Quantcast
PplWare Mobile

Telemóvel instalado no para-brisas para avaliar estado das estradas

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. umx says:

    E como funciona ao certo?

    • Manuel da Costa says:

      O princípio é simples: usando as imagens e a movimentação do automóvel, o telemóvel define a idade do pavimento e se existem buracos ou se existem obstruções.
      Por exemplo: uma estrada com mais de 12 anos de pavimento, o automóvel faz ruído e a estrada apresenta frestas ou vincos, estando para o cinzento claro. Ao detectar isso, o sistema define que a estrada deve ser alcatroada nos próximos 12 meses. Se o automóvel fizer guinadas ou andar em zigzag, mesmo que o pavimento esteja em bom estado, é porque existem pedaços em mau estado ou obstruções. Necessita da visita de um humano para definir o que se passa.
      É uma forma de reduzir as custas, podendo ser um trabalho feito por qualquer funcionário municipal, sendo que o computador é que define os locais que necessitam de reparações ou visitas dos inspectores.

  2. Test User says:

    Para tornarem mais eficiente, instalem telemóvel nas patrulhas da GNR ou PSP.

  3. Mateus says:

    Para os condutores habituados sempre no ACELERA é uma BOA SOLUÇÂO é OLHO na ESTRADA outro no

    SEMARTFONE é SEMPRE a ABRIR . Haja JUIZO .!!!

  4. Antonino says:

    “Apesar de Portugal ter no geral boas vias de circulação” Discordo totalmente, pricipalmente quando vemos tampas de sanemento mal niveladas(quase todas) e a moda agora de tapar buracos no alcatrao com paraleo.

  5. Nothing to! says:

    Quem diz que Portugal tem boas vias claramente que nunca saiu de Portugal LOL

  6. ovingadorortográfico says:

    Mas é preciso um telemóvel dizer se a estrada está ou não em condições ? Qualquer dia inventam uma app para dizer se a comida está quente ou fria…haja paciencia. A tecnologia também tem parvoíces destas.

  7. Alvaro Campos says:

    Ninguem se preocupa com os possíveis dados registados e quem os gere/acede?
    Discutem a veracidade da frase “Portugal ter no geral boas vias de circulação” esquecendo-se das palavra “no geral” mas não se lembram que todo um trajeto é registado assim como a velocidade de circulação (facilmente calculada pelo tempo despendido para percorrer um determinada distância sabida pelo GPS…)
    É como a aplicação do estado das praias: para que raio querem a permissão de utilização da câmara fotográfica? Será que vão tirar fotografias às escondidas????

    • Pedro Falcão says:

      Qual é o problema de registar dados? Deve haver muita gente interessada em caras de pessoas a conduzir. Se calhar não era má ideia se a aplicação grava-se cada vez que uma pessoa manda uma mensagem enquanto conduz e alerta-se automáticamente as autoridades. Assim, não só registava as estradas, como poderia impedir futuros acidentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.