pois não ouço música de plataforma nenhuma. Em termos de dynamic range a qualidade é boa…ou tá como nos CD de há uns anos para cá com todos os sons aos berros?

    • Zé Fonseca A. says:

      Vai depender de serviço para serviço, com Tidal MQA o dynamic range é muito superior a um CD, ainda assim um bocado inferior a um vinyl ou master verdadeiro, cheira-me que existe um cheirinho de compressão.
      Com Spotify vai certamente ser inferior, com Apple Music vamos ver o que eles fazem no ALAC.

    • Hugo says:

      A qualidade do cd é boa. A da plataforma será semelhante dependendo do dispositivo onde a reproduzas. Depois a remasterização do álbum já é outra história.

  6. Leonardo says:

    O que vão fazer agora é diminuir a qualidade do serviço atual, para depois poder cobrar mais aos que pagam pelo serviço hi-fi.

    • Marco says:

      Não senhor spotify usa um codec com perdas e vai passar a ter um sem perdas que é o flac 16,44 que é qualidade de cd que é muito bom ,acima disso flac 24 bit etc,é para quem tem equipamentos de som de “alta resolução” e mesmo assim não tem muita diferença para qualidade de cd.
      Um cd bem gravado no estúdio ou em flac é do melhor áudio que podemas ouvir.
      ( minha opinião)

  7. Marco says:

    Todas as aplicações estar a dar aos seus clientes o melhor áudio e fazem muito bem ,o áudio com perdas já passou à história.

  8. jorge says:

    A Apple nao pode ser superior a concorencia porque logo vem a spotify a dizer que a Apple abusa na concorencia deleal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.