Quantcast
PplWare Mobile

Vision EQXX: Concept elétrico da Mercedes-Benz que usa energia solar e faz 1.000 km

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. SANDOKAN 1513 says:

    Estive a ver e o preço será de 130.000 euros.Fogo,que troçada.Só mesmo para ricos. 😐

  2. José Bacalhau says:

    Dois comentários. A notícia diz que a velocidade máxima é 140 km/h. Isto está certo? Se estiver o carro é uma chocolateira que niguém compraria. Depois, a notícia também refere que o consumo é de 10 kWh por cada 100 km, o que, “dizem eles, é equivalente a usar uma máquina de secar ou um aparelho de ar condicionado durante três horas”. Bem, não é preciso eles dizerem porque 10 kWh é a energia gasta por um aparelho de 10 kW durante uma hora, ou 3,33 kW durante três horas, ou 2,5 kW durante quatro horas, etc. A potência de 3300 W é mais ou menos a de um secador de roupa ou de um ar condicionado, e não é preciso a Mercedes dizê-lo; basta fazer umas contas triviais.

    • Vítor M. says:

      A velocidade máxima é estimada pelas características do carro (motorização e massa). Os valores de facto não são referidos pela marca, mas poderá com esta motorização e massa ter uma velocidade máxima de 140 a 170 kms/h, depende de muitos fatores e, provavelmente por isso, a empresa não deixou essa informação. Assim como o tempo que leva dos 0 aos 100 km/h, que também é um valor estimados, face a uma série de comparativos já existentes no mercado.

      Contudo, este é um concept que pretende chegar aos 1000 km de autonomia e ter energia extra via painéis solares. Logo, há um conjunto de ideias diferenciadoras do simples carro elétrico desportivo e rápido. Quando ao consumo, as contas da Mercedes serão ilustrativas da otimização conseguida no carro.

    • Vitor Tavares says:

      Como o “modelo” apesentado é um concept quer dizer que ainda está em desenvolvimento e nem existe a certeza que algum dia venha a ser comercializado com essas características técnicas. Quanto à velocidades máxima apenas uma observação…a velocidade máxima “autorizada” em autoestradas em Portugal é de 120 Km/h! Para mim o mais interessante é a autonomia anunciada…muito interessante se for real!

      • Vítor M. says:

        É um facto. Com o apertar do cerco às velocidades excessivas, para que raio precisa um carro de chegar aos 200 km/h?

        Esta é uma questão que estará em cima da mesa das marcas na hora de desenvolver os seus elétricos.

    • nuno neves says:

      Também não sei para que queres carros com velocidade superior a 120km/h. Com os novos radares de calculo intermedio , sempre que ultrapassares o limite de velocidades recebes a multa para pagar em casa. So na Alemanha e que não tens limite de velocidade, e é em determinadas estradas. Se ainda nao mudou.

      • Pipoca says:

        Aprendi no código da estrada quem em caso de levares alguém no carro que por qualquer razão esteja em perigo de vida, o nosso carro se “torna momentaneamente” num veículo prioritário sem limite de velocidade.
        Óbvio que não é acelerar e cagar para o resto, tem de se saber onde se pode acelerar a fim de chegar ao hospital ou posto de polícia/GNR o mais rápido possível.
        Um dia que alguns de vocês, desejo que nunca aconteça a nenhum, mas o dia que estejam numa situação dessas onde vocês vêem a pessoa a desfalecer ao vosso lado, eu quero ver se manteem a porra da velocidade máxima da estrada. Repito, que nunca vos aconteça como aconteceu cmg. Bom dia e boa semana.

  3. Dinis Domingos says:

    “coeficiente aerodinâmico de 0,17. Isto foi alcançado graças à construção do veículo com componentes leves” algo está mal aqui… o peso dos materiais não tem nada a haver com o coeficiente aerodinâmico. Um cubo de carbono vai ter um coeficiente pior que uma esfera de pedra…

    • Vítor M. says:

      Eventualmente o leve deveria ter outra explicação, dado que tem a ver com a densidade de massa, importante para o coeficiente de arrasto.

      • Dinis Domingos says:

        Haaaaa ok. Quer dizer que a mesma forma, se fosse de pedra tinha um coeficiente pior?

      • Dinis Domingos says:

        A densidade de massa que conta é a do fluido neste caso o ar… Os materiais do carro contam é para o drag uma força oposta. Certos materiais fazem mais fricção no fluido… Fui ler agora… Mas sim, os materiais tem importância para o coeficiente mas não pelo peso…

  4. wtvlol says:

    Tecnologia impressionante!

    A Tesla anda a dormir…

  5. andré says:

    Vi num video do youtube que o carro iria ter 200 e poucos cavalos, ou seja, nao é carro para grandes performances, mas sim para rolar confortavelmente.

    Mas dai a estar limitado a 140 km/h, se for verdade será certamente uma limitação eletrónica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.