Quantcast
PplWare Mobile

Tesla: 13 mil euros para “reparar” uma bateria? Empresa fez 590 euros

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. lucas says:

    Isso vai passar a ser o comum ninguem se oferece para fazer manutenção em carros electricos que não seja as marcas e como tal paga e não bufas.

    • David Cordeiro says:

      Julgo se será exatamente o contrário que se irá passar.
      São novas oportunidades de negócio.
      Agora vão aparecer mais oficinas multimarcas com mecânicos especializados em Veículos Elétricos e que vão conseguir ter preços muito mais competitivo do que as marcas.
      Vão começar a aparecer peças de todo o tipo (clones) para esses milhares de veículos (ou milhões daqui a nada) o que permitirá fazer as reparações com custos idênticos aos carros de combustão!

      • lucas says:

        Por acaso sabe o preço dos equipamentos que é preciso ter para mexer nos carros electricos ? e da formação especial que é preciso ter ter ?
        Ninguem se vai chegar a frente disposto a pagar equipamento para mexer em carros que são bombas com rodas.

        • Fo says:

          Se pensares bem, bombas com rodas são os vários a combustão 😉

        • RC says:

          Eu sei, com 300 ou 400 euros tem quase tudo. Os equipamentos que precisa a mais são, luvas para alta tensão, uma mascara para proteger a cara como a que se usa para trabalhar com uma rebarbadora, uma vara isolada, e umas placas indicadoras do estado do veiculo, se está ligado e com corrente nos terminais expostos ou não.

          E um curso para saber usar isto tudo, que consegue por 100 a 200 euros.

      • António says:

        O problema é que as marcas não vão dar garantia em baterias que foram repararas com material não original e a garantia das baterias é um fator a ter muito em conta neste tipo de carros.

        • Louro says:

          Da mesma forma que se reparares o teu carro fora da marca/reparador autorizado pela marca, corres o risco de eventualmente quebrar a garantia.

      • Robin says:

        Não esquecer que:
        Ao contrário dos veículos tradicionais, a tensão elétrica de trabalho da componente elétrica dos veículos elétricos e híbridos pode causar danos graves na saúde dos operadores. Em muitos sistemas as tensões elétricas ascendem aos 600V
        Não estamos a falar de baixas tensões

        • Robin says:

          as empresas tem de ter as pessoas habilitadas para trabalhar com estas altas tensões , luvas de proteção , botas especiais , viseiras, o tecnico tem de usar um cabo preso a roupa para o caso de ser electrocutado poder ser puxado sem colocar em risco os outros trabalhadores,não podem usar objectos pessoais metalicos, pulseiras,relogios ,aneis ,se tiverem pacemaker ou outro tipo de equipamento electronico medico que tenham de usar não podem mexer nestes carros , etc.
          já dá para perceber o tipo de carros que ão os electricos e os hibridos.

          • Robin says:

            E ter seguros que possam cobrir a morte por ter sido electrocutado ou perda de veiculopr reparação incorrecta.

          • PC says:

            Acho que está a ser muito linear! Devia informar-se melhor no que diz respeito a Tensão eléctrica. Cumprimentos

          • RC says:

            Esses materiais só são necessários quando se trabalha com as partes do carro que tem alta tensão exposta. No caso do video não são necessários, só era se eles abrissem a bateria e tivesse os terminais expostos.

        • Bruno Mota says:

          A perigosidade não está na voltagem, está na amperagem.
          Contudo, obviamente a amperagem num veículo elétrico é bastante alta.

          • Imf says:

            E como é óbvio não vais trazer rrabalhos em tensão, ninguém o faz.
            Alias isso so é feito em condições extremas, e tens formação propria para isso (TET), e equipamento de proteção próprio para esses trabalhos.
            Mas la esta num carro nao é estritamente nessecario trabalhar em tensão.
            Tal como tu em casa uma simples lampada trocas com o interruptor desligado.

          • RC says:

            Errado, o perigo está na tensão (voltagem não existe em português de portugal), pode ter 100000000 amperes numa bateria, mas se ela tiver menos de 60 volts pode mexer à vontade que não faz mal nenhum, se meter lá uma chave, claro que desaparece.

          • RC says:

            O certificado para trabalhar com esta vertente é acessivel, já existem centenas de profissionais em Portugal com ela, já existem várias empresas formadoras a dar essa formação. Eu já a tenho.

        • Toni da Adega says:

          600v não é o problema. Os carros a combustão utilizam até 45.000V.
          Os tasers “disparam” 50.000V.

        • Imf says:

          600v é baixa tensão, nao venhas ca com o risco para a saúde dos trabalhadores.
          Ate 1000V é baixa tensão.
          Claro que se apanhar um choque podes morrer, mas isso ate na tomada da tua casa

          • Robin says:

            Acho que não estão a ver bem a coisa a informação que apresentei consta de revistas tecnicas enviadas para as oficinas não em Portugal e para que saibem todos os instrumentos que vão ser utilizados são feitos alertas para se ter cuidado com electricidade estática ,suficiente para o tipo que os usa juntar os pézinhos se não levar isso em consideração.

        • RC says:

          Eu tenho formação para trabalhar em carros com essas tensões, e acredite que com as devidos cuidados não existe perigo nenhum, na prática só é perigoso para quem não sabe o que está a fazer.

          Os carros têm inumeras seguranaças para que as tensões não ficam ao alcance de qualquer um, incluivé os pontos em que têm essas tensões não estão juntos, estão sempre a alguma distância entre eles, isolados e bem assinalados.

          Já agora, 600v ou mais ainda são poucos, alguns audi, o porsche taycan, e o novo ioniq 5, os teslas trabalham todos até 400v, em que o perigo é o mesmo.

          • Mapril says:

            Bem explicado, acrescento só que não há perigo se se tocar apenas num dos terminais da bateria, tal como não há perigo para as as aves que poisam em cabos de alta tensão… e não são fulminadas.

    • Imf says:

      Mas achas que é so a tesla, levar p carro a marca é isso mesmo, eles sao substituiroes de peças caros.
      Mais nada.
      Se o motor se lixar eles nao arrajam trocam, etc,etc.
      Seja tesla, mercedes, opel, nissan , etc

    • RC says:

      Eu ofereço, quer o meu contacto ?

  2. José Corte-Real says:

    GPS do carro deixa de adquirir a posição do veículo. Orçamento da marca: 1000 euros para substituição integral do módulo multimédia. Mandei vir antena GPS do ali express e troquei-a eu mesmo. Custo total, 5 euros.

    • Bruno Mota says:

      José, boa tarde. Qual a marca do veículo? Só por curiosidade. É interessante ter este género de feedbacks para quando queremos trocar de carro. Obrigado desde já.

      • José Corte-Real says:

        Foi num Peugeot. Julgo que não diferem muito umas das outras…

        • Bruno Mota says:

          São todos umas sanguessugas. Obrigado.

          • Imf says:

            Eles nao sao sanguessugas eles estão formatados para aquilo.
            Eles muitas vezes nao tem conhecimento técnico para reparar nada.
            Limitam se a correr um diagnóstico e trocar a peça/ pecas danificadas, muitas vezes os modulos completos, claro que vai sair caro.
            Mas sabem que fica bom, pois novo é novo

  3. polo says:

    como não adorar o Rich Rebuilds.

    claro que as marcas não fazem reparações, qual é a dúvida?
    no grupo VAG ambém fartam-se de avariar por exemplo os switches da fechadura da porta, em que devem custar-lhes cêntimos e só vendem a fechadura por 200-300€

    ao menos já começam a haver mais oficinas preparadas para os eléctricos, apesar do perigo para o zé da esquina que se lembre em começar a mexer em baterias de lítio sem qualquer preparação e condições de segurança

    • Atento says:

      Nas fechaduras dos Mercedes o «efeito metralhadora» é bem conhecido (impede/força a tranca da porta).
      O problema residia numa pequena mola (que partiu) que podia ser comprada por 2€, alguns kits já traziam 4 molas e um clamp para ajudar na substituição da mola (5€).
      Em 2014 pediram-me 340€ pela reparação na Mercauto (apenas uma fechadura e ainda ficavam com a fechadura velha para «reciclar»), reparei por 5€ (kit do ebay) + 30€ (desmontagem/montagem das fechaduras acordada com uma oficina de bairro) pois acabei por aproveitar a substituir em todas. Já foi há mais de 6 anos e ainda não tive problemas.

  4. Jose Mendes says:

    Right to repair :3

  5. Zezinho says:

    O que vai acontecer a um carro elétrico de gama mais baixa com 8 ou 10 anos que precise de uma bateria que custa mais do triplo que vale o carro .

    • RC says:

      Em que planeta da galáxia é que uma bateria custa o triplo do carro ?

      • Zezinho says:

        Uma bateria nova para um Nissan
        Pode custar até 12000€
        Se o carro já tiver 8 anos o valor comercial dele é muito inferior ao valor da bateria
        O que se faz neste caso ?
        Sucata ?

        • RC says:

          Não, as bateias têm preços definidos, e não “podem custar”, a bateria de um nissan custa 7000 euros + 3 a 4 horas de mão de obra + iva = +-9000 euros.

          Então e se o mesmo acontecer com o motor num carro a combustão ? vai meter um motor novo ? ou compra um em segunda mão ? `

          Compra um em segunda mão, certo ? pois, e o carro passa a valer mais no caso do eléctrico passa a valer mais porque o estado da bateria conta, e SIM, sabemos sempre qual o estado real da bateria.

          Pode fazer isso, foi o que fiz com a minha carrinha eléctrica de 22 anos que tem uma bateria de um tesla batido de 2016. Para provar isso posso mostrar-lhe um anuncio do OLX (que nada tenho a ver) onde está um nissan de 2011 com a bateria usada de um nissan de 2019

          https://www.olx.pt/d/anuncio/nissan-leaf-b-a-t-e-r-i-a-40kw-IDGyWsH.html#467003098a;promoted

    • Louro says:

      Simples, daqui a 8 /10 anos já haverao muitos mais eletricos a circular e como tal haverao empresas que reparam as baterias, tal como a Electrified garage. 😉

  6. Bruno Mota says:

    Os carros eléctricos só são viáveis para pequenas deslocações.
    Fazer uma viagem de milhares de quilómetros, já não é viável pelo tempo que demora a carregar as baterias.
    Qualquer viagem com distância superior á autonomia do veículo, torna a viagem muito complicada.

    • Joao Ptt says:

      O truque é trocar as baterias todas de uma só vez. Isso já existe no estrangeiro e demoram 2 a 5 minutos a mudar o bloco de baterias todo, e é uma máquina a fazer tudo. Poderia até ser mais rápido se fossem todas iguais, mas cada marca tem os seus ajustes.
      Aparentemente só as empresas com frotas acharam o conceito interessante até agora, a malta quer ser dona das suas baterias que as marcas se gabam tanto.

    • Rudua says:

      Tens que te informar melhor. Em Portugal se calhar não, mas já fizeram na Noruega com um model 3, 1000km em menos de 10h

      • RC says:

        Acabaram há horas de fazer em 9:20h 1000 kms, em um Tesla model 3 LR ultima versao, apenas mais 20 minutos do que leva a fazer num a combustão.

    • RC says:

      Com a rede de supercarregadores é bem prático, meia hora a 1 hora chega para fazer mais 300 a 400 kms, se o carro for para fazer isso todos os dias, que exista quem faça, depende de cada caso.

      Eu conheço várias pessoas que compraram carros eléctricos por esse motivo, para fazer muitos kms, porque para pouco não vale a pena.

      Há dias falei com um comercial que anda de norte a sul do pais e tem um electrico, e nunca sabe onde vai estar. Coragem ? talvez, mas ele diz que foi o melhor carro que comprou.

      As coisas não são apenas aquilo que temos na ideia, Eu mudei há muito tempo para eléctrico e mantive um velho corsa a diesel na garagem para quando for preciso, na verdade só o usei nas vezes onde preciso de transportar mais de 2 pessoas, porque tenho uma carrinha electrica.

    • Louro says:

      Eu viajo regularmente entre o UK e Portugal, antigamente com um M5 E60, depois com uma carrinha E63AMG e agora com um Tesla.

      O tempo de viagem é o mesmo, mais meia hora, menos meia hora, a autonomia da bateria dá perfeitamente para fazer cerca de 4 horas de viagem em AE, e claro, paras numa estacao de servico, metes o carro a carregar, vais a casa de banho, esticas as pernas, tomas um café, da mesma forma como sempre fizeste e quando chegares ao carro dependendo da velocidade do carregador, lá está ele pronto para mais 4 horas de conducao.

      Simples… Quando alguém me vem com esse tipo de conversa, é quase sempre malta que as viagens mais longas que fazem é para ir de casa até ao trabalho.

      • RC says:

        A melhor que ouvi/li até agora foi:

        -“Esse carro nem dá para ir a Lisboa e voltar par ao Porto”

        -“então e fazes isso muitas vezes ?”

        -“Epá, já lá não vou há 6 anos” lool

        Aconselham-me a comprar uma retro-escavadora ? é que algum dia posso precisar abrir um buraco no quintal !!!

    • Artur says:

      Sim, até porque no destino não sabe o que vai encontrar em termos de disponibilidade.

      • RC says:

        Se tive um tesla sabe, ele diz os que existem em todo o mundo e quais os que estão ocupados e até a espera prevista.

        Se não tiver usa uma aplicação no telefone que faz praticamente o mesmo.

  7. Seal says:

    O que está gente (Tesla) tem feito nestes casos, de reparação de baterias fora da marca , é cancelar o acesso à rede Supercharger e mesmo ao carregamento rápido em qualquer outra rede.
    Só pra se ter uma ideia de como isto vai…

    • RC says:

      Não, a tesla só bloqueia o acesso aos superchargers quando o carro foi alvo de intrusão no sistema, ou naqueles que são exportados para outro continente, o caso dos que são importados dos EUA para a Europa ou outro.

      Mas se for a tesla a fazer a preparação do carro para sair do continente não perde.

  8. PTO says:

    Há uns anos atrás o alternador do meu carro deixou de funcionar e na oficina da Toyota, na cidade da Maia, o fulano disse que não reparavam o alternador mas que me vendiam um “recondicionado” por cerca de 370€ + IVA, fora a mão de obra.

    E o extraordinário foi que me disse isto de imediato, logo na receção, sem ninguém examinar o meu carro e com um ar de quem me estava a fazer um favor extraordinário a facultar-me uma peça “recondicionada”, porque se fosse a meter um alternador novo, seria bem mais caro.

    Obviamente que os mandei para um certo sítio e na Garagem da Lapa (cidade do Porto) trataram-me do assunto e repararam o alternador por cerca de 120€, já com IVA e mão-de-obra incluídas. Continua a funcionar sem problemas até hoje.

    Resumindo… rico esquema de negócio que a Toyota lá têm montado. Em vez de repararem os alternadores aos clientes (sempre que possível), metem um recondicionado a preço de ouro e ficam com o que tiram do carro desse cliente para reparar e vender a outro “otário” com uma margem de lucro absurda.

    • RC says:

      Mesmo assim os 120 euros foi bem cobrado, escovas e casquilhos nem 10 euros custam, mas lá está, eles não está lá para fazer caridade.

    • GM says:

      E um equipamento recondicionado é o quê? Simplesmente um equipamento reparado, testado e com garantia da marca. Concordo no “…a preço de ouro…”.

  9. Manel says:

    Realidade atual dos “fantásticos” carros elétricos:

    – não há carregadores públicos suficientes em Portugal

    – são caríssimos ( e não venham com a história de que poupas em gasolina)

    – passado 8 anos tens de gastar 8 mil euros numa bateria nova (em média)

    – manutenção cara

    – a desculpa da treta ecológica é desculpa para aumentar os preços de tudo

    – a construção de baterias e outras peças do carro não são nada ecológicas

    – etc….

    • Cruz says:

      Tenho um chevtolet aveo. Há 3 anos começou, no inverno, a condensar humidade no farol dianteiro do lado direito. O representante da marca orçou a resolução do problema em 500€!! Uma oficina generalista resolveu por 90€!!

    • RC says:

      A realidade principal é aquela que você mostra, TOTAL desconhecimento do que está a falar, tudo o que disse são falta de conhecimento, aqui vai:

      – há carregadores para os que existem, lembre-se que cada tomada que existe em casa é um carregador, e sim, 70% das familias têm lugar para carregar, já que detêm local próprio de estacionamento, Portugal não é só Lisboa e Porto, ai sim, existem algumas dificuldades.

      – não, são baratos, têm é de considerar o custo ao longo da vida.

      – errado, as baterias não duram só 8 anos, têm muitos com ais de 8 anos e continuam a trabalhar com a bateria de origem, porquê 8 anos ??? é o que dura a garantia ? então um a gasolina só dura 2 anos ? eu tenho um electrico com 22 anos e a bateria ainda funciona.

      – manutenção barata, a média de custo de uma revisão anual não passa os 60 euros por ano, a tesla nem sequer tem revisões obrigatórias.

      – não é desculpa, é um facto, e não vale a pena dar a volta aos argumentos que arranjar , nunca vai conseguir provar o contrário, ou então você está certo e o mundo está errado, duvido.

      – poluem sim, mas a alternativa é bem pior, mas enfim, acho estranho no ano 2021 ainda haver quem acredite que uma coisa que dura milhares de vezes e pode ser reconstruida poder ser pior para o planeta que uma que só dura uma unica vez………

      Quais são os etc ??

    • Louro says:

      @RC
      Se a ignorancia pagasse imposto voce estaria todo carimbado e na miséria.

      – Há sim, apesar de que a maioria das pessoas carregam os seus carros em casa, durante a noite.
      – Sao caros, mas sim poupas muito dinheiro no combustivel, e nao só.
      – Nao tem de gastar nada… o meu Model s é de 2014, já conta com 400mil km e a bateria retem mais de 85% da capacidade original.
      – Manutencao infinitamente mais barata que um carro a combustao.
      – A treta ecológica é o que irá salvar muitas vidas no futuro e livrar os nossos descendentes de doencas respiratórias (no grosso).
      – A construcao de outras pecas dos carros sao iguais a qualquer outro carro, na verdade até mais ecológicas pois nao há oleos e afins para meter no motor.
      As baterias, sao mais poluentes para construir (algo que tem vindo a mudar com a evolucao), mas o facto de teres zero de emissoes durante a vida do carro, faz com que em “poucos” km um eletrico fique tao ecologico como um a combustao e por consequencia deixe de poluir enquanto que o a combustao continuará a poluir muito mesmo depois do seu fim de vida.

    • J.P. says:

      A EDP já esfrega as mãos p quando puder dar a desculpa que não há produção de energia para todos e terá de fazer “preços especiais” para abastecer em pontos de carga auto.

      • RC says:

        A GALP e as outras também vão fazer o mesmo nos combustíveis, já que também dependem da energia, mas pode sempre arranjar alternativas, cada um pode produzir a sua energia, já gasolina não pode.

  10. Cruz says:

    Tenho um chevtolet aveo. Há 3 anos começou, no inverno, a condensar humidade no farol dianteiro do lado direito. O representante da marca orçou a resolução do problema em 500€!! Uma oficina generalista resolveu por 90€!!

  11. wtvlol says:

    A Tesla só está interessada em vender carros novos.

    Quem tiver problemas depois do carro lhe ser entregue: azar.

    • RC says:

      errado, a tesla tem dos melhores centros de assistência que existem, onde outras marcas só conseguem em carros de valor muito mais elevado, inclusive em Portugal e todo o mundo têm tecnicos que vão a casa das pessoas resolver problemas.

      Não fale do que nada sabe.

    • RC says:

      Até lhe posso mostrar um caso em que a tesla pagou a reparação numa oficina fora da rede deles. Ou seja, houve um recall aos carros para substituição ou reparação de uma unidade e a tesla até pagou reparações a quem tivesse feito fora da oficina deles.

  12. baj says:

    Num Audi, o limpa vidros deixou de funcionar! O motor funcionava normalmente, mas o braço não se movia! Fui á Audi, e o problema estava numa anilha que fazia o encaixe entre o braço e o veio do motor! Orçamento: 470€ + IVA…. ( conjunto completo ) não aceitei e fui ao mecânico aqui da zona. Analisou o caso e disse que a solução era muito fácil, bastava rebaixar o encaixe no veio do motor e colocar uma anilha de aço inox, em vez da de plástico que estava de origem, e que não teria mais problemas. Orçamento: 20€. Foi feito o trabalho, há 5 anos, e zero problemas….
    As marcas não tentam solucionar o problema da forma mais económica para o cliente! Por vezes apresentam orçamentos surreais, para situação que podem ser resolvidas por mt pouco. Sugestão: peçam sempre uma 2ª opinião.

  13. falcaobranco says:

    Esse fez como os tugas…desenrascou-se!!! CLAP CLAP

  14. Ana Maria C.A. Pereira da Cruz says:

    Axonteceu-me o mesmo na VW. Acabou o contrato de financiamento 3 dias antes da revisão marcada por eles e, como inacreditávelmente não têm qualquer programa de fidelização pos-venda, pedi orçamento para a dita revisão.
    Na Soauto pediram-me 530€ e fora 180€ e a Soauto perdeu um cliente.
    Os filtros e tudo o que estava bom, ficou. Se fosse na Soauto/VW, era tudo fora e sacavam tudo novo ao cliente. Com margens pois são peças fabricadas por eles em enorme escala.

  15. RF says:

    Os problemas elétricos podem custar mulhares ou alguns euros na reparação. O meu caso foi com a chave do meu carro que é das que pode andar no bolso das calças para abrir e colocar o carro em funcionamento. Acontece que um dia a chave foi no bolso das calças para a máquina de lavar roupa. Quando saiu a chave perdeu a “vida”. Fui ao concessionário da marca para saber a solução. Resposta da marca: A reparação andará entre os 250 a 350 euros. Procurei casas de reparação de chaves e comandos e desloquei-me a uma delas. Entrego a chave expliquei o que se passou e passados 2 minutos devolve a chave e são 2 euros. Devemos procurar sempre outra solução em determinadas situações elétricas.

    • RC says:

      Então uma chave de um carro elétrico é mais cara que de um a gasolina ?

      Pois podem, tal como nos outros, milagres é em Fátima, mas como tem menos componentes, menos gastos.

  16. Javier Reinaldo Baez says:

    Só tenho uma dúvida… quem vai se responsabilizar pela bateria desses carros elétricos cheias de metais pesados, chumbo, lítio que são altamente prejudiciais ao meio ambiente quando essas tiverem defeitos? Milhões e milhões de carros elétricos a serem fabricados, milhões e milhões de baterias altamente nocivas ao meio ambiente sendo despejadas pelo mundo.

  17. Santos says:

    A mim também já me aconteceu na MCoutinho, num BMW X3 deram como solução numa avaria relacionada com o sistema de tração substituir a caixa de transferência completa por um valor que ultrapassa 4000 Euros, com mão de obra incluída, mas ainda me faziam o favor de me aceitar a minha de retoma pelo valor de 300 Euros senão este valor era acrescentado ao preço da nova.
    Por incrível que pareça eu próprio resolvi a avaria por um valor minúsculo de 45 Cêntimos, tive de por mãos á obra e descobri que a avaria estava relacionada na pequena placa do servomotor onde substitui o circuito que recebe e envia a informação á centralina de modo a gerir a tração.
    Estes Abutres de grandes marcas estão-se “cagando” para os clientes quando as avarias aparecem, ou o cliente quando não percebe nada de carros cai na cilada ou muitas vezes desiste e procura outra alternativa.

    • Artur says:

      Quem passou a vida a trabalhar em tecnologias, será um dia um bom técnico ou até possivelmente não, tem que trabalhar 40 anos para se reformar. O Mundo não é perfeito e as pessoas também não.

  18. Edu says:

    Alguém sebe me dizer qual é a oficina que arranjou a viatura também tenho uma situação parecida

  19. ANTÓNIO CARLOS SOUSA says:

    Assim desmoraliza qq comprador.

    Afinal firmas como Worten fazem falta nesse setor

    Pq inicialmente os Telm tinham que ir para a marca e a Worten criou oficina de reparação de todas as marcas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.