Quantcast
PplWare Mobile

Semicondutores: A crise que está a afetar o segmento automóvel

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Sapo says:

    Processadores, não processem

  2. Sapo says:

    Quem mandou confiarem na China toda a produção de tudo o que precisamos?

    • pskin says:

      Você que sempre escolheu pagar o mais barato possivel

      • David Guerreiro says:

        Aí é que está, a produção na China não se traduz necessariamente em mais barato para o consumidor. Marcas de luxo fabricam na China e continua caro. A grande diferença é que agora a marca ganha mais. É um pouco como a redução de IVA nos ginásios, que só serviu para os donos ganharem mais.

        • PML says:

          Sim, algumas das motas da BMW deixaram de ser fabricadas na Alemanha e passaram a ser feitas na China. Resultado – o preço tem aumentado todos os anos. Portanto, o problema não é do consumidor querer pagar pouco. Vai muito para além disso.

    • RPG says:

      Ui… Se a produção estivesse em grande parte em países ocidentais, o cenário seria ainda pior, uma vez que esses países foram bem mais fustigados pela pandemia que a China.

    • Nuno Teixeira says:

      Isso não é uma questão de confiança mas sim uma estratégia de negócio derivado da globalização.

      Agora talvez se tenha chegado à conclusão que, se calhar, a industrialização e montagem de produtos não deveria ter ido quase toda para a China 🙂

      • Sapo says:

        Você foi o único que realmente percebeu o ponto

      • GM says:

        A estratégia falhou. Aliás, o único motivo que levou a deslocalização para a China, foi preço, sem olhar a meios. Eu também procuro pagar o menos possível, mas com critério. Porque a justificação de ser fabricado aqui, e ser mais caro porque é fabricado em determinado país ocidental, e que tem determinado nível tecnológico, e que cumpre mais isto e aquilo, não justifica que a margem comercial, ou de lucro, ao invés de ser por ex. 10%, seja 30 ou 40%. Na realidade, os produtos de marcas ocidentais fabricados na China, são-no por causa de custo de fabrico mais baixo para que a margem de lucro seja maior. Agora, aguentemo-nos à bronca. Só um exemplo dentro de portas: peças de vestuário, de marcar portuguesas, desenhadas em Portugal, mas não fabricadas em Portugal, para mim deixaram de ter valor (TIFFOSI, GIOVANI GALLI, MODALFA). E depois, aparecem casos do tipo DIELMAR.

        • Sapo says:

          Pode parecer besteira mas é triste que tudo que compramos tem sempre origem na China, das coisas mais simples de fazer as mais complexas fui comprar uma sebenta “apostilla” umas semanas atrás e tive que procurar muito até encontrar uma que não era feita na China, era supostamente feita na França.
          Não é mesmo questão de sempre comprar a mais barata que existe é que realmente estamos a ficar sem opções. Tudo vem de lá

        • David Guerreiro says:

          Mas tens marcas estrangeiras que fabricam cá, como a Zara. Tenho roupa da Zara made in Portugal. A MO da Sonae também tem algum vestuário/calçado made in Portugal.

    • Milhais says:

      Aqui nao tem nada haver com a China. A china tem investido muito mais a maioria ainda vem de Taiwan, Japao e Coreia. Por isso se quer falar da China talvez a Europa devia de copiar e fazer os mesmo investimentos que a China fez nessa industria nos ultimos 10 anos.

  3. Rui says:

    O ocidente decadente só agora percebeu que a deslocalização da indústria para o oriente foi o prego no caixa da sua competitividade!

    De que é que o ocidente pretende viver? Recibos verdes no turismo ou o salário mínimo a sermos os serviçais dos turistas? Ou a sermos agricultores?

    Qualquer país se quer enriquecer (e a sua população, evidentemente), só com a indústria é que tal é possível.

    Agora que quase tudo é produzido industrialmente na China, já vão tarde! A maior superpotência vai ser a ditadura comunista chinesa.

    Até nós ainda não percebemos de que quem tem mais poder sobre o nosso país não são nem alemães nem americanos, são chineses, porquê?
    Vejam se encontram alguma localidade sem uma loja de produtos chineses (importados sem pagar impostos da China)! E sabem quem manda na Fidelidade, EDP, REN, BCP, ……… olhem que não são nem americanos e nem alemães…………..

    Anjinhos, tudo muito verdinhos para a realidade!!!!!

    • RPG says:

      Como é que eles importam algo (em grandes quantidades), de um país fora da UE e não pagam impostos? Têm a alfândega toda na mão também?

      • Rui says:

        Palavras-chave, portos de Barcelona e Roterdão!

        O resto investigue por si!
        Acha que o aparecimento das lojas dos 300 foi uma mera coincidência?

        • RPG says:

          Ahh ok, esse mito.. tá bom…

          • Rui says:

            O quê, as lojas chinesas são um mito? E de que país são produzidos vendidos por essas lojas?

            Tenha cuidado quando não consegue ver a realidade à frente dos olhos.

          • RPG says:

            What?! Refira-me obviamente ao facto de importarem e não pagarem taxas como todos os outros, o que você alega sem provas. Já para não falar que “pagam” IVA ao estado nas vendas que fazem, tanto que é emitida uma fatura. Aliás, vejo mais transparência nesse sentido, que em muitas lojas e lojinhas geridas por marroquinos e paquistaneses e afins.

      • David Guerreiro says:

        Têm portos a soldo, com corrupção. A carga entra, e depois já está na UE, circula com facilidade.

        • RPG says:

          Portanto, vamos confiar na fidedigna fonte David Guerreiro. A culpa de tal acontecer é apenas de quem corrompe, ou também de quem é corrompido? Qualquer das formas, não vou negar que isso possa acontecer em alguns casos, tal como acontece com empresas europeias, de qualquer nacionalidade, mas generalizar como você faz e assumir que todos o fazem, só mostra uma falta de noção da realidade gigantesca.

  4. Sardinha Enlatada says:

    A ganancia sempre acompanhou o ser humano e como os gestores so veem lucro e mais nada, as pessoas nao interessam entao optaram por deslocalizar as fabricas, sem aplicar uma visao estrategica, a visao deles sempre foi o lucro, agora vao tarde a correr atras do prejuizo.

    • Rui says:

      Acha mesmo que a culpa é só do capitalismo que quer ganhar dinheiro?

      É que eu lembro-me dos governos perseguirem as empresas porque poluem, depois inventam taxas de carbono e do raio a 4….. o que é produzido na China não cumpre nenhuma dessas preocupações!!!!

      Nós neste momento temos um governo extremamente hostil às empresas e eu pergunto: Vamos ser todos funcionários públicos? Vamos todos viver de esmolas e subsídios?

      Sem empresas não é criada riqueza e as importações não é mais do que saída de divisas do país!!!!!!

      • Demo says:

        Bom dia Rui, Não esqueças que ao falar de desses pedintes a que chamas funcionários públicos, estás a falar de Médicos, Professores, Polícias, etc.

  5. sapo says:

    gostei dos vossos comentários, e que não estão nada fora da realidade, eu próprio
    sou industrial com quatro empresas em portugal, anteriormente passei por 14 paises e
    vejo o futuro…ou talvez não vejo futuro…essa é a realidade.

    • Robin says:

      Enquanto tivermos politicos e partidos compostos por gente que não trabalha, nem nunca trabalhou habituados a estender a mão e receberem dinhero da UE e sacar os impostos ao povo , nada muda.

  6. GM says:

    Na minha opinião, deveria ter todo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.