Quantcast
PplWare Mobile

Um avião com 3 asas promete reduzir consumo de combustível em 70%

PUB

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. André R. says:

    Ao ler o título tentei imaginar um avião com uma asa extra por cima da fuselagem, visto que os aviões têm duas asas… não seria mais correto dizer que é um avião com 6 asas?

    • Vítor M. says:

      Se quiseres essa interpretação também não está errado, mas a nossa abordagem foi no conjunto, 3 asas.

      • HL says:

        A vossa abordagem então está errada. Quem for a ler pensa que tem 3 asas e afinal são 6.

      • Elucidem says:

        Se foi um conjunto, sejam explicitos.
        “Um avião com conjunto de 3 asas promete reduzir consumo de combustível em 70%”
        “Um avião com 6 asas promete reduzir consumo de combustível em 70%”
        “Um avião com 3 pares de asas promete reduzir consumo de combustível em 70%”

        Wiki Monoplano:
        “configuração de aviões com somente um par de asas”

        Wiki Monoplane:
        “A monoplane is a fixed-wing aircraft configuration with a single main wing plane”
        Ou seja, tem 1 (Um) plano (plano horizontal) principal de asa como sustentação. (Tal como um rectangulo).

        Wiki Triplane:
        “A triplane is a fixed-wing aircraft equipped with three vertically stacked wing planes”
        Ou seja, 3 planos horizontais de asa.

        (Um aviao normal boeing 747 que quebre uma asa do seu plano (asa esq por exemplo) fica com 0 asas?)

        Fica a questão: “Plano” = “Asa” ?

    • Thomas says:

      Neste caso era 3 pares de asas. porque com o titulo imaginei exatamente o mesmo que o André xD

    • Hugo Lopes Antunes says:

      Quantas asas têm um monoplano André? Basta uma procura no Wikipedia. Tem uma asa que pode ser encaixada na fuselagem

    • joao matos says:

      Correcto! Tiraste-me as palavras da boca André. Isto porque num avião normal falamos ‘as asas do avião’, porque é plural. isto é, tem mais do que uma asa. E como disseste, e muito bem, ‘um avião com 6 asas’. É verdade, o Português é tramado. 🙂

  2. Blackbit says:

    Não acredito, demasiado bom para ser verdade…

  3. Samuel MG says:

    Claro que gasta menos pois tem mais ascensão, ou seja tem mais ar a passar pelas asas!!

  4. O Alien says:

    Os OVNIS não tem asas, como eles voam ?

      • O Alien says:

        Se calhar nem uma coisa nem outra, talvez o dobramento espacial , ou deslocação dimensional algo que se desloca fora da nossa realidade dimensional .

        Já agora bom artigo .

      • Rudi says:

        depende, a nova teoria da gravidade é que não é uma força mas sim um desfasamento de “temporal”.

        • Paulo says:

          Sobre essa do desfasamento temporal ainda não li, mas desde 1915, com o Teoria Geral da Relatividade, não se entende a gravitação como uma força.
          Diga-se de passagem que Albert Einstein mais tarde lamentou a escolha do termo ‘relatividade’, na verdade a sua teoria é uma teoria de invariantes, como ele próprio dizia.

        • Vítor M. says:

          Estou curioso por saber o que a marinha dos States pensa destas aparições alienígenas.

          • O Alien says:

            Atenção, la por serem aeronaves exóticas não quer dizer que sejam tecnologia alienígena ou tecnologia “Humana” da nossa linha de tempo.
            Temos ter cuidado com as alusões que fazemos com este tipo de acontecimentos pois poderá ser aproveitado por gente que quer esconder a verdadeira origem .

          • Vítor M. says:

            Se não sabem o que é, como podem saber a sua origem?

  5. Joao Ptt says:

    Falta a tecnologia anti-gravidade, então era consumo ainda mais baixo =)

  6. Rudi says:

    Parece-me que não vai dar certo… uma asa atrás da outra no plano horizontal é um problema, uma vai apanhar com o fluxo de ar da outra e logo todos os defeitos no fluxo de ar que tenham sido provocados pela primeira,

    A questão te de ter mais “asas” é que precisam de ser menos compridas logo podem ter menos peso e menos material por asa, pode também ser um bom factor de segurança ou não, tem o problema que fica difícil de controlar porque os ailerons estão mais perto do centro logo fazem menos força além de que pode ter menos estabilidade, as asas desfasadas também é um problema com stall com ângulos de ataque mais altos, o mesmo problema com as superfícies de controlo em T…
    ou seja a asa mais atrás pode ter Stall com dois ângulos de ataque porque tem duas asa à frente…

    Os motores têm razão de ser mais atrás pois causam muita turbulência e alguma resistência ar e a pluma de escape causa obviamente problemas em qualquer superfície de controlo, assim não prejudica o fluxo de ar e fica mais eficiente.

    Não sei… é uma ideia interessante mas ainda assim não é sem os alguns problemas que estão já bem investigados o que torna esta ideia pouco segura da forma como está desenhada.

  7. joao matos says:

    É curioso que este avião tem os ‘winglet’ duplos na extremidade de cada asa. Gostava de ouvir uma explicação de um engenheiro de aeronaútica em como é que isto poderá funcionar em termos práticos tendo em conta que o que está em causa é a ‘força de arrasto’.

  8. Otto KUx says:

    Entendo que as asas dianteiras deveriam estar defasadas na altura e no comprimento, para não gerarem turbilhonamento sobre as anteriores. As asas traseiras já estão defasadas, o que é bom. O trem de pouso na fuselagem não é o ideal para pousos e decolagens, que são as operações mais criticas de um voo. Motores nas asas, em gondolas, geram mais equilíbrio para o voo, mesmo em turbulências. O projeto tem que passar por um túnel de vento para checar estas interferências aerodinamicas.

  9. Humberto Tercitano says:

    Tantos teólogos dissertando sobre tecnologia aeronautica!!! Inclusive ha quem diga que este projeto nao ira funcionar!!! O mundo hoje em dia sofre evolucoes tecnologicas constantes e todas essas evolucoes sao idealizadas, estudadas e testadas por grandes cerebros ate serem colocadas na praca publica. Nao é um Zé, um Manuel ou um Joaquim qualquer que vem logo à partida questionar a funcionabilidade deste aparelho.
    Ja nos tempos primordios da Aviacao sempre se colocou em causa a funcionabilidade das primeiras aeronaves e o certo é que hoje a aeronsutica chega a Lua e Marte tudo gracas a expertise avancada da tecnologia.

  10. Manuel says:

    Faltou dizer para quando, 2050 ? Notícia típica da esperança futura nunca concretizada, tão frequente nos media atuais.

    • Vítor M. says:

      Disseram o mesmo que tu quando apresentaram um conceito de carro que não precisava de condutor. A chamada condução autónoma. Isto do “nunca concretizada” é uma afirmação perigosa. Lembras-te dos velhos do Restelo, o que eles disseram?

      O Velho do Restelo é variamente interpretado como símbolo dos pessimistas, dos que não acreditavam no sucesso da epopeia dos Descobrimentos Portugueses…

      Abr.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.